BG – Capítulo 06



Cough.

Enquanto tinha um leve acesso de tosse, ela abriu a porta de um quarto agora abandonado.

Já fazia um mês desde que o dono dele havia desaparecido, mas seu interior foi mantido da mesma forma em que no dia em que ele se foi.

A blusa pendurada na cadeira, a armadura de couro e a espada de treinamento encostadas na parede, a pena deixada em cima da mesa, os sapatos usados ao lado da cama. Era um desperdício até mesmo limpar a terra das botas, então ela apenas as deixou como estavam.

Quando ia ali, parecia que ela poderia encontrá-lo quando quisesse.

“Utaseyu.” Parecia que ele iria chamar o seu nome dessa forma, antes de gentilmente abraçá-la.

Parecia que ele iria lhe contar piadas estúpidas para fazê-la rir.

Utaseyu se aproximou da cama e se sentou com movimentos suaves.

“Eu sou muito grande, então eu tenho medo de esmagá-la enquanto durmo.” Ele lhe disse uma vez, então eles dormiam em quartos separados.

Embora sentisse que isso era um pouco solitário, Utaseyu também concordou.

Não seria bom ela acordá-lo com suas tosses no meio da noite, então ela se sentiu muito grata pela ideia.

Utaseyu se deitou sobre o colchão, antes de afundar sua face no travesseiro.

Ela havia colocado algumas bolsas de hahanero ao redor, assim ela não teria que lavá-los, mas o cheiro dele já havia desaparecido fazia muito tempo.

Achando isso triste, Utaseyu soltou um suspiro.

A quanto tempo ela estava fazendo isso?

Relembrando da razão de sua visita, Utaseyu levantou seu corpo sem energia.

Ela ficou diante da janela e amarrou as persianas para cima.

Quando esticou seu braço, ela tossiu de novo.

Provavelmente, a razão pela qual estava doendo menos do que o comum era à chuva que caiu na noite anterior.

Pequenos painéis de vidro eram segurados pela moldura de madeira da janela, que era um item especialmente encomendado da Capital. Eles deixavam entrar muita claridade e permitiam que o cenário do lado de fora fosse visto sem distorções.

Ele os havia encomendado de uma oficina na Capital para os futuros filhos deles. Mesmo ao custo de deixar de lado a substituição das suas botas e sela desgastadas.

Ela abriu a tranca e colocou suas mãos contra a moldura da janela. Embora ela não tivesse nem mesmo puxado, a janela se abriu.

Utaseyu ficou sem palavras.

Embora a vegetação do lado de fora estivesse do outro lado da janela até um momento atrás, agora, de pé ali nesse momento, estava uma mulher que ela nunca havia visto antes.

Ela tinha pele cor de mel e sedoso cabelo negro que brilhava como um croshinshu. Olhando com atenção, até os seus olhos eram negros.

Relembrando-se do demônio de olhos negros de um livro de figuras que ela leu quando criança, Utaseyu estremeceu.

Mas ela imediatamente recuperou seus sentidos e sorriu.

Ahh, então está na hora.

“Eu estive esperando por você, Anja.”

A anja a encarou com a boca aberta.

“Você estava? Por mim?”

“Sim.”

Parecia que a anja estava surpresa. “Bem, essa é nova.” Ela murmurou.

Ela supôs que nem todo mundo estava preparado quando a anja vinha chamá-los.

“Faz muito tempo que eu já estou preparada.”

“Eh? Para que?”

“Eh?”

“Eh?”

Utaseyu encarou os olhos negros da anja por um tempo.

A anja também estava olhando para ela.

“Um, você não veio para me levar?”

“Te levar? Eu?”

A conversa parecia incompatível.

Utaseyu encarou a anja fixamente.

Ela tinha olhos negros e um tipo de cabelo que Utaseyu nunca tinha visto antes, além disso ela ainda estava usando uma roupa feita de um material misterioso.

Utaseyu podia ver o que estava atrás da anja; ela havia pensando que a lisa parede amarela era com certeza a parede do tribunal celestial pelo qual apenas aqueles com permissão para ir para o céu podiam passar, mas talvez ela estivesse errada.

A anja franziu o cenho.

“Eu sinto muito. Eu pensei que o clima estava bom, então decidi abrir a janela para ventilar. Eu acho que eu não sou a pessoa por quem você estava esperando.”

