DDf – Volume 3, Capítulo 1.1 – Sons Sem Palavras



— Vamos queimar mais um pouco.

 

As palavras faladas com leveza pela Barbatos escalaram a cadeia de montanhas e incendiaram os vilarejos. Desde o começo do outono nós gastamos nosso tempo queimando ravinas e incendiando as bases das montanhas. Apesar de parecer que as chamas estavam queimando por contra própria, não era coincidência que as áreas que nós ateamos fogo sempre continham um vilarejo que praticava a agricultura de coivara. Muitas pessoas foram queimadas até a morte.

Nós perguntamos um para o outro em um tom despreocupado:

“Quantas pessoas você matou hoje?”

“Não sei bem. Acho que eu queimei cerca de trinta.”

“Mas que criança.  Você ainda é uma frutinha bem verde, não é mesmo?  Só hoje, eu queimei setenta pessoas.”

“Certo. Bom para você.”

Era assim que nós nos cumprimentávamos.

A princípio, os nobres da sociedade humana não tomaram nenhuma ação, indiferentes se os vilarejos de coivara queimavam ou não. As pessoas daqueles vilarejos eram da mais baixa classe. Assim que o outono passou e o inverno se aproximou, e a quantidade destes vilarejos que nós queimamos passou de trinta, foi só então que finalmente os exércitos humanos começaram a se movimentar.

Os batedores humanos eram lentos. As bruxas conjuraram seus familiares para nós e os utilizamos para observar as forças humanas. Surpreendentemente, as tropas humanas não estavam se movimentando para resgatar os camponeses. Qualquer um que tentasse evitar o inferno e escapar montanha abaixo, fosse um plebeu ou um goblin, os exércitos humanos os caçavam indiscriminadamente.

Se nos queimássemos um lado da montanha, então os soldados imperiais eram enviados, se queimássemos o outro lado da cadeia de montanhas, então os soldados do reino eram enviados. Lentamente, os exércitos começaram a se movimentar com mais rapidez. Os soldados estavam desbravando o caminho em meio a fumaça para encontrar os culpados por queimar os vilarejos de coivara. No entanto, a única coisa que restava era a fumaça negra que recebia os batedores calorosamente de braços abertos. Eu me pergunto se a desolação parecia ser estranha, os batedores cortavam sem motivo algum os narizes dos corpos dos moradores das vilas e dos goblins antes de partir. Os corpos sem narizes estavam espalhados pelo chão.

“O que é isso?”

Barbatos deu um sorriso torto e perguntou.

“O que diabos esses caras estão tentando fazer?”

“Eles estão tentando arrumar de volta as coisas para como se nada tivesse acontecido.”

“Arrumar as coisas de volta? O que eles estão tentando arrumar?”

“Restaurando algo que não pode ser restaurado. Não há nada a se fazer já que a queimada já aconteceu, mas se eles se livrarem de todas as testemunhas que viram a queimada, então seria a mesma coisa que o incêndio nunca ter acontecido.”

“Não foram nem os plebeus nem os goblins que começaram o incêndio, por que eles estão jogando a culpa neles?”

“Ao fazê-los assumir a responsabilidade, os soldados evitam a culpa.”

“Mas o que acontece se os plebeus informarem o rei?”

“É por isso que os soldados estão matando todos eles.”

…Na sociedade humana, os plebeus não são considerados cidadãos, então eles não têm direito de acusar alguém de algum crime para o rei… Isto é algo que eu não me dei ao trabalho de dizer para ela. O sistema de classes entre os demônios também era similarmente estrito. Eu era estranho por estar em uma relação com uma pária, e Barbatos, que estava em uma relação comigo, também era estranha.

Barbatos grunhiu:

“Essas pessoas são incompreensíveis. E já que são incompreensíveis, não tem como se relacionar com elas. Todos os humanos são assim?”

“A maioria nasce assim.”

A nuvem de fumaça surgindo das cinzas e das chamas englobaram a cadeia de montanhas.

Um dia, Barbatos ordenou que uma bruxa matasse um dos batedores. A bruxa, após assassinar o soldado, trouxe de volta o seu relatório. Barbatos franziu as sobrancelhas. O relatório não estava criptografado, mas sim na escrita normal.

 

—Os moradores dos vilarejos estão começando incêndios enquanto lutam contra os goblins. Os camponeses estão ateando fogo aos habitats dos goblins, e os monstros estão fazendo a mesma coisa nos vilarejos dos plebeus. Tem muita fumaça. É difícil respirar. A cadeia de montanhas está queimando.

