UD – Capítulo 25 – Treinamento e Erros?


 

Fazem duas semanas desde a nossa pequena reunião. Meus pais estão em uma viagem para inspecionar vários estados geridos de forma independente do país. E Celes está agindo de forma… estranha. Sim, estranha é a palavra correta para dizer o mínimo. Se eu não soubesse melhor, eu diria que ela está tentando me treinar?

Eu não sei como a lógica distorcida dela chegou a conclusão de dar esse passo. Ela está usando o conhecimento de nossa vida passada como uma família para isso.

De algum jeito ela conseguiu por as mãos em chocolate. Pra dizer a verdade, eu sou viciado em chocolate. Jogue um pouco na minha frente e eu como até acabar.

Eu nem mesmo sabia que chocolate existia nesse mundo! Sim, eu disse que sou viciado, mas de certa forma eu nunca tive tempo para pensar nisso até agora. Havia sempre algo a fazer entre ser um bebê, treinamento, escola, assassinos e ataques e sessões de tortura.

E não é o tipo de vício em que a primeira coisa que você faz após reencarnar é tentar por as mãos em chocolate. Eu criei uma regra ferrenha de nunca comprar ou de alguma outra forma adquirir chocolate por conta própria. Eu seria um gordo em toda reencarnação se isso acontecesse.

De volta ao estranho método de treinamento. Celes está me dando um pouco de chocolate cada vez que eu faço alguma coisa que ela gosta. Eu não sou um cachorro sabe!

Eu fiquei surpreso quando ela me deu um depois que eu ajudei a Margerie com um problema. Um dia ela apareceu no palácio e pediu ajuda com um problema a respeito de metalurgia. Eu já tinha antecipado isso.

Quando a Margerie saiu, Celes de repente enfiou um pedaço de chocolate na minha boca. Como a Sandra fazia quando …. AAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHH!
*Crack*

Merda! Eu destruí minha caneta! Era minha favorita! Estúpido traço sanguíneo de força! Eu raramente uso de qualquer jeito. Haah! Eu acho que vou ter que arrumar uma nova.

Agora que eu paro pra pensar nisso, Sandra também me dava chocolate quando eu fazia alguma coisa que a agradava…… ela me treinou naquela época também? Oh deus! A Sandra que eu conhecia…. Eu quero chorar! Foda-se isso![1]

Eu quero o princípio do design da usina de energia terminado antes que que o inverno acabe. Eu não salvo cada pedaço de conhecimento na minha cabeça. Quando eu chego em um mundo novo, eu tenho que reinventar cada máquina grande que eu queira ter.

Então eu deixo meu quarto e caminho até o escritório dos meus pais. Se eu me lembro direito, mu pai tem um bocado de canetas boas. Eu vou apenas pegar uma uma delas emprestada, apesar de duvidar que eu vá devolvê-las.

No meu caminho eu passo pela sala de estar tomo ciência de um pedaço de chocolate na mesa. Hoh? Como alguém pôde esquecer aq….. Isso é suspeito! Eu paro e olho ao redor.

Mas… ninguém aqui. Hmm. Que seja, eu pego e jogo na minha boca. Hmmmmmm

“hihihihi” “Viu? Ele consegue sorrir!” “Então é verdade.” “Merda, perdi a aposta.”

De repente Margerie, Celes, Stephen e Tanja aparecem de lugar nenhum na minha frente. Sven também está. Algum tipo de magia de invisibilidade?

“Por que eu me sinto como algum tipo de rato de laboratório?” Eu pergunto.

“Celes nos disse que você é capaz de sorrir por outro motivo que não seja alegria maliciosa. Então nós queríamos provas!”, Tanja respondo.

“Agora eu sei que sou um rato de laboratório!” – Eu

“Sim, mas nós estamos aqui para uma boa festinha. Nós ainda não celebramos o fim do seu primeiro ano escolar.” -Stephen

“E nós temos que celebrar seu aniversário também. Oito anos de idade em breve. Fufufu.” -Celes

O que há com essa risada de louco? “Oh, eu nem pensei nisso….” Eu penso alto.

“O quê? Você não tem presente pra mim!?” Celes pula em mim. “Você nunca ganhou um antes, então porque deveria ganhar um agora!?” Eu não vejo porque eu tenho que começar a dar presentes agora.

“Frio! Cruel! Você tem que me dar um! Eu tenho um pra você também!” Ela insiste. “Sim. Sim. Eu vou usar uma parte do meu cérebro pra pensar em algo.” Eu respondo.

