APMT – Capítulo 208 – Outra história 19: A defesa final da |Cidade Portuária Motanpe|



Lutas ainda surgiam na |Cidade Portuária Motanpe|.

Novos monstros continuavam aparecendo sobre os cadáveres de incontáveis outros monstros.

Mesmo assim, para aqueles que viviam nesta cidade, não havia possibilidade de rendição.

Tudo o que eles podiam fazer era usar suas cabeças, mover suas mãos, confiar em seus companheiros e dar o seu melhor para matar os monstros diante deles.

Ainda assim, os monstros continuavam surgindo um após o outro…


|Cidade Portuária Motanpe| – Portão Leste

(Sarona): “Haaaaaaaaaaaaa!!”

Sarona cortou o monstro com sua espada curta, algumas vezes recuando, algumas vezes atacando, e com seus companheiros atuando como seu escudo, ela exibia sua apreciada ‖Magia do Vento.

A figura de seu corpo esguio, complementado por seu cabelo prateado claro como cristal, lutando graciosamente como se estivesse voando, fascinava o coração dos Cavaleiros que lutavam com ela.

Era como se eles estivessem lutando ao lado da Deusa da Beleza, fazendo os Cavaleiros se sentirem honrados por serem capazes de lutar com ela, e, por sua vez, isso aumentava a moral deles.

(Tata): “Aqueles que estiverem feridos, recuem para a retaguarda!! Aqueles que podem usar ‖Magia de Cura, por favor, os curem!! Não se esforcem demais, já que eu terei que cobrir a lacuna com minha magia!!”

A voz alta de Tata ressoou pelo campo de batalha.

Fiel a suas palavras, ela imediatamente conjurou ‖Barreiras Mágicas para cobrir os feridos até que eles pudessem recuar para a retaguarda.

E se qualquer monstro se atrevesse a atacar Tata, eles seriam recebidos com a lâmina da [Espada Sagrada] de Wazu.

Ela não mais temia lutar.

Ver Wazu incessantemente forjando seu corpo através de batalhas a ensinou como uma Deusa da Guerra deveria agir, e, no fim, permitiu que as duas se ajudassem. Ambas tinham suas respectivas batalhas para lutar.

(Mao): “Ainda não!! Isso é tudo o que você tem!? Se você quer me matar, você terá que fazer melhor do que isso!!”

Mao agarrou suas espadas gêmeas com força enquanto bravamente percorria o campo de batalha, cortando monstros à esquerda e à direita.

Ela sempre esteve na vanguarda, matando mais monstros do que qualquer um.

Ela mataria o máximo que pudesse, assim, o fardo deixado para os outros não seria tão pesado.

Mas, logicamente, isso não significava que ela estava sozinha. Se você olhasse ao redor, veria os Cavaleiros atrás dela, sempre prontos para fornecer auxílio a qualquer momento.

Dentro das mentes desses Cavaleiros, eles a consideravam como uma divindade tutelar, mas isso não significava que eles poderiam ficar para trás, o que aumentava ainda mais sua moral.


|Cidade Portuária Motanpe| – Portão Oeste

(Naminissa): “Todos!! A barreira!!”

A voz de Naminissa ecoou através do campo de batalha, e os Cavaleiros responderam de acordo ao recuarem para dentro dela.

Depois que Naminissa confirmou que todos tinham recuado com sucesso ao redor dela, uma enorme barreira foi erguida acima do mar de monstros.

Os monstros foram então esmagados pela barreira, perdendo suas vidas no processo.

Entretanto, novas ondas de monstros imediatamente preencheram a lacuna criada. Para aliviar a carga de Naminissa, os Cavaleiros entraram em luta com os monstros.

(Narellina): “Todos, não sejam imprudentes!! A coisa mais importante é sobreviver!! Eu não permitirei que vocês percam suas vidas em vão!!”

Narellina gritou para os Cavaleiros que lutavam ao lado dela.

Os Cavaleiros concordaram com suas palavras, se movendo cuidadosamente em um único grupo.

Olhando seus movimentos, Narellina, que estava coberta por uma armadura completa, sorriu enquanto girava sua espada flamejante. Algumas vezes, ela sairia sozinha para garantir que os feridos pudessem recuar de forma segura para dentro da barreira.

