Arifureta – Capítulo 147 – O pilar de um Herói


— Haha, minhas desculpas. A reação negativa de ficar séria por muito tempo fez o pathos1 desta escapar por um pouco demais.

— … um pouco?

— … um pouco?

A luz da magia de regeneração que Tio conjurou envolveu Suzu e Ryutaro, iluminando a passagem. As palavras que a ryujin disse enquanto sorria durante esse tempo foram refutadas pelos alunos com olhos desdenhosos.

A nobreza de Tio, que em geral era invisível, sua elegância que era confundida com a realeza, seu refinamento, o recuo de tudo isso, que fez com que os corações de Suzu e Ryutaro palpitassem, deixou os olhares que eram dirigidos a mulher mais frios que o habitual. Em especial Ryutaro, parecia que seu coração puro estava sendo iludido, mesmo que ele entendesse que era apenas uma explosão de raiva, seu estado mental não poderia evitar de diminuir a temperatura de seu olhar.

Penetrando dentro de uma atmosfera tão estranha, depois que a luz da cura que envolvia os dois havia desaparecido, seus corpos estavam em perfeito estado, sem sequer um único ferimento. Foram apenas alguns segundos desde que Tio usou sua magia de regeneração.

— Mesmo que tenha sido incrível… foi incrível, mas… mas Suzu não pode elogiá-la agora com honestidade. Mas, obrigada Tio-san.

— Eu também, me pergunto por que esse tipo de pervertida é assim, mas… obrigado mesmo assim.

— De nada. Aliás Ryutaro. Mesmo se tu a insultares, esta não vai se sentir feliz, entendeste? Esta não vai abanar o rabo a ninguém, exceto o mestre. Esta sente muitíssimo.

Uma veia apareceu na têmpora de Ryutaro. Dentro de seu coração, ele amaldiçoou: “É como se eu estivesse tentando conquistá-la, mas levando um pé na bunda, não é?”. Ele não disse nada em voz alta porque isso não teria fim.

Mais uma vez, uma raiva indescritível que causava estremecimento brotou de dentro dele contra Tio, que estava calmamente usando dois aspectos que eram exatos opostos: a beleza solene de antes e a perversão que, de modo conveniente, convertia qualquer tipo de ataque em prazer. Ao mesmo tempo…

— … é como pensei, Nagumo é incrível, hum?

— Suzu não acha que Nagumo-kun precise desse tipo de elogio.

Pensando em Hajime viajando com o pacote completo de Tio, Ryutaro viu a profundidade da magnanimidade de seu colega como um homem, não, como um ser humano, e aumentou seu louvor a ele. Com certeza era como Suzu disse, se o Sinergista tivesse ouvido isso, ele teria uma veia aparecendo em sua testa dizendo que esse não era o caso.

Dessa forma, os dois colegas estavam irritados com a perversão da ryujin, que era emitida de forma natural. Durante esse tempo, o final da passagem ficou visível à frente. Era a próxima sala.

— Hmm, há várias presenças do outro lado. Parece que há pessoas que já se encontraram lá.

— Nagumooo, por favor, esteja aí. Eu não serei capaz de me segurar se você não a tirar de nossas mãos logo.

— Por favor Deus, faça com que o dono esteja lá.

Suzu e Ryutaro murmuraram uma oração depois de ouvirem as palavras de Tio. E então, a Mestra de Barreiras também disse algo cruel com indiferença. Parecia que desde que ela passou pelo julgamento, a garota aprendeu a agredir os outros com suas palavras.

Assim, a parede de gelo que os três se aproximavam derreteu e desapareceu, e o que estava do outro lado da parede era…

— MuuIIIii, Yue zeu zéreburo de pazariiiinuoooo!!

— … calada. Pevetida rutida.

— Aah, céus. Vocês duas, parem já com issoooo…

Lá, sentada em cima da vampira deitada, Kaori estava puxando as bochechas de Yue, e contra a Curandeira que estava fazendo isso, a vampira apertava as bochechas da outra de modo parecido, e então, Shia tentava mediar as duas com desespero.

— O que é isto…

— Briga de mulheres?

