UD – Capítulo 93 – Ascendendo!



93. Ascendendo!

 
“~Viajante é a luxúria de Sharid. Alta sobre as montanhas e profunda por entre os vales……~”

Nyahahaha! Eu tive a melhor época da minha vida desde que o mestre partiu. Eu decidi seguir o conselho dele e escolhi feitiços musicais como minha habilidade de preferência. Está diretamente conectado com o tecer de feitiços que é minha profissão agora.

Com a delicada idade de doces dezenove, eu estou vagando o mundo e me juntando a vários grupos de aventureiros como uma tecelã de feitiços. Uma maga com essa profissão peca em poder ofensivo porque seus feitiços tem a natureza de encantamentos e maldições.

Eu não fico em grupo nenhum por muito tempo. Os membros masculinos tendem a se tornar persistentes demais com o tempo. Mesmo que eu tenha um controle muito bom das minhas habilidades agora. Eu não posso manter conversas sérias com caras.

Mas ao ajudar outros eu sou capaz de aprimorar minha habilidade que depende de aliados.

Neste momento eu estou usando um feitiço cantado para aumentar a resistência do nosso grupo. Antes em um vilarejo eu me juntei a quatro aventureiros em sua jornada através da floresta negra.

Se juntar a outros aventureiros elimina minha maior fraqueza. E essa é, meu senso de direção! Se não houver nenhuma grande estrada para seguir, eu me perco. É simples assim. Eu não sei por quê.

Uma vez, eu comecei minha jornada no extremo norte e perdi a estrada porque eu acampei um pouco longe do caminho. Na manhã seguinte eu não encontrei mais o caminho e comecei a vagar pela natureza selvagem.

Quando eu finalmente encontrei civilização de novo, os aldeões me disseram que eu estava fundo ao sul!

Então desde então eu segui algumas regras. Primeiro, sempre seguir outras pessoas. Segundo, sempre acampar na estrada. Terceiro, nunca se aliviar fora de vista da estrada.

Quanto ao meu grupo. Há um espadachim chamado Ron com uma espada longa de duas mãos. Então nós temos Maxime que é nossa sacerdotisa. Sondo é um atirador habilidoso com um arco, e adagas para combate a curta distância. Iris é uma cavalheira em armadura pesada. Eu não entendo porque uma mulher iria querer se envolver em combate de perto. Mas todos são diferentes.

Nosso atual objetivo é cruzar a mata negra, que é uma floresta perigosa. Nós queremos chegar a costa ocidental atrás dela para poder encontrar trabalho.

Caminhar ao redor nos custaria três vezes o tempo de simplesmente cruzá-la. O único problema são os monstros selvagens e orcs que assombram esse lugar. Eu cantarolo minha melodia enquanto nosso grupo passa por grandes árvores na floresta.

“Você é a pessoa mais animada que eu já conheci Sharid. Você alguma vez para de cantar?” Iris percebe meu traço mais valioso.

“Não realmente! Eu canto sempre que posso e tanto quanto eu sou capaz. Meu sonho é me tornar a melhor cantora do mundo!” Eu levanto meu braço e aponto em direção ao céu! É claro que eu quero virar um deus, mas dizer isso alto só seria entendido como uma piada.

“Eu acho que você já é a melhor cantora no mundo, Sharid. Eu nunca ouvi uma voz como a sua. Você poderia fazer quantias inacreditáveis de dinheiro trabalhando como cantora em uma grande cidade.” Ron se junta a conversa.

“Oh, por favor. Pare com as lisonjeias! Além do quê, eu não conseguiria ver o mundo! Do que vale a vida se você sempre fica em um lugar!” Eu ajeito o aperto na minha mochila enquanto evito uma raiz no caminho.

“Não foi…” -Ron

Mas Sondo o interrompe levantando um braço para sinalizar o grupo para que pare. “Nós estamos cercados. Há algo nos arbustos a frente e aos nossos lados atrás das árvores.”

“Podemos dar meia volta e correr?” Iris pega o escudo de suas costas.

“Eu não acho que conseguiríamos escapar, mas….” -Sondo

O som de um chifre-orc o interrompe. Com o sinal, trinta orcs armados pulam da espessa vegetação rasteira vinte metros à frente de nós.

Oito orcs deixam seus esconderijos a nossa esquerda e nove à direita! Isso totaliza quarenta e sete inimigos! Nós estamos irremediavelmente em desvantagem!

