ISSTH – Capítulo 58 – Este Não é o Seu Mundo

Passaram-se dois meses. Meng Hao estava de pernas cruzadas na Caverna do Imortal, nas montanhas profundas. De repente, um barulho estrondoso ressoou, fazendo os animais vizinhos se espalharem. A grande laje de pedra que tinha sido cortada para selar a caverna de repente se quebrou em pedaços.

Os fragmentos de pedra caíram em todas as direções quando Meng Hao emergiu da Caverna do Imortal. Seu cabelo pendia como um manto em volta da túnica de estudioso. Seus olhos brilhavam como relâmpagos e uma aura chocante emanava dele, bem como um aroma agradável e perfumado.

Um olhar de alegria encheu seu rosto. Depois de ter estado em meditação isolada por tanto tempo, ele soltou um riso que ecoou e enviou as bestas selvagens correndo para longe.

“O oitavo nível de Condensação de Qi!” Ele disse, com seus punhos apertados. Seus olhos brilhavam, o que teria sido ainda mais óbvio se fosse noite.

Os dois meses de meditação começaram com uma sensação de nervosismo e perigo iminente. Aqueles sentimentos desapareceram lentamente enquanto praticava Cultivação. Ele usou mais de dez mil Pedras Espirituais para duplicar as medicinas que ele usou em sua meditação.

Ele não queria estar em uma posição de perigo nunca mais. Ele precisava se tornar forte, para poder superar as pessoas que o ameaçavam.

“Eu preciso me tornar poderoso. Não há outra razão. Preciso me tornar poderoso!”

Ele estava fora da Caverna do Imortal, respirando o ar fresco da montanha, seus olhos estavam cheios de determinação.

Ele era um estudioso simples, um estudante de confucionismo. Mas os últimos três anos fizeram com que ele se tornasse um pouco mais focado no interior. Depois de tudo o que tinha experimentado, sua personalidade era muito diferente do que tinha sido. Sua teimosia era agora muito mais óbvia.

Ele tinha sido teimoso em sua recusa em desistir mesmo depois de falhar nos exames Imperiais. Ele tinha sido teimoso em suas lutas na Seita Confiança. Ele tinha sido teimoso quando se levantou contra Wang Tengfei. E agora ele era teimoso em suas esperanças para o futuro.

Tornar-se poderoso é o mesmo que se tornar rico. É um sonho que não requer uma razão. Se uma razão é necessária, talvez seja o medo de ser pobre ou fraco. Isso é o que Meng Hao acreditava.

“A vida é uma chama sempre ardente, cheia de exuberância. Na vida, é preciso ser forte e nunca abaixar a cabeça.” Ele olhou para o céu, pensando na Seita Confiança. Ele pensou sobre a presunção arrogante dos especialistas do Estado de Zhao. Pensou na frieza do povo que tentara matá-lo. Ele pensou no olhar daquele Protetor do Dao de meia-idade que tinha estado ao lado de Wang Tengfei naquela noite.

“Meus pais desapareceram quando eu era jovem. Se eu não tivesse lutado para melhorar a mim mesmo, eu não teria vivido até hoje. Em vez disso, eu teria me resignado à desesperança. Se eu não tivesse lutado para ficar mais forte durante meu tempo na Seita Confiança, eu nunca teria me tornado um membro da Seita Interna. Insistência obstinada em autoaperfeiçoamento. Esse é o meu caminho para o futuro.” Ele soltou um longo suspiro. Então, ele levantou a mão e sacudiu a manga. Apareceu um feixe negro que solidificou em uma estaca negra. Emanando um brilho negro, ele disparou em direção a uma rocha próxima.

Surgiu um estrondo e a rocha, que tinha mais de dezoito metros de altura, desmoronou em pedaços, intercalados com pedaços de gelo negro. Eles caíram ao chão, emanando uma frieza intensa.