— Essa é a briga de sempre. Elas realmente têm um bom relacionamento.

Suzu e Ryutaro ficaram estupefatos. Tio estava sorrindo pacificamente. Olhando para as figuras das duas que estavam puxando as bochechas uma da outra com os olhos marejados enquanto se golpeavam como se tivessem patas de gatos, não havia como evitar que a expressão dos dois alunos ficasse assim. As duas garotas estavam apenas ficando sem poder mágico devido à enorme luta de antes e esse conflito era o máximo que elas poderiam fazer.

— Eh? Tio-san? E vocês dois também? Então, todos vocês superaram o desafio com segurança. Estou feliz. Vamos Yue-san, Kaori-san, Tio-san e outros chegaram aquiiii! Parem de brigar agoraaaa! Vamos, soltem suas mãos das bochechas, não continuem batendo uma na outra! Ah, assim não, parem de chutar! Por favor, se acalmem… eu já disse para paraaaar!

A garota-coelho se virou para a vampira e a Curandeira, que não paravam de brigar de forma infantil. Dois punhos reforçados estavam batendo nas cabeças das duas, um som de “GOKIN!”, que não deveria ter aparecido, reverberou. Yue e Kaori se agacharam enquanto seguravam suas cabeças. — Minha cabeçaaaa, minha cabeçaaaa! — Elas gemeram assim.

— Hmm, parece que a posição de Shia e Yue se inverteu desde que chegamos a este labirinto… esta se pergunta se Yue também recebeu um pouco da influência do grande calabouço? Bem, de qualquer forma, é interessante de se observar.

Tio inclinou a cabeça enquanto murmurava um palpite que estava meio correto. Yue também estava exausta porque recordou várias lembranças do passado distante. Ela até deixou escapar um comentário covarde contra seu melhor julgamento. Pensando bem, com o tamanho do trauma do passado, não era estranho que isso acabasse assim.

E então, a confiança inconsciente que foi criada a partir da fraqueza do coração da vampira… foi de forma natural dirigida a seu amado Hajime, mas mesmo Shia, que teve um crescimento notável desde que ela foi reconhecida como amada pelo Sinergista, também não era mais apenas uma pequena irmãzinha e tornou-se uma parceira confiável na qual Yue estava apta a acreditar. Em outras palavras, além do crescimento da garota-coelho, sua distância com a vampira também estava diminuindo ainda mais.

— Fuu, minhas desculpas, nós fizemos vocês esperarem. A nova passagem está ali, então vamos seguir em frente.

— … tu estás mesmo confiável agora.

Shia os incitou a avançar enquanto carregava Yue e Kaori de ambos os lados debaixo de seus braços. Tio assentiu enquanto olhava a cena com carinho.

O grupo avançou pela passagem mais uma vez. As pessoas que ainda não tinham sido encontradas eram três: Hajime, Shizuku e Kouki. Eles estavam andando para frente enquanto oravam para que pudessem se conectar com a próxima sala.

Dessa forma, eles de repente ficaram parados em frente à parede de gelo que estava no final da passagem que tinham alcançado. As orelhas de coelho de Shia estavam se contorcendo enquanto ela fazia uma cara complicada. Logo depois disso, seus olhos se arregalaram em choque.

— Eh… ess-esses dois também?

As palavras súbitas e a atitude da garota-coelho, que tinha sentidos aguçados, fizeram com que os outros membros a olhassem se perguntando o que estava acontecendo. Yue, Kaori e Tio, as três na mesma hora se concentraram e estenderam os sentidos para o outro lado da parede de gelo. E o resultado, elas entenderam o que fez Shia se surpreender e se entreolharam.

—Nada vai mudar se apenas ficarmos aqui. Só podemos confirmar a situação de forma direta.

— … nn. Se ele é inimigo de Hajime, vou espancá-lo.

— Err, Yue? Isso é um pouco…

— De qualquer forma, vamos indo.

Enquanto sua bochecha estava se contraindo para Yue, que estava estreitando os olhos de forma perigosa, Kaori só podia rezar para isso fosse apenas uma briga como a que ela teve com a vampira.

