Volume 4, Capítulo 15


O grupo de Zheng finalmente chegou ao mercado. Eles se separaram em dois grupos de acordo com um plano que traçaram anteriormente. Um grupo foi estocar os suprimentos enquanto o outro foi comprar cavalos.

“Sim, só queremos cavalos e não camelos. Se você não tem cavalos o suficiente, nós completaremos com o restante de outros mercadores”, Jonathan disse a um mercador enquanto apertava uma pepita de ouro com seus dedos.

Tem-se que admitir que há um lado positivo da ganância, o de ter a capacidade de obter qualquer tipo de vantagem possível durante uma barganha. Apesar da relutância em ceder a pepita de ouro, Jonathan na verdade tinha era uma barra inteira de ouro em seu bolso, fora o dinheiro dado por Zheng para que ele completasse essa tarefa.

Os dois grupos finalizaram as responsabilidades a que foram delegados em uma hora. Todos os mercadores demonstraram uma grande eficiência diante da influência do ouro e prepararam tudo que eles precisavam em um curto período de tempo. Sem dizer muitas palavras, eles pegaram seus suprimentos e saíram do pequeno armazém em seus cavalos.

Ardeth os guiou para dentro do seu armazém particular que estava vazio. Ele puxou uma corrente ao chão e abriu um alçapão que dava para um túnel no subsolo do armazém. Assim que fizera isso, fora recebido com duas armas apontadas em sua direção assim que abrira o alçapão.

Ardeth gritou alguma coisa em egípcio e, em seguida, dois homens de preto subiram pelas escadas. Eles demonstraram respeito por Ardeth que assentiu a eles com a cabeça e então falou para Zheng: “Me sigam. As armas estão ali embaixo.”

O porão não era muito grande, mas continha uma grande quantidade de armas. Com exceção de canhões, tinha basicamente todos os tipos de armas disponíveis dessa época, incluindo metralhadoras tiradas de um caça (aeronave). E exatamente como fora no enredo original do filme, Ardeth escolhera a metralhadora e alguns explosivos.

Depois de todos se armarem e ficarem prontos, Honglu rapidamente acrescentou a Ardeth apontando para seus dois subordinados: “Leve esses dois conosco. Depois que nós sairmos do mercado, mande um deles levar um de nossos aparelhos de comunicação para os nossos aliados no deserto e o outro pegará o restante desses aparelhos e seguirá até Hamunaptra, numa velocidade metade da nossa. Enquanto isso, nós seguiremos para Hamunaptra o mais rápido possível, cada um de nós rotacionando entre os três cavalos. Com isso, nós daremos a eles uma surpresa caso cheguem antes de nós ou não.”

[NT: Acho isso interessante de ser levado em consideração pois é uma estratégia inteligente, mesmo o autor não explicando ela a fundo: Como os aparelhos de comunicação rastreiam a posição do grupo e dois de seus integrantes foram dominados no navio e tinham desses aparelhos. Honglu utilizou-se disso para evitar que seus inimigos saibam sua real posição e enganá-los. Seu engodo partiu do plano traçado anteriormente que o inimigo já sabia, que era que eles iriam dividir-se em dois grupos, um grupo indo em direção até o exército de cavaleiros e outro indo para Hamunaptra numa velocidade normal sem muita pressa. Onde na verdade, ele descartou o plano original e todos foram juntos para Hamunaptra numa velocidade superior ao normal e sem os aparelhos de comunicação, os entregando aos dois Medjai que fariam essa ilusão do plano anterior ainda estar em vigor.]

E assim, o grupo partiu do mercado novamente. Para evitarem terem suas mentes controladas, todos, inclusive Honglu, que não podia de fato lutar, seguiram na direção de Hamunaptra. “É a terceira vez que nós atravessamos esse deserto. Eu espero que não haja uma quarta”, Zheng disse enquanto sentava na sela de seu cavalo olhando para o deserto a sua frente.

Evelyn sorriu e disse: “Isso não parece muito bem dito. Se nós não pudermos atravessar por uma quarta vez, não significa que nós morreremos em Hamunaptra? Então é melhor dizer que veremos esse deserto uma quarta vez”.

Zheng riu disso. O que havia dito era algo que apenas jogadores podiam entender, afinal eles voltariam para a dimensão de Deus se conseguissem terminar a missão, então não haveria a chance de ver esse cenário novamente. Se acontecesse um cenário diferente do que tinham pensado, significaria que o plano deles havia falhado e eles estariam perseguindo o outro time ou fugindo deles. Ambas as possibilidades poderiam terminar na exterminação do grupo, por causa da incerteza da batalha. Zheng olhou para seu Anel Na e pensou. “Eu estou cansado de fugir deles. Em Hamunaptra possivelmente iremos tudo ou nada e resolveremos isso de uma vez por todas, já que todos os problemas começaram lá e também terminarão lá!”. Havia uma grande quantidade de granadas que não estava lá anteriormente. O time decidiu enterrar Tengyi numa colina fora do mercado e encontrou essas granadas em seu corpo. “Que tudo termine em Hamunaptra!”

