DDf – Volume 2, Capítulo 1.3 – Bons amigos


Lorde Demônio mais fraco, 71º rank, Dantalian, Calendário Imperial: 07/09/1505, Niflheim, Palácio do Governador

 

Eu pude ouvir o som de papéis sendo remexidos.

Pergunto-me se eu venho transpirando a noite, já que minhas costas pareciam estar húmidas. Esfreguei meus olhos e virei minha cabeça para ver Lapis Lazuli lendo um relatório ao meu lado na cama.

“Lodbrok?”

“Sim.”

Em resposta a minha pergunta rápida se aqueles relatórios vieram de Lodbrok, Lapis Lazuli respondeu imediatamente.

Havia passado uma semana desde que nos tornamos amantes. Curiosamente, nossas palavras e frases eram entendidas com relativa facilidade um pelo outro. Eu poderia dizer que nossa compatibilidade era boa? Não, seria até mesmo uma extrema negligência de minha parte considerá-la minha amante…

“E como está?”

“O nível das informações é bom. O número total de mercados de escravos localizados na região norte de Sardenha são treze. Dentre eles, a quantidade de mercados que lidam com escravos nascidos em famílias nobres são quatro. A escrava que Vossa Alteza procura está registrada em Pavia.”

Lapis Lazuli pegou um documento em especial.

Eu balancei a cabeça e enterrei meu nariz em suas coxas. Parecia que ela tinha passado algum tipo de óleo adocicado em sua pele. Um aroma muito agradável emanava dela.

“Óleo de oliva?”

“É óleo de rosas da Anatólia. Vossa Alteza. Se tem tempo para assediar sexualmente esta serva, então, por favor, leia este relatório primeiro.”

“Eu não quero ler logo assim que acordo de manhã. Eu agradeceria imensamente se você pudesse ler em voz alta para mim.”

“Não é de manhã, já passou do meio-dia.”

Lapis Lazuli soltou um suspiro.

“Esta serva acha que o ciclo biológico dela está sendo arruinado por culpa de Vossa Alteza. Muito tempo está sendo gasto apenas praticando relações sexuais. Esta subordinada aconselha Vossa Alteza a reduzir o tempo de quatro horas para duas.”

“O que eu posso fazer se a minha resistência é inigualável?”

Eu mordisquei levemente as nádegas da Lala.

“Eu tenho a tendência a não saciar os meus desejos rapidamente. Em todo caso, é um grande problema que os homens de hoje em dia não sabem como dar importância às mulheres. O quão prazeroso é aproveitar o calor um do outro e…”

“Esta serva já sabe. Já é de meu total conhecimento o fato de que Vossa Alteza é um pervertido inimaginável, então não necessito de outra aula.”

Lapis Lazuli desistiu de discutir e começou a ler o relatório.

“—Laura De Farnese. Desde o seu nascimento como filha ilegítima da família do Duque Farnese, ela sempre ficou presa na mansão. Apesar de não ter sido revelado quem era a sua mãe de fato, há rumores que ela nasceu depois do Duque ter estuprado uma de suas servas.”

“Hmm.”

Eu afaguei a coxa de Lapis Lazuli enquanto a escutava falar.

Lala não tinha nenhuma gordura desnecessária. Isso muito provavelmente se devia ao fato de ela ter nascido como uma pária e ter passado toda a infância faminta. Vagando pelos becos e procurando por migalhas em latas de lixo. Sendo maltratada por ser uma mestiça. Tendo pedras jogadas nela constantemente.

…Eu deveria ter matado aquela velha.

Eu realmente me arrependia disto.

“Parece que a Senhorita Farnese viveu uma infância demasiadamente desafortunada.”

Lapis Lazuli continuou.

“Não só a mansão, ela também era proibida de sair de seu quarto também. Seus irmãos e irmãs não consideravam a Senhorita Farnese como uma membra da família, e até mesmo os servos a tratavam como se ela não existisse… Vossa Alteza? Você está escutando?”

“É claro. Estou escutando atentamente.”

“Apesar de você afirmar estar ouvindo, esta serva tem a impressão que Vossa Alteza vem tocando a coxa dela há algum tempo.”

“Eu não faço ideia do que você está falando. Você esta só vendo coisas.”