Mas essa oração não foi atendida.

À frente da parede de gelo por onde o grupo passou, na sala do outro lado, uma tempestade de intenção assassina e ódio soprava com violência.

Sim, Hajime e Kouki estavam no momento em um combate mortal.


Kouki Amanogawa.

Aquele que nasceu como filho único de uma casa comum tinha alguém que respeitava e idolatrava do fundo de seu coração até agora. Esse alguém era seu avô.

O nome desse avô era Kanji Amanogawa, ele era um procurador famoso e competente no mundo dos negócios. Estabeleceu-se um costume para a família de ir visitar a casa de seu avô quando havia um feriado prolongado, mas a esposa de Kanji… como a avó de Kouki havia falecido cedo, o avô que estava morando sozinho era muito carinhoso com o neto.

Para sua idade, as costas de Kanji estavam retas e seu corpo musculoso estava transbordando de ambição, no entanto, ele não era assustador, mas uma pessoa gentil. Kouki idolatrava tanto tal avô que podia se dizer que ele era muito apegado ao idoso.

O que Kouki mais gostava em Kanji era a história de suas experiências. As experiências que o avô obteve de seu trabalho como procurador foram contadas ao Herói como se ele estivesse lendo um livro ilustrado para que o pequeno Kouki pudesse compreendê-las com facilidade. Falando de forma realista, as histórias também foram consideravelmente modificadas para não violar o dever da confidencialidade, mas mesmo assim, as histórias eloquentes de seu avô estavam cheias de dramas humanos que fizeram o coração do rapaz se agitar muitas vezes.

Ajudando os fracos, esmagando os fortes, esticando sua mão para uma pessoa com problemas sem hesitação, realizando a coisa certa, sempre sendo justo… no final, as histórias de Kanji eram algo que incluía esse tipo de ensinamento. Um conto de herói que personificava o ideal e a justiça. Uma história comum para crianças pequenas.

Por causa disso, para Kouki, seu avô Kanji era um herói. Assim como outras crianças de sua idade idolatravam um certo cavaleiro mascarado ou o alienígena espacial que derrotava monstros do espaço ainda mais rápido do que os ramen instantâneos levavam para ficarem prontos, Kouki idolatrava Kanji dessa forma. Podia-se dizer que, como seu alvo de idolatria estava perto, a paixão do garoto era ainda mais forte do que nas outras crianças. Ele desejava: “Algum dia serei como meu avô”.

Mas, de forma natural, o mundo real não poderia ser como nas histórias de Kanji, onde a verdade e a justiça derrotavam o mal e o irracional, e a justiça dos ideais poderia ser realizada sem problemas. Na profissão de procurador, mesmo que eles estivessem em posse da justiça e equidade, a principal missão deles não era perseguir a verdade ou acusar os culpados, mas proteger o interesse de seus clientes.

Para ser chamado de procurador “competente”, não era suficiente apenas ter excelente habilidade com as leis, mas Kanji também era um humano que podia pensar de forma realista sobre o bem e o mal ao mesmo tempo. Ele sabia perfeitamente sobre a parte suja da sociedade e também como era insuficiente apenas levar adiante seu ideal e sua justiça.

Porém, antes que ele pudesse ensinar isso a Kouki, ele passou para o outro mundo. Foi antes de o Herói entrar na escola primária. A causa foi um ataque cardíaco.

A morte de Kanji deixou para trás uma grande influência em Kouki.

O pensamento de que era bom para uma criança pequena pensar apenas em coisas belas era algo normal, Kanji não podia ser culpado por causa disso. Algum dia, quando Kouki crescesse, ele planejava também conversar com o rapaz sobre experiências amargas que incluíam a realidade quando as coisas não aconteciam como você esperava.

A morte do herói que ele idolatrava foi um choque para o garoto. Ele pensava em seu amado avô, quanto mais ele se embebia em sua memória de Kanji, mais ele embelezava sua imagem do avô como um herói, colocando uma profunda raiz da “justiça ideal” na parte mais profunda do coração do jovem Kouki.

