Arifureta – Capítulo 57 – A Cordilheira do Norte


Amanhecer.

Com a minguante luz da Lua, o céu do Leste começou a se iluminar. Hajime, Yue e Shia, essas três pessoas completaram suas preparações para viajar e logo eles iriam deixar a ⟦Pousada da Fada da Água. Em suas mãos estavam bolinhos de arroz embalados que poderiam ser comidos enquanto eles se moviam. Mesmo que ainda fosse cedo pela manhã, ninguém estava com uma cara desagradável enquanto Foss preparava o café da manhã deles. Era apenas o esperado de uma estalagem de alta classe. Sua gestão foi admirada até por Hajime e seu grupo, enquanto eles o agradeciam sem reserva assim que eles recebiam o desjejum.

Dentro da névoa da manhã, Hajime e seu grupo encararam o portão Norte de |Ur|. Havia uma estrada que se estendia deste lugar até a área da cordilheira do Norte. Levaria ao menos um dia inteiro de cavalo, mas eles iriam chegar em três a quatro horas usando o [Veículo Mágico de Duas Rodas].

Esse era o quinto dia desde que eles perderam contato com Will Kudeta e seu grupo, que foram investigar a cordilheira do Norte. Sobrevivência era pouco provável. Hajime também pensava que as chances de sobrevivência de Will e seu grupo eram baixas, mas ainda havia uma chance. A imagem de Ilwa sobre Hajime iria chegar ao auge se ele o trouxesse vivo, o que era o motivo para ele começar a investigação o mais cedo possível. Felizmente, o clima estava bom. Um dia ideal para procurar por alguém.

Com sons de atividade começando a ressoar dentro dos edifícios, eles avançavam para o portão do Norte e podiam finalmente ver o portão. Ele apertou seus olhos porque ele podia sentir sinais de pessoas perto do portão Norte. Eles não se moviam nem faziam nada, apenas esperavam no portão.

O que ele viu através da neblina da manhã… foi Aiko e os seis estudantes.

(Hajime): “… apesar de adivinhar o que vocês querem, deixem-me ouvir isso de qualquer forma… o que vocês estão fazendo?”

Hajime e seu grupo olharam para Aiko e os estudantes com olhos entreabertos. Por um momento, Aiko se contraiu com a pressão na atmosfera, mas ela ainda encarou Hajime com uma atitude firme. Depois de ter uma discussão, os alunos Sonobe Yuka, Sugawara Taeko, Miyazaki Nana, Tamai Atsushi, Aikawa Noboru e Kawahara Akira se aproximaram de Aiko.

(Aiko): “Nós também estamos indo. Vocês estão procurando por pessoas desaparecidas, não é? É melhor ter mais pessoas”

(Hajime): “Não. Eu estou bem com vocês indo. Mas eu me recuso a ir junto”

(Aiko): “Por-por quê?”

(Hajime): “Simplesmente porque nosso ritmo é diferente. Eu não quero ter que acompanhar sua velocidade lenta”

Se você olhasse com atenção, notaria que havia muitos cavalos prontos atrás de Aiko e os outros. Por um momento eles pensaram, “É porque ele não pode montar em cavalos?”, como se duvidassem de Hajime. Como isso era trivial, ele apenas deixou isso passar pelas cabeças deles. Não importava se ele podia ou não montar, a velocidade deles não poderia se comparar com o [Veículo Mágico de Duas Rodas] no final das contas. Contudo, a líder virtual da guarda real de Ai-chan que a amava, Sonobe Yuka, disparou contra a objeção de Hajime. Aparentemente, ela se esqueceu de seu débito e da intimidação de Hajime no dia anterior devido a força de seu amor por Ai-chan.

(Yuka): “Espere, como você pode dizer isso? Mesmo que Nagumo não goste de nós, não há necessidade de envolver Ai-chan-sensei”

Por causa da objeção incrivelmente irrelevante, Hajime soltou um “Haa?” com uma expressão impressionada. Hajime pensou que seria uma amolação explicar, ele silenciosamente tirou o [Veículo Mágico de Duas Rodas] da [Caixa do Tesouro].

Subitamente, uma grande moto apareceu do vazio, Aiko e os estudantes só poderiam ficar com olhares estupefatos.

(Hajime): “Vocês entendem agora? Ontem eu disse que eu absolutamente não me importo sobre o que vocês querem fazer. É por isso que não há necessidade de rosnar para mim. É como eu disse antes, nossas velocidades são diferentes”

A profunda forma do [Veículo Mágico de Duas Rodas], e talvez porque isso era uma existência que não pertencia a este mundo diferente, fez com que Aiko e os alunos observando ficassem sem palavras. Então, o amante de motos da classe, Aikawa perguntou a Hajime um pouco animado.

(Noboru): “Na-Nagumo fez isto como o revólver de ontem?”

(Hajime): “Algo desse tipo. Nós estamos indo agora, então afastem-se”

Hajime o respondeu superficialmente enquanto ele estava a ponto de embarcar, mas Aiko continuou parada. Aiko queria se juntar a Hajime e seu grupo não importava o que fosse preciso. Ela tinha duas razões. Uma era para encontrar a verdade sobre o que Hajime disse na última noite. Aiko não podia apenas ignorar as palavras “Um colega de classe tentou me matar”, então ela queria descobrir se isso era verdade ou se Hajime apenas se confundiu. Se fosse verdade, ela queria saber o que Hajime iria fazer. Ela queria escutar mais detalhes de Hajime com o objetivo de evitar qualquer acidente que poderia acontecer no futuro. Assim que a busca terminasse, ela não sabia quando seria capaz de encontrar Hajime e seu grupo de novo, então ela não poderia desperdiçar esta chance.

A outra razão era porque Shimizu Yukitoshi ainda estava desaparecido. Embora eles tivessem tentado encontrar qualquer migalha de informação fazendo tudo o que era possível, não havia sinais dele em qualquer uma das cidades e vilas próximas. No entanto, como não havia ninguém vivendo na cordilheira do Norte, ela se lembrou que não havia informação obtida desse local. Mesmo que fosse por vontade própria ou por acidente, ela naturalmente nunca pensou que ele entraria na cordilheira do Norte. Mas com o pensamento de ele ter partido por conta própria, ela pensou em procurar pelo rastro de Shimizu enquanto Hajime e seu grupo procuravam pelas pessoas desaparecidas.

