UD – Capítulo 34 – O passado sempre volta?


 

Nós estamos sentados em um banco frente ao edifício do musical e esperando pela Rose para nos pegar. Eu me sinto horrível.

“*Sniff* Eu sinto muito. Eu estraguei nosso primeiro encontro. Tudo porque eu não acompanhei uma coisa tão básica.” É tudo culpa minha.

“Está tudo bem. Eu sei como é. Você não tem que se culpar.” Angrod tenta me confortar, mas é uma tentativa lamentável.

“Você é um cara! Você não tem ideia do que está falando!” -Eu

“Eu fui mulher em algumas reencarnações também. Então eu acho que tenho permissão de dizer isso! Você deve ter sido um cara uma vez ou outra também.” -Angrod

“Pff. Você como uma garota. Essa deve ter sido uma vista e tanto.” Por algum motivo eu não consigo imaginar o Eremita como uma garota.

“Não ria, aqueles não foram exatamente meus melhores momentos. Apesar de que eu acho que você não deve ter tido nenhum problema quando a reencarnação bagunçou com seu sexo. Você seria um perfeito halterofilista.” -Angrod

Eu vou te pegar por essa! Tema o poder de uma mulher!

“*Hic..* Você realmente não….. não pensa mesmo em mim comouma mulher messsmoooo.” É fácil chorar quando você já se sente horrível de qualquer maneira.

“T… Tudo bem! Não chore! Você já é uma boa mulher! Não precisa se preocupar com isso.” Angrod respondo com uma voz nervosa.

Ah que nostálgico. Meu Johann antigamente também era fraco ao meu choro. Tehe… Eu agarro meu Johann apertado e o abraço sem dar uma resposta.

“N… Não há nenhum problema. A parte importante da história já foi dita. Tudo que resta da história é só uma luta estúpida com o chefão de qualquer maneira. Essas histórias sempre seguem as mesmas regras.” -Angrod

Nesse momento Rose para o carro na nossa frente. “Vocês tiveram uma boa noite?” Ela sai e sorri para nós.

Tch! Só mais alguns minutos e eu o teria na palma das minhas mãos! Agora não adianta mais, eu vou ter que dar meu presente dentro do carro.

“Infelizmente Celes teve um pequeno acidente. E nós vimos o fim da performance.” -Angrod

Ahhh! Não fale pra ela sobre os problemas femininos! Ela vai me pentelhar sobre isso!

“Oh. Vocês tem que assistir de novo então. O final é a melhor parte! Celes, já está tudo bem agora?” -Rose

“Agora está melhor, eu só tive um pequeno problema e perdi a melhor parte, por estar no toilete.” -Eu
[NT: Quando ela fala assim parece que ela teve uma dor de barriga.]

“Oh, minha nossa. Que pena. Apenas entrem, eu vou levá-los para casa.” -Rose

Nós entramos no carro e Rose fecha a porta.

“Um. Celes. Por que você está grudada em mim assim?” Angrod pergunta com uma voz perturbada.

Desde o momento em que eu o abracei eu não soltei. Isso faz eu me sentir tranquila. Eu não sei porque e eu não me importo.

Eu pego uma caxa do meu bolso e empurro para ele para calá-lo

“Isso é por não ser um total babaca. Apesar de você não ter conseguido completamente no final, eu vou te dar isso se você calar a boca.” Eu o uso como travesseiro de novo, enquanto ele abre a caixa.

Sim, chocolate sempre funciona nesse cara. Pelo menos esse traço da personalidade dele não se perdeu. É bom saber uma maneira fácil de satisfazer alguém.

É melhor quando eles não dão muito trabalho. EU me inclino nele enquanto caio no sono….

*PDV do Angrod*

Eu carreguei a Celes até seu quarto. Ela estava dormindo como uma tora e não acordou mesmo quando eu a sacudi.

Depois eu fui trabalhar de novo. Apesar de não haver muito que eu possa faze. Tudo está preparado. A fábrica automática está trabalhando e meus empregados sabem seus trabalhos.

Tudo que eu posso fazer é checar o progresso. Se eu tiver sorte, tudo vai ficar pronto a tempo.

*Toc* *Toc*

“Sim?” Eu respondo e Ireth entra no quarto.

“Angrod, eu sei que você está tentando quebrar o feitiço escudo, mas algo apareceu” – Ireth

“Por que você soa como se algo terrível fosse acontecer?” Eu pergunto a minha mãe.

“É algo legislativo estúpido! Veja, seu pai tem um irmão.” Minha mãe diz como se isso clarificasse tudo.

“Uh… você sabe que eu não gosto dessas coisas de lei. Então por que você não começa do inicio? Eu totalmente não entendo sobre o que você está falando.” -Eu

“Eu estou falando sobre o seu aniversário em alguns meses! Você vai fazer dezesseis e com isso você vai ter que suceder o trono de Tirna. Seu pai está morto afinal de contas.” Ireth suspira.

