TMW – Capítulo 232 – O Caminho do Sabre



Yi Yun seguiu o ancião por uma passagem escura. Depois de virar a esquina em torno de uma escada, ele entrou em uma passagem que levava ao subsolo.

Havia lâmpadas eternas penduradas nos dois lados da passagem, mas a luz dessas lâmpadas não era quente. Pelo contrário, a rajada de vento frio soprava pelas profundezas da passarela.

O ritmo do ancião não era lento, mas a passarela era extremamente longa. Depois de caminhar por quase trinta minutos, cobriram uma distância de quase quatro quilômetros.

Finalmente, o velho parou e disse:

— Chegamos.

O vento estava ainda mais frio ali. Com um sopro do vento frio, as lâmpadas eternas piscaram, diminuindo e iluminando.

O ancião lentamente virou o corpo. No final da passagem, havia duas grandes portas de bronze. Em suas superfícies, havia esculturas de um colosso primordial desconhecido. As esculturas gigantescas continham uma inexplicável abstração dentro delas que fazia-se sentir uma perturbação ao olhar para elas.

— Está aqui dentro!

O ancião disse enquanto arregaçava as mangas. Ele empurrou a porta esquerda de bronze com todas as suas forças.

Zha Zha Zha

Com o som das engrenagens sendo ativadas, a porta de bronze se abriu lentamente.

A porta era extremamente pesada e grossa. Enquanto o eixo de metal girava, todo o caminho começou a tremer devido à mudança súbita de peso.

Por alguma razão desconhecida, Yi Yun sentiu que o ancião não estava empurrando uma porta, mas uma lápide grossa.

Depois que o velho abriu a porta, ele segurou a porta com uma mão e disse:

— Isso foi pesado! Eu finalmente a abri. Você pode entrar agora…

O ancião apontou para o interior. Yi Yun hesitou e quando ele estava prestes a dar um passo, de repente ele sentiu um arrepio na direção dele, o que fez seu cabelo ficar em pé, ele sentiu um desconforto!

Intenção Assassina!

Hm!

Yi Yun ficou alarmado. Era como se houvesse uma existência aterradora além dessa porta.

Que tipo de porta este ancião abriu?

— Garoto, por que ainda está parado? Você não se atreve a entrar?

O ancião perguntou casualmente.

Yi Yun ficou surpreso:

— Sênior, o que é esse lugar?

— Que lugar é esse? Hehe…

O ancião riu sinistramente.

— Esta é uma antiga tumba.

— Tumba!?

Yi Yun ficou espantado.

— Uma tumba! Poderia este ser o lugar de descanso de algum antepassado do Reino Divino Tai Ah?

— Você tem tantas perguntas.

Disse o ancião enquanto acenava com a mão, impaciente. Mas com alguma deliberação, ele disse:

— Na verdade… não há nenhum mal em dizer isso a você… você sabe por que a Cidade Divina Tai Ah foi construída aqui?

O ancião respondeu à pergunta de Yi Yun com outra pergunta. Yi Yun começou a pensar. Ele originalmente acreditava que a razão por trás da construção da Cidade Divina Tai Ah neste local era uma escolha aleatoriamente de um local na Região Selvagem Divina que tivesse um pulso espiritual denso de Qi Yuan do Céu e da Terra, o que permitiria às elites do Reino Divino Tai Ah treinar aqui.

Mas agora, pelas palavras do ancião, parecia que não era esse o caso.

Yi Yun sacudiu a cabeça e confessou:

— Não.

O ancião deu um tapinha na porta de bronze que já estava aberta e disse:

— A Cidade Divina Tai Ah foi construída aqui por causa dessa antiga tumba! O dono desta tumba não é um antepassado do Reino Divino Tai Ah, mas outra pessoa. De fato, esta antiga tumba existia pelo menos alguns milhões de anos antes do Reino Tai Ah Divino ser estabelecido!

A resposta do ancião pegou Yi Yun de surpresa. Esta antiga tumba antecedeu o Reino Divino Tai Ah por tantos anos!

O ancião continuou.

— Quanto a quem é o dono da tumba, não há como verificar quem é. Quando o primeiro lorde da Cidade Divina Tai Ah encontrou esta antiga tumba, ela já havia sido aberta. Os itens funerários, patrimônio e cadáver desapareceram há muito tempo!

— Mas o campo da formação da tumba ainda existia! Havia muitas inscrições antigas nela. O lorde fundador da Cidade Divina Tai Ah usou o campo da formação da tumba como uma base para construir a grande formação da Cidade Divina Tai Ah!

— Todos esses anos, a Cidade Divina Tai Ah tem reunido o Qi Yuan do Céu e da Terra. Uma parte dele é usado para nutrir o campo da formação da antiga tumba. Se esse campo fosse estabilizado, a Cidade Divina Tai Ah seria indestrutível!

Depois de ouvir as palavras do ancião, Yi Yun finalmente entendeu. Tendo permanecido na Região Divina Selvagem por dezenas de milhões de anos, a Cidade Divina Tai Ah inevitavelmente sofreria ataques de hordas de bestas!

Uma horda típica de bestas estaria cortejando a morte se atacassem a Cidade Divina. Mas se um grande número de raças primordiais atacasse, a Cidade Divina Tai Ah enfrentaria uma tremenda pressão. Com o campo da formação da antiga tumba presente, a Cidade Divina Tai Ah permaneceu firme!

— Entre. Garoto, com certeza você teve sorte!

O ancião empurrou Yi Yun em direção à tumba.

Yi Yun teve uma sensação estranha. De acordo com o ancião, essa antiga tumba era um ponto importante na Cidade Divina Tai Ah; ainda assim, o ancião poderia trazê-lo. Isso revelou quão extraordinário era o status do ancião.