Nunca permitir que ninguém morresse, assim todos poderiam voltar para seus amados…


|Cidade Portuária Motanpe| – Em algum lugar

(Haosui): “… segure firme, não solte”

(Meru): “Kyuuuuiii!!”

Haosui e Meru percorriam o campo de batalha juntas.

No momento, Haosui, que era a segunda mais forte depois de Wazu, estava focada em derrotar os monstros maiores. Mantendo Meru em sua cabeça, ela corria pelo mar de monstros com uma espada em sua mão.

Haosui nunca parou de se mover. Nenhum dos monstros poderia servir como obstáculo para ela.

Mantendo o amor por sua nova família em seu coração.

Ela seguiu em frente para proteger a todos…


|Cidade Portuária Motanpe| – Porto

(Kagane): “Eu vou começar a invocar a grande magia agora. Por favor, aguentem só mais um pouco!!”

As palavras da garota foram respondidas com, “Conte conosco mocinha!!”, dos pescadores da cidade, enquanto eles apertavam os arpões e lanças em suas mãos com ainda mais força.

A garota então começou a invocar magia como se estivesse cantando.

Originalmente, ela estava protegendo o porto por conta própria, mas isso não passou despercebido pelos pescadores da cidade, que mais tarde ergueram suas armas e se juntaram a luta.

“Nós vamos sobreviver!! Não vamos nos curvar para o medo dos monstros!!”, eles gradualmente se reuniram, um a um.

A garota sorriu, encorajada por este desenvolvimento.

Depois que ela terminou de invocar sua magia, uma enorme bola de fogo, capaz de evaporar até o oceano, varreu os monstros…

Mas o número de monstros não parecia ter se reduzido nem um pouco.


Alguns definitivamente morreram, mas novos inimigos imediatamente apareceram para tomar o lugar dos outros.

Os defensores já estavam respirando com dificuldade. A vontade de lutar ainda estava lá, mas seus corpos se recusava a continuar.

Até as integrantes do harém começaram a se sentir cansadas.

Nesse ponto, algo caiu dos céus.

(Ragnil): “Guuaaaaaaaaaaaa!! Maldito!!! Como se atreve a tentar ferir minha fofinha Meru!! Imperdoável!! Sinta minha ira!!”

(Meral): “Ora, ora querido, por favor, se acalme um pouco. Meru tem Haosui-san como sua guardiã”

(Megil): “Pelas Deusas… ficar nervoso dessa forma talvez seja inadequado para um ⟦Rei Dragão… porém, isso pode ser justificado se você o fizer como uma figura paterna… nesse caso, eu vou dar o meu melhor pelo bem da minha neta”

Um ⌊Dragão Negro e dois ⌊Dragões Brancos desceram do céu, lançando enormes sopros de fogo sobre os monstros com irritação.

E assim, O ⟦Rei Dragão Ragnil esmagou os monstros no portão Oeste até o centro da cidade em sua raiva, o ⌊Dragão Branco Meral desceu no portão Leste para ajudar Sarona, e o outro ⌊Dragão Branco, Megil, cuidou dos monstros que vinham do mar.

Eles seguiram até o local porque Wazu os visitou em sua caverna, e implorou pela ajuda deles depois de explicar a situação.

Na verdade, mesmo se Wazu não os pedisse ajuda, assim que eles percebessem que Meru estava em um local tão perigoso, Ragnil imediatamente planejava partir para espancar esses seres malignos, com ambas Megil e Meral. Quando Wazu passou por Megil, ela o disse para “Sobreviver e voltar para casa… se você fizer Meru chorar, eu não sei o que vai acontecer!”.

E assim, com a ajuda do ⟦Rei Dragão e seu grupo, o número de monstros despencou significativamente.

Usando essa oportunidade, as integrantes do harém, os Cavaleiros, e os outros defensores da cidade, usaram suas últimas gotas de energia para afastar os monstros…

E quando o último dos monstros em cada local perdeu sua vida, gritos de vitória começaram a ecoar por tarde a parte.

Todos os Cavaleiros e defensores da cidade sorriram, se sentindo aliviados por sua sobrevivência e o sucesso em defender sua cidade.

Contudo, as integrantes do harém não poderiam se permitir a sorrir ainda… elas estavam preocupadas… e só poderiam rezar… enquanto lançavam olhares para uma certa direção.

Para o cume da enorme montanha no meio do continente, que estava envolta em um ar de mistério…


Tradutor:




Fontes
Cores