Arifureta – Capítulo 113 – Capital Imperial


Pergunta.

Que tipo de lugar é a capital do Império Hoelscher? Poder (Força) é a única palavra que você precisa para essa descrição.

Se você investigar, irá descobrir que as construções são feitas sem afeição e estão praticamente alinhadas em uma fila. Há muitos reajustes nas estradas da cidade? Há algo delicioso para se provar? Há entradas que levam para becos de forma desordenada com aberturas grandes e pequenas aqui e ali.

O clima também, há uma tensão se espalhando em toda parte como se um desastre tivesse acabado de acontecer, até os lojistas que abriam barracas na rua serviam as pessoas sem considerar o conceito de “cliente”.

Contudo, o local era sombrio e estagnado, mas nunca chegava a ser demais, o povo vivia com liberdade para fazer qualquer coisa que quisesse fazer. Eles tinham a liberdade para fazer o que quisessem, suas únicas responsabilidades eram com eles mesmos. Esta era a crença dos cidadãos da Capital Imperial.

O Império Hoelscher era uma nova nação que um grupo de Mercenários, durante uma grande guerra, estabeleceu. Uma nação militar cuja força resolvia tudo. Muitos dos cidadãos do Império não desconheciam batalhas, ao ponto em que isso era quase uma doença. Havia uma enorme arena com tamanho descomunal, do tipo onde havia eventos sendo realizados várias vezes ao longo do ano.

— Oi, você…

Doga!!

— … gupeeee!?

Esse foi Hajime, que entrava no Capital Imperial. Naturalmente, o Sinergista estava cercado por lindas mulheres, então era razoável que este processo se repetisse muitas vezes; antes que os homens com inveja terminassem de falar, eles já estavam beijando o chão. Agora mesmo, um homem armado apareceu e foi nocauteado enquanto falava e a força o fez dar um mortal triplo enquanto caía no chão.

Contudo, as outras pessoas não pareceram se incomodar com isso. Uma “briga” deste nível devia ser uma experiência rotineira para eles.

— Uu, apesar de ter ouvido sobre isso… o Império é mesmo desagradável, desuuuuu.

— Sim, eu me sinto da mesma forma. Nesse sentido, foi bom não termos sido invocados para este lugar.

— Bem, esta é uma nação militar. Longe do poder de fogo estar no mínimo, muitos dos residentes têm experiência de combate. O clima ruim é natural, brigas são comuns aqui. Querer viver é o desejo de todos.

Ao que tudo indicava, Shia não gostou da Capital Imperial. Apesar de Yue estar em silêncio, ela também concordou, afinal, este país não era apreciado pelas mulheres. Especialmente para Shia, as coisas que ela viu partiram seu coração.

— Shia, não fique olhando demais. Não há como ajudá-los só por ficar os observando.

— … sim, tem razão.

O que Shia viu foram escravos de várias espécies de Demi-Humanos. Os escravos eram comprados e vendidos ativamente. O Império permitia o uso de escravos, então o negócio era muito próspero. Havia crianças Demi-Humanas voltando seus olhares para Shia enquanto eram colocadas em jaulas com etiquetas de preço neles; a expressão de Shia obscureceu.

Yue apertou a mão dela com apreensão. Hajime acariciou as bochechas da garota com uma consideração estranha. O calor das duas pessoas foi transmitido para sua mão e bochecha, e as orelhas de coelho na cabeça de Shia se moveram com alegria.

— … eu não posso permitir isso. Apesar de sermos todos seres vivos… os escravos…

Kouki, que estava caminhando ao lado de Hajime, apertava seus dentes. Ele parecia a ponto de disparar contra as jaulas se fosse deixado sozinho.

A influência da igreja era forte, até o Reino Haihiri tinha uma forte discriminação contra os Demi-Humanos. A questão de manter essa outra raça como escrava tendia a ser evitada, porque não havia como Kouki e os outros estudantes concordarem com a forma os Demi-Humanos eram tratados. Dessa forma, poderia haver um choque extra para suas mentes.

Entretanto, seria ruim se o Herói tentasse ajudar os escravos… Hajime prometeu em seu coração que fingiria não conhecer seu colega se ele fizesse algo como isso.

