GADG – Capítulo 15 – Até Fruta Podre Parece Deliciosa de Longe



Podia ser dito que uma das causas do declínio do Reino era sua tributação pesada. Os ricos que viviam vidas de luxo eram uma parte, mas a maioria dos cidadãos do Reino era formada por camponeses oprimidos. Coletores de impostos violentos frequentemente apareciam e tiravam a pequena propriedade que havia. Punições até seriam dadas às pessoas que não pudessem pagar a quantia estabelecida. O mesmo valia se recusassem o recrutamento. Os camponeses do Reino estavam todos cansados ​​disso.

Mesmo assim, as pessoas que se revoltavam eram poucas, já que haviam sido acostumadas a serem oprimidas desde o nascimento. Apesar de estar sob dificuldades mortais, apesar de todas as pessoas que passam fome e morrem, elas não matariam. Mas, quando o perigo à vida se aproximava, eles pegavam armas.

Os humanos não submetiam silenciosamente seus pescoços. Eles não seriam vítimas.

O que mudara as lamentações desses homens à fúria fervilhante foi um acontecimento único.

….. Foi a Rebelião Tenang

Ao ter emergido vitorioso na batalha de alguns dias atrás, o Exército de Libertação da Capital Real moveu os quarteis generais do Forte Salvador para o Castelo Ramo Antígua. Também tinham feito isso porque havia o apelo de se aproximar gradualmente da Capital Real. Assimilaram os soldados rendidos e expandiram seu escopo. Também haviam tomado posse da Grande Ponte Sulawesi. Atualmente, estavam capturando todas as fortalezas e cidades na área de Belta. Então, se o Castelo de Belta, onde David havia se refugiado, caísse, a Zona de Fronteira Central cairia completamente sob a influência do Exército de Libertação. Isso solidificaria seu ponto fraco na área, e seria cada vez mais possível lançar uma invasão na direção da Capital Real.

Como o Exército de Libertação continuou a ganhar consecutivamente, o poder de seus oficiais e homens se elevaria em conjunto. Embora tivessem pago o preço de muitas vidas, para o bem dos cidadãos oprimidos, eles se lançariam voluntariamente na batalha. Todos abraçaram as esperanças e sonhos de seu jovem símbolo, Princesa Altura.

Castelo Ramo Antígua, Sala de Conferência. Oficiais militares e civis militares estavam reunidos.

 

Ali, tópicos relacionados com assuntos militares, assuntos financeiros, governo e diplomacia foram debatidos, e era onde Altura daria sua decisão. Como eles estavam atualmente expandindo sua esfera de influência, havia uma montanha de desafios. O que estavam discutindo agora era sobre as consequências da batalha do Rio Alucia.

— …. Na batalha do outro dia, é verdade que houveram muitas vítimas civis? Por que Borjek teve que morrer?

Altura perguntou com tristeza. O Coronel Borjek serviu muito antes de ela ter criado um exército e era um homem extremamente prestativo, sempre cuidando dela. Se destacou na liderança e era um militar que ela poderia colocar fé. Ela queria lutar com ele. Ela queria que ele a vigiasse.

Os generais, que por acaso estavam presentes na época, também estavam fazendo rostos de luto. Para essa pergunta, o Estrategista Diener relatou que era a “verdade”.

— Sim. Os civis sem armas que se refugiavam na retaguarda foram atacados pela Cavalaria do Reino. Tendo lançado um ataque surpresa, aquele grupo do Reino começou a invadi-los, mirando apenas os civis. Decidido a obstruir essa atrocidade, o Coronel Borjek partiu para a frente e, apesar de ter reagido corajosamente, foi morto em batalha. No entanto, devido ao seu nobre sacrifício, ele conseguiu salvar muitos civis. O Coronel Borjek absolutamente não teve uma morte sem sentido.

Às palavras de Diener, os oficiais militares mostraram expressões de indignação. Esses caras eram uma desgraça para todos os militares, eles pensavam. O Reino estava podre até este ponto! eles pensaram.

