Arifureta – Capítulo 141 – A crise sentimental


— Aa, céus! Pare com issoooo!

Em uma sala pequena na parte leste do Grande Calabouço, a voz irritada de Shia ressoou acompanhada de um som de algo rangendo.

A fonte do barulho era o braço de Hajime, que estava em uma chave de braço.

— O que você está fazendo Shia? O braço dele parece que está a ponto de quebrar.

— O que você está dizendo com este rosto calmo? Ou melhor, Yue-san, por favor, pare com as provocações!

— … nn. Hajime me deseja, mas tem que se segurar porque estamos dentro do labirinto… fofo.

— Agora não é nem a hora nem o lugar para isto! — Shia replicou com violência.

É claro que a chave de braço dela em Hajime não se mexia nem um pouco. Isso era prova de seu extraordinário crescimento. Algo para se alegrar.

Ou assim deveria ter sido. Ela estava segurando Yue em seus braços de modo despreocupado e ameaçando Hajime que se aproximava com uma técnica de chave de braço de judô. Não havia nada com o que se alegrar.

Eles estavam no momento dando uma pequena pausa em uma pequena sala próxima de um entroncamento do labirinto.

Mais precisamente, a pausa tinha o objetivo de deixar Kouki e o resto de seu grupo descansarem. Eles estavam desanimados pela desordem causada pelos sussurros. Contudo, por algum motivo, quanto mais intensos os sussurros ficavam, maiores eram as chances para Hajime e Yue afirmarem seu amor mútuo, algo que já tinha passado o ponto da racionalidade. “Vocês estão flertando demais dentro de um Grande Calabouço, eii!”, devia ser o que Shia pensava enquanto ela aparecia para segurar os dois.

— Se acalme Shia. Nós estamos no Grande Calabouço, não estamos? Não é como se fôssemos mesmo agir sem coibição aqui, entendeu?

— … agora mesmo, vocês não estavam a ponto de se beijarem?

— Isso foi apenas Yue reabastecendo sua energia.

Hajime tentou explorar esta oportunidade e deu esta explicação, mostrando uma cara séria. Mas um mero olhar em Yue a seu lado, que estava com seus olhos semicerrados enquanto lambias seus lábios, seria o suficiente para deixar essa declaração muito suspeita.

— Mas eu não a vi usando magia ao ponto em que precisaria repô-la.

Shia respondeu com uma observação estranhamente afiada e intensificou ainda mais seu aperto no braço de Hajime.

— Sem misericórdia, huh…

— É-é porque ele é meu amado. Então eu irei dar a minha opinião sobre coisas que foram longe demais!

— Shia… boa garota.

Shia corou um pouco enquanto ela compartilhava seu raciocínio. Hajime e Yue soltaram um: — Ho. — e expressaram sua admiração. Então eles corrigiram suas posturas.

Até agora, a garota-coelho sempre seguiu o Sinergista e a vampira por trás. Contudo, agora que ela foi reconhecida pelo garoto, parecia que ela percebeu que poderia estar em pé de igualdade com Yue.

Ela costumava apenas observar os dois e lidar com o que não gostava de longe. Mas agora, ela estava caminhando lado a lado com os dois e não hesitaria em pegar as mãos deles e puxá-los.

— Fumu, de fato, exatamente como uma amada.

— Un. De fato.

Tio soltou um murmúrio fraco, expondo sua fadiga mental. Ao lado dela, Kaori forçou um sorriso amargo enquanto concordava. Havia inveja em seus olhares.

— …

— Shizu, Shizu? Algo está errado?

— Eh? Não, não é nada? Mais importante que isso, Suzu está bem?

Vendo Shizuku observando Hajime e seu grupo em silêncio, Suzu ergueu uma voz de preocupação.

A Mestra de Barreiras também sentiu a dor causada pelos sussurros, algo que era similar com uma agulha perfurando o coração. Mas a garota também se lembrou de como era se sentir sendo esfaqueada e conseguiu enfrentar a dor. Entretanto, ela notou que ninguém estava prestando atenção a Shizuku, que não parecia estar indo tão bem.

Normalmente, a Espadachim iria discretamente deixar seus próprios sentimentos de lado e iria se preocupar apenas com os outros. Considerando seu comportamento, era óbvio que algo estava errado.

Contudo, ou melhor, como esperado, assim que ela foi chamada por Suzu, Shizuku mostrou um sorriso delicado e respondeu a sua colega a perguntando sobre seu próprio bem-estar. O rosto da Mestra de Barreiras também não parecia muito bem, mas ignorando as palavras abstratas da Espadachim, que não traíam sua condição, ela também devia estar sentindo a exaustão causada pelos sussurros provocando seu coração.

Com um sorriso preocupado, Suzu só poderia responder: — Estou bem. —, para não preocupar Shizuku e com isso esquecer de tomar conta de si mesma.

— Ei, Kouki…

— O que foi Ryutaro?

— Ah, não, nada em especial. Vamos apenas deixar este lugar repugnante depressa.

— Sim.

Mais uma vez, Kouki era a pessoa que foi afetada de forma mais perigosa. Quase sem falar nenhuma palavra, respondendo apenas o mínimo necessário quando Shizuku, Ryutaro ou Suzu expressavam sua preocupação.