 

Lorde Demônio mais fraco, Rank 71, Dantalian
Calendário Imperial. 06/12/1505
Niflheim, Palácio do Governador

A movimentação diligente dos exércitos de humanos parecia ser suspeita aos olhos dos demônios. Um rumor se espalhou no mundo dos deles. Era um rumor misturado com dúvidas.

 

—Parece que aqueles caras estão querendo atravessar as montanhas e nos invadir.

—Eles estão dizendo que nós demônios fomos os responsáveis por espalhar a Peste Negra, então eu estou preocupado que talvez eles usem isto como razão para juntar um grande exército.

 

Nas ruas, as pessoas não conseguiam diferenciar entre as suspeitas e as certezas.

Um rumor sem fundamento de que os humanos criaram a Peste Negra de propósito para nos matar, começou a circular. Haviam pessoas que se opuseram dizendo, ‘Mas que monte de besteiras. Nós não somos Deuses, então como seria possível que as pessoas criassem uma praga? ’, e o tratavam como um rumor falso. Mas, apesar dos humanos não terem criado a Peste Negra, de qualquer forma, eles ainda acreditavam firmemente que nós demônios havíamos a produzido. Portanto, havia certa verdade ao dizer que nós deveríamos ser cautelosos de agora em diante. De qualquer forma, os humanos precisavam de um alvo para críticas. Eles poderiam brigar com seus vizinhos, mas isto seria inútil. Eles poderiam ficar ressentidos com os Deuses, mas isto seria desesperadoramente inútil. Os humanos se agarraram a coisa mais fácil de se criticar, a mais fácil de se culpar, a mais fácil de se ressentir: a raça dos demônios. Já que seus monarcas, os imperadores, e os seus nobres não queriam ser prejudicados, eles passaram toda a responsabilidade para os demônios. De todo modo, ninguém conseguiria responder caso perguntassem o que eles fariam quanto a isso.

Isto é algo que os Lordes Demônio decidirão, não nós, pessoas de classe baixa… Isto era a opinião da maioria. Em um local vazio e sem respostas, as pessoas se juntavam todos os dias e repetiam as mesmas frases. Eu enviei espiões e controlei a movimentação dos rumores.

Assim que os rumores sem fundamento e os falsos se juntaram, o conteúdo das palavras já não era mais importante, mas sim o seu volume.

‘Desde muito tempo atrás, os humanos são uma raça de bárbaros insociáveis, então nós deveríamos exterminá-los antes que eles tentem mexer conosco.‘, essas palavras ressoaram mais altas que todas as outras.

As vozes transbordaram do centro da praça para as ruas dos mercados, e de lá para os becos. Até que finalmente as vozes fluíram e encheram o palácio dos Lordes Demônios.

 

— Matem todos os humanos!

 

Os gritos explodiram na sala de conferências.

Os Lordes Demônios se juntaram no palácio do governador de Niflheim e estavam gritando um após o outro. Os Lordes Demônios de ranking baixo clamavam alto, enquanto os Lordes de ranking alto permaneciam em silêncio. Parecia que os Lordes Demônios de ranking alto estavam esperando as vozes se levantarem naturalmente vindo dos ranks baixos.

 

— É inverno agora, então como espera que consigamos organizar um exército?

— Pode ser difícil para nós no inverno, mas vai ser mais difícil ainda para os humanos que são fracos. É por isso que o inverno é o melhor momento para nós invadirmos. É ainda melhor que os rios vão estar congelados, então não terá nada para bloquear nosso caminho.

— Todos os nossos soldados vão congelar até a morte antes de conseguirem atravessar as montanhas.

— Nossos guerreiros são corajosos, então eles não cairão frente a algo como o vento do inverno!

— Isso mesmo!

— Ha, olha só isso! Parece que na Facção das Planícies, é uma moda aprender a latir como cachorro antes de aprender a pensar.

— Eu não tenho muita certeza disto. Mas eu sei bem como espancar um filho da puta mal-educado como se ele fosse um cachorro.

— Fiquem quietos aí.

 

Ainda não havia lógica nas vozes. Se nós fôssemos para guerra, então onde e quando nós iríamos? Se nós não fôssemos para guerra, então por que motivo nós não iríamos? O que nós vamos fazer quanto às provisões? O que nós vamos fazer quanto aos fundos militares…?

