UD – Capítulo 105 – Uma Convocatória para Morte?



105. Uma Convocatória para Morte?

 
***Asheim, Câmaras Reais*** 

Eu me aconchego nos braços do meu marido adormecido. O rabo amaldiçoado está amarrado a um nó apertado no braço de uma cadeira próxima. Eu juro, eu vou usar essa coisa nele um dia!

As revelações de ontem foram muito assustadoras também. Todo o multiverso está em risco? E eu quase perdi o Aengus! Eu não quero perder minha família nunca mais.

Com sorte, a Comunidade Arcana vai encontrar uma solução. Eles têm muitos caras espertos afinal de contas. Então ainda há esperança? Talvez o Angrod encontre uma solução. Apesar dele não soar muito esperançoso pra mim.

Eu me levanto para fazer algum café da manhã pra mim e pro Angrod. Ah, eu posso dar uma olhada no Aengus e Sharid enquanto estou nisso. Eles forem muito machucados pela calamidade quando foram pegos.

Então eu parti em direção a sala de estar após me vestir. Mas na sala de estar eu apenas encontro um sofá vazio. Sharid e Aengus se foram! Eu me viro e corro em direção aos meus aposentos.

“Angrod! Angrod? Você viu o Aengus e Sharid?” Eu pulo no Angrod e começo a sacudi-lo de seu sono.

“Hmmm… não…. por quê…..”

Dorminhoco estúpido! “Eles se foram! Você sabe onde eles estão?”

Angrod se levanta ereto e olha para mm. “O que você quer dizer? Se foram?”

É então que eu escuto uma sirene de fora da janela e a luz dentro do nosso quarto fica vermelha. Isso deve ser controlado pela Guarda, então isso não me surpreende realmente.

~Nós temos uma falha de segurança. Agentes da Calamidade estão tentando ganhar acesso ao meu núcleo de cristal. Parece que Aengus e Sharid estão com eles.~ 

“O quê?” Eu grito para o teto enquanto o Angrod me empurra e começa a se vestir. Ele tem sua armadura e armas aqui porque ele não se trocou desde que salvou o Aengus.

“Parece que eles foram tomados. Apesar de eu ter checado eles, mas obviamente a intromissão da Calamidade foi escondida melhor do que eu pensei! Eu tenho que pegar algo primeiro! Vá e ajude a pará-los.” Angrod desaparece usando um caminho!

Bastardo! Ele não me disse os planos dele de novo! Mas eu não tenho tempo para me preocupar. Eu tenho que salvar o Aengus! E se ele for morto pelos guardas?

A sala com o núcleo de cristal da Guarda é fortemente protegida. Ninguém tem acesso exceto alguns indivíduos seletos. Ou seja, Angrod e eu!

Eu uso um caminho para ir diretamente em direção ao arsenal. Entrar em uma luta enquanto despreparada não é nada esperto. Então eu vou gastar um precioso minuto para me equipar primeiro!

Após empurrar um guarda de lado, eu escolho minha armadura e duas espadas curtas de cristal. Eu tenho minhas adagas que estão escondidas como presilhas também. Mas para lidar com esses demônios eu preferiria algo com um alcance levemente maior.

Fazer algo como se preparar para uma luta dá a sensação de que leva séculos, apesar de na verdade levar apenas alguns momentos.

Ao usar outro caminho, eu apareço diretamente no fundo da torre central. A Câmara com o núcleo de cristal da guarda está abaixo da torre e é protegida por um campo de amortecimento. Todas as nossas instalações vitais são protegidas dessa forma.

Caso contrário qualquer um poderia simplesmente teleportar para dentro e para fora como bem entendesse. Eu apareço diretamente em uma luta entre meus guardas reais e algumas pessoas que se parecem com cidadãos normais. Eles são deuses aleatórios que foram pegos pela calamidade?