E assim, também havia seu olhar, que estava ficando cada vez mais intenso e refletia seus sentimentos negativos.

Seu olhar estava direcionado a Hajime. Talvez a própria pessoa quisesse tirar seus olhos do Sinergista, mas ele era óbvio demais. Algumas vezes, ele também iria voltar seu olhar para Kaori. Então não era difícil imaginar o que ele ouviu dos sussurros.

— Muito bem, como foram as coisas? Todos vocês, vocês ficaram um pouco melhores?

Tio perguntou, inclinando sua cabeça. Já tinha se passado uma hora desde que eles começaram a descansar. A ryujin sugeriu que eles usassem magia espiritual em todos para estabilizar suas mentes.

— Hã-hã. Obrigada Tio. Sinto que o interior de minha cabeça ficou mais claro.

— Un. Talvez meu corpo também tenha ficado um pouco mais leve…

Afinal, os sussurros eram meras vozes. O que estava atormentando a mente de Shizuku era ser lembrada de todas as memórias ruins e passar pelo que se acumulou em seu interior. Por esse motivo, se a própria pessoa estava repetidamente se preocupando após ser lembrada de memórias desagradáveis, magia espiritual não seria de qualquer ajuda. Essa era uma magia que poderia apenas estimular o espírito do alvo por pouco tempo.

Mesmo assim, comparado a como eles estavam antes de descansarem, os rostos do grupo do Herói recuperaram muito de suas cores. Dessa forma, mesmo levando em conta o consumo de poder mágico necessário para usar a magia espiritual, essa parecia ser uma sábia escolha.

No entanto, parecia que havia alguém em que esse caso não se aplicava.

— Ah. Obrigado Tio-san. Me sinto mais confortável.

Apesar de Kouki sorrir um pouco e mostrar sua gratidão, havia um indubitável peso em sua voz que traía sua declaração. Seu rosto parecia estar um pouco sombrio.

— Não agradeça esta. Mais importante, devemos nos apressar e sair deste labirinto. Mestre. Quanto falta?

— Un, vejamos. Em linha reta, não dá nem mesmo um quilômetro. Não vai ser bom se ficarmos descansando neste lugar, então devemos continuar sem parar. —, Hajime disse e se levantou com sua bússola na mão.

Os outros o seguiram. O anterior clima em que eles estavam brincando sem preocupação de apagou por completo. A maior parte disto foi com o objetivo de revigorar seus espíritos. Definitivamente, com certeza, talvez…

Shizuku e os outros pareciam estar se sentindo um pouco pesados. Quase trinta horas já tinham se passado desde que eles entraram no labirinto, e eles não dormiram nada. Eles estiveram usando magia e poções mágicas para se recuperarem da falta de sono, mas a fadiga mental causada pelos sussurros também tinha se acumulado.

Eles voltaram a caminhar ao longo da passagem parecida com uma casa de espelhos. Como de costume, mesmo após descansarem, os sussurros abstratos, usando suas próprias vozes, reverberavam dentro de seus ouvidos de forma desagradável e os lembrava de coisas que eles não gostavam. Os Ogros de Gelo vindo atrás deles esporadicamente, junto das armadilhas irritantes, tinham o claro objetivo de fazê-los perder a concentração, aumentando de forma significante o perigo.

— Merda.

Agora mesmo, Kouki, que estava seguindo atrás de Hajime, recebeu outro ataque surpresa de um Ogro, o derrotou e golpeou a parede de gelo com seu punho enquanto xingava.

“Vai acabar tudo assim de novo?”

“Como eu falei, isso será roubado.”

“Se eu apenas tivesse poder…”

E assim os sussurros continuaram. A frustração de Kouki continuou a se acumular.

Então, nesse momento, ele teve uma sensação desconfortável após olhar para frente, para sua própria imagem refletida na parede de gelo. Não era como se algo estivesse estranho. O que estava sendo refletido era seu próprio rosto. Mas ele estava olhando para si mesmo desprovido de qualquer expressão. Porém, de modo estranho, ele não poderia parar de encarar.

— … que diabos!? — Kouki murmurou sem querer.

Assim, ele ficou consciente da verdadeira razão de sua sensação desconfortável e um calafrio percorreu sua espinha.

Seu rosto refletido na parede de gelo estava paralisado, tão duro quanto uma pedra… sem expressões. Nem sua carranca irritada nem a cena de ele cerrando os dentes de irritação estavam lá para serem vistas. Aliás, seus lábios que deveria estar se movendo agora que ele acabou de murmurar algo…

Ele congelou e arregalou seus olhos. O Kouki refletido diante dele… de repente separou seus lábios.

— UwaAAAA!?

— Ko-Kouki!? O que aconteceu!?

— Você está bem Kouki!?

O Herói pulou para trás da parede de gelo após ouvir a súbita e estranha voz. Shizuku e Ryutaro ficaram confusos e o chamaram. Hajime e os outros também se viraram para ver o que estava acontecendo e encararam Kouki com surpresa.

Suor frio estava escorrendo por suas costas e seu ritmo respiratório estava fora de controle pela tensão mental que o garoto sentiu. Mesmo assim, ele conseguiu sacar e apontar sua espada sagrada na direção dele mesmo refletido na parede de gelo. Sua reflexão na parede de gelo também sacou sua espada sagrada e fez o mesmo, com a mesma expressão facial e ritmo respiratório. Kouki não mais sentia a intensa sensação desagradável que ele estava sentindo até alguns momentos atrás.