“Ai, então é assim que as coisas são.”

Os ombros de Utaseyu caíram bruscamente.

As notícias de que ele esplendidamente completou sua missão haviam chegado a ela.

Como prometido, ele ascendeu à posição de Capitão dos Cavaleiros da brigada de cavaleiros da Capital.

Era por causa disso que ela pensava que não haveria problemas se ela partisse a qualquer hora, mas…

Agora que ele havia se tornado um herói, ele provavelmente seria cortejado por várias damas refinadas da Capital.

Ela queria partir antes de ouvir notícias sobre ele se unindo a outra pessoa.

As lágrimas que ela pensava terem se secado começaram a encher os cantos de seus olhos.

Então uma gota escorreu por sua bochecha.

“Eh? Um, o-, o que há de errado?”

A anja franziu o cenho perplexa.

“Eu peço perdão por exibir uma desagradável… Guh-!”

Quando Utaseyu tentou secar suas lágrimas, no momento em que cobriu seus olhos, ela sentiu uma forte dor em seu peito e o gosto de sangue encheu sua boca.

Ela firmemente agarrou a roupa sobre seu peito e se encolheu.

Ela não conseguia respirar e suor se acumulou na sua testa.

A dor que parecia com um pilão moendo seu interior era algo que ela já havia experienciado várias vezes.

“Ei, você está bem!?”

A anja se inclinou para frente do portão para o céu.

Ela sentia como se estivesse se afogando. O suor escorreu para seus olhos e nublou sua visão.

Então alguma coisa de cheiro forte foi empurrada na frente de sua face.

“Aqui, beba isso! Isso cheira mal o suficiente para matar, mas de qualquer forma, apenas beba!”

Com sua consciência começando a escurecer, ela esticou a mão até a coisa oferecida pela anja. Mas suas mãos estavam tremendo e ela não conseguiu segurá-la direito.

“Me desculpe se isso escorrer!”

Talvez entrando em pânico, a anja forçou algo para dentro da boca de Utaseyu.

Um líquido quente e grosso se espalhou dentro de sua boca. Certamente seu gosto era horrível.

Ele escorreu dos cantos de sua boca para sua garganta, antes de pingar sobre suas roupas.

Um cheiro como de tamanekki podre fervido com ninik assaltou seu nariz e Utaseyu quase vomitou.

“Ghho-, goho-, u-.”

Se sentindo mal, ela rapidamente cobriu a boca.

Após de alguma forma dar um jeito de engolir isso, Utaseyu olhou para a anja.

“Uu-, ggho-, geho-.”

A anja também parecia nauseada.

“O que foi isso agora pouco?”

Após esperar pela náusea da anja passar, Utaseyu a questionou.

“Sangue de trangorn.”

A anja girou uma maçaneta branca e água fluiu de dentro de um cano prateado. Enquanto lavava as mãos, a anja respondeu exausta.

“…Trangorn.”

Utaseyu arregalou os olhos.

“Por que você tem sangue de trangorn?”

“Uma pessoa deu isso para mim. Uma pessoa de armadura. Ou melhor, ele forçou em mim e aquilo foi o que me restou…”

Após o sangue sair de suas mãos, a anja ainda cheirou suas palmas antes de fazer uma careta.

“O cheiro não está saindo… Ei, eu acho que você deveria se apressar e se trocar também.”

“Um, qual era o nome da pessoa de armadura…?”

Não pode ser. Ela pensou. Mas o coração de Utaseyu estava tremendo de expectativa.

“Nome? Ah!!”

Após inclinar a cabeça, ela vigorosamente se levantou.

“Eu não perguntei o nome dele! Aaah, está acabado. Mesmo se eu encontrar a esposa dele agora, eu nem mesmo vou ter como saber!”

Não menos vigorosamente do que a anja, Utaseyu também se levantou.

“Anja. Você pode, por favor, esperar um momento? Eu vou voltar imediatamente!”

“Contanto que não seja por uma hora e meia, com certeza.”

Olhando para a surpresa Utaseyu, a anja se sentou em uma pequena cadeira amarela.

Utaseyu correu. Ela vigorosamente pegou um porta-retratos no quarto de hóspedes e voltou para o quarto onde a anja estava esperando.

