TI: Volume 4 Capítulo 6

Volume 4: Capítulo 6

Zheng ficou em silêncio por tempo, depois olhou para todos: “Vamos testar o poder desse Livro dos Mortos primeiro. Magia negra parece ser bem poderosa… Evelyn, me empreste aquela caixa sua.”

Os três personagens estavam parados confusos. Eles não sabiam o que o grupo de Zheng estava discutindo. Quando Zheng falou com eles, Evelyn rapidamente achou a caixa na sua bolsa. Essa era a chave para o livro.

Zheng pegou ela, abriu o livro e entregou para Tengyi.

Esse homem estava animado quando o pegou. Ele tocou os hieróglifos nas páginas enquanto pronunciava-os e explicava seus significados. Mais de dez minutos se passaram ele estava fazendo a mesma coisa.

“Tengyi! Não é hora para pesquisa!” – Zheng suspirou.

Tengyi coçou sua cabeça envergonhado: “Desculpa. Eu me perdi. Haha, são hieróglifos de verdade. Alguns são parecidos com as escrituras Oracle bone…” [PE: Lembrando que isso é uma escrita japonesa antiga, eu acho :v]

Zheng e todos os outros suspiraram. Então ele gritou: “Eu não estou perguntando com o que eles se parecem! O que está escrito no livro?”

Tengyi assentiu: “Sim, sim. Tem várias magias antigas. Como essa daqui sobre criar homens de areia. Você só precisa ler isso alto enquanto mistura as cinzas de uma pessoa com areia. Isso permite você criar várias múmias. E essa daqui é criar uma tempestade usando almas, que irá se tornar um tornado. Essa outra…”

Zheng pegou o livro das mãos dele e disse: “Traduza para mim linha por linha… Leia a parte do tornado.”

Tengyi assentiu. Ele tocou as formas no livro enquanto dizia: “Tempestade de almas, ouça o comando de Osíris, transforme-se em um tornado e destrua tudo em pedaços!”

Zheng repetiu suas palavras, mas nada aconteceu. Sua Energia Sanguínea estava intacta e o deserto estava calmo como antes.

“Nada?”

Eles se olharam desapontados, esse livro era a maior esperança na situação deles. Se ele pudessem usar as poderosas magias desse livro, então eles poderiam ganhar facilmente do Time Índia. Mas esse livro não tinha o poder que eles imaginavam ou não era útil no estado que ele estava?

De repente Zheng teve uma ideia: “Leia isso pronunciando na língua egípcia antiga. Eu vou repetir.”

Tengyi respirou fundo e começou a ler de novo. Zheng também repetiu com dificuldade. Então ele percebeu que o livro era real. Enquanto ele falava, sua Energia Sanguínea começou a se mexer. Vários segundos depois, ela foi em direção ao livro em uma velocidade imensa.

Zheng sentiu que o livro estava pegando fogo. Ele quase o jogou no chão, mas o livro continuou a sugar sua energia e ele não conseguia se mover. Tengyi, por outro lado, foi jogado longe enquanto gritava. O livro brilhou um pouco em vermelho, mesmo que não ficasse óbvio na luz solar.

A Energia Sanguínea de Zheng quase toda foi sugada pelo livro. Então o livro começou a esfriar e ele podia sentir a temperatura do ambiente descer vários graus. Mas Zheng desmaiou logo depois. Ele não percebeu que um tornado estava se formando à um quilômetro de distância. Ele rapidamente cresceu até o céu e uma tempestade de areia se formou por toda área até eles…

Zheng abriu seus olhos depois de algum tempo. Não tinha mais areia no céu, o clima estava ensolarado e limpo, nem um pouco de vento.

Zheng tentou se levantar quando percebeu que estava amarrado atrás de um camelo. Eles estavam se movendo pelo deserto. Parecia que tudo que ele tinha passado antes era uma ilusão.

Quando os outros viram que Zheng tinha acordado, eles gritaram para todos pararem. Jie e Lan desceram dos seus camelos. Jie desamarrou ele enquanto ria. Lan deu um pouco de água.

“Por quanto tempo eu fiquei apagado? O sol está quase se pondo… O tornado que eu vi antes de desmaiar foi real?” – Zheng bebeu um pouco de água e depois perguntou.