“…Esta subordinada continuará lendo.”

Laura De Farnese.

Ela era uma personagem importante que aparecia em ‹Dungeon Attack›.

Assim como o protagonista, ela é uma pessoa de grande influência naquela era, mas se alguém tivesse que indicar uma diferença entre eles, é que ela estava empurrando o mundo em direção ao desespero ao invés da esperança.

Havia um motivo político relativamente complexo envolvido nisto.

O protagonista de ‹Dungeon Attack›, o herói, era afiliado ao ‘Império de Habsburgo’.  Por outro lado, Laura De Farnese trabalhava para a nação conhecida como ‘Reino da Bretanha’. O império e o reino começaram uma guerra monumental visando decidir quem era o verdadeiro governante de todo o continente.

Havia chances de que, comparado aos Lordes Demônios, a quantidade de humanos que morreram devido a Senhorita Farnese era ainda maior. Em outras palavras, para o protagonista podia-se dizer que ela era uma oponente muito mais assustadora do que os Lordes Demônios.

Bem, essas eram coisas que só ocorreriam em quinze ou vinte anos no futuro.

No presente, Laura De Farnese não passava de uma garota de dezesseis anos fraca e frágil.

Não havia nada a esconder.

Eu queria obter antecipadamente esta garota destinada a se tornar uma grande general no futuro.

Já que parecia que dois mil soldados invadiriam vindos de um local desconhecido. Enquanto eu contratava as tropas, eu queria ao mesmo tempo recrutar um comandante para elas. Matando dois coelhos com uma cajadada só.

Lapis Lazuli terminou de ler o relatório e disse.

“Vossa Alteza. Há algo que esta serva deseja perguntar. Por que você tem interesse em uma criança da raça humana?”

“Nenhum motivo em especial. Simplesmente aquela criança carrega em si maior quantidade de ódio para com os humanos.”

Eu contei uma mentira a Lapis casualmente.

Não havia nenhum motivo em especial. Seria mais problemático se eu a respondesse honestamente e dissesse ‘É algo que eu sei porque eu joguei o jogo, mas aquela garota vai crescer e se tornar a maior general do continente’. Eu só podia dramatizar um motivo e contá-lo a ela.

“…Ódio, é isso mesmo?”

“Sim. Pense um pouco pelo ponto de vista daquela garota. Ela nasceu como uma criança ilegítima e passou todos os seus dias trancada em seu quarto. Ela recebeu abusos de quem deveria ser a sua família. Ela era evitada até mesmo pelos servos. E agora que a família está em ruínas, Laura De Farnese decaiu a ponto de se tornar uma escrava e está sendo vendida em um mercado. O que você acha que se esconde na mente dela? O que aquela jovem deseja ardentemente? Ela não estaria cultivando ódio contra os humanos?”

“…”

“Eu preciso deste tipo de criança para mim. Uma garota ardendo com mais ódio do que qualquer outra pessoa. Eu preciso de uma rebenta que venderia a própria alma para o demônio se isso significasse conseguir vingança contra os humanos. Laura De Farnese, uma pessoa que é exatamente como eu desejo.”

Eu dei uma risadinha.

Lapis Lazuli olhou para mim com uma expressão impassível.

Os olhos dela passavam a impressão que ela tinha entendido, mas também não tinha ao mesmo tempo.

“O que foi? Você está decepcionada que esta não era a resposta que você esperava?”

“Um pouco.”

Lapis Lazuli balançou a cabeça.

“Esta subordinada tinha certeza de que Vossa Alteza desejava obter e desfrutar de uma escrava sexual de alta qualidade vinda da nobreza.”

“O quê? Que tipo de maluquices… Espera. Você me vê como sendo que tipo de pessoa?”

“É claro, esta serva só vê as coisas como elas são.”

Tem uma vassala aqui que está tratando o seu senhor como se fosse um lixo humano!

Eu entendi vagamente a razão para a afeição de Lapis Lazuli ainda não ter passado de 10. Não, bem, na verdade eu sou humano apesar de tudo! Eu não sou depravado o suficiente para fazer algo repulsivo como comprar uma escrava sexual.

“Lala.”

Eu falei em um tom incrivelmente sério.

“Eu vou usar esta oportunidade para te dizer isto claramente.”

“O que foi?”

