DDf – Volume 3, Capítulo 4.2 – NÉVOA DE GUERRA



O Guardião do Norte, Marquês de Rosenberg, Georg von Rosenberg

Calendário Imperial: 11/03/1506

Planície de Neris

 

Os soldados e os outros homens não conseguiram me reconhecer quando eu me aproximei andando com uma bengala. Depois de ter mostrado o anel da Casa dos Rosenberg, o guarda do portão continuou com um pouco de dúvida. Minha aparência estava suja e desgastada. ‘Eu vou lá perguntar, no entanto, não espere muita coisa’, disse o guarda do portão, e foi informar os responsáveis sobre a minha chegada.

Depois de um longo tempo, um capitão chegou trazendo uma corda de amarrar criminosos. Era um capitão que eu conhecia. Incapaz de me tratar como um criminoso, ele gaguejou.

“Eles disseram que o crime de nos causar derrota foi algo abominável…”

“Sua Alteza, a Princesa Imperial, ordenou que você me amarrasse?”

“Peço Desculpas, Vossa Excelência.”

Minha garganta estava ressecada. Eu tossi secamente. Desde que eu fui atingido na nuca e desmaiei sobre a neve, meus tossidos ficaram mais frequentes. Este som cortante que só veio me atacar depois dos sessenta anos estava me lembrando da minha idade. A senilidade que acompanhava o avançar da idade era dolorosa.

“Pelo que você precisaria se desculpar? Prenda-me.”

“Por favor, eu me sentirei ainda pior se não me ressentir.”

O capitão amarrou meus dois braços e me guiou até a base. Durante o meio-dia, haviam muitas áreas que ficavam expostas à luz do sol. E os soldados se juntavam nesses locais iluminados para conversar sobre qualquer coisa. Assim que o capitão começou a guiar um homem idoso preso por uma corda, os soldados se viraram para a nossa direção. Alguém deve ter reconhecido meu velho corpo, já que o meu nome começou a se espalhar imediatamente.

— Aquele é o Marquês de Rosenberg.

— Bem, a razão pela qual o nosso território foi tomado no outro dia…

Os oficiais e outros soldados sussurraram. Eu me senti como se meu corpo estivesse completamente exposto e até os meus ossos estivessem à mostra. A tenda para qual o capitão me guiou não era a usada para os conselhos de guerra, mas sim para a tenda pessoal da Princesa Imperial.

“Eu trouxe o general derrotado, Vossa Alteza.”

General derrotado.

Estremeci. A vergonha que eu senti penetrou mais profundamente na minha mente agora do que quando estava andando em frente aos soldados.

A Princesa Imperial não respondeu. A sua sombra podia ser vista vagamente através do tecido branco da tenda.

“Vossa Alteza.”

O capitão chamou mais uma vez. Sem resposta. Muito confuso, o capitão se virou para olhar para mim. Parecia que o soldado não tinha coragem de pressionar ainda mais e chamar novamente a Princesa Imperial, ela era tão intocável quanto o céu, ele não ousava chamar uma terceira vez. Limpei a minha garganta.

“Vossa Alteza, este servo veio a ti para se curvar.”

“Entre.”

A voz de uma pessoa muito refinada veio de dentro da tenda.

Entrei no local como se fosse um criminoso. A Princesa estava sentada à mesa lidando com documentos. No centro da tenda, havia vapor subindo de um balde cheio de água quente.

Mesmo depois de eu ter entrado, ela continuou apenas trabalhando com os documentos. Parecia que ficar na tenda de Sua Alteza por muito tempo estava deixando o capitão junto a mim extremamente angustiado. Dentro do local, apenas o som de uma pena riscando papeis com tinta ressoava. Apesar do tempo passar com a mesma velocidade não importando onde você esteja, o capitão parecia não conseguir suportar ficar neste local isolado por tanto tempo. A Princesa Imperial falou:

“Você pode se retirar agora, capitão.”

O oficial saiu rapidamente.

Só então ela se levantou. Os seus olhos tão vermelhos quanto sangue fitaram meu rosto. Não haviam emoções neles.

“Sir Rosenberg.”