Jie disse: “Você está dormindo à um dia inteiro. Essa é o anoitecer do segundo dia… O tornado que você disse foi uma ilusão, eu prometo! Hahaha.”

Zheng olhou para os outros e todos assentiram: “Sim, como algo daquele tipo pode ser criado por um humano… Mas o livro ainda me fez desmaiar, então ele deve ser real.”

Zero também bebeu um pouco de água e disse: “Claro que é real… Você não criou um tornado, mas eu não sei o que você fez ou talvez tenha perdido o controle da sua energia. Você criou uma tempestade de areia. Se não fosse pelos camelos nos guiando, nós estaríamos enterrados agora…”

“O poder do Livro dos Mortos excede nossas expectativas.” – Honglu disse animado. “Enquanto você conseguir controlar sua energia e não deixar que ele faça você desmaiar… Ele vai fazer a gente ganhar do Time Índia!”

Zheng olhou para sua mão que estava segurando o livro. Tinha um símbolo quase transparente na sua palma. Esse era o símbolo que estava na capa do livro, o símbolo que representa Osíris.

……………………..

Nos dois dias seguintes, Zheng praticou o uso do Livro dos Mortos. Ele estava desmaiando por cada vez menos tempo até ele finalmente controlar a quantidade de energia usada. Eles tinham chegado ao oásis e compraram comida e água para continuar sua jornada ao próximo porto.

“Peguem esse barco para Cairo, daqui até lá são dois dias. Então nós iremos pegar outro barco saindo de Cairo. Não se preocupe, eu não acho que aquele monstro vai nos seguir pela água.” – O’Connell riu enquanto ele explicava.

O’Connell sofreu tanto nesses dois dias. O Livro dos Mortos era meramente uma antiguidade para eles. Talvez ele tivesse valor por ser isso, mas eles nunca imaginariam que ele tivesse tanto poder para criar tempestades. Quando Zheng estava com o livro, ele parecia como um mago ou feiticeiro das lendas.

Evelyn também tentou ler o livro, mas, diferente de Zheng, nada aconteceu. Não tinha nenhuma magia ou algo à mais. Ela não conseguiu parar durante uma hora até que ela admitiu que ela não tinha o talento para se tornar uma feiticeira.

Zheng olhou para o símbolo na sua palma. Ele era uma ponte para a energia de Zheng ir para o livro. Ele não tinha nenhum outro efeito aparente, a não ser que parecia uma marca de nascença.

“Zheng? Zheng!”

Uma voz acordou Zheng. Foi quando ele percebeu que era Jie, Zero e todos os outros em volta dele. Foi Jie que acordou ele enquanto todos olhavam confusos: “Desculpa, minha cabeça estava em outro lugar. O que aconteceu?”

Honglu enrolou seu cabelo em um dedo e disse: “As magias no livro estão focadas no deserto. Usando elas na cidade mataria algumas pessoas, mas elas não seriam tão poderosas. Nós testamos várias magias com alvo individual como corrosão. Ela é bastante forte, mas precisa de muita energia e demora quase vinte segundos para carregar. Isso é tempo o suficiente para o inimigo correr ou atacar. Ela também só tem uma distância máxima de 500 à 1000 metros. Para ser honesto, se nós não usarmos essa magia com cautela, ela será pior que um Gauss rifle.”

“Então o verdadeiro valor desse livro não está nas magias ofensivas, mas nas magias de suporte. Como aquela que revive os mortos e que faz o conjurador ficar invisível. Ou aquela que mistura cinzas de humanos com areia para formar vários guardas. Esses poderes são especialmente importantes e podem mudar o caminho da batalha…”

Heng se juntou a conversa: “Cinzas de humanos? Onde nós vamos conseguir isso?”

Todo mundo olhou para Evelyn. Ela não tinha desistido do livro e estava escutando a conversa escondida. Mesmo que os jogadores estivessem falando em mandarim, uma pessoa tão intelectual como ela era capaz de entender a língua. Quando todos olharam para ela depois de dizerem ‘Cinzas de humanos’, ela ficou pálida e entrou em modo de defesa: “O que? O que vocês estão pensando fazer? Vocês vão me transformar em cinzas?”