— Sênior… já que a tumba foi limpa por outros, então o que há para eu fazer lá dentro?

Mesmo antes de Yi Yun conseguir terminar, o ancião o empurrou para dentro da tumba.

— Garoto, na antiga tumba, há duas câmaras. A câmara da esquerda está relacionada a sabres! Faça bem em compreender a percepção dela. É uma grande oportunidade! Há muitos tesouros na Cidade Divina Tai Ah. Tudo depende se você tem a capacidade de obtê-los!

Depois que o ancião terminou a frase, ele pressionou a porta de bronze. Com um som de Zha Zha Zha, ele fechou a porta da tumba.

Yi Yun estava agora em um espaço completamente fechado.

Vendo a porta se fechar, o coração de Yi Yun bateu forte. Este ancião não temia que os mecanismos se tornassem defeituosos? O peso da porta era aterrorizante, não havia absolutamente nenhuma maneira de Yi Yun conseguir abri-la.

A câmara da tumba estava agora completamente isolada do mundo exterior.

Yi Yun mediu a câmara. Ela não era grande e tinha cerca de dez metros de largura.

Havia lâmpadas eternas nas quatro paredes, permitindo que ele visse claramente.

No meio da câmara, havia um sarcófago. O sarcófago já estava aberto e a tampa já havia desaparecido. Era óbvio que o sarcófago estava vazio.

Yi Yun deu uma olhada no interior e engasgou um pouco.

O sarcófago não estava tão vazio quanto Yi Yun esperava. Havia uma placa de metal grossa com um longo entalhe no meio. O entalhe tinha cerca de um metro e meio de comprimento. Era como se algo estivesse embutido nele originalmente.

Depois que Yi Yun mediu, ele ficou chocado.

Parecia a forma de um sabre!

Um sabre foi originalmente colocado dentro do entalhe!

Talvez este sarcófago não tenha sido usado para enterrar uma pessoa, mas sim um sabre!

Mas agora, o sabre se foi, restando apenas um sarcófago de sabre.

Uma pena!

Yi Yun suspirou. Se o sabre fosse deixado, claramente seria um grande tesouro! Se fosse possível, ele queria ver o quão incrível o sabre era!

— Eu realmente não sei que tipo de pessoa o dono da tumba era. Quando o lorde fundador construiu a Cidade Divina Tai Ah, ele teve que usar o campo da tumba para reforçar a cidade divina. Isso significa que o lorde fundador da Cidade Divina Tai Ah não poderia montar um campo de formação tão grande!

— Com essa hipótese, o dono da tumba era ainda mais capaz do que o primeiro lorde da Cidade Divina Tai Ah!

Yi Yun teve sentimentos mistos ao chegar a essa conclusão. Havia muitos especialistas incomparáveis ​​neste mundo. Não havia limite no universo.

— Por que o ancião me trouxe aqui… este sarcófago está vazio…

Quando Yi Yun franziu as sobrancelhas, de repente percebeu alguma coisa. Com a luz da lâmpada eterna, ele encontrou algumas marcas nas paredes da câmara!

Cada marca era extremamente afiada, como se fossem esculpidas por um sabre!

Era uma cicatriz de sabre!

Havia quatro cicatrizes de sabre!

E abaixo de cada cicatriz de sabre, havia palavras escritas na parede!

Ao ver essas palavras, Yi Yun ficou momentaneamente muito feliz. Isso poderia ser uma fórmula de mantra de uma técnica de sabre inigualável?

Yi Yun correu para ver se havia mais alguma coisa na parede, mas depois de procurar, ficou um pouco desapontado. Não havia palavras suficientes para que fosse uma fórmula de mantra.

Com um olhar, as palavras debaixo da primeira cicatriz de sabre diziam…

“A verdade do sabre, avançando com uma vontade indomável!”

As palavras embaixo da segunda cicatriz de sabre diziam…

“O imperador entre armas, reinando supremo.”

As palavras embaixo da terceira cicatriz de sabre diziam…

“A aura do filho do Céu, com morte em seu cerne.”

E as palavras debaixo da quarta cicatriz de sabre diziam…

“Com uma mente invencível, invencível em todos os outros aspectos!”

As quatro frases eram curtas, mas havia uma qualidade indescritível em cada uma delas. Yi Yun sentiu seu sangue correr depois de lê-las.

A verdade do sabre?

Yi Yun havia obtido o Sabre de Mil Exércitos desde o início. Ele sempre usava esse sabre, mas ele só o usava como uma arma útil. Ele nunca havia considerado qual era o caminho do sabre.

O Sabre de Mil Exércitos na verdade parecia uma espada. Sua lâmina era longa e quase reta.

Mas, tinha uma diferença essencial de uma espada.

Uma espada era ágil, elegante e mutável.

A esgrima de Lin Xintong era tendenciosa para a desenvoltura e a elegância. Quando ela golpeava com a espada, era como se uma fada nascesse. Quanto a Chu Xiaoran, ela estava inclinada para a mutabilidade dos movimentos da espada. Sua espada era suave como a água e sua esgrima era imprevisível.

No entanto, um sabre era diferente.

A agilidade e a mutabilidade não eram qualidades de um sabre.

O caminho do sabre era ser uma autoridade absoluta sob os céus com sua lâmina afiada!

O sabre era o imperador entre as armas. Com um golpe do sabre, não havia fim à vista, reinando supremo em todo o mundo!

O cerne do sabre era o prazer de matar.

Ser decisivo em matar, matando todos!

Com tal postura, a mente do indivíduo era invencível, fazendo com que ele fosse inigualável em todo o mundo!

 

🎁 Este capítulo foi patrocinado pelo discípulo Boleva!


Tradutor: Apollo | Revisor: BravoEd



Fontes
Cores