“Eu prefiro adultas maduras.”

Realmente era assim.

Complexo por lolitas era uma doença mental.

“Eu não consigo suportar pessoas que ainda tem cheiro de criança. É claro, eu prefiro seios grandes à pequenos, e eu prefiro uma traseira ampla frente a uma pequena. Você entende? Pessoas que gostam de corpos infantis são todos dementes com vários parafusos soltos na cabeça.”

“Realmente?”

Lapis Lazuli perguntou e assentiu.

“Para resumir, Sua Alteza Paimon está mais próximo das preferências de Vossa Alteza Dantalian do que Sua Alteza Barbatos.”

“Antes mesmo de discutir se são mais próximas ou distantes, eu simplesmente não gosto de corpos de crianças. Até mesmo se uma se aproximasse e se oferecesse para mim, eu recusaria!”

“Mas que pena. Se Vossa Alteza estivesse obtendo a Senhorita Farnese com a intenção de saciar os seus desejos sexuais, então esta vassala iria apoiar esta decisão fervorosamente, já que isto significaria que o fardo desta serva seria reduzido consideravelmente.”

“Dormir comigo te desagrada tanto assim!? Não, espera. No fim, não foi você quem veio para cima de mim primeiro…!?”

“Minhas desculpas. Naquela ocasião, esta subordinada ainda não havia descoberto que Vossa Alteza na verdade era um garanhão equino. O senhor até mesmo se satisfez completamente na primeira noite, já que tocamos no assunto foram três vezes seguidas… Sinceramente, esta subordinada começou a se arrepender disto.”

“Isso já não é demais!?”

Eu acabei ouvindo da minha amante, de uma semana, que ela já estava se arrependendo de sua decisão.

Podia até mesmo ser uma relação puramente física sem qualquer tipo de amor, mas eu não pude evitar ficar abalado…

Enquanto eu estava conversando com Lapis Lazuli, alguém bateu à porta.

“Oh grandioso senhor. Trouxemos o almoço de Vossa Alteza.”

“Ah. Tudo bem podem entrar.”

Eram as empregadas que trabalhavam no palácio do governador.

As empregadas abriram a porta e entraram no recinto. Cada serva carregava uma bandeja de prata. Elas olharam para esta direção e os rostos de todas congelaram simultaneamente. Um homem e uma mulher estavam deitados nus na cama. Apesar de estarmos cobertos por um lençol, meu torso estava exposto.

“Pe-Perdoe-nos! Vossa Alteza!”

“Está tudo bem. Fui eu quem ordenou que vocês entrassem, não há porque vocês se desculparem. Não se preocupem conosco e arrumem a mesa para a refeição.”

“Ah…… Entendido.”

As empregadas, agradecidas, colocaram os pratos sobre a mesa. Apesar de estarem fazendo o seu melhor para se manter indiferentes e manterem seus olhares na direção certa, elas acabaram olhando para nós institivamente. Hm? Essa era a primeira vez delas vendo um Lorde Demônio sem roupas?

Achando isto divertido, eu continuei observando as empregadas silenciosamente até que eu escutei o som de alguém estalando a língua com um ‘tsk’. Foi tão baixo que eu poderia não ter percebido. Meu coração esfriou drasticamente.

“Nós humildes servas nos retiraremos agora.”

“Todas vocês. Parem aí mesmo.”

As empregadas ficaram paralisadas em frente à porta.

Eu acabei falando em um tom frio acidentalmente.

“Quem de vocês estalou a língua?”

“Perdão?”

“Não se finjam de inocentes. Eu ouvi claramente uma de vocês estalando a língua. Confessem quem é a culpada.”

As empregadas olharam umas para as outras cheias de pavor. Mas durou apenas um momento.  Seus olhares se concentraram naturalmente em uma única pessoa. Era uma garota com orelhas de gato da raça que possuía traços de animais.

Então é assim. Você é a transgressora que estalou a língua?

Vesti um roupão folgado e me levantei da cama.

“…”

Neste momento, a empregada da raça das bestas percebeu o seu erro e começou a tremer. Seus dentes estavam batendo de medo. Parecia que suas colegas tinham percebido qual seria o destino dela, já que elas deram alguns passos para trás se afastando.

“Seu nome.”

