Arifureta – Capítulo 152 – A chave que abre a porta do mundo


Junto com as palavras de Hajime e Yue, que pareciam uma oração, a luz pintou a sala de forma explosiva, bem como as consciências dos presentes. Foram em especial as vontades fortes do Sinergista e da vampira apoiadas em seu alinhamento que foram preenchidas dentro dessa luz.

A grande torrente de vontade deixou Shia e os outros incapazes de pensar em qualquer coisa e ficaram inconscientes, mas isso foi apenas por um momento. Pouco antes de seus corpos flácidos caírem no chão, o branco puro que enchia sua mente desapareceu como uma névoa clara.

Mesmo cambaleando um pouco, todos os presentes restauraram suas posturas e balançaram as cabeças. Eles então viram um belo esplendor diante deles. Radiâncias carmesim e dourada que pareciam estar sugando toda a luz cobriam cada centímetro da superfície daquela chave transparente. Era um artefato característico que parecia antigo com sua forma de cristal que tinha um padrão complicado e delicado e doze lados exatos… a “Chave de Cristal”.

— Esperem, Hajime-san! Yue-san! Vocês estão bem!?

Shia voltou a si com um — Rá! — e correu em direção a eles em pânico. Ao lado da Chave de Cristal, Hajime e Yue estavam deitados com as mãos ainda dadas enquanto pareciam desmaiados. Kaori e as outras também estavam correndo logo após Shia.

— Kaori-san, os dois…

— … hm, eles estão bem. Parece que eles só desmaiaram. A causa é a exaustão do poder mágico.

Depois de examinar os dois com uma expressão séria, a Curandeira respondeu com um sorriso para a apreensiva Shia. O resultado do exame fez Tio e o resto do grupo respirarem aliviados também.

Kaori extraiu o poder de um cristal mágico e deu a ambos ao mesmo tempo, usando a técnica de transferência de poder mágico. Então, como se para provar que o resultado do exame estava correto, Hajime e Yue emitiram sons de gemidos enquanto abriam os olhos.

— Aa? O que aconteceu?

— … nnu. O artefato…

Kaori explicou a situação quando os dois se levantaram enquanto balançavam a cabeça, ela também entregou a Chave de Cristal enquanto explicava.

— Vocês dois desmaiaram por exaustão de poder mágico. Por enquanto, dividi o poder mágico de um cristal mágico de forma igual entre vocês dois. Quanto ao artefato, eu realmente não entendo, mas…

— Entendo. Obrigado Kaori. Faz muito tempo desde que desmaiei de exaustão de poder mágico. Eu não sabia a quantidade necessária, então fizemos isso com força total naquele momento, mas… da próxima vez poderemos regular isso, eu acho.

— … nn. Está tudo bem. De alguma forma, eu entendi o truque. Embora o problema seja saber se podemos manifestar uma vontade no grau que possa ser sublimado em um conceito.

Yue respondeu as palavras de Hajime enquanto tinha um olhar contemplativo. O Sinergista examinou a Chave de Cristal na mão com seu olho mágico. O artefato continha o poder mágico que não podia ser comparado com todos os outros artefatos que ele havia criado até agora.

— … é um resultado satisfatório. Sinto um grande poder nela. A sensação parece com a da bússola da orientação.

O Sinergista mostrou um sorriso satisfeito ao designar uma coordenada para um determinado local usando a “Bússola da Orientação” para um teste. Então ele derramou poder mágico na chave de cristal para ativá-la e empurrou-a para a frente. Mesmo que “Abra a porta para o local desejado” tenha sido dito, se a distância do destino e a imagem do local conectado não pudessem ser imaginadas até certo ponto, o espaço não seria conectado.

A chave de cristal era semelhante ao artefato em forma de chave de transferência espacial, “Chave do Portal”, e ela mergulhou no espaço onde não havia nada e ondulações se espalharam como seu criador imaginou.

No entanto, ele carregava um poder mágico que não podia ser comparado com uma Chave do Portal. Além disso, diferente da Chave do Portal, que tinha as coordenadas fixadas de antemão, era necessário fixar a coordenada espacial com apenas essa chave de cristal, por isso ela demorava um pouco mais de tempo. Além disso, ela estava consumindo seu poder mágico de forma constante.

