CC – Capítulo 249 – Encontro com um Elfo-Negro


Na manhã seguinte, a proprietária da estalagem estranhamente comentou: — Ouvi a diversão de vocês na última noite. —, ela devia estar se referindo ao som que fizemos quanto Neete invadiu minha cama durante a noite pela primeira vez.

Se eu fosse me divertir, teria usado o Quarto do Silêncio.

Busquei o corredor do deserto nos estábulos e segui para fora da cidade.

Pratiquei montar no monstro no estábulo, mas talvez por ter minha habilidade Montar a Cavalo, pude montar nele sem nenhum problema.

A maior característica do corredor do deserto era que ele podia caminhar em suas duas pernas traseiras, assim como os humanos. De forma parecida com um avestruz.

Parecia que por causa disso, eles podiam atacar sem problemas usando seus pés dianteiros.

 

Montar a Cavalo: Habilidade Auxiliar | “Cavaleiro Level 2”
Vai demonstrar seus efeitos não apenas em cavalos, mas também em animais ou monstros que são aptos para humanos montarem, tais como camelos ou burros. O animal pode ser bem controlado assim que o efeito está ativado. Contudo, o efeito não será visto em animais que não são adequados para humanos montarem.

 

Ou assim ele dizia. Em contrapartida, a habilidade Montaria do Usuário de Monstro parecia ser uma versão superior do Montar a Cavalo e permitia que eles montassem em todos os monstros e animais, excluindo dragões de alto nível.

Coloquei Neete atrás de mim e incitei o corredor do deserto a deixar a cidade.

Neete tentou o seu melhor para pressionar seu peito em minhas costas, mas ela não era muito grande, então eu não pude sentir muita coisa, mas ainda aproveitei a situação.

Continuar por todo o caminho dessa forma não seria bom para minha saúde mental, então após deixar a cidade há quase uma hora e quando mal podíamos ver os muros dela, descansamos por um tempo atrás de uma pedra antes de eu mandar Neete de volta para o Meu Mundo.

Peguei um peixe de tamanho médio que pesquei no dia anterior de minha bolsa de itens e o joguei para o corredor do deserto. Ele o pegou com destreza com sua boca e o engoliu inteiro.

Ele parecia bastante ágil.

Muito bem, o deserto deve estar ao norte.

— Hmm?

Da direção que vim, havia uma carruagem se aproximando da direção da cidade.

Uma mulher estava a bordo da carruagem.

Hmm? Por acaso ela é…

Cabelo prateado e pele morena. E eu podia dizer após ela se aproximar que suas orelhas eram pontiagudas.

Então isso é um Elfo-Negro.

Incrível, era a primeira vez que vi um.

… o peito dela era bem grande. Era maior do que Haru, Kanon e Malina.

Emprego… essa também era a primeira vez que via um desses.

Arqueira Pródiga: Lv39

Ela parecia ter um arco regular ao alcance, mas uma Arqueira Pródiga, hã?

Como um homem, me perguntei se esses peitos enormes não a atrapalhariam quando ela sacasse seu arco, mas não seria capaz de reclamar se ela me processasse se eu dissesse algo como isso.

— Ei, você é um viajante?

A Elfa-Negra disse.

— Sim… ah, desculpe. Eu estava te encarando.

— Eu não ligo. Sei que Elfos-Negros são raros. É pouco provável nos ver fora deste país.

Eu estava encantado com seu sorriso fascinante.

Ela estava transbordando com o ar de uma mulher adulta. Acho que entre minhas conhecidas, Quince-san1 tinha um ar mais próximo a essa Elfa-Negra. Ela parecia mais jovem do que Quince-san, mas ouvi que os Elfos-Negros tem uma grande longevidade, então eles não devem ter a idade que aparentam.

Me perguntei o que aconteceria se eu viajasse com ela.

Sem chances, uma Tentadora? Não, já verifiquei que ela era uma Arqueira Pródiga.

Olhei a carruagem dela para mudar de assunto. Ela parecia estar vazia.

— Er… você foi para Hanmuno vender frutas e vegetais?

— Sim, isso mesmo. As pessoas neste país estão lutando para não nos entregar para a Igreja. Acredito que o mínimo que posso fazer é entregar um pouco de comida.

— Entendo…

Bem, baseado no que descobri, Familis Raritei não formou um pacto com os Elfos-Negros.

Como o irmão da reencarnação de Familis Raritei, Miri, sinto que tenho que assumir a responsabilidade.

— Erm, meus companheiros e eu somos mascates insignificantes, mas há algum item que os Elfos-Negros desejam? Acredito que posso preparar um certo número de itens.

