Arifureta – Capítulo 56 – As preocupações de Aiko


Graças ao berro de Aiko, Hajime e seu grupo foram guiados para um assento VIP, longe dos olhos dos outros hóspedes. Assim, Aiko, Sonobe Yuka e os outros estudantes o bombardearam com perguntas. Contudo, Hajime estava focado no Nilshisseer (a versão do curry do outro mundo) diante de seus olhos. Ele os respondeu em transe.

(Pergunta): Você caiu daquela ponte, o que aconteceu depois?

(Resposta): Eu dei o meu melhor.

(Pergunta): Por que seu cabelo ficou branco?

(Resposta): Foi o resultado por eu dar o meu melhor.

(Pergunta): O que aconteceu com o seu olho?

(Resposta): Foi o resultado por eu dar o meu ultra melhor.

(Pergunta): Por que você não voltou imediatamente?

(Resposta): Não tinha nenhum motivo para fazer isso.

Depois de escutar tudo isso, Aiko gritou irritada com suas bochechas estufadas, “Por favor, nos responda com seriedade!”. De fato, ela ser incapaz de mostrar qualquer intensidade nessa ação foi algo lamentável. Como de costume, Hajime parecia um salgueiro quando o vento soprava. Sem virar seu olhar, ele deliciosamente aproveitou o Nilshisseer enquanto, algumas vezes, escutava a discussão de Yue e Shia. O rosto dele estava cheio de satisfação.

Irritado com a aparência dele, havia o Comandante dos guarda-costas de Aiko, David. Ele não podia suportar ver a mulher por quem ele se apaixonou sendo ignorada. Foi por isso que ele socou a mesa e um alto som surgiu.

(David): “Oi, você! Você está sendo questionado pela Aiko! Responda ela com seriedade!”

Hajime deu uma olhada em David, então, “Haa”, suspirou.

(Hajime): “Nós não estamos comendo agora? Comporte-se”

O protesto dele foi completamente ignorado. No entanto, David tinha muito orgulho porque, como um ⌈Cavaleiro Templário, ele foi confiado como Comandante de uma pessoa importante, então ele não poderia aguentar isso e seu rosto ficou vermelho. Seguido disso, como Hajime não o daria uma resposta clara, ele mudou seu alvo enquanto ele se virava para olhar Shia.

(David): “Hmm, você disse para eu me comportar? Essa palavra, eu devolvo ela para você. Ter um animal sujo dividindo a mesma mesa que humanos, você é aquele que não tem modos. Você não poderia ao menos cortar essas orelhas feias? Ela iria parecer mais humana desse jeito”

O corpo de Shia tremeu enquanto ela era encarada por olhos cheios de desprezo. A |Cidade de Brook|, por sua impressão na estalagem, sendo próxima de Catherine, além da existência de Hajime, era cheia de pessoas amáveis. Embora houvesse muitos olhos discriminadores em |Fhuren|, e mesmo que eles reconhecessem ela como uma Escrava, ninguém a ridicularizou dizendo isso diretamente.

Em outras palavras, desde o início da jornada dela com Hajime, esta era a primeira vez que ela recebia diretamente palavras de discriminação como uma ⌊Demi-Humana. Mesmo ela querendo não pensar nisso, ela estava um pouco surpresa pelo ataque, mesmo depois que ela ficou acostumada com o mundo exterior, ela ainda podia sentir o dano. ] Shun [, Shia olhou para baixo deprimida.

Se ela olhasse com atenção, ela poderia ver que isso não estava limitado a apenas David. Chase e os outros ⌈Cavaleiros também olhavam para Shia com os mesmos olhos. Não importava quão íntimos eles eram de Aiko e seus estudantes, eles eram ⌈Cavaleiros Templários e Imperiais. Eles eram homens da ⟦Igreja dos Santos e do |Reino|, então a discriminação deles contra a raça dos ⌊Demi-Humanos era forte. Afinal, a fonte da discriminação eram a própria Igreja e o |Reino|. Mesmo que David e os ⌈Cavaleiros fossem influenciados por Aiko e pudessem pensar por conta própria, eles não teriam como mudar depois de apenas poucos meses devido a este senso de valores que não era enraizado superficialmente.

Como isso era algo irracional, Aiko instintivamente tentou protestar. Mas antes disso, Yue, que segurava a mão da abatida Shia, dirigiu um olhar tão frio como o zero absoluto para David. Um olhar frio que parecia capaz de congelar o corpo de alguém da linda garota que parecia uma boneca de porcelana da mais alta classe. David vacilou por um momento, mas ficou enfurecido quando ele viu que essa pressão estava vindo de uma garota com a aparência de uma criança. Geralmente, ele não perderia sua calma tão facilmente, mas com as palavras que ele disse e olhando para sua querida Aiko, ele se descontrolou.