Um grupo de pessoas percebeu que a “verdade” havia sido distorcida quando foi relatada. Mas eles não se manifestaram. Raciocinaram que não era tudo mentira.

— ….. Diener. Você disse que não haveria pessoas machucadas. Por isso que aprovei seu plano de soldados de mentira. Então, como acabamos com esse tipo de resultado?

— Não pensei que um oficial comissionado do Reino tomasse a iniciativa e visasse apenas os cidadãos. Eles caçavam apenas os fracos e suas figuras se divertiam abatendo como bem entendiam. Foi como o trabalho de uma fera. Eles provavelmente não têm nenhum orgulho como cavaleiros. Foi completamente um erro de Diener, um erro meu.

Naturalmente, ele esperava a possibilidade de haver vítimas entre os civis. Se seu plano fosse bem, ele saudaria os civis como heróis. Se fossem pegos no fogo cruzado e se tornassem vítimas, chamaria isso de uma tragédia. Isso promoveria a moral e usaria isso como material para espalhar boatos sem fundamento, era o que planejava.

Era uma verdade definitiva que eles, civis desarmados e cidadãos do próprio Reino, foram mortos. Ele tomaria essa “verdade”, misturaria alguns exageros e a disseminaria, circulando ainda mais a má reputação do Reino. Ele já havia dado ordens secretas e liberado seus agentes na área de Belta. Os frutos do seu trabalho se mostrarão mais cedo ou mais tarde.

— Dê às famílias das vítimas remunerações liberais. Eles cooperaram com nossos sonhos e perderam suas valiosas vidas. Temos que superar seus sacrifícios e realizar nossos ideais. Diener, por favor, nos ajude.

— Sim, senhora, deixe comigo. Eu darei às famílias em luto uma recompensa adequada.

— ….. Próximo relatório.

Ao ouvir as palavras da princesa Altura, um oficial civil leu os documentos em voz alta.

— Um pedido de ajuda veio de uma vila agrícola sob influência do Exército de Libertação. É um pedido dizendo que eles querem bens e provisões, pois estão na pobreza.… Há muitos mais iguais a este.

Muitos textos falando de condições miseráveis ​​tinham sido endereçados a Altura.

— Diener. Temos alguma coisa sobrando?

Linhas de visão se voltaram para o Estrategista Diener, que respondeu sem uma mudança de expressão.

— Não há como termos essa quantidade de excedente, no entanto, não podemos simplesmente ignorá-los. Afinal, a grande causa que defendemos é derrubar a monarquia atual e resgatar o povo sofredor do Reino. Esse futuro absolutamente não virá para aqueles que não podem cuidar daqueles que estão abaixo deles. Ou que tomam vantagem deles.

— Então, urgentemente, dê-lhes caridade. Mostre-lhes a moralidade do nosso Exército de Libertação. Assim que possível, devemos ter o incompetente Kristoff fora do trono.

— Eu entendo. Por favor, deixe a questão das mercadorias para mim. Não recebemos nenhuma falta de apoio do Império – como consequência de a Princesa nunca vacilar e trair sua fé.

Muitos oficiais civis fixaram os olhos em Diener com um olhar que perguntava: “O que você está dizendo? ”, Mas Altura não mostrou sinais de perceber o comportamento deles. Se alguém falasse sobre os oficiais civis, todos eles sabiam que não tinham excedentes com suas finanças atuais. Como haviam acabado de colocar Belta sob sua influência, seus rendimentos fiscais não eram extremamente altos. Ainda levaria algum tempo até que o caos diminuísse e colocassem um sistema de governo em ordem.

Diener ignorou os olhares do grupo de oficiais civis.

— Estou te implorando, Diener. Vou estar te jogando todo o trabalho.

— Só essas palavras são suficientes para mim.

Diener fechou os olhos e baixou a cabeça. Vendo isso, Altura assentiu com a cabeça.

— Existem outros relatórios?

— ………

— Então, vamos concluir por hoje. Se alguma coisa acontecer, avise-me imediatamente.

– Sim, senhora, entendido.