Com um olhar de satisfação, Meng Hao acenou com a mão e a estaca negra voou de volta para ele. Ele moveu sua mão novamente e desta vez um feixe multicolorido girou em torno dele. O leque de dezesseis penas apareceu, voando para frente e para trás enquanto seguia os movimentos de seus dedos. De repente, houve estrondo assim que as penas se separaram.

Dezesseis feixes de luz circularam ao redor. As dezesseis penas tornaram-se como espadas voadoras, rápidas e ferozes. Seguiam os movimentos de sua mão, movendo-se para girar rapidamente ao redor dele, fazendo um escudo impenetrável, fortalecido por seu poder espiritual.

Então as penas se transformaram em um leque e pousaram em sua mão.

“É muito ruim eu não ter Pedras Espirituais suficientes. O Espelho de Cobre realmente os come. Duplicar uma Pílula do Espírito Terrestre exigia cem Pedras Espirituais. Não é um mau preço. A Pílula do Espírito Celestial, útil ao atingir o oitavo nível de Condensação de Qi, exigia quinhentas. Só um pouco caro demais…” Pensando em Pedras Espirituais, ele franziu o cenho. Das dez mil Pedras Espirituais que ele tinha, não restavam muitas. Durante os dois meses que passara rompendo do sétimo nível ao oitavo nível, consumira mais de oitenta Pílulas do Espírito Terrestre. Era quase duas por o dia antes que tivesse rompido completamente ao oitavo nível de Condensação de Qi.

“No futuro,” murmurou para si mesmo. “Vou precisar de ainda mais energia espiritual para praticar a Cultivação.” Um olhar dentro de seu saco de carregamento confirmou que ele só tinha cinco Pílulas do Espírito Celestial. Ele já consumira um e calculara que, para atingir o nono nível de Condensação de Qi, precisaria de cento e cinquenta.

“Eu sei que preciso de muita energia espiritual. Mas será que o meu consumo excessivo de Núcleos Demoníacos fez meu corpo começar a rejeitar as medicinas?” Ele hesitou, sem saber como confirmar sua teoria. Se ele estivesse certo, então ele poderia precisar ainda mais Pílulas do Espírito Celestial, ou talvez outros tipos de pílulas medicinais.

“Cento e cinquenta Pílulas do Espírito Celestial… isso é igual a setenta mil Pedras Espirituais… Sem elas, levará muito tempo para acumular tanta energia espiritual. Além disso, meu talento latente é apenas comum, então isso significa que vai demorar ainda mais…” Ele suspirou enquanto pensava no vazio de seu saco de carregamento.

Ele tinha mais três das Pedras Espirituais extraordinariamente grandes, mas não se atreveu a usá-las. Quanto mais avançado ele se tornava em seu cultivo, mais ele percebia o quão precipitado ele tinha sido por duplicar a espada de madeira aqueles anos atrás. As extraordinárias grandes Pedras Espirituais eram claramente especiais, caso contrário ele não teria sido capaz de duplicar os Cristais de Sangue de Jade Vorpal.

“Eu não vou usar essas grandes Pedras Espirituais, a menos que seja absolutamente necessário,” disse ele resolutamente. “Talvez elas terão algum outro uso no futuro.” O leque sob seus pés começou a brilhar intensamente e seu corpo se transformou em um raio de luz que disparou para longe.

Ele estava quieto enquanto viajava, circulando sua energia espiritual. Eventualmente, o apreciado leque começou a desaparecer e assumir uma aparência mais comum. À medida que se movia cada vez mais, ele começava a ficar mais à vontade.

“Depois de todos esses meses, os discípulos da Seita Destino Violeta certamente se moverão.” Ele foi cuidadoso enquanto viajava, eventualmente emergindo das montanhas. Ele olhou para longe. Se ele estava certo, esta área estaria perto da capital do Estado de Zhao.

Um tempo atrás, ele tinha sonhado dia e noite em vir para a capital. Este desejo era o segundo apenas atrás do seu sonho de visitar a Grande Tang nas Terras Orientais. Ele suspirou emocionalmente quando pensou em seus três anos de exames e três anos de fracassos. Ele nunca tinha chegado aos exames finais na capital. Passaram-se mais três anos e agora chegou, não como estudioso, mas como Cultivador.