(David): “O que, o que há com esses olhos? Isso é grosseiro! Mesmo que você não seja uma ⟦Apóstola de Deus, você está tentando desafiar um ⌈Cavaleiro Templário!”

David espontaneamente se levantou. Apesar do Vice Comandante Chase tentar impedi-lo, mais rápido do que isso, as palavras de Yue claramente apareceram nessa agitação.

(Yue): “… um homem pequeno”

Essas foram palavras de ridicularização. Palavras que ridicularizavam quão pequeno seu recipiente era, por gritar só porque ela era de uma raça diferente, e perdeu sua calma quando encarado por uma garota. David já estava perdido na fúria. Como um homem, ser chamado de pequeno na frente de Aiko o levou ao limite.

(David): “… sua pagã. Eu vou te mandar para o inferno junto com esse animal”

Assim que ele calmamente murmurou isso sem nenhuma expressão, David alcançou a espada a seu lado. Como a carnificina apareceu tão de repente, os alunos estavam afobados, enquanto Aiko, Chase e os ⌈Cavaleiros estavam todos tentando detê-lo. Contudo, como se ele não pudesse escutar as vozes ao redor, David finalmente puxou um pouco sua espada de sua bainha.

Ao mesmo tempo…

] DOPANh!! [

Um som seco e explosivo ecoou dentro da ⟦Pousada da Fada da Água. Ao mesmo tempo, David, que estava a ponto de se lançar a qualquer momento, foi atingido na cabeça e foi lançado para longe. Dessa forma, a cabeça de David atingiu a parede atrás dele, com força, e um som tremendo ressoou. Os olhos dele ficaram brancos enquanto ele desmaiava. A espada foi solta da mão de David e, ] gashan! [, ela caiu no chão.

Ninguém foi capaz de entender o que tinha acabado de acontecer e estavam todos espantados. Seus olhares se viraram para David, que desabou com o branco de seus olhos a mostra. Então, alguém ficou curioso sobre o que tinha acontecido para emitir um som tão grande e explosivo, foi Foss, que puxou a cortina. Em seguida, ele ficou com os olhos arregalados por ficar chocado com a cena catastrófica na sua frente.

Do outro lado, Aiko e os outros finalmente conseguiram recuperar seus sentidos quando Foss entrou. Seus olhares, que estavam dirigidos para David, foram naturalmente atraídos para a fonte do som explosivo.

Naquele lugar havia algo que Aiko e seus estudantes conheciam, mas na verdade nunca tinham visto. Era algo do outro mundo, algo completamente desconhecido para os ⌈Cavaleiros. Lá estava a figura de Hajime segurando um “revólver” enquanto estava sentado. Fumaça branca saía de [Donner]. Pelo menos a bala que ele disparou era uma bala de borracha não letal.

Apesar de eles não saberem dos detalhes, os ⌈Cavaleiros imaginaram que isso foi um ataque de Hajime, então eles simultaneamente colocaram suas mãos em suas espadas enquanto liberavam intenção assassina. Contudo, o que se seguiu imediatamente foi uma violenta intenção assassina incomparável a dos ⌈Cavaleiros. Foi como se eles estivessem sendo atacados por um martelo caindo do céu e os ⌈Cavaleiros que começaram a se levantar foram forçados a se sentar em seus assentos.

Embora eles não tenham sido cobertos pela intenção assassina, tendo sentido a pressão emitida por Hajime, Aiko e os outros ficaram pálidos enquanto tremiam.

Hajime colocou [Donner] na mesa e ela fez um barulho não natural. Seu propósito era ameaça-los. Seguido disso, ele claramente declarou seu posicionamento e perguntou onde Aiko e os outros iriam escolher ficar.

(Hajime): “Eu não tenho interesse em vocês. Eu nunca pensei em querer um relacionamento com vocês. Além disso, eu não vou dizer nada sobre o que aconteceu comigo ou o que eu quero fazer. Eu só estou aqui para trabalhar, então eu vou continuar minha jornada assim que isso terminar. É aí que vamos nos despedir. Aliás, não vamos interferir uns com os outros. Não importa que tipo de coisa egoísta vocês querem fazer, apenas não me atrapalhem. Exatamente como agora, se vocês se tornarem hostis… eu sou capaz de matar vocês”

“Entendido?”. Era o que os olhos de Hajime perguntavam, mas ninguém disse mais nada. Imediatamente, ele virou seu olhar para Chase e os ⌈Cavaleiros, que desesperadamente resistiam a ‖Pressão, e tudo o que eles podiam fazer era concordar com a cabeça levemente.