O’Connell e Jonathan ficaram assustados. Zheng imediatamente balançou uma mão e riu: “Não se preocupe, como nós iríamos fazer isso. Em relação à isso, você ainda se lembra o que os americanos disseram em Hamunaptra?”

Evelyn e os outros dois disseram ao mesmo tempo: “Talvez vocês consigam colocar ela para secar no sol e usar ela para acender um fogo… Você quer transformar uma múmia em cinzas?”

Zheng achou engraçado como eles falaram juntos: “Sim, sim, Evelyn você trabalha em um museu, certo? Não deve ter problemas se a gente roubar uma ou duas múmias. Se você não conseguir, então peça uma para o curador.” [PE: Curador nesse caso seria o chefe dela.]

Evelyn disse alto: “Como isso é possível? Elas são relíquias históricas. Você sabe o quanto elas valem? Cada uma delas é uma história…”

O ganancioso Jonathan rapidamente cobriu a boca dela com sua mão e sorriu: “O quanto vocês estão dispostos a pagar? Se vocês pagarem em ouro, eu posso pegar ‘emprestado’ algumas múmias para vocês. O que você acha? Vamos discutir o preço.”

Zheng e O’Connell balançaram a cabeça sorrindo. O’Connell tossiu e disse: “Eu… Nós podemos ajudar vocês com isso, mas nós temos algumas condições… Nós não precisamos do ouro, mas nós temos que matar uma múmia que está perseguindo a gente. Eu acho que não seria difícil para vocês que tem o Livro dos Mortos, certo?”

Zheng respondeu sério: “Nós estamos planejando matar ela de qualquer forma, acredite ou não. Mas nós precisamos de ajuda. Na verdade… Nós precisamos do Livro de Amun-Ra para matar ela… Nós precisamos da ajuda de vocês para achar ele.”

O’Connell olhou para Evelyn depois para Jonathan. Esses dois estavam dando sinais a ele, um queria negar o roubo das múmias e o outro queria uma recompensa em ouro. O’Connell deu um sorriso forçado e se aproximou de Zheng; Então esticou sua mão e disse:” Ok! Eu aceito. Nós iremos ajudar você a pegar o Livro de Amun-Ra e você ficará com a responsabilidade de matar a múmia!”

“Nós definitivamente vamos fazer isso… Se a gente não morrer antes…”

………………………….

O grupo finalmente alcançou o porto. Esse era um porto comercial. Quase todos os barcos eram de mercadorias, mas alguns eram cruzeiros para turistas. É bastante difícil subir em um desses nesse porto. Claro que ‘difícil’ é relativo.

Zheng ainda tinha duas barras de ouro e várias moedas também. Só algumas moedas foi o suficiente para conseguir várias cabines VIP e um passe despercebido. Dinheiro fazia as coisas fluir e se você tem mais dinheiro, você pode fazer até a maré ir contra a correnteza. [PE: Provérbio/ditado. Tentei traduzir da melhor forma possível.]

Seguindo a correnteza, eles iriam chegar em Cairo na tarde do próximo dia. Destino e inimigos desconhecidos estariam esperando por eles lá… Eles iriam viver, morrer ou lutar pela sobrevivência até a última ponta de esperança?

Zheng trouxe uma garrafa de tequila para o deck. Desde que esse filme começou, ele quase nunca teve a chance de ter a tranqüilidade que eles estavam presenciando agora.  Para prevenir o que aconteceu da ultima vez, ele mesmo ficou com o Livro dos Mortos. Mesmo se os outros quisessem ver ele ou se Tengyi precisasse fazer as traduções para ele, Zheng não iria deixar o livro fora do seu alcance. Ninguém podia ganhar a luta e pegar o livro dele em curta distância, nem mesmo se Zero e Yinkong se juntassem.

“Você está bebendo?” – Era a voz de Jie vindo do outro lado do deck.

Sem se virar, Zheng pegou outra garrafa de tequila do seu anel. Jie se sentou, abriu a garrafa e deu um gole.

“Você já está se sentindo cansado?” – Jie bebeu quase a metade da garrafa de uma só vez  e se deitou no deck.