No entanto, ele não teria que se preocupar porque eles tinham uma pessoa confiável por perto, a sábia (Shizuku) estava ali, então não havia o que temer. No momento, Kouki estava ficando animado enquanto recebia uma palestra sobre a situação. Ryutaro, o cérebro de músculo, o incentivava, e Suzu casualmente os segurava. Em certo sentido, eles formavam uma boa equipe. Embora a equipe parecesse ruir em pouco tempo se não fosse pelas mulheres…

— É verdade, Shizuku não recebeu uma proposta de casamento do Imperador?

— … tem razão, houve isso também.

Shizuku franziu o cenho assim que se lembrou de algo que não queria.

Yue olhou para Shizuku e soltou um: — Hooooo. —, com um pequeno sorriso debochado. A Espadachim franziu ainda mais o rosto. Kouki estava com uma expressão angustiada por perto. Ao que parecia, não apenas a nação, mas também o Imperador parecia ser desagradável.

— A propósito Nagumo-kun. Para onde exatamente estamos indo?

Shizuku, evitando as mulheres que pareciam querer ouvir os detalhes, redirecionou a conversa para Hajime. Apesar da história sobre confirmar a segurança do pai de Shia ter sido ouvida, um plano concreto ainda não tinha sido explicado.

— Nnnn? Para a Guilda dos Aventureiros primeiro. Se usarmos o Rank Ouro, muita informação pode ser obtida através de questionamentos.

— … Nagumo-kun realmente acredita que ele foi capturado?

— Não sei. Se ele foi capturado, é possível que ele tenha se tornado um escravo, também é possível que ele apenas esteja escondido em algum lugar. Os guardas da Capital Imperial estão em alerta máximo, podemos até chamar isso de anormal. Se estamos em um ponto em que seria impossível sair, entrar seria uma boa escolha…

Hajime estava correto, e em um nível que não seria exagero dizer que a situação era excessiva. Um Soldado Imperial estava destacado não como patrulha do muro externo, mas para sempre manter uma vigilância atenta até o exame físico completo ser feito individualmente no portão de entrada.

Até mesmo na cidade, os Soldados do Império formavam equipes de no mínimo três homens para vigiar não apenas as ruas principais, mas também os becos. Talvez isso fosse devido ao ataque surpresa dos Demônios, isso deve ter feito eles ficarem de prontidão com um alto nível de cautela, mesmo que uma ordem não tivesse sido dada.

Como a Capital Imperial estava em tal condição, Pal e sua equipe estavam com problemas com a invasão, e esperavam por uma oportunidade. Os Homens-Coelho que não eram escravos não poderiam apenas entrar na Capital Imperial, e havia limites para eles fingirem ser escravos de Hajime. Dessa forma, a unidade de reforço que o Sinergista levou estava se escondendo em uma zona rochosa remota afastada da capital para não atrair atenção. Na verdade, era estranho pensar que o grupo de Kam foi capaz de invadir o Império.

Contudo, Hajime disse: — Eu não sei. —, era quase certo que Kam já tinha sido capturado. Quanto aos Homens-Coelho, eles eram uma raça de Demi-Humanos excelente em operações furtivas, e Kam continuou a aperfeiçoar isso. Mesmo que entrar e sair fosse severo, ele deveria ser capaz de algo ao enviar uma mensagem para o exterior através de algum método. Se não houvesse sinais, era natural pensar que eles já tinham sido capturados.

É claro que o rapaz não pensava que a informação sobre Kam poderia ser obtida na Guilda dos Aventureiros. Entretanto, poderia haver algum evento relacionado ou um rumor.

Shia parecia inquieta, Hajime estendeu sua mão e esfregou as bochechas da garota mais uma vez. Apesar de ela gostar de quando suas orelhas eram esfregadas, suas bochechas sendo acariciados também era agradável. Hajime fez uma brincadeira com ela enquanto ria, para tentar diminuir o sentimento de apreensão.

— Se ele foi capturado, nós só precisamos tomá-lo de volta. Não se preocupe Shia. Quando a hora chegar, mesmo que tenhamos que transformar a Capital Imperial em cinzas, vamos levá-lo de volta.

— Nn… conte conosco Shia.

— Hajime-san, Yue-san…

— Nãonãonão, nós temos mesmo que transformar tudo em cinzas? Apesar de seus olhos não indicarem isso, você está mesmo brincando? Está?