Em seguida, Hajime virou seus olhos para Aiko e seus estudantes. Aiko não disse nada. Não, era mais como se ela não pudesse. Não era apenas por causa dos sentimentos intimidadores que jorravam, mas também pelas palavras de Hajime, e como seu estudante mudou sem que ela soubesse. Isso não era algo que o orgulho de Aiko poderia permitir.

Hajime suspirou enquanto encolhia seus ombros e cancelava a ‖Pressão. Embora não houvesse resposta de Aiko, Hajime podia simpatizar um pouco com os sentimentos dela, então ele não a forçou a responder. Os outros estudantes estavam obviamente amedrontados, então ele imaginou que eles não se atreveriam a desafia-lo.

Com a enorme sensação de opressão extinta, os ⌈Cavaleiros caíram e suspiraram profundamente. Aiko e seus estudantes também estavam esgotados e sentaram em suas cadeiras. Como se nada tivesse acontecido, Hajime continuou sua refeição e conversou com a deprimida Shia.

(Hajime): “Oi, Shia. Isso é algo comum ‘do lado de fora’. Não precisa levar isso a sério, okay?”

(Shia): “Sim, é verdade… apesar de eu entender isso… como imaginei, para os humanos, essas orelhas são repugnantes”

Com autodesprezo, Shia acariciou suas orelhas com suas mãos e mostrou um sorriso amargurado. Para essa Shia, Yue sussurrou palavras de conforto com olhos sinceros.

(Yue): “…as orelhas da Shia são adoráveis”

(Shia): “Yue-san… é mesmo?”

Ainda assim, Shia continuava sem se convencer disso, então, desta vez, Hajime continuou com uma expressão um pouco impressionada. Como Yue dizia com frequência “Mau!” para ele, a atitude de Hajime com Shia suavizou pouco a pouco e ele tentou conforta-la com o máximo de sua habilidade.

(Hajime): “Você sabe que a educação deles foi praticamente lavagem cerebral da Igreja e dos nobres do |Reino|, então isso é apenas o sentimento de aversão deles. Você não sabe que a tribo dos ⌊Homens-Coelho é a número um na popularidade entre os Escravos domésticos? Em outras palavras, ninguém pensa em você como repugnante”

(Shia): “É is… é isso… u-umm, a propósito Hajime-san… umm… o que você acha… das minhas orelhas?”

Percebendo que essas palavras foram a forma de Hajime conforta-la, Shia se sentiu um pouco feliz. Então ela o perguntou com um olhar para cima e bochechas coradas. Como se dissesse, “Eu quero saber, mas ao mesmo tempo não quero”, suas orelhas de coelho abaixaram completamente e algumas vezes elas iriam se contrair na direção de Hajime.

(Hajime): “… eu não penso nada sobre elas…”

Dando uma rápida olhada nas orelhas de coelho, Hajime voltou seu olhar para sua refeição enquanto ele tentava engana-la e respondeu de forma mordaz. As orelhas de coelho caíram ainda mais como se elas se arrependessem de ter perguntado. Entretanto, com a próxima frase de Yue, elas imediatamente recuperaram sua energia enquanto se levantavam com um ] hyupa! [.

(Yue): “… elas são as favoritas de Hajime. Ele faz carinho nelas quando Shia está dormindo”

(Hajime): “Yue!? Você não prometeu não contar isso a ela!?”

(Shia): “Ha-Hajime-san… você gosta das minhas orelhas de coelho… ehehe”

Com suas bochechas completamente vermelhas, Shia tentou esconder seu sorriso com ambas as mãos e como se dissessem “Waaaai!”, suas orelhas de coelho estavam se movendo, expressando sua alegria.

A atmosfera desconfortável e tensa de massacre que pairava no ar até agora desapareceu como se fosse uma ilusão. A atmosfera tinha misteriosamente se tornado rosa, dessa forma, Aiko e seus estudantes, e até mesmo os ⌈Cavaleiros, estavam piscando em espanto. Por um tempo, eles observaram a interação de comédia romântica de Hajime, então, um dos alunos, Aikawa Noboru, murmurou.

(Noboru): “Huh? Que estranho. Apesar de até agora há pouco Nagumo estar realmente assustador, agora não é intenção assassina que está jorrando…”

(Akira): “Você também, huh. Aquelas duas, apesar de serem perigosamente fofas… apesar de elas estarem totalmente na minha zona de strike… mas flertar diante dos meus olhos é tortura para mim…”

(Atsushi): “… é como Nagumo disse, essas coisas não importam de verdade. Mas ter a habilidade de se dar bem com garotas de outro mundo… eu quero perguntar a ele como!? Noboru! Akira!”