— Kouki?

Shizuku se aproximou dele com uma cara preocupada e colocou sua mão no ombro do rapaz. Ele não saiu de sua postura e continuou respirando com dificuldade. De repente, o garoto percebeu a situação e conseguiu recuperar um pouco de sua compostura antes de abrir sua boca.

— … na parede, o eu refletido na parede riu. Mesmo eu não tendo rido… como se isso fosse um eu diferente…

— Você tem certeza que não foi sua imaginação?

Shizuku inspirou após escutar as palavras de Kouki e voltou um olhar sério para a reflexão do garoto na parede de gelo, assim como a sua própria.

Contudo, o Herói logo voltou seu rosto para a Espadachim. Ele estava irritado.

— … você não vai acreditar em mim?

— Eh? Não, não é como se eu estivesse duvidando de você.

Parecia que Kouki pensou que as palavras de Shizuku estavam expressando suas dúvidas sobre o que o rapaz declarou. É claro que essa não era a intenção da aluna. Ela apenas queria confirmar com ele. Na realidade, ela até voltou um olhar cauteloso para a parede de gelo. Foi por isso que quando ela escutou a sentença seguinte do Herói, ela pensou: “O que ele está dizendo?”, enquanto seu rosto mostrava suspeita.

Isto parecia ter irritado Kouki ainda mais, e um sarcasmo estranho ao garoto escapou de sua boca.

— … se fosse Nagumo, você teria acreditado com facilidade, não teria?

— Kouki? Sério, o que você está dizendo agora? Eu não te falei que acredito em você?

Apesar de Shizuku franzir o cenho com raiva em resposta ao sarcasmo dele por um momento, o rosto da garota ficou preocupado no momento seguinte.

Kouki foi capaz de se acalmar um pouco após ver ela se preocupando com ele, mas logo a seguir, o corpo da Espadachim de repente começou a estremecer como se ela tivesse acabado de ter algo sussurrado em seu ouvido. Ela então deu um olhar fugaz para Hajime. Isso foi mesmo por apenas um momento, assim, ela desviou seus olhos após ela ver o Sinergista. Mas parecia que isso foi mais do que o bastante para uma emoção pesada surgiu dentro do Herói.

— Por ora, não há sinais das reflexões se movendo por conta própria… mas vamos tomar cuidado o máximo possível.

Hajime também estava diligentemente observando seus reflexos usando o Olho Mágico, mas ele suspirou pouco depois e deu o comando para todos tomarem cuidado. Ele ignorou a discussão entre Kouki e Shizuku.

Os outros membros estavam ouvindo a briga e observando os dois. Quando eles receberam a ordem do Sinergista, eles concordaram e voltaram a caminhar.

Então, sem testemunhar tal fenômeno estranho nas ações de suas reflexões diferindo de suas próprias, o grupo por fim descobriu uma enorme sala no fim da passagem. Dentro da sala, havia um portão gigante que tinha um estilo muito parecido com as portas seladas anteriores que eles viram. Como os portões não tinha entalhes onde algo poderia ser inserido, diferente da anterior, parecia que eles não precisariam passar pelo problema de fazer algo como coletar joias mais uma vez. Verificando a bússola, parecia que não havia enganos sobre este local ser o objetivo deles.

— Fuu, parece que finalmente conseguimos. Esses portões são o objetivo. No entanto…

— Nn… sem dúvidas isso é suspeito

— É verdade. Em geral, você esperaria ser atacado assim que chegasse aqui.

Ficando cansados do labirinto, Hajime suspirou aliviado quando viu o objetivo e usou seu Olho Mágico e habilidades de percepção para procurar pelo inimigo. Era trivial que seria fácil demais e desinteressante se não tivesse nada acontecendo na grande sala antes do objetivo. Concordando, Yue e os outros começaram e exercer cautela.

— … como esperado, sem respostas. Hmm, não temos escolha além de prosseguir.

Como imaginado, Hajime não teve uma resposta mágica. Ele ergueu suas sobrancelhas e caminhou para frente como a vanguarda. Yue e o resto do grupo seguiu atrás.

Então, no momento que eles chegaram no centro da sala, com toda certeza, isso aconteceu.

— Ah? O Sol?

Hajime pronunciou essas palavras enquanto olhava na direção da fonte de onde a luz de repente começou a surgir. Se Yue e os outros olhassem para cima também, eles poderiam apenas chamar isto de “sol”.

Brilhando de um único ponto no jato de neve no alto, a luz que isso emitia aumentava o brilho da sala de forma significante. Considerando que eles estavam em um labirinto, isso não poderia ser o verdadeiro Sol, mas o calor que ele gerava poderia causar tal equívoco com facilidade.

— … Hajime. Ao nosso redor.

Enquanto o Sinergista olhava para o alto, para o falso sol com uma cara sombria, Yue advertiu o rapaz para tomar cuidado. Em concordância, Hajime tirou seus olhos do falso sol, apenas para ver algo muito estranho.

Todo o ambiente estava cintilando. A luz atravessando o jato de neve do alto era refletida nos cristais de gelo no ar. Este fenômeno tinha um nome: pó de diamante.