— Shizuku-san, a Capital Imperial já está…

— Você já desistiu? Você já desistiu Kaori!?

A piada de Hajime não foi realmente uma piada? Apesar de Shizuku retorquir enquanto sua bochecha se apertava, ela começou a entrar em pânico porque Kaori parecia estar triste enquanto sacudia sua cabeça.

Na verdade, isso parecia muito uma brincadeira, porque, com certeza, Hajime não poderia destruir um país inteiro, poderia?

Enquanto o Sinergista caminhava pela rua principal na direção da Guilda dos Aventureiros brincando sobre a piada (que não verdade era séria) o estado da cidade começou a mudar. Vários prédios desmoronaram e havia destroços espalhados em toda parte.

Pelo caminho, de acordo com o que eles ouviram, a Fera Mágica sendo usada no coliseu para um duelo, subitamente sofreu mutação e se tornou forte e enorme, algo que nunca tinha sido visto antes, e ela ficou descontrolada. De repente, o enorme monstro apareceu no centro da cidade (ele parecia ter 30 metros de comprimento) e o Império reagiu na sequência para confrontá-lo.

Enfim, a raça dos Demônios pareceu tirar proveito e se aproximou do Imperador com rapidez. Enquanto lidava com a Fera Mágica ao ir para a vanguarda em pessoa, o Imperador foi capaz de repelir os Demônios… o preço foi enorme, bastava olhar para o estado da cidade.

Tudo começou no coliseu, o que explicava a forma como ele desmoronou, com a cena lastimável, muitos escravos Demi-Humanos estavam descalços e removiam os destroços em grandes números.

Com o colapso, do outro lado havia sentinelas vigiando o local; apesar de eles precisarem chegar na Guilda dos Aventureiros, devido a cena, o grupo ficou observando. Isso os lembrou de como as pirâmides foram construídas no Antigo Egito; pessoas tendo que carregar destroços com uma expressão sombria enquanto eram monitoradas e abusados por vários Soldados Imperiais armados, o que dava uma definição para a palavra miséria.

Os efeitos colaterais do dano na Capital Imperial pareciam ter mais influência nos Demi-Humanos do que nos humanos. Mesmo que essa raça fosse conhecida por seus poderes físicos, se algum deles sofresse com excesso de trabalho, ele definitivamente cairia, e assim, algum Soldado apareceria e o espancaria até ele se levantar.

Se muitos não se levantassem mais, o Império iria apenas atacar o Mar de Árvores para aumentar o suprimento de escravos porque eles não consideravam os Demi-Humanos como pessoas. Ou, para o senso de valores de que a força reinava suprema e única, os “fracos” eram excluídos. O propósito para Arutena ser transportada para outra cidade também era para substituir outros escravos.

Então, um garoto com cerca de dez anos com orelhas e rabo de cão tropeçou em alguns destroços e caiu ruidosamente, todos os destroços contidos em seu carrinho também caíram. O garoto com orelhas de cão estava agachado enquanto resistia a dor em seu pé, o Soldado do Império de vigia estava com um olhar perigoso, ele começou a se aproximar com um porrete na mão. Era óbvio o que ele planejava fazer.

E o aliado da justiça não poderia ficar em silêncio vendo o que estava a ponto de acontecer diante dele.

— Oi! Pare…

Kouki tentou correr enquanto soltava um grito para deter o Soldado Imperial. Contudo, ele foi impedido pelo evento que aconteceu no momento seguinte.

Pashuuuu!

Ao mesmo tempo em que o som sutil foi ouvido pelo ar, o Soldado caiu como um tijolo e mergulhou dentro dos destroços.

Gosha! Um som indescritivelmente miserável foi ouvido, o Soldado do Império que estava se aproximando do garoto com orelhas de cão não se moveu um centímetro. Aparentemente, ele desmaiou. Depois disso, os colegas do Soldado vieram correndo com pressa, após verem a condição do colega, eles sacudiram suas cabeças com expressões impressionadas e o carregaram para algum lugar. Deixando para trás o garoto com orelhas de cão.

O garoto só olhou com uma expressão de surpresa por um tempo por não entender o que tinha acabado de acontecer, ele então logo recuperou todos os destroços caídos e voltou a seu trabalho como se nada tivesse acontecido.

