GoC – Capítulo 141 – Todos reunidos (7)



A fuga do Bomber!

Ele era um criminoso terrível que fazia bombas com um grande poder de destruição, tudo para cometer atos terríveis. Ele estava envolvido em um caso que parou o país. Mas o grande problema atual era sua fuga.

“Você se sente em casa?”

“…”

“Wah? Sabe? Vou te dizer a verdade. Você estará de volta à sua casa em duas horas, você realmente tem um ótimo instinto de direção.”

Yoo Cheol Ho olhou para o investigador encarregado do seu interrogatório.

“Investigador-nim. Vamos ser honestos aqui, já que nos conhecemos muito bem. Me dê uma caneta e te direi quem é que liderou a fuga de Kim Tae Sung e tudo o mais que quiser saber.”

O investigador estalou a língua e murmurou:

“É porque você já escapou da cadeia duas vezes? Bem, é bom que isso acabe logo.”

“Mas eu tenho uma condição.”

“Qual?”

“Quando a investigação acabar, quero ir para outra prisão…”¹

“Se você cooperar, farei o possível.”

Assim, toda a verdade por trás da fuga da Penitenciária Fênix Vermelha foi revelada por Yoo Cheol Ho. Um gemido escapou da boca do investigador.

“Kuoooh… F-Fantasma e o Bomber estão juntos. Se o comissário ouvir sobre isso, então ele ficará com dor de cabeça por um bom tempo.”

“Sim, é tudo verdade. Desta vez não fugi de propósito. Eu fui forçado pelo Fantasma… O Investigador-nim não conhece os truques dele?”

Então o investigador riu:

“Mesmo? Então isso também é falso?”

Ele pegou o gravador que tinha a gravação de voz de Yoo Cheol Ho. Os olhos de Yoo Cheol Ho tremeram ao ver isso.

“F-Fantasma tem a capacidade de mudar seu rosto e sua voz…”

“Mesmo? Então eu deveria discutir isso com o diretor. De qualquer forma, não vou esquecer o que me disse.”

O que? Discutir com o diretor?

O rosto de Yoo Cheol Ho ficou branco como papel.

O gravador mostrava que ele traiu até o diretor. Ele estaria morto se isso alcançasse os ouvidos dele!

 

*   *   *

 

O comissário de polícia recém-nomeado, Chae Bum Ho, estava comendo em um restaurante coreano de alta classe. Havia iguarias como abalone, sashimi, enguia assada, caviar e etc. Mesmo assim, ele não parecia impressionado.

Um homem de trinta anos com uma atmosfera assustadora estava sentado diante de Chae Bum Ho.

“Sim, Senhor Park. Você fez tudo?”

Senhor Park colocou wasabi em cima de seu sashimi e disse:

“Não se preocupe. A evidência de que Hyung-nim está relacionado conosco foi eliminada.”

“Mesmo? Se for assim… você trabalhou duro.”

O rosto rígido de Chae Bum Ho suavizou. Ele pegou a colher e começou a comer arroz.

O Senhor Park terminou seu sashimi e estendeu a mão para a carne grelhada. O carvão passava um tipo de aroma de dar água na boca.

“A carne é realmente macia.”

“Entendo. Coma bem.”

“Ah, certo, hoje Hyung-nim é uma pessoa renascida que não tem nada a ver com a Yakuza. Parabéns. Vamos tomar um drink.”

O Senhor Park passou uma dose de saquê para Chae Bum Ho.

Suas palavras eram perigosas, mas não havia necessidade de se preocupar com alguém escutando. Este era um lugar onde grandes executivos de empresas e burocratas poderosos se reuniam. Assim, era estritamente gerenciado. Conversas secretas eram compartilhadas durante as refeições, e definitivamente não vazariam.

Chae Bum Ho e o Senhor Park beberam o saquê e sorriram um para o outro.

“Para o recém-nascido Hyung-nim!”

Chae Bum Ho sorriu satisfeito.

Com isso, ele poderia se concentrar em pegar o Fantasma sem se preocupar com nada. Não tinha sido exposto, mas a Yakuza japonesa já estava profundamente enraizada na sociedade sul-coreana.

“Então eu gostaria da sua ajuda com o Fantasma, assim como para encobrir o caso do Grupo Taesung.”

