UD – Capítulo 60 – Esconde, esconde?


60. Esconde, esconde?

“Mano, é assustador aqui.” Eu puxo a manga do Aengus enquanto dou uma olhada ao redor. O cômodo é escuro e muitos dispositivos técnicos estão piscando e bipando por todo o lugar.

“Eu sei Seria, mas também é excitante! Com quanta frequência você tem a chance de dar uma olhada no laboratório de uma cientista louca?” Aengus me puxa com ele para explorar o quarto.

Nós estamos na propriedade Cygnus. Nossos pais nos –descartaram- aqui. Eles tinham muito trabalho para fazer após eu dizer ao papai o que eu sabia sobre o vazio, o que não é muito. Ele saiu correndo e não foi visto desde então.

Mamãe também não estava capaz de ficar de olho em nós. Nem nossos avós. Parece que planejar uma guerra total realmente consome muito tempo. Então a Celes nos largou na propriedade Cygnus para a Margerie tomar conta de nós.

Celes não é da opinião de que nós podíamos ser deixados sozinhos. Apesar de eu acreditar que estaria mais segura no palácio…

Logo após nós conhecermos a Margerie, que realmente parece com uma cientista louca, Aengus e eu fugimos para inspecionar a mansão.

Margerie estava ocupada dando instruções para um empregado e nós aproveitamos a oportunidade.

É realmente difícil evadir todos aqueles servos e outras pessoas. Parece ser um lugar ocupado. Apesar de nós encontrarmos alguns cômodos desertos que parecem funcionar como um laboratório de pesquisa.

“Olha! Aquele dispositivo parece maneiro, não parece?” Aengus agarra algo que parece com uma aranha mecânica de uma mesa.

“Eu não tocaria em nada aqui. Pode ser perigoso.” Eu aviso meu irmão, que parece um pouco impulsivo para mim. Eu sei, eu perdi muitas das minhas memórias e meus pais pensam que eu sou infantil. Mas eu ainda tenho minha cabeça no lugar!

“Buuh. Mesquinha. Eu não acredito que tenho uma irmãzinha dessas….” Aengus põe a aranha no lugar.

“E imaginar que eu seria chamada de irmãzinha…… Eu sou a IRMÃ MAIOR!” É humilhante! Eu certamente sou mais velha que esse jovem recém-deificado.

“Oooh? Mas eu sou um ano mais velho que você!” Aengus responde grande e poderosamente.

“Isso é apenas físico. O que é importante é a idade mental! E dessa perspectiva você está olhando para um dos seres mais velhos no multiverso! Fique honrado!” Eu recuso a abandonar até mesmo uma polegada da minha dignidade!

“Oh? Ser velha não conta realmente se você não lembra muito disso.” Aengus faz um ponto.

“Eu lembro pelo menos as coisas importantes! Por exemplo, que você prometeu me ajudar se eu te salvasse. Então cadê o respeito para sua salvadora, grande e poderoso herói?” Eu olho para cima, nos olhos do meu irmão, sem vacilar.

“Urgh… você venceu essa, mas não exagere!” –Aengus

Nós continuamos a inspecionar o cômodo, mas tem simplesmente muita coisa aqui. É mais como uma montanha de lixo coletado.

De repente a porta se abre e voando, e Margerie dispara para dentro. “Achei vocês!”

“Corre Mano! Quem for pego é tartaruga lerda!” Eu disparo para Margerie, que tenta me pegar, mas eu me jogo no chão e escorrego por ele. Margerie tenta me agarrar, mas ela é lenta demais. Aengus usa a distração para passar por ela e no próximo segundo nós estamos fora do cômodo e em fuga.

“Espera ai! Sem correr nos corredores!” Margerie grita atrás de nós, mas ela é lenta demais.

De repente uma coelhinha peituda aparece do nada diante de mim e eu colido com sua perna. “Ouf!” Eu sou jogada para trás e caio de bunda.

“Tão fofa! É uma versãozinha da Celes! Que pena que você não tem os chifres e a cauda ainda.” Eu sou agarrada pela garota e abraçada em seu peito. O que há de errado com essas coisas!? Ela tem um pouco de genes de vaca também!?

Eu tento lutar para me libertar, mas então eu percebo que o Aengus foi pego por uma mulher-gato e está pendurado no ar, segurado pelo pescoço.

“Eles nos enganaram! Isso foi uma emboscada pré planejada!” –Aengus

Segundos depois Margerie chega na cena, ofegando como se fosse morrer a qualquer momento.

“……Sandra….. Tanja….. que…. bom….. que…. vocês…. pegaram…. eles.”