Kouki, que estava começando a correr, ficou aturdido e perplexo. Assim, a voz de Hajime soou.

— Apesar de não me importar se você se meter em algo problemático, pelo menos evite nos envolver em seus problemas.

— Nn… o que acabou de acontecer foi obra de Nagumo-kun?

Hajime encolheu seus ombros com a pergunta de Kouki. Na realidade, o Soldado Imperial tropeçou e caiu por causa da agulha que foi disparada do braço artificial do garoto. Mesmo sendo ajudado por seu colega, Kouki franzia o cenho com a palavra “problemático”. Pelo visto, isso parecia ter ativado o modo justiça do Herói.

— O que é problemático? É ruim querer ajudar? Até você me ajudou.

— No mínimo, te impedir de chamar atenção foi a escolha correta. Se você avançasse e o impedisse, mais Soldados do Império apareceriam e tudo terminaria em um tumulto. Nós viemos aqui para procurar por uma pessoa. Não para causar mais comoção. Você poderia não criar uma agitação desnecessária? Se você vai criar uma, pelo menos faça isso longe de nós, assim, isso não será um transtorno.

Após o Sinergista dar uma resposta indiferente enquanto balançava sua mão, Kouki se irritou e colocou a missão deles de encontrar o pai de Shia no canto de sua mente, o Herói começou a apelar para o senso de valores e sua ética e justiça.

— Você, enquanto vê esses Demi-Humanos, você pensa neles como se não fossem nada! Veja, agora mesmo, neste momento, eles estão sofrendo!

— Haaaaa, hey Yaegashi, faça algo depressa com este idiota que perdeu de vista o nosso objetivo. Estou deixando isso aos seus cuidados.

No passado, Hajime ajudou Myuu. Mesmo assim, se uma criança qualquer sofresse diante da presença dele, ele não sentiria nada. “Seja um adulto… faça algo você mesmo, pense no que você deseja.”

Contudo, mesmo após o propósito original ser dito, ele não poderia trabalhar na emancipação dos escravos, dessa forma, ele deixou os problemas com Yaegashi, porque seria perturbador lidar com Kouki.

Shizuku suspirou profundamente… mas se antecipando a ela, o Herói ergueu sua voz com raiva. Ao que tudo indicava, ele parecia não gostar que Hajime confiasse a Shizuku este incidente.

— Shizuku não tem nada a ver com isto! Neste momento, eu estou falando com você! Você valoriza Shia, então por que está abandonando esses Demi-Humanos!

Assim que a voz de Kouki ficou mais alta, pessoas ao redor deles começaram a prestar atenção. Alguns dos Soldados Imperiais e vigias começaram a lançar olhares frequentes a Hajime.

Como o Sinergista era um forasteiro e estava procurando por Kam, que era no momento inimigo do Império, ele não queria incitar nenhum problema desnecessário com as autoridades. Dessa forma, ele girou seus olhos abruptamente na direção de Kouki.

— … Amanogawa. Eu vou dizer isso mais uma vez para você, que parece ter uma péssima memória. Tudo bem? Eu não quero ouvir suas reclamações repetitivas, e eu não planejo ter um debate sobre ética ou senso de justiça. Eu não te reconheço como um companheiro, então não pretendo me dar bem com você. Afinal, você pediu “permissão” e nos “acompanhou”. Assim, não saia correndo sozinho, isso é desagradável. Se você quer causar muita agitação… eu devo esmagar seus braços e pernas e te enviar de volta ao Reino?

— Kh…

— Eu disse isso há pouco, mas eu também não pretendo interferir com você. Dessa forma, enquanto você ainda estiver por perto, não faça nada que vai nos causar problemas. Viemos aqui procurar por Kam. Não há tempo para nos distrairmos com outras coisas. E Shia é mais importante do que esses outros Demi-Humanos para mim.

Hajime, afastou seu olhar de Kouki, como se estivesse desinteressado.

Escravidão era completamente natural neste mundo. Embora eles com certeza recebessem um tratamento cruel, seria “ruim” ajudar um Demi-Humano que foi escravizado. Porque isso contaria como roubar a “posse” de outra pessoa.

Entretanto, devia ser necessário pensar sobre isso no futuro. A determinação para lutar contra o Império era em si um plano para criar um método de abolir a escravidão de Demi-Humanos. Do jeito que as coisas estavam, mesmo que os estudantes ajudassem os escravos à força, havia o risco de retaliação e os Demi-Humanos seriam capturados e tratados de forma mais cruel do que antes.

