DDf – Volume 3, Capítulo 4.3 – NÉVOA DE GUERRA



O Rei da Escória, 71º Rank, Dantalian,

Calendário Imperial:11/03/1506

Planície de Neris, Acampamento do Exército das Planícies

 

 

“Shh.”

Barbatos me acordou.

“Fique em silêncio.”

Meu corpo havia se esgotado depois de me exercitar com a Barbatos desde o meio-dia, então eu havia caído no sono. Barbatos também não deveria estar completamente recuperada da exaustão. No meio desta noite, durante esta noite tão bela em que não havia som algum, ela havia me acordado. Diga-se de passagem, as pessoas que eu mais odeio no mundo são aquelas que me acordam quando estou tentando dormir. Se você acorda outras pessoas, você é ou um psicopata ou um doente mental. Não adianta discutir comigo.

“Houve algum problema?”

“Me siga silenciosamente.”

Barbatos abaixou a voz e deu uma risadinha. Apesar dela ter me dito para segui-la, abruptamente ela agarrou a minha mão e começou a me puxar enquanto andava. No momento, Barbatos e eu estávamos total e completamente pelados, ou seja, sem um mísero pedaço de roupa sequer. Meu Deus. Barbatos estava tentando me arrastar para fora dos seus aposentos estando totalmente nu. Era complemente natural que eu ficasse chocado.

“Ei, você enlouqueceu?”

“Eu vou te mostrar algo bom.”

“Não sei o que é, mas não posso sair daqui pelado!”

“Eu disse para você ficar quieto, seu idiota.”

Barbatos continuou rindo baixinho. Ela era uma garota sem um grama de bom senso. A parte mais abominável sobre ela era o fato de que apesar dela ser completamente maluca, a sua força física era desnecessariamente grande. De onde ela conseguia tirar toda essa força com um corpo tão pequeno? Sempre que a Barbatos me puxava, eu era arrastado pelo braço dela como um gravetinho perdido na correnteza. Meu Senhor. Essa vadia louca realmente me levou para fora da tenda!

Era tarde da noite, então o acampamento estava quieto. As únicas luzes que brilhavam ao longe eram as tochas seguradas pelos guardas espalhados em patrulha. Eu reclamei:

“Salve-me, Oh Deusa Budista da Misericórdia!”

Sheesh, dá para calar a boca por um segundo? Você realmente não liga para o que os outros dizem, não é mesmo?”

“Você, logo você está me dizendo isso? Hã? Você está mesmo me dizendo isso?”

“Oh, Cinzas do Consolo.

Barbatos assoprou seu hálito sobre a sua palma. Então ela tocou meu rosto, pescoço, ombro, peito, e estômago, com sua mão direita. No momento em que ela fez isso, um calor aconchegante se espalhou das áreas tocadas. A noite agressivamente fria de inverno ficou tão quente quanto uma tarde de início de outono. Toda a neve que estava voando pelo ar derretia antes de poder tocar minha pele.

“Agora está melhor?”

“Obrigado, você tem minha gratidão. Estou realmente grato por isso, mas ainda resta uma certa questão mais fundamental, você também não acha que está ignorando um problema bem mais básico?”

“O fato de que você é feio?”

“Essa filha da p…”

“Mas que porra, eu estou te levando para te mostrar algo bom, então só me segue logo. Seria bom se só a sua rola fosse grande, mas a sua boca também é grande pra caralho. A sua língua é tão grande que provavelmente daria pra fazer uma rede de esgoto nela, seu broxa de merda. Será que eu não deveria arrancar essa latrina que você chama de boca e enfiar no seu cu? Seu saco de bosta inútil! Seu filho da puta, toda vez que você abre a boca, as pregas do seu cu arrombado batem palma, todo o cheiro de bosta do Mar do Norte e do Mar Branco vem de você, seu resto de estrume. Hm? Não me faça te arrombar tão forte que você vai cagar só diarreia e pingar merda pra todo lado que você se arrastar, pelo resto da sua vida. Cala essa buceta fodida que você chama de boca e me segue.”

