UD – Capítulo 33 – É a primeira…?


 

Eu estou com quinze anos atualmente e em meu nono ano escolar. Graças ao ataque estratégico do meu laboratório nossos pais conseguiram subjugar o norte sem nenhum problema sério.

A forças de Meltheim se dissolveram sem uma liderança competente. O exército simplesmente teve de caminhar até o norte e tomar o controle de novo.

Nós ainda perdemos Nicol para o ataque surpresa apesar disso. Algo pelo qual eu ainda me culpo. foi minha proposta esperar e derrotá-los com paciência.

Isso provavelmente deu a eles tempo para preparar o ataque. Mas você não pode mudar o passado. Eu tenho que seguir em frente e ser melhor na próxima. Sim, sempre melhorando até não perder mais ninguém importante.

O enterro de Nicol não foi nada especial. Luto pelos mortos não parece ser grande coisa nesse mundo. Você o faz sozinho e o máximo que até mesmo um Rei recebe, é um minuto de silêncio.

A cultura simplesmente se desenvolveu dessa maneira durante a guerra e não mudou desde então.

O norte está sob nosso controle e a Cidade de Seria está sob cerco pesado. O escudo deles os protege e nada conseguiu quebrá-lo até agora.

Aqueles bastardos colocaram tanta mana nele que é um grande problema derrubá-lo. Apesar de eu estar trabalhando em uma solução, o martelo necessário para esse ovo está em outra escala.

Até agora, exército ainda está bombardeando a Cidade de Seria dia e noite enquanto tentando quebrar o escudo.

Mas eu não tenho muita esperança. Nenhuma a menos façamos o mesmo que eles e comecemos a sacrificar pessoas.

Por sorte o suporte a família real está tão grande como nunca antes. Todos que davam suporte aos Meltheim foram linchados quando a verdade foi exposta.

As pessoas foram as ruas e arrastaram os nobres para fora de suas casas. Todos que tivessem até mesmo a menor conexão com Meltheim e Tulhelm, tiveram que temer pela vida.

Nossos pais tiveram dificuldades em impedir que as pessoas fizessem justiça com as próprias mãos.

Alguns até tentaram invadir a casa de Cygnus e por as mãos na Iris. Um pouco doentio se me perguntar, afinal de contas Iris era só uma criança.

Mas eles nunca chegaram nem a soleira. Os seguranças cuidaram deles assim que eles puseram os pés na propriedade Cygnus.

Nesse momento eu estou desenhando uma pequena surpresa para quebrar o escudo da Cidade de Seria. Vai dar muito trabalho, mas nós ainda temos tempo e eu espero estar pronto logo.

Nós não conseguimos nem falar com esses idiotas. O escudo está bloqueando tudo. Apesar de termos algumas informações dos civis no norte.

Pela história deles, parece que o Governo dos Meltheim chegou bem próximo a um Estado Policial pouco tempo após eles tomarem controle.

A maioria das pessoas não tinha permissão de viajar. Foi assim que eles conseguiram esconder as ações deles do resto da população.

Não é de se espantar que as pessoas foram as ruas no exato momento que o exército deles pareceu que não conseguiria mais impedi-los.

Toda essa história parece algo vindo da mente de uma pessoa realmente doentia. Mas isso é a realidade. Antes que perceba, seu agradável e feliz mundinho se tornou o próprio inferno.

*Toc* *Toc* *Toc*

“Angrod! Saí daí!” Eu escuto a voz da Celes do outro lado da porta.

Mas eu não vou abrir. Mwahaha! Eu coloquei alguns encantamentos de guarda realmente fortes na minha porta. Ninguém será capaz de entrar a menos que seja um mago da alto nível.

“Angrod! É importante!” -Celes

Importante “O que é importante?”

“Aconteceu algo! Nós temos que ir!” Celes começa a bater na porta de novo.

*BAM* *BAM* *BAM*

Ela acabou de usar o pé? A porta aguenta perfeitamente. Mas quando eu olho pra parede ao redor dela eu vejo algumas rachaduras.

“Estou indo! Não bata de novo! Você vai derrubar meu quarto inteiro!” Eu salto e corro para abrir a porta.
“O que você que? Eu tenho trabalho.”

Celes dispara quarto adentro e começa uma busca no meu guarda-roupas. “Ei! Pra que você precisa das minhas roupas!”

“Pra achar algo decente! Você não pode sair com essa coisa plana que está está usando.” Celes responde.

“Sair? Pra onde? Tem algum festival que temos que participar? Eu não ouvi nada?” Eu estou um pouco estupefato. Normalmente nossos pais nos avisam anteriormente caso precisemos nos mostrar em público.

“Não há tempo. Algo apareceu! Aqui, coloca isso. Esse parece bom em você.” Celes empurra um terno no meu peito.

“Esse terno não é um pouco normal demais para um festival?” Eu pergunto. O terno é bom, mas pode passar como roupas de rua normais. Para um festival eu sempre tenho que vestir roupas realmente boas e com alto estilo.

