UD – Capítulo 88 – Como Escalar uma Montanha?



88. Como Escalar uma Montanha?

  

***Em outro tempo, em outro mundo***

Eu consegui! Foi minha primeira vez! Eu dei um grande um enoooorme passo para frente! Hoje foi a primeira vez que eu conversei com um grupo de homens! E adivinhem!? Eles não tentaram me estuprar!

Porra! Sim! Talvez minha vida realmente dê uma virada para melhor! Eu estou feliz que eu quase poderia chorar! Se eu não estivesse no meio de lugar nenhum. Em uma montanha. E perdida.

Então atualmente eu estou chorando de medo e insegurança. Esse mundo é tão injusto! E frio! Gelo e neve demais por todo meu redor!

Eu me sento em uma rocha e tento pensar sobre a minha situação. Após eu encontrar Miruliru, eu viajei mais ao sul enquanto tentava obter algum controle sobre minhas habilidades.

Os Aldeões foram em outra direção, mas a aldeia deles era muito próxima. Então eles não devem ter tido quaisquer problemas.

De alguma maneira eu consegui chegar na Academia. Eu estava muito bem provida porque eu pilhei os escravagistas e não tive preocupações com equipamento e dinheiro.

A Academia foi um pouco decepcionante. Era realmente problemático encontrar professoras para aprender. Além do que, elas não tinham qualquer informação sobre os deuses.

Eles só tinham aqueles livros exotéricos que soavam como se algum cara os tivesse inventado. Eles não tinham qualquer informação sobre Miruliru e Angrod. É como se esses deuses nem existissem!

Após ler a respeito de múltiplos deuses e divindades menores, eu alcancei o fim da biblioteca deles. Isso é o que eu chamaria de um grande fracasso!

O caminho todo até o norte e mais nenhuma pista a respeito da minha maldição. Bem, não foi uma completa perda de tempo.

Eu gastei um ano da academia e pesquisei magias e cantos mágicos. Minha professora estava muito impressionada com as minhas habilidades como tecelã musical. Um tipo especial de mago que se foca em invocar feitiços e bençãos ao cantar.

Isso realmente me fez feliz! Foi a primeira vez que eu aprendi algo que não estivesse conectado diretamente a fazer algo impróprio.

Infelizmente minha maldição está fortemente envolvida nessa habilidade. É enfurecedor! Eu realmente gosto de cantar e minha proficiência nisso está diretamente relacionada à minha maldição.

Após um ano de estudo e aprendendo tudo que parecia útil, eu decidi um novo plano. Se eu não pudesse encontrar uma pista a respeito dos deuses do meu próprio povo…. então eu teria que perguntar a eles diretamente!

Eu já consegui falar com a Miruliru! Infelizmente ela não me deu a chance de fazer perguntas. Ela nunca mais apareceu desde então.

Então eu segui meu caminho mais ao norte até a montanha mais alta do mundo. É dito que aventureiros que conseguem escalar a montanha e meditar em seu pico são capazes de falar com Nazareth.

Nazareth é o deus das montanhas e viajantes. Se você rezar para ele, ele cuidará do seu bem estar durante sua jornada.

“Kukukukuku!”

Uma risada louca escapa dos meus lábios. Essa montanha é tão alta e rochosa! Eu nunca chegarei ao pico para rezar! Parecia que eu estava caminhando por dias enquanto não chegava nada perto.

Então eu tentei caminhar de volta, mas todo canto eram penhascos e terrenos intransitáveis! Eu vou morrer aqui. O próximo aventureiro vindo por aqui vai encontrar meu corpo congelado e cometer um ato necrófilo!

Arrepios me sacodem e eu não estou certa se foi pela ideia ou pelo frio. Eu estou cansada e fraca de mais para prosseguir. Talvez eu cante uma última canção para cair no sono….

“~Requiem aeternam dona eis, Domine, et lux perpetua luceat eis…….