Quando Altura saiu da cadeira, os generais saudaram e seguiram atrás dela. Deixado para trás, estava Diener, ainda sentado em sua cadeira na sala de conferências, e o Vice-Comandante do Exército de Libertação, o Príncipe Alan.

Alan se aproximou do lado de Diener e falou em voz baixa.

— …… Diener. Você está planejando fazer isso de novo? Realmente acha isso correto? Não sabe quando Altura vai descobrir?

Alan estava sendo notificado das atividades de Diener de uma unidade de agentes do Império. Não era uma questão que podia ser divulgada, e havia uma ordem rigorosa para os participantes. Esses agentes de inteligência eram protegidos por Alan, então podia confiar neles. Claro que não estava informando sua terra natal, o Império, já que no futuro, isso se tornaria uma fraqueza.

Mas, se alguma vez se tornasse intolerável, ele planejava derrubar Diener e bani-lo. Não poderia deixá-lo se tornar uma causa de ruína para o Exército de Libertação.

— Absolutamente, estou prestando muita atenção para não ser notado. Estou apenas permitindo que meus próprios mercenários o executem. Contanto que recebam uma grande quantia de dinheiro, não dirão nada. Na verdade, vão gostar de fazer isso.

Ele não sabia quantas aldeias haviam atacado. Eles saqueavam enquanto estavam disfarçados de soldados do Reino. Eram originalmente humanos que recorreram ao roubo. Alegadamente, estavam se esforçando em seu dever. Acabou em apenas pilhagem; foram instruídos por enquanto a não matar, se possível.

Porque no final, essas aldeias entrariam sob o controle do Exército de Libertação. Seu trabalho era valioso. Se seus mercenários se tornassem imprudentes demais e não pudessem controlar suas mãos, ele simplesmente se livraria deles e contrataria o próximo grupo. Era uma questão muito simples. Os mercenários não eram os companheiros do Exército de Libertação, apenas peças descartáveis.

— ………

Alan estava escutando em silêncio.

Diener continuou apaticamente sua conversa.

— Além disso, não consigo fazer mercadorias aparecerem do nada. O mundo não é tão generoso. Não importa o que eu tenha que usar, eu absolutamente preciso obtê-los. Para o bem do nosso Exército de Libertação em expansão e para apoiar os cidadãos que entram sob nossa jurisdição. Trazer um tempo de paz requer um investimento inicial. Estas são medidas de emergência até que possamos esperar uma receita fiscal estável.…… No entanto, esta deveria ser a última vez.

Calmamente, porém, de forma rápida, Diener detalhou. A Zona de Fronteira Central era, desde o início, uma terra fértil. Se eles elevassem a moral dos camponeses e criassem um governo apropriado, certamente se tornariam ricos. Eles também poderiam esperar o comércio com cada nação vizinha.

Eles iriam remediar a taxa excessiva de impostos, realizar uma limpeza geral de funcionários do governo e senhores feudais em seus próprios bolsos e conduzir uma reforma completa. O Exército de Libertação os seduziu, garantindo sua posição social, destruindo seu poder político e roubando seu poder de resistir. Quando perceberam que haviam sido enganados, tudo acabaria provavelmente. O Exército de Libertação da Capital Real tomou medidas drásticas no seu dever de lavar o pus acumulado.

No entanto, para conseguir isso, precisavam de um enorme apoio das pessoas, caso contrário, tudo terminaria como um sonho.

Um ímpeto era necessário para mudar o ódio das pessoas em relação ao Reino em apoio ao Exército de Libertação.

— Esta será a última vez? O que me diz, Diener?

— Se assumirmos o controle total da Zona de Fronteira Central, não haverá mais necessidade desses assuntos problemáticos. Além disso, esta última “Operação de Compra de Mercadoria” será a última gota para o Castelo de Belta. Tendo sofrido uma derrota esmagadora, essa agora é a maior chance de apagar a autoridade do Reino sobre esta região.