“…”

Bater de frente com a Barbatos em uma disputa de xingamentos era algo incrivelmente idiota de se fazer.

Como eu era um indivíduo que foi acostumado com a boa educação e a bela etiqueta desde que nasci, além de ser completamente leigo nesta linguagem chula conhecida como ‘xingamentos’, não me restava outra alternativa além de ser arrasado pela terrível vilã Barbatos. O que eu poderia fazer contra os 500 anos de trabalho árduo e talento divino desta Lorde Demônio na arte dos xingamentos? Se nascer uma pessoa gentil e educada fosse pecado, então eu seria um pecador. Eu aceito graciosamente este meu crime.

Barbatos me levou para fora da base militar. Várias vezes nós quase fomos pegos pelas patrulhas. Enquanto evitávamos os guardas, nós fizemos curvas e meias voltas pelo acampamento. E nesse tempo, de vez em quando a Barbatos se virava e me beijava por motivo nenhum. A Barbatos era uma garota que beijava sempre que sentia vontade de beijar. Eu só podia me render.

Devido à neve, a parte externa do acampamento havia se transformado em um grande campo branco. Corpos haviam sido deixados sobre a neve, e acima deles havia caído ainda mais neve, fazendo com que os cadáveres afundassem ainda mais. Depois de chegamos neste local, Barbatos soltou a minha mão.

“Tudo bem. O que você planeja fazer aqui…?”

Barbatos andou em direção ao campo coberto de neve sozinha.

Ela estendeu os seus braços em direção à fonte de toda a neve, ao céu noturno. E então começou a cantar. Tentando imaginar que tipo de coisa ela estava fazendo no meio da noite, eu a observei.

Era uma canção sem letra, só sons.

Barbatos olhou para o céu como uma santa recebendo uma inspiração de Deus, e enquanto andava em meio à planície infinitamente branca, ela conduziu a nevasca em direção aos seus braços, dando a impressão que ela desapareceria para sempre em meio à neve.

Era difícil distinguir entre o campo coberto de neve e o corpo nu da Barbatos, puramente branca.

A sua canção parecia vir da própria nevasca e não das suas cordas vocais, a tempestade de neve parecia estar chorando neste céu invernal.

 

 

O próprio inverno estava em prantos sob este céu. Os gritos de tristeza do inverno penetraram facilmente no calor que estava cobrindo a minha pele. Eu senti meu pescoço esfriar.

Colocando mais força na sua voz, lentamente a canção da Barbatos ficou mais poderosa. Ela abriu mais a sua boca e quase fechou seus olhos. A garota recebia a nevasca vinda por cima de si enquanto cantava, e fazia com que o vento girasse e voltasse para o céu. Eu senti a sua voz entrando em uma frequência vocal que meus ouvidos não captavam.

Ah –… o vento nevado carregava a sua canção. Sendo levada pelo vento, a canção se espalhou deste lado do campo nevado para o outro, foi em direção das florestas de choupos, passou entre as presas do lobo que estava nos observando silenciosamente da borda da floresta, e penetrou nos cadáveres com seus rostos enterrados na terra congelada. A canção foi ainda mais longe, alcançando lugares ainda mais afastados, locais ainda mais remotos, a nevasca se infiltrou por todos os lugares, e junto a ela estava a canção da Barbatos.

Thuck.

Debaixo da terra nevada, um braço apodrecido de um corpo se levantou. Pedaços de carne haviam sido arrancados do braço, revelando seus ossos. Era possível ver a neve presa aos seus ossos. Fazendo ‘thuck’, o som produzido quando alguém amassava neve ecoou baixinho sobre o campo. ‘Thuck, thuck‘, toda vez que este som ressoava, braços saíam da neve. Como se estivessem tentando agarrar algo, as mãos congeladas balançavam no espaço vazio. Centenas, milhares de mãos se levantaram em direção ao céu.

