Arifureta – Capítulo 125 – Mesmo que a aparência mude


ZUDOOOOON! DOOGOOOON! GOOBAAA!

Um rugido sacudiu o chão no mar de árvores várias vezes, criaturas que habitavam o local estavam desesperadas tentando escapar do centro da explosão.

— Oraa! Vou destruir esta floresta, saiam do meu caminho!

Entre os sons que urravam consistentemente, você poderia ouvir um grito.

Era a voz de Hajime.

A propósito, era ele quem bombardeava o mar de árvores no momento enquanto espalhava os estrondos. Uma veia em sua testa estava aparecendo enquanto ele usava “Orkan”.

— H-hmm, Hajime-san, mais do que isso será…

— É verdade, Hajime-kun, tenho certeza que as feras mágicas já morreram, então…

Sem esconder sua raiva e loucura, centenas de foguetes e mísseis já tinham sido lançados pelo Sinergista, que continuava atirando bombas de fragmentação com as “Brocas de Cruz” do céu na direção da floresta, enquanto Shia e Kaori tentavam o deter.

Entretanto…

— Então, qual o problema?

— Ih, não é nada.

— Un, sinto muito por ter te incomodado.

As duas retiraram suas falas anteriores na mesma hora porque Hajime olhou para trás com olhos vermelhos.

— Uu… assustador. Shizushizuuuu, detenha-o.

— Não me peça o impossível Suzu. Eu ainda não quero morrer. Acho que o motivo para ele estar tão nervoso é razoável…

Shizuku suspirou enquanto acalmava Suzu, que estava se agarrando a ela. Ela olhou um pouco para o lado. Havia uma figura se agachando que estava segurando seus próprios olhos com ambas as mãos enquanto choramingava.

— Meus olhoooos, meus olhooooos, maldito seja Nagumo! O que você está fazendo tão de repente!?

Uma voz de agonia apareceu como a de um certo coronel. Esse era o estado de uma pessoa que teve seus olhos rasgados. Aliás, de acordo com as palavras dos envolvidos, os olhos de Kouki foram perfurados por Hajime, que usou seus dedos como se fossem tesouras.

Por que o Sinergista estava tão irritado que queimou a floresta e destruiu os olhos de Kouki?

Após Hajime e os outros lutarem com as abelhas, eles procuraram no mar de árvores por aproximadamente 30 minutos. O motivo foi o encontro com uma certa fera mágica.

O monstro era um tipo de macaco que atacava em bandos. Os ataques surgiam de todos os ângulos com a ajuda das árvores como pontos de apoio e isso era bastante problemático. Eles estavam equipados com espadas e porretes. Embora não fosse possível dizer onde eles conseguiram essas armas.

Kouki, Shizuku e Suzu estavam lutando com os macacos e foram feitos de bobos com os movimentos traiçoeiros deles. Naturalmente, as feras mágicas em forma de macaco não eram inimigas para Hajime, como poderia se esperar.

O garoto, que queria se juntar a Yue o mais rápido possível, deixou o grupo de Kouki praticar com o inimigo até certo ponto.

Era possível para os macacos terem um pouco de inteligência? Os monstros macacos tentaram obter reféns. Contudo, para Hajime, uma ideia desse nível era tola demais. Os macacos que tentaram fazer reféns foram todos mortos.

Nessas circunstâncias, os monstros perceberam que eles não eram páreo e tentaram se retirar, no entanto… sem querer, eles fizeram a escolha errada. Era a pior decisão que eles podiam ter tomado.

A principal causa foi a magia peculiar dos macacos-monstro: “Mimetismo”. Era a mesma que aqueles Slime de cor enferrujada usaram e deixaram Hajime furioso.

Eles também tinham a informação do grupo de Yue e foi possível para eles se disfarçarem como companheiros que se separaram do outro grupo. Contudo, diferente do Slime de cor de ferrugem, os macacos-monstro eram mais inteligentes.

Em outras palavras, era possível para eles imitarem ações que iriam perturbar seus alvos. Eles pensaram assim.

Como resultado, eles usaram “Mimetismo”. Isso devia ser usado contra o inimigo mais perigoso com a pessoa que ele mais valorizava. Esse era o método mais sujo que eles tinham para abala-los.

Os macacos-monstro arrastaram seu irmão que usou mimetismo atrás das moitas. Sua aparência era a de Yue. A figura que foi arrastada estava muito machucada e com uma aparência vulgar. Como isso se baseava na informação do grupo teleportado, a aparência era exatamente a mesma da verdadeira.