Entretanto, comparado ao pó de diamante natural, algo estava errado. O brilho era sem dúvidas intenso demais. Era como se incontáveis lâmpadas flutuassem no ar. Além disso, uma parte do gelo estava brilhando cada vez mais com o tempo.

— … sinto o cheiro de algo perigoso com este suposto pó de diamante. Todos, fortaleçam suas defesas!

Para Hajime, essas lascas de gelo cintilantes eram como pequenas baterias que acumulavam energia. Ele podia dizer isso porque usava baterias para energizar suas Broca de Cruz e fazê-las voar. Ele deu um aviso ao resto do grupo. Eles estavam atordoados com o perigo que se apresentou diante deles e causou calafrios em seus corpos.

Parecia que a análise estava correta.

Eles automaticamente se reagruparam. No momento que Yue e Suzu invocaram a Interrupção Sagrada, houve um clarão.

— Uh, é como uma arma laser de alta energia.

Como Hajime previu, as incontáveis lascas de gelo voando na sala começaram a descarregar a luz acumulada como raios de calor.

Parecia que os raios brancos e finos não estavam direcionados para o grupo de Hajime, mas sim se dispersavam de forma aleatória, atingindo as paredes de gelo e o chão. Um som de “Bi!” foi ouvido assim que os raios atingiram a Interrupção Sagrada invocada por Yue e Suzu e a ignorou.

Ao que parecia, os raios eram disparados de forma aleatória. Além disso, as lascas de gelo estava girando e se movendo ao acaso, deixando a trajetória dos raios imprevisível. A cada segundo, havia cicatrizes adicionais no chão e nas paredes de gelo. Não é preciso dizer que este processo espalhou ainda mais lascas de gelo no ar. Era um círculo vicioso.

Para piorar as coisas, como se tivesse sido derrubado pelo falso sol, o jato de neve no alto começou a descer na direção do grupo. Neste ritmo, isso iria reduzir drasticamente o campo de visão deles em poucos segundos, como aconteceu no Mar de Árvores Haltina.

Tsk. Vai ser um saco sermos envolvidos na fumaça. Vamos atravessar de uma vez.

— Nn… Suzu, se prepare.

— Si-sim onee-sama!

Seguindo a instrução de Hajime, Yue dirigiu-se a Suzu para sincronizar suas ações. Elas estavam esperando pelo momento que os raios de calor se voltariam para eles. Assim, no momento que todos os raios se desconectaram, elas transformariam a Interrupção Sagrada em escudos que poderia ser acionados nos arredores, imitando a capacidade defensiva das Broca de Cruz do Sinergista.

— Vamos!

Após Hajime dar sua ordem, todos eles começaram a correr ao mesmo tempo. Enquanto isso, os raios de calor estava impiedosamente atacando os escudos da Interrupção Sagrada e os destruíam com rapidez, mas Yue e Suzu iria repará-los sempre, assim, podia se dizer que eles não teriam nenhum problema para chegar aos portões que estava a apenas cem metros de distância.

No entanto, talvez pudéssemos dizer que isso era esperado, pois eles não teriam tanta facilidade.

ZuDonn!!

Com um tremor de terra a partir do jato de neve que estava se aproximando ao alto, várias massas de gelo, cada uma do tamanho de um carro, começou a cair. Elas pareciam bem pesadas e quebraram o chão com o impacto, deixando crateras. As grandes massas de gelo eram tão transparentes que o outro lado poderia ser visto. Talvez eles fossem o que era chamado de “gelo puro”. No coração dessas massas de gelo havia cristais vermelhos escuros. O propósito deles era fácil de imaginar.

Tsk. Meu favorito. — Hajime estalou sua língua.

Como se agindo de acordo, a forma das massas de gelo na mesma hora mudou e se transformou em formas humanoides de cinco metros de comprimento. Elas seguravam uma alabarda1 em uma mão e um escudo romano2 na outra. Eles totalizava nove. Exatamente como o número de pessoas no grupo de Hajime. Encurtados e atarracados, assim como golems, eles se alinhavam para bloquear a saída.

— Vamos dispersá-los.

O grupo concordou com a ordem do Sinergista e ao mesmo tempo entrou em modo de combate para atravessar o bloqueio.

Hajime começou um ataque preventivo com Donner e Schlag. Os revólveres rugiram várias vezes, enviando balas de alto poder miradas no coração do inimigo.

Entretanto, os escudos romanos que os golems de gelo estavam segurando eram inesperadamente sólidos, e mesmo que fossem esmagados em pequenos pedaços após receberem as balas, eles conseguiram proteger os golems, mesmo que por pouco. Para resistir os ataques de Donner e Schlag após suas especificações serem aprimoradas… parecia que esses golems tinham a maior energia entre os monstros que eles enfrentaram até o momento.

— Mas, não há problemas.

— É como você disse!

— Vamos acabar com eles!

Hajime murmurou enquanto girava sua arma e a recarregava. Shia e Tio confirmaram sua declaração e dispararam projéteis sólidos e sopro de dragão. Ao mesmo tempo, os outros lançaram suas habilidades, exceto por Yue e Suzu, que estava focando na defensa.

