UD – Capítulo 20: Uma nova forma de arte!


Tongord não veio atrás de nós. De algum jeito eu estou um pouco aliviado, mas eu ainda me sinto mal….. muito mal. Nós estamos atualmente em frente a aula de artes e estamos esperando a professora chegar. “O que foi Angrod? Você parece um pouco mais que cansado!” Celes e eu podemos não gostar um do outro mas nós já temos vivido juntos por um bom tempo já. Seria estranho se nós não pudéssemos entender os ânimos um do outro.

“Ah, bem. Eu pensei em algo muito perturbador a respeito de Tongord.” -Eu
“Sim?” -Celes
“Ele parece pertencer a uma linha de guaxinim pura.” -Eu
“Sim” -Celes
“Nós o matamos pelo menos cem vezes dentro de uma hora hoje e isso nem o incomodou.” -Eu
“Sim?”-Celes
“E Tanja disse, que sua habilidade de regeneração depende de sua reserva de mana.” -Eu
“Sim?”-Celes
“Quantas vezes nós precisaremos matar nosso velhote, que tem a linhagem dos guaxinins e a força e o aumento de mana da linhagem real?” -Eu
“…”
“… Nós nunca seremos capazes de nos vingar! AAAH! Por que você me disse isso?!” Celes começa a sacudir o desiludido eu.
“Hahaha, culpa sua ter perguntado.” -Eu

“Parem de brincar e entrem na sala de aula! O que o insulto ainda está fazendo aqui?” Jeniva Guger de repente está diante de nós. Por que você ainda está me chamando de insulto?!
Eu entro na sala de aula e caminho até a minha pintura. Enquanto todo mundo começa a pintar, eu simplesmente observo minha obra de arte. Por que Jeniva não consegue apreciar o que eu quero oferecer a esse mundo?

Arte moderna é o Santo graal para todo artista, você apenas tem que colocar alguns pontos e linhas na tela e você ganha montes de dinheiro por isso.
Você não precisa de nenhum talento e com apenas cinco minutos de trabalho, as pessoas lhe chamam de o maior artista do século.

Hoh, talvez eu não seja nenhum grande pintor, mas há outras coisas que eu posso fazer! Ela quer algo que pareça real, então ela vai ter algo que parece real! Eu tiro minha pintura Rorschach[1] e rasco o papel até virar confete, então eu o misturo com água até eu ter um bom mingau. Hehehe. Agora eu vou criar uma escultura de Jeniva, usando telekinese. Nenhum grande talento artístico necessário aqui, eu apenas tenho que imaginá-la. Uma tarefa fácil para o grande mago Angrod!

Eu apenas tenho que pensar naquelas pernas e nessa saia estupidamente curta, que quase mostra suas calcinhas! E essas meias que ela sempre veste, deveriam ser banidas para o submundo!
Aqueles movimentos de quadris também deveriam ser proibidos na escola! Você não pode se mostrar assim em frente a crianças!
Então a jaqueta apertada, que enfatiza aquelas ,enormes como os de uma vaca…coisas! Eu me pergunto quanto leite ela pode dar? Eu deveria escrever uma tese sobre isso! Eles violam cada lei da física ao não perderem para gravidade.

Hmmm, talvez ela use algum tipo de roupas de baixo que levitam? Eu já as coisas mais estranhas nos mundos com mágica.
Então tem o cabelo dela, que ela usa um rabo de cavalo, indo até os seus quadris. Esse rabo de cavalo e essas orelhas de cavalo são apenas uma formalidade agora.

Hah! Talvez a roupa seja um pouco apertada demais afinal de contas, eu posso consertar isso! Sim, Sim, isso parece bom! Muito bom! Muito sexy, e próximo o suficiente dos da vida real. Hahaha!
Agora que eu penso nisso, não é uma má ideia dar a ela uma figura de si mesma para me redimir? Minhas intenções não serão mal entendidas?

De repente uma sombra cai diante de mim e eu olho para cima, “Olá, Sra. Jeniva! Você precisa de algo?”

*Whack*

….
….
….

Eu abro meus olhos. Por que o mundo está de cabeça para baixo? “O que aconteceu?” Eu pergunto. “Oh, você recuperou consciência! Bom. Você pode caminhar por conta própria de novo!” Celes responde e me solta no chão.
“Oh… em…. Por quanto tempo eu apaguei?” Eu tento me levantar, mas tudo está balançando.

“Jeniva quebrou o bastão de apontar dela na sua cabeça. Então ela confiscou a figura pervertida. Eu achei que seria um desperdício de tempo te carregar até a enfermaria, então eu fui te carregando pelas últimas três aulas e de soltando nos seus lugares.” Celes explica.

“Minha arte inovadora foi confiscada? Mas estava tão próxima da realidade quanto eu pude fazr! Eu acho que eu nunca serei capaz de passar nessa aula! Eu acho que eu terei que ter sorte com as perguntas do Samarin no final do ano.” Eu baixo minha cabeça.

“Estranhamente, ela lhe deu uma avaliação positiva na sua primeira arte. E eu não mais tenho certeza, se eu devo lhe chamar de eremita pervertido ou eremita estúpido de agora em diante!” Celes respondo.
“Sério!?” Oh, obrigado Jeniva, talvez eu tenha algum talento afinal de contas.
“Ela ainda disse que você vai ter que aprender a pintar de um jeito ou de outro. Ou então ela não vai te deixar passar.” Celes tem um sorriso sarcástico em seu rosto.