Hajime franziu a testa para o poder mágico que estava fluindo como se uma rolha tivesse sido removida, mesmo assim, ele ainda girou a chave de cristal. E o resultado foi que o espaço à sua frente tremeu, um buraco em forma de elipse começou a se abrir.

Do buraco, por algum motivo, havia sons de golpes e outros cativantes de “Aan!” de uma mulher que eram audíveis.

Em pouco tempo, dentro do portal que se abriu por completo…

— Essa porca descaradaaaa. Vou te fazer ascender aos céus!

— Aa! Kam-samaaa! Como esperado, do honrado pai de Shia! Incríveeeeel!!

A figura caída de Arutena sendo amarrada com uma expressão extasiada no rosto, enquanto a figura de Kam, que estava a amarrando, foram exibidas.

A cena subitamente manifestada, que parecia horrível em um significado diferente da cena de algum tempo atrás, fez os queixos de Hajime e Yue caírem, assim como todos os outros membros, excluindo Tio.

Ao mesmo tempo, talvez sentindo a presença de Hajime e dos outros do outro lado do portal, Kam estava se virando com uma expressão de “Ó?”, ele viu as figuras do Sinergista e seu grupo diante de seu olhar e seus olhos se arregalaram.

— Che-chefeeee!? Por-por que o portal do chefe, nesse tipo de lugar!?

— Eh? Espere Shia! Além disso, Hajime-sama e seu grupo também!

Em direção aos chocados Kam e Arutena, Hajime e Yue falaram com palavras frias.

— … ioo. Parece que estamos nos intrometendo no meio da sua diversão.

— … nn. Quem poderia imaginar que vocês dois estão nesse tipo de relacionamento? Shia, tenha força.

— Fufu, ó minha camarada Arutena. Parece que tu encontraste um bom mestre.

Ignorando Tio, que estava estranhamente alegre, Kam estava: — Is-is-is-is-is-isto é um mal-entendido desuu! —, ele estava dando desculpas de forma desesperada com as falas de Hajime e Yue com um tom que era o mesmo que o de sua filha, porém…

Houve uma coelha que voltou aos seus sentidos enquanto tremia. A emoção violenta que surgiu de dentro de seu corpo se tornou um poder mágico ondulante que explodiu. Shia, que estava de pé em silêncio, pegou Drücken com força. E então, com olhos que perderam a luz, ela encarou Kam e Arutena do outro lado do portal. “Jakin!” Tal som surgiu e o cano do modo de canhão da marreta foi apontado.

— Es-espere Shia! Você está cometendo um grave erro! Seu pai não é de forma alguma…

— Shia! Kam-dono é uma pessoa magnífica, não é!? Como esperado do pai honrado de Shia! Eu, que estava apenas tentando buscar um pouco de seu efeito pessoal, sou tratada com violência! Além disso, o controle de força dele é excelente!

A justificativa desesperada de Kam foi esmagada por Arutena, que sorria. — Sua vadia, cale a boca! — O corpo de Arutena estremeceu com o brilho nos olhos que Kam dirigia a ela. Parecia que já era tarde demais para ela.

E assim, parecia que a elfa estava sendo condenada por roubar os objetos pessoais deixados pela garota-coelho por mero capricho. Mas mesmo que houvesse uma circunstância que parecesse plausível, Shia testemunhou essa cena anormal em que seu pai, em carne e osso, parecia um pouco animado em balançar o chicote contra Arutena. Uma namorada da mesma idade dela…

— Só morram vocêêês doiiiis, esses pervertidooos!

O gatilho foi acionado sem mais perguntas sendo feitas. Projéteis sólidos explosivos foram disparados. Hajime fechou os olhos com uma oração para que eles pudessem entrar no nirvana1 enquanto fechava o portal no momento em que a bala passou. Pouco antes do portal estar fechado, houve um som de explosão com os gritos audíveis de — Gyaaaaa! — e — Aaaaaan!! —, mas não havia ninguém presente que prestou atenção.