“Hm? Ah sim, cansado.” – Zheng suspirou e deu um grande gole na garrafa. O álcool fez ele se sentir quente.

“Por causa da morte poder aparecer em qualquer momento?” – Jie perguntou depois de fazer silêncio.

Zheng terminou a garrafa de uma vez e a jogou no mar: “Todos podem morrer a qualquer momento. Depois de estar na beira do precipício por tanto tempo, além das relações com as pessoas que eu amo me fazendo prosseguir, vida e morte não importam mais. Como o meu de antes não conseguia se desprender da vida de qualquer um tão facilmente e agora… O que me faz ficar cansado é ter que lutar com uma mão e proteger meus companheiros com a outra. Se eu não posso nem abandonar meus camaradas sem me preocupar, essa é a razão por eu estar tão cansado.”

“Se… Se…” – Jie também acabou sua garrafa e falou baixo: “Irmão. Você esteve se perguntando por que o Time Índia é mais forte que a gente? O nome dos times são designados baseados nas regiões dos tempos antigos. Time Índia inclui Índia, Leste indiano e todas as terras do leste do Mar Morto e Arábia Saudita. Enquanto o Time China inclui as terras da China. Nós temos a maior parte de terras e quantidade populacional em todos os outros times da dimensão de Deus. Então… Por que nós somos mais fracos que eles? Você não fica curioso com isso?”

Zheng pegou outra garrafa e falou calmo: “É por isso que eu estive esperando por você…”

“Se… me dê um tempo. Se você conseguir sobreviver dessa vez contra o Time Índia, eu vou contar a você tudo. Depois… não, não tem depois. Você quer fumar?”

Jie terminou de falar e tirou um pacote de cigarros. Ele jogou um para Zheng e acendeu o dele. Zheng pegou o cigarro e sentiu como se tivesse voltado para Residente Evil quando ele tinha acabado de conhecer Jie. Esse homem frio e esse cigarro…

Em Cairo. A cabeça de todos mudou já que era a primeira vez em Cairo. Sabendo que o Time Índia estava por aí, sabendo que eles eram mais fortes e ainda tinham que matar um membro deles… Mas a existência do Livro dos Mortos tinham dado novas esperanças à eles. Descrever como eles se sentiam com uma palavra, complicado.

O’Connell disse para Zheng depois de sair do cruzeiro: “De acordo com nosso combinado, nós vamos pegar as múmias… e você vai matar aquele monstro. Claro, nós também iremos procurar pelo Livro de Amun-Ra… Mas você deve nos proteger até lá, ok?”

Zheng assentiu: “Ok, nós iremos proteger vocês… de longe. Depois de vocês nos darem as múmias, nós iremos contatar vocês. Ah! Você deveria levar o gato. Ele vai ajudar vocês a evitarem serem atacados pela múmia.”

O’Connell gritou para o grupo de Zheng que estava se afastando: “Onde vocês estão indo!? Como nós falaremos com vocês!? Eei!…”

“Nós iremos achar vocês. Não se aproxime de nós, você pode acabar morrendo… E O’Connell, obrigado pela sua ajuda. Até mais.”

Varias pessoas estavam sentadas em um quarto em silencio em uma pousada em Cairo. Uma garota estava com seus olhos fechados o tempo inteiro disse: “Time China chegou. Eles estão perto do porto.”

Essas pessoas estavam sentadas com as pernas cruzadas em volta do monge:

“Quem está mais perto?”

Um homem grande e magro com uma pele pálida segurava um dispositivo do tamanho de uma mão. Ele olhou para o dispositivo: “Minima (Mudança da Yinima) e Muhammad Joseph.”

O monge ficou em duvida: “A explosão de força de mínima é muito grande e pode causar problemas. A arma de Muhammad também é imprópria para lutar em uma cidade… Nós só temos que testar o poder do Time China. Também traga Arot o mais rápido possível. Se esses dois ficarem feridos, Arot pode manter eles vivos. Não deve ser um problema com as habilidades médicas dele… Teste o poder do Time China, vamos ver se eles são presas ou inimigos de verdade.”

Contribua com a Novel Mania!