“Está ok! Você fica legal nele! Eu vou esperar lá fora.” Celes corre para fora do quarto.

O que deu nela? Eu me visto e saio do quarto.

“Bom! Parece bom agora venha, nós não temos muito tempo.” Celes me leva para fora onde Rose está esperando com o carro.
Nós entramos e Rosa dá partida no carro.

“Você pode me explicar o quê está acontecendo?” Eu pergunto a Celes.

“Não se lembra? Nós prometemos fazer as pazes e trabalhar em entender um ao outro! Você está se trancando no seu quarto já vai fazer uma semana! A menos que seja por causa da escola você não sai.” Celes me respondo.

“Eu não entendi. O que isso tem a ver com a situação atual?” -Eu

“Nós vamos começar a trabalhar mais no nosso relacionamento de agora em diante. Então nós iremos a encontros toda semana!” Celes sorri pra mim.

“Hahaha, oh os benefícios da juventude!” Rose entra na conversa.
“Encontro? Eu não tenho tempo para encontros!” Eu respondo.

“Foi você que propôs eles. Não consegue lembrar da nossa promessa? Foi você, que insistiu em um relacionamento normal e encontros. Então nós teremos encontros toda semana a partir de agora! Hoje nós iremos a um musical!” Celes aniu e sorri ainda mais brilhantemente.

“Uhm… . Agora que você mencionou. Eu realmente disse algo assim?” Eu tenho uma memória obscura disso em algum lugar na minha cabeça. Ela me enganou naquela vez!

“Eu acho que vai ser bom. O musical tem uma boa história. Eu acho que até o Angrod poderia achar interessante.” Rose dirige até outra esquina e para o carro em frente a um grande edifício.
“Divirtam-se!”

“E.. E a segurança?” -Eu

“Esse lugar é para a alta sociedade. Está guardado e o perigo foi reduzido já que a opinião pública está em nosso favor.” Celes me explica enquanto me puxa para fora.

A porta se fecha e Rose parte com o carro.

Celes liga os braços comigo e me leva até a entrada onde ela mostra ao guarda dois cartões e nós entramos.

Só agora eu percebi que ela está vestindo uma roupa similar a minha. Uma atendente nos leva a uma fileira de assentos com uma visão muito boa.

É um grande salão com um palco alguns níveis abaixo de nós. Há Amplificadores por todos os lugares para garantir um bom som para todos.

“É como se você estivesse me sequestrando. Como você teve essa ideia tão de repente.” Eu pergunto a Celes
[NT: E eu me pergunto como ele ainda acredita que não foi tudo planejado]

“Mmmm. É porque eu planejei é claro! Eu tinha isso na minha lista por umbom tempo já.” Ela puxa uma lista de aparência altamente desgastada e marca um item. Eu não vi essa coisa já faz um bom tempo.

“Primeiro encontro aos quinze, feito.” Ela sorri e parece feliz.

“Você percebe que já está carregando essa coisa por aí já faz anos?” Eu a pergunto

“Sem problemas, mesmo que esteja um pouco esfarrapada, ainda faz o trabalho.” Ela esconde de novo dentro do vestido.

Nesse momento o musical começa e Celes agarra meu braço para se inclinar em mim. Oh! Não use seu peito assim! Isso é trapaça!

Celes teve um grande desenvolvimento nos últimos anos. Ela virar uma verdadeira beldade como a mãe dela em outros três ou quatro anos.

Apesar dela já parecer bem. Se não fosse por essa personalidade!

Nós nos sentamos em silêncio e assistimos o musical. É sobre a criação desse mundo. Como a Deusa Seria criou esse mundo e seu povo. E sobre um herói, que foi em uma épica jornada para tornar o perigoso continente um lugar seguro para todos.

Tem uma boa história e as músicas são boas, apesar da força do aperto da Celes em mim ser um pouco desconfortável. Nós estamos cerca de meio caminho pela história, quando a Celes puxa minha manga e eu olho para ela.

Celes está um pouco apertada com um sorriso forçado. “Você pode me levar aos toaletes?”

“Ahem. Você já não está velha o bastante para ir sozinha? Eu não acho que um cara deveria… Você está um pouco pálida, está tudo bem?” Eu pergunto.

“Só dói um pouco, então me dê um pouco de ajuda para caminhar.” -Celes

“Dói? Você está ferida ou doente? Eu posso te curar.” -Eu

“Eu só estou sangrando um pouco, não é nada sério.” -Celes

Você está sangrando!? Onde, eu te curo.” -Eu

“CCalado! IssO não é nada que você posa curar IDIOTA! AApenas me leve lá agora!” Celes chia pra mim com lágrimas nos olhos.

Ah!? Não, ela não pode estar dizendo? Sério!?
Eu a carrego como uma princesa e corro aos toaletes.


Contribua com a Novel Mania!