Essa justiça estava seguindo o ensinamento de seu avô, que soava agradável aos ouvidos da criança, ao mesmo tempo em que era a justiça que não reconhecia a parte “impura” inerente a todos, ou o bem e o mal compartilhando o mesmo espaço. Ainda pior que isso, Kouki chegou a pensar que o que a maioria das pessoas achava certo era um direito absoluto2.

Embora não fosse essa a realidade, isso era algo peculiar. As crianças de todos os lugares sempre assistiam ao herói da televisão ou dos quadrinhos que mantinham a justiça ideal dentro de seus corações.

E então, essas crianças viveriam seus dias repetindo muito a falha de colidir com a parede da realidade. Às vezes, eles experimentariam reveses, aprenderiam a desistir e a se comprometer. De forma natural, eles estudariam a maneira de navegar habilmente a tempestade chamada realidade.

Eles manteriam sua aspiração apenas como uma aspiração, o ideal como ideal, armazenando tudo isso dentro de uma caixa de tesouro que eles colocavam no canto do coração enquanto olhavam para a realidade. Esse era o curso natural dos acontecimentos. Kouki também deveria ser assim. Se isso tivesse acontecido, não haveria problema algum agora.

No entanto, o Herói era muito prodigioso para seguir o curso natural dos acontecimentos. Suas altas especificações permitiram que ele superasse o muro chamado realidade enquanto seguia seu ideal. Sem qualquer falha ou revés, ele passou por todas as situações com sua própria força. Seu ideal de criança perdurou.

Como resultado, sem perceber, Kouki não duvidou de sua própria justiça. Ele foi advertido muitas vezes sobre o perigo disso por várias pessoas próximas a ele, especialmente por seus pais e Shizuku, mas o rapaz só ouvia esses conselhos mostrando um sorriso. Ele não escutou com seriedade nem pensou em se reformar. Em primeiro lugar, ele tinha carisma e seu princípio baseava-se apenas em boas intenções, portanto, sem incluir aquelas várias pessoas que o advertiram, todos os outros apoiavam Kouki e isso também foi um fator que fez com que ele não mudasse.

Claro, não havia como tudo correr bem e nada dar errado. Vários problemas surgiram em lugares que Kouki não estava ciente. A inveja sofrida por Shizuku também foi uma dessas questões.

Mas Kouki, que não duvidou de sua própria justiça, a manteve por sua interpretação conveniente. Isso também foi ajudado pelas pessoas que adoravam o Herói cegamente e o incentivavam. Assim, como era de se esperar, o garoto não percebeu quão convenientes eram suas interpretações. Mesmo que ele recebesse avisos, ele também não tentou os notar.

Essa “justiça ideal” de Kouki havia sido distorcida, embora transbordasse com boa intenção. Ela começou a desmoronar neste outro mundo. Diferente do pacífico Japão, em outro mundo que era dominado pela intenção assassina e o ódio, o sobrenatural e o absurdo, sua interpretação conveniente e específica não funcionava. O principal exemplo foi a mulher demônio que ele enfrentou nos andares inferiores de Orcus, e Hajime que passou por uma mudança de coração.

Pela primeira vez, Kouki viu a parede da realidade diante de seus olhos. Ele experimentou um fracasso doloroso que expôs a “criança” dentro do seu coração.

E assim…

“Ela foi roubada. Não foi?”

— Não! Ela não foi roubada…

A imagem falsa de Kouki com cabelo cinza coberto por uma armadura preta estava encarando o garoto com aqueles olhos negros avermelhados enquanto ridicularizava o Herói, que respirava com dificuldade enquanto suava como um rio, e imediatamente se opôs.

— É como Shizuku disse, desde o começo, Kaori gostava de Nagumo… é por isso que eu…

“Você não precisa mentir para si mesmo. Eu sou você. Eu te conheço melhor do que ninguém. Você fingiu aceitar o que Shizuku disse, mas no fundo do seu coração, você está pensando que ela foi tomada de você. Você ainda está pensando que Kaori deveria estar junto de você. Vocês dois estavam juntos todo esse tempo desde o ensino fundamental. Eu não sei sobre o encontro no ensino médio ou qualquer coisa relacionada, mas mesmo que ela tenha estado comigo por mais tempo, apesar de eu acreditar que estaríamos sempre juntos, mesmo que Kaori seja a minha heroína, o herói…”

— Calado. Não estou pensando em nada disso! Não diga tudo o que você quiser… seu monstro do labirinto! Você não me enganará!