Embora fizesse alguns anos desde a última vez que ela havia corrido tanto assim, estranhamente seu peito não estava doendo e ela não estava com falta de ar.

“Anja! Essa pessoa! Foi essa pessoa que você encontrou!?”

Era uma imagem dele em roupas de cavaleiro ― uma imagem do homem que havia sido o marido de Utaseyu.

Cabelo loiro e olhos azuis como um lago profundo. Seu semblante destemido e prudente havia ganhado não apenas seu coração, mas a admiração e ânsia de todos os membros da brigada de cavaleiros dele.

“Ah, isso mesmo. Era ele.”

A anja assentiu levemente.

Vendo o porta-retratos, seus olhos negros se arregalaram.

“Ei, poderia ser que você é a esposa dele!?”

Utaseyu sorriu. Um pouco tristemente.

“Ex-… Entretanto.”

A anja esticou seus braços pelo portão e segurou as duas mãos de Utaseyu.

“Eu queria te encontrar!”

“Eh?”

Utaseyu ficou confusa.

Antes a anja disse que não havia vindo encontrá-la.

Mas agora a anja disse que queria encontrá-la.

“Então você realmente veio para me levar?”

“Umm, já faz um tempo que você está dizendo algo sobre te levar? …Não me diga que você pensou que eu vim aqui para levar uma pessoa morta para o céu, certo?”

Utaseyu assentiu. A igreja havia ensinado que era trabalho dos anjos separar as almas dos mortos desse mundo.

“Eu sou um shinigami…?”

A anja soltou um suspiro cansado.

Após soltar as mãos de Utaseyu, a anja corrigiu sua postura.

“Ouça atentamente, certo? Eu encontrei a pessoa nesse porta-retratos por acaso e ouvi várias coisas dele. Ele disse que queria celebrar a morte do trangorn com você. Ele me disse que viver com você era muito importante para ele. Ele realmente se arrepende disso, você sabia? E umm, ei, sobre, você sabe…”

Os olhos da anja se moveram como se ela estivesse com dificuldade para dizer alguma coisa.

“Sobre quando ele foi a um bordel?”

“I-, isso. Sobre como ele acabou dormindo nu em um bordel. Pode ser assim que as coisas tenham terminado, mas parece que não foi a intenção dele. O mensageiro do Rei fez ele beber até ele ficar bêbado, então eu acho que ele estava completamente inconsciente, você sabe?”

“Eu sabia que ele havia ido a um bordel, mas eu não sabia que ele dormiu nu lá.”

A anja sem palavras bateu em sua testa.

“Mas eu sei que nada aconteceu.”

Então a anja repentinamente ergueu a cabeça.

Utaseyu deu uma pequena risada.

“Afinal, quando ele fica bêbado, ele se torna ‘inútil’.”

Após dizer isso, as bochechas de Utaseyu coraram. Que tipo de coisa para se dizer a uma anja pura.

Hahaha, a anja riu enquanto coçava suas bochechas.

“Desculpe-me. Que tipo de coisa para se contar a uma anja.”

“Não, está bem, mas umm, hummm, por acaso é imperdoável para você que ele tenha pisado em um bordel!?”

Utaseyu balançou a cabeça.

“Não, afinal, um mensageiro do Rei não é alguém de que você pode recusar uma oferta para beber. Eu sabia que ele havia sido enganado de alguma forma.”

Então por quê…? A anja pareceu franzir o cenho em confusão.

Utaseyu levou uma mão ao seu peito.

“Eu não tenho muito tempo restando. Após nós nos casarmos, eu tive meu primeiro ataque quando ele estava fora subjugando monstros. Naquela época, o médico disse o seguinte para mim: que eu provavelmente não duraria mais de um ano. Ele costumava rir e dizer que queria filhos, então eu não consegui contar para ele e então, o mensageiro da Capital veio e disse que após a subjugação do trangorn, ele seria promovido a Capitão dos Cavaleiros da Capital. Mas ele recusou, por mim…”

Lágrimas começaram a escorrer por suas bochechas antes que ela percebesse.

Ela se sentia tão patética por não ter feito nada a não ser segurá-lo para trás. Ela sentia ressentimento do seu próprio corpo que não fazia o que ela queria.

