CC – Capítulo 251 – O que você deseja proteger e o que você deve proteger


Naturalmente, não podia apenas deixar ela no meio do deserto, então a deitei na espreguiçadeira e preparei guarda-sóis.

“Como esperado da bolsa de itens da Miri… este lugar está parecendo um resort na praia.”

Havia uma montanha cheia de itens “Feito na Terra” dentro da minha bolsa de itens. Mantive todos os itens que Miri trouxe dentro da minha bolsa de itens. Originalmente, bolsas de item têm magia de contrato, então apenas o contratante é capaz de abri-la, mas havia um feitiço dentro da Magia da Escuridão capaz de desfazer essa magia particular, assim, minha irmã fez com que qualquer um pudesse usar sua bolsa de itens.

Dessa forma, transferi todo o conteúdo da bolsa de itens de Miri para dentro da minha própria bolsa de itens e Haru e companhia estavam usando a bolsa de itens da minha irmãzinha.

— Tornado Cortante.

Eu criei um tornado com minha esgrima… merda, isso é enorme!

Um tornado maior do que o Wyrm de Areia esculpiu o gelo em pedaços.

No momento, eu estava com uma mistura balanceada de Santo da Espada, Samurai, Mago Negro e Mago da Luz como meus empregos. Contudo, o poder do Tornado Cortante foi proporcional a minha força ofensiva, então me perguntei como teria sido se eu trocasse de empregos para aqueles focados em ataque físico? Isso seria apavorante.

Ichinojo subiu de Level.

Habilidade de Samurai: “Tiro com Arco a Cavalo” adquirida.

Habilidade de Mago Negro: “Correção de Ataque Mágico (Monarca)” evoluiu para “Correção de Ataque Mágico (Rei)”.

Emprego: “Mago do Gelo” está disponível.

Habilidade de Mago da Luz: “Correção de Ataque Mágico (Rei)” evoluiu para “Correção de Ataque Mágico (Imperador)”.

Emprego: “Mago do Relâmpago” está disponível.

Ótimo, todos os meus empregos subiram de nível.

Santo da Espada não ganhou nenhuma habilidade, hã?

Mas ganhar ainda mais poder com minha Correção de Ataque Mágico foi incrível.

Monarca, Rei e Imperador, essa era a sequência correta? Bem, eu não saberia mesmo se estivesse errado.

Também ganhei excelentes novos empregos. Assumi que Magia do Gelo e do Relâmpago viriam antes da Magia da Luz e Magia Negra, mas seus empregos, na verdade, foram adquiridos mais tarde. Planejei aumentar o nível desses dois empregos assim que dominasse a Magia da Luz e a Magia Negra.

Falando de empregos… olhei mais uma vez o da jovem garota.

Nobre: Lv2.

Huuuuum, salvar uma garota nobre no momento que entro no deserto, eu sou um protagonista de alguma novel? Estou muito feliz por não ser uma princesa raptada por um dragão.

Sinto que isto seria problemático… bom, falando de problemas, estive continuamente sendo arrastado para coisas perturbadoras desde que cheguei neste país.

Eu mudei o ângulo do guarda-sol de acordo com o movimento do sol. A temperatura do ambiente diminuiu significativamente devido aos fragmentos de gelo do Wyrm de Areia. Seu deixasse ele derreter assim, essa se tornaria uma cena de splatter1 de um filme grotesco, então cobri os restos do monstro com areia antes da garota acordar.

Ela poderia evitar a insolação se eu conseguisse fazê-la beber água, mas temi que a garota pudesse engolir a água pelo lugar errado se a forçasse a beber, e como ela não parecia estar em uma condição crítica julgando por sua compleição, decidi esperar até ela acordar.

— Hmm… este lugar é…

A garota disse a frase padrão. Ela parecia ter recuperado a consciência.

Ela lentamente se levantou e bateu no rosto duas vezes.

— … isso não machuca, então isto é um sonho.

— No entanto, minhas bochechas estão doendo.

— Então não é um sonho se isso machuca.

A garota colocou ambas as mãos em minhas bochechas com olhos vazios.

O clima parecia como se fosse acabar com um beijo se isso continuasse por mais tempo, porém, os olhos da garota aos poucos recuperaram a consciência.

Após certo ponto, ela por fim percebeu o que estava fazendo.

Ela logo removeu ambas as mãos.

— Eu-eu sinto muito. Erm… onde eu estou?

— Este é o centro do deserto. Você foi perseguida por bandidos, você se lembra disso?