Eu canto e canto até que eu finalmente escorrego da minha rocha e caio no sono. Pelo menos esse fim não vai doer.

….
….
….

Alguma coisa me sacode e eu me disparo pra cima. Eu ainda estou na montanha, mas uma pequena área ao meu redor é verde como quando é primavera. As flores desabrocham e está quente! A distância eu ainda vejo a paisagem gélida da montanha.

“Isso é o pós vida?” Eu falo para mim mesma em espanto.

“Porra, não! O pós vida não será muito diferente dessa daqui, gostosinha!” Uma voz cresce atrás de mim.

Eu me viro em disparada e me rastejo para trás. Um pequeno kobold verde está sentado na minha pedra e me olha com olhos espectantes.

“Quem é você?” Eu pergunto com uma voz cautelosa.

“O quê? Você não me reconhece!? Eu sou Nazareth! O deus das montanhas e viajantes! Um mulherão como você não me reconhece. Isso fere meus sentimentos!” O pequeno gnomo esfrega seus olhos como se tivesse enxugando uma lágrima.

Huh? “M… Mas os textos te descrevem como um homenzinho de capa.”

“Bääh! Os textos, as descrições e suas estórias! Vocês mortais inventam tanto sobre seus próprios deuses.” O kobold verde sacode sua cabeça e faz um gesto desdenhoso.

“Então, o que traz uma gostosinha como você a minha montanha sagrada? Originalmente eu não planejava falar com você, mas sua devoção e sua canção me moveram….. e esses peitos. Você bebe leite todo dia para deixar eles assim? Eu devo admitir que eu nunca teria imaginado encontrar uma deusa mortal como você!”

Esse pequeno kobold verde é má noticias! “Eu queria falar com os deuses! Para poder remover essa maldição de mim. E o que é isso sobre essa devoção?”

O pequeno kobold verde ergue uma sobrancelha. “Bem. Geralmente os mortais marcham até meu ponto de vista preferido e poluem o ar lá até eu falar com eles. É a melhor vista lá de cima sabe? E quem amaldiçoaria uma beldade como você? Oooh, Espera! Não me diga! Cabelo violeta. Pele perfeita. Olhos azuis. Corpo inacreditável e duas montanhas enooormes como….”

*Tapa!*

“…..Hey! Isso foi por quê?”

Ohhh! Nãoo! Eu fui e agi! Eu bati nele sem pensar!! Eu me jogo de joelhos e me curvo. “Eu sinto muito! Foi um reflexo! Por favor, não me castigue! É só que me enfureceu ouvi como os deuses me veem!”

Narazeth esfrega sua bochecha vermelha por dois segundos enquanto me encara. “Bem. Deixa pra lá. Eu não achei que você na verdade fosse tão no coração, Sharid.”

Eu olho para cima. “Você me conhece? Então você pode responder minhas questões?”

O pequeno kobold parece um pouco envergonhado. “Me desculpe. Ninguém pode te ajudar. Você foi amaldiçoada pelo Angrod.”

“Então me diga o por quê!? Eu vou reunir todos os deuses se necessário! Até os grandes. Esse Angrod me amaldiçoou e nem se incomodou de explicar o porquê! E ele nem apareceu por toda minha vida!” Eu encaro Narazerth. Sim! Eu vou reunir todos eles!

“BWAHAHAHA!”

O gnomo começa a rir com lágrimas em seus olhos. “Desculpa criança. Eu odeio estourar sua bolha. Mas todos os deuses nesse mundo não são o bastante para ir contra Angrod. Quando você nasceu, ele arrastou todos nós em um lugar e nos explicou que você está fora dos limites. Ele fez isso em palavras muito claras.” O pequeno gnomo treme enquanto eu olho para ele boquiaberta.

“Ele é mais forte que todos os deuses reunidos? É um caso perdido! Eu estou perdida.” Eu me deixo cair na sujeira. Não há esperança para mim.