“Kukukuku. O Fantasma não sabe o tamanho do grupo contra o qual declarou guerra. Apenas a ponta do iceberg está a mostra.”

Chae Bum Ho era o comissário de polícia local. Ele tinha recebido créditos por acabar com o caso de uma doença misteriosa e foi considerado um gênio em aproveitar as oportunidades disponíveis. Embora o Bomber tivesse fugido, ele esteve preso. Esse caso não seria muito mencionado.

“Por favor, note que a pesquisa está sendo realizada em segurança. Tudo isso graças aos esforços do Hyung-nim.”

“Sim. Desta vez, preste mais atenção ao gerenciamento da equipe.”

“Haha! Não se preocupe. Mais cedo ou mais tarde vou usar esse rosto para entrar no mundo político. Então poderemos nos concentrar ainda mais na pesquisa.”

Chae Bum Ho sorriu diante das palavras do Senhor Park.

“Então vamos falar sobre o Fantasma.”

O Senhor Park respondeu com um sorriso:

“Ele é nosso inimigo. Que outra explicação é necessária? A organização dará todo e qualquer apoio.”

“Eu ouvi de Kazuo Hyung-nim. Mais cedo ou mais tarde, um grande plano para exterminar o Fantasma será colocado em ação. O quê? Trabalhar com criminosos para pegar criminosos? Vou deixá-lo saber quem é que manda na casa em que ele está brincando.”

A Yakuza e a polícia tinham um objetivo em comum: o Fantasma.

Naquele momento, algo vibrou.

“Hyung-nim. Isso é uma mensagem?”

“Eu disse para não entrarem em contato comigo enquanto eu estou comendo…”

“Deve ser por um motivo importante. Você pode conferir.”

Chae Bum Ho olhou para a tela de seu celular e ficou sem palavras.

“Hyung-nim?”

O Senhor Park levantou-se e aproximou-se de Chae Bum Ho, que ficou como uma estátua, imóvel, como pedra. O que diabos tinha acontecido?

Ele olhou para o celular de Chae Bum Ho. Estava escrito que o Fantasma liderou a fuga do Bomber.

“Hu, huhu, huhuhuhuhu…”

Chae Bum Ho riu baixinho. Então, ele murmurou:

“Você se atreveu a fazer isso?! Sim, vamos brincar então Fantasma. Vou tomar isso como uma declaração de guerra. Sim. Agora é guerra.”

No dia seguinte, a polícia mudou sua situação política de cooperação com o Fantasma para perseguição. O Fantasma tinha que ser preso. Foi uma declaração de guerra contra o crime.

 

*   *   *

 

Em uma aldeia rural isolada nas profundezas das montanhas da Província de Gangwon, havia um lugar onde os turistas raramente iam.

Ali tinham apenas vinte residências e até mesmo esse número estava gradualmente diminuindo. No entanto, houve um boom repentino há algum tempo. Cerca de uma dúzia de homens robustos chegaram à região para investir na agricultura.

Esta foi a primeira vez.

Além disso, as colheitas deles eram muito mais lucrativas do que as anteriores. Era como se estivesse literalmente colhendo ouro. As minhocas amavam esses produtos.

A aldeia restringiu o acesso de estranhos por completo. A vantagem era que as pessoas não podiam entrar na aldeia, a menos que atravessassem uma longa ponte que ficava entre dois penhascos.

“Hwang-ssi! Ouvi dizer que a colheita do mês passado foi de dois mil²?”

“Huhu, foi quinhentos³ a mais do que o esperado. Isso foi devido ao excesso de chuva.”

“Mas as colheitas também estão muito boas agora. Se isso continuar, então poderemos colher mais do que o normal.”

“Haha. Eu não sabia que cevada poderia ser vendida por tanto.”

O velho disse isso, mas ele sabia a verdade. As plantações cultivadas eram drogas. No entanto, ele descobriu essa coisa aterrorizante tarde demais. Os números escritos na conta da Federação Nacional de Cooperativas Agropecuárias (FNCA) estavam ficando maiores e a aldeia estava enriquecendo. Ele poderia ignorar seu peso na consciência. Ele não estava em contato com sua família há vários anos e a mudança da aldeia foi incrível.