As vozes eram obscurecidas como se estivessem enterradas sob a fumaça. Só depois que os Lordes Demônios de rank baixo discutiram por bastante tempo, as vozes começaram a se empilhar parte a parte até que finalmente formaram torres estruturadas nas perguntas ‘Quem? Onde? Quando? Por que? Como?’, e por fim, após a construção das torres, as palavras se tornaram coerentes. Os líderes de cada facção pareciam querer discutir estando em cima destas estruturas, onde estavam livres da fumaça.  

 

—Nós nos reunimos aqui para conversar, não é mesmo? Ou nos reunimos aqui para ficarmos de boca fechada? Assim que não tiverem mais assuntos para tagarelar sobre eles, vão ficar quietos, mesmo que queiram continuar falando.

—Mesmo que nossos soldados consigam aguentar o frio do inverno com força de vontade, o que você vai fazer sobre a questão de conseguir provisões?  Mesmo que adquiramos provisões pilhando e comandando, como você planeja lidar com a praga? Vocês todos podem ser corajosos, mas estão só transbordando com palavras exageradas e na verdade estão parecendo ser imprudentes.

—Do que é que você está falando? Fale de um jeito mais claro para podermos entender.

— Se há pessoas capazes de entender palavras difíceis, então também há pessoas incapazes de compreender até mesmo as palavras mais fáceis. Isto não é um problema meu, mas sim um dilema envolvendo a sua inteligência. Se eu fosse falar de algo um pouco mais fundamental, então a sua personalidade é um problema também.

— Agora eu consigo entender um pouco.

— Vocês dois aí, por favor, aquietem-se.

—Há um segundo atrás você nos disse para falar, mas agora você está nos mandando ficar quietos? Eu não entendo. Esse cara está mesmo falando o que bem quer.

— Você tem razão. Ou talvez quem sabe ele esteja mandando nós ficarmos quietos para que ele possa tagarelar sozinho? Mas que pessoa ruim. Ei, apesar de como eu me pareço, ainda assim eu sou rank 12. Zepar, qual o seu rank? É mais alto do que o meu?

— Foi um erro meu. O que você disse está correto. Eu não tenho certeza quanto aos outros, mas a Sitri e Beleth precisam ficar em silêncio. Se os cabeças duras da Facção das Montanhas e cabeça dura da Facção das Planícies começarem a levantar a voz ao mesmo tempo, as coisas ficarão agitadas. Neste ritmo, todo mundo vai ficar com dor de cabeça.

— Aquele cara acabou de dizer que eu sou uma anta?

— É um alívio você conseguir entender ao menos isso, já que eu não quis dizer qualquer outra coisa além disso.

— Do que vocês todos estão falando agora?

— Não te interessa.

 

A reunião continuou durante a noite toda.

Já que a opinião da maioria raramente era a mesma, as palavras convergiam como se fossem fumaça por um instante antes de se dispersarem de novo. A fumaça que eu e a Barbatos criamos durante o outono atravessou as montanhas, agitou as fronteiras e agora se juntaram neste salão de conferência dos Lordes Demônios. A visão deles estava nublada. O topo de tudo não podia ser visto. Não havia sinais de que suas palavras estavam conseguindo penetrar a névoa. Os Lordes Demônios de ranking alto continuaram sentados em silêncio por mais de seis horas.

“Chega.”

A líder da Facção das Montanhas, Lorde Demônio Paimon, falou.

“Parem, por favor. Companheiros, vocês não estão se sentindo desorientados? Esta senhorita está se sentido confusa.  Já que ninguém está dando ouvido às palavras das outras pessoas, as conversas não conseguem ser compartilhadas. Já que as conversas não conseguem ser compartilhadas, elas não se juntam, e já que elas não se juntam, elas não fluem, e logo tudo fica obstruído.  Mas que lugar é esse? Isso é sufocante.”

A sala de reuniões ficou em silêncio.

Os Lordes Demônios que estavam insultando um ao outro até o momento, calarem-se perante a nona no ranking, Paimon. Ao invés de não ter o que falar, parecia que eles estavam apreensivos sobre dar uma resposta.

Anteriormente, Paimon tentou me acusar de um crime neste local e sofreu uma derrota devastadora. Apesar da reputação dela ter caído devido àquele incidente, ela ainda era a comandante do maior número de Lordes Demônios. As pessoas se referiam à Paimon e aos seus companheiros como a Facção das Montanhas.