(Noboru e Akira): “Heh, nós vamos para o inferno juntos Atsushi!”

Com seus olhos fervendo de inveja, eles encararam Hajime, que fez eles estremecerem há pouco tempo; era a sincronia dos três homens dos guarda-costas de Ai-chan. A atmosfera séria foi completamente dispersa. As alunas começaram a recuperar seus comportamentos originais e elas olharam para os alunos com olhos terrivelmente frios.

Chase, percebendo que o clima se acalmou, começou a curar David. Ao mesmo tempo, com sua cautela e hostilidade subjugadas, ele perguntou a Hajime com um sorriso. Além das circunstâncias de Hajime, havia algo que ele tinha que escutar de qualquer forma.

(Chase): “Está tudo bem chama-lo de Nagumo-kun? Sobre antes, meu Comandante foi rude. Não importa o motivo, nós somos guarda-costas de Aiko-san afinal, então só ficamos muito sensíveis quanto se trata de Aiko-san. De alguma forma, eu gostaria que você nos perdoasse”

Embora Hajime quisesse interrompe-lo e dizer, “Como excesso de sensibilidade se torna assassinato?”, mas a própria palavra “assassinato” o deixou incapaz de dizer qualquer coisa. Foi por isso que ele apenas acenou silenciosamente com sua mão para dizer a ele para parar com isso. Devido a esta atitude superficial, as sobrancelhas de Chase se contraíram levemente, mas o sorriso em sua poker face[1] não ruiu. Em seguida, com raciocínio rápido, como ele não poderia deixar as coisas assim, ele mudou o assunto para os itens parecidos com Artefatos na frente dele.

(Chase): “Eu assumo… que isso é um Artefato. Embora não posso ter certeza com meu conhecimento limitado, eu posso ver que ele é bem poderoso. Ele é muito mais rápido do que um aliás, ele também não precisa de encantamento ou um círculo mágico. Mas onde diabos você conseguiu isso?”

Apesar de ele estar sorrindo, os olhos de Chase não estavam. Julgando por suas palavras, como não havia a presença de magia sendo usada, ele pensou que a arma teria um mecanismo físico parecido com um arco e poderia ser produzida em massa[2]. Nesse caso, ela seria de grande ajuda na missão de dominar inimigos antes que a guerra fosse declarada. Entretanto, os ⌈Cavaleiros não eram páreo para Hajime, então ele ao menos queria obter informação dele.

Hajime olhou de relance para Chase. Seguido disso, antes que ele pudesse dizer qualquer coisa, ele foi interrompido por uma voz animada. Era um colega de classe, Tamai Atsushi.

(Atsushi): “É-é verdade Nagumo. Isso não é um revólver!? Mas como foi que você conseguiu isso!?”

Chase reagiu ao grito de Tamai.

(Chase): “Revólver? Tamai, você sabe algo sobre isso?”

(Atsushi): “Eh? Ah, isso mesmo, eu sei sobre isso. É uma arma do nosso mundo”

Os olhos de Chase brilharam com as palavras de Tamai. Mas na sequência, ele encarou Hajime.

(Chase): “Hou, em outras palavras, isso não é um Artefato deste mundo… se é assim, então ela foi feita por alguém de um mundo diferente… e é claro que o criador é…”

(Hajime): “Sou eu”

Hajime facilmente respondeu que ele fez a arma. Chase, por ter tido a impressão de que Hajime era uma pessoa reservada, ficou surpreso pela forma como ele admitiu isso com facilidade.

(Chase): “Você admite isso com tanta facilidade. Nagumo-kun, você sabe o que significa ter essa arma? Isso…”

(Hajime): “Isso poderia mudar completamente a situação da guerra neste mundo… certo? Isso é, se vocês puderem produzi-la em massa. Sobretudo, você quer que eu volte com vocês e ensine como fazer isso, ou algo desse tipo? Naturalmente, eu rejeito tudo isso. Desista logo”

As palavras de Hajime o deixaram completamente desamparado. Essas palavras pareciam ter sido preparadas de antemão. Mas Chase não desistiu. Isso mostrava o quão sedutor o revólver era.