Diener abriu um mapa na mesa e apontou para o Castelo de Belta. Atrás estava a cidade de Tenang com uma marca vermelha. Era um lugar não incluído em seus planos de captura.

— Já estamos capturando fortalezas na linha de frente de Belta. O que mais você está planejando? Não vamos apenas esperar por um bom tempo e cercar o castelo principal de Belta?

— Não basta só isso. Ainda não é suficiente. A força de fogo deles não é absolutamente suficiente. Para nossa grande causa, ela tem que se tornar um inferno forte o suficiente para queimar todo o Reino…… O Comandante David provavelmente não pode mais se mover. Ele está assustado e apenas reforça as defesas. Um comandante que perdeu sua autoconfiança, soldados do Reino no caos, uma população com descontentamento acumulado e a infâmia disseminada – toda a fogueira foi montada. Depois, só precisa incendiar.

— ….. Você, o que diabos está pensando?

Quando Alan olhou para ele com olhos de apreensão, Diener, com uma expressão tranquila, respondeu de forma distinta.

— Claro, apenas a vitória do Exército de Libertação, e derrubar a monarquia atual. Minha vida foi usada apenas para esse propósito. O Exército de Libertação da Capital Real é tudo o que tenho.

— Os ideais de Altura realmente existem em você? Isso não é muito imprudente? Aquele que mais desvirtua os ideais dela não é você?

— Uma guerra limpa não existe neste mundo, Vossa Alteza, Príncipe Alan. Tudo o que existe é apenas uma realidade hedionda que faz com que se queira desviar os olhos……. No entanto, também existem coisas que não precisam ser conhecidas. Princesa Altura está da forma que está. As pessoas veem suas aspirações nela. Humanos tão completamente imundos como eu também veem.

Ele se levantou da cadeira, encarou o Príncipe Alan e olhou em seus olhos.

— …… Príncipe Alan. Sua cooperação é necessária. Eu gostaria que você levasse o trabalho sujo comigo. Eu quero que se contamine com desonra suficiente para manchar sua alma com sangue. Nós nos coroaremos com sujeira. Depois que esta guerra acabar, assumirei todos os pecados.

Diener estava fazendo uma aposta. Ele tinha visto através desse homem que nutria sentimentos pessoais por Altura. Diener também estava ciente de que essas emoções excediam muito seu afeto em relação à pátria. Ele tiraria vantagem disso e puxaria Alan para o lado dele. Ele amarrava as mãos e os pés para que nunca pudesse voltar atrás. Espera-se que este homem desempenhe o papel de negociador com o Império. Por todos os meios, Diener queria atraí-lo.

— …….

— …….

Alan evitou uma resposta imediata. Era preciso resolução e determinação para aceitar essa proposta. Precisava ter certeza que tinha isso. Para imediatamente eliminar quaisquer motivos egoístas que ele possa ter, sua mão alcançou sua espada.

— …… Isso realmente será pelo bem de Altura?

— Para que seus ideais continuem puros. O que a realidade não é. Alguém tem que protegê-la dessa lama suja. Nós seremos esse escudo. Quero que você assuma esse papel ao lado da princesa.

— ……….. Compreendo. Vou te ouvir. Faça o que quiser.

Depois de um longo silêncio, Alan consentiu.

Silenciosamente, Diener falou. Altura certamente se enfureceria se ouvisse esse plano. Era um ato completamente contrário aos seus ideais. Sacrificava os poucos para salvar muitos. Não seria estranho que ela o cortasse em tal situação. Os outros oficiais comissionados provavelmente não ficariam em silêncio também. Na verdade, tendo ouvido o assunto, Alan também ficou enfurecido e agarrou Diener pela gola.

…. Em nome da vitória do Exército de Libertação da Capital Real, Diener vendeu sua alma.

Em um lugar ao leste do Castelo Belta, havia uma cidade chamada Tenang. Protegida por muralhas baixas, era uma aldeia simples e comum, sem recursos redentores.

