TI: Volume 2 God’s Lobby 3-1

Volume 2: God’s Lobby 3-1

Zheng estava deitado na cama com os olhos fechados, sentindo a circulação do seu Ki.

Já faz vinte e nove dias desde que ele voltou para o mundo real. Esses dias foram os mais pacíficos dias depois que entrou no mundo de Deus.

Durante o dia, ele ou caminhava com seus parentes, ou saia para fazer compras com Lori. A platina foi cortada em vários pedaços com sua faca e vendida. O dinheiro ia ser o suficiente para as duas famílias viverem bem pelos próximos vinte anos ou mais. Esses dias também foram os mais relaxantes e confortáveis dias. Se as preocupações com o mundo de Deus tivessem sumido, dias como esses seriam como viver no paraíso.

Mas mesmo assim, o dia de despedida estava chegando. Uma vez que os trinta dias de felicidade acabassem, ele teria que continuar nos testes do mundo de Deus. Ele teria que enfrentar monstros como aliens, zumbis, talvez até demônios e fantasmas. Uma vez que ele voltasse para a dimensão de Deus, ele estaria lutando contra a morte!

Por isso mesmo nesses trinta dias, ele treinou com seu Ki todo dia. Toda noite ele praticava usando a faca, essa era o único método que ele conseguia pensar.

Tendo Ki em conjunto com quatro vezes a força e velocidade de reação de uma pessoa normal o fez chegar em um patamar deshumano. Ele podia nocautear dez homens fortes em um minuto, mesmo que eles fossem agentes especiais ele podia ganhar. Além de não ficar muito machucado. Claro que isso aconteceria caso nenhum dos lados usassem armas.

 Zheng não era muito bom com armas. Ele podia atirar perfeitamente em uma distância de cinquenta metros, mas uma vez que essa distância aumentasse ou o alvo se movimentasse, sua precisão diminuiria. Ele era o melhor em combate corpo a corpo.

Especialmente agora que ele tinha a faca progressiva. Mesmo que essa faca parecesse branda, totalmente preta, cerca de trinta centímetros de comprimento, e criada usando um material indistinguível, só uma passada poderia cortar metal como ar.

Ele não sentiu nenhum atrito quando cortou a platina. A única fraqueza era se o alvo fosse muito grande e a faca ficasse presa dentro dele. A faca iria parar de vibrar e se tornaria uma faca normal.

Além de se familiarizar em usar a faca, ele praticou a aplicação de Ki nos seus movimentos. Outra função, diferente do aumento em força e velocidade, o Ki poderia ser concentrado em uma área específica do corpo para aumentar resistência temporariamente ou, se juntasse em sua mão, ele poderia lançar uma barra com mais poder do que sem Ki. Mas toda vez que ele praticava, ele se lembrava da espaçonave…

Além desses aprimoramentos, ele também testou combinar o Ki com a Energia sanguínea. Ele só conseguiu usar uma vez a energia sanguínea quando ele estava com sua trava genética liberada.

“Ainda não consigo fazer isso.”

Zheng balançou a cabeça, ele vinha tentando fazer isso à dias, mesmo assim a energia sanguínea nunca saia de sua cabeça. Mas seu Ki aumentou de quantidade depois dos treinos. Assim como a descrição dizia, Ki também podia ser aumentado através do treino. Se ele tivesse tempo o suficiente, ele poderia se tornar parecido com aqueles personagens de desenho animado.

Alguém bateu na porta e falou, era Lori: “Pervertido, você ainda não acordou? Você disse que você iria me levar para dar uma olhada na escola.”

Zheng se levantou da cama e abriu a porta. A garota entrou no quarto e olhou para todo o quarto: “O que você está procurando?”

“Mulheres.” – Lori ficou carrancuda: “Isso acontece muito em filmes. Quando um homem demora para abrir a porta, então tem alguma mulher no seu quarto, ou o número de uma mulher no seu celular.”

“Onde é que você viu esses filmes chatos? Eles só são imaginações do diretor. Homens no mundo real não seriam tão descuidados.”

“Do jeito que você fala, parece que você realmente estava falando com uma mulher no celular, só eu que não sei disso?”

Zheng abraçou ela: “Como isso pode ser possível, eu não tenho nem um celular. Você checou minhas coisas toda vez que você entrou no quarto… Ok, pare de ser ciumenta. Nós iremos tomar café então vou te levar para nossa escola.”