Kouki olhou para a imagem falsa com olhos vermelhos e soltou uma lâmina de luz com toda a sua força. Várias linhas de luz cortante se dirigiram para a falsificação.

No entanto, a cópia fez lâminas de luz voarem com as mesmas trajetórias, neutralizando todas elas. Não, longe disso, várias das luzes não pararam e seguiram na direção de Kouki. Essa era a prova de que ele perdia em força.

“Você diz isso, mas em contrapartida, você está muito abalado, hein? Até mesmo a espada sagrada que Nagumo especialmente aprimorou, isto é como dar uma pérola a um porco3. Ou será que como isso foi criado por aquele odioso Nagumo que você inveja, você não quer usá-la de forma apropriada, seria isso?”

— Isso é irrelevante! Eu não odeio Nagumo ou qualquer…

“Qual é, é porque você desvia os olhos da realidade dessa forma… que eu estou sendo fortalecido mais uma vez.”

Um Tremor da Lâmina Crescente Celestial extra grande foi desferido pela imagem falsa. De modo óbvio, seu poder era diferente comparado com o de antes. Seu próprio movimento, que estava rasgando o chão enquanto se aproximava, fez Kouki estremecer e na mesma hora ele desviou para o lado. Seus instintos lhe disseram que ele não poderia bloquear isso.

“Não apenas Kaori, você também não pode tolerar Yue e as outras adorando Nagumo, certo? Garotas tão fofas, fortes e charmosas, elas não são merecedoras para estarem juntas com um herói como eu? Você não pode aceitar que elas amem alguém como Nagumo, que pode matar um humano com facilidade. Não é?”

— Pare com isso! Aquelas garotas amam Nagumo com sinceridade… isso é algo que elas decidiram por conta própria… é por isso que…

“A força de Nagumo também é irritante. Essa força deveria ser minha, não é? Ou melhor, tudo o que é de Nagumo é apenas irritante, ééé.”

— Errado… com certeza, Nagumo gosta de agir como quer, mas ele nos salvou muitas vezes… esse tipo de pessoa…

“Você disse que não o odeia? Você não deve mentir. Mesmo quando foi salvo, você sentiu ciúmes em vez de gratidão, não sentiu? Mesmo que correr de forma galante para salvar alguém seja o meu papel, você o invejou dessa forma, não foi?”

— Não tem como isso ser verdade! Uma coisa dessas…

“Oi, oi, o quanto mais você vai me fortalecer até que esteja satisfeito?”

Esse desejo de ser um herói, a inveja por Hajime que era quase um ódio, e então, seu desejo de monopolizar Kaori junto com seu desejo pela boa vontade de outras pessoas… tendo tudo isso empurrado contra seu rosto, Kouki se opôs à grande parte de si mesmo acreditando em suas próprias palavras. Desse jeito, como ele estava evitando reconhecer a verdade de modo inconsciente, a imagem falsa foi fortalecida infinitamente.

A cópia do Herói ergueu sua espada sagrada negra para o céu. Logo depois disso, uma onda deslumbrante de luz explodiu e a luz se dividiu perto do teto, se transformando em vários raios de meteoros que começaram a bombardear Kouki.

O Herói evitou o ataque com seu Teleporte, enquanto procurava a chance de contra-atacar, mas a cor colada em seu rosto era obviamente de agitação. O suor frio não conseguia parar de escorrer com a força da imagem falsa.

Os meteoros que estavam atacando a partir do ar estavam equipados com funções de detecção automática até certo ponto e a conversão de impacto de Hajime, então não havia nada mais problemático do que isso. Mesmo que ele esperasse até quase ser atingido antes de fugir no mesmo instante, se ele se atrasasse mesmo que por um pouco, a tempestade de ondas de choque o engoliria. Dito isto, neutralizar um ataque como este sem poder contra-atacar apenas faria disso uma guerra de exaustão4.