Kouki usou Tremor da Lâmina Crescente, Kaori usou Bombardeio de Decomposição, Shizuku voou e cortou e Ryutaro usou Onda de Choque… uns nos outros.

— Uh!?

— Eh?

O ataque brilhante de Kouki lançado fez seu caminho de forma direta para Hajime. Julgando pela posição de Kouki atrás do Sinergista, e os golems de gelo em que ele estava mirando, não havia como ele ter atacado Hajime por engano.

A forma com que o Herói estava se movendo e a expressão perplexa em seu rosto, como se ele não entendesse o motivo, falava de forma mais eloquente do que qualquer coisa sobre a situação inesperada.

Ao mesmo tempo, o bombardeio prateado de Kaori que carregava sua habilidade de desintegração seguiu para Yue, o corte de Shizuku seguiu para Shia, a onda de choque de Ryutaro estava se aproximando de Hajime, de forma similar ao ataque do Herói.

Sem demora, o Sinergista pulou para fora do caminho sem se preocupar, desviando do ataque de Kouki enquanto seu poder mágico carmesim se chocou com a onda de choque do Lutador, neutralizando o ataque enquanto Hajime escapava do perigo. Yue também desviou a trajetória do bombardeio de prata usando o satélite da Calamidade do Céu, enquanto Shia estava rodando e repelindo o ataque de Shizuku usando Drücken.

— … o que você está planejando?

— … Kaori, que coragem.

— Shi-Shizuku-san? Eu-eu feri seus sentimentos?

Os golems de gelo se aproximavam com um tremor no chão e o jato de neve já tinha descido até alguns metros sobre as cabeças deles. Não havia tempo livre para ser desperdiçado, mas como esperado, não havia como eles deixarem de lado as ações estranhas de Kouki e os outros como se fosse apenas uma mera piada. Hajime e o resto do grupo que receberam o ataque estavam dirigindo seus olhares para os agressores inesperados.

O Herói e os outros que estavam perplexos com seus próprios atos voltaram a seus sentidos e mostraram agitação feroz ao mesmo tempo.

— Vo-você está errado! Eu, não queria fazer nada disso… mas quando notei… estou dizendo a verdade!

— Si-sim, isso mesmo! Não tenho nenhuma intenção de atacar Nagumo! Acredite em mim!

— Is-isso é verdade! Quando eu notei, o ataque já estava seguindo para Yue… por que eu faria… uma coisa dessas…

— Eu sinto muito Shia! Mas eu também não entendo o porquê isso acontecer. Eu planejei cortar o inimigo, mesmo assim…

Kouki e os outros deram desculpas com desespero. Ao que tudo indicava, inconscientemente, seus corpos se moveram por conta própria e seus alvos mudaram por completo. Hajime franziu o cenho enquanto verificava o sopro lançado pelos golems de gelo. Na mesma hora, Tio compartilhou sua suposição.

— Mestre. Pouco antes de eles atacarem, esta acha que ouviu a voz sussurrante… é uma possibilidade.

— Chih, você está dizendo que é algo como um controle mental?

— Esta não sabe se chegaria a isso. Mestre. Yue, Shia, e esta não foram afetadas, tu não achas que isso não é coincidência?

— … problemático. É difícil cancelar a interferência no território do subconsciente.

Se eles sofreram lavagem cerebral por magia, bastaria curá-lo usando a magia de regeneração ou a cura de condições anormais de Kaori. Contudo, até o fim, este era um estímulo mental. Além disso, era uma interferência no subconsciente. Como imaginado, até Yue teria dificuldade em lidar com uma coisa dessas. Para explicar melhor, o fator científico aqui era mais forte do que o fator mágico.

— Agora que as coisas chegaram a este ponto, espancar todos eles até que fiquem à beira da morte…

O olhar de Hajime mostrava o quão perturbado ele se sentia com a situação, seus olhos se semicerraram de forma perigosa enquanto seu olhar se arrastava entre Kouki, Ryutaro, Shizuku e Kaori. Ele começou a falar palavras perigosas. Kouki e os outros deram um passo para trás, querendo ser poupados disso porque eles não eram uma televisão antiga que poderia ser consertada com uma porrada. Suor frio escorria por seus rostos.

Enquanto eles faziam tais coisas, o jato de neve que cobria o ar acima estava se aproximando do chão.

— Céus, no fim, o que vamos fazer?

Uma multidão de Golems de Gelo estava bloqueando a frente. Havia um campo de visão ruim onde era difícil enxergar até a pessoa a seu lado. Acima disso, havia aliados que poderiam realizar fogo amigo.

Suzu estava os defendendo contra o ataque de laser com um olhar desesperado que se expressava com dificuldade com Hajime e o resto do grupo, ainda em um impasse.

Dentro do espaço onde o campo de visão ficava cada vez menor a cada momento com o jato de neve, no momento em que a figura de seus companheiros desaparecesse, o Sinergista ergueu sua voz.

— Todos, ataquem sem medo e esmaguem os golems!

O estímulo mental e o jato de neve eram os desafios que o grande calabouço preparou. Se tudo fosse coberto pela névoa bloqueando suas visões, a possibilidade de seus ataques serem guiados para um aliado era maior. Não, ao invés disso, se as coisas não fossem assim, então isso não seria um desafio. Assim, em nove de dez casos, como eles não podiam se ver, seus ataques seriam mirados com precisão em seus aliados.