É claro que Hajime foi capaz de reconhecer o mimetismo do Slime de cor de ferrugem, ele obviamente sabia que isso não era Yue.

Mesmo assim, com a nudez e a aparência miserável de Yue, você não poderia dizer a diferença entre a falsa e a real. Quando diminuiu a distância com seu “Teletransporte”, os olhos de Kouki, que quase viram a imitação de Yue, foram esmagados.

Neste momento, embora Hajime já estivesse começando a perder sua calma, ainda não era o bastante para afetar sua razão. Porém, os macacos-monstro, apesar de sua elevada inteligência, não podiam reconhecer a situação. Eles bateram na imitação de Yue na frente de Hajime enquanto sorriam. Além disso, o monstro mímico estava imitando a voz da vampira. — … Hajime, me ajude. — Tudo ficou sério por causa disso.

Nesse momento, todos ouviram algo. “CRACCC!” foi o som que eles ouviram e algo estalou.

E agora, você podia ver uma parte do mar de árvores cercada por chamas do inferno.

O campo queimado que tinha 500 metros em todas as direções já estava completo. Se você olhasse em alguns pontos, poderia ver humanoides carbonizados. Nos destroços, monstros em forma de abelhas e formigas também estavam visíveis.

Como esse foi um ataque aéreo instantâneo, era improvável que alguma fera mágica tenha escapado, a menos que alguma delas pudesse criar uma metástase espacial.

Após Hajime queimar tudo no mar de árvores, ele avançou enquanto ignorava todo o resto.

— Por favor, vocês não podem desistir! Quem mais pode deter Hajime-san além de Shia e Kaori!

— Mas…

— Nada de “mas”. Por que você desistiu agora? Tudo acaba quando você desiste! Agora, dê o seu melhor! Aguente firme! Você consegue, você consegue! Uma donzela apaixonada é invencível!

As palavras de Shizuku, que faziam lembrar as de um treinador, inspiraram Shia e Kaori. Para ser franco, Shizuku estava desesperada para fazer as duas irem até Hajime, já que estava difícil se aproximar dele agora.

Sem saber das verdadeiras intenções de Shizuku, Shia e Kaori assentiram com a cabeça e pularam no Sinergista enquanto ele estava recarregando “Orkan”.

— Hajime-san! Pare com isto!

— Isso mesmo Hajime-kun. Você pode acertar o grupo de Yue com isso!

Ele encarou Shia e Kaori se agarrando a ele. Hajime parecia estar insatisfeito e mostrou expressões distorcidas enquanto erguia sua voz dizendo: — Hã? Hã?

A imagem era, não importava como você olhasse para isso, a de uma pessoa que queria extravasar sua raiva. Contudo, assim que o garoto viu as duas, ele recuperou sua compostura após um tempo.

— Fuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu, eu entendi. Por ora, vou deixar as coisas como estão. Me sinto revigorado após atirar.

Hajime relaxou seus ombros e chamou as “Brocas de Cruz” e as guardou junto de “Orkan” dentro da “Caixa do Tesouro”. Shia e Kaori recuperaram a compostura e soltaram suspiros aliviados.

— Me desculpem, eu fiz vocês se preocuparem comigo.

— Não, eu também fiquei nervosa com o método deles. Isso era inevitável.

— Un, sério, isso foi horrível… em certo sentido, isso era esperado de um Grande Calabouço.

Quando Hajime recuperou sua compostura, ele mostrou um sorriso sem graça, as duas garotas sacudiram suas cabeças em negação.

Enquanto o Sinergista estava falando com uma parte do mar de árvores que quase se tornou um deserto como plano de fundo, Shizuku avançou com as bochechas contraídas.

— Nagumo-kun, se você já se acalmou, você poderia fazer algo sobre Kouki…

Com essas palavras, — Ah, agora que você mencionou isso… —, Hajime se virou para o Herói.

Kouki estava derramando lágrimas enquanto soluçava. Sua figura era indescritivelmente penosa. Na mesma hora, Kaori usou magia de cura quando isso foi sugerido com um olhar.

— Uu, esta sensação. Isso é magia de cura? Ó, eu posso ver a luz.

Kouki estava livre da dor em seus olhos e parecia alegre. Além disso, quando Hajime, que era o responsável pela dor, foi visto, o Herói ergueu seus olhos e soltou uma voz de protesto.

Shizuku explicou a situação e seu colega mostrou uma cara insatisfeita.

— Entenda Amanogawa, apesar de eu ser culpado, não pude me conter. Foi um momento crítico onde a aparência imprópria de minha amada seria vista por outro homem. Os olhos… de um homem devem ser esmagados nesse caso, você não concorda?