A propósito, era em parte uma coincidência que Sonobe e os outros estudantes estivessem ali. Aiko queria ir para o portão mais cedo do que Hajime, para emboscá-lo, então ela tentou sair da pousada antes do amanhecer, apenas para ser vista por Sonobe Yuka que estava indo ao banheiro. Como Aiko estava com equipamentos de viagem e tentou partir em um horário insensato, Sonobe Yuka, dos guarda-costas de Aiko-chan, a questionou sem deixar ela contar uma mentira. Como resultado, porque eles não poderiam apenas deixar Ai-chan ser alterada por Hajime, Sonobe acordou todos os alunos e tentou se juntar a missão de busca. É preciso dizer que eles deixaram uma carta para os ⌈Cavaleiros, contando a eles para vigiarem a casa, já que parecia que eles iriam apenas atrair mais problemas se eles fossem com Hajime e seu grupo. Apesar de não se saber como eles iriam reagir…

Aiko se aproximou de Hajime e sussurrou a decisão dela a ele. Hajime moveu seu rosto para perto de Aiko porque ele não queria que o conteúdo, e apenas o conteúdo, fosse ouvido pelos outros, mas quando ele olhou cuidadosamente, ele notou que ela usava maquiagem pesada para esconder as sombras escuras. Certamente, ela mal deve ter sido capaz de dormir depois de escutar a história de Hajime.

(Aiko): “Nagumo-kun, como a Sensei é uma professora, é necessário ouvir os detalhes de Nagumo-kun. É por isso que eu não vou deixar você ir até me contar tudo, eu vou te perseguir se você tentar fugir. Para Nagumo-kun, isso não seria problemático? Eu não ligo se você me contar enquanto estivermos viajando ou quando estivermos procurando, então você vai me dedicar algum tempo? Se você fizer isso, então será como Nagumo-kun disse, será um adeus depois desta cidade… por enquanto”

Hajime podia ver a luz da determinação nos olhos de Aiko e ele se arrependeu um pouco de suas últimas palavras na última noite que resultaram neste fracasso. Ele entendia a capacidade de Aiko para agir. (Embora ela costumasse ser ociosa). Se ele tentasse engana-la ou fugir, ela provavelmente usaria os ⌈Cavaleiros para procurar por ele.

Ele desviou seu olhar de Aiko e olhou para o céu, que estava ficando mais e mais brilhante. Sem descartar a possibilidade da sobrevivência de Will, ele lamentou o tempo que se passou enquanto eles argumentavam. Hajime suspirou profundamente. Ele admitiu que ele apenas estava colhendo o que plantou e encarou Aiko mais uma vez.

(Hajime): “Okay. Eu vou deixar vocês irem conosco. Mesmo que eu diga isso, eu não tenho tempo para falar com você…”

(Aiko): “Eu não me importo. Eu só quero escutar isso da boca de Nagumo-kun”

(Hajime): “Haa, nossa, Sensei não vai desistir mesmo. Seja o que for e seja onde for, sempre uma professora, huh”

(Aiko): “É claro!”

Aiko, “Munh!”, projetou seu peito com um olhar alegre quando Hajime desistiu. Como parecia que as negociações tinham corrido bem, os alunos mostraram olhares aliviados.

(Yue): “… Hajime, você vai levar eles?”

(Hajime): “Aa, esta pessoa é uma ‘professora’ mesmo aqui. Ela não vai comprometer nada a respeito de seus estudantes. Se eu apenas deixar ela aqui, isso absolutamente se tornará um problema no futuro”

(Shia): “Hoooo, ela é uma boa professora que pensa em seus alunoooos”

Como Hajime desistiu, Yue e Shia ficaram surpresas e o questionaram. Depois disso, escutando as palavras de Hajime acompanhadas de um sorriso sem graça, os olhos com que eles olhavam para Aiko mudaram um pouco. Eles estavam cheios com certo respeito. Até Hajime pensou que atitude de Aiko como “professora” deles, que não podia ser abalada por nada, não era algo ruim. Por exemplo, ela não via nenhum valor em categorizar os colegas de classe e estudantes, então ele pensava nela como uma adulta que deveria ser respeitada.

(Yuka): “Mas esta moto só pode levar três pessoas, não é? O que devemos fazer?”

O que Sonobe apontou era a verdade. Estava fora de questão a respeito do tempo se adequar a velocidade dos cavalos e era impossível deixar Yue ou Shia para trás para levar Aiko no lugar. Relutantemente, Hajime colocou o [Veículo Mágico de Duas Rodas] na [Caixa do Tesouro] e puxou o [Veículo Mágico de Quatro Rodas] em seu lugar.

] Pinpon [, Hajime fez ele desaparecer e, ao mesmo tempo, um enorme objeto apareceu, provavelmente porque eles sabiam que ele usou um Artefato, Aiko e os alunos não estavam surpresos. Vendo o atual Hajime, quem na Terra poderia imaginar que ele antes foi chamado de “incompetente”. Sonobe e os estudantes receberam a mensagem, “Aqueles que não conseguirem entrar vão ficar na carga”, e olharam para Hajime que rapidamente sentou no assento do motorista com expressões complicadas.

 

※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※

 

Eles seguiram em frente na estrada que se expandia em linha reta para a região da cordilheira do Norte usando o [Veículo Mágico de Quatro Rodas] parecido com um Hummer[1]. Mesmo que a estrada fosse ruim, graças a suspensão e ao recurso de ‖Transmutação‖ do solo que ele compartilhava com o [Veículo de Duas Rodas], a maior parte dos impactos era anulada. Naturalmente, os alunos a bordo da dura carreta de metal das bagagens anexada na parte traseira não pareciam estar com desconforto.

A propósito, embora houvesse a [Caixa do Tesouro], a razão para ele especificamente instalar a carreta era porque ela formava um conjunto com a Gatling[2] que seria usada enquanto ele dirigia, essa era uma aspiração dele. Um pequeno empenho de Hajime.

Nos assentos dentro do veículo, Hajime naturalmente se sentou no local do motorista, enquanto Aiko se sentou a seu lado e Yue estava ao lado dela. Aiko sentou ao lado de Hajime para escutar sua história. Embora Aiko parecesse não ter contado isso para os outros estudantes, ela queria escutar sobre isso o quanto antes.