Mas Maxime mantém a calma e imediatamente lança um feitiço cegante nos inimigos a nossa direita enquanto, Sondo joga uma grande bomba de fumaça no grupo principal. Isso é imediatamente seguido por um conjunto de diferentes outras granadas. Então Sondo puxa suas adagas e entra na cortina de fumaça.

Enquanto lampejos de luz põe o grupo principal em desordem, Iris e Ron tomam posição contra o ataque a nossa esquerda.

Eu começo a cantar um hino de força e defesa para auxiliar meus companheiros. Quatro orcs param seu avanço para poder lidar com nossos lutadores de curta distância enquanto os outros simplesmente correm por eles para atacar nossa retaguarda.

“Sharid! Maxime!” -Ron

“Eu não posso prendê-los e me defender!” Maxime tem uma cara assustada enquanto os grilhões de luz no grupo a nossa direita começam a piscar.

Eu me ponho diante de Maxime enquanto continuo a cantar. O primeiro orc chega com um machado erguido e eu pulo para frente para chutá-lo na virilha enquanto pego o machado que estava descendo em mim.

O orc é erguido dois metros no ar enquanto eu jogo o machado no segundo orc. O machado entra em sua placa de peito enferrujada com um satisfatório *Thud*.

Quando o terceiro orc chega, eu esquivo o primeiro balançar de sua lâmina enferrujada e dou a ele um tapa de costas de mão na cara. A cabeça dele se dobra para trás em um ângulo nada saudável e eu pego a espada enferrujada de seus dedos moles.

O quarto orc manuseia uma maça contra mim, mas eu uso a espada enferrujada para redirecioná-la e a maça se enterra no chão. Um chute rápido no queixo do orc quebra o osso com um som de esmague e o monstro cai de costas.

Antes que ele possa se levantar, seu crânio é esmagado sob a sola do meu pé. Haaah! Eu gosto de ~esmagar~ vilões.

Pegando a maça, eu me viro para finalizar meu primeiro oponente / ~vítima~. Ele ainda está de joelhos enquanto a maça desce em seu pescoço e termina sua existência miserável.

Tendo lidado com a perturbação, eu concentro minha atenção total em cantar de novo. Com a força e agilidade aprimorada, nossos lutadores de curta distância conseguem lidar com seus inimigos de forma razoavelmente fácil.

Então eles avançam em direção ao grupo preso e começam uma execução sangrenta.

Eu viro minha atenção para a fumaça se dispersando e percebo que algo ruim aconteceu no lado do Sondo.

Há orcs emergindo da fumaça. Eu mudo minha ária para uma canção que enfraquece inimigos. Os orcs caem de joelho com expressões tensas em seus rostos.

Tecer feitiços é uma arte muito poderosa, mas vem com um preço. Feitiços que afetam uma grande área vêm com um robusto consumo de mana. Mana é um poder dentro da alma da pessoa. Está diretamente conectado com sua habilidade de se concentrar e sua força vital.

E eu sinto minhas reservas diminuírem! Cantar tantos feitiços poderosos está usando quase todo o meu poder. A última canção é especialmente difícil porque eu tenho que suprimir todos os inimigos afetados por ela.

Eu sinto minha concentração vacilar enquanto eu tento usar cada onça de poder dentro de mim. Eu tenho que fazer isso! Trinta inimigos ao mesmo tempo são demais para este grupo!

Gotículas de suor estão se formando em minha testa enquanto eu sinto as últimas partes do meu poder desaparecendo. Mas tem que ter mais! Eu continuo a cantar enquanto procuro dentro de mim por qualquer coisa senão minha própria força vital.

Mas raspar um pouco da minha própria força vital é melhor que morrer! Não é? Eu continuo a cantar enquanto meus companheiros finalizam o último dos oponentes presos e avançam em direção ao grupo principal.

Minha voz começa a vacilar enquanto minha vida diminui com cada palavra. Mas eu tenho que aguentar.

Quando minha vida está quase terminada, eu de repente percebo uma pequena fagulha de poder dentro de mim. Ela é tão pequena. Eu nunca a teria sentido se eu não tivesse drenado minhas reservas a esse nível!

Como alguém morrendo de sede, eu me agarro a aquela pequena fagulha de poder e de repente uma força inacreditável jorra por todo o meu ser!