Ele finalmente entendeu, senão… Kouki encarou as costas de Hajime e não se moveu. Ainda sendo incitado por Shizuku e os outros, ele enfim deixou isso para trás com relutância.

Kouki, apesar de receber permissão para acompanhar Hajime, se o que o Sinergista disse sobre os Deuses fosse verdade e outros adversários tão fortes quanto Nointo fossem aparecer com mais frequência, o Herói teria que obedecer, porque seria muito difícil obter poder de outra forma.

Para ser capaz de obter a Magia da Era dos Deuses, obedecer Hajime era certamente a melhor escolha. Portanto, ele reprimiu os sentimentos negativos em seu peito e ficou em silêncio.

Com a atmosfera delicada (apenas para o grupo de Kouki), eles chegaram na Guilda dos Aventureiros.

Havia mesas colocadas em um enorme espaço para diversas atividades e dois balcões. Um balcão para a recepcionista, que era uma mulher, realizar suas atividades, enquanto o outro era um bar. Havia pessoas bebendo (mesmo sendo de dia) aqui e ali, se não houvesse, Hajime pensava em fazer uma reclamação.

Quando o garoto entrou, devido aos seus encontros rotineiros, ele entendeu na hora. Resumindo, olhares vulgares foram colocados em Yue e as outras garotas. Assim, enquanto se movia para o balcão, Hajime usou a Pressão assim que adentrou o prédio.

Como esperado de uma nação militar, mesmo que estivessem bebendo, não houve ninguém que desmaiasse, eles começaram a expor cautela e ficaram sóbrios em um instante.

Quanto a recepcionista no balcão, não havia brilho nela como acontecia nas outras cidades. Ela apenas olhou Hajime com desprezo e uma expressão sem qualquer motivação. O rapaz sentiu que deveria declarar seu objetivo depressa.

— Eu quero informação. Nos últimos dias, houve algum Demi-Humano que causou uma comoção aqui na Capital Imperial?

— …

Com a pergunta de Hajime, a recepcionista o deu um olhar de suspeita. Isto se devia ao conteúdo da pergunta ser tão estranho.

Você só teria que ir para a associação de escravos na Guilda dos Mercadores se quisesse informação sobre um escravo, mesmo assim, escravos não poderiam causar uma comoção na Capital Imperial. Era porque o colar de escravo selava a maioria da resistência. E a pergunta de Hajime não mudava esse fato, o que ele estava perguntando era algo impossível na Capital Imperial, a menos que eles não fossem escravos.

O resultado: a recepcionista apontou para o balcão do bar; não era possível dizer que essa era a atitude regular ou a pergunta era apenas complicada demais para ela lidar.

— … tal informação pode ser obtida ali.

Assim que o Sinergista olhou para o balcão, ele viu a figura de um homem que passou da meia-idade polindo copos; aparentemente, o bar também era considerado um local para coleta de informação. A recepcionista voltou a fazer o que estava fazendo, como se declarasse que seu trabalho estava feito.

Hajime encolheu seus ombros e caminhou na direção do balcão do bar.

Havia olhares perigosos aparecendo nos Aventureiros, Kouki e Ryutaro também reagiram e encararam de volta. Suzu parecia ser fraca nessas situações e encolheu atrás de Shizuku. Segurando a bainha das roupas da Espadachim, a garota pareceu fofa por um momento.

Hajime foi até o balcão e fez a mesma pergunta para o barman. Contudo, a outra pessoa apenas continuou polindo os copos enquanto o ignorava. Os olhos de Hajime se apertaram.

Então…

— Isto é um bar, não um lugar para crianças ficarem brincando. Eu não planejo perder tempo com pessoas que não podem beber. Se mandem.

Ele parecia estar procurando por um especialista em bebidas. Então ele receberia um especialista em bebidas! A tensão de Hajime começou a aumentar. O homem ainda continuou polindo os copos para fazê-los bilhar, mas ele valorizava sua reputação. Se você aparecesse diante dele e a bebida fosse consumida em grandes quantidades, ele definitivamente ficaria encantado.