(Chase): “Mas os Soldados com Levels baixos podem ficar com alto poder de ataque se isso puder ser produzido em massa. Quando isso acontecer, nós poderemos usar muitas pessoas na guerra iminente e nossas chances de vitória também vão aumentar muito. Se você cooperar, isso não seria o mesmo que ajudar sua professora e amigos? Nesse caso…”

(Hajime): “Não importa o que você diga, eu não vou cooperar. Se você tentar toma-la de mim, então isso significa que você é meu inimigo. Nesse momento… se prepare para ser aniquilado antes mesmo que a guerra comece”

As palavras calmas de Hajime causaram um calafrio em todo o corpo de Chase e ele fechou sua boca. Então, Aiko conseguiu interferir.

(Aiko): “Chase-san. Nagumo-kun tem suas próprias intenções. Por favor, não force o meu estudante. Nagumo-kun também, por favor, pare de dizer coisas tão extremas. Seja mais pacífico… Nagumo-kun, você realmente não vai voltar?”

(Hajime): “Ah, eu não quero voltar com vocês. Amanhã de manhã, depois de completar o pedido, eu vou partir”

(Aiko): “Por que…”

Aiko olhou para Hajime com uma expressão aflita, ela queria saber o motivo dele, mas Hajime se levantou de seu assento antes que ela pudesse perguntar. Sem o conhecimento deles, Yue e Shia também tinham terminado suas refeições. Embora Aiko tenha tentado impedi-lo, Hajime a ignorou e subiu as escadas para o segundo andar, acompanhado por Yue e Shia.

No momento em que Aiko e os outros foram deixados para trás, um clima sutil e indescritível estava no ar. Eles estavam felizes que o colega de classe que eles pensaram estar morto na verdade estava vivo. Mas para a pessoa em questão, eles pareciam nem mesmo ter sido registrados nos olhos dele. Além disso, ele ficou forte ao ponto em que era impossível compara-lo com sua versão do passado. Ele não era o mesmo que antes foi chamado de “incompetente” com desprezo enquanto eles o olhavam de cima.

Ademais, sobre o desdém, eles fingiram não notar Hiyama e seus amigos o intimidando. Na sequência do incidente do “fogo amigo”[3], eles se sentiram apenas mais endividados com a atitude ambígua de Hajime. Como resultado, ninguém podia proativamente chegar a Hajime.

A própria Aiko estava muito abalada pela mudança de seu estudante e furiosa pelo atual desenvolvimento em sua mente, então ela foi incapaz de deter Hajime.

Chase, enquanto olhava para David que estava sendo tratado a seu lado, parecia pensar em algo.

Com suas refeições completamente frias, os apetites deles também desapareceram. Sem olhar para a comida diante deles, todos começaram a pensar profundamente sobre como “Hajime sobreviveu” depois que ele os deixou.

Mas o que poderia mudar completamente uma pessoa dessa forma, o que Hajime pensou naquele momento quando o incidente do “fogo amigo” aconteceu, o que o atual Hajime pensava deles… era muito provável que ele guardasse rancor deles. Com esses pensamentos girando em suas mentes, todos eles ficaram deprimidos e o dia terminou.

 

※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※※

 

No meio da noite. Cercados pela noite, eles estavam completamente exaustos. Tanto fisicamente quanto mentalmente, graças ao desenvolvimento inesperado. Todos eles adormeceram, mas Aiko não foi capaz de dormir mesmo agora. O quarto de Aiko era um quarto individual, então não era um quarto grande. Um conjunto de mesa e uma cama de madeira, uma pequena lareira e um sofá de couro na frente dela. No inverno, o fogo certamente iluminaria o quarto e os hóspedes da pousada seriam aquecidos apenas ao vê-la.

Aiko estava pensando sobre o que aconteceu mais cedo, ela observava a lareira apagada enquanto confiava seu corpo ao sofá. O interior da cabeça de Aiko era como uma estante de livros bagunçada, com toda essa informação em desordem.

Mesmo que ela não pudesse pensar sobre isso, ela queria tentar. E a partir daí a cabeça dela que girava e girava em círculos não chegou a nenhuma opinião construtiva. Ela se lembrou do sorriso de quando descobriu que seu estudante estava vivo, então ela podia apenas franzir suas sobrancelhas por causa da atitude não amigável dele.

Ela viu um relance do poder de Hajime com o discurso e conduta de David, ela pensou que ele não teria sido capaz de sobreviver se ele não mudasse, e quanto sofrimento Hajime deve ter experimentado. Nesse ponto, ela só podia suspirar porque não havia como ajuda-lo. No entanto, ela se lembrou da interação dele com as duas garotas, ela pensou que ele deve ter encontrado companheiras que ele poderia confiar e ela sorriu de novo.

E, subitamente, uma voz apareceu dentro do quarto onde não deveria haver ninguém além dela.

(Hajime): “Por que você continua mudando sua expressão Sensei?”

(Aiko): “Kh!?”