Merda! Nós fomos relaxados demais com a nossa segurança. Não há nenhuma restrição em visitar e sair de Asheim. Eles foram capazes de caminhar diretamente em frente a nossa torre antes de começarem seu ataque!

Um cara aleatório corre em minha direção e tenta me perfurar com uma lança de cristal. Mas eu esquivo com uma pirueta enquanto uma das minhas espadas açoita seu pescoço e clama sua cabeça.

Eu não vou morrer aqui por mostrar piedade com pessoas controladas. Mas como eu vou ser capaz de parar o Aengus e a Sharid sem feri-los?

Eles são mais fracos que eu. Isso é certo. Mas eu não estou confiante em conseguir pará-los sem causar danos.

“Rainha! Você tem que entrar! Alguns deles passaram antes dos reforços chegarem! Alguns dos embaixadores foram atrás deles.” Um guarda me informa da situação e eu me viro para correr para dentro da torre.

Alguns dos embaixadores estão aqui? Eles foram rápidos! Mesmo eles ouvindo o alarme ao mesmo tempo que eu. Mas eu desperdicei algum tempo com o Angrod para me preparar.

Há alguns funcionários caídos no meu caminho, mas eu não tenho tempo de checá-los. Após alguns curvas e curtos corredores, eu chego na escadaria que leva ao porão da torre.

Eu sigo com grandes passos assim que eu escuto os sons de uma batalha diante de mim. O arranjo do porão não é nada complicado. Há só um grande e longo corredor no fim das escadas.

Do grande corredor devem se espalhar alguns corredores menores para esquerda e direita. Eles estão conectados à algumas salas que são usadas como escritórios e depósitos.

No fim do grande corredor está uma porta em direção a sala de controle com o núcleo de cristal da Guarda.

Eu ponho os pés no corredor e encontro alguns guardas e Carne, Miruliru e Chiffre em uma batalha com vários agentes da Calamidade. Gwallona está caído no chão e Zanders está cuidando dela.

Aengus e Sharid estão com os atacantes. Eles superam os defensores por uma grande margem. Bom que eles estejam virando as costas para mim, então eu pulo na batalha enquanto corto e fatio meu caminho na direção de Aengus.

Com sorte alguns reforços chegarão em breve. Mas agora, alguns dos atacantes começam a me perceber e três agentes se viram em minha direção para bloquear meu caminho.

Isso é ruim. Eu não tenho tempo para isso! Eu canalizo minha mana na minha adaga para ativar magia de reforço e pulo neles.

Minha aparição tirou o ímpeto do ataque inimigo. Então os defensores começam a formar um fronte fechado enquanto protegem a entrada para a sala de controle central.

Eu iludo um dos meus inimigos enquanto dou uma facada no segundo e corro direto pelo terceiro. Meu alvo é o Aengus.

“Aengus!” Eu grito para ele enquanto corro para mais perto e ele me dá um sorriso presunçoso enquanto prepara uma espada de cristal.

“Não se preocupe, mãe. Tudo vai acabar em breve.” Ele me golpeia e eu bloqueio o ataque com uma das minhas espadas.

“Lute contra isso! Esqueceu quem você é!? Você não é assim!” Eu tento apelar a ele, mas não há sinal de perplexidade em sua face.

Após trocar alguns golpes com Aengus, eu percebo ele ficou muito melhor com uma espada de repente. A batalha se aquece ao nosso redor e eu tento encontrar uma abertura na defesa de Aengus.

De repente meus pés são varridos por baixo e eu caio de costas enquanto perco uma das minhas espadas. Ao virar minha cabeça, eu vejo que Sharid me deu um golpe por trás.

Aengus chuta minha segunda espada das minhas mãos e levanta sua espada acima de mim para acabar com isso. Não pode ser! Eu quero gritar, mas palavras nenhumas saem. Tudo aconteceu tão rápido!

