UD – Capítulo 41 – Uma profecia ruim?


Eu estou sentado no trono e brincando com a alma do Markorn. Já faz uns anos desde que tive um brinquedo assim. No momento ele está passando pelo seu próprio inferninho particular.

Devo dar a ele uma lição de quadro negro depois? Ou eu deveria deixa-lo passar alguma outra coisa? Talvez outra pequena dissecção para descobrir o que há de errado com a alma dele?

Hmmm.

“Você está com aquela expressão de novo. E você prometeu liberar a alma dele assim que descobrisse o que você precisa saber.” Ireth me dá um olhar questionado. Todo mundo da família está aqui também. Eu acabei de fazer um pequeno discurso para os nobres e dei direitos de governo para Ireth e Nicosar também.
[NT: O poder da preguiça]

É um saco fazer tudo sozinho, então quanto mais coisas incomodas eles conseguirem tirar dos meus ombros, melhor.

“Eu acabei de descobrir que falta algo na alma dele. O mesmo algo, que falta na Celes e em mim. E eu vou apagar as memórias dele antes de liberta-lo. Eu não gosto de ter inimigos que se lembram de rancores antigos.” – Eu.

“Ele é um a Ex-Deus também? Esse mundo está virando um ponto de encontro de Ex-Deuses?” Katrine pergunta com uma expressão surpresa.

“Sim. Apesar de não possuir memórias disso. Tudo que ele lembra é dessa única vida que ele viveu nesse mundo. Infelizmente ele não pode dar muitas informações sobre os Meltheims. Eles fortaleceram ele e o pai antes de se fecharem na cidade. Eu esperava por uma pequena porta dos fundos, mas eles foram espertos o bastante de não informá-lo, caso tenham algo assim.” Eu coço a ponta quebrada do meu chifre esquerdo.

Ele quebrou durante a luta com o Markorn e ainda coça. Os curandeiros acham que vai crescer de novo por eu possuir sangue puro, mas vai levar algum tempo.

O Chifre quebrado do Nicosar não curou porque ele tem sangue misto.
Agora que eu paro pra pensar, como ele quebrou em primeiro lugar? O Nicosar não podia ter simplesmente se curado?

“Não faça isso, os curandeiros disseram que não vai curar direito se você mexer!” Celes pega minha mão. “Haaaah. Você não tem ideia do quão incomodo isso é.”

“Apenas faça aquela coisa de -sem dor- que você costuma fazer então.” Ela está preocupada demais comigo.

“Não quero. Aquilo funciona cortando os nervos e curando eles depois. Seria um saco se eles curassem por conta própria da maneira errada. Isso não é uma boa solução em um longo prazo.” – Eu.

“Então lide com isso como um adulto.” -Celes

“Certamente o seu chifre não é o porquê de você ter nos pedido para ficar aqui para uma discussão importante. Eu tenho que cuidar da outra parte do continente sabe? Não há menos idiotas lá. Então se não for algo importante, eu gostaria de fazer algum trabalho de verdade.” Arthur cruza seus braços diante do peito. Ele parece um pouco estressado no momento.

“Oh desculpe, eu só queria lhe informar sobre o fim do mundo.” Eu assinto e sorrio enquanto todos me olham com olhares chocados.

“Eu peço o seu perdão?” -Nicosar

“Quando eu estava inconsciente a Seria me visitou. Ela me disse que ele está prosseguindo com uma pequena rebelião contra o Conselho. Lembram-se deles? Os governantes do multiverso. Por causa de certas circunstâncias, eles não conseguem visitar esse mundo. Ele está dentro de uma zona vazia, isso é um espaço onde deuses não podem entrar e sair como bem entendem. Parece que Tjenemi, um dos membros do conselho, conseguiu colocar a informação sobre um círculo de invocação para ele nesse mundo. Os Meltheims estúpidos acharam e acreditaram nas promessas que vieram com ele. Seria está incapaz de vir aqui em pessoa, porque isso daria a Tjenemit acesso imediato se ele a seguisse. Mas parece que ela está se preparando para lutar com ele aqui, assim que ele for invocado. Se ela estiver séria sobre a rebelião, é uma boa chance para ela pegar um membro do conselho sozinho e sem a ajuda dos outros. Então ela não se opõe a ele ser invocado.” Eu respiro fundo e olho para os outros.

“Mas… mas…. Isso seria o Armagedom!” Celes grita comigo.

“Você pode me explicar por que a Seria se rebelaria contra o conselho? Eu ainda não entendo toda a questão de poder fora do meu próprio mundo.” Arthur pergunta com um rosto pálido, então a Celes e eu gastamos outra hora para explicar a situação real sobre a existência e reencarnação.

“Então o conselho dita o que cada deus tem permissão de fazer? E eles puniram vocês, por terem matado um ao outro?” Katrine pergunta com um olhar surpreso. Ambos, Celes e eu, assentimos.