— É mesmo? Estou grata pela oferta, mas o que realmente queremos são itens valiosos. Eles são impossíveis de adquirir.

— Valiosos como fígado de Dragão ou Orichalcum?

— Hahaha, não chega a esse nível. Só queremos o metal chamado Mithril. Ele é importante para nós Elfos-Negros como uma raça mitológica, assim como os Elfos e Anões. A distribuição de metais é em sua maior parte controlada pela Igreja.

— Mithril? Nesse caso…

Eu peguei uma caixa de minha bolsa de itens.

Era a caixa que o bandido de Florence tinha2. Havia muitos minérios de Mithril dentro dela.

Havia o selo da Igreja nela, então não poderia vendê-la ou descarta-la, assim, ela ficou em minha bolsa de itens desde que comecei a pensar em usá-lo para criar equipamentos feitos de Mithril após dominar os empregos de Alquimista e Ferreiro.

Sob circunstâncias normais, havia uma possibilidade que eu seria acusado de ter roubado propriedade da Igreja e seria reportado para as autoridades, mas este país, e especialmente os Elfos-Negros, tinham um relacionamento hostil com a Igreja, dessa forma, não devia haver nenhum problema.

— Que tal isto?

— Esses são… mas onde foi que você…

Ela pegou os minérios de mithril e seus olhos se arregalaram com o choque.

— O bandido que derrotei dentro do labirinto em uma cidade chamada Florence no continente do oeste tinha isso.

— Entendo… mas estou sem ter o que fazer.

— Eh? Eles não são bons o bastante?

— A pureza é alta demais. Não tenho dinheiro para comprar isto nem nada que possa usar para trocar. Tudo o que posso oferecer é meu corpo… o que você acha?

— Is-isso seria bom, está tudo bem.

— Hahaha, estou brincando. Estou só te provocando. Bem, seria um acordo barato se esse fosse todo o custo.

Por favor, não brinque com isso.

… é sério, Neete, as mulheres piratas e agora isto, as tentações continuam aparecendo depois que me separei de Haru.

Neste ritmo, vou salvar uma garota nobre de bandidos, resgatar uma princesa de um dragão e vou receber pedidos para casar com elas, não vou?

Não quero usar as frases de Neete, mas essas são ocorrências de protagonistas e elas não combinam com um homem indeciso como eu.

— Nesse caso, não preciso de qualquer pagamento, mas se eu visitar a grande floresta da próxima vez, por favor, me guie pelo local.

— Guiar você dentro da grande floresta?

Os olhos dela mudaram de repente.

Eh, eu disse algo ruim?

Será que essa era a terra sagrada dos Elfos-Negros e humanos não tivessem permissão para entrar?

— O que você quer na grande floresta?

— Eh? Esse parece ser um lugar muito famoso, então só queria conhecer os cenários… erm, está tudo bem se eu não puder fazer isso.

— Você não está mentindo… hã? Desculpe, todos os homens da tribo foram para dentro da floresta caçar, então a vila está apenas com mulheres. Eu te considerei um homem inescrupuloso querendo visitar a grande floresta. Não pensei que você seria esse tipo de pessoa, mas passeio turístico, hã?

Heh, então a vila dos Elfos-Negros está no momento apenas composta de mulheres.

— Você é mesmo um Hume3 estranho. Você me lembra de uma garota que conheci no passado. Ela também era uma pessoa divertida. Muito bem. Quando você visitar, vou te receber na grande floresta no nome de Rarael Mi Modan, filha do chefe dos Elfos-Negros. Esta é a prova.

Ela disse enquanto me dava um pingente de rosa que tinha a mesma cor de seus olhos e estava preso em seu pescoço.

Esse parecia ser um item bem valioso.

Espere, ela é a filha do chefe da vila!?

Eu conheci uma pessoa incrível.

— Posso mesmo aceitar isto?

— Sim. Essa é uma prova de amizade.

— Obrigado. Muito bem, assim que completar minha jornada, vou com certeza visitar vocês.

Eu disse e troquei um aperto de mãos com a Elfa-Negra, Rarael.

Vou visita-los após salvar Miri.

Ao mesmo tempo, vou fazer Miri se desculpar com eles.

Eu decidi isso em meu coração.


Tradutor:



Notas

[1] Quince é a mercadora de escravos que vendeu Carol para Ichinojo no volume 2.

[2] Eventos dos capítulos 13 a 15, quando Ichinojo e Haru foram até o labirinto de Florence para resgatar Norn.

[3] Hume é um termo usado para se referir a raça humana em alguns jogos da franquia Final Fantasy.



Fontes
Cores