Arena – Capítulo 11 – De volta para a Arena (1)


Conforme o tempo para o segundo exame diminui, parece que meu coração se aperta e posso sentir a ansiedade. No entanto, ele está mais forte que no primeiro dia. Isso é por causa do meu treinamento.

No primeiro dia de treinamento em invocação de espírito e tiro, descobri qual é o melhor método: usar Sylph no tiroteio. Só tenho que deixá-la responsável pela mira, pois o espírito do vento, Sylph, sabe como posicionar a arma para atingir perfeitamente o alvo.

No momento que eu puxar o gatilho, ela será responsável pelos mínimos ajustes na posição do cano.

Cem de cem!¹

Em termos extremos, com a ajuda da Sylph, posso atirar melhor que atiradores veteranos das operações especiais.

Quero dizer, não importa como eu atire, o tiro sai como se tivessem sido feitos os mínimos ajustes.

“Foi realmente bom ter pego a invocação de espíritos como habilidade principal.”

Me senti seguro em minha decisão (que foi fácil de fazer, pra falar a verdade). Você só pode escolher uma habilidade principal, e não pode mudá-la.

A habilidade principal que escolhi irá, no futuro, estar em todos os meus exames. Ela irá determinar meu estilo de luta e será o aspecto mais importante dele.

Antes de tudo, acho que, pelo menos, comecei com o pé direito. Mas não posso ser otimista, pois minha escolha de arma me deixou fraco no combate corpo-a-corpo.

Quando uma criatura, como o macaco vermelho, aparecer na minha frente com um machado de pedra para me atacar, terei tempo de carregar a arma e atirar?

“O melhor é não entrar em combate próximo de jeito nenhum.”

Eu devo agir furtivamente e não ser pego pelo inimigo. Mas isso seria possível? Vamos pensar no primeiro exame.

Estava em uma floresta. O inimigo era o macaco vermelho, que vive ali. Era um bastardo que não era diferente de um animal selvagem habituado com a mata.

Evitar que esse tipo de criatura me pegue enquanto vagueio secretamente é impossível. Como no primeiro exame, o inimigo provavelmente me descobrirá primeiro e irá esperar uma oportunidade para me atacar.

“Se eu soubesse que isso iria acontecer, teria me tornado um fuzileiro naval. Quem pensaria estar um dia nessa posição?”

As habilidades que colecionei nos dois anos na tropa da retaguarda não têm uso para mim agora.

“Não tem outro jeito. Tenho que usar Sylph com cuidado.”

Invoquei Sylph e perguntei.

— Sylph, escute com atenção.

— Miau?

Ela inclinou a cabeça para cima como se estivesse concentrada em minhas palavras.

Aww, sua coisinha fofa!

— Vamos supor que você esteja sentada em meus ombros.

— Miau.

Sylph realmente pulou em meu ombro direito.

Sentindo sua cauda em meu pescoço, continuei.

— Se, de algum lugar, alguém malvado se aproximar para tentar me matar. Você teria como me avisar antes dele me alcançar?

— Miau!

Sylph acenou com a cabeça.

— Quão perto ele tem que estar para você poder me dizer?

Ela pulou de meu ombro e correu ao redor como um relâmpago.

A pós-imagem de Sylph desenhou o número duzentos.

— Duzentos metros? Você pode dizer onde todos os inimigos estão em duzentos metros? — Impressionante. Se ela estivesse comigo no primeiro exame, eu teria localizado o macaco vermelho mais longe?

— Certo. Então, o que acha dessa: nós entramos em uma área muito perigosa e, para descobrir o que há a meu redor, lhe envio para vigiar os arredores. Qual o tamanho da área que você seria capaz de vigiar?

Dessa vez, desenhou novecentos.

— Novecentos metros? Você pode ficar a novecentos metros de mim?

— Miau.

Sylph fez que sim com a cabeça.

— Então você está dizendo que não pode ficar a mais de novecentos metros de mim?

— Miau.

— Ok… Se o nível da habilidade subir, é possível aumentar essa distância?

— Miau.

Acena, acena.

Depois disso, Sylph e eu conversamos, testamos isso e aquilo e aprendemos bastante sobre conjuração de espíritos.

Primeiro. Mesmo se eu mandasse Sylph vigiar, o tempo de conjuração não diminui. Vigiar não usa muita força.

Segundo. No entanto, quanto mais longe de mim, menor o poder dela. E, quanto mais perto de mim, maior o poder.

Terceiro. Depois de usar todo o tempo, depois de dez horas ele é completamente reiniciado. O tempo de conjuração dela é de duas horas, o que significa que, a cada cinco minutos, um será recuperado.

