DE – Volume 1 – Arco 1 – Capítulo 6 + Novidades


Uma escalada reflexiva.

Já vou avisando que o post é longo e importante, galera. Estejam preparados, principalmente os leitores antigos!

Vamos começar atualizando as coisas. Computador talvez em breve volte a vida, ou seja, postarei com uma frequência ok. A gripe que peguei ainda persiste, mas deve passar em alguns dias.

Meu dia dos namorados foi uma porra. Espero que o de vocês tenha sido bom.

Não pude postar segunda porque, obviamente, estava sem meios para isso. Porém, foi bom não ter postado, já que trarei uma puta novidade.

O capítulo de DE hoje é bem particular, é totalmente focado no Henry, coisa rara, acho que só teve isso uma vez, que foi o prólogo, espero que vocês gostem.

Gosto bastante desses capítulos mais solitários, mas também é um inferno reescrevê-los, já que eu esqueço como meus personagens pensavam quando eu comecei escrevê-los, mas acho que to trabalhando bem com o Henry.

Não esqueçam, se encontrarem erros, sempre comentem! Eu reescrevi esse capítulo madrugado, então, talvez tenha bastante erros, então, me ajudem.

Agora vamos para outro tópico, a novel nova lançada esses tempos na Novel Mania. A Voz da Névoa, é uma puta recomendação galera. Eu sou viciado em The Breaker, é um manhwa caso não conheçam parem de ler novels e vão ler a obra prima, e essa novel é um ótimo reflexo dessa obra, então, é uma recomendação forte. Além disso, o autor dela é parceria minha, o cara é gente fina demais, ajudem ele crescer. Quem curte umas novels diferentes vai apaixonar por esta. Ah sim, o arco 4 é um puta arco para quem curte uns MC que sofrem para caralho para ficar forte.

Ok, agora vamos para a tão esperada novidade! SENTEM-SE E ESTEJAM PREPARADOS!

Galera, após meses, mas meses mesmo, procurando um ilustrador para minha capa, eu finalmente arranjei e consegui minha capa oficial! SIM! O ILUSTRADOR PARA MINHAS CAPAS!

Caso pensem que isso é coisa boba, talvez realmente seja, mas isso é um grandes motivos para a felicidade dos autores. A capa dá a face, a primeira impressão da sua obra e também, é a identidade visual dela. Em Destino Elementar não haverá capaz com personagens, mas sim só ambientes marcantes da obra.

A capa refeita pelo Vagner, o ilustrador, ficou fantástica e estarei deixando ela aqui embaixo para darem uma olhada e babarem. Eu já atualizei até o indice com ela! Está fantástica e maravilhosa.

A antiga capa era bem amadora, mas feita por um amigo meu, de graça ninguém pode reclamar e sim agradecer, ele fez para mim sem qualquer compromisso ou pagamento, então, ela ainda é especial para mim.

Essa capa nova marca o inicio de uma novel que tentará mudar a visão das novels brasileiras e também de um autor que busca crescer nesse nicho. Quero sempre fazer o melhor para Destino Elementar, e mostrar para todos que meu esforço valeu a pena.

Podem babar.

Claro, eu tive que diminuir o tamanho real e tals, porém, a imagem com a qualidade real estrá só disponível no formato Digital. E sim, pretendo ter um formato fisico, tanto que ja preparei a lombada e contracapa. Mas isso é para outros momentos.

Os leitores antigos sabem o significado da capa, mas irei explicar para os novatos: Como falei que as capas são de ambientes importantes da obra, esse ambiente é do capítulo 4, quando Henry volta para a toca e sua mãe diz para ele ir na reunião dos Tigres Amba. Essa é a transição do pequeno tigre que era protegido pela sua mãe e teve que ser enviado para uma viagem sozinho num ambiente perigoso e solitário. As pegadas são do Henry, que passou pela Torre Amestya e a tabuleta com os caracteres misteriosos (observe a mana subindo deles), enquanto se dirige para a maior montanha da cordilheira. Aquela mais alta no fundo. Sim, este é o ambiente mágico que Destino Elementar traz. Espero que tenham gostado.

Enfim, dizendo tudo isso, só posso dizer que estou tão feliz que poderia escrever uma novel de cultivo. Sim, esse nível de felicidade. kkkkkkkkk.