— O que há com esse seu “senso comum”? Não me peça um consentimento com esse tom. Eu quase fiquei cego. Em primeiro lugar, como você pode reconhecer as imitações? Deixando de lado a verdadeira, quando penso sobre como tive que experimentar a dor por causa daquela impostora… estou muito zangado.

— Você é um idiota. Comparando sua visão com Yue quase nua… é como comparar uma pedrinha com uma joia de alta classe.

— Meus olhos não são pedrinhas!

Kouki contestou Hajime e mostrou ressentimento contra ele, enquanto o Sinergista ignorava essa declaração, ele voltou para sua procura.

Como a outra parte não levou ele a sério, Kouki começou a ficar ainda mais irritado. Shizuku e Suzu tentaram tranquilizar a situação. Em certo sentido, elas estavam em dívida com uma garota familiar. Esse era um ponto em comum desagradável.

Nesse momento, Hajime detectou uma presença com sua “Detecção de Presença”. Ela estava se aproximando com a velocidade de um trote.

Julgando pela sensação do sinal, não parecia ser um inimigo muito poderoso. Dessa forma, Hajime olhou mais uma vez para o mar de árvores com uma cara de dúvida.

Shia também inclinou seu pescoço enquanto encarava as profundezas da floresta.

Kouki imaginou que algo se aproximava, já que os dois estavam agindo dessa maneira. Era uma criatura que lembrava um goblin, enquanto criava sons sussurrantes. Ele tinha pele escura com um rosto feio e distorcido; o monstro vestia um trapo e tinha cerca de 1,4 metro de altura.

O goblin emitiu um “Guga” quando viu a figura de Hajime. Embora ele tenha gritado com uma voz animada, seus movimentos pararam como se estivesse assustado com sua própria voz. Ele parou e olhou para o Sinergista. Vendo o rosto do monstro, intenção assassina foi liberada.

Na verdade, foi Kouki quem agiu.

Como ele não desempenhou um papel ativo na batalha anterior, um sentimento de irritação surgiu e o garoto disparou contra o goblin. Ele diminuiu a distância em um piscar de olhos com sua Espada Sagrada em mãos.

Contudo, o goblin, cuja vida seria ceifada, por um momento, seu olhar se voltou para Kouki, mas ele ainda não mostrou nenhum comportamento de assumir uma postura defensiva.

Por um instante, até Kouki teve dúvidas sobre isso, ele desferiu sua Espada Sagrada porque você não poderia ser descuidado com feras mágicas em um Grande Calabouço.

Nesse momento, quando a Espada Sagrada envolta em luz quase cortou o estranho goblin em dois…

— O que você está fazendo idiota!?

— Nnabbubera?

Hajime, que foi pego no momento, chutou Kouki para longe com um “Rolling Sobat1. Um grito estranho surgiu e Kouki desapareceu no interior do mar de árvores, como se tivesse sido atingido por um caminhão basculante.

Apesar do monstro diante deles, Shizuku estava pasma com a cena de um aliado sendo atirado para longe com um “Rolling Sobat”. Ela não poderia ignorar essa ação, então a garota ergueu seus olhos com raiva e se apressou na direção de Hajime.

— Espere um momento Nagumo-kun! O que foi isso!? Não importa como você analise a situação, isso foi irracional. Kouki só queria derrotar a fera mágica!

— É verdade! Ou melhor, Kouki-kun está bem? Devemos ir logo procurar por ele.

Shizuku e Suzu mostraram olhares de crítica para Hajime. Shia e Kaori também não entenderem a razão para a ação do Sinergista.

Entretanto, o garoto não ouviu as vozes delas, ele só encarou o goblin diante dele.

Nos olhos das garotas, Kouki foi chutado para longe por Hajime sem motivo e Shizuku ficou atenta com a existência do goblin.

O Herói voltou do mar de árvores enquanto esfregava seu braço. Ao que tudo indicava, ele parecia estar bem. Contudo, parecia que ele estava a ponto de pular em Hajime enquanto fúria era emitida de todo o seu corpo.

— … Nagumo. Por que você fez isso? Por que você entrou no meu caminho? A situação é diferente da de antes. Não invente desculpas. Protegendo um monstro, você está são?

— Isso não é um monstro.

— O que você disse?

Sem reagir a fúria de Kouki e ignorando o murmúrio dele, o Sinergista se ajoelhou na frente do ainda imóvel goblin. Todos os outros estavam espantados com essa atitude e estavam duvidando dele cada vez mais. Apenas Shia notou algo e murmurou: — Sem chances…

Hajime, que estava olhando os olhos do goblin, disse palavras que deixaram todos sobressaltados.