“Ele é incrível, você sabia? Não importa qual seja o monstro, ele irá derrotá-lo com um golpe. Você o viu brandindo sua espada? Não era lindo? Ele não é alguém que deveria gastar sua vida escondido no campo desse jeito, mas apesar disso, ele iria recusar… Mesmo que eu fosse morrer logo.”

Quando Utaseyu levantou a cabeça, ela descobriu que a anja a estava observando com uma expressão azeda.

“Anja?”

Quando Utaseyu a chamou, a anja repentinamente pareceu voltar a si.

Vendo Utaseyu com a cabeça inclinada em confusão, a anja sorriu com dificuldade para ela.

“Como eu posso dizer isso. Eu acho que talvez vocês dois deveriam ter conversado um pouco mais um com o outro.”

Era assim mesmo? Mas se ela tivesse contado a ele, então ele definitivamente teria ficado ali.

Quando ela pensava sobre o quanto ele iria lamentar após sua morte, Utaseyu simplesmente não conseguia aguentar.

“Além disso, você provavelmente está bem agora.”

“Eh?”

Utaseyu inclinou a cabeça em confusão. O que estava bem agora?

“Aquilo era sangue de trangorn. Uma Panaceia¹. Tudo o que ele fez foi curar minha ressaca, mas o seu marido disse que ele também curou suas queimaduras. E pelo que eu posso ver, parece que os seus ataques também pararam, mas como você se sente? O seu corpo não parece mais leve?”

“…Ah.”

Utaseyu olhou para o seu próprio corpo em choque.

Ela não estava com dificuldade para respirar. A dor maçante que sempre a atormentava, assim como a sensação de ser moída, desapareceram.

“Eu estou, curada?”

“Provavelmente.”

“Eu não vou, mais morrer?”

“Não, a doença que você tinha foi curada, mas eu acho que todo mundo vai morrer algum dia… Eu também; assim que eu beber de novo, eu vou ficar com outra ressaca afinal.”

“Eu vou ser capaz de ter os filhos dele?”

“Ummm, você estava me ouvindo? Mas bem, sim, eu acho que você provavelmente conseguirá.”

A sensação de novas lágrimas enchendo seus olhos era terrivelmente confortável.

Utaseyu soluçou de alegria.

“Umm, bem, então é assim que as coisas são, então, eu acho que seria melhor para você correr para a capital. Eu tenho certeza de que o homem da armadura está te esperando.”

A anja colocou a mão na janela.

Utaseyu repentinamente voltou a si e segurou a mão da anja.

“Por favor, espere. Por favor, por favor, deixe-me te agradecer.”

A anja inclinou a cabeça, parecendo perturbada.

“Um, eu estava começando a pensar que já era hora de eu não ficar com mais nada, mas…”

“Por favor. Você não vai me permitir te agradecer de alguma forma?”

Com Utaseyu quase se agarrando ao seu braço, a anja murmurou, “tal marido, tal esposa, huh”.

“Hmmmm, então…”

A anja olhou ao redor do quarto.

“Eu já estive pensando nisso faz algum tempo, mas o que são aqueles panos redondos em cima do seu colchão?”

“Os hahaneros?”

Utaseyu pegou uma bolsa de hahanero que ela havia criado ao costurar certa quantidade de hahaneros em um tecido brilhante e colorido.

“Isso, isso. O que é um hahanero? Por que você os espalhou em cima da sua cama?”

“Eles são um tipo de especiaria bem apimentada, mas quando você os mói e os coloca dentro de um pano dessa forma, eles se tornam repelentes de insetos e previnem o mofo.”

“Incidentalmente, eles também podem ser usados como brinquedos para crianças, você vê?” Ela disse e os olhos da anja brilharam.

“Eles previnem mofo!? Isso! Eu quero isso.”

“Algo como isso é o suficiente? Então, por favor, pegue todos eles.”

E pensar que haveria algo como mofo no céu.

Utaseyu se sentiu apenas um pouco decepcionada.

Aparentemente o céu era um pouco diferente dos ensinamentos da igreja.


Tradutora: Brinn   |   Revisor: Ryokusan000



1 – Na mitologia grega, Panaceia (ou Panacea em latim) era a deusa da cura. Também significa um remédio ao qual é atribuída a capacidade de curar qualquer tipo de doença.


Fontes
Cores