Aiko se virou para a fonte da voz com os olhos arregalados. Lá estava Hajime, de pé na porta com os braços cruzados. Aiko estava tão surpresa que ela ficou incapaz de dizer nada, mas de alguma forma ela conseguiu falar.

(Aiko): “Na-Nagumo-kun? Po-por que você está aqui, como…”

(Hajime): “Mesmo que você me pergunte como, eu só vim pela porta, nada mais, nada menos”

(Aiko): “Eh, mas o trinco…”

(Hajime): “Minha Classe é ⌈Mestre da Transmutação, sabia? Diferente das fechaduras da Terra, eu posso abrir este tipo de mecanismo de trava”

Hajime respondeu tranquilamente, o que surpreendeu Aiko por um tempo. O coração dela palpitava ruidosamente em surpresa e isso conseguiu acalma-la. Ela franziu o cenho, então o criticou.

(Aiko): “Em tal horário, além disso, é grosseiro repentinamente invadir o quarto de uma mulher sem nem mesmo bater. Para abrir o trinco de propósito… mas o que é que você quer?”

Por um momento, a palavra yobai[4] apareceu na mente de Aiko, mas ela imediatamente apagou esse pensamento. Ela sacudiu sua cabeça levemente enquanto se lembrava do fato de que a outra pessoa era seu aluno. Hajime apenas evitou a bronca de Aiko como um salgueiro soprado pelo vento e ele a disse o motivo para esta visita imprudente.

(Hajime): “Bom, eu sinto muito por isso. Eu só não queria que alguém soubesse sobre esta visita. Eu queria falar com a Sensei, mas antes, havia os caras da Igreja e do |Reino|, então eu não pude fazer isso. Afinal, o conteúdo desta conversa pode irritar essas pessoas”

(Aiko): “Uma conversa? Nagumo-kun, estaria tudo bem falar com a Sensei e os outros…”

Por acaso, ela pensou que ele queria voltar com eles, e os olhos de Aiko brilharam de expectativa. Se fosse uma consulta de seu estudante, então era como se o quarto fosse o escritório da professora. Mas suas expectativas foram imediatamente negadas por Hajime.

(Hajime): “Não, eu não quero voltar, entendeu? Então pare de me olhar com esses olhos cheios de expectativa… o que eu quero falar agora é algo que eu acho que a Sensei será a mais calma para escutar isso. Depois desta conversa, eu vou deixar o que você quer fazer para você mesma”

Dizendo isso, Hajime começou a falar sobre a história dos ⟦Libertadores e dos Deuses Loucos que ele escutou de Oscar.

Hajime obviamente tinha seus próprios motivos para contar esta história para Aiko. De acordo com as intenções dos Deuses, Kouki e os outros estavam sendo manipulados para dançar no jogo deles e os Deuses nunca pretendiam devolve-los para seu próprio mundo. Para salvar a raça humana da raça dos Demônios, em outras palavras, vencer a guerra iminente era o resultado dos Deuses puxando os fios atrás do palco. Os próprios heróis eram apenas peças interessantes que eles reuniram sem nenhuma razão real. Em vez disso, eles só pensavam que era mais apropriado começar um novo jogo usando os heróis.

Contudo, para Hajime, não havia motivos para explicar diretamente isto para Kouki e os outros estudantes. Ele não tinha interesse sobre o que seus colegas de classe queriam fazer e isso também seria apenas um aborrecimento para ele. Mesmo que Hajime dissesse a ele, aquele homem, que acreditava que a justiça sempre residia com a maioria, não acreditaria nele.

Como ele estava sozinho, entre as palavras de um garoto que mudou drasticamente e as palavras daquele que o pediu que salvasse a maioria, ele nem mesmo pensaria sobre em quem eles deveriam acreditar. Ou melhor, como muitas pessoas acreditava e adoravam Eht-sama, ele só seria ridicularizado e criticado. Por isso, Hajime não queria se relacionar com Kouki.

No entanto, por coincidência atrás de coincidência, isso resultou em seu encontro com Aiko. O próprio Hajime sabia que os princípios de Aiko sempre estavam centrados em seus estudantes. Em outras palavras, independentemente das circunstâncias deste outro mundo, ela iria calmamente tomar uma decisão pelo bem de seus alunos. Depois disso, julgando pelas atitudes de seus colegas no dia de hoje, e como eles ansiavam pelo Japão, se fosse Aiko, com certeza as palavras dela seriam capazes de influencia-los. Esses eram os pensamentos de Hajime.