“Mas vejo, nós fomos presos um com o outro por mais de mil anos. Se tivéssemos permissão de abandonar nosso trabalho, qualquer um de nós poderia simplesmente ter saído e ido para outro lugar. O sistema atual é parcialmente culpado pela nossa luta.” -Celes

“E pensar que ser um deus é apenas um trabalho para minha filha….” Katrine sacode a cabeça e massageia as têmporas.

“Bem, Seria e Tjenemit vão lutar aqui. Isso vai, muito provavelmente, causar uma séria destruição.” Eu resumo as coisas.

“Quando Angrod e eu fomos para o lado pessoal, nós destruímos um mundo. Então não faz sentido se esconder em lugar nenhum.” Celes resmunga.

“Eu não acho que a Seria faria isso se ela pensasse que a destruição seria tão grande. Nós ainda devemos considerar evacuar tanto do norte quanto pudermos ao redor da Cidade de Seria. Apenas em caso tudo dê certo.” – Eu.

“Nós devemos evacuar o norte, apenas para o caso de tudo dar certo….” Ireth sussurra para si.

[NT: Você sabe que a situação está ruim quando evacuar metade do mundo é o melhor dos casos]

“Talvez nós possamos parar a invocação?” Nicosar pergunta esperançoso.

Eu dou de ombros. “Talvez, mas a Seria está bem certa de que não conseguiríamos. Pelo menos nós temos alguns anos para colocar as coisas em ordem.” Eu ajeito meu terno.

“Quanto tempo exatamente?” Ireth pergunta.

“Pelo menos três anos se eu interpretei as novas leituras corretamente. Em cinco a invocação deve estar pronta com certeza. É difícil dizer sem nenhum dado diretamente da fonte.” -Eu.

“Então nós ainda temos de três a cinco anos. Pelo menos isso ainda é tempo o bastante para nos preparar-nos.” Arthur diz para si.

“Eu terei meu projeto terminado em três anos também. Vai ser apertado, mas em três anos nós teremos uma arma capaz de quebrar o escudo. Então seria bom de pudéssemos planejar uma ofensiva para aquele momento, Arthur.” -Eu

“Hoh, quebrar o escudo? Poderia explicar.” – Arthur.

“Eu preferiria não. Eu selei aquilo dentro da minha instalação e todos os meus empregados fizeram um juramento mágico de manter o segredo. Não é que eu não confie em você, mas é melhor se tudo for revelado no último momento. Eu quero manter esse segredo porque os Meltheims já se provaram capazes de armar perturbações para nós, mesmo se escondendo atrás de um escudo.” Eu salto do trono.

“Se você quer fazer disso uma surpresa tanto assim, então eu espero que seja uma surpresa realmente boa.” – Arthur.

“Não se preocupe, eu acho que será um bom show.” Eu sorrio para o Arthur. “Eu agora vou ler um bom livro, eu achei um autor bem esperto.”

“Não, você não pode! Você tem que vir comigo.” Celes de repente agarra meu braço e me puxa.

“O quê foi, onde estamos indo?” – Eu.

“Surpresa!”

Celes me leva para fora do Palácio onde Rose está esperando com o carro. Mas não importa o quanto eu pergunte, ela não responde minhas perguntas.

Minutos depois, nós paramos na Propriedade Cygnus e eu sou levado para dentro. Após algumas curvas, nós chegamos a um tipo de salão, onde alguns rostos familiares jogam confete em mim. Todo o Salão está estilizado para uma festa.

“Parabém por se tornar rei!” Celes me dá uma caixa de chocolate. Oohhohoho…. Eu poderia fazer um hábito de virar rei.

Os irmãos Cygnus, Tanja, Gabriel, Iris, Sven e Sandra me parabenizam também. Todo mundo na classe especial veio.
Todos estão me dando chocolates e me parabenizando? Celes contou meu ponto fraco pra eles?

“Eles todos querem ficar no seu lado bom, depois de verem a coroação.” Celes sussurra pra mim.

“Ei, Ei, Angrod você pode me ensinar àquela coisa de alma que você fez? Eu tenho que aprender! Você ainda apode interrogar o bastardo depois de mata-lo! Não é? Eu tenho que aprender isso!” Tanja me olha com olhos cintilantes.

“Huh, talvez eu te ensine os básicos do treinamento durante as aulas, mas leva bastante tempo para dominar.” Eu respondo.

“Sério? Yay! Sabe, eu sempre odiei aquela coisa de torturar para tirar informação! Todo o sangue e partes de corpos, é sujo demais na minha opinião. Se eu pudesse aprender aquilo, tudo seria muito mais limpo!” Tanja anui para si mesma enquanto fala em voz alta.

O que diabos os pais ensinaram pra ela!?

Eu começo a comer chocolate enquanto tenho uma boa conversa com os outros. É legal que minha coroação não mudou muita coisa nos nossos relacionamentos. Pelo menos eu espero que esse seja o caso.


Tradução: Batata Yacon
Revisão: Renan