— … nn. Shia, seja forte.

— Está tudo bem Shia. Isso foi… sim, isso foi apenas um pouco de loucura momentânea. Seu pai deve ter aberto os olhos com o ataque de agora, com certeza.

— … soluça, Yue-san, Kaori-san, obrigada por sua consideração desuu. Mas meu pai com certeza não vai morrer só com aquele ataque, então, antes de partirmos para o mundo de Hajime-san, vou pôr um fim em sua vida primeiro desuu… uu, farei com que ele vire carne moída desuu.

Parecia que, de modo proporcional à quantidade de poder mágico que a chave de cristal usava, era possível literalmente “abrir uma porta para o local desejado”, o uso experimental da magia conceitual conferida ao artefato “Chave de Cristal”, que foi feito de forma despreocupada, resultou em algo que fez uma filha decidir matar seu próprio pai.

— Aa, o que posso dizer Shia? Vou corrigir a falha de Kam, de qualquer maneira, pare de chorar.

— Uu, Hajime-saan!

Shia pulou no peito do Sinergista que sorria sem graça.

Ao lado dele: — O relacionamento de Nagumo-kun e Tio-san não é tão diferente assim… —, essas palavras que Suzu sussurrou foram ignoradas.

Depois disso, os outros, cujas expressões ficaram sem palavras porque a atmosfera séria foi levada para longe, se reuniram na sala de estar mais uma vez.

— Muito bem, no primeiro teste, apareceram vários aspectos ruins que se destacaram, mas…

Hajime confirmou que todos haviam se sentado e levantou a chave de cristal para que todos pudessem vê-la, e então, com um sorriso largo, ele proferiu aquelas palavras, as palavras de esperança.

— O método para voltarmos para casa está em nossas mãos.

Naquele momento, Suzu foi a primeira a pular e expressar sua alegria. Atraído por isso, Ryutaro soltou um rugido feliz enquanto fazia uma pose de comemoração. Shizuku e Kaori se abraçaram com enormes sorrisos. Até Kouki, cuja expressão tinha estado sombria o tempo todo, sorriu um pouco.

— Embora eu diga isso, criar um conceito que obstrua a invocação futura será mais difícil do que criar um conceito para voltar para casa. Sobretudo como um aspecto da vontade. Parece que tentativa e erro serão necessários, então ainda não podemos voltar para casa por um tempo.

— Não há o que fazer. Mesmo assim, só de ouvir que podemos ir para casa… isso é real… incrível. Soluço, Hajime-kun, obrigada…

Kaori foi às lágrimas enquanto segurava a mão de Hajime com força.

Esse “obrigado” estava preenchido com vários significados. Com certeza também estava incluindo seu sentimento depois de olhar para aquelas imagens. Sobre como ele havia sobrevivido, sobre como ele não desistiu de nada, sobre como ele correu para ela quando a garota estava em perigo, sobre como ele ficou bravo várias vezes por ela porque a Curandeira era importante para ele, e agora, sobre como ele obteve o método para voltar para casa… vários significados preencheram esse agradecimento.

Hajime coçou a bochecha usando a mão que não estava sendo apertada enquanto encolhia os ombros, impotente, então ele abraçou Kaori de volta de forma gentil. Por um momento, os olhos da curandeira se arregalaram com o choque, mas ela logo ficou toda sorrisos e abraçou de volta com força. Ela também esfregou o rosto no peito de Hajime.

Até Yue mostrou uma expressão como se dissesse: — Bem, eu vou perdoar desta vez. — Ela encolheu os ombros e sorriu para a Kaori bajuladora.

Por outro lado, Shizuku estava olhando sua amiga com um pouco de inveja, mas, no mesmo instante, ela olhou para Kouki e balançou a cabeça e seu olhar se tornou agradável. Se ela tivesse que dizer o que pensava, também queria ser mimada por Hajime, mas pensando na possibilidade da mente instável do Herói, ela se conteve.