Naquela aldeia, camponeses vizinhos de repente se reuniram e levantaram vozes furiosas. Cada um deles tinha armas antigas e, cheios de raiva, se aproximavam do casarão do lorde feudal. Era uma cidade sem defesa apreciável além de suas muralhas. Soldados que tentaram obstruí-los foram derrubados e violentamente espancados.

As pessoas da cidade completamente assustadas não saíram de suas casas. Eles não queriam se envolver.

Quando a figura do perplexo senhor feudal surgiu do terraço do casarão, os camponeses gritaram amargamente.

— Pagamos nossos impostos como nos disseram. Cumprimos com repetidas exigências. E, no entanto, por que você vai nos matar? Você pretende roubar até mesmo nossas vidas? — Eles estavam dizendo.

O senhor feudal não entendeu o que estavam dizendo. Claro, ele estava impondo um imposto severo. Também estava requisitando mercadorias conforme as ordens do Reino e financiando a guerra.

Mas não havia ordem dizendo para matar. Eles não se separariam de sua preciosa força de trabalho sem razão. Os camponeses estavam sendo extorquidos, mas mal tinham o suficiente para viver. Caso contrário, não teriam mais receita tributária. Por isso não seriam mortos.

— Eu não entendo o que estão dizendo. Mas o que vocês fizeram não será perdoado. Parem já com isso e voltem ao trabalho. Qualquer coisa mais será considerada uma traição contra o Reino, e todos serão presos. — Ele respondeu.

Os camponeses não consentiram. Um genocídio estava acontecendo em uma vila vizinha agora. Muitos poucos sobreviveram. Além disso, todos tinham visto as figuras dos soldados do Reino. Como eles poderiam acreditar nas palavras de alguém que habitualmente os oprimia?

Mesmo que ele fosse o senhor feudal, era difícil forçar os camponeses a se retirarem. Os soldados tinham sido perdidos em uma batalha anterior e os guardas da cidade eram poucos em número. Em apenas alguns números, os camponeses que tinham o visitado por um apelo direto ultrapassaram os guardas. No instante em que estava pensando em como enganá-los e pacificá-los…

De seu prédio voou uma única flecha. Aquela flecha atingiu o peito de uma mulher segurando um bebê no meio da multidão. O senhor feudal não dera ordem para atacar. Mas uma flecha foi disparada.

O silêncio envolveu o ambiente, agora cheio de sede de sangue. Então, explodiu instantaneamente.

— Mate-o, mate-o! — A ordem veio e os camponeses correram para o casarão do senhor feudal.

Corpos de soldados foram rasgados por ferramentas agrícolas e eles morreram. A mobília de luxo e obras de artes foram quebradas. O senhor feudal e sua família foram arrastados e queimados vivos. O casarão estava em chamas e a cidade de Tenang fora totalmente ocupada por camponeses. As pessoas fracas que haviam arrancado a vitória de sua própria privação com suas próprias mãos rugiam em comemoração. Quando alguém gritou “Hooray!”, todos seguiram depois e gritaram repetidamente.

…. No fim, a bandeira estava voando alto, era a bandeira do Exército de Libertação da Capital Real.

 

 

David entrou em pânico ao ouvir que haviam perdido Tenang atrás do Castelo de Belta. No máximo, era apenas um senhor feudal sendo morto por camponeses e fazendo uma cidade do Reino cair.

Mas com medo de que seu caminho de retirada tivesse sido cortado, “é absurdo para os camponeses matarem o senhor feudal. Limpe todo mundo ”, ele tinha emitido arbitrariamente a ordem, e enviou dois mil soldados de infantaria imediatamente para Tenang.

Os camponeses fizeram uma boa luta, mas no final eram leigos que não haviam recebido treinamento. Em poucas horas, o portão foi quebrado e a cidade foi invadida. Todos que participaram da rebelião foram derrubados; foi um massacre, sem poupar jovens ou idosos, homens ou mulheres. Havia também pessoas da cidade que se misturaram e ficaram no caminho. Todo mundo suspeito foi morto.