Por sinal, estou pensando em escrever uma novel de cultivo para passar o tempo, será que tenho jeito? Hm… Isso me lembra um tutorial que li algum tempo atrás sobre como escrever cultivo. Era bem preciso.

Bom, chega disso, separem os comentários em tópicos: Comecem falando sobre o meu PC, gripe ou seu dia dos namorados. Esse é o primeiro tópico. O segundo tópico do comentário é sobre A voz da névoa, se vão dar a chance ou não para o Saber Hero. No terceiro tópico, obviamente sobre a capa! Se alguns de vocês quiserem, comentem no índice ou no capítulo mesmo! Já o quarto tópico, me digam o que acham sobre o significado da capa ou sobre eu escrever cultivo!

Para encerrar o post, deixarei o capítulo 3 da novel da Sophie. O nome um dia será dito, mas no momento é informação secreta.

Quem não leu o capítulo 1, basta clicar aqui. Se precisar do capítulo 2, clique aqui.

Capítulo 3 – Caça e Desenvolvimento

Aproveitando que agora estava curada e ainda viva, Sophie foi ao rio próximo se limpar propriamente. Mesmo que a chuva tenha limpado o sangue do homem, Sophie ainda desconfiava que restava resquícios de sangue dos lobos ou do homem.

Ao retirar toda sua roupa e começar a se limpar, ela ouviu o homem falar com ela.

▹ Para uma criança, tu, de fato, treinaste teu corpo muito bem. Porém, não temes de não ser capaz de casar um dia? Tantas cicatrizes…

Foi como ele disse. Sophie desde nova se colocou em treinamento constante de combate com seu pai. Muitas vezes deixando seu corpo ser cortado para tentar acertá-lo, deixando diversas cicatrizes por seu corpo. Somente suas mãos, rosto e pés não tinham cicatrizes de perfuração e corte.

Isso mostrava quão determinada ela estava em se tornar mais forte.

Ela rapidamente tapou seus seios, se agachou e seu rosto corou de vergonha.

“S-senhor! Por favor! Não olhe para mim quando estiver nesses momentos! Isso é desrespeitoso… e… pervertido.”

▹ Quieta, criança. Atrairá mais animais para cá se continuar a gritar.

Ela logo percebeu seu erro e colocou as mãos na boca, olhando para cada lado.

▹ Certo, nada virá. A correnteza do rio abafou teus gritos. Não achei que tivesse vergonha com algo tão bobo assim, criança. E, jamais teria interesse em garotinhas… principalmente as desprovidas.

Sophie ficou ainda mais vermelha e o respondeu mentalmente.

Senhor, não fale assim! Por favor, não me olhe mais! E não me chame mais de criança, eu tenho nome!

Hum… Se me lembro bem, tu se chamastes de Sophie, mas, realmente importa a forma como te chamo, crian… So…phie?

Claro que importa! Se me deram nome é para que seja usado!

Sophie já estava secando a si mesma.

Em sua bolsa havia um kit com alguns itens uteis para sobrevivência. Sendo alguns desses itens; um novo conjunto de roupa – uma blusa e uma calça – e panos, que serviam para estancar o sangue e parar uma hemorragia, e se limpar.

Quando caiu da ladeira, ela utilizou um dos panos para estancar o sangue, evitando um pouco que os lobos soubessem onde estava rapidamente.

Sophie vestiu o outro conjunto de roupas e deixou outra roupa no sol, para secar.

Primeiramente, ela não poderia sair daquele lugar até se acostumar um pouco com seu “novo” corpo. Tudo o que Sophie fizesse era como uma nova sensação, era tudo novo para ela. Até a água fria do rio não a incomodou.

Senhor, já que me chamará pelo nome, posso te chamar por algum? Quais dos teus apelidos você prefere que te chame?

▹ Apelido…? Por que se apega a algo tão tolo? Nomes são desnecessários para viver. Saber o nome do seu inimigo não te torna mais forte no combate. Não faz diferença alguma saber dessas coisas.

Papai diz que um nome é a maneira como os seres definem a singularidade. Nomes podem ser repetidos, mas todos são especiais. Não faria diferença saber o nome do seu oponente… mas… Se for um oponente poderoso, eu gostaria muito de lembrar dele pelo seu nome e não apenas memórias.