Os Lordes Demônios que pertenciam à Facção das Montanhas haviam construído seus castelos nas partes mais afastadas das montanhas para prevenir que os humanos se aproximassem facilmente. Isto resultou no nome: ‘Facção das Montanhas’. Um lugar difícil de se aproximar pelas forças humanas, também era uma área difícil de sair para os exércitos de demônios. Era pacífico. Naturalmente, já que era problemático tanto entrar quanto sair, havia poucos conflitos. Os Lordes Demônios da Facção das Montanhas eram relutantes quanto a ir à guerra contra os exércitos humanos. Para eles, covardia era ponderação, portanto, uma guerra gigantesca era tratada prontamente como algo horrível. De acordo com Paimon e seus aliados, eles estavam protegendo a paz da raça dos demônios.

Entretanto, de acordo com as hipóteses socráticas, o nome da Facção das Montanhas se originava de algo completamente diferente. Era chamada Facção das Montanhas porque os seios da Paimon eram tão grandiosos quanto as montanhas. Paimon, junto às suas enormes montanhas, protegia os Lordes Demônios, e eles se submetiam ao seu instinto maternal. Sócrates se referia a Paimon e seus aliados como a Facção dos Seios Grandes.

Bonjour —.

Paimon falou:

“Que provas existem de que os exércitos humanos vão invadir nossas terras?”

 

—…

 

“Entendo. Não há evidências. Se não há evidências que eles vão nos atacar, então que razão nós temos para atacá-los primeiro?”

 

—…

 

“Companheiros, nosso povo está desgastado por causa da praga. Ao invés de procurarmos por motivos que não existem, nós deveríamos só suprir os setores que estão com dificuldades com nossos lucros e solidificar nossa estrutura interna.”

“Wow —. Ei, ei, olha só o que esta vadia que não sabe nem pensar está dizendo!?”

A líder da Facção das Planícies, Barbatos, falou.

Barbatos e o seu grupo de seguidores residiam em castelos construídos nas grandes planícies. Os humanos e os demônios lutavam incessantemente pelas terras férteis. Antes que as pessoas se cansassem da guerra infinita, uma nova geração nascia e herdava a batalha novamente. A guerra se repetia. Diferentemente das pessoas que conseguiam passar o bastão da batalha para seus descendentes, a terra em si não tinha uma próxima geração para herdar a guerra. A terra permaneceu no mesmo lugar, e continuou recebendo os constantes danos da guerra. Por centenas de anos, o solo continuou o processo repetitivo de receber novas cicatrizes e se curar. Depois de trezentos anos, a terra já não tinha mais fertilidade para fazer crescer uma grama sequer de trigo ou um ramo de cevada. O solo encontrou o seu destino final, e ainda assim a guerra continuou. Barbatos e seu grupo, que persistiram nessa batalha completamente infundada, eram chamados de Facção das Planícies.

Os Lordes Demônios da Facção das Planícies estavam tentando encontrar algo no solo onde já não havia mais nada. Assim como mendigos embelezam a pobreza como sendo humildade e os sacerdotes embelezam a fraqueza como sendo gentileza, os Lordes Demônios mudaram ‘não ter motivos para lutar’, para ‘não precisar de um motivo para lutar desde o princípio’. Para eles, a guerra em si era sagrada. ‘Já que nós não temos nada, nós precisamos ter algo’, essa era a lógica deles. Eles não eram só um bando de pessoas com parafusos soltos na cabeça?

No entanto, de acordo com as teorias de Karl Marx, o nome da Facção das Planícies vinha de algo completamente diferente. Era chamada de Facção das Planícies porque os seios da Barbatos eram tão aplainados quanto as grandes planícies. Assim como um campo aberto, Barbatos aceitava os Lordes Demônios, e eles ficavam comovidos por quanto espaço sobrava no peito dela. Karl Marx se referia à Barbatos e seu grupo como a Facção Dos Seios Retos.

C’est si bon —

“Oh, olha só essas pobres pessoas. Vocês todos planejam ficar quietos assistindo essa puta falar essas merdas? Vendo que a cara dela é irritante, isso significa que ela não pensa no que fala, e vendo que ela não pensa no que fala, isso significa que não tem um cérebro na cabeça dela, e vendo que não tem um cérebro na cabeça dela, então isso faz as merdas que ela fala ascenderem, transformando-se em estrume supremo e perderem o controle. Se vocês não pararem essa vadia agora, então ela é o tipo de arrombada que vai começar a ficar se achando por todos os motivos possíveis entre o Céu e a Terra e ficar completamente insana.”