A notícia da “Rebelião de Tenang” e da “Atrocidade de Tenang” espalhou-se por toda a área de Belta, e muitos senhores feudais tremiam com medo de receber o ressentimento dos camponeses. Muitos senhores feudais que estavam em cima do muro, com medo de serem mortos também, declararam apoio ao Exército de Libertação. Soldados que guardavam fortalezas também perderam seu espírito de luta e descartaram suas espadas e abriram os portões. A maioria deles eram camponeses que haviam sido recrutados de uma aldeia agrícola em Belta.

Em menos de meio mês, o Exército de Libertação havia capturado as cidades e fortalezas de Belta, e tudo o que restava era o Castelo de Belta. O Reino perdeu o poder na Zona de Fronteira Central nessa medida. O Quarto Exército ainda foi enfraquecido por sucessivas deserções e rendições, e agora apenas uma força de dez mil soldados tinha que defender o castelo.

David enviara um pedido de reforços o mais rápido possível para a Capital Real, mas a única resposta foi ‘Defenda Belta até o fim’. Quando o Império no noroeste estava aumentando seus movimentos, não havia forças sobressalentes para serem enviadas em auxílio.

O Marechal-de-Campo Sharov havia apelado que o Primeiro Exército deveria ser enviado, mas o Primeiro-Ministro Farzam havia rejeitado, dizendo que era desnecessário. O que deveria prevalecer era a defesa da Capital Real e não aprovaria nada que a enfraquecesse.

Não aguentando mais, Sharov decidiu enviar cinco mil de suas tropas como retaguarda. Eles fizeram uma expedição à Fortaleza de Roshanak, que montava um muro avançado para a área da Capital Real. Depois que Belta caísse, não era improvável que o Exército de Libertação continuasse em seu ritmo e se aproximasse da Capital Real de uma só vez. Além de ganhar tempo, eles precisavam deter o Exército de Libertação lá temporariamente.

Roshanak era uma fortaleza apenas no nome. Suas paredes eram baixas e estava em um terreno baixo. O reformulado General Yalder foi designado para ser o comandante. “Não aja precipitadamente e evite o ardor excessivo”, ele foi estritamente ordenado. Nenhuma voz de oposição foi levantada dos generais. Eles pensavam nele como simplesmente uma rocha descartável.

Do outro lado do mapa, David, perdido, se decidiu. Ele não aprovaria a evacuação até o final. As mercadorias continuaram a ser levadas para o Castelo de Belta e fortaleceram seus preparativos para um cerco. Seria uma batalha de cerco sem esperança de reforços. Antes da batalha, a moral continuava caindo.

Quanto a Schera, ela gastara todo o dinheiro provisionado para o cerco e comprara comida a granel.

Havia relatos de que os indivíduos do Exército de Libertação estavam fazendo uma expedição e se aproximando gradualmente do Castelo de Belta. Naturalmente, eles não podiam comprar de cidades vizinhas, já que não estavam mais sob o domínio do Reino. Como não havia outro caminho, chamavam os mercadores pelo Rio Alucia e compravam dos mercadores contrabandistas da União. Eles eram explorados o tempo todo.

Esses indivíduos vendiam barato para o parceiro deles, o Exército de Libertação, e explodiram o preço de seus adversários, o Exército do Reino. Para que seus futuros clientes pensassem bem, é claro que fariam isso. Eles compensariam o déficit de seu parceiro comercial, o Reino.

Os preços subiram cinco vezes o valor normal. Se você não gosta, não compre, eles disseram.

O escritório de Schera estava completamente enterrado por sacos de trigo e comida seca. Nessa paisagem lotada até o ponto em que nem se conseguia encontrar um lugar para ficar, até Katarina ficou surpresa, como seria de se esperar.

— Com isso, mesmo que as provisões do castelo acabem, podemos nos isolar por um mês. Estamos sem dinheiro, graças a isso. Que refrescante.

Disse Schera enquanto dava uma sacudida satisfatória nos sacos de trigo, como se apenas dissesse: “Dê uma olhada”.

Katarina levantou os óculos e olhou em volta. Certamente era um bom esconderijo, ela pensou.