Hum… Que perspectiva intrigante… Então, um apelido que eu goste…

A voz do homem parecia interessado na maneira como Sophie pensava, e, como se trouxesse nostalgia, ele começou a pensar.

Porventura se fosse aquele… Será que ela se lembraria? Já fazem eras, tenho minhas dúvidas…

Ele riu baixo, uma risada quase melancólica.

Sophie não podia ouvir o que ele pensava. Embora dividissem corpos, o homem ainda parecia saber separar sua consciência da de Sophie.

Senhor? Por que está rindo?

▹ Nenhum motivo. Tu podes me chamar de Rael. Agora pare de perder tempo com conversas desnecessárias.

Rael? Que apelido diferente… Nunca ouvi falar em nomes parecidos, nem em livros.

▹ Preciso repetir?

Ah! Treinamento! Eh… Sr. Rael pode me explicar quais… “poderes” posso utilizar?

Hah… Explicarei os mais complexos quando for a hora. Certo, os mais básicos. Porém, antes de começar, diga-me quais mudanças que tu sentes em teu corpo. Vossos corpos originais são diferentes, então, não posso saber exatamente que mudanças teu corpo teve com o Vínculo.

Eh… Meus olhos conseguem enxergar um tipo de “fumaça” no ar… Não incomoda e nem atrapalha, mas é algo que nunca vi. Aquele rio a essas horas devia ser frio, mas quando tocou na minha pele, não senti nem um pouco de frio. E a ultima coisa que sinto de diferente é que me sinto muito mais ativa! É como se tivesse muito mais vigor!

Sophie estava muito animada com essas mudanças, já que nenhuma parecia ser ruim para ela.

Oh…? Então estas foram as características marcantes que foram transmitidas a ti. Isso deve ser útil para uma caçadora como tu. Bom, preste atenção em tudo o que direi agora. Não quero que perguntes novamente, entendido?

Sophie ficou animada e logo assentiu repetidamente com a cabeça.

▹ Primeiro de tudo, explicarei as características. Existem dois tipos, as passivas e as ativas. As passivas são estas que tu percebeste. Teus olhos conseguem enxergar mais claramente o que chamamos de Véu da Vida. Isso será de extrema importância no futuro para tua sobrevivência. E acima disso, tu deves ter uma visão bem melhor do que os outros seres da sua espécie.

Sophie queria perguntar, como uma menina curiosa que era, porém, se controlou e continuou a ouvir enquanto se sentava no sob a luz do sol.

▹ No estágio atual da tua sensitividade deves ser capaz de lidar melhor com o frio e o calor. Se quiser testar, faça uma fogueira mais tarde e coloque sua mão próxima à chama. Por último, teu vigor, agilidade, força e sentidos devem ter aumentado gravemente, isso só ficará mais claro quando caçar.

Ela não aguentou e perguntou: Sr. Rael, e as ativas!?

Sophie estava tão animada que todo seu corpo tremia em empolgação. Para ter ficado tão poderosa rapidamente, obvio que estaria animada. Isso significava que seu sonho estava mais próximo.

▹ Tu és muito impaciente. Controle esse teu lado. Contudo, não te culpo pela sua ansiedade e impaciência. Enfim, sobre as ativas. As características ativas são como a besta que tu usaste para lidar com os lobos. Sempre estarão preparadas, como suas flechas, porém, você precisa saber onde mirar e como puxar o gatilho.

Rael deu uma pausa na explicação permitindo Sophie absorver tudo o que disse.

▹ Porém, chame as características ativas de Habilidades, enquanto as passivas são chamadas de Capacidades. As Habilidades são divididas em diversos tipos de poderes: suportes, defensivas, ofensivas, auras e assim por diante. No momento tu deves apenas ser capaz de ativar a cura mais fraca, mas deves ser suficiente nesta área.

Os olhos de Sophie brilharam, ela pegou a roupa seca de imediato, guardou na bolsa, agarrou sua besta e flechas e preparou para subir a ladeira.

Rael quando viu isso entendeu o que ela queria. Sophie queria testar todos seus poderes recém-adquiridos.

▹ Não esqueças, tu ainda podes morrer. Não seja impaciente. Desenvolva-te e melhore.