Mas, embora estivesse lendo o humor, ela também havia se resolvido, para ser sincera e estava planejando em segredo como seria mimada por Hajime mais tarde. Ela não entendeu se poderia superar sua timidez e pedir para ser mimada, mas… pelo menos ela jurou que seguraria a mão dele! Ela estabeleceu esse pequeno objetivo.

Apesar do fato de ela já ter beijado sua bochecha, normalmente, Shizuku era inocente até o fim.

De alguma forma, o Sinergista adivinhou o sentimento da Espadachim pelo seu olhar, onde residia uma ambição tão fofa, mas ele olhou para o outro lado e acariciou os cabelos da Curandeira enquanto falava sobre o que aconteceria daqui em diante.

— De qualquer forma, estou pensando em visitar Myuu e os outros, enquanto também me esforço para criar o artefato para obstruir invocações. Abrir um portal na casa dela também será bom, mas a chave de cristal é algo que usa o poder mágico de forma proporcional à conexão do espaço; portanto, se vamos abrir um portal até a Terra, o poder mágico é três ou quatro vezes maior que o meu total de poder mágico atual, é por isso que quero evitar o uso desse artefato o máximo possível.

A propósito, as doze superfícies do cristal presos ao lado da alça da chave tinham a função de armazenar a quantidade de poder mágico que poderia ser usado para abrir um portal para a Terra uma vez. Talvez fosse melhor dizer que isso era esperado de seu consumo de magia; o consumo usado como combustível era muito elevado.

Até o portal que ele abriu de forma experimental para o mar de árvores agora há pouco consumiu uma quantidade considerável do poder mágico que Kaori restaurou para ele. Se fosse um transporte dentro do mesmo mundo, usar a “Chave do Portal” seria muito mais conveniente, embora fosse necessário definir a “Abertura do Portal” como destino de antemão.

A propósito, a “Chave do Portal” foi algo desenvolvido enquanto eles estavam na capital, então não havia nenhum na cidade marítima de Myuu e sua mãe Remia. Para ir encontrá-las, eles usariam o dirigível “Ferner”.

— Então, durante esse intervalo, Suzu e os outros vão para o território dos demônios. Como vocês colocaram as mãos nas magias da era dos Deuses depois de muita dor, é possível que Suzu vá para lá acompanhada por um monstro poderoso, porém…

Graças ao seu descanso, seu poder mágico e vitalidade quase se recuperaram por completo. Se fosse agora, eles poderiam tentar invocar a magias da era dos Deuses.

Mas, de forma lamentável, o interior da caverna de gelo e neve só tinha monstros do tipo gelo. Deixando isso de lado, eles estavam dentro do labirinto onde a magia do fogo era difícil de ser usada, assim, seria fácil ter seu ponto fraco apontado para o mundo exterior. Além disso, seu principal ponto forte, que era sua capacidade de regeneração, utilizava o gelo do ambiente, o que também não poderia ser usado no exterior. Dizendo de forma mais clara, esses eram monstros que não se adequavam a segui-los para o mundo exterior. A razão pela qual não havia monstros do tipo de gelo entre o exército de Freed também se devia a esses motivos.

Ao ouvir isso, o Sinergista fez uma cara pensativa e de repente pegou uma Chave do Portal que ele jogou para Suzu. Em pânico, as mãos da garota se moveram e de alguma forma pegaram o item antes de ele cair.

— Eu e Yue descansaremos um pouco mais até que nosso poder mágico se recupere por completo. Essa chave do portal está conectada a abertura do portal em Faea Belgaen, então que tal você tentar fazer com que os monstros do Mar de Árvores a sigam? Existem muitos monstros hábeis em ocultar sua presença. Se você os fizer se submeter e fortalecê-los, acho que serão bastante úteis.

— Entendo… sim, Suzu tentará isso. Obrigada Nagumo-kun!

Hajime acenou com a mão apática para a Mestra de Barreiras, que estava sorrindo com alegria.

Como resultado, Suzu e os outros iriam ao Mar de Árvores para caçar monstros enquanto Hajime e as outras descansavam. Kouki seguiu com o grupo de Suzu sob o pretexto de ajudar, mas com certeza isso foi apenas porque ele odiaria ser deixado para trás com Hajime, essa hipótese não parecia estar errada ao ver a expressão complicada do Herói.