…. Mas.

— Major Schera. Mesmo que a Major seja capaz de se isolar, não temos muito.

Se fosse Schera, mesmo que o castelo caísse, por exemplo, ela se trancaria sozinha no escritório e definitivamente mostraria vontade de lutar. Enquanto houvesse comida, ela parecia ser capaz de lutar para sempre. Katarina tinha uma esperança: ela queria estar presente em tal situação, se possível.

Como Schera aceitaria seus últimos momentos? Que tipo de rosto seu corpo morto teria? Era imprudente, mas ela não podia dizer que não estava interessada. Embora ela também provavelmente morresse logo depois, ela teria o cuidado de não morrer até esse momento, considerou Katarina. Ela subiria à fama? Cairia em ruínas? Qual deles seria ainda não estava claro. Tudo o que podia fazer era apoiar esse oficial superior com todo o seu ser. Katarina renovou sua determinação.

— Você não precisa se preocupar. Eu também te darei sua parte. A comida tem um gosto melhor quando dividida. Mas, se minha cavalaria comer, até mesmo esse montante logo desapareceria, me parece.

Como ela não estava morrendo de fome, Schera ainda estava de bom humor.

— Minha gratidão pela generosidade da Major. No entanto, nós–

— Bem, vamos pensar nisso depois que a comida acabar, já que sinto fome quando penso. Ah, sim, o que aconteceu com o Segundo-Tenente Vander?

— Senhora, ele se fechou completamente em seu quarto. Ele nem vai mostrar seu rosto. Pelo que ouvi, sua condição física está ruim.

– Hmm. Tudo bem então. Eu irei para o escritório do Oficial de Estado-Maior Sidamo depois disso. Você faz o que achar melhor. Vá descansar seu corpo para que não entre em colapso em um momento crucial.

– Entendido!

Schera foi para o escritório de Sidamo e bateu. Sidamo havia sido expulso do cargo de Chefe de Estado-Maior e foi transferido para o escritório de um oficial de estado-maior. Recebeu o dever de gerenciamento de material de acordo com a ordem de David.

— Aqui é a Major Schera. Você chamou, senhor?

— Entre.

— Com licença!

Depois de levantar a voz, ela abriu a porta e lá estava Sidamo com seu rosto sombrio. Comparado à quando ela o encontrou pela primeira vez, seu rosto estava desgastado. Provavelmente tinha suas preocupações. Schera não perguntou, porque não se importava. Ela não trouxe pão hoje como presente. Acabou comendo antes.

— Já faz algum tempo, Major Schera. Como sempre, ouvi sobre seu estilo de luta. Você provavelmente também preservou a honra do General Yalder, que recomendou você……. Parece que não havia sentido em dar-te ajudantes.

— Não, o trabalho deles foi extremamente útil.

— Bem, isso é bom. Eu entendo agora que você é uma existência que não será morta tão facilmente. Sua infâmia também se espalhou. Deus da Morte do Reino, Major Schera Zade. Uma comandante deplorável que massacrou um grande número de oficiais, soldados e civis. Não parece que você está sendo feita de inimiga pelo Exército Rebelde?

Uma bandeira negra com um brasão de pássaro branco – Na batalha anterior da Travessia de Alucia, o nome de Schera se espalhou instantaneamente. Neste momento atual, ela havia matado a maioria dos comandantes do Exército de Libertação. Não havia mais ninguém entre os oficiais e homens do Exército de Libertação que não a conheciam. Foi reconhecida como o pior inimigo e que deveria ser morta.

— Senhor, eu matei todos aqueles indivíduos do Exército Rebelde. Há algum problema?

— Problema algum. A infâmia é uma parte indispensável de um herói. Se vencermos, será o contrário. Você deve se comportar como quiser, como está agora até o fim.

Cinicamente riu Sidamo, que então retornou à sua expressão séria.

— Sim senhor. Entendido.