— … você é Yue, não é?

— Gugya!

— … o quê!?

— … o quê!?

— … o quê!?

Enquanto Kouki e os outros estavam parados com suas bocas abertas, Hajime não hesitou e tomou a mão do goblin e murmurou: — Yue… — O goblin, com um grito contente, respondeu: — Gugya.

— Ehm, Hajime-san. Eu nunca imaginaria que isso era Yue-san. Uhm, só consigo ver um monstro…

— Eu-eu só vejo um monstro. Isso é mesmo Yue?

Shia e Kaori ergueram vozes de dúvida, enquanto olhavam para o goblin diante delas. O goblin começou a gritar/reclamar com Hajime dizendo: — Gugya, gugogo, gyaagya! —, enquanto olhava para as duas. Seus ombros encolheram porque ele não era capaz de falar com elas.

Contudo, Hajime estava ali. Nada era impossível para o homem que amava Yue.

— Sim? Siiiim. A próxima coisa que você percebeu foi que sua aparência mudou após a transferência?

— !!! Gugya! Gugogo.

— Fumu, então isso só mudou o corpo…

— Gugya… gyagya, gugi.

— O equipamento também foi perdido? Ó, você seguiu as marcas que eu deixei?

— Gugutsu… gogagoga.

— “É verdade, Hajime deve estar no local de onde estão vindo as explosões”? Bem, você não estava errada…

— … gyuuu, gogo.

— Então é isso, você não é capaz de usar magia… mas você não sente nenhuma outra mudança?

— Gigigi, gagi.

— Bom, deve estar tudo bem. Isso deve ser um dos desafios. Foi o inevitável início do jogo.

— … gyuuu.

— E Tio e Sakagami não estavam com você. Talvez o que aconteceu com Yue tenha acontecido com eles. Eu ainda não sei nada sobre as feras mágicas daqui… bem, não se preocupe com isso Yue. Vou fazer algo a respeito disso, como sempre.

Uma conversa normal foi estabelecida.

— …

— …

— …

— …

— …

Kouki e os outros estavam sem palavras. Hajime não tentou esconder o fato de que estava feliz por se reunir com sua amada e sorriu.

— Este tipo de coisa… vamos tentar usar a “Magia de Regeneração”.

— Não, não, não, não, espere, espere, espere, espere.

— Não, não, não, não, espere, espere, espere, espere.

— Não, não, não, não, espere, espere, espere, espere.

— Não, não, não, não, espere, espere, espere, espere.

— Não, não, não, não, espere, espere, espere, espere.

— Ó, qual o problema?

Kouki e o resto do grupo retorquiram em uma linda harmonia e olharam para o Sinergista com expressões confusas. Todos queriam contestar Hajime ainda mais. Ou melhor, eles não eram mais capazes de se segurarem.

— Isso não é estranho? Isso é estranho, não é? Como vocês se comunicam? Como se nada estivesse errado!?

— Como se nada estivesse errado… eu falei porque isso é Yue.

— Suzu só ouviu “Gugya”! Nenhuma outra palavra! Como você entendeu isso?

— Não, com sentimentos… é possível falar com os olhos.

— Isso me lembra que vocês sempre ficam se encarando… isso é mesmo útil em um momento como esse… como os dois se comunicam quebra as leis do universo.

— Não, isso é normal para amantes.

— Isso não é normal. Obviamente, isso não é normal… o que devemos fazer? O assento de “especial” parece cada vez mais distante.

— Espere Nagumo-kun. Como você notou isso? Você percebeu antes de me chutar?

— Como eu percebi? Você sabe… é uma história simples.

Muitas contestações foram feitas e os outros estavam com expressões cansadas por causa da resposta de Hajime com seu próprio senso comum. No fim, Kouki fez uma pergunta para o Sinergista, que olhou pacificamente para Yue em forma de goblin,

— É só que… a aparência dela pode ter mudado, mas eu nunca perderia Yue de vista.

— … então é isso?

— … então é isso?

— … então é isso?

— … então é isso?

— … então é isso?

— … gugya.

Com uma expressão que fazia parecer que ela era feita de açúcar, Yue (versão goblin) respondeu com alegria ao grupo de Kouki.

— Deixando isso de lado. Kaori, vou deixar a “Magia de Regeneração” com você.

— Ah, un, entendido… muito bem, aqui vamos nós Yue: “Imitação Absoluta”!