Além disso, Yue, Shia e Tio estavam ficando para trás. Eles não iam embarcar no território dos demônios, por isso era desnecessário que eles expandissem sua força de combate. Somente Kaori iria com o grupo de Suzu porque estava preocupada com Shizuku.

Depois disso, Hajime e seu grupo se concentraram por um tempo em recuperar seu poder mágico e em repô-lo com o cristal mágico enquanto passavam o tempo relaxando. Até o Sinergista estava aproveitando um pouco da atmosfera calma que ele nunca mostrara até agora. Ele até permitiu a Tio um abraço e algumas carícias, olhando para Hajime, que estava expondo uma atmosfera um tanto doce, foi a própria ryujin quem estava mais chocada.

A aquisição do método para voltar para casa com certeza havia concedido uma margem de segurança no coração do rapaz. Tio, que fez um movimento na esperança de ser abusada, de modo inesperado, foi abraçada com olhar gentil e um gesto com a mão; a ryujin estava agindo de forma tímida e inquieta de maneira tão constrangida que faria com que alguém observando quisesse retorquir: — Para onde foi a pervertida de sempre!? —, enquanto ela bajulava Hajime com tudo de si.

— Muu, o mestre é gentil… esta pensou que ser machucada era o melhor, mas isso também não é ruim à sua própria maneira, ou talvez esta devesse dizer que esse é um sentimento assustadoramente feliz. Embora também seja embaraçoso no mesmo nível.

— Tio-san, se você fosse assim sempre, você seria uma mulher encantadora sem nenhuma falha, mas, apesar disso…

— … nn. Como pensei, talvez, Hajime devesse assumir a responsabilidade.

Olhando para Tio, que estava confiando seu corpo no peito do Sinergista com uma expressão derretida enquanto seu rosto estava vermelho, Shia e Yue estavam sorrindo de forma irônica enquanto sussurravam. A declaração da vampira fez Hajime não poder deixar de sorrir com amargura.

— Bem, depois de chegar tão longe, se eu ouvir Tio chamando outro homem de mestre, não será uma boa sensação…

— Ho-hou? Mes-mestre. Que-que tipo de significado isso teria… será possível, que é semelhante a Shia, esta também…

— Você sabe, é como se você fosse um vira-lata sem valor ao qual eu já me apeguei emocionalmente e decidisse abanar o rabo para outro cara com tanta facilidade quanto eu movimento minha mão, isso seria irritante, não seria?

— Nnn, em um momento como esse, ser tratada como um cachorro… além disso, com “inútil” sendo associado. Haa, haa, ser mimada e ter uma expectativa antes de ser abusada, que técnica avançada. Haa, haa, nnaa, que avassalador!

O dragão inútil que estava no calor eterno empurrou seu rosto de maneira tímida no peito de Hajime enquanto a parte inferior de seu corpo esfregava a cintura do garoto. No entanto, olhando para o Sinergista, que estava deixando Tio encantada o tempo todo, ele também estava como ela. Os olhares exasperados de Yue e Shia apunhalaram o rapaz.

Enquanto fazia tal coisa estúpida, no momento em que a reposição do poder mágico em todos os cristais terminou, um portal se abriu mais uma vez e Suzu e companhia voltaram. Atrás das garotas, enormes tigres e lobos, e depois cobras e outras figuras, monstros de alto nível, mesmo dentro do mar de árvores, estavam lá. Parecia que eles conseguiram fazer com que as feras se submetessem.

Depois disso, Suzu e seu grupo aumentaram a força dos monstros usando um reforço sob a orientação simples de Yue e Tio. Além da ajuda das duas especialistas em magia, os monstros que foram fortalecidos de forma considerável foram presos a colares feitos por Hajime. O colar tinha uma abertura do portal inserida para que os alunos usassem a chave do portal, assim eles poderiam chamar os monstros a qualquer momento. Em situações comuns, eles poderiam apenas deixar as feras fazerem o que quisessem no mar de árvores ou em qualquer outro lugar.