Embora ele não soubesse como a influência dela iria mudar as ações deles. Com esta informação, se o movimento de Kouki e os outros se tornasse diferente do que os Deuses desejavam, eles certamente colocariam mais atenção nos outros estudantes. Hajime já sabia que sua existência iria se destacar muito quando ele viajasse para conquistar os |Grandes Calabouços| e havia a possibilidade de receber a interferência dos Deuses. Era por isso que, ao passar a informação indiretamente usando alguém em que eles confiavam, ele poderia reorganizar as ações de Kouki e os outros. Assim, ele poderia atrasar o momento em que seria notado pelos Deuses. Seu único objetivo era desviar a atenção para longe dele.

Além disso, sem confiar nos Deuses, o objetivo de Hajime era procurar diferentes formas para eles voltarem. Ademais, exatamente como os ⟦Libertadores, ele queria mostrar a Kouki e os outros como seus aliados originais se tornaram inimigos manipulados, era a intenção dele plantar a semente da desconfiança contra esses Deuses.

Em primeiro lugar, ele só foi capaz de pensar nesta ideia devido ao encontro por acaso com Aiko, então Hajime nunca esperou nada demais. Para Hajime, não havia rancor nem ódio contra seus colegas de classe. Ele só sentia indiferença por eles. Se eles pudessem ser usados, então ele os usaria e ele os deixaria em paz se eles não parecessem úteis. Era por isso que ele não revelou esta informação por acaso.

Escutando a verdade deste mundo por Hajime, Aiko estava pasma. Não havia como saber se ela realmente entendeu isso. Processando esta informação, não importava que tipos de ideias ela tinha, isso ainda levou mais tempo para ela.

(Hajime): “Bem, isso é tudo. Foi isso o que ele veio a saber nas profundezas do Abismo. Eu vou deixar o que fazer depois de saber disto para a Sensei. Está tudo bem pensar que isso é apenas conversa fiada e também está tudo bem agir se você pensar que isso é verdade. Só faça o que você quiser fazer”

(Aiko): “Na-Nagumo-kun, não me diga que para lidar com esses ‘Deuses Loucos’… você começou a sua jornada?”

(Hajime): “Hah, é claro que não. Eu sinto do fundo do meu coração que não importa em nada o que aconteça com este mundo. Eu só estou procurando por um método para retornar. É por isso que eu parti nessa jornada. A razão para eu te dizer isto foi porque me pareceu conveniente, isso é tudo”

Aiko estava com uma expressão sutil e indescritível porque ele bufou para a pergunta dela. Apesar de ela estar aliviada por ele não precipitadamente se atirar de cabeça no perigo, ela não poderia fazer nada além de franzir o cenho como uma professora pela forma tão fácil que ele disse que iria rejeitar os outros. Porém, ela própria também fez de seus estudantes sua principal prioridade neste mundo, então ela não poderia dizer nada em resposta a ele. Como resultado, ela tentou mudar o assunto com uma expressão suave.

(Aiko): “Você acredita nisso?”

(Hajime): “Isso mesmo. Os |Grandes Calabouços| são as chaves. Está tudo bem se você investigar isso se você tiver interesse. Assim que você passar do 100º andar de |Orcus|, vocês alegremente encontrarão o verdadeiro |Grande Calabouço|. Em primeiro lugar, olhando para suas aparências hoje, vocês vão morrer imediatamente se forem para lá. Está fora de questão se vocês não podem ignorar a ‖Pressão daquele nível”

Aiko foi lembrada da pressão que jorrou de Hajime durante o jantar. Seguido disso, ela abriu seus olhos cheios de sentimentos complexos de simpatia, admiração e outros vários sentimentos quando ela pensou de novo sobre as condições extremas que ele deve ter vivido.

Por um tempo, o silêncio deles continuou. O quarto estava cheio com o silêncio. Hajime estava certo que a informação foi recebida depois de olhar para a aparência de Aiko. E como ele não tinha mais nenhum assunto, ele imediatamente girou em seus calcanhares e caminhou até a porta. Atrás dele, Aiko o falou sobre uma certa aluna que ela se lembrou quando eles conversaram sobre o |Calabouço Orcus|.

(Aiko): “Shirasaki-san ainda não desistiu de você”

(Hajime): “…”

Hajime parou de andar devido a essas palavras inesperadas de Aiko. Então, Aiko falou suavemente com as costas de Hajime na frente dela.

(Aiko): “Embora todos acreditem que você morreu, ela é a única que não desistiu de você. Antes que ela confirme com seus próprios olhos, ela acreditará que você ainda está vivo. Mesmo agora, ela ainda está lutando no |Grande Calabouço Orcus|. Mesmo que Amanogawa-kun e os outros só estejam indo para o |Calabouço| para treinar, o único propósito dela é procurar por você”

(Hajime): “… Shirasaki está bem?”