“O..o n-nome desta humilde serva é Julia.”

“Entendo. Julia. Você tem um lindo nome.”

Contrastando com o elogio, o meu rosto estava austero.

“Por que você estalou a sua língua há pouco?”

“Esta pobre serva está absolutamente arrependida, Vossa Alteza. Por favor, perdoe esta simples empregada!”

“Eu perguntei por que você estalou a sua língua.”

A serva não conseguia responder.

Mas estava tudo bem. Eu não estava a questionando tendo esperanças que ela fosse responder. Eu já sabia a resposta.

Essa garota não estalou a língua para mim. Mas sim para uma direção ligeiramente ao meu lado. Em outras palavras, ela estalou a língua enquanto encarava Lapis Lazuli.

Isto me deixou irritado.

Incrivelmente irritado.

A ponto de eu mal conseguir controlar a minha raiva.

“Você está desprezando o fato de eu estar sendo íntimo com a minha amada?”

“Não. Vossa Alteza, esta súdita não pensou nada disto…!”

“Eu compreendo. Deve ter sido muito desagradável ver uma mera mestiça inferior na mesma cama que um Lorde Demônio. Deve ter sido uma visão bem nauseante para você. É por isso que você estalou a língua para a minha amante, certo?”

“E-Esta pobre… Esta serva estava…”

Eu acertei em cheio.

Essa foi à impressão que tive vendo a reação dela.

Não tinha mais nada a ser entendido.

Eu andei a passos largos em direção à parede em que espadas estavam expostas e desprendi uma. A lâmina fina foi desembainhada produzindo um som metálico. Vendo isto, as outras empregadas gritaram.

“Mais do que uma mestiça, ela é a minha noiva. Com que autoridade você está caçoando da amada de outra pessoa? Eu sou ridículo o suficiente para você poder caçoar de mim?”

“Vossa Alteza… ao menos a vida desta serva… por favor, poupe…”

Era realmente difícil de entender.

Depois de ser jogado neste mundo, apenas coisas impossíveis de se entender vêm acontecendo.

Por que as pessoas menosprezavam as outras tão facilmente?

Por que as pessoas não conseguiam manter nem mesmo o mínimo de etiqueta?

E finalmente, por que as pessoas atacavam sendo que elas sabiam que iriam perder?

Elas não tinham cautela, elas não tinham senso comum, e elas não tinham conhecimento. Paimon também fez isso, assim como Lodbrok também o fez. Aquela velha decrépita fez meu estômago rebulir de raiva há poucos dias, e agora essa empregada estava tentando provocar um conflito.

Era por isso.

Já que estava tão cheio desse tipo de pessoa.

Porque existia só esse tipo de gente irresponsável, minhas irmãs e eu–.

Abruptamente, uma janela de escolha surgiu junto a um efeito sonoro.

 

[1. Punir.]  

[2. Poupar.]

 

 

Uma janela semitransparente que só podia ser vista por mim.

Eu apertei mais forte a empunhadura da espada. As outras empregadas prenderam a respiração. A garota com orelhas de animal estava murmurando pedidos de perdão enquanto chorava.

Matar ou não matar. Todo tipo de cálculo passou por minha mente. A ameaça ao status político por assassinar uma serva do palácio do governante. O impacto social que isso iria causar. Entretanto, apesar de considerar todos estes deméritos, ainda era difícil perdoar esta garota. Era incrivelmente difícil. Eu não sabia dizer claramente a razão para eu não conseguir, mas–.

“Lorde Dantalian.”

Em um tom contido

e sempre calmo.

“Isso já foi o suficiente.”

Lapis Lazuli disse.

Lentamente eu virei minha cabeça para a direção de Lala.

E lá estavam os mesmos olhos que eu vi há poucos dias.

O mesmo olhar reprovador que perguntava se eu não havia entendido o que tinha feito de errado.

“…”

Naquele momento.

O interior do meu crânio resfriou imediatamente.

Agora eu conseguia perceber quão insanas as minhas ações estavam sendo. Eu tentar matar alguém simplesmente por ela ter estalado a língua uma vez. Era algo ridículo.

