TI – Volume 7, Capítulo 13



Zheng arrastou Techoi enquanto corria pelo beco, esmagando a cabeça dele e a arrancando para fora do corpo.

“Chama vermelha!” Ele ativou sua habilidade fazendo sua chama envolvê-lo e lentamente removeu o cheiro de sangue de seu corpo. Sua recuperação também foi impressionante, o ferimento em sua perna já tinha começado a se curar. Então ele lançou-se na direção de uma parede e se escondeu nas trevas.

Dois minutos depois, uma prancha voadora pairava logo acima dele. Um homem caucasiano berrava com raiva e com um tom de voz levemente aterrorizado: “Líder, não consigo achá-lo. Consegui sentir uma chama alguns instantes atrás, mas agora não sinto mais nada aqui”.

Ele pausou por um segundo e então berrou: “Líder do time China, eu sei que você está aqui! Pare de  se esconder igual a uma tartaruga no casco! Nosso líder disse que se você se revelar e lutar mano a mano, você terá ainda uma chance de continuar vivendo. Mas se você vai continuar se escondendo, nós usaremos quaisquer meios que sejam para te matar!”

Zheng continuou se escondendo silenciosamente. A distância entre ele e Francis era de cerca de dez metros de altura. Ele não podia alcançá-lo tão facilmente com sua técnica de movimentação. Então só lhe restou continuar esperando.

Francis não era uma ameaça muito perigosa, mesmo quando ele se transformasse num urso. Tudo o que ele teria era força física. Se eles continuassem a lutar a curta distância, Zheng tinha a confiança de que podia matá-lo dentro de cinco minutos. Infelizmente, ele não era seu único inimigo. Havia ainda uma pessoa que ainda não chegou a atacá-lo e ela lhe impunha uma pressão imensa. Tal pessoa era o clone dele. Ele não tinha confiança de que podia vencer contra seu clone, mesmo eles nunca terem se enfrentado antes. Eram seus instintos o avisando para ficar longe dele.

Francis parecia estar cada vez mais impaciente. Sua prancha voadora subitamente inclinou-se num ângulo que o direcionava para o chão, então, ele disparou muitos minimísseis na área em volta de Zheng. Antes que ele pudesse reagir, as ondas de choque da explosão já atingiram seu corpo.

Como esses mísseis não o atingiam diretamente, apenas ondas de choque, não foi um problema de fato, pois seu corpo era forte o suficiente para resistir a esses ataques. Entretanto, as casas e paredes à sua volta foram afetadas pelas explosões. Incêndios foram iniciados e muitas casas estavam desmoronando perto dele.

Zheng cerrou os dentes e quando ele estava prestes a investir para cima de seu oponente, ao mesmo tempo, um míssel foi disparado das trevas e atingiu a prancha voadora. Francis foi jogado para fora durante a explosão e Zheng aproveitou a oportunidade para correr direto para cima dele.

Justamente quando Zheng corria para onde Francis estava caindo, choveram sons de tiros na sua direção e ele foi atingido no seu braço esquerdo. Felizmente, a técnica de movimentação estava ativa durante isso. Entretanto, ele foi arremessado para trás por essa bala.

Uma figura gigante caminhou para fora de uma fumaça a cem metros dali. Ela tinha três metros de altura e estava vestindo um uniforme similar ao de Nêmesis, com apenas seu peitoral exposto, pois  neste tinha um olho grande olhando para ele.

Assim que Zheng o viu virando sua metralhadora na sua direção, ele recuou para trás num salto. Os prédios desmoronados adicionaram uma complexidade maior ao campo de batalha. Ele era capaz de facilmente se esconder na fumaça.

O Nêmesis uivou, parecendo desapontado com a fuga de Zheng. Ele voltou a atenção para Francis que ainda estava atordoado e disparou com sua metralhadora apavorando o homem imensamente. No entanto, as balas pararam bem a frente de Francis. Um campo de força translúcido as bloqueou, mas a metralhadora continuava a atirar e esse campo de força estava ficando mais fraco.

