ZTJ – Capítulo 35 – Pervertido? Pedaço de Lixo?




Ao retornar à Academia Ortodoxa, Chen Changsheng fedia a álcool. Com os olhos apertados e a caminhada instável, sua intoxicação era evidente. Quanto a algum negócio sobre o Festival das Heras, isso há muito tempo fora expulso de sua mente e ele não podia mais se lembrar disso.

A biblioteca não tinha luzes. Sem ele lá, a Academia Ortodoxa tornava-se naturalmente tão deserta quanto era no passado. Enquanto caminhava pelo lago, seus arredores estavam silenciosos e desprovidos de pessoas. Havia apenas as estrelas que se moviam para cima e para baixo nas águas límpidas do lago, as reflexões indistintas das árvores na outra costa e a brisa refrescante do final da primavera soprando contra ele.

Ele ficou em pé em uma pedra na margem do lago, levantando a cabeça e olhando as estrelas no céu noturno por muito tempo. Então, ele olhou para as estrelas no lago, e também olhou para elas por muito tempo. Finalmente, ele fechou seus olhos e ficou lá silenciosamente por um longo tempo até que começou a gritar várias palavras iguais a maldições ao lago.

Ele sempre emitiu uma aura de silêncio e compostura, uma maturidade que excedia sua idade, e esse tipo de desabafo de emoções era extremamente raro. Hoje à noite, sob a influência do álcool, ele percebeu que estava um pouco cansado. Ele sentou-se diretamente na grama perto do lago, caiu para trás, e então sua mente começou a vagar.

A biblioteca estava negra. Ele não foi ler, não foi extrair a luz das estrelas para a Purificação, ele simplesmente deitou na grama em transe, um transe puro sem nenhum pensamento. Nestes poucos anos, especialmente depois daquela noite aos dez anos de idade, esta foi a primeira vez que ele se entregou dessa maneira, a primeira vez que desperdiçou tanto tempo.

Depois de um tempo, ele abriu os olhos e percebeu que ele ainda estava deitado na grama, suas duas mãos tocando o orvalho ligeiramente frio sobre as lâminas de grama. Suas bochechas também estavam um tanto úmidas. Poderia ser visto fracos raios de luz solar no horizonte — Era provavelmente por volta das cinco horas. Mesmo quando ele queria abandonar todas as restrições sob sua intoxicação, ele ainda não havia acordado prontamente. A disciplina rigorosa, mesmo inflexível, de sua rotina diária e seu método de manipulação de coisas já haviam mergulhado profundamente na medula de seus ossos, tornando-se uma espécie de instinto. Isso o fez sentir muito desamparado.

O hábito era uma coisa muito poderosa, de modo que, mesmo lavando a medula[1], não conseguiria lavá-la completamente. Chen Changsheng voltou para sua casa e foi ao barril da água para lavar cuidadosamente seu rosto com uma toalha úmida. Por um lado, ele pensou em algumas preocupações triviais, enquanto do outro ele manteve o canto de seus olhos naquela porta nova e bem fechada na parede por algum motivo, sentindo-se um pouco ansioso.

Os céus nunca concederiam qualquer pedido, mas hoje, eles o fizeram. Com um rangido, a porta de madeira foi aberta e uma menina pulou sobre o limiar como se estivesse pulando sobre pedras para atravessar um riacho. Então, ela saltou para ele, seus dois rabos de cavalo pretos balançando atrás dela muito lindamente.

Luoluo olhou para ele e disse com alegria: “Lah, Professor, você não acha que é muito conveniente?”

Ela estava sorrindo muito feliz, mas na realidade, estava muito nervosa, com medo de que Chen Changsheng fugisse como ontem.

Chen Changsheng não fugiu. Talvez fosse porque hoje, ele não estava se banhando nu em uma bacia de madeira, ou talvez fosse porque ele ainda não tinha despertado da ressaca da noite passada, ou talvez fosse porque finalmente abandonara toda resistência diante dessa garota. Ou talvez, ele também quisesse muito ver essa garota.

Saindo da Academia Ortodoxa, ele comprou duas tigelas de wontons[2] e passou o que não tinha pimentas para a garota. Ele então entrou na biblioteca, a menina seguindo com passos rápidos e pequenos enquanto segurava a tigela wonton, anormalmente satisfeita.

 

Após o café da manhã, Chen Changsheng começou a ler. Com uma habilidade extrema, ele encontrou seu objetivo entre as estantes de livros, sentou-se no chão e começou a ler de forma silenciosa e atenta, comparando a informação nestes textos mais primários com as três mil escrituras daoístas que ele havia lido na Vila Xining. Ele chamou esse método de estudo comparativo.