“Sim Vossa Alteza, fale por favor.”

“Foste derrotado.”

Eu caí de joelhos.

“Por favor, não perdoe este subordinado, Vossa Alteza.”

“Isso mesmo. É assim que você deve se comportar. No entanto, se eu não te perdoar, por acaso os soldados que foram mortos voltarão a vida? A cordilheira que foi invadida será bloqueada novamente? Nossos súditos, que foram queimados até a morte, continuam sendo cadáveres calcinados. Os soldados, cujo cerco foi rompido e tiveram que recuar, continuam sendo nossos soldados mesmo que tenham fugido.”

“…”

“Por que você perdeu?”

Com todos os detalhes, eu contei a ela tudo o que eu sabia.

A Princesa Imperial escutou silenciosamente enquanto eu falava. Depois de ouvir tudo, ela disse:

“Entendo, então aquele homem é o Dantalian.”

“Como Vossa Alteza sabe de tal…”

“Uma conhecida minha me mandou algumas informações. Assista também.”

A Princesa Imperial puxou um relógio de bolso de dentro das suas roupas. Assim que ela virou o ponteiro das horas do objeto, começou a sair fumaça de dentro dele. Uma tela transparente formou-se meio indefinidamente na fumaça. Um Artefato Tocador de Memórias. Era uma ferramenta com preço exorbitante.

— Transformem este lugar em um Inferno.

— Mestre, o que quer dizer com ‘Inferno’?

— Eu consigo sentir um cheiro em algum lugar aqui. É o cheiro de gordura emanando de amontoados repugnantes de carne. É o cheiro de ganância e hipocrisia.

Meus olhos se arregalaram. Uma imagem do Dantalian apareceu na tela. Ele ordenou um massacre, um número incontável de humanos foram mortos. Eu segurei minha respiração. A Princesa Imperial desligou o artefato e me perguntou:

“Que tal? Você deve ter visto este Lorde Demônio pessoalmente.”

“Sim… Sem dúvidas, este é o Lorde Demônio Dantalian.”

“Não há nenhuma possibilidade deles terem conseguido alguém com o mesmo rosto dele e o fizeram agir como o Lorde Demônio? Além disso, não é possível eles terem contratado um grande número de magos para se disfarçarem e atuarem nesta cena?”

“Essa possibilidade é incrivelmente baixa. Vossa Alteza, este vassalo reconhece aquela bruxa que apareceu junto ao Lorde Demônio.”

“Quem é ela?”

“Nós trocamos golpes de espada dias atrás. Este servo até mesmo a cortou. Se essa cena do artefato for uma encenação, então seria difícil ela ter uma aparência tão idêntica quanto essa. Somado a isso, a garota nos braços de Dantalian é a sua General.”

A Princesa apoiou seu queixo com a sua mão e começou a pensar.

“Eu enviei uma pessoa para Pavia com o intuito de confirmar esse acontecimento. Aparentemente, houve mesmo um incidente em que o mercado de escravos foi atacado no outono passado. Os moradores de Pavia acreditam que tenha sido o ataque de uma besta demoníaca selvagem.”

“Vossa Alteza.”

“Muito provavelmente Dantalian massacrou estas pessoas, independentemente das suas raças, deliberadamente, para que pudesse disfarçar o ataque à feira como um ataque de bestas selvagens. Já que tanto humanos quanto demônios morreram indiscriminadamente, não há outra alternativa além de ser um ataque causado por feras demoníacas.”

“…”

“Ele é um homem cruel, Sir Rosenberg.”

Cruel.

O julgamento da Princesa Imperial estava infinitamente correto. O Lorde Demônio Dantalian era um homem sem coração. Não houve uma ocasião sequer em que ele poupou a vida dos humanos que ele tomou como prisioneiros. Se fosse para conquistar uma vitória, ele colocaria os seus subordinados em perigo mortal com toda calma e frieza. Certamente, sem qualquer sombra de dúvidas, o título de ‘Lorde Demônio’ era o que melhor se adequava ao vilão chamado Dantalian.