As adversidades eram inimagináveis quando se está viajando sem parar pelo deserto e rotacionando entre três cavalos. Eles sentiram como se seus corpos estivessem caindo em pedaços. Graças a magia de suporte de estamina de Lan que eles conseguiram continuar. Com isso, reduziram o tempo de travessia do deserto de vários dias para apenas um dia e uma noite.

Eram quatro da manhã, apenas mais uma hora de cavalgada e eles alcançariam Hamunaptra um pouco antes do amanhecer. Nesse momento, sentiram o chão tremer e a intensidade do tremor estava aumentando gradativamente com o passar do tempo.

Todos olharam ao redor mas estava um bréu, não podiam ver nada além de cem metros de distância. Zero cavalgou até o topo de uma pequena colina e olhou em volta, dizendo: “Uma grande concentração de areia está rolando em nossa direção. Não parece ser uma tempestade de areia, já que só tem um ou dois metros de altura. São múmias! E muitas delas, estão vindo muito rápido!”

As múmias não tinham medidores de estamina e não podiam sentir dor ou cansaço. Várias milhares de múmias estavam correndo sem parar em uma velocidade que podia ser equiparada a de cavalos.

Logo após Zero terminar de dizer suas palavras, uma nova onda de areia rolando no deserto foi vista junto com o barulho de cascos de cavalos. Dez mil cavaleiros Medjai todos de preto estavam investindo contra as múmias. Se não fosse por seu olhar de águia, ele não seria capaz de vê-los, afinal os dois exércitos estavam a uma distância considerável de onde estavam. Zero retornou imediatamente ao grupo e relatou a situação: “É mesmo? Galera, aumentem a velocidade. Nós daremos a eles uma bela de uma surpresa!” Zheng gritou e os guiou pelo caminho à frente até Hamunaptra.

O grupo finalmente alcançou Hamunaptra ao amanhecer. Ela parecia magnífica diante da luz dourada do sol, como se tivesse voltado no tempo até a era próspera do Egito antigo. Contudo, ninguém teve tempo de apreciar este cenário quando viram as dezenas de aviões voando em direção à Hamunaptra.

Todos se esconderam nas sombras entre os múltiplos pilares de pedra para os aviões passarem. Então Zheng perguntou a Zero: “Você pode derruba-los com seu rifle?”

Zero suspirou. “Não poderei derrubar todos eles. Mas não tem problema se for apenas alguns, o rifle Gauss é poderoso, no entanto leva muito tempo para recarregar. Eu poderei apenas atirar três vezes antes dos aviões pousarem. Eu creio que foi por isso que eles trouxeram tantos aviões, para evitar serem derrubados pelo meu rifle.”

Todos suspiraram decepcionados ao ver essa oportunidade ter ido por água a baixo. Zheng expirou e disse a todos: “Então seguiremos o nosso plano original. Zero será responsável por localizar aquela mulher indiana e matá-la e Heng irá protege-lo. Lembrem-se de mudar suas posições depois de atirar, seja um tiro certeiro ou não. O restante virá comigo para a tumba. Então nós nos separaremos e procuraremos pela estátua de Ra. Quem quer que a encontre sinalizará para os demais dando um tiro”.

Zheng repetiu o plano para o grupo e, em seguida, caminhou adiante até a entrada da tumba, virando-se para trás e olhando para Zero e Heng novamente antes de entrar. Zero estava procurando um lugar ideal para atirar enquanto Heng estava ajustando seu arco. Durante este momento que Zheng virara de costas para tumba e uma mão agarrou seu pescoço por trás e o levantou.

Logo na entrada da tumba, uma mão formada por areia subitamente apareceu do nada. Mais areia se reuniu em volta dela e formou a figura de Imhotep. Ele atirou Zheng na tumba, o fazendo colidir com uma parede, mas por conta dela estar um tanto frágil, ele a atravessou e colidiu com algo metálico.

Ardeth e Jie eram os que estavam mais próximos da entrada. Ambos abriram fogo contra Imhotep, mas ainda assim como lhes foi demonstrado anteriormente no Cairo que nem mesmo balas mágicas eram eficazes contra ele, então essas balas normais, que eles estavam usando agora, dariam um resultado ainda inferior ao de antes. O’Connell atirou com seu rifle, mas também não teve sucesso. As balas atiradas passaram por Ihmotep e o buraco feito por elas foi instantaneamente regenerado. Ele permaneceu lá, intacto e, em seguida, se transformou em uma tempestade de areia.