— É-é verdade… eh? Mas onde estão os bandidos? E quanto ao Wyrm de Areia?

Ela perguntou com a cabeça inclinada.

Parecia que ela estava com algumas memórias faltando do momento antes de perder a consciência.

— Sinto muito pela apresentação tardia. Eu sou Shumei Yu Harrier. Parece que fui emboscada por bandidos esperando ao redor das ruínas do deserto em meu caminho para a cidade de Gagaria no noroeste.

— Tão cortês. Meu nome é Ichinojo. Meu emprego… por favor, me chame de espadachim viajante.

A outra pessoa era uma nobre, então respondi com um pouco mais de cortesia.

Tenho o certificado de emprego de um espadachim em minha bolsa de itens, então passei a me aprestar como um.

No fim, nunca descobri como Miri preparou este cartão de identificação falso.

— Por favor, deixe de formalidades. Ichinojo-sama é mais velho e meu salvador. Além disso, não sou de uma linhagem que requer que você use um tom cortês.

Shumei disse com um pequeno sorriso. Mas o emprego dela não é nobre?

Eu era tecnicamente um Quase-Barão, mas não era considerado um nobre. Nesse caso, deveria usar um tom cordial, mas parece que ela tem circunstâncias especiais que requerem que ela esconda sua identidade.

— Tudo bem Shumei.

Respondi e estendi minha mão para ela. Ela encarou minha mão e a apertou com um sorriso.

— Na verdade, estou em meu caminho para a cidade de Gagaria, portanto, você gostaria de viajar comigo?

— Estaria tudo bem para você?

— É claro.

Eu assobiei e o corredor do deserto correu para mim. Ele estava com um fragmento de gelo do Wyrm de Areia que derrotei há pouco.

— (Engula logo isso!)

Eu sussurrei para o corredor do deserto e ele logo o engoliu.

Ele era mesmo um glutão… mas essa característica ajudava.

— Ichinojo-sama, há algum problema?

— Não, não é nada. Vamos partir imediatamente.

Se não partíssemos logo, os fragmentos do Wyrm de Areia se dissolveriam. O cheiro ainda seria transmitido, mesmo se ele estivesse coberto por areia.

Limpei a boca do corredor do deserto que finalmente terminou sua refeição e guardei o guarda-sol e as espreguiçadeiras em minha bolsa de itens.

Assim, saltei no corredor do deserto e estendi meu braço para Shumei.

Ela segurou minha mão e sentou atrás de mim.

— Este corredor do deserto é forte.

— É, ele é um glutão por causa disso. O vendedor não conseguiu encontrar um comprador, então pude compra-lo por um preço baixo.

— Que negócios você tem na cidade de Gagaria?

— Há um labirinto dentro da cidade de Gagaria. Ouvi que posso adquirir um emprego que deixaria mais fácil atravessar o deserto se derrotasse o monstro Escorpião de Areia.

Atravessar o deserto seria difícil.

Primeiro, havia o calor. A temperatura ambiente no continente do sul era alta como um todo, mas a temperatura no deserto era ainda maior.

Além do mais, carruagens não poderiam ser usadas. As rodas ficariam presas na areia e aumentariam a carga sobre os cavalos.

— Er… erm. Ichinojo-sama, eu quero fazer uma pergunta. Foi Ichinojo-sama quem derrotou os bandidos e o Wyrm de Areia…

— Ah… er, quanto a isso…

— Foram seus companheiros?

… quê?

Por que nessas circunstâncias ela assumiu que foram meus companheiros que derrotaram os Wyrms de Areia e não eu?

— Me lembro do que aconteceu antes e notei que os Wyrms de Areia foram derrotados por Magia de Gelo… mas Ichinojo-sama é um Espadachim, não é? Nesse caso…

Ah, entendi.

Eu derrotei os Wyrms de Areia com magia, mas me apresentei como um Espadachim. Isso certamente seria anormal.

— Além disso, as escamas de Wyrms de Areia são extremamente duras e acredito que seria muito difícil derrota-los com essa espada….

— Não, meus companheiros não os derrotaram. Um Mago que estava passando os derrotou. Incrível, não?

Eu disse com um sorriso.

Qual a possibilidade de uma coincidência tão perfeita? Eu disse isso para mim mesmo, mas parecia que Shumei estava convencida por ora.

— Eu… entendo.

Ela disse com um leve indício de pesar por algum motivo.

Ela sentiu que eu não era confiável como um guarda?

— Bom, não se preocupe. Apesar de não chegar no nível daquele Mago, tenho confiança em minha espada.