“…”

Paimon soltou um grande suspiro.

A expressão no seu rosto dizia que ela já estava esperando por isto.

Abaixando o seu olhar que antes estava olhando para o teto, Paimon falou:

“Mas que lastimável. Se o rosto desta dama é irritante, então isto representaria a falta de inteligência da sua cabeça, e se esta dama não pensa no que fala, então isto não representaria que a sua vida não tem significado? Já que uma vida sem significado é patética, por que não cometer suicídio agora mesmo? …Oh querida. Esta dama pede desculpas. Se você cometesse suicídio agora, então isto significaria que você teria chegado à conclusão de que a sua vida realmente não tem significado, mas não há inteligência na sua cabeça, Barbatos, certo? Esta dama esqueceu-se disto por instante.”

Eu queria me levantar e dar a elas uma salva de palmas.

Realmente, elas eram mesmo Barbatos e Paimon.

Valeu a pena aguentar o meu tédio por seis longas horas, e ficar assistindo mentalmente um pornô repetidamente dentro da minha cabeça.

Eu continuei vivendo até hoje única e exclusivamente para assistir a estas duas discutindo. Elas sabiam como xingar belamente. A linguagem vulgar da Barbatos, indo de acordo com seus peitos planos, era distribuída rudemente, e no caso de Paimon, assim como seus peitos amplos, suas ofensas eram curvadas e indiretas. Nenhuma das duas tinha seios normais. Era isto mesmo. Eles não eram seios normais…

Não era isso?

Era a habilidade delas que era anormal, e não os seus seios?

Ou será que algo assim não importa?

Tudo a minha frente parecia estar girando levemente. Isso era estranho. Se você excluir a ocorrência de hoje mais cedo, em que eu interagi com a Senhorita Farnese enquanto fumávamos juntos, eu não fiz mais nada o dia inteiro. E isso também foi algo que eu aproveitei por muito pouco tempo antes de vir para o salão de conferências.

Bem, de vez em quando haviam dias assim.

Adieu—.

Mademoiselle —.

“A guerra não é negociável.”

Paimon falou.

“Não é uma guerra civil em que discutimos e golpeamos uma a outra, mas sim uma guerra gigantesca contra toda a raça humana. Milhares de pessoas vão perder suas vidas e centenas de milhares serão feridas. Por favor, coloque na balança o peso destes números. Elas não são vidas que podem ser manejadas sem uma justificativa apropriada.”

“Heeh. Então você está dizendo que se tivermos um pretexto, então a guerra é possível?”

“Isto é algo para decidirmos quando chegar a hora. O que esta dama está dizendo é para apresentar as provas primeiro. Se não cuidar disto antecipadamente, então discutir o início da guerra agora ainda é algo muito prematuro.”

Barbatos sorriu.

“Os humanos estão se preparando para a guerra desde o início do outono.”

“Qual é a evidência?”

“Sem se importarem com as fronteiras, os humanos vêm vagando pelas Montanhas Negras. Se eles passarem pela cordilheira, então eles estarão dentro do nosso território. Os humanos planejam limpar o caminho antes de irem a uma invasão total.”

“O que você quer dizer com ‘limpar o caminho’…?”

“Tem vilarejos de orcs e goblins na cadeia de montanhas. Os cavaleiros humanos estão queimando todos estes vilarejos. E qual você acha que é o motivo? Eles muito provavelmente estão se livrando de todos os obstáculos incômodos nas montanhas que eles planejam atravessar.”

Barbatos falou com confiança.

Era uma mentira.

Os culpados por atear fogo à cadeia de montanhas éramos nós, eu e Barbatos.

As tropas humanas apenas nos seguiram depois de passar pelas nuvens de fumaça que nós criamos. Eles estavam simplesmente eliminando os habitats dos monstros enquanto nos perseguiam. Entre o outono e o inverno, as vilas rurais foram destruídas e os habitats dos monstros foram esmagados. Enquanto prosseguíamos em meio a fumaça, nós brincamos de esconde-esconde com as tropas humanas. Os outros Lordes Demônios não conseguiam ver a fumaça subindo pela fronteira das montanhas. Com uma mentira habilidosa, Barbatos estava puxando a nuvem de fumaça, que os Lordes Demônios não conseguiam ver, para dentro da sala de conferências.

