UD – Epílogo I



~Epílogo I~

….

***Um certo porão*** 

Dois globos de cristal estão descansando ao lado um do outro em um porão empoeirado. O barulho de uma grande festa pode ser ouvido de cima. Soa como uma festividade realmente grande e feliz.

Do que você acha que se trata essa bagunça toda acima de nós, Amaru? Você acha que os mestres estão se preparando para nos libertar?” 

“Cala a boca Tjenemit! Eu juro! Eu não vou ser mais capaz de te aguentar por muito mais tempo! Não chame eles de Mestres! Esses monstros vieram do próprio inferno! Ninguém deve conhecer tantos métodos de tortura!” 

Os caminhos dos Mestres são inconcebíveis….. apesar de eu desejar que o primeiro mestre devesse nos pegar de volta. As mães dele são muito piores que ele.” 

“Você está certo. Enquanto eu estava nas garras do monstro eu ainda tinha pensamentos de traição. As mães me ensinaram verdadeira obediência…. e pela última vez! Não chame eles de Mestres!” 

“Mas eu não posso. Eles marcaram isso em mim. Está tão fundo dentro de mim! Mesmo se eu tentar chamar os M.. eles… de outra coisa. Isso simplesmente cobre meus lábios.” 

“Que seja…. E Não! Eles não estão se preparando para nos libertar! Eles estão tendo uma cerimônia de casamento lá em cima! Um membro dessa raça tomou El Shaddai como esposa dele!” 

“Esposa?” 

“Aparentemente ele foi renascido enquanto nós estávamos trancados nesse porão! Como uma mulher além disso! Você não escuta aquelas duas velhotas quando elas terminam de nos atormentar?” 

“Eu sabiamente tapo minhas orelhas. Nada de bom vem de conhecimento demais. Mas para os Mestres garantirem absolvição para El Shaddai de uma maneira tão misteriosa…..” 

“Eu não chamaria isso de absolvição! Haaah…. Apenas uma única oportunidade de fuga. Eu nem pensaria sobre vingança. Eu apenas me esconderia em algum lugar e viveria uma vida humilde.” 

“Uma vida dessas certamente seria um grande presente por parte dos Mestres….” 

*~Crreeeaack~* 

“O que foi isso!?” 

“A porta! Fique em silêncio e reze! Os Mestres estão vindo! Eles não nos garantem paz nem durante a cerimônia de casamento da cria deles. Duros e espinhosos são os caminhos deles….” 

Três jovens garotas entram na sala de uma maneira furtiva e começam a sussurrar uma para outra.

“Entra! Elas não vão nos achar aqui!” – garota demônio A

“Sim. Sim. Deus! Esse porão é empoeirado!” -garota demônio B

“Pelo menos nós escapamos delas. Pra Sharid trazer sua família mortal para a festa. As irmãzinhas dela são tão chatas!” -garota demônio C

“É… elas fazem tantas perguntas óbvias. O que é isso. O que é aquilo. Até eu fiquei cheia de bancar a acompanhante.” -garota demônio B

“Não se pode fazer nada. Elas são mortais.” -garota demônio A

“Pregar peças nelas seria séria falta de educação. Infelizmente.” – garota demônio C

“E fácil demais! Ah! Olha! Dois orbes brilhantes! Legal!” – garota demônio B

Todas as três se aproximam e cercam o pedestal empoeirado com os dois orbes brilhantes.

“Eu não sabia que nós tínhamos uma coisa dessas aqui embaixo. Oh, tem pessoinhas dentro! Doido!” -garota demônio A

“Nós não somos pessoinhas! Nós somo Djinns! E se você esmagar nossos orbes, nós podemos conceder-lhes um desejo!” 

“Falou!” – garota demônio C

“Quais são seus nomes pequenas Mestres?” 

“Eu sou Eris! E essa é Lada e Arianne.” Eris se apresenta para os Djinns.

Isso é estranho. Você não deveria esfregar uma lâmpada de óleo pra um Djinn aparecer e conceder desejos? E por que eles são mantidos nesse porão escuro e empoeirado?” Arianne cerra seus olhos para as duas pequenas figuras.

“Quem se importa!? Dois desejos! Se apressem e pensem em algo legal!” Lada começa a saltitar enquanto cintila com todo seu rosto.

“Eu realmente acho que nós deveríamos perguntar….” Mas Arianne não consegue completar mais sua sentença.

“Eu desejo que a Sharid tenha dois garotinhos pra nós provocarmos eles!” Eris pega o primeiro orbe brilhante e o esmaga no chão.