Depois de um longo silêncio, Hajime perguntou a Aiko. Hajime, que assumiu uma atitude indiferente com eles, começou a perguntar sobre outra pessoa com palavras de preocupação. Aiko, que descobriu que o Hajime original ainda existia, mostrou uma expressão alegre.

(Aiko): “Si-sim. Apesar do |Grande Calabouço Orcus| ser um lugar perigoso, a habilidade dela se desenvolveu bem e ela continua a conquistar o |Calabouço|. Algumas cartas vieram dela. Você está curioso sobre ela? Nagumo-kun e Shirasaki-san se davam bem afinal”

Aiko falou com um sorriso brilhante, mas Hajime só olhou para trás sem nenhuma expressão sobre seu ombro sem negar ou afirmar nada.

(Hajime): “Embora eu não queira dizer nesse sentido… é bom que você diga isso a ela quando vocês trocarem cartas. Que ela deveria tomar cuidado não com as Feras Mágicas do |Calabouço|. Mas com seus companheiros”

(Aiko): “Eh? O que você quer…”

(Hajime): “Sensei, eu já posso deduzir a situação pela atitude de Tamai e dos outros de hoje. A causa para eu cair na batalha contra o 〈Behemoth, vocês acham que foi apenas um acidente… não é?”

(Aiko): “É-É que… sim. Alguma magia ficou fora de controle e resultou em um fogo amigo acidental… Nagumo-kun ainda guarda rancor contra todos depois de tudo…”

(Hajime): “Eu não penso nada disso. O que eu quero te dizer é isto. Fogo amigo? Isso não é a verdade. Aquilo foi um disparo mágico especificamente lançado comigo como o alvo”

(Aiko): “Eh? Especificamente lançado? Direcionado, você diz?”

A expressão de Aiko dizia que ela não podia entender o que ele queria dizer. Mas Hajime deixou palavras que impiedosamente aumentara as preocupações de Aiko.

(Hajime): “Isso significa que um colega estava tentando me matar”

(Aiko): “Kh!?”

Aiko estava aturdida e seu rosto empalideceu, “Eu só sei que o culpado é alguém relacionado a Shirasaki, é alguém que é capaz de matar outra pessoa por inveja. Como ela ainda está bem, é melhor avisar Shirasaki para tomar cuidado com um ataque pelas costas”. Depois de deixar esta mensagem, Hajime saiu do quarto.

] Shin [, houve uma ilusão de vento frio soprando dentro do quarto e Aiko abraçou seu próprio corpo com ambos os braços. Havia uma possibilidade de que um de seus preciosos estudantes teria tentado matar um companheiro. Além disso, essa pessoa usou um método covarde ao mirar nas costas de Hajime quando ele estava à beira da morte. Para Aiko, que estimava seus estudantes, isso era algo que ela não poderia aceitar facilmente. Mas ela não poderia negar as palavras de Hajime sem nenhuma evidência. A mente dela que queria acreditar em seus estudantes colidia com essas ideias.

Com suas preocupações se agravando, as noites de insônia de Aiko aumentaram.


Tradutor: TraduzindoNovels



[1] Poker face é uma cara que tenta não demostrar nenhuma expressão da pessoa. Ganhou esse nome por ser muito utilizada em campeonatos de pôquer.

[2] Produção em massa é o termo que designa a produção em larga escala de produtos padronizados através de linhas de montagem. Este modo de produção foi popularizado por Henry Ford no início do século 20, particularmente na produção do modelo Ford T. A produção em massa se tornou um modo de produção muito difundido pois permite altas taxas de produção por trabalhador e ao mesmo tempo disponibiliza produtos a preços baixos.

[3] Fogo amigo (em inglês Friendly fire) é uma expressão eufêmica utilizada militarmente quando se trata dos aspectos de ataques aliado a aliado, ou inimigo a inimigo. Tal expressão ganhou maior reconhecimento, pois nas guerras atuais, em que não existe tanto contato físico com o inimigo, a simples suposição de um alvo faz com que o soldado queira abate-lo, antes que o inimigo o faça. Isso é a grande causa de vítimas aliadas em guerras.

[4] Yobai (literalmente “rastejar a noite”) é um costume antigo no Japão que era normalmente praticado por homens jovens e solteiros para terem relações sexuais com mulheres indo até o quarto delas no meio da noite. Era algo comum por todo o Japão e era praticado em algumas áreas rurais até o início da Era Meiji (1867-1912) e até mesmo durante o século 20.


Fontes
Cores