UD – Capítulo 29 – Uma Cientista Louca no Meu Laboratório?


 

Se passaram alguns meses desde o começo da rebelião. Meus pais de alguma maneira conseguiram tomar controle da situação d atualmente há um completo bloqueio no norte.

Houveram alguns conflitos, mas nada sério. Apenas um grupo de batedores encontrando outro. Pequenos incidentes, que não são nem dignos de se mencionar em escala continental.

No momento nós podemos ter bastante certeza, que os nobres do norte estavam esperando atrair outros para o lado deles. Ao ficarmos calmos, nós tomamos essa oportunidade deles.

Meu pai e Nicosar estão constantemente viajando para manter os olhos na situação. Mesmo que eles usem magia de teleporte, eles estão bem ocupados.

Eu estou no meu terceiro ano escolar atualmente. O que quer dizer que estou com nove anos de idade. Mas no momento é fim de semana e estou no meu laboratório! Mwahahaha!

Sempre que eu não tenho nada a fazer eu teleporto para essa instalação dentro de uma montanha. Ela fica localizada no norte de Midpoint.

Todo o complexo é uma obra em progresso. Eu ofereci cada trabalhador na área de construção um emprego permanente e um pagamento muito bom em troca do silêncio deles.

Tudo é financiado através da minha nova usina de energia. É um gerador de fusão a frio. Apesar de uma gerador de fusão a frio ser impossível só com ciência, com um pouco de mágica aqui e ali você pode pregar uma peça na natureza.

Nós estamos providenciando toda a cidade com energia. E ainda há o bastante para alguns experimentos muito legais.

No momento meus trabalhadores estão construindo um acelerador de partículas pra mim. é um dos meus projetos futuros. Os materiais vem direto da montanha. Uma parte dos trabalhadores estão minando tudo que é necessário.

Toda essa instalação já é um enorme complexo, mas eu tenho algo maior em mente. Pra isso, eu vou precisar de uma grande quantidade de espaço e recursos.

Mwaahaha! Só pensar nisso me faz rir. Aqueles otários no norte vão ter uma grande surpresa.

Eu amo esse lugar! Aqui eu posso brincar o quanto eu quiser. Ninguém para me perturbar. Mais importante, sem Celes. Ela gruda em mim como chiclete em um sapato.

Mas aqui eu …..
“Queeeeeeriido! Advinha quem é!” Alguém cobre meus olhos por trás.

“Huh?” NÃOO! Como isso pôde acontecer? Eu estou certo que dei ordens de que ninguém além de mim é permitido nesse complexo! Eu vou massacrar os seguranças por isso!

“Celes. Como você chegou aqui?” Eu pergunto em uma voz taciturna.

“Eu copiei o feitiço de teleporte pra teleportar direto pra cá. Com sua pulseira.” -Celes

“Um… Eu estou razoavelmente certo de que eu nunca deixei você copiar o feitiços certo?” Eu pergunto. Ela modificou a pulseira pra funcionar a distância? não. Isso seria difícil demais de se fazer.

“Eu copiei da pulseira que você deu aos nossos pais para casos de emergência.” -Celes

Merda! A solução simples é a mais efetiva! Eu me viro e vejo Stephen atrás de Celes.

“Oh. Eu vejo que trouxe um visitante também?” Eu pergunto.

“Olá, você tem uma boa instalação aqui!” Stephen me cumprimenta.

“Obrigado, mas isso é mais como um canteiro de obras.” -Eu

Celes se vira e parece que ela está procurando por algo. “Huh? Cadê a Margerie?”
[NT: shit!]

As engrenagens na minha cabeça começam a girar devagar.

Stephen se vira também. “Hmm, estranho… três esquinas atrás ela ainda estava atrás de mim não?”

As engrenagens na minha cabeça param.

“Vocês querem me dizer algo? E isso com certeza não é que vocês trouxeram Margerie aqui certo? Certamente vocês não querem me dizer que tem uma cientista louca aqui? Há toneladas de equipamentos perigosos aqui e você tira Margerie da coleira aqui? E ela está sem supervisão?”
[NT: O que ele tem contra cientistas loucos? Mad scientist is so cool! Sonuvabicth]

Stephen e Celes ambos tem a mesma expressão em seus rostos, que informa apenas uma coisa.
CULPA!

“Se ajuda, Tanja fugiu mais cedo sem avisar. Nós não pudemos pegá-la, então nós não a perdemos por definição. Ela disse algo sobre um perfeito treinamento de infiltração e sumiu.” -Stephen

Eu dou um tapa em meu próprio rosto e caminho até a tela de comunicação numa parede. então eu ativo o link de comunicação com o chefe de segurança. Seu nome é Drem Snowden e ele sua equipe foram selecionados pelos meus pais.

“Sim?” -Snowden
“Errr, meus amigos vieram me visitar via teleporte e dois se perderam no complexo. Um é uma ninja alegre. A outra é uma cientista louca fugitiva. Você poderia por favor pegá-los e traze-lo ao meu laboratório principal?” -Eu
“….”
“Entendido. Vamos procurar a ninja e uma cientista louca. A ninja é perigosa?” -Snowden
“Não, a ninja não é. Mas você tem permissão para atordoar a cientista louca, se ela estiver próxima a equipamentos sensíveis.” -Eu
“Heeey!” -Celes
“É pra segurança dela também!” -Eu
Celes empurra pro lado. “Sem atordoar! Só a traga aqui!”
“Sim princesa.” -Snowden
Snowden desativa a chamada.