Sophie assentiu sério. Era hora de caçar.

Subindo a ladeira, ela notou que seu equilíbrio estava melhor que antes. Sequer sentia que podia escorregar ou desequilibrar na subida, era quase como andar em um caminho plano. Sua velocidade estava constante e não sentia cansaço algum em subir.

O sol estava em seu pico, logo, era o meio-dia, e também um ótimo momento para caçar.

▹ Já tem ideia do que caçarás?

Hmm… Eu não estou com fome, mas ainda preciso juntar os núcleos e treinar…

▹ Entendo, então é assim que contabilizam que caçou o equivalente ao tal “Bahar”. Animais como aqueles lobos selvagens não terão núcleos de energia dentro. Teremos que ir mais fundo nesta área.

Sophie já imaginava isso, então, logo adentrou novamente o bosque. Por mais que andar pelas bordas do bosque fossem uma boa opção, nada podia impedir de ser pega por uma grande quantidade de lobos.

Ficar em lugares abertos era pior do que estar no território dos predadores.

Conforme Sophie andava mais adentro, mais a paisagem mudava. Ficando quase fechada para entrar, quase como uma floresta. A luz do sol não conseguia mais adentrar nesse tipo de ambiente.

Nunca fui tão longe… É realmente como papai disse. Preciso tomar cuidado com os Kehares.

▹ Kehares? Sophie, preste atenção no Véu.

Rael parecia ter notado algo que Sophie não havia percebido.

Véu? Ah, a fumaça? Por quê, Sr. Rael?

▹ Só faças o que falei. E responda a minha pergunta.

Ela sabia que todas dicas de Rael eram importantes, já que ele e ela dividiam agora o corpo, não havia motivos para tramar contra um ao outro. Então, Sophie assentiu para ele.

Certo. Kehares são como chamamos os animais que acabaram de desenvolver seus núcleos de energia.

▹ Compreendo. Mais tarde me conte cada uma dessas classificações. Agora não perca mais tempo pensando e prepare-se.

Sophie agarrou sua besta e armou a flecha.

Com passos leves, porém rápidos, ela entrou naquele ambiente.

O ambiente era escuro, raízes das grandes árvores saiam do chão, dificultando a locomoção. De vez em quando Sophie ouvia os farfalhares vindo das árvores, como se algo a seguisse.

Ela sabia que algo não fazia sentido. Havia acabado de entrar no ambiente e algo já estava a seguindo. Só significava que essa criatura a viu antes de entrar e já estava preparado.

Como é que eu não o vi?! Não havia nada ao redor quando entrei!

▹ Não confie nestes teus olhos mundanos. Se parar agora, ele atacará.

Sophie virou seu corpo para ver onde ele estava, enquanto recuava com o impulso.

Nada?!

Os farfalhares ficaram mais agressivos, como se já estivesse preparado para atacá-la. Porém, mesmo não o vendo, Sophie acompanhava o farfalhar.

Enquanto o olhava se aproximando, ela mirou sua besta em direção do farfalhar e puxou o gatilho.

A flecha cortou o ar e atingiu algo. Esse algo caiu imediatamente à 6 metros de distância de Sophie e começou a tremelicar no chão. Nenhum som saia dessa coisa.

Era algo quase translucido, mas liquido verde escorria de onde a flecha havia perfurado. E no momento seguinte, aquilo deixou de ser translucido e era como um símio negro com cerca de 1 metro de altura.

A flecha havia cravado em seu peito. Sophie estava respirando pesado, a tensão de ser perseguida por algo que não era capaz de ver era algo que nunca havia experimentado em sua vida.

Hum… Tuas flechas ainda são uteis nesse ambiente. Parece que teu clã fornece bons materiais aos novatos em seus treinamentos. A pele dele não seria perfurado por uma flecha de madeira. Ao menos, uma flecha de madeira atirada pela tua besta.

Sr. Rael, como ele ficou invisível? Papai disse que alguns Kehares desenvolvem particularidades especiais quando atingem o primeiro estágio do núcleo, mas nunca me contou sobre um invisível.

▹ Este é um Símio-Talpa. E pelo seu tamanho, mal entrou na fase juvenil. Seu pai não deve ter contado para você porque queria testá-la. Essas criaturas não são tão raras quanto imagina, mas só verá eles em florestas.