Francis, ao olhar para essas balas que estavam prestes a atingi-lo, rugiu. Seu corpo aumentou de tamanho enquanto se transformava num urso. Ele investiu contra a parede e continuou adiante derrubando-as pelo caminho levando algumas porradas.

O prédio inteiro que ele estava investindo desmoronou. Ele teve sorte que o prédio desmoronado bloqueou mais um ataque de míssel do Nêmesis. Este sentiu que não foi o suficiente e mandou mais dois mísseis fazendo com que mais duas explosões ocorressem onde o urso tinha estado, mas não tinha certeza se os mísseis tinham o atingido. O Nêmesis rugiu e prosseguiu adentrando ao fogo.

Enquanto isso, Zheng estava ofegante enquanto corria pelo beco. Depois de percorrer algumas centenas de metros, ele se escondeu num canto e então imediatamente retirou sua faca militar, usando-a para abrir o ferimento onde foi atingido por uma bala e então colocou a mão para retirar a bala fora do comum que estava alojada no seu corpo.

“Não atingiu nenhum osso.” Isso era o melhor resultado possível para ele, não atingir ossos e não danificar os nervos. Zheng deu uma suspiro de alívio. Quando ele retirou o spray de homeostasia, o ferimento já tinha começado a se fechar. A bala que o tinha atingido era grande o suficiente para quebrar completamente o braço de uma pessoa normal e ele a tinha bloqueado com seus músculos. Seu corpo definitivamente superava o corpo de um ser humano normal por uma margem enorme.

Zheng subitamente pensou numa possibilidade de uma saída. Se tivesse sucesso, ele poderia ter uma chance de derrotar o time Infernal. Se seu clone não fosse forte em todos os quesitos, o poder de fogo de One poderia reverter a situação a seu favor.

Foi então que com diversas explosões acontecendo e o som de paredes desmoronando, uma figura gigante investiu na sua direção. Esse urso negro tinha focado-se em correr a toda velocidade destruindo no caminho não sabe-se quantas paredes. Explosões o perseguia atrás numa distância de cem metros, ele pode inferir que o Nêmesis estava seguindo esse urso por todo o caminho.

Zheng rapidamente simulou o modo de pensar de Xuan e calculou que tinha sessenta por cento de probabilidade de matar Francis e trinta por cento de probabilidade de fazer One se lembrar dele, no entanto a probabilidade dele chegar perto de One sem ser alvejado era muito baixa.

O urso estava ofegante, havia diversos ferimentos de balas alojados profundamente nas suas costas, mas como ele tinha músculos espessos, tais ferimentos não eram algo a se preocupar muito. Entretanto, os ferimentos o fazia correr com ainda maior ímpeto, não se importando mais se tinha ou não uma parede em frente dele, ele sabia que essa parede iria desmoronar assim que ele investisse atravessando por ela. Sua força o permitia correr sem parar por todo o caminho, destruindo muitas casas e até mesmo alguns zumbis pelo caminho foram aniquilados.

Outra parede apareceu no caminho do urso, ele inclinou a cabeça e investiu diretamente na direção dela. E assim que a atravessou, uma faca o cortou pela lateral de sua cabeça, contudo, essa faca não era afiada o suficiente e foi parada perto do osso frontal por uma camada espessa de carne. Entretanto, o portador daquela faca tinha uma força impressionante que, virando a faca para um dos lados, arrancou um grande pedaço de carne e pele do rosto do urso.

Assim que o urso abriu sua boca para gritar de dor, Zheng avançou na sua direção e deu um chute na cabeça dele que o fez voar dezenas de metros, atravessando pela parede. Zheng segurava o Canhão de Ar com uma mão e uma faca na outra e investiu na direção onde o urso foi lançado.

O urso fez jus a resistência física que tinha. Os ataques de Zheng não o feriram muito. Ele se levantou e socou com suas garras no chão, fazendo um brilho esverdeado sair de suas patas. Uma onda de choque se espalhou do local de contato dessas garra e foi direcionada contra Zheng.