Hajime disse essas palavras por esse mesmo motivo. Os alvos eram Hajime, Yue e Shia. Ele imaginou que o fogo amigo de Kouki e seu grupo não teriam importância.

— Bom, se o ataque for guiado para qualquer outro além de nós… minhas condolências.

Ele ficou incapaz de detectar a presença de Yue e os outros, toda a superfície de sua visão se tornou branca, o Sinergista murmurou para si mesmo dentro de tal espaço. Eles decidirem desafiar o grande calabouço. Não seria o bastante para eles confiaram por completo em outra pessoas. Eles tinham que fazer algo por conta própria contra algo deste nível. Afinal, ele os apoiou um pouco até que eles chegassem até este local.

E nesse momento, vários raios de laser atravessaram o véu do jato de neve e se aproximaram. Parecia que o laser estava descontrolado, mesmo dentro do jato de neve. Ele não poderia ver eles chegando até pouco antes de ser atingido, assim, a complicação do ataque aumentou ainda mais.

Entretanto, os pés de Hajime recuaram, sua cabeça se inclinou e seu corpo se movimentou um pouco. Ele desviou de tudo dessa forma. Para Hajime que estava em um estado onde a Velocidade da Luz estava ativada, mesmo que fosse uma bala de seu próprio canhão eletromagnético, ele poderia desviar com tranquilidade se visse o projétil a trinta centímetros de seu corpo. Não é preciso dizer que o mesmo valia para o laser superquente. Era fácil pressentir ao usar Detecção de Calor, então não havia nenhum problema.

Logo após Hajime se esquivar do laser…

GOU!! Tal vento forte acompanhou uma alabarda de gelo que era quase transparente e foi desferida contra o rapaz. Isso também foi evitado com facilidade ao abaixar suas pernas, deixando apenas metade de seu corpo visível. O agressor era um Golem de Gelo.

O golem de gelo atacou Hajime e a alabarda que partiu o chão foi desferida horizontalmente usando força bruta na perseguição de seu alvo. O vento forte uivou mais uma vez. A superfície do gelo foi esmagada de forma explosiva, fragmentos de gelo se espalharam na direção de onde a arma atingiu.

Mas a figura de Hajime já não estava mais lá. O golem de gelo também congelou por um momento após perder de vista seu alvo.

— Você é um cara lento, assim como sua aparência indicava. — Essa voz mais fria do que a temperatura do ambiente ressoou diagonalmente atrás do golem.

À frente do olhar do golem de gelo que se virou em choque… na ponta da alabarda que ele usou para atacar, a figura do Sinergista estava ali. Sem perceber, Hajime chegou na cabeça da arma com Schlagen preparada, seu cano apontado para o coração do monstro. As faíscas irrompendo iluminaram o transparente e incolor golem de gelo em carmesim.

O golem de gelo não perdeu tempo para movimentar sua arma, tentando derrubar o garoto, mas ele já estava atrasado demais.

Dessa forma…

DOU!!

Junto com tal som, a pedra mágica junto da parte superior do golem de gelo foram explodidas e se tornaram lascas.

Hajime pulou para trás usando o golem de gelo destruído como apoio. Então, o jato de neve foi soprado quando um ataque brilhante voou contra ele. Logo após isso, uma onda de choque também se aproximou de outra direção.

— Oops. Como imaginado, eu ainda posso ser um alvo dentro deste jato de neve.

Hajime estava desviando do laser enquanto sorria com ironia porque a situação seguiu o que ele esperava. O jato de neve diante de seus olhos começou a formar um vórtice. O Sinergista apertou seus olhos com o que estava acontecendo.

Esse vórtice se tornou uma espiral que parecia um tornado e seguia em uma linha reta. Como no olho de um furacão, não havia um único fragmento de gelo dentro do centro da espiral. Parecia que o laser também não estava atravessando isso. E então, à frente do espiral se tornou a porta que era o objetivo deles.

— … então há um golem para cada um de nós. Controle mental e tempestade de laser. Este lugar está nos dizendo para escapar disso e derrotar os golems, hum. Muito bem, me pergunto se Amanogawa e os outros podem realizar isto?

Hajime, que facilmente venceu o desafio, enviou um olhar na direção de onde o corte e a onda de choque vieram, então ele encolheu seus ombros e começou a caminhar com calma na direção do objetivo através do túnel do jato de neve.

— De novo…

Sem qualquer tempo para ficar consciente do xingamento que escapava sem intenção, Shizuku desviou com desespero da alabarda incolor e transparente que se aproximava, acompanhada do forte vendo.

Ela lançou um corte na direção além. Como sua postura foi destruída e uma abertura provocada, ela foi incapaz de desviar de forma satisfatória. Um som cortante pôde ser ouvido, vários fios de sua franja foram cortados enquanto manchas brancas de condensação vinham da passagem brutal da lâmina.

A Espadachim caiu de costas enquanto fazendo uso do impulso para conseguir voltar a ficar de pé. Ela então respirou profundamente, algo que ela esteve segurando por todo este tempo. Era como se essa respiração fosse o sinal. Desta vez, incontáveis raios de calor se aproximavam de todas as direções para parti-la ao meio.

— Kuh.