Nós testamos na vida real. Depois de usar todo o tempo de conjuração, esperei cinco minutos e chamei Sylph de volta.

Sylph foi conjurada por um minuto e desapareceu novamente.

“Ok. O mais importante, provavelmente, já foi decifrado.”

Inspecionando, conferindo, atirando. Estou confiando muito em Sylph.

Norte, sul, leste, oeste. Sylph sempre me dirá para que direção estou voltado.

O tempo de duas horas para conjuração é prejudicial para mim, mas tem um jeito de recuperá-lo. Só chamarei Sylph quando precisar dela. Não tenho escolha em lutas, mas, em outras situações, só chamarei ela uma vez a cada cinco minutos. Ela irá embora depois de sessenta segundos e voltará após cinco minutos. Tenho que estar com ela para não ser atacado, agora que essa ideia surgiu.

Se eu for atacado no tempo no qual Sylph não está, a situação vai complicar, mas as chances disso acontecer não são altas.

No minuto em que ela estiver conjurada, terei a vigilância dela.

E, depois de pensar em diferentes cenários, me preparei para o segundo exame. Toda manhã, caminho e faço flexões.

E, mesmo esses exercícios, depois de cinco dias, não são tão ruins como foram no primeiro dia. Acho que, mesmo em pouco tempo, a constância vale a pena.

No entanto, toda minha diligente preparação encontrou uma grande barreira. Essa barreira é…

— FILHO~!

Minha mãe entrou, do nada, em meu quarto. Totalmente surpreso, fechei o notebook onde estava fazendo anotações relativas ao exame.

Uh. Oi, mãe?

— Filho, o que você escondeu tão rápido?

Oh, não é nada.

Minha mãe soltou um suspiro como se entendesse algo.

— Filho, filho. Você não é mais um adolescente. Já está com quase trinta anos…

— Isso não está certo! Mãe, isso não é o que você está pensando…!

— Eu sei, eu sei. Me desculpe se entrei sem bater, filho.

Agh você sabe que… deixa pra lá. De qualquer forma, por que você ainda não está trabalhando?

— Filho, venha comigo para o trabalho.

— Por que eu deveria ir para a loja? Você já está com demência?

— Meu filho, que “belas” palavras.

Eu descaradamente encolhi os ombros. Mas senti que, o que deveria chegar, estava chegando.

O filho que gastou anos estudando para o exame público, e que já está com quase trinta, desiste e volta pra casa, para fazer nada. Minha mãe está ansiosa, dia após dia, para me arrastar ao mundo do frango frito.

No entanto, meu período restante é de apenas cinco dias. Eu certamente não quero passar meus possíveis últimos dias fritando frango.

— Mamãe sabe que você voltou há pouco tempo, então eu quero que você descanse um pouco. Mas dona Ye-rim disse que está doente e que não irá trabalhar hoje.

Droga. Ela está me encurralando de modo que não poderei escapar! Tenho que pensar em uma maneira de sair dessa situação…

Nesse momento, uma luz se acendeu em minha cabeça.

— Mãe, a senhora que trabalha com você a partir desse ano, não vai trabalhar apenas quatro dias por semana e, nos outros dias, você não ia contratar um temporário? Pensei ter ouvido que ela queria reduzir suas horas porque faz sessenta esse ano.

Oh. Oh meu. Você se lembra disso, filho?

Minha mãe ficou perturbada.

— Claro que me lembro. Você ouviu que o valor para contratar alguém em meio período para a loja é de seis mil won² por hora e ficou lamentando para mim como isso é melhor do que estava fazendo!

— Você tinha que ter estudado, com esse tipo de memória.

Meus exatos pensamentos.

Como o anjo da minhoquinha disse, agora que minha vida está em perigo, minha cabeça fica dando voltas e voltas.

— De qualquer forma, começando no mês que vem, eu irei à loja e trabalharei. Vamos deixar isso de lado? Ao menos estou em casa, faço a limpeza e lavo as roupas.

— Isso é verdade. Desde que você chegou, a casa tem estado mais limpa. Não acho nem um fio de cabelo no filtro do banheiro.

— Viu? Eu (Sylph) limpo muito bem.

— Certo. Vou deixar passar. Mas, a partir do mês que vem, se você não trabalhar, não terá mais mesada. Entendeu?

— Sim, senhora.

Minha mãe saiu para trabalhar e eu soltei um suspiro profundo.

Tenho muito o que fazer para meu próximo exame.


Tradutora: Marina | Revisor: Asura



1 – Nota do Asura: 10/10 ( ͡° ͜ʖ ͡°) ⤴

2 – Nota gringa: aprox. 6 dólares ⤴


Fontes
Cores