CC – Capítulo 262 – O segredo dos Elfos-Negros


Ontem à noite, fui capaz de cruzar uma considerável distância graças a minha corrida.

Ao meio-dia desse dia, chegamos na entrada da Grande Floresta.

Um grande número de árvores estava crescendo densamente na floresta.

Rarael viajou com uma carruagem, então devia existir um caminho amplo, mas não consegui encontrar nenhum.

Não havia outra escolha, então transferi o corredor do deserto de volta ao Meu Mundo e Shumei e eu caminhamos a pé.

Usei Olhos de Falcão para observar a floresta do céu.

Hmm, não consegui encontrar um local que parecia ser um povoado.

— Por enquanto, vamos avançar.

Não usei a habilidade Ocultar Presença ou Permanecer Oculto para que os Elfos-Negros nos notassem.

Como esperado, uma floresta que humanos não tocaram era difícil de atravessar e nós logo paramos.

Eu poderia viajar ao pular nos galhos das árvores se estivesse sozinho, mas o que deveria fazer agora?

Assim que pensei nisso…

— !!!

Peguei uma flecha que estava a ponto de atingir Shumei.

Ao mesmo tempo, Elfos-Negros com arcos e flechas apareceram ao redor de nós.

Todas tinham a aparência de jovens garotas. As garotas tinham cabelo prateado e pele morena e estavam todas usando máscaras.

Ouvi que os homens da tribo estavam caçando nas profundezas da floresta.

— Hume, você entrou sabendo que esta é a Terra Sagrada dos Elfos-Negros?

— Por favor, diga isso antes de atirar! Eu sou Ichinojo! Eu vim como amigo de Rarael Mi Modan!

Ergui o broche âmbar e anunciei.

As Elfas-Negras pararam de se mover no momento que fiz isso.

Então, uma delas saltou do galho acima e aterrissou diante de mim.

— Você está mais adiantado do que o esperado, Ichinojo.

— Pois é, tive alguns probleminhas.

— E esta garota é…

Rarael olhou para Shumei de pé ao meu lado.

A princesa encarou o rosto da Elfa-Negra.

— Há quanto tempo Rarael-sama.

E ela curvou sua cabeça.

— … talvez, Shumei?

— Sim.

Parecia que elas eram conhecidas.

As Elfas-Negras se desculparam de modo formal por atirarem a flecha e fomos guiados para a vila.

As casas eram todas casas de árvore feitas de galhos. Não era de se estranhar que não pudesse encontrá-las quando procurei do céu. Não parecia haver nenhum espaço aberto onde elas cortaram as árvores.

Aliás, como ouvi de Rarael, a vila era formada apenas por garotas.

Eu estava certo de que se as Elfas-Negras que nos cercaram tirassem suas máscaras, elas seriam todas beldades.

Elfas-Negras eram todas lindas.

Fomos guiados para a maior casa da árvore chamada de ponto de reuniões.

Nessa sala, todos se sentaram no chão e a conversa começou.

Expliquei a razão para irmos até lá para as cinco representantes dos Elfos-Negros.

— Entendo… então vocês vieram até aqui par isso.

A resposta excessivamente simples foi um pouco inesperada.

— Você não parece surpresa.

— Ah, nós já sabemos que o exército do Principado está marchando na direção desta floresta. Shumei, seu pai nos deu essa informação em segredo.

Como imaginado, Sua Alteza o Príncipe pediu que os Elfos-Negros escapassem por conta própria.

— Nesse caso, por que vocês não fugiram? A diferença nos números é significante. Vocês acreditam que são capazes de vencer? Vocês planejam fazer um combate de guerrilha na floresta?

— Isso é impossível. Se lutarmos, vamos todas ser capturadas, enviadas para a igreja, encarar julgamento no famoso julgamento do demônio e nos tornaremos escravas… ou, no pior caso, sentenciadas a morte. Apesar da chance de todas morrerem em combate ser muito maior.

— Nesse caso, por que…

— Não podemos fugir. Temos algo que devemos proteger.

— O item que vocês devem proteger é mais importante do que suas vidas?

Rarael se levantou quando perguntei isso.

— Ichinojo, por favor, me siga. Há algo que quero que você veja. Shumei, me desculpe, mas por favor, espere aqui.

— Rarael-sama!

A comitiva de Elfas-Negras se levantou e tentou deter Rarael, mas ela sacudiu sua cabeça com um sorriso.

— Não se preocupem, ele não causará problemas.

O que exatamente ela queria que eu visse?

— Ichinojo, você tem habilidade para se mover pela floresta?