Yinkong reagiu imediatamente, mas ela conseguiu apenas retirar a sua adaga antes que essa tempestade de areia fosse em direção à tumba e desaparecesse de suas vistas.

Ao mesmo tempo.

Bang!

Zero atirou com seu rifle Gauss em seu alvo.

****

“Então, que nosso plano entre em ação. Exterminem o time deles!” Honglu sorriu friamente.

Todos os outros sorriram junto com ele. Embora fosse inesperado que o time Índia chegasse tão cedo, isso não afetou o plano deles, o qual consistia em pressionar o time Índia ao desespero.

Dos dois Medjais que vieram com eles, um foi até o grande exército de cavaleiros e outro estava seguindo atrás numa velocidade que era metade da deles. Se esses dois por acaso tivessem suas mentes controladas, eles teriam de lutar contra o time Índia mano a mano, mas se eles não fossem dominados, então era certo que o plano de Honglu teria sucesso.

Afinal, o Medjai que foi até exército carregava uma mensagem secreta de Ardeth para o comandante dos cavaleiros, carregando junto alguns aparelhos de comunicação. A mensagem requisitava para que eles mandassem mil homens para Hamunaptra, que também rotacionariam entre três cavalos para chegar o mais rápido possível até a tumba e, assim que esses homens ouvissem o primeiro tiro, eles investiriam em direção à Hamunaptra, matando qualquer grupo que estivesse indo até lá.

A missão de Zero era de atirar de uma longa distância na primeira pessoa do time Índia que ele visse, não importasse quem fosse, seja ela a usuária de força psíquica ou não. Ele teria que começar a atirar mesmo se ele não pudesse matar alguém com aquele tiro, pois seu tiro sinalizaria o início do plano.

“Uma lógica simples. Eles serão atacados pela cavalaria não importa de que direção eles venham. Ainda mais depois de saberem de nosso plano anterior, então o método mais seguro de transporte seria por avião. Se eles não virem nenhuma cavalaria em volta de Hamunaptra, o que eles farão? Obviamente eles irão querer pousar e desembarcar em solo ‘seguro’.”

“O único problema é se eles também trouxerem cavalos e camelos junto. Todavia, os aviões dessa época não possuem a capacidade de fazer isso. Então eles terão que correr logo após pousarem, mas quem corre mais rápido? Cavalos ou pessoas… Hoho, quero ver como vão peitar mano a mano contra um exercito!”

Jie e Lan carregaram Zheng para fora da tumba. Ele parecia estar em uma condição física não muito boa pela colisão de antes. Enquanto estava ali deitado atordoado, alguns escaravelhos tentavam entrar em seu corpo, mas a densidade de seus músculos preveniu de terem sucesso. Eles mataram os escaravelhos com alguns tiros e Zheng logo se recuperou do impacto que sofrera.

Yinkong olhou para ele e para seu relógio e disse: “Estamos ganhando por um ponto. Zero acabou de matar um deles. Agora deixaremos o trabalho para a cavalaria. Espero que o ataque deles possa dar algum resultado.”

Honglu arrancou um pedaço de uma maçã com uma mordida e disse: “Não existe algo como um plano perfeito, nem mesmo eu posso faze-lo. A menos que a pessoa que o fez tenha eliminado totalmente todos os seus desejos pessoais e suas perspectivas individuais. Somente tal pessoa que consegue ver tudo de cima, com a perspectiva de um expectador pode fazer tal plano. Se ela também tiver uma sabedoria e habilidade dedutiva excepcionais, então será um perfeito comandante e o mais forte estrategista existente. Infelizmente não existe um humano que atinja essa perfeição nesse mundo. Além no mais, tal perfeição apenas acarretaria em sua autodestruição.”

Enquanto ele terminava sua fala, eles viram a cavalaria vindo à distância. Ainda que eles soubessem que eram apenas mil homens a visão ainda era espetacular. Todos os jogadores vieram de um mundo pacífico e nunca tiveram a chance de ver algo tão maravilhoso. Por um momento, eles seguraram suas respirações e assistiram. Os cavaleiros gradualmente apareceram dentro de uma nuvem de areia e poeira criada pelos cavalos galopando. Cada cavaleiro carregava uma arma e uma cimitarra.

Zheng olhou para os mil homens e disse em um tom de voz frio: “Eles perderam a melhor chance de nos matar em Cairo… Que se f**m, nós podemos finalmente matar o líder deles aqui. Tengyi! Nós vingaremos a sua morte!”

Enquanto eles estavam conversando, todos ouviram outro som alto de tiro. Zero havia puxado o gatilho de novo e, logo após esse tiro, o número em seus relógios retornara a zero, sinalizando que alguém do time deles havia morrido!