“Sério Margerie? Por que você concordou em ser babá de pessoas cujas crianças tem habilidades físicas maiores que as suas?” Tanja reclama sobre a falta premeditação da Margerie.

“…. mas…. foi…. por…. isso…. que…. eu…. convidei…. vocês…” Margerie deita no chão para recuperar o fôlego.

“Sério! Mas é bom conhecer a prole dos nossos antigos colegas de escola. Eles estiveram tão ocupados recentemente. Eu teria gostado se nós nos víssemos mais frequentemente.”
Sandra me abraça ainda mais forte.

“Eu sempre quis conhecer a deusa Seria. Foi por isso que eu vim.” Tanja vai com a verdade bruta.

“Eu não estou certa se eu posso realmente corresponder a essa reputação.” Eu respondo com uma voz embaraçada.

“Aw… sem problemas. Eu sou Sandra Andros e essa é Tanja Mordem. Nós somos amigas de seus pais. Diga? Você quer brincar com as minhas crianças? Eles são um pouco mais jovens que você, mas eles também são um bando ativo.” Sandra me pega embaixo de um braço e me carrega, sem pedir minha opinião.

Meu captor começa a caminhar pelo corredor enquanto ela fala sobre coisas desinteressantes. Após algumas curvas nós chegamos na sala de estar, onde um cara loiro está esperando no sofá.

Cinco crianças estão brincando no chão. “Ah, eu vejo que você os pegou!”

Nós somos colocados em frente às outras crianças, que nos encaram…..

Não sendo capaz de lidar com o silêncio eu tento começar uma conversa. “Oi, Eu sou Seria e esse é meu irmão Aengus!” Eu me apresento.

“Eu sou Yondus, e esses são meus irmão e irmãs Gustav, Monika, Evel e Sarah.” Uma das crianças assume a liderança.

“Wow… Uma família bem grande já? Seus pais devem ser trabalhadores esforçados!” Aengus exclama.

Mas Yondus baixa a cabeça e os outros põe uma expressão perturbada. “Isso é o que todo mundo pensa, mas é um traço da nossa linhagem ter muitas crianças. Em fato, mamãe teve todos nós na mesma vez. Apesar de normalmente ser apenas gêmeos ou trigêmeos.”

“Santa merda! Cinco ao mesmo tempo! Isso deve doer como o inferno!” Agora eu exclamo e todo mundo me olha com uma expressão chocada.

“O quê?” Não me olhem assim!

“Oh, é só que nós tínhamos outra imagem da deusa em nossas cabeças. Eu sou Sven por falar nisso. Eu sou o marido da Sandra.”

“Não vi vocês no casamento dos meus pais? Então o que vocês estão fazendo agora? A última vez que eu vi vocês, vocês tinha acabado de se graduar.” A memória acabou de me bater de volta em um flashback.

“Oh, Sven está no exército e no processo de galgar seu caminho para cima. Tanja está fazendo algo como espionagem e outras atividades secretas. Eu estou tomando conta das crianças enquanto cuido da propriedade da minha família.”
Sandra explica em curtas palavras.

“E seu irmão Margerie? Eu acho que eu também o vi na festa. Não era ele com a agradável garotinha lobo?” –Eu

Margerie responde com uma voz desdenhosa. “Ele largou todo os negócios da família em cima de mim e fugiu com aquela cadela. É difícil para a família se o único herdeiro não quer assumir a responsabilidade e prefere viver na mata com sua namorada.”

Eu anuo. Obviamente Existe uma história mais complicada por trás disso, mas a Margerie não quer falar disso.

Então me bate de novo e eu aponto para a Sandra e Sven. “Oh! Agora eu lembro! Eu acho que eu vi vocês na festa de casamento dos meus pais! Vocês estavam tão melosos na época. Eu não pude resistir e abençoei a Sandra com fertilidade.”
Eu bato meu punho em minha palma aberta.

Agora a boca de todo mundo está aberta enquanto me olham.

“O quê? Eu sou uma deusa da vida e morte. Fazer coisas assim é meu trabalho.” Eu rio para Sven que começar a balbuciar incompreensivelmente para si mesmo.

Sandra ri para mim. “Oh, eu tenho que te agradecer então. Se não fosse pelas crianças, ele não teria se casado comigo.”

Eu ofereço a Sandra um polegar levantado e sorrio para os quíntuplos, que estão me encarando com grandes olhos arregalados.


Tradutor: Batata Yacon   |   Revisor: Heaven   |   QC: BravoED


Contribua com a Novel Mania!
Alterar fonte
Cores