Kaori, cujos olhos mantinham um pouco de sua sanidade, recebeu um pedido de Hajime, ela se virou na direção de Yue (versão goblin) e usou a “Magia de Regeneração”. Não é preciso dizer que a magia de regeneração era uma magia da era dos deuses e seus efeitos eram enormes. O grupo de Hajime pensou que isso fosse devolvê-la para sua aparência original se ela fosse usada…

— Gugya?

— O quê? Por quê? Mais uma vez: “Imitação Absoluta”!

A figura de Yue não voltou ao normal.

Era como se a “Magia de Regeneração” não se ativasse. Uma luz prateada caiu sobre Yue, mas a magia de Kaori foi apagada com um som de algo sendo mastigado. Ainda não havia sinal da aparência de Yue voltando ao normal.

— Por que…

— Gugya…

Kaori estava surpresa e Yue (versão goblin) encolheu seus ombros de forma abatida. Até os outros estavam com expressões preocupadas. No meio disso, Hajime cruzou seus braços e tocou sua têmpora enquanto remoía o fenômeno.

O Sinergista estava com uma expressão penosa. Yue (versão goblin), enquanto segurava a borda de suas roupas, olhou para ele com uma expressão desconfortável. Ela também imaginou que seria difícil fazer alguém voltar ao normal com a “Magia de Regeneração”.

Para tal Yue (versão goblin), Hajime voltou de seus pensamentos profundos e mostrou um sorriso vibrante para ela.

— Está tudo bem Yue. Já disse isso antes, caímos na armadilha, mas um “Game Over” é impossível desde o início. Deve existir um método para fazer você voltar ao normal. Acredito que a “Magia de Regeneração” não funciona porque a qualidade da magia da era dos deuses é diferente. Um método especial precisa ser usado. Essa é uma verdade óbvia, já que os desafiantes do teste precisar ter a “Magia de Regeneração”. Não faria sentido para o teste se essa magia funcionasse. Em todo o caso, vamos encontrar o método para te fazer voltar ao normal se seguirmos em frente.

— … gugya.

— Aa, não se preocupe com isso. E, acabei me esquecendo. Você pode segurar isto?

— … gigi?

Hajime entregou a Yue (versão goblin) um par de brincos de joias. Como ela se transformou e não podia usar magia, ele imaginou que ela precisava de algo e a deu um artefato… “Joias Telepáticas”.

“… Hajime? Hajime? Você consegue me ouvir?”

Assim, uma voz adorável afetou o espaço, da mesma forma que acontecia com a transformação de Tio em dragão. A expressão do Sinergista relaxou e ele parecia muito feliz enquanto ouvia uma voz querida e nostálgica, mesmo que fosse apenas por um momento.

— Sim, posso ouvir você Yue. Sua aparência mudou… mas estou feliz por você estar bem.

“… nn. Sabia que Hajime notaria isso.”

— Isso é natural. Sou a pessoa que mais te entende.

“… nn. Mas estou feliz. Eu te amo.”

— … pare com isso. Isso é constrangedor.

“… fufu.”

O ar ao redor deles ficou doce e rosa, apesar de ela ser um goblin. Mesmo com a aparência diferente, eles ainda criaram um mundo só deles. Os olhos dos outros pareciam os de peixes mortos.

Coff! Não está na hora? Yue, estou feliz por você estar bem.

“Nn… Kaori também.”

— Yue-san… definitivamente, sem dúvidaaaaaaas! Vamos te fazer voltar ao normal! Por esse motivo, pode contar comigo!

“… Shia, obrigada. Não posso lutar agora, então contarei com você.”

Shia e Kaori conseguiram recuperar seus espíritos e foram capazes de trocar algumas palavras com Yue.

— Yue-san, bom, sinto muito por antes. Não percebi que era você… quase te machuquei.

“… não se preocupe. Era inevitável. E acredito que não teria ficado machucada…”

— Eeh, você está falando de mim?

“… Até do herói (lol), Hajime me protegeria.”

— … então é isso…

A frase casual de Yue foi como golpes certeiros. Enquanto se retirava abatido, Kouki soltou uma risada seca. Shizuku e Suzu tentaram o encorajar.

— Muito bem, para fazer Yue voltar ao normal e encontrar Tio e Sakagami, precisamos seguir em frente e conquistar depressa o calabouço.

Com Hajime no comando, o grupo prosseguiu avançando pelo mar de árvores mais uma vez.


— … Hajime-san, até eu consigo ver. Aquela é Tio.

— Eu também percebi isso. Não importa como você olhe para essa cena, aquela é Tio.

— … porém, seria um assunto sério se não fosse Tio.

— Sem dúvidas, aquela é Tio.

Hajime e os outros voltaram seus olhos para a imundice em cena.