Tem tanta mana! Mas do que eu jamais senti. Ela sacode todo o meu ser. Um nada branco de puro poder está por todo o meu arredor e eu fico ciente das correntes de pura energia através de todos os meus arredores.

Eu nunca as senti antes. Eu nunca percebi que havia tanto poder em todo lugar o tempo todo! Então eu sou sobrepujada por essa nova realização da realidade e tudo escurece.

..

….
…..

Um lento movimento de balanço me desperta e eu abro meus olhos. Uma leve dor arde dentro deles enquanto eu sou cegada pela luz. “Ai! Brilhante demais!”

“Sharid? Você está acordada? Graças aos deuses! Ron, baixe-a!” A voz de Maxime chega aos meus ouvidos.

“O que aconteceu?” Eu pisco enquanto sou ajudada a descer do Ron. Parece que ele me carregou nas costas.

“Você esteve apagada por um dia. Nós estamos quase fora da floresta!” Sondo olha para mim com uma face preocupada. Ele tem um grande calo em sua cabeça. Ele bateu em uma árvore?

“Ngh! Me desculpa mesmo! Vocês tiveram que me carregar o caminho todo?” Eu fico de pé. De alguma forma eu me sinto leve!

“Cuidado! Você não tem que se desculpar. Você salvou todos nós com aquela última canção. Contendo tantos orcs assim. Eu sinto muito. Você até usou sua própria força vital! Você é capaz de ficar de pé?” Iris me dá um olhar preocupado.

“Está tudo bem! Eu nunca me senti melhor! O que há de errado com vocês caras?” Eu sorrio para eles.

“Um… seu cabelo…” Ron aponta para mim com uma expressão constrangida.

Eu puxo meu cabelo e me conscientizo de um chumaço de cabelo de puro branco. Parece se originar da minha têmpora esquerda. “Hm. Parece legal? Ele me dá uma aparência de vilã, não dá? Vocês podem me dizer o que aconteceu?”

Iris assume a liderança em explicar as coisas. “Depois de você começou aquela última canção, nós nos apressamos para lidar com os orcs paralisados. Nós percebemos que você começou a queimar sua própria vida para mantê-los em cheque e agimos tão rápido quanto pudemos.”
Ela toma um fôlego.
“Mas quando nós estávamos a meio caminho, você de repente emitiu essa luz e seu corpo inteiro começou a brilhar. Você cantou e cantou. Era como uma mensageira dos deuses tivesse vindo para o reino mortal. E então você de repente caiu no chão e ficou inconsciente. Nada que nós fizemos conseguiu te acordar então nós te carregamos todo o caminho até aqui.”

“Ah. Entendi…. obrigada caras. Parece que eu fui um fardo no final.” Eu me curvo a eles.

“De jeito nenhum! Sem você nós estaríamos acabados! Quando aqueles orcs quebraram nossa linha defesa você se pôs na frente da Maxime. De que feitiço você tirou aquela força bárbara!?” Ron solta.

“Bárbara?” Eu amuo e Iris acotovela Ron para o lado. “Eu só treinei na montanha com meu mestre. Ele não me permitia usar armas então eu tinha que lidar com várias bestas selvagens só usando meus punhos. Havia pumas da neve, ursos e gorilas das montanhas. Mas especialmente os mais problemáticos, que são os trolls das cavernas. Aqueles são carinhas realmente fortes! Lidar com um orc é como lidar com uma criança em comparação a eles.”

O grupo me encara com expressões atônitas. “E é bom que um suporte possa cuidar de si mesma em caso algo consiga passar as linhas de frente!”

Iris sacode sua cabeça. “Eu pensei que ela fosse do tipo delicada. De amanhã em diante, eu vou lutar contra um urso de mãos nuas todo dia!”
“Eu vou treinar nas montanhas depois disso.” Ron chuta uma pedrinha na beira da estrada.
“Eu vou como você!” Maxime clama para o Ron.
“Na próxima eu vou preparar mais bombas de fumaça!” Sondo é o único que faz a escolha inteligente.

Com isso, nosso grupo se separa na cidade seguinte. Eles ainda me agradeceram várias vezes por salvá-los até nos separarmos.

Então eu começo a vagar de forma admirada pela cidade. Eu estou encantada pelos meus novos sentidos e essas correntes de poder em todo lugar.

Se eu me concentrar, eu posso senti-las. Elas estão em todo lugar! Elas correm por entre a terra, o ar e o céu! Uma gigantesca rede sem fim! E esse poder ilimitado que eu sinto dentro de mim!

