TI: Volume 1 God’s Lobby 1-1

Volume 1: God’s Lobby 1-1

“Eu estou morto?”

Os olhos de Zheng estavam fora de foco. Ele se lembrava que no momento anterior o monstro que saiu de um pesadelo pulou em cima dele. Aquelas patas enormes estava bem na frente dos olhos dele. Só precisaria de mais um segundo, só esse segundo seria o bastante para cortar ele em pedaços.

“Então… Eu estou morto?”

Zheng estava parado olhando para sua volta desorientado. Ele estava em pé em uma plataforma aberta com uma esfera de luz no seu centro. A luz dela iluminava toda a área como um sol. Depois dessa plataforma estava a escuridão. Um tipo de escuridão onde não se podia ver nenhum pingo de luz poderia ser visto. Só de ficar olhando para lá por alguns segundos fazia a cabeça dele doer.

“Nós sobrevivemos, porra! Essa foi tão perto! Nós finalmente sobrevivemos!”

A voz de Jie acordou Zheng do seu devaneio. Estavam ele, Jie, Lan, Xiaoyi e uma quinta pessoa aqui. Uma garota que saiu de um dos quartos. Ela estava chorando enquanto corria para Jie. Esse homem mostrou um tipo de carinho não pertencente a ele. Ele correu para a garota, a abraçou e a beijou.

“Se vocês têm alguma pergunta, só perguntem a Deus. Falem com ele com suas mentes.”

“Além de criar sua pessoa, não troquem nada. Esperem até amanha… Ah, é mesmo! Escolham um quarto, só imaginem como ele será.”

Ele carregou a mulher e correu para o quarto dele antes que alguém pudesse dizer algo. Zheng e os outros se olharam e caíram no chão.

“Bem, ele é forte. Ele ainda consegue correr e ter energia para fazer sexo.” Lan disse isso enquanto ela estava deitada no chão. “Eu estava com tanto medo, eu ainda não consigo mover minhas mãos e pernas. E ele estava agindo como se nada tivesse acontecido.”

Ninguém respondeu, ela olhou para Zheng e viu que ele e Xiaoyi estavam com os olhos fechados perto da esfera de luz, com uma protuberância nas suas calças. [PE: (e.e)]. Provavelmente escolhendo a mulher deles.

“Dois tremendos idiotas. Homens são idiotas! Nós vivemos durante tanto terror e a primeira coisa que eles pensam sobre é pornografia.”

Lan correu para um quarto com raiva e fechou a porta com força. Paah. Isso acordou os dois homens de seus pensamentos. Eles riram com vergonha e fecharam seus olhos para continuarem.

Isso era um sentimento incrível, enquanto Zheng estava de olhos fechados, ele sentiu como tivesse se unido à esfera de luz. Uma tela apareceu na frente dele, era bastante similar com um programa de computar. Tinha quatro categorias de itens e seis características. Também mostrava a quantidade de pontos e recompensas que ele tinha.

Zheng tinha 6502 pontos, 1000 da recompensa do filme, 5000 da missão secundária, 2 pontos por matar 20 zumbis e 500 pontos de alguma coisa.

“Criar mulher. Criar mulher…”

Zheng não estava planejando usar os pontos dele ainda. Ele reconhecia a importância deles depois de passar pelo filme. Mesmo ele tendo uma boa quantidade deles, ele queria consultar Jie primeiro. Ele só tinha uma coisa em sua mente.

‘Lori, eu posso criar ela?’

Deus pareceu reconhecer os pensamentos de Zheng. Ele abriu a aba de entreterimento, então uma voz falou: “A primeira criação de vida é grátis. As próximas custaram 500 pontos cada. Por favor, simule o tipo de ser, sexo, rosto, altura, idade, cor, raça… em sua mente.”

Zheng entrou em suas memórias. Naquele ano quando ele ainda era um adolescente, quando ele tinha um sentimento secreto por ela. O cheiro dela, o sorriso, a voz, as memórias dela eram tão vívidas.

‘Então minha vida se tornou tão entediante por causa da perda dela. Eu estava entrando na loucura porque as mãos dela não estavam mais me segurando… ’

“Enquanto eu tiver você do meu lado, eu nunca vou entrar na escuridão…”

Lágrimas desceram pelo seu rosto, então desapareceram quando elas chegaram ao chão.

Quando ele abriu seus olhos de novo, uma garota de 15 anos estava em pé na sua frente. Essa garota era exatamente como aquela de suas lembranças, Lori.

Eles cresceram juntos. Mesmo que eles tenham crescido acostumados um com o outro ao ponto de não perceberem a presença um do outro. Eles sabiam da importância de cada um. Crianças que crescem em cidades grandes são as mais solitárias. As portas dos apartamentos estão sempre fechadas. Algumas vezes eles não sabem quem são os seus vizinhos mesmo depois de viverem vários anos no mesmo local.

Zheng sempre pensou que ele era sortudo. Seus parentes eram corajosos e francos. Eles convidavam os vizinhos para comer e coincidentemente, os seus vizinhos eram o mesmo tipo de pessoa. Elas eram raras em cidades. E a coisa mais sortuda que já aconteceu com ele foi quando conheceu uma garota um ano mais nova.

