DDf – Volume 3, Capítulo 2.4 – Inverno



 

Uma hora depois a execução aconteceu.

Farnese havia feito um buraco no gelo que cobria o rio. Os três culpados foram jogados neste buraco. Entretanto, eles não foram afundados completamente, mas só até o ponto em que a água alcançava os seus queixos. A senhorita ordenou que as bruxas recongelassem o rio. Então os corpos dos criminosos ficaram completamente presos na água gélida, com apenas suas cabeças para fora. Farnese se inclinou e os encarou, olho no olho.

“Dizem que neste rio se esconde um monstro ancestral. Se esforcem para aguentar.”

Os rostos dos culpados ficaram mortalmente pálidos.

Os demônios que viviam dentro da água nadaram em direção aos homens. Era possível enxergar as sombras das bestas se mexendo por baixo da plataforma de gelo.

Os criminosos se curvaram e debateram, e ao mesmo tempo dos seus movimentos espalhafatosos, os monstros avançaram contra seus membros inferiores e começaram a rasgar.

 

— Por favor, poupe-nos.

— Pedimos perdão, oh grandiosa general! Eu te Imploro!

 

Pouco a pouco.

Debaixo da água gélida, as bestas comeram a carne dos homens, uma pequena bocada de cada vez. Os monstros rasgaram os pés dos criminosos com seus dentes, arrancaram a carne de seus quadris, e mastigaram os seus pulmões. Com o passar do tempo, os gritos enfraqueceram. O silêncio recobriu os arredores. Os milhares de soldados que estavam assistindo a execução ficaram em silêncio. Apenas as cabeças dos criminosos permaneceram acima do gelo, enquanto isso, abaixo da plataforma uma cor avermelhada havia se espalhado e tingido a água.

Farnese olhou para baixo, vendo o sangue se espalhando sob seus pés.

Então ela levantou as cabeças dos culpados. Já que seus corpos estavam completamente separados das cabeças, elas saíram do gelo com facilidade. Farnese examinou os rostos que foram congelados com uma expressão de dor, e murmurou como um crítico julgando o trabalho de um pintor de quinta categoria.

“Isto não é muito atraente. O formato das suas cabeças não é satisfatório.”

Farnese jogou as cabeças para os capitães.

“Pendurem-nas.”

As cabeças dos criminosos foram empaladas em estacas e foram colocadas em exposição no centro da vila. A palavra ‘Estupradores’ foi marcada em seus rostos com uma faca. Sangue escorria pelas marcas da lâmina. No meio da noite, o frio ficou tão severo que as gotas de sangue congelaram.

No dia seguinte, os soldados carregaram as cabeças empaladas e atravessaram a plataforma de gelo. Enquanto pisavam no gelo, os soldados olhavam para baixo de seus pés frequentemente. Parecia que o pensamento sobre as cabeças decapitadas ainda estava ocupando as suas mentes. Depois deste dia, não houve mais soldados indo contra os comandos militares.

Sem que as tropas soubessem, eu e a Lapis fizemos uma avaliação.

“Viu? Trinta pontos.”

“Para esta serva isto pareceu vinte pontos.”

Farnese escolheu apenas uma opção quanto ao medo da punição. Não houve qualquer precisão no castigo, e ele apenas foi completamente preenchido por pavor obscuro. Já que ele foi preenchido apenas com ambiguidade, a punição não tinha forma, e como não tinha forma, ela não consegue existir por si só.

A punição da Farnese não pôde chegar ao nível de verdadeiras medidas punitivas. Agora os oficiais apenas teriam medo de quem havia aplicado à punição, ou seja, a Farnese. Assim como uma criança teme seus pais. Seja uma pessoa de autoridade tentando gerenciar a política através do medo, ou um pai tentando mandar na sua criança pelo temor, as pessoas cometiam estes erros comumente. E não é nenhuma surpresa que um pai horrível também seja uma pessoa de autoridade terrível. Eu zombava dos indivíduos que tentavam comandar um país sendo que, para começar não conseguiam nem gerenciar a sua própria família apesar de utilizarem os métodos de Confúcio [1]  e Mêncio [2].

Lapis deixou escapar um suspiro.

“Vossa Alteza, esta serva está frustrada. Neste ritmo, a Senhorita Farnese não vai conseguir entender nada mesmo que esperemos cinco anos.”

“O que você sugere?”

“Esta subordinada a remodelará do zero. Se a senhorita não consegue compreender a lógica por si só, então não deveríamos injetar a razão nela nós mesmos?”

Os olhos da Lapis estavam brilhando friamente.

— E neste momento iniciou-se um aprendizado por repetição forçada.

Lapis educou a Farnese mais fortemente.

Em um local em que os soldados não enxergavam, Lapis batia e treinava a Farnese. Lapis não tinha a tendência de elogiar as pessoas. Sem qualquer elogio, ela ensinou a Farnese como não abaixar a cabeça, como não gaguejar enquanto fala, como não perder o controle de suas expressões faciais, como não entortar as suas costas, e como não arruinar a sua maneira de caminhar. Lapis falava baixo.