Hajime colocou dinheiro no balcão com um rosto inexpressivo enquanto, em segredo, ficava feliz por poder experimentar a sensação de um herói de um jogo de fantasia. Da escuridão no canto de sua mente, um mini-Hajime perguntou: — Me chamou? —, espiando a cena.

— Tem razão. Mestre, eu quero a bebida mais forte e com a pior qualidade disponível neste estabelecimento.

— … se você vomitar, eu irei te chutar para fora daqui.

O barman, no momento que Hajime fez seu pedido, relutantemente pegou uma garrafa da prateleira atrás dele e suas sobrancelhas se contorceram enquanto a colocava no balcão.

Aventureiros estavam encarando Hajime porque sentiram que ele não era apenas uma criança, eles entendiam isso devido à pressão que ele liberava.

O Sinergista pegou a garrafa e a cortou com as pontas dos dedos. A ação em si foi fluida e as pessoas que entenderam a cena prenderam o fôlego. Até os olhos do barman se arregalaram um pouco.

Um forte cheiro de álcool escapou da garrafa assim que ela foi aberta, Shia e Kaori, que estavam ao lado do rapaz, cobriram seus narizes devido as emanações. Kouki e os outros também se afastaram enquanto gemiam: — Uu.

— Hey, Nagumo-kun? Você tem mesmo que beber isso? Você não deveria parar?

— Sim, isso mesmo. Você com certeza vai vomitar. Suzu já está quase vomitando.

— Em primeiro lugar Hajime, vamos escolher uma bebida melhor se você tem mesmo que fazer isso.

— É como Kaori disse Hajime. Por que você pediu essa de propósito?

Shizuku e os outros transmitiram suas queixas sem restrição. Yue, ao lado do garoto, puxou a bainha das roupas dele enquanto franzia o cenho com o cheiro da bebida.

— Não, é falta educação não saborear uma bebida que foi aberta… vocês estão menosprezando a bebida?

Hajime respondeu a preocupações dos outros.

Um leve sorriso apareceu na boca do barman com a piada. O Sinergista pensou: “Eu fiz ele sorrir”! Não devia haver muitos Aventureiros que respeitavam o sabor da bebida com frequência.

— Ahhhh. —, Kaori e o resto do grupo soltaram uma voz preocupada enquanto Hajime bebia o líquido com cheiro horrível. Ao invés de colocar em um copo, o garoto bebeu direto da garrafa. A mente de Hajime parecia calma, mas lá no fundo, “Viu, eu aguento beber, eu definitivamente superei suas expectativas”. Enquanto o mini-Hajime comemora em sua mente, o braço esquerdo do rapaz começou a formigar.

Apenas o som de glub, glub foi ouvido ecoando dentro do estabelecimento da garganta do Sinergista. E, em pouco tempo, a garrafa inteira foi consumida de uma vez.

Uma garrafa vazia foi segurada pela mão de Hajime. Quando ele a colocou no balcão, o barman o olhou enquanto um sorriso aparecia em seus lábios. Os olhos do estudante diziam: “Alguma reclamação?”, para o barman.

— … entendi, entendi. Você com certeza é um cliente.

O barman ergueu as duas mãos e mostrou seu desejo de rendição com um sorriso sem graça. Foi muito agridoce. O “ato de ser um mestre para conseguir informação” de Hajime foi concluído, com isso, ele estava contente com o resultado.

A bebida que Hajime consumiu tinha 95% de teor alcóolico. “Isso ainda podia ser chamado de bebida?”, o nível de sua qualidade também era o pior possível. A sensação era a mesma de beber álcool puro.

Eles precisavam provar que não eram apenas crianças para fazer o barman ter uma opinião diferente deles.

A propósito, Hajime tinha uma disposição em que nunca ficaria bêbado, não importava o quanto ele bebesse. O motivo era a Resistência a Veneno. Originalmente, o caminho das bebidas foi incutido nele por seu pai, ainda no Japão, apesar de ser uma de suas melhores memórias, se tornou impossível para o garoto ficar completamente bêbado devido a sua habilidade, assim, Hajime se arrependia um pouco.

— … então? Há alguma informação sobre a minha pergunta de antes? É claro que eu pagarei um valor adequado por isso.

— Não, eu não ligo que o valor seja o mesmo da bebida de antes. Você quer ouvir sobre os Haulia, correto?