Assim, o poder mágico do Sinergista e da vampira também foi recuperado, por fim eles deixaram o Grande Calabouço de Gelo e Neve. Hajime e seu grupo viajariam por toda a parte com pessoas que queriam ir para casa com eles e com as pessoas que queriam se despedir deles enquanto tentavam criar um artefato para impedir futuras invocações. Suzu, Shizuku, Kaori, Ryutaro e Kouki, os cinco iriam para o território dos demônios onde Eri estava localizada.

— Hajime-san, aqui.

Quando eles saíram da mansão de gelo, Shia entregou um pingente modelado como uma gota d’água pingando. Dentro da pedra transparente azulada que era como gelo, o emblema de Vandol Shunee estava gravado. Essa era a prova de que eles haviam conquistado o Grande Calabouço de Gelo e Neve. Depois que Hajime e Yue desmaiaram, uma parte da parede dentro da sala derreteu e essa prova parecia ter sido coletada.

Ao receber isso, o Sinergista caminhou para cima do círculo mágico desenhado no ponto de apoio bem em frente à fonte. No momento em que o pé de Hajime entrou no círculo mágico…

Biki, biki.

Esse som se tornou audível e a fonte diante de seus olhos começou a congelar e aos poucos inchou. Desse modo, ela se tornou uma enorme massa de gelo em forma de ovo, com quase dez metros, e em pouco tempo, a expansão e o congelamento pararam, em seguida: “barin!”, esse som surgiu e o gelo se estilhaçou e se espalhou.

O que apareceu de dentro dos restos quebrados foi um dragão feito de gelo. Um magnífico dragão brilhante que parecia transparente como se tivesse sido criado a partir de cristal.

O dragão de gelo abaixou a cabeça diretamente abaixo dos pés de Hajime, onde seu pescoço comprido fazia uma inclinação. Parecia que montar neste dragão de gelo era o atalho para esse grande calabouço.

— Este também é um atalho fantástico, hum.

— … nn. Um presente?

— Essa consideração está muito longe da repugnância do conteúdo do desafio, não é?

Cada um deles deixou escapar sua impressão enquanto balançavam a cabeça um para o outro, depois cruzaram o pescoço onde as escamas eram como uma ponte e subiram nas costas do monstro.

Em seguida, o dragão de gelo bateu as asas grandiosamente e subiu de uma só vez. O teto de gelo estava se aproximando em um piscar de olhos, mas logo antes de baterem, o teto derreteu e um buraco se abriu, um pilar cilíndrico foi criado.

O dragão de gelo não diminuiu a velocidade e entrou naquele caminho.

O som do vento cortante ressoou em seus ouvidos e o vento frio acariciou sua pele, — O único dragão que o mestre pode cavalgar é esta… o mestre quer mudar de montaria? —, enquanto ouviam tal absurdo de uma certa pessoa, eles dispararam dentro do túnel de gelo por cerca de dez segundos. O dragão de gelo em que Hajime e o resto cavalgaram por fim voou para a luz visível da superfície.

Eles estavam pensando se seriam deixados no chão logo depois disso, mas o dragão de gelo não mostrou nenhum sinal de parar e continuou subindo no céu. E então, sem parar, ele avançou contra o céu nublado do Campo de Neve Shunee. Boba! Com esse som, o dragão voou e começou a subir elegantemente sobre o mar de nuvens enquanto era iluminado pelo sol.

— Pela posição do sol, estamos indo para o noroeste. Parece que ele está nos enviando até a fronteira do campo de neve.

— … nn. Miledi e Meiru deveriam seguir este exemplo.

— Tenho a sensação de que o grupo feminino dos libertadores era inescrupuloso.

A oeste do campo de neve estava o território dos demônios; ao norte, o Grande Cânion Raisen; a leste, o Mar de Árvores Haltina. Avançando para noroeste significava que eles seriam deixados em um lugar onde seria fácil ir para o território dos demônios ou para o continente do norte. Além disso, eles realmente não sentiam o ar frio do céu, então parecia que uma barreira simples se espalhava com o dragão de gelo como intermediário.