“Bem. O que você esperava de um rei dos deuses? Todos os deuses nesse mundo são apenas moscas comparados a ele. Ele é um mago de almas além disso! E se você aprende uma coisa como um imortal é: Nunca mexa com um mago de almas! Você só tem que dar uma olhada para si mesma para ver o que acontece se você pisa no dedo de um mago de almas. Fique feliz que ele está ocupado com a guerra e não tem tempo para brincar mais com você.” -Nazareth

“Guerra?” -Eu

“Bem. Nós deuses temos alguns problemas com demônios e devoradores de almas e por aí vai. Os reinos superiores têm seus próprios problemas. Nada que deva ser da conta de vocês mortais. Apenas fique feliz que você está por conta própria.” -Nazareth

Isso não ajuda. Eu ainda estou perdida.

“Não fique tão triste! Eu vou te dar uma mão! Uma seguidora tão devota deveria obter alguma ajuda. Pra realmente caminhar quatorze vezes ao redor da montanha até você quase cair morta. Tal fé tem que ser recompensada!” -Nazareth

“Eu caminhei quatorze vezes ao redor da montanha?” Porra! Por quê!?

“Você não sabia?” -Nazareth

“Bem! Eu estava tão feliz quando eu consegui convencer os monges pervertidos no pé da montanha a me mostrar o caminho. Eu só tive que fazer uma pequena dança para eles e eles pareceram tão felizes! Eles nem tentaram me estuprar! Foi a primeira vez que eu consegui controlar minhas habilidades tão bem assim! Eu simplesmente caminhei em frente, mas em algum ponto eu perdi o caminho….” Eu mordo minha unha enquanto penso sobre isso.

“……seu senso de direção é o pior! Como você pode caminhar ao redor da montanha quatorze vezes sem achar a trilha para o topo!? Existem placas em todo lugar! Esse é um lugar sagrado bem visitado!” -Nazareth

“O quê?” -Eu

“Deixa pra lá. Eu vou te ajudar a colocar essas suas habilidades sob controle. Angrod nos proibiu de por as mãos em você. Mas eu acho que algumas palavras de orientação de tempos em tempos estão ok.”

“Sério!? Sério? Sério? Oh, obrigada!” -Eu

“Me chame de mestre!”-Nazareth

Eh!? Eu espero não cometer nenhum erro aqui. “Sim. M..m…Mestre!

“Oh… e mais uma coisa a respeito daqueles monges pervertidos no pé da montanha…..”

“Sim?” -Eu

“……….Eles são eunucos.”

“…”

***Um reino superior. Algum tempo depois***

Múltiplos deuses estão reunidos para uma conferência de crise.

“Então você foi lá e salvou ela?” -Nuin, Alto deus do sol

“Sim…” -Nazareth, deus das montanhas e viajantes

“….Bom. Seria ruim se nós violássemos nosso dever de supervisão. Eu não quero imaginar o que Angrod fará conosco se ela morrer antes da hora!” Zenial, Alta deusa da lua

“Nós temos que manter os olhos nela o tempo todo! Nada tem permissão de matar ela. O caminho fácil para escapar do destino dela não é permitido.” -deus aleatório

“Ele nos ameaçou com ISSO e AQUILO! Tenham certeza de manter ela viva! Se eu só pensar sobre aquelas fantasias!” -deusa aleatória

Múltiplos deuses olham para o chão com rostos deprimidos e uma aura de desgraça iminente sobre eles.

“*Suspiro*. Então quem tem que cuidar dela para o próximo turno?” -Nuin, Alto deus do sol

“Ah! Sou eu. Estou a caminho.” -Algum deus menor

Todos dão suas despedidas ao deus menor e então o grupo continua a lamentar seus destinos.


Tradução: BatataYacon   |   Revisão: Heaven   |   QC: BravoED



Fontes
Cores