Mas por quê? Por que a cena que eu testemunhei, depois de acordar do meu desmaio, pareceu ser tão sentimental? O cenário que eu não tinha certeza se era realmente verdadeiro ou uma alucinação. No meio dos raios de luz que pareciam estar enevoados, Dantalian e as garotas pareciam estar fundidos como massas de luz. Esta cena havia se gravado nos meus olhos e se tornado um grande mistério para mim. Quanto mais eu tentava afastá-la da minha mente, mais profundamente ela entrava. No entanto, mesmo estando tão próxima, ainda não era o suficiente para que eu a compreendesse. Parecia que ao alcançá-la, eu me iluminaria.

“Rosenberg.”

“Sim, Vossa Alteza.”

“Habsburgo já lhe concedeu fé uma vez.”

A Princesa Imperial levantou uma adaga.

Fechei meus olhos lentamente. Eu vim aqui decidido. A razão para eu não ter cometido suicídio era porque minha mente considerava tirar a própria vida um ato impraticável. Mesmo que sacrificar a sua vida voluntariamente seja um dever, seria absurdamente extravagante um traidor que desonrou o próprio país e a própria raça poder fazer isto. A minha morte não pertencia mais a mim, ela deveria ser executada como uma punição pelo país. Eu vim aqui para morrer.

“Vossa Alteza. Execute sua justiça.”

“…”

Inesperadamente, o som de um riso sem emoções chegou aos meus ouvidos.

A lâmina passou cortando o ar, e junto a ele a corda, desprendendo as minhas mãos. Estranhando meu pescoço não ter sido cortado ainda, eu abri meus olhos. Na minha frente, a Princesa estava sorrindo.

“Eu não vou tirar a sua vida.”

“Vossa Alteza…?”

“Seu corpo está extremamente sujo. Por que um dos Marqueses, que são só quatro no nosso Império, não está mantendo sua aparência direito? A base da mente está no seu corpo, e a do seu corpo está nas suas vestes, então se sua aparência está bagunçada, isso significa que a sua mente também está em desordem.”

A Princesa Imperial desabotoou meu colarinho. Apesar de eu ter tentado recuar, ela agarrou firmemente as bordas das minhas vestimentas. Era desconcertante. Não havia a menor possibilidade dela desejar este corpo velho, então eu não conseguia entender a razão por trás destas ações dela.

“É uma ordem.”

“Sendo um vassalo, como eu poderia…”

“E por acaso você já foi meu vassalo algum dia? De qualquer forma, já que você é um criminoso diante do Império, seria difícil para você se opor às minhas palavras. Ou talvez você, um criminoso, queira mesmo recusar as ordens de um superior?”

“…”

Eu não podia resistir.

As mãos da Princesa passaram pelo meu tórax. Conforme os botões foram desprendidos, meu casaco caiu.

As mãos da Princesa Imperial eram ásperas, inapropriadas para uma dama nascida no Palácio. Eu me lembrava vagamente de um rumor de que quando criança ela havia aprendido a pescar com um pescador, a caçar aves com um caçador, e como arar a terra com um agricultor. Os aristocratas sussurravam uns para os outros sobre os seus comportamentos excêntricos. A pele dos seus dedos era grossa e áspera. A sensação causada pelos dedos calejados da Princesa provavam que as suas ações excêntricas quando jovem não foram simples casos isolados motivados por rebeldia. Enquanto resistia ao luxo da Princesa Imperial me despindo, o que, na verdade não era um luxo, eu falei:

“Vossa Alteza, o jacaré…”

“Mm?”

“Como Vossa Alteza aprendeu a esfolar um jacaré?”

“Eu vi o cozinheiro fazendo isso no Palácio.”

“O cozinheiro chefe te ensinou?”

“Não, eu não recebi nenhuma instrução. Apenas assisti.”

Ela puxou para perto um balde de madeira com água, e molhou um pano nele. Eu estava embasbacado.

“Vossa Alteza está dizendo que aprendeu como manejar a faca e esfolar animais apenas assistindo alguém fazer?”

“Normalmente é assim que eu aprendo.”