— Sim, por favor, tome conta de mim.

Shumei disse com uma voz animada.

Ela parecia ter circunstâncias especiais, mas eu estava na mesma, então não a pressionei por detalhes.

Usando sua identidade, poderíamos entrar na cidade de Gagaria em um instante, dessa forma, ela também estaria me ajudando.

“Além disso, estive viajando sozinho sem Haru e as outras, então me sinto um pouco solitário.”

Eu incitei o corredor do deserto para a frente enquanto me lembrava de Haru, Carol e Malina, que ainda estavam no Continente do Oeste.

Contudo, como as coisas chegaram a este ponto?

— Shumei, ouvi do Mago que você deseja entregar uma carta?

— Ah, erm, você poderia por favor esquecer disso?

— Eu não me incomodo, mas você não mencionou algo sobre o Lorde Demônio? Eu ouvi isso do Mago.

— … por favor, esqueça disso.

As palavras de Shumei e sua postura mostravam que eu não poderia perguntar mais sobre isso.

Mas não iria recuar só por causa disso.

Era uma pequena pista, mas eu poderia adquirir informação sobre o atual Exército do Lorde Demônio, em outras palavras, informação sobre Miri.

Bom, eu tinha uma semana.

Poderia levar meu tempo para falar com ela.

— Onde fica a casa de Shumei?

— Vivo na Cidade do Príncipe Koron.

A Cidade do Príncipe Koron estava a nordeste de Hanmuno e era uma cidade próxima do deserto. Ela era governada pelo Príncipe e era a maior cidade deste país.

Mesmo sendo localizada perto do deserto, ela também era chamada de Cidade da Água e a beleza de seu palácio era tida como uma das cinco maiores no mundo.

— Cidade do Príncipe, hã? Então você é uma garota da cidade.

— Não, isso não é verdade. Minha casa original é uma pequena cidade perto da grande floresta.

— Perto da grande floresta? Parece ser uma bela cidade.

Me lembrei de Rarael.

A grande floresta governada pelos Elfos-Negros definitivamente seria uma boa floresta. Uma cidade perto daquela floresta com certeza teria uma abundância de natureza.

— Sim, é uma cidade magnífica… uma cidade muito magnífica.

— Entendo.

— Ichino-sama. Se Ichino-sama tivesse que escolher entre algo que você quer proteger ou algo que você deve proteger, qual você escolheria?

— Essa é uma mudança muito súbita e abstrata de tópico.

— Des-desculpe.

— Não, está tudo.

Algo que desejo proteger ou algo que deve proteger, hã?

No meu caso, aquelas que quero proteger são Haru, Carol e Miri.

As coisas que devo proteger, em outras palavras, as coisas que sou obrigado a proteger seriam minha promessa com as Deusas-sama e, como sou tecnicamente um quase-nobre do Reino Shiraraki e subordinado do Conde Paul, eu teria que proteger o Reino Shiraraki também.

A escolha era óbvia.

— Algo que desejo proteger.

— Uma resposta imediata.

— Bem, sou um viajante despreocupado. Não tenho muitas obrigações. Além disso, se não tem como dizer qual é a escolha correta, isso só me faz preferir mais proteger as coisas que quero proteger.

— Por quê?

— Coisas que você deve proteger são feitas não porque você quer, mas porque alguém impôs essa obrigação a você. Escolher isso seria o mesmo que empurrar a responsabilidade da escolha para outra pessoa. Proteger algo que você deseja proteger será algo que você decidiu proteger com sua própria vontade. Mesmo que você cometa um erro, a responsabilidade é sua e você não poderá culpar ninguém. Bom, no entanto, o melhor seria proteger ambos.

Bem, a resposta seria diferente se a escolha fosse entre proteger o mundo ou proteger uma pessoa importante, mas um personagem pequeno como eu mesmo não teria que fazer tal escolha.

— … entendo… muitíssimo obrigada.

Shumei sorriu modestamente e me agradeceu.


Tradutor:



Nota

[1] Splatter (ou gore) é um subgênero do cinema de terror que, deliberadamente, se concentra em representações gráficas de sangue e violência gráfica. Estes filmes, por meio da utilização de efeitos especiais, tendem a apresentar um interesse evidente na vulnerabilidade do corpo humano e na sua teatral mutilação. O termo “cinema splatter” foi cunhado por George A. Romero para descrever seu filme “Zombie: O Despertar dos Mortos” (Dawn of the Dead), de 1978.



Fontes
Cores