“Olhe reto. Fale reto. Ande reto.”

Farnese aprendeu enquanto apanhava. Depois de ser agredida por quatro dias, foi quando Farnese mal conseguiu preparar um único discurso. Lapis também a ensinou como angular corretamente o seu olhar, para onde direcionar os seus passos, e que parte de suas palavras ela deveria enfatizar. Finalmente, em frente ao olhar dos soldados, Farnese deu um discurso.

 

— Conservem sua coragem. Não tentem investir corajosamente sempre que possível. Conservem sua misericórdia. Não tentem conceder misericórdia aos outros sempre que desejarem. Conservem sua luxúria. Não tentem agarrar e estuprar uma garota ou um garoto sempre que desejarem. A coragem que vocês têm enquanto lutam ao lado de seus colegas não é bravura. A misericórdia que vocês oferecem aos seus inimigos não é benevolência. A luxúria que vocês soltam sobre seus companheiros não é desejo. Esta general comandante despreza soldados que tentam agir corajosamente quando não deviam, mostram misericórdia quando não deviam, e estupraram quando não deviam.

— Esta general deseja que a coragem de vocês cavalheiros seja usada unicamente para tomar o pescoço dos inimigos, que a sua misericórdia seja usada unicamente para perdoar os seus colegas, e que a sua luxúria seja usada unicamente para tomar as famílias dos inimigos. Guardem sua coragem, poupem sua misericórdia, conservem sua luxúria, e devotem o seu terror e o seu pavor a esta general. E em troca, vocês todos receberão terror e pavor de todos seus inimigos no mundo como recompensa.

 

Os soldados aplaudiram.

Apenas os soldados aplaudiram.

Depois que o discurso acabou. Lapis o avaliou.

“Trinta pontos. Se esforce para conseguir improvisar discursos deste nível de agora em diante.”

“…”

Farnese virou-se para olhar para mim. O seu rosto ainda estava inexpressivo, mas mesmo assim, por algum motivo, dava para sentir o seu desejo por redenção nos seus olhos.

“Senhor…”

Eu dei um sorriso brilhante.

“Dez pontos. Foi um discurso patético. Apanhe mais.”

“Até mesmo Vossa Senhoria…”.

Farnese caiu de joelhos sobre a neve.

Farnese muito provavelmente não sabia que em locais onde ela não estava, Lapis e eu discutíamos a noite toda sobre os métodos para educar a senhorita.

Nós somos um casal um pouco exagerado, minha filha.

Seja por bem ou por mal, a Farnese estava experienciando um desenvolvimento digno de uma general de um Lorde Demônio.

Os soldados seguindo a Farnese estavam se transformando completamente no exército do Lorde Demônio.

A Senhorita Farnese comandava os militares como a general, e eu tomava conta do exército como o monarca, e Lapis ajudava os acampamentos militares como orientadora. A Senhorita Farnese liderava os soldados com terror pela frente, eu mantinha os soldados unidos com benevolência no centro, e a Lapis conservava a tranquilidade dos soldados com perfeição pelas costas, este era o nosso estado atual. Não havia nenhuma falha entre nós três. Nós recebíamos méritos uns dos outros respectivamente e nos segurávamos firmemente, assim como os caracteres 凹凸. Os setores de estratégia, administração, logística e comando estavam unidos, respirando como um só corpo.

Destes setores, se formos falar sobre a Lapis, que estava lidando com a logística, em suma ela estava seguindo atrás do exército, enquanto lidava com o fornecimento de suprimentos. Atrás do nosso exército não havia apenas vagões, mas também, mascates, cafetões e prostitutas nos seguindo. Era o dever de Lapis supervisionar e gerenciar os direitos destas pessoas.

Ela era impiedosa.

Uma amante implacável comigo e cruel com a Farnese, este era o tipo de pessoa que a Lapis Lazuli era. Não havia a menor chance de que uma pessoa como a Lapis trataria os pedintes e mascates generosamente.

Enquanto a Farnese tinha executado dois soldados, a Lapis já havia decapitado vinte mascates. Lapis não perdoava as pessoas que atrapalhavam a área comercial. Ela punia horrivelmente quem quer que realizasse o crime de tapear os soldados. Lapis determinava a severidade do castigo baseado no crime cometido, e executava a punição no mesmo dia em que o veredicto era decidido.

As ordens da Lapis eram sempre curtas.

“Corte a garganta.”

“Arranque os braços e pernas.”

“Abram o estômago e exibam os órgãos internos.”

“Enterrem-no”

Os veredictos eram fáceis de serem entendidos e não deixavam brechas para serem interpretados errado.

A horrível verdade é que o método de punição era somente execução.

Execução por decapitação era algo ainda relativamente piedoso. A ‘roda’ [3]  era a segunda melhor opção depois da decapitação. Com estas duas o mínimo da dignidade da pessoa era preservada.