Originalmente, o assento ao lado de Hajime pertencia a Yue, mas ela já sabia o conteúdo da história que Hajime iria contar, assim, relutantemente, ela cedeu o lugar a Aiko. Porém, Aiko e Yue eram pequenas, então ainda havia uma considerável quantidade de espaço no assento.

Em contrapartida, Shia, que se sentou no banco traseiro, parecia um pouco desconfortável. Tirando Shia, Sonobe e Sugawara tinham corpos voluptuosos, então elas ocupavam muito espaço. A magra Miyazaki parecia muito desconfortável.

Mas a pessoa que se sentia mais desconfortável era Shia. Ela foi colocada entre Sonobe e Sugawara já há algum tempo e elas a interrogaram sobre seu relacionamento com Hajime. Amor entre raças diferentes em outro mundo era algo que as estudantes do ensino médio não iriam deixar de ouvir. Elas estavam tão curiosas que repetidas vezes perguntaram a Shia, e a afobada Shia tentou o seu melhor para responder a suas perguntas.

Do outro lado, a conversa de Hajime e Aiko também atingia o clímax.

Escutando a situação em detalhes sobre aquela vez de Hajime, enquanto ela sabia que a possibilidade de a magia ter sido intencionalmente era alta, Aiko ainda era incapaz de acreditar nisso e estava sendo atormentada. Quando ele escutou isso dela, Hajime apenas bufou como resposta.

Por ora, ele já suspeitava de alguém como Hiyama, e embora o palpite de Hajime fosse o mais próximo da resposta correta, ele apenas disse que esta era uma das possibilidades. Afinal, Aiko não seria capaz de chegar a tal conclusão, e mesmo se o culpado pudesse ser identificado, como ela poderia reparar a mente de alguém que tentou cometer homicídio? Como alguém poderia compensar por isso? Ela estava perturbada com esses pensamentos em sua mente.

Ela gemeu porque ela estava apreensiva com isto, mas devido ao assento macio e o veículo vibrando convidando ela a dormir, Aiko começou sua jornada para o mundo dos sonhos antes que ela percebesse isso, ] zuruzuru [, seu corpo deslizou até ela cair no colo de Hajime.

Normalmente, ele a mandaria voando para longe por ser um estorvo, mas como ele se sentia desconfortável em agir de forma rude com Aiko, ele hesitou sobre o que fazer, então ele decidiu deixar ela como estava. No fim das contas, a informação de Hajime era a principal causa da privação de sono de Aiko. Assim, se fosse só isto, ele sentiu que não havia o que fazer, enquanto ele mostrava uma generosidade incomum.

(Yue): “… Hajime é gentil com Aiko”

(Hajime): “… bem, ela é alguém com quem estou em dívida, então algo como isto está tudo bem”

(Yue): “… fuuuun.”

(Hajime): “Yue?”

(Yue): “…”

(Hajime): “Yue-san, por favor, não me ignore”

(Yue): “… na próxima eu também vou usar o travesseiro de colo”

(Hajime): “… okay”

Mesmo com Aiko dormindo em seu colo, Hajime e Yue foram capazes de entrar em um mundo só deles. No assento de trás, as estudantes do ensino médio os observavam enquanto ficavam “kya, kya”, acompanhadas por uma garota com orelhas de coelho ficando amuada. A partir deste ponto, eles estavam entrando em uma zona perigosa onde acidentes desconhecidos poderiam acontecer, mas ninguém pensava sobre isso enquanto eles faziam tal comoção.

 

※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※

 

A região da cordilheira do Norte.

Várias montanhas se estendiam com altitudes variando entre 1.000 a 8.000 metros. Plantas e árvores de alguma forma eram capazes de crescer ali. Era um lugar misterioso com um ambiente disperso. As cores poderiam fazer alguém se lembrar das montanhas do Japão no outono, e a outra área era cheia de árvores com folhas verdes, exatamente como no meio do verão, mas também havia alguns lugares com árvores secas em contraste.

Além disso, mesmo que alguém pudesse ver além da cordilheira, outra cordilheira se esticava além dela. Havia mais e mais delas ao Norte. Atualmente, quatro dessas cordilheiras foram confirmadas, e além delas estava uma área completamente desconhecida. Sobre quão longe ela ia, um certo Aventureiro tentou atravessar a quinta cordilheira, contudo, Feras Mágicas ficavam mais e mais fortes a cada cordilheira que era superada e, no fim, não havia sinais de sucesso.

A propósito, a mais alta de todas as montanhas era a |Montanha de Deus|. Na verdade, o lugar em que Hajime e os outros chegaram quando foram transportados para este mundo ficava a 1.600 quilômetros a Leste da |Montanha de Deus|. As cores vivas de vermelho e amarelo das folhas nas árvores as tornavam atraentes para os olhos. Se uma pessoa com conhecimento olhasse com atenção, ele descobriria especiarias e plantas comestíveis na área. Elas eram o que enriqueciam a |Cidade de Ur|, uma montanha genuinamente abundante.

Hajime e os outros pararam o [Veículo de Quatro Rodas] na base da montanha e ficaram encantados com a exibição artística das cores deslumbrantes da natureza por um tempo. Uma das garotas soltou um “Hoooo”. Algum tempo atrás, Aiko estava se desculpando enquanto corava, depois de cometer a gafe de dormir no colo de um aluno. Mas ao ver o cenário revigorante, ela teve sucesso em colocar a “história negra” nos distantes recessos de sua mente.

Hajime também queria lentamente apreciar isto, então ele guardou o [Veículo de Quatro Rodas] de volta na [Caixa do Tesouro] e puxou certas coisas em seu lugar.

Eles eram modelos que imitavam pássaros que possuíam 30 centímetros cada, e um anel com um pequeno cristal embutido neles. Cada um dos modelos tinha um cristal cinza enterrado em uma parte de suas cabeças.

Hajime colocou o anel, pegou quatro modelos idênticos e lentamente os jogou no ar. Com isso, uma pessoa poderia assumir que eles iriam cair devido à gravidade. Entretanto, esses pássaros falsos estavam flutuando no lugar. Aiko e os estudantes soltaram um “Ah”.