Lentamente a canção da Barbatos chegou ao fim. Com ela no centro, um número incontável de braços mortos havia saído da neve. Olhando para os esqueletos ao seu redor, a Oitava Lorde Demônio falou:

 

— Todos vocês. Voltem à vida.

 

Eles estavam esperando essa frase?

Os movimentos dos braços pararam. Então na área vazia diretamente acima do campo nevado, os braços cerraram seus punhos. Conforme os corpos se levantaram, montes de neve se espalharam no ar. Quando milhares de pilhas de neve foram ao ar simultaneamente, a nevasca ficou ainda mais intensa, e então, lentamente se acalmou. E quando parou, milhares de corpos estavam de pé sobre a planície branca.

Barbatos suspirou. Uma nuvem de fumaça branca saiu dos seus lábios. Eu olhei para ela.

“Como foi?”

Barbatos perguntou.

“Apesar do friozinho, foi uma boa ideia ter me seguido aqui, não?”

“…O que é que você acabou de fazer?”

“Hm? Estava reabastecendo as tropas.”

Ela respondeu imediatamente.

Reabastecendo as tropas? Como é que isso podia ser chamado de reabastecer as tropas? Essa garota era completamente louca.

Eu havia acabado de testemunhar um certo nível de habilidade que eu jamais alcançaria, não importando o quanto eu me esforçasse. E também havia testemunhado a razão para o sistema social do mundo dos demônios, que era similar ao tribal, ainda não ter desmoronado. Os Lordes Demônios não eram só nobres, eles também eram sacerdotes, xamãs, e santos. Os outros demônios eram obedientes porque temiam a força aterrorizante contida pelo título divino de Lorde Demônio.

Um dia minha autoridade pode crescer o suficiente para permitir que eu controle a vida das outras pessoas como eu bem quiser. No entanto, eu jamais poderei controlar o que não tem vida. De repente a minha habilidade política se tornou uma mera brincadeira frente ao poder da Barbatos. Como eu ia lidar com isso? Como eu ia conquistar isso? Sem ter certeza de como aceitá-la, eu perguntei:

“Barbatos, quem é você?”

Barbatos levou seus lábios a um cadáver. Ela não fazia distinção entre os corpos com carne ou que restavam só ossos. Ela abençoou todos eles com um beijo. Uma rajada de vento nevado cortou o campo. Com a cabeça de um corpo em suas mãos, Barbatos virou seu rosto para olhar para mim.

Ela deu um grande sorriso.

“Uma desgraçada.”

E então, o exército de esqueletos avançou.

 

 

O Guardião do Norte, Marquês de Rosenberg, Georg von Rosenberg

Calendário Imperial:12/03/1506

Planície de Neris, Acampamento do Exército Imperial

 

O inimigo chegou do outro lado do campo encoberto pela neve caindo.

Era noite. Escutando o batedor que havia chegado para dar seu relatório, eu fui para fora da tenda. A nevasca e a névoa haviam se fundido, tornando difícil distinguir qualquer coisa à minha frente. O batedor estava ofegando fortemente.

“Eu vi. General, eu vi mesmo. Eu tenho certeza. Cadáveres, cadáveres congelados se aproximando como um enxame. Ah, eu vi mesmo…”

Eu bati a neve do ombro do jovem com as minhas mãos. Na Casa dos Rosenberg, os registros das guerras escritos pelos nossos antepassados eram herdados de geração para geração. O relatório que o batedor havia dito era bem fiel a uma característica atribuída à Lorde Demônio Barbatos. Não havia nada de estranho nele.

“Não se preocupe. Eu acredito em você.”

“Você acredita nisso, Sir Rosenberg? Você realmente acredita nesse testemunho imbecil?”

O Príncipe Herdeiro, que havia chegado rapidamente ao escutar sobre o relatório urgente, riu caçoando. Ele estava vestindo as suas roupas de dormir e estava com um casaco de pele sobre os ombros. Eu gostaria de saber se ele passou toda a noite bebendo, já que seu pescoço e seu rosto estavam vermelhos.