Após 30 minutos desde que eles se reuniram com Yue, eles viram um grupo de goblins. O grupo atacava outro goblin com chutes e socos.

Contudo, não havia intenção de mata-lo e um clima próximo do bullying estava formado. O goblin não parecia estar machucado enquanto recebia o assalto do grupo.

Se ele estivesse sendo agredido porque era fraco, seria algo bastante natural…

— Não importa como você analise isso… ele está em êxtase…

— Mesmo que seja o rosto de um goblin… nunca poderemos transmitir aquilo.

— Nagumo… você, para aquele tipo de pessoa… não acho que posso conquistar o coração daquela coisa.

— Pare Amanogawa. Me sinto mal porque permiti essa transformação… só posso desistir…

O goblin estava delirando com o êxtase, enquanto os outros murmuravam. Sua figura fazia lembrar uma certa pervertida. Ou para ser mais preciso, só havia uma pessoa para se pensar.

— Tio… você está… já é tarde demais… vamos desistir, apesar de ser algo lamentável.

Quando Hajime sacudiu sua cabeça com uma expressão triste, ele virou suas costas. Yue e as outras o seguiram sem qualquer hesitação. Normalmente, Kouki iria dizer: — Nunca abandone uma companheira! —, entre outras coisas, mas agora, seu olhar estava perdido.

— Gu? Gyagya!

E, nesse momento, o goblin notou o grupo de Hajime e ergueu sua voz.

Como resultado, o goblin atacado pareceu notar Hajime. Ele arregalou seus olhos e disparou na direção do garoto, apesar de receber as agressões de mais cedo.

O goblin (Tio) estava rastejando em alta velocidade pelo chão, enquanto os outros goblins instintivamente recuaram e se assustaram. Na verdade, enquanto os goblins atormentavam e agrediam ele com grande ânimo, eles pensaram: — Huh? Você é meio esquisito. —, e agora eles estavam convencidos disso.

— Gugyagyagya!!

Enquanto isso, o goblin (Tio) tentou pular no peito de Hajime. Embora eles não pudessem entender as palavras do goblin, vendo isso, ele com certeza estava dizendo: — Mestreeee! Esta desejou ver você! —, ou algo parecido.

É claro que Hajime respondeu dizendo:

— Não se aproxime de mim, sua pervertida!

Pow!

E ele desferiu um gancho com seu braço artificial.

O goblin (Tio) fez um mortal de costas artístico com quatro giros e meio, mas ele fez um som que não deveria ser feito. Ela se quebrou.

“… morta?”

Yue (versão goblin), espiou dentro da moita onde o corpo do goblin (Tio) caiu. Seu traseiro foi perfurado por um galho de árvore.

Então, — Bikunbikun! — O corpo do goblin (Tio) estava se contorcendo, enquanto recuperava a consciência. Apesar do corpo ser o de um goblin, a resistência devia ser a de um dragão. Ou ela se tornou uma pervertida ainda maior…

— GaGaGa! Gogo, guge! Guga!

O goblin (Tio) segurou suas bochechas com ambas as mãos e gritou excitado, com seu corpo se torcendo. E assim, ela começou a olhar para Hajime com olhos febris.

Instintivamente, o Sinergista começou a puxar “Donner” e Shia tentou acalma-lo com desespero. Kaori entregou uma “Pedra Telepática” para o goblin (Tio).

“Uh-huh, uma ‘Pedra Telepática’… tu me ouves Mestre? Esta se encontrou com seu amado Mestre e as primeira palavras e ações foram de abuso.”

— Maldição. Mesmo que o corpo mude, a tenacidade continua igual. Você só deveria morrer.

“Un! Aah? Amado Mestre. A falta de perdão, esta não pode se segurar. Esta é inútil sem o Mestre. Agora, a amada serva do mestre voltou. É boa a forma como esta, que foi reduzida a feiura, é atacada sem limitação!”

Ao que parecia, mesmo ela se tornando um goblin, ela ainda sentia o prazer. Já era tarde demais quando Hajime falou.

Os goblins, enquanto ignoravam Tio, que estava deitada no chão dizendo: — Faça o que você quiser! Me queime ou me escalde! —, e ainda se contorcia, foram mortos em um instante pelo Sinergista. E a busca voltou para o silêncio.

Os outros também não pareceram se importar com isso e seguiram Hajime sem desviarem seus olhos.

“Ho, isto é um jogo de negligência? Mestre, não há o que fazeeeer. Ei, não deixem esta para trás!? Esta quer que vocês espereeeem. Esta ainda está tremendo por causa do golpe de anteeees.”