Os quatro pássaros mecânicos começaram a girar onde estavam e voaram em direção a montanha.

(Aiko): “Umm, esses são…”

Vendo os modelos dos pássaros voando para longe sem fazer nenhum som, Aiko representou os outros alunos e questionou algo dele.

Hajime responde com [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas], e exatamente como os veículos e o revólver, eles eram itens que estavam deslocados neste mundo diferente.

Os modelos de imitação de pássaros chamados de [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas] eram algo que Hajime fez em referência aos 〈Golems Cavaleiros operados remotamente do |Grande Calabouço Raisen|. Eles também foram produzidos usando os materiais que ele obteve lá. Usando a ‖Magia da Criação, ele concedeu aos minerais ‖Magia da Gravidade porque ele não tinha a aptidão para usar a magia ele mesmo, e eles se tornaram minerais capazes de neutralizar a gravidade enquanto flutuavam. E assim, [Pedras de Gravidade] foram criadas. Ademais, o [Minério de Indução], que era usado para controlar os 〈Golems Cavaleiros, foi utilizado.

Junto a isto, [Cristais de Visão de Longo Alcance] também foram instalados em cada parte de suas cabeças. O mineral usado nos olhos dos 〈Golems Cavaleiros era a [Pedra de Visão de Longo Alcance]. Similares ao [Minério de Indução], esse era um minério capaz de refletir cenas testemunhadas pelos outros fragmentos do cristal, independentemente da distância, contanto que o mesmo tipo de |Poder Mágico fosse fornecido a eles. Parecia que isto era o que Miledi usou para determinar a posição detalhada de Hajime e seu grupo. Hajime instalou o [Cristal de Visão de Longo Alcance] dentro do seu [Olho Mágico] e ele se tornou capaz de ver o cenário que as [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas] podiam ver.

Em primeiro lugar, havia um limite para o desempenho de processamento de um cérebro humano, usar quatro simultaneamente era o limite, permitindo que eles se movessem pelo céu. Era um completo mistério a forma como Miledi era capaz de operar 50 〈Golems de uma vez.

Provisoriamente, o desempenho de processamento de seu cérebro foi impulsionado quando ele despertou a ‖Velocidade da Luz, se ele apenas tivesse que controlar uma aeronave, ele poderia fazer movimentos precisos. Além disso, quando ele usava a ‖Velocidade da Luz, ele poderia fazer sete aeronaves realizarem movimentos precisos dentro de um certo limite de tempo.

Desta vez, ele pegou as [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas] porque ser capaz de investigar do ar era útil, já que a extensão da busca era vasta demais. Observando as [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas] voando para longe, Aiko e os estudantes tentaram parar de ficar surpresos com as ações de Hajime, no entanto, era um voto que poderia nunca ser cumprido.

Hajime e os outros avançaram dentro da montanha usando o mesmo caminho usado pelos Aventureiros. A informação de avistamentos de Feras Mágicas era só um pouco além do outro lado do caminho da montanha. Era nas proximidades da sexta e sétima montanha. Com isso, o grupo de Aventureiros de Will deveria investigar essa região. Pensando nisto, eles rapidamente avançaram pelo caminho da montanha em ritmo acelerado, depois de Hajime soltar as [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas] nessa área.

Hajime e os outros alcançaram a sexta montanha em quase uma hora e pararam. A razão foi porque era necessário investigar por qualquer traço ao redor da área…

(Aiko): “Haa, haa, é-é uma pausa… kehoh, haa, haa”

(Yuka): “Zee… zee… você está bem… Ai-chan-sensei, zee… zee…”

(Estudante A): “Ueppu, está tudo bem descansar agora? Haa, haa, está tudo bem, não está? Eu vou fazer uma pausa agora, beleza?”

(Estudante B): “… hyuu… hyuu”

(Estudante C): “Geho, geho, Nagumo-kun e seu grupo são monstros…”

Aiko e seus estudantes tinham menos força física do que ele esperava, então foi necessário fazer uma pausa. Naturalmente, os Status de Aiko e seus estudantes eram realmente muitas vezes mais altos do que o de uma pessoa comum deste mundo, então eles não ficaram exaustos até que escalaram a sexta montanha. Mas o a velocidade do movimento de Hajime e seu grupo era simplesmente rápida demais, foi por isso que eles subiram a montanha usando todas as suas forças, e quando eles notaram, seus músculos estavam esgotados e suas pernas ficaram trêmulas.

Aiko e seus estudantes desesperadamente arfaram para respirar de quatro e Hajime olhou para eles com um olhar um pouco perturbado. De qualquer modo, ele decidiu que era necessário procurar nos arredores, enquanto eles seguiam para um rio próximo para deixá-los descansar. Ele foi capaz de determinar a localização graças a informação das [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas]. Depois de relatar a localização para Aiko e seus estudantes, que ainda estavam respirando com dificuldade, ele e seu grupo avançaram para o rio. A probabilidade do grupo de Will ter descansado ali também era alta.

Com Yue e Shia na liderança, eles se afastaram do caminho da montanha e seguiram para a montanha. ] Farfalha, farfalha [. O som das folhas era agradável enquanto eles continuavam caminhando entre as árvores e, pouco depois, eles podiam escutar o som de um rio. Era um som prazeroso para os ouvidos. As orelhas de Shia balançaram alegremente.

Finalmente, Hajime e seu grupo chegaram ao rio. Ele tinha uma escala maior comparada a um rio pequeno. Shia, que possuía a mais alta habilidade de busca, observou as redondezas enquanto Hajime mais uma vez usava as [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas] para procurar por qualquer presença, e não havia sinais de Feras Mágicas por perto. Eles relaxaram por ora. Hajime e os outros estavam sentados em uma rocha na margem do rio, então eles falaram sobre seus planos de busca. Yue tirou seus sapatos e colocou seus pés dentro do rio depois de dizer “Só um pouco”. Foi o egoísmo dela para aproveitar o momento. Hajime ignorou isso porque Aiko e seus estudantes ainda não tinham alcançado eles. Ele era um homem que mimava Yue. Shia também aproveitou esta chance.