*Esmaga*

“Você perdeu sua cabeça!? E que desejo estranho foi esse Eris!? Além disso Sharid gosta de garotinhas fofas! Você não viu como ela adora as irmãzinhas dela!? Você é cruel!” Arianne agarra o globo quebrado no chão. Ele parou de brilhar e escureceu.

“Eu … Eu não sei. Isso foi um impulso repentino? Eu senti como se fosse a coisa certa a se fazer?” Eris olha para a bola quebrada aos seus pés com uma expressão perturbada. “É como se meu eu passado de repente assumisse?”

“Eu vou corrigir seu erro! Eu desejo que ambos os garotos sejam garotinhas adoráveis! Então a Sharid pode banhar elas com amor!” Lada agarra o globo restante e o joga no chão.

“LIVREEEEEE!”

*Smash!*

“Isso foi estranho.” Eris coça sua bochecha.

“Eu não te disse!? O que deu em vocês pra fazer desejos estranhos desses? Você não é uma deusa de travessuras, Eris?” Arianne acerta Eris.

“Como eu disse…. Por que você tá cutucando a gente Lada. Para com isso! Primeiro nós temos que pensar sobre uma possibilidade de esconder essa bagunça e culpar outra pessoa!” Eris acena para os cacos de cristal no chão.

Mas a lada continua cutucar suas irmãs persistentemente por detrás. Eris e Arianne se viram incomodadas em direção a Lada.

“Aaaahh…. Oi! Vovó Ireth! Como vai?” -Eris

“Estranho se encontrar em um porão empoeirado desses vovó Katrine. Nós certamente não estávamos nos escondendo se você pensar nisso…” -Arianne

***~Um ano depois~*** 

Dois bebês estão deitados lado a lado em seu adorável berço rosa.

-Essa é minha chupeta!- Anja arrebata seu pertence da boca de Amelia ao usar telecinese.

-Desculpa. Eu costumo trocar elas. A sua e a minha são tão parecidas.- Amelia se desculpa e pega a outra chupeta que pertence a ela.

-Eu juro! Todos aqueles anos no porão com você. E agora esse destino cruel! Sua baba está nas minhas coisas! E em ser a irmã de uma cabeça de vento como você! -Anja começa a balançar seus adoráveis braços no ar.

-Não fui eu que veio com a história de Djinn! Você é a culpada aqui! Eu sempre te disse que Karma e Destino existem! E para alguém como nós tentar escapar a punição correta… ISSO TINHA QUE ACONTECER!– Amelia estoura e começa uma tirada.

-Como eu devia saber? Quão grandes são as chances disso acontecer? Um trilhão pra uma!? Pelo menos eles vão selar nossas memórias hoje. Eu já escondi uma nota na minha chupeta para nunca tentar relembrar meu passado. Cabeça de vento estúpida!- Anja continua seu discurso.

-Eu vou começar a chorar! E então ELA vai vir!- Amelia ameaça Anja.

-Cabeça de vento!-

“UWAAAAA!” 

-Para com isso!-

“WAAAHAAAHAHAAAA!” 

-Eu desisto! Paz! Não chama ela! Ela é carinhosa e amorosa demais! Se ela começar a tomar conta de nós ela não vai parar até cair no sono! Eu nunca te chamo de cabeça de vento de novo. Nós estamos nisso juntas. I.. Irm..-

-Diga!- Amelia olha fundo nos olhos de Anja.

Anja estufa suas bochechas. -Irmã! Por favor, não chore. Nós temos que ficar unidas contra o amor da mamãe. Pelo menos até eles selarem nossas memórias.-

-Anote em sua chupeta que você vai me amar e que nós somos as melhores irmãs para sempre! E que nós absolutamente nunca mesmo pegaremos nossas memórias antigas! Eu farei o mesmo! -Amelia mostra um riso vencedor que não se encaixa nenhum pouco em seu rosto de bebê.

-Isso é…-

Amelia começa a pegar fôlego.

-OK! Ok! Apenas fique quieta!- Anja se concentra por um curto momento para rabiscar a mensagem com telecinese em sua chupeta. – Taí. Viu?-

-Hmpf… Ok!-

Então passos são ouvidos e a porta se abre com força. Sharid dispara para dentro e toma ambos os bebês de seus berços e os pressiona ao seu peito.
“~Mamãe tá aqui! Vocês não têm que chorar! Vocês já estão com fome? ou vocês fizeram poopoo? Precisam de algum talco? Ou um brinquedo?……..~”


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Heaven   |   QC: BravoED



Fontes
Cores