— Passando à questão principal, infelizmente, este Castelo de Belta provavelmente cairá. Nem sinal de reforços, e mesmo que o inimigo nos rodeie, não podemos detê-los. Do ponto de vista objetivo, temos um mês a mais ou a menos. Há mais ou menos uma fonte de erros. Temo que haverá um surto de um grande número de traidores. Quanto tempo podemos persistir, só deus sabe.

Sidamo anunciou desinteressadamente a queda do castelo. Se ele fosse ouvido pela polícia militar, teria sido contido. Mas mentir não muda nada, então afirmou apenas a verdade.

O que era importante para uma batalha de cerco eram: bens, moral dos soldados e se poderia esperar reforços. Não importava quão superior fosse o poder de defesa de um castelo, era inútil se o seu interior estivesse podre. Em um estado em que até mesmo não tivesse um desses itens, a queda poderia ser considerada uma questão de tempo.

Schera estava ouvindo em silêncio. Nenhuma surpresa particular pôde ser vista. Ela tinha um rosto que dizia que realmente não ligava. Sidamo sentiu o estômago doer pouco a pouco.

— Quando a hora chegar, pegue seus soldados e vá para a Fortaleza de Roshanak. É burrice e não faz sentido a cavalaria morrer dentro de um castelo. O tempo necessário para treiná-los, o dinheiro e os custos de manutenção – tudo isso será inútil. Se você vai morrer, morra fora do castelo.

— Sim senhor, eu farei o meu melhor para morrer fora do castelo!

Preocupado que ela não tivesse entendido, Sidamo reafirmou, de uma maneira que até essa garota entenderia.

— …… Em termos mais simples, não veja o destino deste castelo como seu destino. Rasteje, lute sujo até o final. Consulte seus ajudantes para pedir por detalhes. É por isso que eles foram designados a você.

— Sim senhor, eu, Major Schera, entendi!

— Muito bem. Dispensada!

— Com licença!

Sidamo assistiu a figura de Schera sair. Como de costume, ele não sabia se ela estava ouvindo as pessoas falando, mas sentiu a conduta única que bravos guerreiros com longo serviço militar tinham. Se visse o estilo de luta quase assustador de Schera, teria achado isso natural. Como tinham perdido a batalha, ela poderia dizer adeus a uma promoção, mas mesmo assim, deveria ter uma medalha. Pois a unidade de David conseguiu escapar de alguma forma por ter havido uma ofensiva na Grande Ponte Sulawesi.

Falando de David, ele tinha se retirado depois de perder a batalha, e parecia que não podia mais ficar de pé. Seu futuro glorioso foi fechado, e a infâmia de que ele era o perpetrador da atrocidade estava sendo disseminada.

Seu nome imundo seria deixado na posteridade, certamente. A história era escrita pelos vencedores.

Sidamo supôs que David planejava morrer ali. Se ele fosse sair, teria fugido há muito tempo.

Provavelmente lutaria orgulhosamente até o fim como um nobre e depois morreria de satisfação.

Sidamo estava pensando como se fosse o problema de outra pessoa. Seu corpo já estava em declínio. Ele estava confortável com esse fato. Mas não pretendia morrer em um lugar como este. Seria uma morte fútil nesse caso. Iria mais uma vez rastejar de alguma forma.

Ele planejava sobreviver de Belta a todo custo.

“Eu não posso morrer ainda. Ainda há coisas que preciso fazer”

Vander, isolado em seu escritório.

Desde a manhã, ele continuava a olhar para uma única carta.

Estava perturbado. Isso influenciaria o resto de sua vida. Precisava pensar nisso. Colocou força em suas mãos segurando o pincel e, lentamente, escreveu uma resposta. Depois que o lacre secou e olhou ao redor da área, saiu de seu quarto.

— …… Com isso, não posso mais voltar, hein. Aquele que vai sorrir para mim, no final, será uma Deusa ou um Deus da Morte?

Vander murmurou para ninguém em particular e se lembrou da figura de seu oficial superior. Suspirou profundamente e, com os olhos num determinado lugar dentro do castelo, começou a andar.


Tradutor: Apollo  |   Revisor: Apollo



Fontes
Cores