Pensando em uma possibilidade, eles se moveram rio acima acompanhando a beira do rio. Hajime moveu as [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas] rio acima enquanto ele olhava para Yue, ] pasha, pasha[, brincando na água do rio com seus pés descalços. Embora Shia também estivesse descalça, ela só colocou os pés na água. A sensação do rio correndo parecia fazer cócegas nela.

Aiko e seus estudantes, que finalmente recuperaram seus fôlegos, chegaram. Eles ficaram onde estavam enquanto encaravam Hajime e seu grupo. Contudo, os três alunos gritados “Isto é o Céu?”, com olhos brilhando enquanto eles olhavam Yue e Shia descalças, enquanto as alunas se voltavam para eles com olhos frios. Isso fez os rapazes estremecerem. Quando eles notaram os olhares de Tamai e os outros, Yue e Shia saíram do rio.

Aiko e seus estudantes estavam diligentemente reabastecendo suas hidratações na margem do rio. Devido aos olhares desagradáveis de Tamai e os outros homens há um momento, Yue e Shia os observaram com olhares furiosos e os rapazes tremeram enquanto desviavam seus olhos. Vendo tal espetáculo, Aiko e as meninas olharam para Hajime com olhos calorosos. Especialmente Sonobe e as outras alunas. Como elas tinham ouvido várias coisas de Shia, elas estavam com expressões muito irritantes.

(Aiko): “Fufu, Nagumo-kun realmente valoriza Yue-san e Shia-san”

Aiko disse isso enquanto sorria. Hajime queria dizer alguma coisa, mas parou e apenas encolheu seus ombros quando ele viu Tamai e os outros alunos deprimidos. Yue foi quem agiu em seu lugar. Como se fosse a coisa mais natural no mundo, ela repentinamente sentou no colo de Hajime.

(Yue): “… nn”

Ela estava tão satisfeita que confiou todo o seu peso a Hajime. Também poderia se dizer que essa era a prova de confiança dela. Vendo isto, Shia, que parecia solitária, abraçou Hajime por trás. As bochechas de Aiko imediatamente coraram porque um espaço cor de rosa foi gerado. Sonobe e as alunas estavam gritando, “Kyaaaa, kyaaaa”, animadas. Tamai e os rapazes rangeram seus dentes.

Hajime sendo Hajime, sem afastar as duas, apenas desviou o olhar. Ele parecia estar um pouco constrangido. No entanto, a expressão de Hajime subitamente se intensificou no momento seguinte.

(Hajime): “… é isso”

(Yue): “Nn… você encontrou algo?”

Escutando o murmúrio de Hajime enquanto ele estava olhando ao longe na distância, Yue perguntou a ele. Com a aparência dele, Aiko e os outros piscaram seus olhos se perguntando o que aconteceu.

(Hajime): “Rio acima… aquilo é um escudo? Aliás, há bolsas… elas ainda parecem novas. Pode ser uma pista. Yue, Shia, vamos”

(Yue): “Nn…”

(Shia): “Sim!”

Hajime e seu grupo harmoniosamente se levantaram e começaram a se preparar para a partida. Na verdade, Aiko e os estudantes ainda queriam descansar, e embora eles soubessem que eles estivessem exagerando, eles não poderiam apenas esperar assim que viram que Hajime encontrou algumas pistas. Eles arduamente levantaram suas ainda exaustas cinturas e mais uma vez desesperadamente tentaram acompanhar Hajime e seu grupo, que estavam avançando rio acima com velocidade intensa.

No local que Hajime e seu grupo chegaram, assim como ele confirmou com as [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas], pequenos escudos redondos feitos de metal e bolsas estavam espalhadas pelo local. Contudo, havia mossas[3] nos escudos redondos e as bolsas estavam rasgadas no meio com seus cordões puxados.

Hajime e seu grupo cuidadosamente examinaram o ambiente. Então eles encontraram algumas árvores próximas com suas cascas arrancadas. As marcas estavam mais ou menos a dois metros de altura. Estava claro que a casca estava em tal estado porque algo a arranhou, e naquela altura, evidentemente não foi trabalho de humanos. Hajime instruiu Shia a usar suas habilidades de busca ao máximo, enquanto também usada sua habilidade de percepção enquanto eles se aproximavam das árvores sem casca.

Seguindo em frente, eles encontraram sinais de combate um após o outro. Havia árvores e galhos que estavam quebrados ao meio. Também havia plantas que foram pisoteadas e, além disso, havia fragmentos de lâminas e sangue espalhados pelo local. Todas as vezes em que eles encontravam tais rastros, as expressões nos rostos de Aiko e dos estudantes endurecia. Por um tempo, eles perseguiram os sinais de combate e Shia subitamente encontrou algo brilhando.

(Shia): “Hajime-san, isto, isto é um pingente?”

(Hajime): “Nn? Aa… provavelmente é algo que eles deixaram para trás. Deixe-me confirmar”

Depois que ele limpou a sujeira do pingente que ele recebeu de Shia, ele notou que isso não era apenas um pingente, mas também um medalhão. Ele removeu o fecho e viu o que estava dentro, era o retrato de uma mulher. Quem sabe ela fosse a amante ou esposa de alguém. Mesmo que não fosse uma pista significante, não era algo antigo, mas sim recente… ele poderia pertencer a alguém do grupo de Aventureiros. Era por isso que o item foi guardado.

Posteriormente, eles encontraram mais artigos dos falecidos, ou era como eles os chamavam, mas eles apenas coletaram itens que iriam permitir identificar seus donos. Investigando por um tempo, eventualmente, o dia se tornou noite, e o horário para eles montarem acampamento estava se aproximando.

Mesmo agora, não havia sinais de vida além dos animais selvagens. Apesar de eles serem cautelosos devido a forma como Will e seu grupo encontraram e foram atacados por Feras Mágicas, não havia sinais de monstros em suas imediações. A atual localização deles era entre a oitava e nona montanha. Sobre o que era dito sobre a travessia das montanhas, geralmente, eles iriam encontrar uma ou duas Feras Mágicas, então Hajime e os outros podiam sentir a singularidade desta situação.

Depois de um tempo, as [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas] encontraram um local com anormalidades. Havia resquícios de grande destruição 300 metros a Leste. Hajime incitou todos para correrem para esse local.