A voz de Tio ecoou no vazio do mar de árvores. Contudo, ninguém parou de andar.


O enorme galho entortou e atacou de forma irregular como se fosse um chicote. Folhas dançavam como lâminas e se espalhavam pelo local. Nozes eram disparadas como bolas de canhão. Uma repentina raiz parecida com uma lança surgiu do chão tão fiada como uma espada. Cada um desses ataques era fatal.

Isso era muito parecido com a Árvore-Demônio que Hajime enfrentou no “Grande Calabouço Orcus”. A fera mágica era o famoso “Treant”2. Mas então, quando o garoto comparou este Treant com o que ele enfrentou antes, o tamanho era extremamente diferente. Este tinha 30 metros de altura e dez metros de diâmetro.

Kouki, Shizuku, Suzu e a criatura parecida com um ogro estavam confrontando o enorme Treant.

— Guraaa!

Enquanto isso, soltando um rugido parecido com o de um ogro real, Ryutaro atacava com seus punhos para interceptar os galhos que apareciam.

Pelo caminho, um ogro foi descoberto enfrentando outros ogros. Contudo, enquanto a luta seguia com movimentos de artes marciais… para ser franco, o monstro realizou movimentos refinados de caratê. Era óbvio que esse era Ryutaro.

O aluno poderia morrer se eles o encontrassem mais tarde, já que seu status ficava muito atrás do de Yue e Tio. Para chegar tão longe sem tentar fugir, uma contestação foi feita sobre esse cérebro de músculos.

E Ryutaro enfim se juntou ao resto do grupo como o último integrante. Eles chegaram no local com a árvore gigante, que obviamente tinha um tamanho diferente comparado com as que estavam ao redor… a árvore gigante disse: — Me derrotem se quiserem prosseguir! —, e começou a atacar após dizer isso.

No momento atual, o grupo de Kouki, que não mostrou nenhum resultado até agora, disse: — Nós vamos derrotar este cara! —, e disparou. O grupo de Hajime não se incomodou e começou a assistir a luta. A propósito, Kaori estava participando como a curandeira.

— Gwuuuu. O ataque é pesado.

Um galho com a espessura de um tronco se aproximou enquanto cortava o vento, e foi recebido por Kouki e sua Espada Sagrada. Entretanto, um gemido escapou pelo espaço de seus dentes cerrados, o lembrando de quão excessivo era o peso do ataque.

Shizuku estava ocupada com as shuriken feitas de folhas que voavam como se fossem facas de arremesso. Suzu ergueu uma poderosa barreira para tentar interceptar o ataque e Kouki decidiu, de forma desesperada, usar a abertura para atacar.

— Kuu, nada bom. Como Kaori está aqui, não temos que nos preocupar em não sermos capazes de continuar…

A “Garra Relâmpago” da katana negra estava sendo usada ao máximo. Shizuku apertou seus dentes enquanto cortava galhos e folhas uma a uma.

As palavras que Hajime disse antes de eles entrarem no Grande Calabouço afundaram nos corpos do grupo de Shizuku. Sem o Sinergista, eles já teriam sido aniquilados. A confiança que eles ganharam no Grande Calabouço Orcus foi esmagada.

Após se preocupar um pouco, Shizuku gritou com o Herói.

— Kouki! Use a “Destruição Suprema”!

— Não, isso não vai servir. O encantamento é longo demais!

— Está tudo bem! Vamos te defender sem falha! Confie em nós!

Kouki estava com problemas sobre o que ele deveria fazer quanto a sugestão de Shizuku.

Era óbvio que o Treant diante deles era mais forte do que as feras mágicas da mulher da raça dos Demônios3. Os ataques vinham um por um, contudo, a luta só era possível graças ao apoio de Kaori. Eles perderiam suas vidas se perdessem a concentração apenas uma vez. Seria preciso coragem acima da média para se expor e ficar indefeso em tal momento.

Entretanto, era certo que sem um ataque impressionante, eles não poderiam superar o Treant. Neste ritmo, eles não seriam capazes de derrota-lo.

Além disso…

Kouki se lembrou da vez em que Hajime se reencontrou com Yue. Uma confiança mútua que não mudou, mesmo que a aparência tivesse mudado. O Sinergista viu a verdadeira natureza de sua amada em um instante, e a Vampira não mostrou qualquer agitação por quase ser morta pelo Herói. Para ser sincero, seria mentira dizer que ele não invejava tal relacionamento.

Dessa forma, Kouki ficou determinado. Eles tinham uma relação de confiança mútua. Com toda certeza, ele não queria apenas provar que seu grupo não perderia para Hajime.