Com um ‘splash’, a princesa esfregou meu corpo com o pano. A minha pele estava praticamente árida de tão seca, então a água quente penetrou muito bem nela. Senti a minha pele respirar, ofegante. Conforme ela continuava respirando, minha mente relaxou. A Princesa Imperial confortou minhas costas e ombros exaustos com o tecido.

 

 

Atrás de mim, ela falou:

“As suas cicatrizes me contam a história da sua vida. São as provas de que você não viveu pela sua cabeça, mas sim pelo seu corpo.”

“Isso não é algo digno dos ouvidos de um criminoso. Por favor, não diga tal coisa, Vossa Alteza.”

“Onde você conseguiu esse corte nas suas costas?”

“Este servo ganhou essa cicatriz quando tinha 18 anos, e havia ido ao campo de batalha pela primeira vez. Enquanto fugia assustado, este vassalo foi acertado nas costas por uma pessoa desconhecida.”

“Aha. Quando tinha 18 anos? Essa é a minha idade atual.”

Apesar de ser algo um pouco cruel, eu deixei escapar uma risadinha. Era surpreendente a Princesa Imperial ter só 18 anos, e era estranho eu já ter passado da casa dos 60. Ri amargamente ao pensar que já que havia se passado tanto tempo desde que eu deixei os 18 e cheguei aos 60. Isso era algo sobre o qual eu não conseguia rir direito.

“Apesar das idades serem a mesma, este servo acredita que os feitos de Vossa Alteza não podem ser comparados com o de qualquer outra pessoa.”

“Você ofereceu a sua lealdade à Família Imperial durante 60 anos, e também foi fiel ao seu povo por este mesmo longo período, mas parece que ser derrotado apenas duas vezes já foi o suficiente para te arruinar. Eu consolarei o seu corpo.”

“…”

“A sua humilhação é algo que pertence somente a você, não é algo que eu possa limpar. Portanto, como eu não posso fazer isso com a sua mente, considere que eu estou te consolando ao limpar seu corpo. Ao menos a sua jornada de compensação não será solitária.”

Eu deixei meus olhos semiabertos.

Conforme a água escorria, vapor quente subia. O vapor encheu a tenda como se fosse fumaça. E o cheiro de pele emanava dele. Eu não sabia quem experienciou um luxo maior, se foi o jacaré, sendo um animal, que teve sua pele esfolada pessoalmente pelas mãos da Princesa Imperial, ou se fui eu, um vassalo tendo meu corpo limpo por ela. Não fui capaz de decidir qual luxo era superior. Enquanto recebia o vapor quente, falei:

“O que este servo deve fazer?”

“Eu vou liderar os cavaleiros e recuar. É altamente improvável que a Barbatos nos deixe recuar pacificamente. Provavelmente o seu rancor se acumulou tanto que ela deve querer devolver pessoalmente para nós toda agressão que as suas forças receberam. Você defenderá nossa retaguarda.”

“Vossa Alteza está me dizendo para morrer defendendo?”

“Eu não te impedirei de fazer isso.”

O meu corpo tremeu.

Ela esfregou meus ombros com suas mãos nuas. Quando suas palmas calejadas arranharam minha pele, senti meu corpo tremer por dentro.

“No entanto, não será só você. Meu irmão também estará lá. Se você deixar o Príncipe Herdeiro do Império morrer, então com certeza Marquês, você será conhecido como um traidor por toda eternidade. Mas, se você conseguir levá-lo em segurança para o sul, então esse não seria um grande feito digno de méritos?”

“…Vossa Alteza está oferecendo uma oportunidade a este vassalo?”

“Eu desejo apenas lhe dar um local apropriado.”

Respondeu a Princesa Imperial.

“Mesmo que você também perca desta vez, eu não punirei a região norte. Eu juro pelo nome dos Habsburgo, então poderá partir carregando toda a sua humilhação sozinho.”

Isso era uma extravagância que um criminoso como eu mal podia sonhar.

Abaixei a minha cabeça.

“Este velho servo executará suas ordens, Vossa Alteza.”

 

 


Tradutor: Yuere   |   Revisor: Ryokusan000


 


 

 

 


Fontes
Cores