Havia um grande rio. Uma pequena cachoeira podia ser vista rio acima, e o volume de água era imenso, com uma corrente violenta. Originalmente, era provável que ele seguisse direto para o sopé da montanha, mas neste momento, havia uma enorme e uma pequena ramificação no rio ao longo do caminho. Era como se elas tivessem sido criadas por um laser ou algo do tipo, a partir do flanco.

O motivo para eles terem tais impressões era porque as partes escavadas seguiam uma linha reta, enquanto as árvores ao redor e o chão estavam queimados. Além do mais, como se elas tivessem recebido um grande impacto, muitas árvores estavam parcialmente quebradas e jogadas dezenas de metros para o lado. Na margem do rio, havia enormes pegadas medindo mais de 30 centímetros.

“Parece que o combate de verdade aconteceu aqui… essas pegadas são de Feras Mágicas bípedes enormes… certamente, havia Feras Mágicas chamadas 〈Brutais além da segunda montanha. Porém, a forma como a terra está arrancada…”

O que Hajime descreveu como 〈Brutais era algo parecido com os 〈Orcs e 〈Ogros em RPGs. Embora eles não tivessem muita inteligência, eles agiam como um grupo. Como eles tinham uma versão mais fraca da magia peculiar ‖Vajra chamada de ‖Muro Forte, eles eram reconhecidos como inimigos bem poderosos. Eles normalmente desciam da segunda montanha da cordilheira, mas essas Feras Mágicas nunca iam para as cidades. Além disso, eles não tinham nenhum ataque que poderia criar tais afluentes[4] no rio.

Hajime pensou no 〈Brutal enquanto observava as pegadas, ele hesitou se deviam ir a montante[5] ou a jusante[6]. Embora o grupo de Will provavelmente escapou rio acima, ele pensou que seria difícil para eles correrem contra a corrente depois de tal combate. Ele duvidou de que eles estariam física e mentalmente bem para correr para a cidade.

Hajime decidiu dirigir as [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas] rio acima enquanto eles seguiam rio abaixo. Mesmo que as pegadas dos 〈Brutais estivessem na margem do rio, a possibilidade de Will e seu grupo pulando dentro do rio era alta. Nesse caso, ele pensou que eles provavelmente seriam arrastados devido à exaustão física.

Os outros também concordaram com as especulações de Hajime e desceram com a corrente na beira do rio.

Mais tarde, eles encontraram uma cascata muito mais esplêndida comparada com a de antes. Hajime e os outros agilmente desceram o penhasco ao lado da cachoeira e pousaram na proximidade da bacia[7]. O vento refrescante peculiar de uma cascata recuperou as mentes e corpos deles que estavam exaustos de um dia de busca. Então, Hajime sentiu uma reação de sua Percepção de Sinal

(Hajime): “!!! Isto é…”

(Yue): “… Hajime?”

Yue imediatamente reagiu e o perguntou. Por um tempo, Hajime se concentrou enquanto fechava o olho. Depois disso, enquanto lentamente abria seu olho, ele soltou uma voz de surpresa.

(Hajime): “Oi, oi, é sério? A Percepção de Sinal pegou algo. Pela sensação, eu posso dizer que é um humano. A localização é… no interior da bacia da cascata”

(Shia): “Você quer dizer que há sobreviventes!”

Hajime concordou com as palavras de afirmação de Shia. Ele respondeu, “Apenas uma pessoa”, quando Yue perguntou sobre o número de pessoas. Aiko e seus estudantes também estavam surpresos. Era algo natural. Apesar das chances de sobrevivência não serem zero, eles realmente não esperavam por isso. Era o quinto dia desde que o grupo de Will desapareceu. Era um milagre até mesmo que um deles estivesse vivo.

(Hajime): “Yue, por favor”

(Yue): “… nn”

Enquanto observava a bacia da cachoeira, Hajime chamou Yue. Yue foi capaz de adivinhar as intenções de Hajime só por essas poucas palavras e ela acenou com sua mão direita como o gatilho para a magia.

‖Castelo de Onda, ‖Parede de Vento

Em seguida, a água da cachoeira e sua bacia começaram a se dividir em dois exatamente como na lenda de Moisés e o Mar Vermelho[8]. Além disso, a água espalhada estava perfeitamente afastada pela ‖Parede de Vento. Isso era o resultado da ‖Magia de Água criando uma parede de água de alta pressão chamada de ‖Castelo de Onda e a ‖Magia do Vento chamada ‖Parede de Vento.

Sem encantamento, magia de dois atributos diferentes foram ativadas ao mesmo tempo. Vendo como elas foram usadas, Aiko e seus estudantes, embora não se lembrassem de quantas vezes tinham feito isso, ficaram boquiabertos em espanto. Com toda certeza, o povo hebreu[9] também mostrou tais expressões.

Como seu |Poder Mágico não era infinito, Hajime incentivou Aiko e os outros a continuar, enquanto ele os liderava para o interior da caverna na bacia da cachoeira. A caverna em que eles entraram imediatamente se curvava para cima e eles chegaram em uma cavidade enorme. Água e luz se derramavam do teto e a água caindo fluía para dentro da piscina de água abaixo. A razão para ela não transbordar era certamente porque a água continuava fluindo para dentro.

Eles descobriram um homem deitado na parte mais interna da caverna. Quando eles chegaram ao lado do homem, eles confirmaram que ele era um jovem homem, por volta dos 20 anos de idade. Embora ele parecesse um nobre, no momento, ele parecia pálido e mostrava a compleição de uma pessoa morta. Contudo, não havia nenhum ferimento sério, e como havia comida restando dentro da bolsa dele, ele estava simplesmente dormindo. Sua péssima aparência estava definitivamente relacionada a como ele era o único no local.

Vendo a ansiedade de Aiko, e como Hajime queria imediatamente descobrir a identidade do jovem homem, ele usou seu braço artificial enquanto restringia seu poder ao limite, para dar um peteleco na testa do homem dormindo.

] BACHIKONh!! [

(???): “Guwah!!”

Ele gritou assim que acordou, o jovem homem se contorcia enquanto cobria sua testa com ambas as mãos. Aiko e seus estudantes estremeceram por causa do poderoso e impiedoso peteleco na testa. Hajime ignorou Aiko e os estudantes e se aproximou do jovem homem com olhos marejados para perguntar seu nome.