Por curiosidade eu tento pegar uma das correntes de poder pequenas e fracas. Antes que eu perceba, eu estou de pé em um campo gramado em frente a cidade. Como eu cheguei aqui? Eu estava dentro da cidade um segundo atrás!

“É bom ser um deus, heh?” A voz de Nazareth vem da direção do meu joelho esquerdo e eu me viro em direção a ele.

~Mestre!~” Eu agarro o pequeno gnomo e o abraço forte.. “Eu consegui!?”

“Gah! Já chega! Me solta! Eu vou sufocar!” Nazareth se debata para fora do meu agarro.

Ele está envergonhado? Oh, agora eu sei como dar um golpe nele!

“Escute! Jovem deusa! Eu sugiro que você viaje através do multiverso de agora em diante e aprenda tudo de interesse.” -Nazareth

“Multiverso?” Eu ergo minhas sobrancelhas.

“Oh. Você vê aqueles fios de poder em todo lugar? Ao pegar um deles e se segurar neles você pode viajar para mundos diferentes e realidades. É uma habilidade única de nós deuses. Como essa enorme reserva de mana. Mas tenha cuidado! Você ainda pode morrer se receber uma ferida fatal. Mas ao emitir sua mana como uma aura você pode se tornar quase invencível.” -Nazareth

“Invencível?” Eu me sinto como uma idiota por perguntar isso.

“Sim. Mas não supervalorize isso. Outros deuses ainda podem te ferir. Oh, e graças a essa enorme reserva de mana, você tem uma expectativa de vida efetivamente ilimitada agora. E agora para as regras!” Nazareth aponta um dedo para mim.

“Desde quando tem regras de deuses?” Eu estou completamente perplexa agora.

“Existem! Primeiro. Não lute com outros deuses! Sempre acaba mal! Segundo! Não brinque demais com mortais! Se você mexer demais com eles, as grandes sociedades vão te punir. Terceiro! Se você alguma vez encontrar um deus recém-nascido, você tem que dar as orientações a eles.” -Nazareth

“Sociedades?” Aw! Eu caí de novo nesse esquema!

“Há múltiplas grandes sociedades de deuses. Elas são similares a nações.” Nazareth se senta em uma pequena rocha. “As maiores são as que se seguem. Primeiro a Aliança Perseides, eles criaram seu próprio mundo para deuses e gostam de mantê-lo para seu próprio tipo. Eles protegem os planetas sob jurisdição deles como cães de caça. Não mexa com um dos brinquedos deles ou você terá problemas.”

“Eles criam seu próprio mundo!?” Eu tenho que ver isso!

“É, mas o acesso não é de graça. Você tem que ser um membro do clube deles.” Nazareth me derruba imediatamente. “Então há a Comunidade Arcana. Eles têm a base deles em uma lua artificial. Eles são todos nerds científicos. Se você não falar em fórmulas, você não deve desperdiçar seu tempo com eles.” -Nazareth

“Há também o Gaian Pact. Todos eles são maníacos da natureza. Eles querem manter o multiverso saudável ou algo assim. Eu mesmo sou um deus da natureza, mas eles estão em outro nível. Eu não consigo realmente me associar com eles. Eles estão por todo o multiverso. É certo que você vai se deparar com um deles cedo ou tarde.” Nazareth cruza suas mãos.

“A Unidade também é um grupo de estranhos com seu próprio mundo. Eles estão se fechando em seu próprio mundo para viver vidas normais. Tanto quanto é possível para deuses.” -Nazareth

“Há algum problema?” Eu olho para sua face perturbada.

“Bem, isso me leva a regra número quatro. Não é realmente uma regra, mas você deveria seguir pelo seu próprio bem. Não tenha filhos. Eles serão mortais e envelhecerão e morrerão sob seus olhos. Bastante deprimente se você cometer esse erro com muita frequência.” -Nazareth

“Ow!” Esse é um pensamento perturbador.

“A menos que você se junte a uma das grandes sociedades é claro. Aqueles com planetas tem uma maneira de ter filhos que são deuses também. Mas como eu disse, você tem que se juntar ao clube.” Nazareth dá de ombros.
“A Unidade também é um grupo com seu próprio planeta. Eles se mantêm isolados a maior parte do tempo. Apesar de estarem sempre tentando encontrar novos deuses para se juntarem às suas fileiras.