— !!! Parece que há alguma informação. Me dê os detalhes.

Pelo visto, o barman de fato tinha informações sobre o assunto.

Parecia que uma enorme prisão aconteceu alguns dias atrás, nesse momento, houve um grupo de Homens-Coelho que tentaram escapar dos Soldados do Império usando a força. Entretanto, isso não foi possível e eles logo foram cercados por mais de cem Soldados. Parecia que eles tinham sido levados para o castelo após a captura.

Mesmo assim, a capacidade para anular o senso comum dos Homens-Coelho foi um excelente tópico, devido a surpresa da situação, havia muita informação se espalhando pela cidade.

— Heeeee, o castelo…

Quando Hajime viu Shia a seu lado murmurando, ele notou que o rosto dela ficou nublado. Que tipo de tratamento um Demi-Humano receberia se invadisse a Capital Imperial… no mínimo, não poderíamos esperar um futuro brilhante.

Contudo, o local para onde eles foram levados deixou o garoto preocupado. Embora também existisse demanda por homens entre as tribos de Demi-Humanos, um homem de meia-idade como Kam não teria muita procura. Além disso, a existência desses excessivos Soldados Imperiais mostrava o poder do Império. Seria natural se ele fosse executado na mesma hora ao ser pego.

Em outras palavras, o Império viu algum valor em Kam, eles decidiram aproveitar o melhor dele. A possibilidade de o chefe dos Homens-Coelho estar vivo era bem alta. Ainda era cedo demais para abandonar a esperança.

Hajime apertou a mão de Shia sob o balcão para tranquilizá-la. Yue fez o mesmo com a outra mão da garota. Os sentimentos dos dois foram transmitidos para Shia, poder voltou a seus olhos e ela assentiu com a cabeça.

O barman olhou para a cor de cabelo da Garota-Coelho, que era rara para Demi-Humanos. A relação com os Homens-Coelho que foram capturados podia ser imaginada. Hajime subitamente fez uma pergunta inesperada para o barman com um tom suave.

— Mestre, se eu pagar o preço, sobre o castelo imperial, você me daria alguma informação?

— !!! Apesar de sua pergunta soar como uma piada… não parece que você está brincando quando olho para sua aparência…

Embora Hajime sorrisse, os olhos que olhavam diretamente o barman não estavam contentes.

Devido a estranha pressão, até a expressão do barman ficou um pouco rígida. O conteúdo da pergunta também era delicado, se isso fosse respondido sem habilidade, ele poderia ser acusado de ajudar uma rebelião.

Sobretudo, a Guilda dos Aventureiros era uma organização independente, portanto, não havia nenhuma razão para uma “rebelião” contra o Império. Hajime, imaginando a suposição do homem, fez sua pergunta e colocou o barman em um beco sem saída.

Entretanto, apesar do barman ser uma pessoa que pertencia a Guilda dos Aventureiros, essa também era sua terra natal, se descobrissem que ele vendeu informação sobre as fortalezas do castelo, ele não sairia impune, dessa forma, ele não poderia apenas compartilhar essa informação. Como Hajime começou a entender o que o homem estava pensando, o garoto começou a aplicar pressão, o que fez com que o outro hesitasse ainda mais.

Assim, o barman finalmente decidiu dizer ao garoto sobre alguém que conhecia a informação de sua pergunta.

— … há um homem com o nome de Nedeiru na quarta unidade do grupo de patrulha. Ele é um ex-carcereiro.

— Nedeiru. Muito bem, eu vou visitá-lo. Estamos em dívida com você mestre.

Como Hajime não achava que esse barman contaria informação sobre o castelo imperial para ele, a melhor alternativa seria contar a ele sobre outra pessoa que compartilharia essa informação.

O Sinergista deixou a Guilda dos Aventureiros e caminhou pela rua principal. Enquanto isso, Shia o perguntou sobre a conversa que aconteceu há pouco.

— Hmm, Hajime-san. Essa pessoa que é ex-carcereiro de sua conversa anterior, por acaso…

— Ah. Para ouvirmos sobre os detalhes do local, eu pretendo invadir esta noite. Muito bem, Yue e eu vamos partir e coletar informação, vocês podem ir comer alguma coisa em um local apropriado. Vamos voltar em duas ou três horas.

O rosto de Shia mudou para desconfiança após escutar as instruções de Hajime.