 

—Oho, afinal, as Montanhas Negras são um ponto estratégico importantíssimo.

— O fato dos humanos estarem ocupando do lado deles a entrada da passagem que liga ao nosso território é bem preocupante.

— Mas que gente estranha. O que eles poderiam ganhar ao começar uma luta conosco?

— Não é nenhuma novidade os humanos serem idiotas. As pessoas que eram imbecis ontem continuarão sendo imbecis amanhã.

— Mas você não é idiota na maior parte do tempo, e é inteligente vez ou outra? Eu estou indeciso se você é estúpido ou não. E honestamente, pensar muito sobre isto só me faz pensar que você é ainda mais idiota.

— Isso prova que na verdade e sou esperto. Assim como um ponto preto em um papel branco continua sendo só um ponto preto, se alguém é bobo a maior parte do tempo e de vez em quando é esperto, então isso significa que a pessoa é inteligente. Portanto, eu sou sábio.

— Do que vocês estão falando agora?

— Não te interessa.

 

Os Lordes Demônios balbuciavam como um bando de retardados.

“…”

Paimon encarou Barbatos com um olhar examinador. Seus olhos eram afiados. Eles tinham a força para não ficarem desorientados pelas vozes esfumaçadas e conseguiam encarar diretamente o seu alvo. Ao invés de receber diretamente o olhar, Barbatos o deixou passar pelo lado como se fosse água.

“Não só os vilarejos das montanhas foram atacados. O Dantalian também foi atacado pelos soldados imperiais de Habsburgo e perdeu seu Castelo de Lorde Demônio.”

“Dantalian perdeu…?”

Paimon levantou as sobrancelhas.

Parecia que ela tinha escutado um nome inesperado em uma frase inesperada.

Paimon voltou seu olhar para a minha direção. Até mesmo os Lordes Demônios, que estavam discutindo como retardados segundos atrás, todos eles viraram para olhar para mim ao mesmo tempo. Eu pude sentir muitos olhares vindos da obscura sala de conferências sobre mim. Eram olhos de feras. Se eu me atrapalhasse na minha resposta agora, então estes olhos se transformariam em bocas e me destroçariam.

“Dantalian, o que Barbatos disse é verdade?”

“Sim. É uma verdade inegável. O exército do Marquês Von Rosenberg demoliu meu Castelo de Lorde Demônio.”

“Quando isto aconteceu?”

“Foi entre o décimo sexto e o décimo sétimo dia do nono mês deste ano. Durante três batalhas, eu perdi duas vezes e mal consegui vencer uma. O exército do Marquês utilizou pólvora para demolir o meu Castelo. Sinceramente, a partir do momento em que meu Castelo de Lorde Demônio foi destruído, não tem como considerar como uma vitória mesmo que no fim eu tenha conseguido vencer…”

Eu dei um sorriso amargo.

“Qual o número de soldados deles?”

“No mínimo dois mil. No máximo três mil. Eles não eram soldados alistados. Eram elites. Depois de interrogar os prisioneiros, eles confessaram que foram contratados.”

“… Não houve nenhum engano?”

“Eu utilizei soldados contratos aqui em Niflheim para combater o Marquês. Deve haver alguns soldados próximos daqui que lutaram comigo naquele dia, então você pode perguntar pessoalmente para eles. O que eles disserem e o que eu disse aqui não serão diferentes.”

A sala de conferências ficou agitada. O exército humano já havia sido enviado uma vez. Os Lordes Demônios ficaram assustados com este fato.

“Eu perguntei para os prisioneiros o porquê deles terem invadido meu castelo, e eles revelaram tudo. De acordo com o Marquês, os demônios espalharam a Peste Negra, e a cura para a doença estava estocada em grandes quantidades dentro de cada Castelo de Lorde Demônio. É por isso que, se os humanos quiserem sobreviver, eles não têm outra escolha que não seja atacar os Lordes Demônios…”

“…”