Ela sorriu: “Eu só estou com ciúmes porque eu sei que você não tem um celular. Se eu achar qualquer uma das mulheres do seu passado no seu quarto, então…”

Zheng sabia que não deveria argumentar com as mulheres, especialmente quando elas fossem tão jovens. Eles saíram do quarto. Ele tinha morado na casa dos seus parentes nesses dias. Os quatro parentes estavam na sala de jantar conversando e sorrindo quando eles viram que Zheng e Lori tinham chegado.

Lori ficou vermelha então agarrou a mão de Zheng e correu para a porta: “Lori, tomar café primeiro.”

“Não, tia. Nós vamos tomar café na cantina da escola. Nós podemos chegar a tempo do lanche. Pai, mãe, nós vamos voltar antes de anoitecer.”

Uma vez fora da casa, ela disse: “Isso é tudo culpa sua, eles estavam rindo de mim. Eles provavelmente sabem o que aconteceu entre a gente. Me sinto tão envergonhada. Como eu vou encarar eles de novo?”

Zheng sorriu, ele estava perto de responder quando seu coração parou. Ele estava familiarizado com esse sentimento, ele experienciou isso várias vezes no filme. Isso era uma premonição de perigo.

Sem hesitar, ele pegou Lori no colo e correu para a rua e parou um taxi. Quando o taxi começou a se mover, ele relaxou. Mas suas costas estavam molhadas de suor.

Lori segurou sua mão e disse: “O que aconteceu?”

Zheng balançou a cabeça: “Eu não sei. Por um momento eu senti que algo estava me olhando. Parecia perigoso, como… uma mira, sim, parecia que um sniper estava mirando na gente!”

Em cima de um prédio alto, não muito longe deles, varias pessoas com rifles balançaram suas cabeças. Um falou em um microfone: “Alvo entrou em um carro, placa ****-***… Seus sentidos são excelentes, eu suspeito que ele possa ser um agente especial de outro país. Ele percebeu quando nós estávamos mirando nele. Ele também parece ser bem treinado. Nós vamos proceder com o plano dois.”

No banco de trás do taxi. Zheng já tinha se acalmado. Ele estava se lembrando dos possíveis inimigos, o mais provável seria a máfia local, porque ele vendeu vários milhões de platina nesses dias. Mesmo que ele tenha usado um intermediário, era provável que eles tivessem descobrido sobre ele. Mas tinha um problema, porque a máfia teria rifles de longa distância? Essa é a China, não os Estados Unidos!

China era bastante restrita com controle de armas. Então é praticamente impossível a máfia ter alguma arma desse calibre, especialmente de longo alcance. O governo não permitiria isso.

Então quem mais poderia ser? Uma equipe que pertencesse ao governo? Por quê? Foi por causa da platina? Alguns milhões de platina assustaram o governo? Isso só iria acontecer se a população do país fosse menor que um milhão de pessoas!

Zheng deu um murro no banco a sua frente. O taxista ficou assustado quando viu aquele punho. Lori segurou seu braço e gritou: “O que aconteceu!? Pervertido, o que aconteceu? Pare de esconder de mim.”

Zheng forçou um sorriso: “Está tudo bem, Lori. Eu estou aqui. É só que provavelmente não vamos poder nos despedir dos nossos parentes. Uma vez que o relógio apontar meia noite, os trinta dias terão acabado… Lori, você confia em mim?”

Ela estava prestes a chorar, mas ainda assentiu com a cabeça.

“Então não importa o que aconteça, você tem que acreditar que eu não vou abandonar você. Não importa o quê!”

Zheng não sabia quem era seu inimigo, nem porque eles atacariam ele. Isso era um engano? Eles miraram nele… ou seria Lori?

Hoje era o último dia nesse mundo. Zheng tentou seu melhor para planejar suas coisas. Ele deveria se esconder até meia noite e correr direto para seu escritório, ou ele deveria ficar escondido no escritório? Não importa, ele deveria estar com Lori à meia noite, se não eles iriam ser apagados.

Enquanto Zheng pensava sobre isso, o taxi ficou preso no trânsito. Ele não prestou muita atenção de primeira, porque a área estava uma bagunça. Quando ele olhou para frente, ele viu uma barreira temporária na frente. Ao mesmo tempo, vários policiais se aproximaram do taxi.

Contribua com a Novel Mania!