Zheng subitamente sentiu como se tivesse sido atingido com um martelo. Ele parou onde estava, não porque ele queria, mas porque não podia mover seu corpo. O urso se aproveitou disso e lhe deu um golpe que o fez voar dez metros. Ele colidiu com uma parede e essa parede que parecia ser grossa também desmoronou.

Zheng perdeu a consciência por pelo menos um segundo e sentiu uma dor aguda no seu nariz quando se levantou. Com seu corpo aprimorado, era possível suportar o ataque do urso no seu rosto mesmo sem ter não feito nenhuma defesa, ele sentiu-se sortudo de ainda estar vivo.

Quando ele lentamente se levantou, ele ouviu o som de uma metralhadora em ação e imediatamente procurou salvar-se indo para o lado. Pelo menos quatro ou cinco balas o atingiu nas pernas, mas ele continuou investindo atravessando as paredes. Do outro lado tinha uma área aberta e plana sem qualquer cobertura. Ele viu Nêmesis levantar o lançador de foguetes com a mira laser mirando na sua direção. Dessa vez não havia tempo para se esconder.

“One! Sou eu, Zheng!” Zheng não teve outra escolha a não ser gritar. Já que não podia escapar, ele escolheu aceitar o risco de ver se One ainda se lembraria dele.

O Nêmesis pausou por um momento e então lentamente abaixou o lançador de foguetes. Ele parecia estar hesitante quando fez isso e tentava erguer o lançador algumas vezes. Até que ele finalmente rugiu e voltou sua atenção ao urso. Uma série de tiros com sua minigun e um tiro de RPG impediu o urso de fugir dali.

Zheng soltou um suspiro de alívio. Ele se sentou e começou perfurar os locais que fora atingido na perna com sua faca e removeu as balas com a mão. Dessa vez ele não usou um spray de hemostasia, pois os ferimentos já estavam se fechando. Ele se levantou e correu na direção do urso.

Zheng não sabia o porquê seu clone ainda não resolveu aparecer. Talvez alguma coisa estava o atrasando ou talvez estivesse esperando pela oportunidade de dar a ele um acerto certeiro. Qualquer que fosse o motivo, ele teria que aproveitar isso o melhor que podia. Ele tinha que matar aquele urso enquanto isso, senão não teria qualquer chance de vencer se seu clone entrasse na briga.

Ele apertou o gatilho do canhão de ar quando estava correndo, e enquanto o mesmo carregava, ele estava chegando cada vez mais próximo do urso. Esse fez seu golpe de ondas de choque contra o chão novamente.

Ao mesmo tempo, Zheng mirou o canhão de ar no seu rosto assim que o vira. O canhão de ar disparou no mesmo instante que a onda de choque viera. As duas ondas colidiram no meio do caminho, mas o tiro do canhão era obviamente mais poderoso e negou o efeito da onda de choque e continuou em frente na direção do urso. Entretanto, o tiro perdeu um pouco de sua força original devido à colisão e mudou sua direção levemente. Ele acertou o urso no braço esquerdo levando junto a parede que estava atrás dele.

O urso gritou de dor e Zheng se aproximou perfurando com sua faca no peito dele. A pele e os músculos eram muito espessas, portanto a faca não perfurou profundamente o suficiente para atingir nenhum órgão interno até ficar travada. Zheng berrou fazendo uma força descomunal enquanto puxava a faca horizontalmente. Mesmo se a faca não fosse afiada o suficiente, sua força compensaria para abrir o ferimento ainda mais.

O urso reagiu dando-lhe um golpe de garra com o braço direito. O ataque colidiu contra Zheng e  jogou ele com a faca longe. O urso com os olhos bem vermelhos parecia enraivecido por ter sito atacado. Ele rugiu enquanto investia para cima de Zheng que tinha acabado de aterrissar e então colidiu com o corpo empurrando Zheng contra uma casa. Enquanto isso ele abriu sua grande boca para morder a cabeça de Zheng.