Um membro morrera, significando que o time China voltara a zero pontos e o time com pontos negativos no final do filme seria exterminado.

“Zero!” Zheng berrou. Ele imediatamente se recordou de quando encontrou Zero pela primeira vez. Era um homem taciturno que sempre completava as responsabilidades que lhe eram dadas e que o salvou inúmeras vezes. Ele também se lembrou do carinhoso sorriso quando ele nadou com aquela garotinha durante as férias no resort… Ele era um verdadeiro companheiro!

Zheng disparou correndo na direção da localização de Zero enquanto berrava. Yinkong também o seguiu logo atrás. Jie massageava as têmporas de sua cabeça como se tivesse tido uma dor de cabeça intensa. Ele se agachou no chão enquanto suor caía dele como se fosse chuva. No entanto, ninguém pareceu notar isso, porque suas atenções estavam voltadas para onde estavam Zero e Heng.

Zheng, angustiado, corria em velocidade máxima até finalmente alcançar o esconderijo de Zero e Heng dez segundos depois, mas os dois homens olharam para ele em confusão. Zero apenas disse calmamente: “Aquele com as roupas indianas que eu atirei provavelmente é Liang ou Zhuiyu. Há ainda mais duas mulheres em roupas indianas, ambas vestindo véus. Eu não sei se continuo a atirar ou não.”

Zheng o encarou e então deu um tapão em seu ombro. “Que bom, você ainda está vivo! Merda, você não pode morrer car***ho! Eu quero continuar lutando ao seu lado, irmão!”

Zero ficou surpreso com isso e então olhou atenciosamente para Zheng e disse: “Farei isso até a morte..”

Ao mesmo tempo, Shiva estava no limite de seu estado de raiva. Ele berrava enquanto avançava pelo deserto em cima da cabeça de uma serpente gigante. Ao seu lado estava Arot em forma de lobisomen, o qual parecia estar completamente curado de seus ferimentos anteriores. Ele estava correndo com uma velocidade pareando a de Shiva.

Shiva continuava berrando. “Shainaia, continue com seus ataques mentais! Você tem que conseguir a localização deles! Aquela pessoa tem uma alta probabilidade de ser um Guia. Guias não podem atacar membros de outro time! Encontre a localização dele e então mande Lamu matá-lo!”

Dois corpos estavam deitados no chão atrás deles. Um era o de um homem magro que usava duas lâminas curvas. O outro era de Liang vestindo roupas femininas indianas. Seus olhos estavam amplamente abertos e seu rosto mostrava uma expressão de descrença. Havia mais quatro pessoas correndo pelo chão, três mulheres e um homem. Shainaia respondeu: “Está ficando mais fraco. Ele com certeza é um Guia. Ele deve estar resistindo o sofrimento da punição de Deus… Quase consegui a localização dele, quase… Lamu, agora!”

Ela berrou para o homem ao lado dela e este lançou a agulha em sua mão…

“Farei isso até a morte…” Antes que ele pudesse terminar a sentença, ele mirou com sua arma e apertou o gatilho novamente. Ao mesmo tempo sangue espirrou de seu peito e todos em volta assistiram quando Zero caiu no chão com seu rifle. Uma agulha havia perfurado seu peito. A agulha não atingiu seus pulmões dessa vez, mas sim em seu coração… O sangue que espirrava indicava que havia um buraco em seu coração. A agulha lentamente foi puxada para fora fazendo o sangramento aumentar deixando um buraco pequeno em seu coração.

O rosto de Zheng parecia distorcer-se. Ele imediatamente pressionou a agulha no peito de Zero, tentando prevenir que ela saísse. Justamente porque no momento que ela saísse de seu peito seria o momento em que ele morreria. Zheng não queria perder um companheiro que ele admirava, um irmão com quem ele poderia lutar lado a lado até a morte. Ele morrer bem ali na sua frente.. Ele não queria que isso acontecesse!

Mesmo assim a força de expulsão da agulha era tão forte que emitia um choque elétrico quando ele a tocou, atordoando suas mãos. Ele assistiu a agulha sendo arrancada até desaparecer no ar. O sangue de Zero tingiu suas mãos de vermelho…

“… até a morte. Eu agora não posso mais seguir junto contigo, irmão…”

Zero sorriu e então fechou seus olhos. O rifle Gaus lentamente escorregou de seus braços…

Zheng encarou o sangue em suas mãos em completo transe. Por um momento sua mente ficou totalmente vazia até os berros vindo dos cavaleiros à distância o acordarem de seu transe. Ele, em seguida, também começou a berrar com raiva e desejo de matar imensos.

“Time Índia! Eu vou matar vocês! AAAHHH…”


Tradução: Devlin

Revisão: Barafael


Contribua com a Novel Mania!