— Acredito que posso pular de galho em galho.

— Entendi, então vamos pegar um atalho. Me acompanhe.

Rarael disse enquanto exibia sua incrível capacidade de pulo.

Eu a persegui.

Após pular entre os galhos por 30 minutos, nós descemos e entramos em um buraco.

— … ha, ha, não esperava que você me seguisse sem perder o fôlego. Talvez você pareça um Hume, mas na verdade é um Elfo?

— Sem chances. Mas entendo por que Rarael pediu que Shumei esperasse. Seria difícil para ela vir até aqui.

— Essa não é a única razão.

Nós mergulhamos em uma caverna escura.

Após atravessar a caverna, eu vi… uma enorme árvore coberta com folhas que brilhavam em dourado.

— Esta é… uma árvore dourada? Mas eu não a via do alto?

A árvore brilhava sob a luz do sol… eu definitivamente teria a notado quando usei Olhos de Falcão.

— A caverna que atravessamos atua como uma barreira, então ela não pode ser vista do lado de fora

E assim, Rarael me advertiu para não pisar nas raízes da árvore dourada enquanto ela explicava.

— Este é o nosso deus dos Elfos-Negros, a Árvore Dourada… esse é um broto.

— Broto!? Isto!?

Você está brincando! Não importava como você olhasse para ela, essa não era uma árvore adulta com centenas de anos?

Ela poderia crescer ainda mais?

Entendo, então isto era algo como a Árvore Sagrada dos Elfos-Negros.

Fiquei convencido.

Mas a história não acabou aí.

— Ichinojo, só havia mulheres na vila, não havia?

— Sim… você mencionou que os homens estavam caçando nas profundezas da floresta.

— Isso foi mentira. Os Elfos-Negros são uma raça apenas de mulheres.

— Eh?

Os Elfos-Negros só eram capazes de dar à luz a mulheres?

Ou elas expulsavam os homens… esse não parecia ser o caso.

— Nós Elfas-Negras não somos capazes de gerar crianças. Quando a Árvore Dourada amadure, ela derruba uma fruta com uma única semente grande e incontáveis sementes pequenas. A maior irá ser cultivada como a próxima geração da Árvore Dourada enquanto nós Elfas-Negras comeremos as menores. Após comer as sementes, as Elfas-Negras vão ficar grávidas. Não sei por que nós somos uma raça dessas. Embora nos chamamos de Elfos-Negros, somos uma raça completamente diferente das outras, incluindo até os Elfos.

Nascer da semente de uma planta, nunca ouvi uma história dessas antes.

— … você não acredita em mim?

— Não, eu acredito. Nunca ouvi isso antes, mas tenho conhecidas que nasceram através de métodos únicos. Elas parecem e se comportam como humanas, então posso aceitar que os Elfos-Negros sejam uma dessas existências também. Embora eu esteja surpreso.

— … estou feliz por ter falado com você. E assim, não podemos abandonar esta Árvore Dourada. Mesmo que tenhamos que lutar com humanos.

— Por que você me contou isto?

— Vamos definitivamente perder. E quando perdermos, queremos desaparecer com esta Árvore Dourada. Shumei pode não ser capaz de aceitar isso, então talvez eu quisesse que alguém soubesse desta história no fim.

Rarael disse e tocou com gentileza a casca da Árvore Dourada.

A princesa se esforçando para proteger as coisas que ela desejava proteger e as Elfas-Negras que estavam preparadas para morrer em nome da proteção daquilo que elas precisavam defender.

E eu, meu eu desempregado que queria proteger aquilo que queria proteger e aquilo que deveria defender, ponderava.

— … ei, Rarael. Vocês não podem replantar esta Árvore Dourada em um local diferente?

— Hahaha, não fale do impossível. Infelizmente, tal lugar não existe. Esta árvore é difícil de mover e, mais importante, quando a Árvore Dourada amadure, ela ultrapassa cem metros de altura. Ela não pode ser escondida sem uma barreira. E não temos as habilidades para restabelecer tal barreira.

Acho que sim. Um lugar onde ninguém encontrará isso, não tem como tal lugar existir…

Não, há um local que definitivamente ninguém encontrará.

Fui atingido com uma ideia.

Muito bem, eu tinha duas escolhas.

Eu podia ajudar as Elfas-Negras se quebrasse a promessa que deveria manter.

Assim, o que eu deveria escolher?

A escolha era óbvia.

— Rarael, se você planeja morrer, você se incomoda de ouvir o que tenho a propor primeiro?


Tradutor:




Fontes
Cores