Você ao menos conseguia olhar para o corpo e dizer ‘então esse aí era um goblin’, ou ‘esse cara era um orc’, identificando o formato do seu corpo.

Entretanto, seja esfolar os cafetões que tratavam as prostitutas como escravas e roubavam seus pagamentos, ou arrancar os intestinos dos mascates como se fossem macarrão por ganhar dinheiro injustamente enganando os soldados mais burros, fora a roda e a decapitação nada mantinha a dignidade. Havia apenas as entranhas vermelhas.

Lapis era impiedosa.

Se houvesse um único deslize sequer nas regras a serem seguidas, então alguém, sem sombra de dúvidas, morreria neste dia. Mesmo que as contas batessem, como alguém cujo antigo trabalho era ser uma mercadora, ela notava as enganações e fazia questão de matar o responsável. Era impossível enganar a Lapis, ela era uma plebeia que conseguiu subir na vida e se tornar uma executiva da Firma Keuncuska.

Já que os soldados à frente temiam a General Farnese, e os responsáveis pelos suprimentos atrás se sentiam aterrorizados pelas punições da Lapis, tanto a frente quanto atrás, nossas forças estavam tranquilas.

As vozes das pessoas desconsiderando a Senhorita Farnese, chamando-a de prostituta humana haviam desaparecido. E as vozes insolentes que ofendiam a Lapis chamando-a de plebeia mestiça vulgar, também haviam desaparecido.

Tudo que eu tive que fazer era ficar parado.

Mesmo que eu só relaxasse, a marcha do meu exército prosseguia sem maiores problemas.

No decorrer da nossa jornada de uma semana, os capitães falaram surpresos que esta era primeira vez na vida deles que experienciaram uma marcha tão fácil. Normalmente um exército perderia energia quanto mais longe eles fossem, e a determinação dele também enfraqueceria, mas o exército de Sua Alteza agregava mais força conforme avançava, e a nossa determinação se fortalecia. Então com isso eles conseguiram entender o que o termo ‘Graça Real’ realmente significava. Isto era o que os capitães disseram.

Eu, que na verdade estava confortavelmente fazendo nada, balançava a cabeça concordando. Tudo o que eu tinha que fazer era pagar os seus salários no tempo certo e ocasionalmente punir aqueles que estavam desviando dinheiro. Com isso os soldados comemoravam ‘Vivas a Sua Alteza! Ao Lorde Demônio!’, por conta própria. A Farnese e a Lapis estavam fazendo todo o trabalho duro, mas eu monopolizava todos os louvores.

Diga-se de passagem, este é jeito para se vencer na vida.

Bonjour —.

E desta forma, uma semana se passou.

Um campo aberto estendeu-se a nossa frente.

Com um ‘clang, clang’, o som do riacho congelado quebrando ressoou. Soldados estavam portando ferramentas e batendo no gelo. Adiante destes homens, estava uma quantidade incontável de tendas.

O riacho corria por uma boa distância antes que as tendas bloqueassem nossa visão dele. Ele continuava correndo oculto pelas tendas assim e reaparecia de vez em quando, quando bem queria, e continuava correndo. E em todo local em que ele reaparecia, havia dez goblins junto a ele quebrando o gelo. Este cenário se estendia por até alcançar horizonte.

Farnese observou o horizonte com seus olhos.

“Um exército gigantesco de cerca de sessenta mil…”.

A pele azul escura dos orcs, a pele verde enrugada dos goblins, e a pele dura e cinza dos trolls lotavam o acampamento militar. Ele estava cheio de cor. Os mais diversos tipos de coisas estavam misturadas e vagando pelo local, como em um formigueiro. Esses soldados estabeleceram seu próprio mundo lá.

Era um mundo em que eu realmente não queria entrar. Eu gostaria de recusar educadamente. Eu era um pouco jovem demais para conseguir aceitar algo lotado, abarrotado e contorcido como belo.

“Será mesmo sessenta mil? Aqueles goblins lá não estão vestindo roupas, então provavelmente eles não são tropas, mas sim servos. Isto é preocupante…”.

“Com o que você está preocupado, senhor?”

“Já que eles misturaram livremente os soldados que vão lutar e os servos responsáveis pelo apoio, não tem a mínima possibilidade de que a disciplina militar deles seja rígida. Eu temo que o número de soldados pareça ser grande, mas na verdade, a qualidade deles não coincida com a quantidade.”

Enquanto observava a formação das Forças Aliadas dos Lordes Demônios, que haviam se juntado aqui para suprimir os humanos, Farnese falou. Parecia que ela estava sobrepujada pelo número de tendas cobrindo o campo.

“Mas ainda assim, este não é um grande espetáculo?”

“Bem grande.”

Eu assenti.

“Este cenário magnífico é mesmo bem grandioso.”

 

No décimo segundo dia do segundo mês.

Nós chegamos ao local prometido.

 

 

 


Tradutor: Yuere   |   Editor: Golias



1- Confúcio

2- Mêncio

3- Roda de tortura

Não se esqueçam de comentar ^^.


Alterar fonte
Cores