A senhora idosa e essa empregada a minha frente eram diferentes. A idosa era a principal culpada por ter arruinado completamente a vida de Lapis Lazuli. Porém, tudo o que essa serva fez foi estalar a língua. Apesar dela com certeza não saber como se comportar apropriadamente, não passava disto. Ela não havia cometido nenhum crime que merecesse a morte!

Eu derramei água gelada sobre minha cabeça forçadamente.

‘Acalme-se.’

‘Não crie inimigos sem motivos.’

‘Se eles reconhecerem o próprio erro, então recue. ’

Procedimentos de como se comportar lapidados em minha mente como um manual.

A doutrina que havia se tornado quase que instintiva graças à educação do meu pai, começou a fazer efeito. Um segundo, dois segundos, e depois do terceiro segundo eu recobrei a compostura.

Eu abri a boca com muita dificuldade.

“… Você já refletiu o suficiente sobre as suas ações?”

“S-Sim! Vossa Alteza! Esta humilde serva está absolutamente arrependida! Nunca farei isto novamente!”

“Jamais se esqueça desta emoção. Um único erro poderia ameaçar a sua vida.”

Virei-me para olhar para as outras empregadas e falei.

“Mantenham isto em mente. Como servas que atendem pessoas da alta nobreza, cada uma de suas ações podem levar a um erro irremediável. Seus erros se tornarão os erros de Niflheim. Sua imprudência se tornará a imprudência de Niflheim. Ajam com responsabilidade.”

Todas as empregadas se curvaram profundamente de uma só vez.

““Nós manteremos isto em mente, Vossa Alteza!””

Eu assenti.

Com isso, eu consegui dar uma resposta evasiva.

“Bom. Agora vocês podem se retirar.”

E então, as empregadas saíram rapidamente dos aposentos.

 

 

[1. Punir.]

[2. Poupar.]

 

 

 

As palavras brilharam resplandecentes no meio do ar.

E então se quebraram e formaram novas frases.

 

 [Uma decisão gentil e piedosa!]

[Fama aumentada levemente.]

 

Então as linhas se dividiram em pequenos pedaços e se dispersaram como pétalas.

Eu deveria estar exultante por minha fama ter aumentado, mesmo que só um pouco, mas honestamente meu humor atual era absurdamente ruim.  Realmente era impossível ficar pior. Já fazia muito tempo desde a última vez em que meu humor ficou assim tão terrível.

Lapis Lazuli me fitou silenciosamente.

No momento em que nossos olhares se encontraram eu me desculpei instintivamente.

“Desculpe-me.”

“Pelo o quê?”

“Isso é…”

Eu não conseguia responder.

O sentimento de ter feito algo errado estava apertando o meu coração. Contudo, eu não conseguia entender exatamente o que eu tinha feito de errado, nem um pouco mesmo. Isso me deixava perplexo.

O silêncio perdurou.

No fim, Lapis Lazuli soltou um suspiro.

“… Entendido.”

O que ela havia entendido?

Ela levantou da cama e vestiu suas roupas. Depois que Lapis Lazuli terminou de colocar todo o seu uniforme, ela abaixou sua cabeça e se curvou. Foi um movimento fluído sem nem um mísero detalhe errado.

“Esta serva fará os preparativos para ir ao mercado de escravos. Acredito ser adequado contratar as irmãs Berbere para esta viagem também. Vossa Alteza saia de seus aposentos quando terminar sua refeição, por favor.”

“Lala.”

“Esta súdita irá se retirar primeiro.”

Sem olhar para a minha direção, ela abriu a porta e saiu.

Assim como quatro dias atrás, eu fui deixado no quarto sozinho. Lapis Lazuli podia até ter se retirado, mas seu aroma de rosas ainda permeava o quarto.

Então uma janela de aviso surgiu.

 

 

 [Afeição de Lapis Lazuli diminuiu 1 ponto.]

 

 

“…”

Silenciosamente eu cobri meu rosto com minhas mãos.

Durante toda a minha vida, eu pertenci ao grupo de pessoas que se decepcionava com as outras pessoas, eu nunca fiz parte do grupo que desapontava os outros.

Mas não desta vez.

Hoje eu desapontei Lapis Lazuli.

 

 

 

 

Lorde Demônio mais fraco, 71º rank, Dantalian, Calendário Imperial: 20/09/1505, Niflheim, Palácio do Governador.