Ela era como um presente dos deuses. Perfeita como um cristal puro. Ela era esperta, gentil, forte, gostava de rir alto e não sentia medo de nenhuma dificuldade.

Ele pensou que enquanto ela estive lá, seu coração nunca sentiria frio.

Mas por que a vida humana é tão frágil? Ela só tinha quinze quando ela estava deitada em uma cama branca. Várias sessões de quimio[N.R.~ Quimioterapia. ~]acabaram com seu cabelo longo. Um rosto pálido sem o calor da vida. Tudo o que tinha sobrado dela era seu sorriso. Mas ele sabia que aquele sorriso só estava lá para confortar as pessoas próximas à ela.

O que é vida? Por que um sorriso tão lindo de repente se tornou tão ranzinza? Isso não era o que ele queria, ele gostaria de ver ela em cima dele falando em seu ouvido…

Andando em um oceano de pessoas em um mundo preto e branco. Ele continuava a cair, apodrecendo, uma mulher atrás da outra, bars, êxtase, ácido e, mais cedo ou mais tarde, heroína.

“Enquanto você estiver aqui. Eu não perderei…”


Quando Zheng acordou já passava das 11 horas. Ele foi atrás de um cigarro no criado-mudo, mas acabou tocando em algo fofo.

“Pare. Me deixe dormir mais um pouco…”

A tela do computador, Resident Evil, morte e Lori. As memórias estavam voltando para ele. O cobertor foi jogado da cama e lá estava ela. Uma garota de quinze anos, com traços de lágrimas em seu rosto e sangue no lençol.

Zheng só podia se lembrar quando ele estava criando um humano, ele lembrou tudo sobre ela. Quando ele viu o rosto dela não pode conter todos esses anos de sentimentos escondidos.

Ele agora estava olhando para o rosto dela. Tinha tantas coisas que ele gostaria de falar e antes que notasse, seus olhos já estavam cheio de lágrimas.

A garota estava sentindo frio, ela foi atrás do cobertor, mas não conseguiu pegar nada. Ela abriu os olhos e viu Zheng encarando ela. Ficou com vergonha e roubou o lençol das mãos de Zheng. Então ela começou a chorar.

“Zheng estúpido, você me fez sentir tanta dor ontem e agora você fica me encarando. Eu fiz o café da manhã pra você o mês inteiro. Você disse que ia me dar um anel quando eu fizesse dezoito e iria casar comigo aos vinte e dois. Seu idiota, eu não tenho nem dezesseis ainda!”

Zheng tremeu com essas palavras. Ele perguntou segurando as mãos dela: “Você… Lori, você se lembra? Você se lembra de tudo!?”

Ela parou de chorar e olhou para ele com curiosidade: “O que você quer dizer com ‘se eu ainda tenho memórias’? E, senhor pervertido, por favor, coloque alguma roupa, vá até minha casa e me pegue aquele vestido verde. Você rasgou minhas roupas ontem a noite. Graças a Deus seus pais estão trabalhando.”

Zheng estava surpreso. A atitude dessa garota, o tom e as ações eram exatamente as mesmas de como ele se lembrava. Ele percebeu que esse era o mesmo quarto de quando ele vivia quando adolescente. Até os detalhes eram os mesmos.

“Ah meu Deus, seus pais provavelmente ouviram o barulho de ontem a noite. Eles devem pensar que eu sou aquele tipo de garota. Seu idiota, pervertido… Eu não sei como eu vou ver sua mãe depois disso.”

“Espere, talvez eu estivesse sonhando esse tempo todo? Tudo que aconteceu ontem. Mesmo quando você estava doente? Tudo isso foi um sonho!”

Zheng abraçou ela e riu alto. Depois de um tempo ele começou a chorar. Lori parou de se mexer e abraçou ele com força.

‘Obrigado Deus, tudo isso foi um sonho. Eu não quero um futuro como aquele…’

Então houve uma batida na porta. Lori se escondeu embaixo do coberto: “Seus parentes voltaram, pervertido, como eu vou sair agora? Eu não tenho nenhuma roupa.”

Zheng teve um mal pressentimento. Ele podia reconhecer que alguém estava chamando o nome dele, essa voz era do Jie. Em outras palavras, ele não estava sonhando e a Lori em seus braços era só um ser que ele criou.

Ele forçou um sorriso: “Lori, eu vou lá fora e trarei algumas roupas para você. Fique aqui e não saia.”

Zheng suspirou, colocou uma roupa e foi para a plataforma.

Ele abriu os olhos e viu Jie com os outros. Ele olhou além deles e a esfera de luz ainda estava no centro.

“Me dê alguns minutos.”

Ele correu para Deus: “Me diga, Deus. Ela não é um ser que você criou? Por que ela tem memórias? Por que ‘ela'(atual) é exatamente igual à ‘ela'(de antes)? Ela sabe sobre esse lugar? O que está acontecendo?”

Contribua com a Novel Mania!