“O Império Carne tem um planeta também. É liderado por algum tipo de Rei de Harém lendário. Fique longe de lá pelo seu próprio bem.”

“Esse daí teve uma apresentação bem curta?” -Eu

“Então você que se juntar a um harém? Eu não percebi que você tinha essa inclinação. Você não terá problemas então, ele aceita….” Mas Nazareth é interrompido por mim.

“Continue! E quanto ao Angrod!?” Ele está certo! Eu não quero ouvir! Eu quero saber onde eu tenho que ir para dar uma surra nele!

“Você deveria ir e contatar a Miruliru do Caminho primeiro. Ela me disse para te oferecer o convite dela para visitá-la para um chá. O Caminho é a Grande facção seguinte. Eles são crentes firmes de que deuses deveriam tentar obter tantos adoradores mortais quanto possível. É da opinião deles que deuses deveriam guiar os mortais abaixo deles” Nazareth ignora minha questão.

“Então este mundo pertence ao Caminho?” Isso está ficando realmente complicado. Eu deveria visitar a Miruliru. Ela me salvou duas vezes.

“Este mundo é neutro. Mas está sob a supervisão dos Quimeranos. Angrod é o rei deles e se você tiver que colocá-los em um ranking de poder com as outras sociedades, eles são a força mais poderosa. Eles também têm seu próprio planeta e são uma sociedade fechada. Em caso algum surto de demônios ocorra, eles virão e interferirão.” -Nazareth

“Isso me traz ao último ponto. Se você em algum momento se deparar com uma esfera cristalina, azul, com cerca de um metro de tamanho, levitando no ar e girando que nem doida. Esmague-a imediatamente com todo seu poder. É um portal para demônios devoradores de alma. Eles podem comer deuses também. Eles são os remanescentes de uma longa guerra contra um grande mau.” Nazareth sorri para mim e meu queixo cai.

“Agora as direções. Vê aquele grande e gordo caminho no céu? Aquele ali leva a Asheim. É um local para todos os poderes se encontrarem e conversarem. Se você se perder, aquele ali sempre dá lá. Então é muito conveniente para você!” Ele sorri para mim. “Mas os Quimeranos estão no controle de Asheim, só para avisar. Aquele grandão a esquerda no horizonte daquela montanha? Aquele ali te leva diretamente ao Caminho! E você não tem que tocar em um caminho para utilizá-lo. Só se concentrar nele é o bastante.”

Nazareth dobra os braços atrás de suas costas e me olha com olhos expectantes.

“Uuh. Eu acho que é hora de te agradecer por tudo então?” Eu sorrio para o mestre.

“Sem problemas. É uma honra ajudar as melhores montanhas gêmeas que eu já vi.” O gnomo sorri para mim enquanto minha expressão cai.

“Pelo nome de tudo que você já fez por mim. Eu não vou te ~executar~ por esse comentário.” -Eu

Após um último aceno para meu mestre, eu me viro e dou uma olhada nesse ~multiverso~!
 
 
 
 
 
***Outro reino e um grupo de deuses***
 
 
 
 
 
“Você conseguiu! Você é um gênio Nazareth! Guiar ela de volta a divindade dentro de uns poucos anos! Liberdade!” -divindade menor

“E agora que ela se foi e nós estamos livres!” -Nazareth

“FESTA! Três anos de proteger cada passo dela pra evitar de morrer de fome na selva.” -deus menor

“Por que você parece tão triste Nuin?” -Zenial, Alta deusa da lua

“Eu só pensei que eu terei que espiar garotas inferiores de agora em diante…… É sorte que eu tirei algumas fotos antes dela partir.” -Nuin, Alto deus do sol

“Eu entendo seus problemas…..” -Nazareth

“Todos os anos que eu tive que olhar para aquelas tetas superiores dela!” -divindade menor

“PERVERTIDOS!” -Zenial, Alta deusa da lua

“Algum de vocês pensou no que aconteceria se o Angrod em algum momento lembrar dela e nos perguntar onde ela está?” -deusa menor

“…” – Silêncio

“Encontre-a!” “Mas ela está lá fora no multiverso!” “Impossível!” “Ela vai se perder na primeira esquina!” “Salve ela!” “AAAAH!” “Nós estamos condenados!” “Não queime minhas fotos!”“Por causa delas que você não fez seu trabalho!” …..
….

..
.


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Heaven   |   QC: BravoEd



Fontes
Cores