Ugh. Nada bom, eu não sou nenhum pintor. “Entãaaaaao, que aula nós temos a seguir?” Eu pergunto. “Nós teremos magia rúnica.” Celes responde com uma face de desagrado.
Bom, hehe. Se eu tenho problemas com uma matéria, você deveria ter também! Então nós veremos o professor Mirgurd Salar de novo. Ele parece ser do tipo entediante, não nada além de círculos mágicos na sua cabeça.

Mirgurd é um camarada jovem, mas de aparência doente. Ele tem algo como asas de anjo em suas costas. A primeira vez que eu vi alguém com um traço tão drástico.

Durante sua primeira aula, ele não fez nada além de recitar uma apresentação a sua matéria. Magia rúnica é tudo sobre o uso correto de runas, para obter o efeito que você deseja.
Se você tiver um objetivo mais complicado, você pode combinar múltiplas runas em um circuito mágico. Não é realmente nada mais que simples linguagem de programação.

Então nós entramos na Sala de aula, ao chegar encontra puro caos lá. Mirgurd tem papéis por toda sua mesa e no chão. Parece que ele está procurando alguns documentos.
Enquanto nós entramos juntos com os outros estudantes ele nos olha e nos conta, enquanto o sinal começa a tocar. “Bom, bom, Todos aqui. Sem machucados!?” Ele pergunta na sala.

“Por que nós teríamos machucados?” -estudante

“Você não ouviu? Houve um ataque terrorista no pátio da escola de manhã! Múltiplos estudantes e quatro professores foram paralisados por mais de uma hora com uma estranha arma nova! Todos estão em rebuliço. Ninguém sabe como tal tecnologia pôde aparecer de um dia pro outro, com nenhuma indicação de seu desenvolvimento.” ele explica seu comportamento.

Celes e eu tentamos não oferecer nosso conhecimento de todo o caso. Mas o professor não entra mais fundo no assunto e começa a entregar algumas folhas ao invés disso.
“Eu tenho um problema difícil aqui, duas runas incompatíveis que devem ser combinadas via múltiplos padrões de conexões. Se você prestou atenção ontem, você deve ser capaz de resolver isso.” Mirgurd entrega as folhas e imediatamente recomeça duas atividades de pesquisa de novo.

Parece que ele é o tipo que afoga seus pupilos em trabalhos, para que ele possa satisfazer seus interesses enquanto isso. Eu olho para a folha e a pondero por um momento. Então eu escrevo a resposta e desenho o circuito necessário. Nada de mais, é o mesmo que conectar duas variáveis via alguns comandos lógicos.

Então eu quero a observar a janela, que está a minha esquerda. Infelizmente para Celes, ela está a minha esquerda e eu percebo que seus olhos não estão aonde deveriam.
Eu sorrio como um diabo e me inclino com meu cotovelo sobre a mesa para cobrir minha folha. Agora ela está me olhando com uma expressão sinistra. De repente eu sou cutucado nas costelas por algo pontiagudo. Enquanto eu me torço, ela pega meu papel e começa a copiar descaradamente. A bruxa usou a cauda!
Isso é trapaça, eu digo! Sim! Aaahhh, é injusto, porque eu não posso trapacear na aula de artes. Devo denunciá-la? Mas ela não me fez nada realmente danoso desde nosso contrato. Isso não seria uma violação?

Eu não sou contra trapacear. Trapacear não é contra as regras, desde que você não seja pego! Sim, essa é minha opinião nesse assunto.
De repente Mirgurd olha por cima de seus papeis, “Srtª Celes, essa tarefa não foi feita para se copiar o trabalho de outro estudante!” O cara tem olhos atrás da cabeça? Ele se levanta, caminha até nossa mesa e pega minha folha.

Após um curto aceno, ele coloca de volta na minha frente. “Está errado de qualquer jeito. Na próxima copie de outro.” Ele sacode a cabeça.
“Huh!? Angrod errado com mágica? O fim está diante de nós?” Celes pergunta. Eu arqueio uma sobrancelha uma sobrancelha e dou outra olhada na minha folha, mas não acho nenhum erro.

“Um, você pode explicar o que eu fiz de errado?” Eu pergunto a Mirgurd. Então o professor suspira e respondo, “Você jogou ambas as runas uma sobre a outra. Elas tem que ser colocadas ao lado uma da outra e então você as conecta propriamente com padrões de conexão.”

“Huh!?!? Por que eu deveria fazer algo estúpido assim!? Você teria que interlaçar padrões ao redor de ambas as runas. Que dor de cabeça! É muito mais rápido conectá-las, dobrá-las e usar os padrões para consertar as conexões abertas restantes!” Eu deixo escapar.

Mirgurd olha para minha folha de novo com grandes olhos redondos. “Você pode dobrar runas?!” Ele pergunta e começa a murmurar para si mesmo.
Oh..oh.. Parece que ninguém teve essa ideia ainda. Merda! Maldita civilização atrasada! Eu perdi dinheiro de novo!

Celes puxa meu cotovelo, “Não se preocupe, se você não tivesse falado, eu teria. É uma ideia tão básica que até eu sei esse tanto.”

Devo me preocupar, ou ficar feliz que a Celes parece me entender melhor do que eu a entendo?


Contribua com a Novel Mania!