“Se Hajime não tivesse colocado essas funções…”, por um momento, esse pensamento esteve girando dentro de seu peito. Kouki descartou esse pensamento com afobação. Isso aconteceu porque esse pensamento não estava “certo” para a pessoa que lhe ofereceu a mão. Foi por isso que, logo depois disso, ele selou a lembrança de que teve esse pensamento no fundo de sua mente.

— Voe e gire, “Tempestade da Lâmina Crescente Celestial”!!

De alguma forma, Kouki escapou da explosão e começou a contra-atacar. O golpe do Herói foi adicionado com a lâmina do vento, o golpe de vento que era difícil de ver, mesmo nos melhores momentos, escorregou pela luz e pelo poder mágico e tornou-se ainda mais difícil de perceber. Os cortes visíveis eram dez, mas na verdade, três vezes mais desse número foram lançadas em uma sequência para impedir qualquer fuga.

“Isso é inútil. Reúna-se, ‘Tremor da Garra Celestial da Chuva Flutuante’.”

Em resposta, a imagem falsa estava mostrando um rosto frio. As balas de luz que se tornaram meteoros voaram de forma selvagem e instantaneamente convergiram para a espada sagrada negra, convertida em uma faixa de bombardeio. Não havia necessidade de escapar, ele só precisava esmagar o ataque de Kouki de frente.

Esse plano se realizou. E, além disso, foi facílimo. As inúmeras lâminas que o Herói lançou foram dispersadas com apenas um único clarão. O bombardeio de luz atacou Kouki sem parar.

— Bloqueie, “Armadura da Luz”!!

A armadura sagrada que Kouki vestia brilhou, incontáveis anéis de luz se estenderam na frente dele e produziram uma barreira. Logo a seguir, o bombardeio de luz atingiu e se espalhou com um clarão e impacto intensos. “Garra Celestial da Chuva Flutuante” era uma técnica que não tinha tanto poder, mas a remodelação demoníaca de Hajime e o poder fortalecido da imagem falsa foram combinados e sublimaram a técnica com poder que não seria exagero ser chamada de uma técnica de morte certa.

Dessa forma…

— Guwaa!?

A barreira de Kouki foi esmagada e ele foi atirado para longe. Ele rolou pelo chão e enfim parou de se mover quando bateu na parede de gelo. Sangue escorria de sua têmpora.

“Você quer superá-lo, não quer? Aquele Nagumo. Você quer fazer aquele cara se ajoelhar e pedir perdão. Depois disso, você terá de volta Kaori, Yue e as outras vão direcionar seu favor para você, salvar o mundo, trazer todos de volta para casa, regado em admiração…”

— CALADOOOOOOO!

Enquanto sentia a emoção negra que foi puxada da profundidade de seu coração, Kouki dirigiu seu flamejante corpo para a frente seguindo sua violenta fúria. Vastas quantidades de poder mágico daquele corpo se transformaram em uma torrente, era o Superar Limite.

O próprio Herói entendia que não era o momento certo para usar essa técnica, mas ele não podia mais ouvir as palavras da imagem falsa. Ele não queria notar a emoção que não deveria ser abrigada por ele mesmo, que deveria ser alguém justo. Esse era todo o seu coração.

Kouki avançou com uma velocidade incrível que poderia ser chamada de velocidade divina. Ele baixou a espada sagrada que estava brilhando toda branca com força bruta. Isso foi facilmente bloqueado com uma zombaria pela falsa imagem do Herói, cujo corpo estava revestido por um poder mágico preto avermelhado antes de ele perceber. A cópia também estava usando Superar Limite.

A pura espada sagrada branca e a sinistra espada sagrada da cor do azeviche cobertas de aura negra avermelhada entraram em conflito, naquele instante, um impacto violento se precipitou e uma cratera foi criada sob a falsa imagem.