(Hajime): “Você, você é Will Kudeta? O terceiro filho do Conde Kudeta”

(???): “Ah, eh, vocês são, mas como diabos vocês chegaram aqui…”

Como o jovem homem apenas piscava enquanto não podia entender a situação, Hajime mais uma vez assumiu uma postura para dar um peteleco na testa dele e lentamente se preparou para isso.

(Hajime): “Responda a minha pergunta. Eu vou aumentar o poder em 20% cada vez que você falar algo que não seja a resposta”

(???): “Eh, eh!?”

(Hajime): “Você, você é Will Kudeta?”

(Will): “Umm, uwah, sim! Isso mesmo! Eu sou Will Kudeta! Sim!”

Por um momento, quando o jovem homem hesitou em responder, o olho de Hajime mostrou uma luz perigosa e ele imediatamente esticou sua mão esquerda. O jovem homem em pânico imediatamente anunciou seu nome. Aparentemente, ele era mesmo a pessoa em questão. Ele parecia ter sobrevivido de forma milagrosa.

(Hajime): “Entendo. Eu sou Hajime. Nagumo Hajime. Eu vim até aqui a pedido do Diretor da Filial da ⟦Guilda de |Fhuren|, Ilwa Chang. (Para minha própria conveniência). É bom que você esteja vivo”

(Will): “Ilwa-san!? Então é isso. Mais uma vez… eu estou em dívida com aquela pessoa… umm, eu sou grato a você. Você deve ser uma pessoa extraordinária por receber um pedido diretamente de Ilwa-san”

Will expressou gratidão com olhos respeitosos. Parecia que ele não se incomodava com o peteleco na testa com força inacreditável de um momento atrás. Nesse caso, ele poderia ser inesperadamente uma boa pessoa. Uma grande diferença de um porco de um certo lugar. Depois disso, tendo apresentado todos, eles escutaram a história do que aconteceu a Will.

Isto era o resumo.

Cinco dias atrás, o grupo de Will chegou na região da parte superior da quinta montanha usando o caminho da montanha da mesma forma que Hajime e os outros. Subitamente, eles encontraram dez 〈Brutais. Como esperado, eles não puderam vencer contra o número de 〈Brutais que eles encontraram, então o grupo de Will tentou se retirar. Mas o número de 〈Brutais atacando continuou aumentando e eles estavam no rio da sexta montanha quando eles notaram isso. Dessa forma, os 〈Brutais cercaram eles, assim, com o objetivo de escapar do cerco, duas pessoas, soldados insignificantes e sem importância, foram sacrificados. Depois disso, quando eles chegaram no grande rio, desespero apareceu.

Ele apareceu na forma de um 〈Dragão completamente negro. Assim que o grupo de Will chegou na margem do rio, O 〈Dragão Negro disparou um sopro, e Will foi lançado para dentro do rio com o ataque. Pelo que ele viu enquanto era arrastado pela correnteza, uma pessoa desapareceu com o sopro, enquanto os outros dois foram atacados por ambos os lados, 〈Brutais por trás e o 〈Dragão pela frente.

Will caiu dentro da bacia da cascata depois de ser arrastado, ele seguiu para a caverna que ele encontrou por acaso, e ele parecia ter se escondido no local desde então.

De alguma forma, isso meio que parecia o que poderia ou não ter acontecido com uma certa pessoa.

Will, enquanto contava isso a eles, estava se sentindo orgulhoso, e então, subitamente começou a soluçar. Não era algo insensato, os Aventureiros experientes o ensinaram o know-how dos Aventureiros e tomaram conta dele mesmo que um deles ficasse com uma cara descontente. Sem confirmar a segurança deles, ele pateticamente só conseguiu tremer de medo e esperar pela ajuda por vir, ele que se sentiu aliviado porque seu resgate chegou enquanto seus companheiros estavam mortos, vários sentimentos continuamente emergiram e suas lágrimas transbordaram.

(Will): “Eu-eu sô u pior. Wuu, mezmo con todus mortus, eu naum fis nada. Hikk, pra eu sê u úniku sobrevente… aliaz, ] funga [… mi zenti alivadu… eu… !!! (Eu sou o pior. Wuu, mesmo com todos mortos, eu não fiz nada. Hikk, para eu ser o único sobrevivente… aliás, ] funga [… me sentir aliviado… eu… !!!)”

Os prantos de Will ecoaram dentro da caverna. Ninguém poderia dizer nada para ele. Para Will, que se culpava com lágrimas escorrendo pelo rosto, eles não sabiam quais palavras seriam boas para ele. Os estudantes olharam para Will com expressões dolorosas, enquanto Aiko gentilmente esfregava as costas de Will. Yue estava sem expressão como sempre, enquanto Shia parecia perturbada.

Contudo, no momento que Will se viu sem palavras, uma pessoa inesperada se moveu. Era Hajime. Hajime se aproximou de Will e o agarrou pelo colarinho. Ele usou sua força inumana para ergue-lo no ar. Em seguida, para o Will que estava em dor porque não podia respirar, Hajime falou com uma voz inesperadamente penetrante.

(Hajime): “Qual o problema por querer viver? Qual o problema com estar feliz porque você está vivo? Esse desejo e sentimento são coisas naturais e inevitáveis. Ainda mais porque você é um humano”

(Will): “Ma-mas… eu estava…”

(Hajime): “Ainda assim, se você está preocupado com aqueles que morreram… então continue a viver. A partir de agora, continue vivendo como se fosse uma luta, e lute como se você fosse morrer. Se você fizer isso, algum dia… pode chegar o dia em que você entenda a razão para você ter sobrevivido hoje”

(Will): “… continue a viver”

Mesmo enquanto chorava, Will repetiu as palavras de Hajime em uma surpresa vazia. Hajime violentamente jogou Will para o chão, ele se repreendeu com, “O que foi que eu fiz?”, suas palavras de agora, mais da metade delas foram dirigidas a ele mesmo. A situação de Will era um pouco parecida com a dele, e para ele menosprezar sua própria vida dizendo, “Está errado você ter sobrevivido”, para Hajime, ele ficou involuntariamente furioso.