“Vejo que devido à sua idade avançada, os louvores sobre você ser um grande comandante estão ultrapassados. Se recomponha Rosenberg. Como é possível cadáveres se moverem?”

“A Líder inimiga é a Lorde Demônio Barbatos. Nos registros da última Guerra Santa, há muitas citações sobre a Barbatos utilizar as artes negras para controlar os mortos.”

“Ah, esses registros provavelmente estão errados. Você deveria pensar usando o senso comum. Este Grandioso Príncipe pode até estar bêbado, mas estou observando o mundo corretamente, e você parece estar sóbrio, mas ainda assim, está olhando o mundo de maneira torta. Isso é um problema que acontece quando você não bebeu álcool suficiente. Portanto, tome um pouco. Vamos nos deixar levar e desfrutar de um drinque.”

“Vossa Alteza Príncipe Herdeiro.”

“Oho? Você está dizendo que não vai aceitar um copo oferecido por mim?”

“Como este servo poderia…? Eu desejo apenas proteger o Príncipe Herdeiro dos demônios inimigos.”

“E uma pessoa que não foi capaz de defender uma mera parede pode conseguir me defender?”

O Príncipe fez uma observação desagradável. Eu me calei.

“Estou brincando. Não fique aborrecido.”

“O valor de suas palavras é imensurável, Vossa Excelência.”

“Oh meu caro, você realmente não quer beber comigo. Apesar de você, Sir Rosenberg, ser a pessoa que mais precisa de álcool agora. Este Nobre Príncipe está preocupado. Estou sinceramente preocupado, Sir Rosenberg. Como é que você poderia conseguir suportar a sua vida sem álcool?”

“Este subordinado planeja perseverar através das dificuldades.”

O Príncipe Herdeiro tirou uma garrafa do seu casaco de pele. Devido a ele estar bêbado, a garrafa escorregou das suas mãos. Ela caiu na neve, então não quebrou. ‘Oh Deuses, este bem tão precioso…’ disse o Príncipe Herdeiro fazendo um estardalhaço. Ele assoprou a neve que havia se prendido na garrafa. ‘Este bem tão precioso…’

Eu tentei ver através da nevasca, mas não conseguia enxergar nada. Apesar de não conseguir ver nada, ordenei os capitães para que organizassem as tropas. Os soldados que a Princesa Imperial havia deixado para a retaguarda eram todos, ou velhos e frágeis ou muito cansados e doentes, incapazes de aguentar o frio da noite. Os oficiais e outros soldados haviam colocado suas bestas no chão e estavam esfregando suas mãos contra as pernas para se esquentar. ‘Ah, este frio ainda vai me matar…’ os soldados velhos reclamaram. Os ‘Ah…ah…’ de reclamações se misturaram com os sons produzidos pela nevasca.

O Príncipe perguntou:

“Então, a Elizabeth também te disse para morrer?”

“Sua Alteza a Princesa Imperial disse a este vassalo que daria a ele um local apropriado.”

“Oh? E esta cova fica junto à da Família Imperial?”

“Este servo não sabe.”

“Então você vai morrer sem saber.”

Disse o Príncipe Herdeiro com a voz sem emoções.

“A Elizabeth é um diabo. Eu sei que ela é um diabo. Você já encarou os olhos vermelhos dela por muito tempo? Eu já. Deu para sentir cheiro de sangue. Ela é alguém que faz o cheiro de sangue surgir onde quer que ela olhe…”

De repente, eu fiquei curioso. Como foi a infância da Princesa Imperial? Ela já era como é atualmente desde jovem? Ela realmente era assim desde o princípio? Eu tossi. Senti uma sensação molhada nessa tosse. Graças aos meus anos de experiência, eu sabia que quando uma tosse seca ficava molhada, tratava-se de um mau presságio.

“Vossa Excelência, aconteceu alguma coisa no palácio?”