— Eu entendo. Vou contar com sua proteção!

— Sim, deixe conosco. Ryutaro, Suzu! Vamos nos reunir!

— Entendido!

— Aye yo!

Kouki não se moveu um centímetro enquanto erguia sua Espada Sagrada acima de sua cabeça. Apenas sua boca se movia enquanto ele recitava algo. Esse estado poderia ser chamado de indefeso, já que toda a sua consciência estava concentrada no encantamento do “Poder do Céu”.

O Treant se certificou de não desperdiçar essa oportunidade. Os galhos da árvore vinham da direita e da esquerda, uma espada de folha que se aproximavam um tornado vinha do alto, um bombardeamento de nozes pela frente e as raízes da árvore vinham do solo.

— Este é um solo sagrado, o inimigo de Deus não passará! “Virtude Absoluta”!

Suzu antecipou o ataque e criou uma barreira. Até o momento, suas barreiras salvaram o grupo. A barreira conseguiu resistir a primeira barragem de ataques com pequenas rachaduras.

— Tsuuuuu!

Com os ataques consecutivos do Treant, a barreira não poderia suportar e se quebrou. O gemido de Suzu ressoou, enquanto Shizuku e Ryutaro (versão ogro) atacavam em desespero.

— Tsuuuaaa!

— Ooooooh!

Eles ficaram seriamente feridos em um instante por causa das intensas ondas de ataques. Eles interceptaram todos os ataques com suas habilidades enquanto gritavam e rugiam. Embora duas pessoas tenham se machucado e sangue fosse derramado, eles não deixaram nenhum ataque passar.

— “Reversão”!

Com apenas uma palavra ecoando no campo de batalha, os ferimentos de Suzu foram curados em um instante pela magia de Kaori.

Embora “Reversão” fosse uma magia de cura para múltiplos alvos, seus efeitos já estavam acima do nível avançado. A maior parte das feridas foi curada em pouco tempo. Após obter o corpo de Nointo, Kaori se inspirou para criar novas magias de cura. Era possível curar com a “Magia de Regeneração”, contudo, o consumo de mana da magia da era dos deuses era maior do que uma magia comum.

Suzu ergueu uma barreira mais uma vez e ganhou poucos segundos, entretanto, ela foi destruída de novo. Shizuku e Ryutaro colocaram suas vidas em risco mais uma vez. Kaori curou o dano em seus corpos na mesma hora, e Suzu criou outra barreira. Eles repetiram isso três vezes.

Enfim, do corpo de Kouki, uma enorme onda de magia surgiu e cobriu sua Espada Sagrada. A Espada Sagrada estava coberta por uma luz que parecia o Sol e o Herói respirou fundo.

E…

— … todos! Aqui vou eu! “Destruição Suprema”!

Ele usou seu trunfo, sua magia mais forte. Uma enorme torrente de luz atingiu o solo e voou para frente. Uma das lâminas de folha foi explodida, os galhos de árvore foram eliminados, o bombardeio de nozes foi engolido e o Treant atingido diretamente.

Sons estrondosos surgiram e a luz explodiu; o ambiente foi tingido de branco.

— Eu consegui!

Kouki sorriu satisfeito e gritou. Hajime observou afastado, enquanto comia um pequeno bolo e murmurava: — Aah, ele ergueu a bandeira….

A bandeira certamente foi levantada.

A luz e a poeira sumiram… e o Treant estava ileso.

— Isso é mentira, não é…

Kouki estava aturdido e soltou uma voz sem vida. Não foi apenas o Herói. O grupo de Shizuku também estava chocado porque o último recurso de seu colega foi inútil.

O Treant liberou sua intenção assassina contra o grupo dos alunos e começou a atacar em ondas mais uma vez.


Tradutor:



Notas

[1] Rolling Sobat é um termo usado em grande parte pelos japoneses para se referir a um chute giratório de costas com salto. Frequentemente visto no pro-wrestling japonês e, algumas vezes, em video games.

[2] Um treant é uma criatura ficcional encontrada no jogo de RPG Dungeons & Dragons. Treants são árvores sencientes com características humanas. Eles são tipicamente descritos como protetores das florestas e antagonistas da industrialização e degradação da natureza. Eles são tipicamente aliados de druidas e se opõem a raças malignas como os orcs. Treants são baseados nos Ents do universo de Tolkien.

[3] Eventos dos capítulos 71, 72 e 76, quando o grupo do Herói foi emboscado por uma mulher da raça dos Demônios no Grande Calabouço Orcus.



Fontes
Cores