A leitura era uma tarefa muito entediante, e ver alguém ler era mais entediante ainda. Quando Chen Changsheng lia silenciosamente, ele, naturalmente, não falaria. No início, Luoluo achou isso muito interessante, aproximando-se dele e lendo com ele. Quando ela percebeu que havia muitos livros que ela não conseguia entender, ela começou a se sentir entediada, sentindo que acordar cedo não era realmente uma boa coisa a se fazer. A sonolência começou a invadir-lá como as formigas sob uma árvore, onda após onda, atacando-a sem um fim, fazendo com que sua cabeça se sentisse mais pesada…

Depois que algum tempo passou, Chen Changsheng emergiu de seu estado de esquecer de tudo, exceto livros, e sentiu que seu braço direito estava um pouco pesado, um tanto mole e entorpecido. Ele imediatamente pensou nessa cena quando ele acordou daquela noite de meditação e virou a cabeça. Como esperado, a menina mais uma vez abraçou o seu braço enquanto dormia.

Sua mão não estava realmente abraçando seu braço direito, apenas agarrando levemente a manga. Ela também não estava apoiada em seu ombro — por causa de sua pequena estatura, ela só podia apoiar-se na parte superior do braço. Essa postura não era muito confortável, mas ela dormiu muito profundamente e agradavelmente.

Chen Changsheng contemplou sua aparência completamente relaxada, a infantilidade completamente revelada por esse relaxamento e começou a sorrir.

Para que ela pudesse dormir tão profundamente, tão docemente, era naturalmente porque estava muito relaxada. Ela estava relaxada porque confiava nele. Ter a confiança total de alguém era um sentimento extremamente bom, especialmente para uma pessoa como ele que avançara silenciosamente através da capital por conta própria.

De repente, uma sombra caiu sobre o rosto da menina.

Uma pessoa normal não gosta da luz ao dormir, preferindo a escuridão, mas essa menina era claramente diferente das massas. Essa sombra fez com que sua testa se arrumasse, fez com que nariz se enruga-se ligeiramente. Ela proferiu dois gemidos insatisfeitos. Era possível que ela acordasse no próximo momento.

Chen Changsheng gostava de ver aquela garotinha dormir. Ter a perturbado naturalmente o deixou muito infeliz. Ele virou-se para a porta da biblioteca, subconscientemente arqueando as sobrancelhas.

A pessoa que apareceu na porta da biblioteca era Shuang’er. Por algum motivo, uma camada de gelo parecia cobrir o rosto dela e seu olhar estava quase gélido.

……

……

O humor de Shuang’er hoje estava extremamente ruim porque a Garça Branca voltou uma vez mais do sul distante, carregando outra carta da jovem senhorita.

Sua jovem senhorita não era uma daqueles idiotas cujos cérebro havia ficado confuso com aqueles livros idiotas sobre a virtude feminina, e a Grande Dinastia Zhou nunca colocou requisitos tão desconcertantes sobre suas mulheres quanto como o sul fez. Shuang’er entendeu claramente esse ponto, então ficou mais intrigada com a preocupação que sua jovem senhorita mostrou para com esse jovem sem vergonha.[3]

Embora houvesse aquele casamento, chegaria um dia em que esse casamento seria destruído, então por que sua jovem senhorita estava tão preocupada com aquele cara? Bem, a jovem senhorita escreveu na sua carta que apenas queria saber sobre osdesenvolvimentos recentes em relação a esse jovem, o que dificilmente poderia ser considerado como preocupação… mas, por que ela queria saber?

De fato, Shuang’er entendeu claramente que a jovem senhorita não queria que o jovem, por causa do noivado, se tornasse pó no rio da capital, e pediu-lhe que investigasse esses assuntos.

Ela obedientemente perguntou e sabia que Chen Changsheng agora se tornou o primeiro aluno da Academia Ortodoxa em muitos anos. Além disso, com base nas atitudes do mestre e da senhora, embora esse jovem não tivesse perspectivas futuras, não haveria problemas para manter sua vida. De acordo com as instruções da jovem senhorita, ela fez a viagem à Academia Ortodoxa para perguntar-lhe se ele ainda precisava de alguma ajuda, como por exemplo, em assuntos econômicos. Ela não esperava que entrando na biblioteca, ela veria tal cena!

Quem era essa garota? Por que ela estaria abraçando aquele cara? Estava eles estudando? Embora a Academia Ortodoxa estivesse deserta, ainda era um lugar de educação! Esse cara estava abraçando essa garota na biblioteca! Que escandaloso!