Sophie foi até ele, a tensão sobre seu corpo ainda existia, já que ela poderia ser cercada por mais dessas criaturas sem nem perceber.

Ela retirou a flecha cravada no peito dele e o analisou.

Ele deve ter tentado desviar… A flecha perfurou pelo seu lado, atravessando um pulmão inteiro e penetrando um pouco o outro. Não gritou por isso… não tinha fôlego…

Rael riu e elogiou a análise de Sophie.

▹ Você me surpreendeu agora. Esplêndida análise, Sophie. Se este maldito tivesse soltado um grito, você estaria cercada agora.

Ela não ligou muito para o elogio. Agarrou sua faca e começou a cortar a cabeça do símio. Quando abriu o crânio do mesmo, colocou a mão dentro do cérebro e retirou uma pequena pedra verde-claro do tamanho de uma unha.

Sophie parecia maravilhada pela pequena pedra, como se fosse um tesouro. Rapidamente apertou na sua mão e guardou em sua bolsa.

Meu primeiro núcleo Kehar…!

Ela se controlou para não parecer animada, mas sua mente estava explodindo de alegria.

▹ Não ache que isso é grande coisa. Você pegará muitos maiores em pouco tempo. Agora você precisa me ouvir para não ser pega desprevenida por outro Símio-Talpa mais experiente.

Rael parecia incomodado com o método que Sophie utilizou e começou a dar um sermão.

▹ Os Símios-Talpa não serão criaturas que você vai lidar com tranquilidade, Sophie. Só há dois métodos para você matá-los! Note o movimento do Véu ou ouça os movimentos. E foi por isso que avisei sobre o Véu quando se aproximou desta área, este símio já estava te observando.

Rael estava realmente descontente com Sophie por não o ouvir

▹ Seus sentidos estão muito mais apurados agora, pare de pensar como antes e utilize a força que te dei.

Sr. Rael, desculpa… Eu não conseguia pensar em nada quando vi que era algo invisível…

▹ Sem mais desculpas! Só sairá desse lugar quando exterminar cada um desses desgraçados. Se algo ou alguém ousar te machucar, destrua-o da pior maneira! PARA QUE OS OUTROS ENTENDAM O QUE OCORRERÁ SE TENTAREM! SOMENTE UMA FLECHA NO PEITO? ESSA CRIATURA INFERIOR?!

Rael parecia ter ficado insano. Um surto de loucura. Como se pensar em algo ousando machucá-lo fosse o maior pecado de todos.

▹ Se estes vermes ousam rastejar para teu corpo, corte os membros destes malditos e os dê de comida! QUE SE ALIMENTEM DE SI MESMOS!

Sophie tremeu ouvindo novamente aquela voz terrível, era como o pior dos demônios gritando em seus ouvidos. Porém, ela não tremeu por medo desta vez. A insanidade de Rael era compartilhada com Sophie. Ela havia tremido de empolgação. O seu sangue ferveu juntamente com de Rael.

Sr. Rael… Eu terei que matar todos Símios-Talpas daqui…?

Rael riu com satisfação e respondeu a pergunta da pequena garota.

▹ Ora, é seu treinamento, não é? Para que jamais seja ameaçada por insetos como estes novamente, tu deves mostrar que se ousarem, nem mesmo suas almas serão poupadas. Não concorda?

Sim, Sr. Rael. Sim.

Sem Sophie perceber, um sorriso macabro havia se formado em seu rosto. Suas mãos, banhadas com o sangue e fluidos do Símio-Talpa, foram colocadas em seu rosto, para conter sua animação.

A resposta de Rael era como uma permissão de fazer um mar de sangue.

A loucura e insânia de Rael estava, lentamente, afetando a pequena e jovem Sophie.

Não esqueça de comentar! E já podem ir ler o capítulo.

Índice

Capítulo 6


📃 Informações Úteis

⏱ Destino Elementar é lançado às segundas, quartas e sextas-feiras, sem horário fixo.

💜 Se você deseja ajudar a obra, sempre deixe seu comentário referente a obra ou capítulo no índice ou na página do capítulo! Isso sempre traz motivação e alegria para o autor.

💎 Caso encontre erros, comente! Isso ajuda tanto a obra quanto o autor.



Fontes
Cores