“…”

O Príncipe bebeu seu álcool sem responder. Apesar de ele estar olhando para a mesma direção que eu, não parecia que estávamos olhando para o mesmo local. Parecia que para o Príncipe Herdeiro, a nevasca que nos agredia parecia ser uma ilusão. O Príncipe Herdeiro falou:

“Isso tudo é culpa do meu pecado.”

Depois disso ele não falou mais nada.

O Príncipe Herdeiro, Rudolf von Habsburg, era inferior à sua irmã mais nova em todos os sentidos. A rebelião que ele não conseguiu suprimir em 7 meses com um exército de cinco mil homens, foi aniquilada em 15 dias pela Princesa Imperial com um exército de mil homens. A língua antiga, em que o Príncipe Herdeiro só ficou proficiente aos 14 anos, foi completamente dominada pela Princesa Imperial com 5 anos. Conforme o governo ruim de Sua Majestade o Imperador continuava, os nobres começaram a desejar um monarca competente. O Príncipe Herdeiro era ideal[1].

“Você está vendo aquilo?”

Ele murmurou.

Não sabendo o que eu deveria estar vendo, eu olhei para o Príncipe. Estávamos em cima da colina, e ele estava olhando para baixo, em direção à base dela.

“Alguém está ali.”

A névoa da madrugada não tampava bem a parte baixa da colina. Uma perna muito fina saiu de dentro da nevasca. O pé dele pisou no caminho inclinado e enevoado que levava morro acima. Quando deu outro passo à frente, ele deixou uma pegada no local onde esteve antes, e a marca que o pé dele deixou tinha o formato de ossos.

 

 


Tradutor: Yuere   |   Revisor: Ryokusan000


 


Notas:

 

[1] – ‘O Príncipe Herdeiro era ideal’ – Essa frase está estranha, pessoalmente eu acho
que ele deveria estar falando da Elizabeth, mas no livro fala mesmo dele, pode ser um erro, mas não quis mudar.

Agora vamos conversar um pouco sobre a tradução de ddf (fiquem a vontade pra ignorar isso):

Só pra deixar alguns esclarecimentos aqui…

1- Alguns personagens, como a Lapis e agora o Rosenberg usam ‘this one’ pra falar de si mesmos, isso seria uma forma de se expressar se rebaixando perante outra pessoa, mostrando muita deferência. Se traduzir literalmente ficaria ‘essa uma/ esse um’ , então adapto para ‘Esta(e) servo(a)/subordinada(o)…’ então se verem algo assim, eles estão sendo respeitosos, mesmo que sarcasticamente.

2- Dantalian o rei da ‘escória’ – Esse escória é uma liberdade de tradução minha, o autor/gringo usa o termo peasant, que pode ser traduzido como ‘camponês, aldeão…’ e ele usa o termo ‘commoner’ pra se referir aos plebeus, beleza até aí tudo certo. Mas, porém, contudo, todavia, ele usa esse ‘peasant’ pra se referir a pessoas como a Lapis, a Laura, as bruxas, prostitutas, mestiços… Então na minha opinião ‘camponês’ e ‘aldeão’ não combina muito bem, por isso mudei para ‘escória’, como eles estão muito abaixo da sociedade, dos plebeus normais, e o Dantalian é o rei da escória, das bruxas, mestiços, prostitutas, humanos, etc.   Se não gostarem dessa adaptação é só dizerem nos comentários, eu mudo de acordo com suas sugestões.

3- Uso de pronomes, como ddf é em primeira pessoa os personagens usam repetidamente os mesmos nomes e pronomes, ‘this one, this one, this one’ ‘Dantalian, Dantalian, Dantalian’ ‘Imperial Princess, Imperial Princess,Imperial Princess’ ‘Your Highness, Your Highness, Your Highness’ . Não sei em inglês, mas repetição nesse nível em português fica horrível, então eu tomo a liberdade de mudar um pouco, trocando pronomes e evitando um pouco a repetição, mas se quiserem eu deixo repetido pra ficar mais próxima ao original.

4- Eu traduzo devagar mesmo.


Fontes
Cores