 

“Você sabe qual é a pior parte de tudo isto?”

“…”

“O fato de eu não fazer a menor ideia do que eu fiz de errado.”

Fim de tarde.

Antes que eu percebesse, o cenário do lado de fora da janela já tinha escurecido. Barbatos estava olhando para mim sob a iluminação da chama tremulante de uma vela.

Conforme o céu escurecia, a sombra que cobria a feição de Barbatos se espalhou por seu rosto. Enquanto apoiava seu queixo com o braço, ela me encarava silenciosamente.

“Eu poderia ao menos agir de forma descarada se eu não sentisse que havia feito algo errado. Eu poderia até questiona-la sobre qual era o problema. Mas eu não, eu entendi que tinha feito algo errado, só que eu não fazia ideia do que era. E… Isso é um sentimento bem miserável. Extremamente…”

“…”

“Diga-me. O que Lapis Lazuli poderia estar querendo de mim?”

Eu olhei para Barbatos com os olhos cheios de seriedade.

Barbatos abriu sua boca, mas nenhuma palavra saiu dela.

Então eu não tinha outra escolha senão continuar falando.

“Ela queria que eu ficasse de joelhos e implorasse? Era isso que Lapis queria de mim? Que eu jogasse fora minha dignidade, como um escravo. Jogasse fora todo ato relacionado à ‘manter minha face’ e suplicasse?… Poderia ser isso. Isso era mais do que possível.”

“…”

“Entretanto, por que ela não me diria ao menos quais eram os meus erros?”

Eu apertei minhas têmporas.

“Isso deixa as pessoas loucas. Barbatos. Isso realmente é algo que deixa as pessoas loucas. Você sabe por que Lapis não me disse nada?”

“…Eu me pergunto…”

“Havia um motivo. Lapis queria que eu percebesse meus erros sozinho. Que se ela não falasse nada, então eu descobriria sozinho o que era. Lapis acreditava em mim. Desgraça!”

Thud

Eu bati no chão.

“Isso era insultante e ainda mais insultante. Por que era insultante assim… porque ela estava me tratando como idiota. Primeiro, ela estava desapontada porque eu não tinha percebido o que tinha feito errado. Segundo, ela tinha esperanças que eu descobriria qual era o erro que eu havia cometido. Você entende? Hm? Você entende o tamanho da merda que isso era?”

Eu dei um sorriso zombeteiro.

Mas ele não saiu como deveria.

O sorriso zombeteiro acabou parecendo mais um sorriso torto forçado.

“Lapis não estava só julgando o meu eu-presente, mas também o meu eu-futuro. Por conta própria. Por conta própria e como bem quis! Como se ela me entendesse total e completamente! Como se ela estivesse se considerando em uma posição superior a minha…!”

Eu rangi os dentes.

“Era tão insultante que eu poderia vomitar. Era a primeira vez na minha vida que eu recebia uma ofensa deste tipo. A decepção e a expectativa que Lapis tinha por mim tornaram-se duas muralhas que me esmagavam ainda mais. Em meu peito uma raiva… uma fúria lentamente começou a surgir contra Lapis.”

“Dantalian.”

“Eu cheguei a uma decisão em minha mente.”

Eu encarei a vela.

O instrumento de cera tinha duas cores.

A parte superior amarela, e a parte inferior azulada.

Enquanto produzia estas duas cores, a luz queimava e caía lentamente da chama.

“Ser pego uma vez. ‘Eu esperarei até a próxima fez que ela demonstrar desrespeito para mim. E se Lapis irracionalmente me ignorasse mais uma vez.”

Eu peguei o pavio da vela e o pressionei entre meus dedos.

A chama logo tremulou e morreu

“–Quando isso acontecer, eu não ficarei parado.’  ”


Tradutor: Yuere   |   Editor: BCZeulli



Notas: “Nossa Élder Yuere, o Dantalian está ligeiramente retardado recentemente.” 
“Sim jovens discípulos, o pobre Lorde Demônio caiu na profunda técnica ilusória chamada amor e ainda não se deu conta disto, por isto está agindo feito um imbecil e levando encaradas frias. Como algum sábio discípulo disse anteriormente, o Dant é um aleijado social.”

E não esqueçam de comentar ^^ 

Contribua com a Novel Mania!