É claro que isso era apenas seu complexo de perseguição. Mais da metade disso foi dito em uma explosão de raiva, então não era diferente de uma birra de criança. Mesmo ele tendo passado por muitas coisas, Hajime ainda era um garoto de 17 anos de idade, e ainda havia muito para ele aprender. Hajime sabia que ele tinha caído em uma leve auto aversão. Vendo Hajime assim, Yue foi para o lado dele e apertou a mão de Hajime com força.

(Yue): “… está tudo bem, Hajime não está errado”

(Hajime): “… Yue”

(Yue): “… viva o seu melhor. Continue vivendo. Comigo, certo?”

(Hajime): “… haha, ah, é claro. Eu vou continuar vivendo não importa o que possa acontecer… então, não me deixe sozinho”

(Yue): “… nn”

Eles deixaram Will, que ainda estava falando consigo mesmo, então Hajime e Yue criaram um mundo só com os dois. Ele não poderia se equiparar a Yue, e Hajime gentilmente acariciou as bochechas de Yue, enquanto Yue também era mimada e deixava a mão dele esfregar suas bochechas. Sem entender o que aconteceu para causar tal desenvolvimento, Aiko e seus estudantes só poderiam piscar, enquanto Shia observava Hajime e Yue com seus olhos semiabertos.

A situação caótica continuou por um tempo (graças a imprudência de Hajime), e, de alguma forma, todos conseguiram recuperar seus sentidos. O grupo então decidiu imediatamente descer a montanha. Ainda havia mais de uma hora antes do pôr do Sol, então se eles se apressassem, eles provavelmente iriam chegar ao sopé da montanha no momento em que o Sol se posse.

Embora eles estivessem preocupados com os 〈Brutais e o 〈Dragão completamente negro, eles estavam além da missão de Hajime e seu grupo. Era impensável continuar a investigação enquanto eles protegiam as pessoas com baixo potencial de combate. Will também entendia que ele só iria ser um empecilho, então ele entendia que eles deviam se retirar. Apesar dos estudantes insistirem em continuar a investigação por causa de seus ligeiros sensos de justiça que surgiram dos habitantes da cidade apreensivos, Aiko teimosamente recusou investigar devido ao grande perigo que o 〈Dragão Negro e os 〈Brutais representavam. No fim, eles desceram a montanha.

Entretanto, nada aconteceu calmamente. Mais uma vez, eles foram fervorosamente recepcionados quando o grupo saiu da bacia da cachoeira com a magia de Yue.

(???): “GUuRURURURU”

Soltando um gemido baixo, com seu corpo inteiro coberto por escamas completamente negras, seus olhos dourados encararam eles no meio do ar enquanto batia suas asas… era o 〈Dragão.


Tradutor: TraduzindoNovels



[1] O Hummer é um veículo da AM General. Ele foi desenvolvido a partir do HMMWV, originalmente um veículo de guerra que acabou caindo no gosto dos consumidores americanos e virou sucesso de vendas entre as SUVs.

[2] A Gatling, ou Gatling Gun, é um tipo de metralhadora criado no século XIX por Richard Jordan Gatling, nos Estados Unidos, durante sua Guerra Civil. Foi projetada em 1861 e patenteada em 1862. Caracteriza-se por ter vários canos rotativos, que aumentam seu poder de fogo. Pode ter três, quatro, seis ou até oito canos rotativos, e dispara uma alta quantidade de projéteis (mais de 1.300 balas por minuto), provando ser altamente eficiente e mortal para a época. Cada cano dispara um único tiro até atingir uma determinada fase no ciclo, altura que ejeta a munição gasta e carrega uma nova, usando o tempo que dura este processo para arrefecer. O sistema resolve o problema do sobreaquecimento das armas de um único cano, mas prejudica a precisão do tiro.

[3] Mossa é uma marca ou vestígio resultante de pressão exercida ou pancada desferida em um corpo. É um talho ou cavidade feito em materiais como madeira, ferro etc.

[4] Afluente, ou tributário, são os rios e cursos de água menores que desaguam em rios principais. Um afluente não flui diretamente para um oceano, mar ou lago. Os afluentes e o rio principal servem para drenar uma determinada bacia hidrográfica.

[5] Montante é a direção de um ponto mais baixo para o mais alto de um fluxo de água. Montante é a parte onde nasce o rio.

[6] Jusante é o fluxo normal da água, de um ponto mais alto para um ponto mais baixo. A jusante é o lado para onde se dirige a corrente de água.

[7] Bacia hidrográfica ou bacia de drenagem é a extensão ou superfície de escoamento de um rio central e seus afluentes. Situadas em áreas de maiores altitudes do relevo por partidores de água, no qual as águas das chuvas, ou são drenadas superficialmente gerando os rios e riachos, ou infiltram no solo para formação de nascentes e do lençol freático.

[8] O mar Vermelho é muito conhecido pelo mundo devido à sua suposta abertura para fuga do povo de Deus do Egito no Livro do Êxodo pelo profeta e legislador do povo israelita Moisés. Segundo a Bíblia, o povo hebreu acabava de ter saído do Egito, após serem escravizados por 430 anos. Moisés, um hebreu criado pela família real egípcia, recebeu uma ordem de Deus para libertar seu povo, que estava cativo no Egito. Após as 10 pragas, o faraó finalmente deixou os israelitas irem embora, mas tempo depois da partida deles, o faraó mudou de ideia. Então, ele mandou um exército grande para ir atrás deles no deserto. Os hebreus estavam cercados entre o exército egípcio e o mar Vermelho, mas Moisés, após orar ao Senhor, ergueu o seu cajado diante do imenso mar, que se abriu em dois, possibilitando a passagem para os hebreus. Após eles terem passado, o exército egípcio também tenta passar pelo mar, mas ele se fechou, afogando todos os soldados.

[9] Os antigos hebreus foram um povo semítico da região do Levante, localizado no Oriente Médio. Acredita-se que, originalmente, os hebreus chamavam a si mesmos de israelitas, embora esse termo tenha caído em desuso após a segunda metade do século X a.C. Esse povo, apagado pela grandeza de estados muito maiores, tecnologicamente avançados e mais importantes politicamente, foi responsável, contudo, pela composição de alguns dos livros que compõem a Bíblia, obra considerada sagrada por religiões ocidentais e orientais.


Fontes
Cores