“Só uma parte!? Todos os meus esforços e eu valho apenas uma parte. Vocês conseguem ver como a vida é dura comigo.” -Celes

“Então, vocês podem me dizer como essa festa vai ser? Eu ainda tenho um projeto que quero terminar.” -Eu

“Me mostra! Eu quero ver!” Margerie salta com minhas palavras. ” Nós pensamos em algo relaxante e jogos!” Tanja intervém. “Aqui, eu trouxe o último conjunto de ‘Aventura’ comigo! Ela segura uma caixa.

Após perguntar sobre as regras, eu concluo que é uma versão revigorada de Dungeons and Dragons da terra. Eu não sou contra jogos então eu m junto a les.
Enquanto o dia chega ao fim, nós jogamos e conversamos.
[NT: O cara passa por milhares de anos de reencarnações, esquece até o próprio nome da primeira vida, mas não esquece de Dungeons and Dragons. Pelo menos agora sabemos como ele passava o tempo como monge.]

***

Ao anoitecer, eu volto ao trabalho de novo. após terminar, eu vou a caminho da biblioteca quando eu percebo que Katrine está sentada na sala de estar com um rosto amargo. Algo desagradável deve ter acontecido.

“Qual o problema?” Eu pergunto.

“Os Meltheim’s estão aqui para ter uma “audiência” com o rei. Só pode significar problemas eles terem vindo sozinhos.” Katrine olha olha para o copo de café enquanto pensa.

“Muito provavelmente eles vieram reclamar das novas invenções. A mais recente, que reduziu o uso de elementos raros em motores de carros para um terço deve ter reduzido o lucro deles drasticamente.” -Eu

“Hmmm. Imagino…. .”

Katrine é interrompida por Arthur, que entra no quarto. “Nós temos um problema. Os Meltheim’s querem ver o governante de Tirna de maior nível imediatamente.”

“Hoooh. Então eles tem um problema, meus pais não estão aqui. Nada pode ser feito.” Eu sorrio.

“Esse é o problema. Eles planejam uma brecha em nosso acordo de paz. Aparentemente, se houver questões econômicas entre os dois países que o próprio governante não possa resolver, você pode exigir uma audiência com o governante do outro lado. Se a audiência não for dada em três dias, o lado em questão pode tomar qualquer ação que eles considerem necessárias para resolver o problema.” -Arthur

“Meus pais não podem voltar em três dias. E você não pode resolver o problema porque?” -Eu

“Eles tem problemas com as invenções da casa de Cygnus. Mas eu não posso dar ordens para Cygnus, porque eles pertencem a Tirna. Então se eu disser não ou sim, não vai importar porque eu não tenho nenhuma autoridade legal.” -Arthur

“Então eles só dependem do fato de que não há ninguém aqui que pode dar ordens a casa de Cygnus? Não importa se a pessoa em questão lhes dissessem “Vão para o inferno!” de qualquer maneira?” -Eu

Arthur assente.

“E o que acontece se eles puderem tomar quaisquer ações consideradas necessárias?” -Eu

“Eu não sei. No pior dos casos eles vão começar uma luta com a Casa de Cygnus ou começar outros problemas. Eles podem causar um monte de problemas porque eles ainda controlam o mercado de elementos raros. Talvez eles parem de vender seus produtos para todos que usem a nova tecnologia…..” -Arthur

“Que Incômodo. Bem então eu vou lá falar para eles sumirem…” Eu começo a caminhar na direção da sala do trono.

“O quê? Você não pode! Você só tem oito anos!” -Arthur

“E eu sou o Príncipe de Tirna. Então eles eles podem falar com a terceira pessoa de maior nível. O tratado de paz menciona alguma coisa sobre idade mínima?” -Eu

“Não?” -Arthur

“Então nós vamos distorcer o estúpido tratado de paz assim como eles.” Eu me viro e começo a caminhar de novo. “Mas você tem que dar a eles uma audiência própria ou isso não via ajudar!” -Arthur

“Eu vi o bastante das suas audiências. E se ninguém aparecer o resultado vai ser o mesmo.” Antes que ele possa me parar e entro na sala do trono. Em frente ao trono, u cara em roupas extravagantes está esperando. Ele tem obviamente o traço de sangue da casa governante. Seus chifres são longos e retos. Seus olhos são perfeitos olhos de serpente como os meus.

Uma mulher e os dois gêmeos idiotas Sarda e Senda estão esperando mais ao fundo. Eu caminho ató o trono do meu pai e pulo nele. Graaaaaaaande demais, cara eu devo parecer estúpido!