No momento em que Kouki entendeu que ele estava bloqueado, ele torceu o pulso e mudou para um golpe horizontal com a espada. O ataque pesado que parecia tentar cortar uma madeira se transformou com facilidade em um ataque mirando o pescoço do inimigo. No entanto, mesmo esse ataque, que era como um clarão súbito, foi bloqueado com facilidade pela cópia.

“O assassinato de seres humanos não é maligno?”

— Você não é humano!

As palavras provocantes da imagem falsa fizeram Kouki cerrar os dentes enquanto acelerava sua espada ainda mais. A espada deixou um rastro de luz enquanto criava incontáveis pós-imagens. A espada que deveria ser só um pedaço de metal se parecia com várias espadas ao mesmo tempo com sua velocidade anormal.

A tempestade de esgrima aguçada que continuamente seguia em movimentos circulares nunca parava, como esperado da pessoa que deveria ser louvada como um herói. Essa força podia ser classificada no topo, mesmo neste mundo.

Mas, o inimigo diante de seus olhos respondeu com uma esgrima perfeita semelhante e que deixava para trás imagens persistentes com sua expressão composta ainda intacta. Pelo contrário, a falsificação viu uma abertura e desferiu um contra-ataque que criou uma ferida superficial em Kouki, que não podia se esquivar.

— UOOOOOOOOOOOOOOOH!!

“Qual o problema? Você está tomado por tanta intenção assassina… hum, herói?”

Kouki gritou enquanto exauria as artes marciais que possuía, mas seu coração, que estava desordenado por completo, mesmo que ele não reconhecesse, o deixou incapaz de mostrar sua força, exceto como uma sombra insignificante do original. De modo natural, com isso, não havia caminho para vencer contra algo como sua imagem falsa que estava aos poucos se tornando mais forte, sua inquietação também estava crescendo de forma violenta quando ele pensou sobre o limite de tempo do Superar Limite.

Então, a cópia continuou a falar com palavras que abalaram a mente do Herói. Essa não foi a parte negativa de Kouki que foi trazida do passado, mas palavras que incitaram sua ansiedade sobre o futuro.

“Se continuar assim, você pode ter mais coisas roubadas.”

— O que você…

“Vamos parar com essa pretensão de não notar. Afinal, isso é algo que notei e que você também percebeu.”

— Mas por que…!? Do que você está falando!?

A imagem falsa enviou a Kouki um olhar exasperado, como se estivesse olhando para um idiota. E então, ele disse a coisa que Kouki mais temia.

“Mas para quem é que Shizuku anda olhando… é disso que estou falando.”

— !?!?

Kouki sentiu como se o sangue em todo o seu corpo estivesse fervendo. Ele gritou em silêncio, e quando sua boca não podia mais continuar, ele lançou uma onda de choque de perto que poderia engolir a si mesmo também.

A imagem falsa fugiu com facilidade do ataque usando Teleporte e ele continuou com palavras zombeteiras em direção ao desespero do Herói.

“Então você não quer nem pensar nisso? Depois que Kaori foi tomada, até mesmo Shizuku vai…”

— MORRAAAAAA!!

“Ei, ei, isso não é uma frase de herói, sabia? Além disso, não importa o quanto você grite, é verdade que o coração de Shizuku está inclinado para Nagumo. Isso é até compreensível, não é? Ela foi salva por ele várias vezes e, de modo inesperado, Shizuku é feminina.”

— ZEYAAAAH!!

Kouki berrou. A espada sagrada desferida aumentou seu brilho, mas a espada negra aumentou ainda mais do que isso na espessura de seu poder mágico agourento. Dentro do coração de Kouki, ele estava tentando negar o sentimento de Shizuku e descartar a realidade com todas as suas forças, o que, por sua vez, aumentava a força da imagem falsa sem parar.

Portanto, o ataque horroroso, que apesar de ter sido feito com toda a sua força, não era diferente de uma criança sendo birrenta e foi repelido de frente e com facilidade.

— Gaah!?

O Herói gritou e foi atirado contra a parede mais uma vez. Embora a capacidade de convergência do poder mágico de sua armadura sagrada tenha prolongado o tempo de duração do Superar Limite, se ele se exaurisse de forma imprudente, até mesmo esse benefício seria inútil. O tempo que Kouki tinha sobrando era pouco.