Sua espada desce em estocada em minha direção e de repente a sala é preenchida com cintilantes luzes azuis. Uma delas soca um buraco na testa de Aengus e sua espada perfura o chão bem ao lado da minha cabeça.

Seu corpo mole cai sobre mim enquanto minha mente fica em branco. Os agentes da Calamidade começam a cair no chão por todo nosso redor, compartilhando um destino similar.

“Aengus? Aengus? Fala comigo!” Eu rolo seu corpo de cima de mim e olho em seus olhos mortos que encaram o nada.

Eu tento curá-lo, mas não funciona. É como se sua alma tivesse deixado o corpo. Ao olhar para cima eu vejo Angrod na entrada do corredor.

As pequenas luzes azuis estão começando a se reunir ao redor dele e eu as reconheço como pequenos cristais. Ele tem seu cajado a sua esquerda e um cristal azul do tamanho de um punho paira acima de sua mão direita pulsando em uma luz azul.

A luta começa a encerrar enquanto ele começa a caminhar para frente com uma expressão triste em seu rosto. Os pequenos cristais azuis ainda estão orbitando ele como pequenas facas mortais.

“O que você fez!?!” Eu grito com ele com lágrimas em meus olhos.

““Apenas a coisa certa. Eu sempre faço apenas a coisa correta, mas isso sempre acaba em dor e sofrimento.”
 Angrod responde com uma expressão aflita.

Eu pulo e corro em direção a Angrod enquanto passo pelo corpo morto d Sharid. Um enorme buraco está em seu peito. “AAANNGROD!” 

Mas um pequeno cristal dispara soca através da minha perna esquerda. Foi tão rápido, eu nem mesmo vi. Enquanto eu tento dar um bom soco nele, meu punho colide com um campo de força azul meio metro à frente de Angrod.

Ele me atacou!? Como pode ser? Eu caio de joelhos na frente dele. Eu não consigo me levantar com o machucado na minha perna. De alguma forma a maior parte da minha mana se foi! Eu não consigo mais nem me levantar direito.

“Apenas descanse aqui.” Angrod passa por mim em direção à câmara central.

“O que você acha que está fazendo?” Carne bloqueia o caminho de Angrod.

*TROVÃO*

Um clarão de luz azul golpeia Carne e o joga vários pés de distância para trás em uma parede. Ele apenas cai ao chão e não se move mais. Armas estão preparadas por todos os lados e viradas em direção ao Angrod.

“Palácio! Hackeie e delete a Guarda.. Ela não é mais necessária. Então tome controle de Asheim.” Angrod dá um comando insano.

~Afirmativo!~ 

Uma voz sai do cristal azul na mão direita de Angrod e confirma a ordem.

~O que… você.. acha… EU… NÃO!… PROTEGER… Por quê?~ 

“Você não está sob meu controle direto Guarda. E eu temo que você resistiria aos meus próximos comandos.” Angrod caminha adiante continuamente enquanto faz tudo isso.

Miruliru caminha para frente da câmara central e ergue uma barreira. “Eu não sei o que deu em você, mas isso para aqui! Eu sempre tive desgosto da sua atitude nojenta, mas isso supera tudo até agora!” Os outros começam a se juntar a ela enquanto despejam seu poder na barreira que impede o avanço de Angrod.

Ele põe uma mão na barreira e fagulhas de energia começam a correr de um lado para o outro entre si. “Não deu nada em mim. Eu só percebi que fazer as coisas certas não vai atender meu resultado desejado. Eu tentei fazer a coisa certa, mas o multiverso não parece reconhecer isso. Então eu vou fazer as coisas erradas pra variar. É uma aposta.” 

“Eu não entendo do que você está falando!” -Chiffre

“Você não precisa entender. Você só precisa morrer.” Angrod dá um sorriso de esguelha e começa a avançar adiante.


“~Todos. Tem que morrer.~”


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Heaven   |   QC: BravoED



Fontes
Cores