O cara apenas observa com uma boca aberta.
“Ahem! Eu declaro a audiência aberta! Você pode calar a sua boca e então falar.” Eu declaro no tom mais presunçoso possível.

“Isso é uma piada?” O cara pergunta estupefato.

“Não, eu não brinco em questões de estado. Então diga o que quer e não desperdice meu tempo. Se você tiver qualquer educação, você pode se apresentar enquanto isso.” -Eu

“Eu queria uma audiência com o governante! Não com uma criança!” -Ele

“O Rei e a Rainha estão em uma viagem e não estão disponíveis. Mas eu acho que você já sabia disso e escolheu esse exato momento para vir com essa insensatez. Infelizmente para você, eu fiquei para traz. Então você terá que lidar comigo, Príncipe Angrod de Tirna. Você está falando com a pessoa de mais alto escalão possível. Então você pode falar agora ou anunciar que não há necessidade para uma audiência e podemos seguir cada um o próprio caminho.” -Eu

“Eu sou Odlef de Meltheim! Eu exijo que a casa de Cygnus pare suas pesquisas que minam nossos interesses. Eles ruindo o balanço próprio de poder entre as casas e nossos países! Isso tem que acabar agora!” – Odlef

“Não.” -Eu

“O quê?” -Odlel

“Não, eles não vão interromper as pesquisas, nem encerrá-las. Ao contrário. A pesquisa será expandida. Esse mundo tem problemas de recursos e por causa disso nós estamos constantemente a beira da guerra. Desde que as novas invenções começaram a ser produzidas, a tensão entre as economias de nossos países foi aliviada como nunca antes. Então a menos que você queira clamar lucros com guerras, você vai aderir a isso.”

“Eu espero que você saiba o que está fazendo!” -Odlef

“Eu estou recusando a dar a alguém com poder demais ainda mais poder. Você está controlando o mercado de elementos raros. Por causa das novas invenções, seus lucros caíram.
Mas você ainda controla o mercado e tem mais que o suficiente para viver. Então eu não vejo porque eu deveria dar alguém, que o bastante, ainda mais e arriscar uma nova guerra.
Então você vai, ou aderir a paz, ou clamar ser um apoiador da guerra.” -Eu

“A família Cygnus vai continuar suas pesquisas. Fim da discussão.” Eu concluo.

“O cara passou por todo o espectro de cores enquanto eu falava. De vermelho, para azul seguido de um, muito doentio, violeta.

“Eu exijo um duelo de honra!”

“Vocês já tentaram isso antes. Em que base vocês o pedem agora?!” Arthur interrompe.
“Na base, de que eu não aceito ser o brinquedo de uma criancinha, que quase cai do trono!” Odlef grita.

“Quem você vai enviar dessa vez? Nós já vimos que o Angrod nem precisa levantar um dedo contra alguém da idade dele. Isso não faz sentido.” -Arthur

“Eu vou mandar o Senda! Ele é mais forte que Sarda! Ele vai vencer!” -Odlef

“Eu vou matá-lo.” Eu interrompo a discussão. Todos me olham com olhos chocados.

“Eu já tive o bastante dessa farsa! Você já tentou me matar na festa de apresentação. Sarda e Senda provocaram o primeiro duelo intencionalmente. Você pensou que eu não seria um oponente e enviou o mais fraco, Sarda.
Você fez isso porque ele herdou a linhagem mais fortemente por algum motivo. Com isso, seria mais fácil argumentar um casamento com a Celes.
Eu fui bondoso na festa, porque era a minha festa e haviam muitas pessoas. Mas se você não parar essa loucura agora, eu juro que vou arrancar o coração de cada um dos filhos que você enviar contra mim e jogar diante dos seus pés!” Eu digo a eles com um doce sorriso.

“Não é permit..” “E eu não preciso! Eu vou torcer os corações deles no primeiro segundo da batalha com um mero pensamento!” Eu o interrompo.

“Isso não acabou!” Ele se vira e sai sem se despedir. Hmm. Não muito respeitoso.

Eu pulo da cadeira e ajeito minhas roupas. Então eu caminho de volta pra minha biblioteca. Ah, eu ainda tenho tantos livros para ler!

“Você realmente teria feito isso?” Arthur pergunta.

“Todo mundo pode cometer erros na vida. Apenas não os cometa duas vezes.”



1. Aquela sensação de, mais uma vez, perceber que sua vida era uma mentira.

Contribua com a Novel Mania!