“Entendo. Você até nega a questão de Shizuku.”

A imagem falsa estava andando para o Herói com passos barulhentos, ele estava balançando a cabeça enquanto enviava um olhar frio para o aluno.

Kouki de alguma forma se levantou usando sua espada sagrada como apoio enquanto sua respiração foi bloqueada pelo impacto, ele retornou um olhar furioso para a imagem falsa.

— Er-errado. Por Nagumo, Shizuku… tal coisa… de jeito nenhum poderia…

“Descarregando sua raiva, ficando amuada, mostrando um sorriso de seu coração… você notou tudo isso, certo?”

— Algo como isso… ela faz isso para todos…

“Mesmo quando ela viu Yue e Shia se aproximarem de Nagumo, ela estava fazendo uma cara de mau humor, não estava?”

— … mas foi porque… porque eles não estavam respeitando o local… aquilo foi desagradável para…

“E o rosto de embaraço que ela fez ao olhar para Kaori se aproximando daquele cara?”

— … Shizuku… ela não está reconhecendo… Nagumo no coração dela.

“Ku-ku-ku, isso é extremo demais, mesmo que eu diga isso, hum. Você não quer mesmo acreditar nisso?”

Na frente de Kouki, que estava de joelhos enquanto apoiava seu corpo com a espada sagrada, a falsa imagem estava rindo enquanto apontava sua espada sagrada. A cópia zombou ainda mais do Herói, que estava a encarando com um olhar mortal.

E então, por um momento, “Oho?”, A falsificação encarou a parede de gelo onde não havia nada com uma expressão de surpresa. Ele sentiu a presença familiar se aproximando do outro lado da parede de gelo com a Detecção de Presença. Embora parecesse que Kouki nem sequer tinha a compostura para perceber isso.

“Esta foi… uma ótima sincronia.”

— Não finja compostura!

Kouki saltou e atacou com sua espada sagrada no que ele considerou ser uma abertura. Sem sequer olhar para o golpe, a imagem falsa bloqueou a espada, entrando em um bloqueio de espadas enquanto sorria, e então, ele passou adiante palavras que soavam como uma sentença de morte.

“Agora, a realidade está chegando, sabia?”

— O que está dizendo?

Logo depois disso, uma parte da parede de gelo da sala onde os dois estavam se derreteu, uma nova passagem apareceu. Kouki se contorceu de surpresa e, enquanto ficava cauteloso com a imagem falsa sorridente diante de seus olhos, ele moveu um pouco o olhar para a direção da passagem.

E então, seus olhos se arregalaram vendo a cena diante de seu olhar.

— Ainda no meio do julgamento, hã…

Hajime estava carregando Shizuku nas costas dele. O olhar de Kouki foi atraído para a Espadachim. Mais precisamente, no rosto adormecido de Shizuku que parecia feliz enquanto confiava sua bochecha ao ombro do Sinergista em alívio enquanto respirava de forma pacífica.

Algo se partiu dentro de Kouki.


Tradutor:



Notas

[1] Pathos, ou path, é uma palavra grega que significa paixão, excesso, catástrofe, passagem, passividade, sofrimento, assujeitamento, sentimento e doença. O conceito filosófico foi criado por Descartes para designar tudo o que se faz ou acontece de novo.

[2] O direito absoluto é um direito inquestionável, rígido, obrigatório (sem discussão, sem exceção).

[3] Dar pérolas a porcos é uma passagem da bíblia (Mateus 7:6) que significa gastar o que temos de precioso com quem não aprecia. Na Lei de Moisés, os porcos eram considerados animais impuros, impróprios para comer.

[4] Guerra de exaustão consiste na manutenção coordenada do ponto de combate, onde o objetivo é exaurir o potencial físico do inimigo através de bombardeios, inserções e demais formas de ataque em curto intervalo de tempo durante vários dias, não possibilitando ao inimigo reagrupamentos, reabastecimentos, descanso de tropa e demais ações militares. O fim que se busca nesse modo de combate é a rendição do exército inimigo.



Fontes
Cores