“Huhu, vou sair para trabalhar nos campos hoje…”

As pessoas velhas seguiam atrás das jovens, que tinham vindo da cidade. No entanto, as coisas que carregavam eram estranhas. Eles estavam segurando rifles negros, e não arados ou foices. Eram acompanhantes, os cães de guarda dos mais velhos.

Quando os mais velhos chegaram aos campos, viram algo vermelho.

“O quê? I-isso…!”

“Os campos estão queimando!”

“F-fogo!”

Eles largaram o equipamento agrícola que estavam carregando. A pessoa que estava segurando o volante do trator saiu correndo. A visão diante dos olhos de todos era completamente diferente.

A fazenda de drogas estava queimando como se uma bomba tivesse explodido. No meio de tudo havia uma máscara branca.

“U-uma pessoa?”

“C-como ele pode ficar lá sem se queimar?”

Enquanto os mais velhos olhavam, a pessoa mascarada desapareceu, como se fosse o vento. Apenas a máscara que ele estava usando ficou para trás, em um local completamente queimado.

Um homem com uma arma resmungou:

“Fantasma…?!” (Em japonês)

“F-Fantasma…”

O monstro com a máscara desapareceu como se fosse o vento depois de explodir uma das fazendas de drogas da Yakuza. Então, as sirenes da polícia foram escutadas tarde demais, estavam chegando à aldeia isolada.

 

*   *   *

 

Tang!

Um homem de terno branco e óculos escuros bateu na mesa.

“O-o que? Dez lugares foram destruídos em apenas uma semana?”

Ele era Kazuo Takeshi, o membro da Yakuza responsável por toda a Coreia do Sul.

“Eu achei que seria fácil administrar as fazendas. O que o Senhor Park está fazendo?”

Ele apertou o botão de chamada do celular com uma cara feia. Então, uma voz familiar soou:

– Desculpe Hyung-nim. Estamos fazendo o melhor possível, mas não conseguimos sequer um rastro…

“Isso faz algum sentido? O que Chae Bum Ho anda fazendo?”

– …

“Uma semana. Se vocês não pegarem esse bastardo em uma semana, as coisas não serão resolvidas com apenas um dedo.”

– E-entendido.

Kazuo desligou e murmurou:

“Como um único bastardo pode causar tanto dano? Droga.”

Havia uma placa com os seguintes dizeres diante de seu assento: Park Il Bu, Presidente das Indústrias Taesung. Era um título muito inferior ao que ele era chamado por seus homens. No entanto, era necessário esconder sua identidade como um membro da Yakuza na Coreia do Sul.

“Se os suprimentos atrasarem, a pesquisa será adiada e nosso desejo…”

Foi naquele momento. Houve um flash, o escritório onde Kazuo estava foi atingido por uma enorme explosão.

Kwa kwa.

Kwa kwa kwang!

Parecia que um trovão tinha caído bem ali. Kazuo morreu antes de sentir qualquer dor.

Tae Hyuk observou a explosão a quinhentos metros do Edifício Taesung.

“Ah, não foi o momento certo.”

Ele queria fazer um discurso antes da detonação, mas acabou explodindo o prédio cedo demias. Não era algo que poderia ser solucionado.

“Ah, eu não sei.”

Tae Hyuk apontou para o prédio em chamas.

“Fogo!”

Era um pouco tarde, mas ele ainda se sentiu bem. Ele destruiu a base do inimigo e seus suprimentos. A única coisa que restava era lidar com os remanescentes.

“Agora, meu turno ainda não acabou.”

A Yakuza e a polícia estavam procurando por ele ao mesmo tempo.

No entanto, os movimentos do Fantasma não ficaram mais lentos. Ele estava sempre um passo à frente de todos.

Tae Hyuk destruiu os lugares administrados pela Yakuza.


Se você gosta do nosso trabalho e quer nos ajudar,
não esqueça de nos Avaliar e dar seu Feedback,
isso é muito importante para todos nós.
🉐


Tradutor: Fefe  |  Revisor: Ryokusan000  | Editor: Blame


Nota 1: Esse tá que não passa um peido, se ele voltar para a Fênix Vermelha tá morto kkk

Nota 2: O tradutor gringo não explica se isso se trata de toneladas, quilogramas ou o que…

Nota 3: Mesmo caso da nota anterior.



Fontes
Cores