Então algo me vem a mente. “Como você ao menos me achou aqui? Você nunca esteve aqui aqui antes!”

“Obviamente sua mãe me deu as direções quando eu copiei o feitiço” -Celes

Eu fui traído! Meus pais deram tudo a ela. Eu nunca vou dar as chaves do meu santuário interno de novo!

“Então nós queríamos lhe visitar e ver como você está. É bem difícil de te achar aqui.” -Stephen

Eu suspiro e os sinalizo para me seguirem. “Venham comigo, eu vou mostrar o laboratório e a mais nova invenção.”

“Oh, legal! Você fez o anel pra mim Angrod!? Fez?” Celes dispara na frente. Uma semana atrás ela me pediu pra criar um dispositivo em forma de anel como a pulseira.

Eu sei. É outro objetivo na lista dela. Mas eu fiz de qualquer jeito. O projeto de miniaturização era interessante por si só. Então valeu a pena eu acho.

“Eu não vou me render!” Eu pego uma caixa no meu bolso e empurro nas mãos dela.

“Oh, obrigada!” Ela me abraça de novo, enquanto eu continuo caminhando e a arrasto comigo. Por que eu fico com essa sensação quente quando ela faz isso? Isso não é certo! Não é certo eu digo!

Após uma curta caminhada nós chegamos no meu laboratório principal. Um grande domo seria um termo mais próprio.

Eu remexo algumas coisas até achar o que estava procurando. Eu pego o controle remoto e ativo uma grande tela elevada. Ela mostra uma visão de pássaro alto no ar.

“O que é isso?” Celes pergunta.

“Eu usei a tecnologia drone exagerada da Margerie a alterei para voos de alta altitude. Então eu instalei algumas tecnologias de vigilância como ótica e infravermelho.
E então eu usei um pouco de mágica para os controles para operar a distância maiores.
Esse drone está atualmente mapeando todo o norte.
Se eu quiser, eu posso contar os fios de cabelo na cabeça do Sarda.” -Eu

“Você sabe onde o Sarda está?” -Celes

“Parece que todo o bando junto com os caras de Tulhelm montaram residencia no Monte Seria. Hmpf. Um pouco arrogante nomear um monte em nome de um deus não acha?” -Eu

“Isso é realmente maneiro!” Stephen comenta. “Você pode derrubar isso na cabeça deles? Seria engraçado se algum deles de repente acabasse esmagados por um grande pedaço de metal vindo de lugar nenhum.” -Stephen

“Talvez façamos isso depois.” -Celes

Nesse momento Snowden entra no domo, arrastando Tanja e Margerie pelos pescoços atrás dele.

Tanja está de braços cruzados e obviamente incomodada por ter sido pega de guarda baixa. Margerie tem uma tela de comunicação em mãos. Foi obviamente quebrada de alguma parede e agora parece com um animal dissecado.

“Haah. Haahah. Isso é tão legal. Eu nunca pensei em usar eletricidade pra mudar a pigmentação de alguns elementos pra mostrar a imagem de algo.”

Ela nem percebe mais seus arredores. “Eu acho que deveria estar feliz que ela achou a tela de comunicação primeiro e não arrancou algo como uma corda de plasma pra minha usina de energia.” Eu analiso a situação.

“Angrod! Como isso funciona exatamente? Eu preciso saber!” Margerie corre até mim.

“Há algo mais?” Snowden pergunta.

“Não, obrigado.” -Eu

O guarda se vira e sai de novo. Ele certamente não um cara de muitas palavras……

“Ele me pegou fácil demais.” Tanja resmunga.

“Não me ignore Angrod!” Margeria enfia a tela dissecada na minha cara.

“Se você não me incomodar mais, você pode ter uma tela mágica, que te mostra todas as informações dos meus projetos menos perigosos.” -Eu

O animal morto é instantaneamente removido da minha vista e eu caminho para uma mesa com um dos meus computadores portáteis. Eu o ligo e o dou a Margerie.

“Você certamente fez muito nos últimos meses. Eu não consigo acreditar que você conseguiu tudo isso por conta própria.” -Celes

“Eu tive um pouco de ajuda da minha fábrica autônoma. Foi a primeira coisa na minha lista e foi um saco de se fazer. Até um mês atrás todos os meus trabalhadores estavam ocupados com ela. Mas agora está funcionando e criando coisas pra mim.” -Eu

“EU preciso ver isso!” -Stephen

“Talvez eu lhe dê um tour depois. Mas primeiro eu quero avalia os dados que meu drone coletou.” Eu aperto alguns botões e uma vista cartográfica do norte aparece.

“Isso está errado.” Margerie comenta sobre o mapa. “Qual o problema?” -Celes

“Não há industrias o bastante! Aqui, aqui, aqui. Esses são os grandes centros populacionais. Deveria haver tráfego pesado mas não há nada. Você pode alargar aquilo?” Margerie me pergunta e eu faço como ela pede.

Quando eu amplio a cidade nós vemos que é uma cidade fantasma. Sem carros, sem transporte, sem pessoas.

“Okaay! Isso é perturbador.” Eu comento o óbvio.

“Eu não vejo tecnologia. Nenhum carro, nenhuma luz das cidades, nenhum regulador de tráfego, nada que necessite de minerais raros.” -Stephen.

“Eu acho que deveríamos chamar nossos pais. Eles precisam saber.” -Celes


Contribua com a Novel Mania!