“Eu não posso mais deixar as coisas chatas nas suas mãos e as do vovô?” Eu pergunto.

“Sim. Você tem que assumir o trono, apesar de que nós ainda seremos capazes de te ajuda.” -Ireth

“Então onde o irmão do meu pai entra nisso?” -Eu

“Quando a coroa passa ao próximo herdeiro, todos com capacidade de suceder ao trono podem desafia-lo pela coroa. Isso foi estabelecido para garantir que um forte rei esteja no pode.” -Ireth

“Então você acredita que o irmão do meu pai vai aparecer. Ele, o qual eu nunca nem ouvi falar antes?” -Eu

“Ele desafiou seu pai pelo trono quando ele ascendeu e me casou aos dezoito. Seu pai o aleijou na luta que se seguiu. Então seu tio se exilou por escolha própria.” -Ireth

“Então você acha que ele ainda tem ressentimentos e está lutando pelo poder. Então por que ele não pulou na chance quando meu pai morreu?” -Eu

“Eu estou bem certa disso. E ele não agiu porque ele não tem nenhum direito legal. Eu estou governando o país -in absentia- de seu pai porque você ainda não tem permissão para assumir a coroa ainda. Mas com dezesseis você terá.” -Ireth

“Então, como você lembrou do nada de alguém que desapareceu anos atrás?” Eu estou um pouco confuso.

“Dois dias atrás, ele apareceu na cidade com alguém que ele apresentou como filho dele. Ele requiriu alguns favores antigos de alguns nobres. Alguns deles perceberam um problema com ele e me informaram.” -Ireth

“Essa piada está ficando velha. Os Meltheins já tentaram isso.” -Eu

“Sim, infelizmente eu acredito que essa é outra tentativa deles, só que disfarçada.” Ireth sacode a cabeça.

“Oh?” -Eu

“Quando os Meltheims se trancaram na Cidade de Seria, eles ainda tinham uma grande quantidade de dinheiro em vários bancos e instituições. Nós tentamos rastrear, mas a maior parte disso simplesmente desapareceu.” -Ireth

“E deixe-me adivinhar. Meu meu tio está esbanjando dinheiro por todo canto e ninguém sabe de onde veio.” -Eu

Ireth anui com uma expressão triste. “Nós não temos nenhuma evidência, então não podemos impedi-lo. O Exilio foi por escolha própria, então não podemos expulsá-lo também.”

“Então você acha que ele vai mandar aquele filho dele pra cima de mim?” -Eu

“É provável. Ele até o matriculou na sua escola.” -Ireth

“Maravilhoso, então eu vou ter que aguentar uma peste similar aos irmãos Meltheim na escola até eu ser desafiado na coroação.” Isso fica cada vez menos divertido com cada palavra.

“O nome do seu tio é Seredorn de Tirna e seu filho se chama Markorn de Tirna.” -Ireth

“Hmm. E a mãe? Ou meu tio simplesmente usou divisão celular pra criar um herdeiro?” Eu jogo meus braços no ar e minha mão ri.

“Nós não temos pistas sobre ela. Seu tio simplesmente apareceu com seu suposto filhos e montou acampamento.” -Ireth

“Ele é ao menos o filho real dele?” Eu de certa forma duvido.

“Nós estamos investigando. Quando diz respeito a lista de sucessão, as coisas tem que ser claras sem dúvida. Mas até o momento nós não fomos capazes de achar algo contra. Ele parece similar o bastante ao seu pai pelo que ouvi. E eles vieram com um monte de servos que confirmam a história deles. No momento alguns investigadores estão a caminho da casa anterior do seu tio. Mas eu tenho minhas dúvidas se eles vão chegar a um resultado diferente. Se seu tio pudesse ser pego com medidas tão simples eu duvido que ele teria feito qualquer esforço para fazer uma manobra como essa.” -Ireth

“Você parece conhece-lo quando se trata disso?” -Eu

“Antes dele desafiar seu pai, ele tentou várias vezes por as mãos em mim. Ele sempre foi experto o bastante para não deixar evidência. Então sempre foi a palavra dele contra a minha. E ele tinha uma relação realmente muito boa com o irmão. Seu pai não acreditou em mim sobre ele ter motivos ocultos. Até o desafio, ele era o bom irmão do herdeiro para todo mundo.”

Eu aceno com a cabeça. “Então nós não temos outra escolha além de ficar em alerta. Não se preocupe comigo, eu posso me cuidar. E obrigado pelo aviso.”

“Ireth me abraça com lágrimas nos olhos. “Não faça nada perigoso. Eu já perdi muito da minha família. Mais alguém e eu não conseguirei mais aguentar.”

Eu a abraço com uma expressão sombria no rosto.


Contribua com a Novel Mania!