Na realidade, eles queriam ser poupados de serem jogados no campo de neve com seu frio extremo depois de conquistarem o grande calabouço, mas depois de pensarem na ação de uma parte dos libertadores, “Que consideração excepcional!”, a situação atual fez com que Hajime e os outros se emocionassem um pouco.

E assim, o palpite de Shia não estava errado. Uma mulher que era especialista em irritar os outros, uma mulher que os jogou no mar enquanto dizia que esse era um atalho, uma mulher que obrigava as pessoas a amarem baratas… com toda certeza, os libertadores do sexo masculino foram obrigados a passar por enormes dificuldades no passado, e isso foi causado por aquelas mulheres, sem dúvidas.

Enquanto pensavam nisso, o dragão de gelo começou a diminuir sua altitude. Parecia que eles haviam se aproximado do local de pouso. Talvez o dragão de gelo não pudesse sair do campo de neve, parecia que ele não atravessaria o céu e os levaria para fora da fronteira, mas ele mais uma vez mergulhou no céu nublado.

E então o monstro pousou de forma suave em um ponto que ficava a poucos passos da fronteira. Hajime e o resto do grupo agradeceram de forma educada e por reflexo. O dragão de gelo sacudiu o rabo como se dissesse que não se importava e, mais uma vez, subiu para o alto e desapareceu dentro do campo de neve.

Mesmo enquanto pensava sobre o campo de neve que cobria sua visão, a o limite do campo de neve estava logo ali, assim, Hajime e seu grupo se moveram com passos rápidos.

Mas, naquele momento, os sentidos do Sinergista e as orelhas de coelho de Shia captaram algo. Os olhos dos dois se estreitaram de forma perigosa.

— Todos, fiquem em guarda. Muitas coisas estão acontecendo fora dos limites daqui.

A cautela de Hajime fez o nervosismo disparar através do grupo. Todos seguravam suas armas na mão enquanto saíam do outro lado da nevasca que bloqueava a visão.

Logo ali estava…

— Como esperado, todos vocês estão saindo daqui. É o mesmo que aconteceu comigo… então, todos vocês conquistaram o labirinto? Ó, jovem de cabelos brancos.

— Fufu, Kouki-kun. Há quanto tempo. Você está bem?

Um dragão branco, que estava duas vezes maior do que da última vez, e Freed, que o montava, além de muitos monstros que eram sobretudo dragões cinzentos, junto de Eri, que espalhava asas de poder mágico cinza, e algumas centenas delas, muitas mulheres com o mesmo rosto e asas de prata, “a apóstola do verdadeiro Deus”… Nointo, todos estavam os aguardando.


Tradutor:



Nota

[1] Nirvana, no Budismo, é o estado de libertação do sofrimento (ou dukkha), uma superação do apego aos sentidos, do material, da existência e da ignorância; a pureza e a transgressão do físico, a qual busca a paz interior e a essência da vida. Segundo os monges shramana, é o estado atingido pelos Arahant (seres de elevada estatura espiritual). No Hinduísmo, o Nirvana é um sinônimo de moksha, à libertação do ciclo do renascimento e da morte e à iluminação espiritual, citado em vários textos hindus tântricos, bem como na Bhagavad Gita. Os conceitos hindus e budistas não são equivalentes. O Buda Sidarta Gautama descreveu o Nirvana como um estado de calma, paz, pureza de pensamentos, libertação, transgressão física e de pensamentos, a elevação espiritual, e o acordar à realidade. Alcançando este estado, quebra-se o processo de samsara, interrompendo os contínuos renascimentos. A escola budista Mahayana considera o Bodhi (“acordar” ou “entender”) mais importante que o Nirvana. Para cada escola existem definições diferenciadas do Nirvana e de como este é atingido. A palavra significa literalmente “apagado” (como em uma vela) e refere-se, no contexto budista, a imperturbável serenidade da mente após o desejo, a aversão e a desilusão terem sido finalmente extintos.



Fontes
Cores