“Isto é verdade. A princípio, eu pensei que eu seria o único a ser invadido. Contudo, o que me alarma é que: os exércitos humanos não estão vagando constantemente pelas vizinhanças das montanhas? Estando nervoso e agitado, mantive-me de olho nos exércitos humanos desde o começo do outono. As forças imperiais de Habsburgo, as tropas do reino dos Teutões, os soldados do Reino Polonês-Lituano… As forças humanas não se importaram com as fronteiras e atearam fogo às montanhas. Eles podem ter chegado a algum tipo de acordo em segredo. Indo ainda mais além disto, eles podem estar em algum tipo de aliança…”

A sala de reuniões congelou. O vento do inverno que estava do lado de fora do palácio penetrou até a sala. Alguém, não conseguindo suportar o silêncio, cuspiu no chão. Infectados por esta ação, alguns Lordes Demônios limparam a garganta. As suas gargantas estavam cheias de catarro.

 

— Os humanos estão tentando começar outra guerra.

— A última grande guerra aconteceu cento e cinquenta anos atrás, então já está na hora de ocorrer outra.

— Se estão falando da fumaça subindo das Montanhas Negras, então eu também as vi frequentemente.

— O quê? Por que você está dizendo isto só agora?

— Incêndios florestais acontecem bastante durante o outono, então eu pensei que não era nada demais.

— Tente pensar de verdade durante essa sua vida.

— Eu posso até viver sem pensar muito, mas você vive sem sua mãe. Já que eu e você vivemos do mesmo jeito sem ter uma certa coisa, olha só isso.

—S-seu merda!?

 

Esses caras morreram para os humanos porque eles mereciam morrer, hm.

Na linha do tempo original, todos os Lordes Demônios seriam subjugados dentro dos próximos trinta anos. Eu não conseguia dizer isto enquanto estava jogando o jogo na posição dos humanos, mas depois de ver estes Lordes Demônios pessoalmente, eu entendi. Essas pessoas não serviam para nada.

Do outro lado das montanhas, os humanos estavam desenvolvendo a sociedade deles através do feudalismo e da monarquia absolutista, mas estes caras chamados Lordes Demônios ainda estavam fazendo coisas próximas a de tribos. Apesar do rank 15 e do rank 9 estarem conversando como se fossem de grande importância, se você observasse isto factualmente, este era um estado social que consistia em setenta e duas tribos, cada uma governada por um Lorde Demônio de rank 1 ao 72 respectivamente. Os Lordes Demônios eram apenas reis e rainhas por nome, mas na verdade eles eram mais próximos de líderes tribais.

Trinta anos.

Um limite de tempo de trinta anos.

A contagem regressiva começou. Antes da contagem ir muito longe, era preciso esmagar as influências humanas. O raio já havia caído. Só que as pessoas ainda não tinham escutado o barulho do trovão.

“Companheiros. É claro, eu sou só um jovem de rank 71. Apesar disso, até mesmo eu consigo ver com meus próprios olhos que a nossa situação é terrível… Temos que nos preparar para a guerra.  Se nós não nos prepararmos, ao menos precisamos estar alertas. Essa não é a decisão correta?”

Então agora, aceitem obedientemente a minha súplica.

Se deixar isto de lado, todos vocês vão perecer. Se todos vocês caírem, então a influência dos demônios enfraquecerá e eu também ficarei em perigo. Nós somos um grupo que compartilha um mesmo destino. Até mesmo vocês muito provavelmente não vão gostar de encontrar a morte sob a lâmina do herói. Eu vou organizar um campo de batalha adequado para as pessoas com o título de Lorde Demônio. Não se preocupem e não recusem…

“As pessoas que estiverem preparadas triunfarão, e as que estiverem atentas não serão derrotadas. Eu perdi meu castelo pois estava despreparado e desatento. Por favor, eu peço a vocês que não cometam o mesmo erro que eu…”

 

 

 

 

 


Tradutor: Yuere   |   Editor: Ryokusan000



Notas: O Élder Golias está doente portanto o grande Élder Ryokusan000, famoso por gostar consideravelmente de DDf assumiu a revisão deste cap. Agradeçam a ele e mandem chi para o Golias ^^.

Este capítulo tem a narrativa bem confusa mesmo, o motivo é para representar a ‘confusão e caos’ criada pelo Dantalian e pela Barbatos (e o Dantalian estava drogado). Se acharem que algo não faz sentido, fiquem a vontade para checar em inglês e comentar caso tenham alguma sugestão de mudança :).

Ps. Talvez tenha desafio de DDf no facebook sexta/domingo, atentem-se.

 


Fontes
Cores