— ??? Por que só vocês dois? Ha!? Certamente, você não está apenas tentando conseguir algum tempo sozinho com Yue!? Sempre! Sempre!!

— Quê!? Então é isso Hajime-san!? Não, isso não é bom! Mas o que você está pensando nesta situação!

— Mu? É sempre e apenas Yueeee. Hey, Mestre. Esta pode participar da batalha também?

— Nã-não há como isso acontecer! Como nós vamos fazer isso com essa quantidade de pessoas!? Eu não sou uma pessoa que não pode reconhecer a situação.

Com a suspeita de Shia e Kaori, que reagiram sensivelmente a isso, e Tio, que exigiu um ménage, Hajime inconscientemente fez uma objeção.

Kui, kui, a manga do garoto foi puxada. Era Yue com as bochechas coradas olhando para Hajime.

— … vamos fazer isso do lado de fora?

— Não, porque não vamos fazer nada.

— … então vamos fazer dentro de algum lugar?

— Não, o problema não é onde vamos fazer. Por favor, só esqueça disso.

— … muu, entendido. Vou me preparar para a batalha da noite.

— A batalha da noite que você está falando é a invasão ao castelo imperial, é, não é? É isso o que você quis dizer, não é?

A piada de Yue foi clara … quer dizer, isso devia ser uma piada. Embora seus olhos tivessem a sagacidade que lembrava um lobo selvagem pronto para atacar sua presa com uma atmosfera provocante.

Por outro lado, Shizuku, que estava observando a conversa do grupo de Hajime, ficou muito confusa.

— Ó, que maturidade! Essa devia ser uma conversa entre colegas de classe, mas se tornou uma conversa adulta, o que faremos Shizuku!

— … no fim das contas, o que eu posso fazer? Mesmo assim, Kaori? O que eu deveria fazer? Eu deveria estar ajudando minha melhor amiga? Ou deveria apenas repreende-los enquanto ainda não é tarde demais? Eu não entendo. O nível da conversa é alto demais para mim!

Com Suzu, que estava corando e se escondendo atrás de Shizuku enquanto se contorcia para manter sua libido sob controle, e Shizuku murmurando algo, Hajime retorquiu. O Herói estava corando um pouco e o cérebro de músculo, junto com os transeuntes A, B, C até o Z, foram afetados pelo ar provocante de Yue.

— Vocês podem parar com isso agora… a razão para sermos apenas Yue e eu é porque Nedeiru pode não ser obediente, assim, uma “conversa” educada pode ser necessária, Yue, que está acostumada com a Magia de Regeneração será útil…

— Até eu posso usar Magia de Regeneração…

— Kaori, você deve deixar isto para Yue desta vez.

— Shizuku-san…

Nedeiru era um Soldado do Império, ele poderia não ser tão obediente para entregar a informação sobre o castelo imperial. Em outras palavras, “força” seria usada junto ao questionamento. E a Magia de Regeneração seria útil para usar a “força” corretamente, isso seria severo demais para Kaori, Shizuku, que imaginou as intenções de Hajime, acalmou sua amiga.

A Curandeira também imaginou o plano do Sinergista, ainda assim, a aluna queria estar com ele, ela também queria ajudar Shia, mas como a garota entendia que o Soldado não entregaria a informação a menos que força fosse usada, ela se retirou com relutância.

Todas consentiram e enquanto Hajime e Yue começavam a desaparecer na multidão, Shia gritou.

— Hajime-san! Yue-san! Uh, é que…

Ela não parecia saber que palavras usar; um sorriso preocupado apareceu no rosto de Hajime quando ele viu que Shia estava lutando para encontrar as palavras certas. Com certeza, era a mesma atmosfera séria que ela tinha nos Calabouços.

No fim, Shia disse as palavras com um sorriso e um leve constrangimento.

— Mantenham a safadeza em um nível moderado!

— Está arruinado! Esta maldita coelha!

Após Hajime gritar de volta, ele agarrou a mão de Yue e desapareceu dentro da multidão.

Várias horas depois, eles voltaram para onde Shia e o resto do grupo estavam, Yue estava estranhamente brilhante e Hajime estava esgotado.

O que exatamente eles descobriram…


Tradutor: Zé   |   Revisor: SrDrumond




Fontes
Cores