Ao ver essa cena, Shuang’er entrou em estado de indignação furiosa. Você tem um noivado com a jovem senhorita! Embora esse noivado certamente não contasse, enquanto você não o tenha terminado, sua identidade permanece como o noivo da jovem senhorita! Ou então por que a jovem senhorita se preocuparia com sua segurança mesmo estando a dez mil li, até convidando uma figura poderosa do palácio para vir e proteger sua vida insignificante? Embora a jovem senhorita possa não gostar de você, ela ainda se importa profundamente convosco, e ainda assim você se liga com outra garota! Realmente um casal adúltero!

Shuang’er originalmente queria dizer essas quatro palavras finais em voz alta, mas quando viu a beleza infantil da menina, ela perdeu um pouco de sua determinação. Em vez disso, ela olhou para Chen Changsheng e gritou com ódio: “Pervertido!”

Com esta palavra, ela já não tinha a condição mental para se preocupar com a situação de Chen Changsheng. Com uma varrida de sua manga, ela se virou e partiu com raiva.

A Academia Ortodoxa estava isolada e desabitada. Embora a grama perto do lago fosse prazerosa, ainda assim a Senhorita Shuang’er estava bastante sombria e cada vez mais infeliz.

Depois de retornar a propriedade do General Divino do Leste, ela começou a escrever uma carta a sua jovem senhorita. As questões sobre as quais ela havia perguntado… especialmente a respeito da cena que viu hoje, foram cuidadosamente descritas. Embora ela não tenha ornamentado as informações, apenas escrevendo o que ela tinha ouvido e visto, a denúncia em suas palavras não poderia ser completamente escondida.

A Garça Branca deixou a capital e voou para o distante Monte das Virgens Santas no sul.

No anoitecer, quando o sol poente iluminou as estranhas flores e as gramas incomuns no penhasco, a Garça Branca desceu. A menina estendeu a mão e tirou a carta e depois de olhar brevemente, ficou em silêncio por um longo tempo.

A Garça Branca mais uma vez ergueu o pincel em sua boca, mergulhou com a quantidade perfeita de tinta e depositou-o perfeitamente nas suas mãos.

Agarrando o pincel, a jovem olhou para o papel branco por um longo tempo. De repente, ela suspirou e usou o final do pincel para coçar a cabeça, depois virou-se para a Garça Branca e disse com veemência: “Eu realmente não sei o que escrever. Com base em como você o descreveu antes… aquele jovem daoísta não deveria ser esse tipo de pessoa.”

A Garça Branca não podia falar, então, naturalmente, não podia ajudá-la a responder. Ela tocou ligeiramente seu pescoço no pulso dela, indicando que ela deveria escrever rapidamente.

……

……

‘Pervertido’? Chen Changsheng tinha ouvido a palavra que Shuang’er havia dito antes de sua partida. Ele sabia que ela definitivamente devia ter entendido mal alguma coisa, mas ele não se importou e muito menos deixou a biblioteca para persegui-la e explicar. O noivado com a propriedade do General Divino ainda não havia sido despedaçado, mas depois de todas as coisas sem vergonha que tinham feito, ele não acreditava que eles tivessem o direito de mal interpretá-lo, muito menos de estar com raiva, mas… por alguma razão, ele estava com um pouco de raiva.

Luoluo acordou e esfregou seus olhos. Sentindo o cheiro de maquiagem, ela perguntou com curiosidade: “Professor, quem é que veio agora?”

Chen Changsheng respondeu: “Uma criada da propriedade do General Divino do Leste.”

Quando ouviu “propriedade do General Divino do Leste”, a expressão de Luoluo cintilou. Assim como ela estava preparada para dizer algo, de repente ela parou e olhou para fora da biblioteca.

Dois homens chegaram fora da biblioteca.

Um deles andou com passos largos para dentro da biblioteca, suas duas mãos atrás de suas costas. Entrando sem convite, ele parecia extremamente arrogante.

Esta pessoa estava vestida com o vestuário exclusivamente reservado para o supervisor da educação da Academia do Caminho Celestial.

Chen Changsheng percebeu que a expressão dessa pessoa era extremamente fria, o olhar que o visava era extremamente cruel.

”Ridículo!”

O Supervisor Educacional da Academia do Caminho Celestial olhou para Chen Changsheng, então rapidamente virou-se como se seus olhos estivessem sujos por olhar por mais tempo. Era uma postura de extremo desprezo.

Ele olhou para o homem ao lado dele e censurou duramente: “A Academia Ortodoxa já é uma ruína, qual é o direito que ela tenha para ser classificada entre as Seis Heras? Quanto a essa pessoa… um pedaço de lixo que nem mesmo conseguiu a Purificação, que direito ele tem para comparecer ao Festival das Heras?!”


Tradutor: Vaan   |   Revisor e QC: Enxarcado



1 – Observe que a “lavagem da medula” é a tradução literal de ‘洗 髓’, Purificação.
2 – Wontons.
3 – Está falando do Chen Changsheng.


Alterar fonte
Cores