Se ela fosse tocada, seria morte instantânea. Ela saltou para trás para desviar do raio de calor enquanto sentia a alta temperatura em suas costas e sobre sua cabeça.

Shizuku escapou da morte por um fio de cabelo com movimentos acrobáticos. Desta vez, uma parede se aproximava enquanto não a dava tempo para recuperar seu fôlego. Havia o escudo romano do golem de gelo que avançava sem se importar com os lasers que eram lançados em todas as direções pelo local. O escudo de gelo transparente com uma espessura que chegava a trinta centímetros parecia uma parede tão de perto.

A investida usando o escudo que surgiu quase ao mesmo tempo em que a garota aterrissou já era impossível para se desviar. E assim, o poder do ataque foi enorme com a massa do golem de gelo.

— Guuuuuuuh!!

Sem perder tempo, Shizuku conseguiu de alguma forma aliviar o impacto da investida ao saltar para trás, mas, como esperado, o impacto atacando todo o seu corpo a fez soltar uma voz angustiada sem querer.

Mesmo assim, ela obstinadamente sacou sua katana negra mesmo enquanto era arremessada para trás com medo da possibilidade de ser perseguida.

— Corte tudo, “Garra Crescente”!

Contudo, a lâmina voadora invisível se virou muito para a direita, ao contrário da intenção da Espadachim. Isso era natural. Pois seu corpo se moveu subconscientemente e seu ataque foi mirado para um ponto além. Com certeza havia alguém que deveria estar na frente desse corte.

Shizuku, que atingiu o chão enquanto cerrava seus dentes, se perguntou se ela atacou um aliado assim que se levantou com desespero, mesmo com sua respiração irregular. E então ela determinou que nesta batalha, técnicas de longo alcance não deveriam mais ser usadas.

Hajime disse a eles para lutarem sem reservas, mas mesmo antes, aquela abertura após sua técnica foi grande demais. Usar técnicas de forma indevida em um campo de batalha onde viver ou morrer era decidido em milissegundos era fatal.

Além disso, se fossem Hajime e seu grupo, então eles com certeza lidariam com o ataque indo até eles com facilidade, mas o fato de que ela estava atacando um aliado lhe causaria dano mental.

Também havia a questão de que sua falha era um incômodo para os outros e, acima de tudo, o que o ataque dela sugeria…

“Na verdade eu estou com inveja.”

Ela não poderia evitar de ficar consciente disso.

— Gofuh, ca-cale a boca!

Ela tossiu com violência e cuspiu um pouco de sangue. Parecia que ela tinha um ferimento interno. Ela se convenceu que prolongar a batalha seria perigoso enquanto limpava o sangue com sua mão. Então, nos ouvidos de Shizuku, a voz sussurrante ressoou mais uma vez. Sem querer, ela ergueu uma voz irritada que expôs sua irritação.

“Por que sou só eu?”

— Já te falei para calar a boca!

O golem de gelo se aproximou com um tremor que se espalhava pelo chão. Mesmo enquanto criava distância recuando, seu coração agitado não se acalmava. Por um instante, no momento que sua atenção foi dividida, um laser surgiu como se estivesse esperando por esse momento. Ele rasgou superficialmente o ombro da Espadachim.

No limiar do olhar de Shizuku, que recuperou seus sentidos com a dor, um raios de calor abaixo estava se aproximando de modo visível. Ao invés de um ataque pela frente com uma pontaria precisa, este era um ataque horizontal fazendo um arco amplo. Neste ritmo, o torso da aluna seria dividido em dois.

Com o impacto em seu ombro, seu equilíbrio ruiu, e ela ficou incapaz de desviar, Shizuku na mesma hora colocou a katana negra entre o raios de calor e seu corpo. Com a lâmina da katana negra, mesmo que a garota tivesse uma cintura fina, não havia como a lâmina poder agir como uma cobertura para ela. “Só preciso evitar um ferimento letal!”, Shizuku possuía tal esperança, mas nesse ponto, isso era algo para se esperar de um artefato de Hajime.

De forma alguma a Espadachim planejou isto, mas a lâmina da katana negra que foi segurada em um ângulo sutil, com sua lâmina da cor do azeviche que parecia engolir a luz por ser polida ao extremo em busca do fio ideal, de alguma forma, refletiu o laser.

— Hã?

Shizuku, que escapou de sua crise com um método inesperado, soltou uma voz estúpida por reflexo.

Lá estava o golem de gelo brandindo sua alabarda enquanto disparava para a frente. A Espadachim recuperou sua compostura com um — Hah. — enquanto se preparava, ela se moveu para o ponto cego que ficava ao lado do escudo romano para desviar enquanto desferia um poderoso corte ao passar sobre o golem.

— Rasgue tudo, “Florescer Cintilante”!!

O rompimento do espaço que foi lançado assim que os dois se cruzaram separou o escudo do golem de gelo junto com o braço que o segurava.

Lasers estavam mais uma vez seguindo até Shizuku, que estava alerta após passar por seu inimigo. Mas a Espadachim já não estava mais abalada.

— Avante, “Desembainhar Celestial”!

A lâmina da katana negra que foi erguida para o alto desviou as trajetórias dos lasers ou os puxou para mais perto do meio, desenhando uma linha anormal. E então, no momento em que os lasers tocaram a lâmina, eles foram refletidos de forma esplêndida, sendo lançados no golem de gelo que estava bem atrás de Shizuku, tentando regenerar seu braço.