Essa investida pegou Zheng em cheio. Além disso, sua cabeça colidira contra a quina de uma parede que o atordoou por quase um segundo inteiro. Quando ele abriu os olhos, ele viu aquela bocarra vindo na sua direção. Seu corpo estava imprensado contra a parede e não podia se mover, portanto, ele fez uma chama vermelha envolver seu corpo interno naquele menos de um segundo. Quando o urso soltou seu agarro devido a chama, Zheng focou seu Qi e  socou a bocarra que se aproximava no queixo. O Qi corrosivo destruiu o queixo dele e o mandou voando para cima.

Zheng respirou profundamente depois disso, aquela investida tinha o apertado a ponto de espremer quase todo a ar de seus pulmões. No entanto, ele não tinha tempo de descansar e rapidamente correu pelo buraco formado pela trajetória ao qual o urso foi arremessado e viu que ele estava se levantando. Este parecia estar bem acabado. Do seu queixo só sobrava os ossos devido à corrosão e tinha um grande corte no peito que quase deixava exposto seus órgãos internos. Sangue pingava do braço esquerdo dele como se estivesse estilhaçado internamente.

Seus olhos não mais expressavam selvageria e sim fora substituído por medo e pânico. Quando viu Zheng vindo na direção dele, ele virou-se na direção contrária e correu a toda velocidade enquanto sangue escorria de seu corpo.

Já Zheng não parou nem um instante, ele já tinha entrado num estado de ensandecimento algum tempo atrás. Assim que viu o urso fugir, ele deu um salto nas costas dele com sua técnica de movimentação e deu uma mordida no pescoço dele, arrancando um pedaço de carne. Em seguida, o perfurou com a faca na sua espinha dorsal e a enfincou nas costas. A lâmina quebrou no mesmo instante e o urso gritou de dor enquanto caia no chão convulsionando.

Zheng se levantou do chão respirando ofegantemente. Seu corpo estava encharcado de um sangue negro. Ele não podia dizer se era dele ou do urso. Mas ele não tinha tempo para se importar com seu ferimento. Ele caminhou até chegar na cabeça do urso que se convulsionava no chão e mirou nela com seu canhão de ar.

O urso olhava para ele aterrorizado. Seu corpo começou a encolher e retornou à forma humana depois de dois segundos. A perda do queixo desse homem caucasiano fez com que sua fala soasse um tanto estranha, mas ainda assim ele gritava em pânico: “Por favor, poupe minha vida, eu posso falar com o líder para que….”

Zheng o ignorou e puxou o gatilho. Sua expressão era de tranquilidade enquanto via as expressões do homem que implorava mudando de medo para desespero. Dois segundos depois, a onda de choque do canhão de ar atingiu seu rosto e esmagou sua cabeça fazendo um buraco no chão.

Após isso Zheng sentou-se no chão, respirando profundamente. Essa luta o tinha feito lutar pela sua vida. Ele pairou na interesecção entre a vida e a morte diversas vezes. Sua mente estava altamente focada. Agora que tinha tempo para relaxar, a exaustão viera duma vez. Seu corpo também parecia estar ferido em todos os cantos e a dor disso era indescritível, ele agora só podia com muita dificuldade mover um dedo.

Uma figura gigante surgiu atrás dele. Zheng virou a cabeça e viu que era Nêmesis que estava de pé ali silenciosamente. Suas armas não estavam miradas nele, parecia que One tinha recuperado suas memórias ou pelo menos tinha algum tipo de boa impressão dele. Senão, não perderia essa ótima oportunidade para matá-lo.

“Você faz jus ser meu eu original. A mesma crueldade adormecida. Eu tinha pensado que tal crueldade foi inserida em mim quando Deus me clonou, mas parece que não foi isso que aconteceu de fato.”

Uma voz fria ressoou de cima e então um homem apareceu no meio do ar com asas negras. Em sua mãos, ele segurava uma espada larga flamejante.


Tradutor: Devlin   |   Revisor: Myko


 

 

 


Fontes
Cores