Como imaginado, parecia que o golem não poderia ignorar ser atingido pelo laser focado de frente, o monstro inclinou sua alabarda no lugar do escudo romano que ele perdeu, tentando escapar da ameaça do laser que ficou duas vezes maior.

Mas a Espadachim não permitiria algo como isso. Mesmo enquanto continuava a refletir o laser, ela corrigiu sua postura para que a katana negra ficasse na horizontal e ela seguiu direto para dentro da bainha. E então a garota encarou o golem de gelo que não poderia se mover com o laser focado e avançou enquanto respirava fundo.

— Quebre, “Onda Escaldante”!!

A estocada com a bainha espalhou ondas azuis escuras, enquanto no instante seguinte, um feroz impacto foi criado. O lugar atingido contornou a defesa da alabarda e se afundou no peito do golem.

“Bishiri!“, o gelo transparente tinha uma enorme rachadura.

— Voe, “Céu Distante”! Destrua, “Lampejo Pesado”!!

Em um instante, Shizuku se livrou do laser convergido e cortou o golem com um golpe da katana negra.

“Lampejo Pesado” era uma habilidade que cortava a própria base da gravidade e por alguns segundos criava um estado de ausência de peso.

Assim como ela almejava, o enorme corpo do golem de gelo que ainda tinha a bainha presa em seu corpo flutuou com leveza.

— !?!?

— aAAA!!

Os braços e pernas do golem se debateram com a experiência completamente inesperada enquanto soltava um grito silencioso. Durante esse momento, Shizuku soltou um grito enérgico enquanto usava a bainha como o ponto de apoio para erguer o golem de gelo e esmagá-lo contra o chão de seu lado oposto com um movimento.

A figura de uma garota magra erguendo um gigante com cerca de cinco metros parecia irreal. O corta da gravidade criado pelo Lampejo Pesado afetava apenas a coordenada cortada, assim, após o golem ser levantado para o lado oposto, ele recuperou seu peso e caiu em queda livre.

Dessa forma, o golem de gelo foi atingido nas costas com um grande impacto, no fim, a bainha que ainda estava presa em seu corpo se afundou ainda mais. Chegou ao ponto em que a ponta da bainha alcançou a pedra mágica.

— Este é o fim, “Onda Escaldante”!!

Mesmo enquanto respirava com dificuldade, Shizuku proclamou o xeque-mate, concedendo o último impacto ao inimigo.

Barin”, tal som surgiu e a pedra mágica se partiu. A forma do golem de gelo desmoronou.

— Haa haa… fazendo isto eu mesma ainda foi apenas por pouco… não foi?

Enquanto apoiava seu corpo usando a bainha, Shizuku mostrou um sorriso autodepreciador. Ela foi capaz de derrotar um monstro do Grande Calabouço sob condições extremas, então não havia necessidade para essa autodepreciação, porém…

Do outro lado do túnel do jato de neve criado diante de seus olhos, Hajime, Yue, Shia, Tio e Kaori já estavam lá… ela não poderia dizer nada.

A Espadachim se comparou com a Curandeira que estava correndo até ela com um olhar preocupado e sorria sem graça enquanto embainhava sua katana negra. Som agradável que a arma fez foi como o som de mãos apertadas em uma oração em um templo. Isso clareou a nuvem negra em seu coração, só um pouco.

— … fazendo isto eu mesma… isso também não é bem verdade, não é?

Olhando para a katana negra presa em sua mão, Shizuku murmurou para si mesma dessa forma. Ela foi capaz de escapar da situação difícil sem dúvidas graças ao presente da pessoa que recentemente estava fazendo seu coração bater mais forte.

Por algum motivo, Shizuku beijou a katana negra. Até o fim essa era a expressão dela agradecendo sua parceira. De nenhuma forma ela estava imaginando um certo alguém do outro lado da katana negra. De forma alguma!

Mesmo assim, talvez ficando envergonhada pelo próprio ato, as bochechas de Shizuku enrubesceram um pouco e com um caminhar apressado, ela começou a andar para dentro do túnel orando para que seu rosto queimando não fosse exposto para seu melhor amigo que se aproximavam.


Tradutor:



Notas

[1] Alabarda é uma arma antiga composta por uma longa haste. A haste é rematada por uma peça pontiaguda, de ferro, que por sua vez é atravessada por uma lâmina em forma de meia-lua (similar à de um machado), com um gancho ou esporão no outro lado. Está incluída na categoria de armas de cabo longo, que se tornaram mais conhecidas no século XVI.

[2] Escudo romano, por vezes chamado escudo longo (scuta longa), na Roma Antiga, era um escudo utilizado pelos infantes romanos desde a época da fundação de Roma (753 a.C.) até a Queda do Império Romano do Ocidente, ocorrida em 476 d.C. Ele passaria por numerosas alterações na forma, materiais empregados e tamanho. Sua principal função era cobrir o corpo do soldado contra a ofensiva inimiga, mas também permitia que os combatentes se organizassem na chamada formação tartaruga. O escudo romano originalmente chamava-se clípeo e tinha uma forma arredondada.



Fontes
Cores