Ao aproximar-se da capital, parou de planar e começou a caminhar pela via pública. Ele amarrou seu cabelo e juntamente com a túnica de estudioso, o fez parecer exatamente como o velho erudito que ele costumava ser. Embora, ele tivesse sido um pouco baixo, depois de anos de Cultivo, agora era alto e esbelto. Sua pele ainda era um pouco escura, mas era vigorosa, emanando um ar forte.

Caminhou distraído. Era março agora, que era frequentemente uma época que nevava no estado de Zhao. Enquanto Meng Hao caminhava, a escuridão da noite começou a se estabelecer em torno dele e os flocos de neve começaram a cair lentamente.

Logo, o chão estava coberto de brancura, como uma colcha de penas.

O vento soprou neve sobre os cabelos de Meng Hao. Não derreteram, mas começaram a se reunir.

Tudo estava calmo e quieto. À medida que se aproximava cada vez mais da capital, uma carruagem puxada por cavalos aproximou-se por trás dele, avançando a toda velocidade. Parecia que quem estava dentro tinha medo de que os portões da cidade fossem fechados em breve.

Ela passou por Meng Hao, levantando nuvens de flocos de neve em seu rastro. Ao passar, o vento abriu a cortina da carruagem apenas por uma fresta, revelando um jovem erudito lendo alguns textos.

Meng Hao olhou para ele calmamente, recordando sua própria aparência semelhante anos atrás. A partir de agora, Meng Hao tinha claramente cerca de vinte anos. No entanto, por dentro, ele se sentia muito mais velho.

Ele soltou um leve suspiro. Mais adiante, a carruagem parou e a cortina se levantou. O jovem erudito olhou para ele, depois saiu da carruagem e saudou Meng Hao com as mãos entrelaçadas.

“Irmão, você vai para a Capital para os exames Imperiais?

Meng Hao rapidamente retornou a saudação. “Anos atrás eu sonhava em fazê-los, mas esses sonhos há muito tempo desapareceram. Eu só quero dar uma olhada na Torre de Tang.”

“É uma pena, meu Irmão,” disse ele, parecendo arrependido. “Sua atitude parece muito refinada, eu pensei que talvez fossemos candidatos companheiros. Tem certeza de que deseja desistir de suas aspirações de se tornar um oficial?” O jovem parecia ter a mesma idade de Meng Hao.

Meng Hao sacudiu a cabeça silenciosamente.

“Bem, não se importe,” disse o jovem erudito. Ele olhou para Meng Hao de aparência acadêmica e sorriu calorosamente. “Está começando a nevar mais forte e será cada vez mais difícil viajar ao longo da estrada. Se ficar muito tarde, você não será capaz de entrar na cidade. Irmão, por que não se junta a mim na carruagem? Ainda devemos ter tempo suficiente para chegar à cidade.

Meng Hao olhou para o céu, depois para o erudito. Ele curvou-se respeitosamente, depois subiu na carruagem.

Um fogo estalou em um pequeno forno dentro, dissipando o frio amargo. Isto, juntamente com o fato de que um antigo detentor da família dirigia a carruagem, deixou claro que o estudioso veio de uma família rica.

O velho motorista usava um amplo chapéu de bambu e as juntas das mãos eram grandes. Parecia que ele podia fazer algum kung fu.

“Eu sou Zheng Yong,” disse o estudioso com um sorriso, aquecendo as mãos. “Irmão, não há necessidade de ser tímido. Nós dois somos acadêmicos e os estudiosos devem ajudar um ao outro sempre que possível.”

“Eu sou Meng Hao,” ele disse com um sorriso humilde. “Muito obrigado a você, irmão Zheng.” Seu olhar caiu sobre o livro descansando ao lado de Zheng Yong. Era o Clássico dos Ritos. Parecia muito velho e obviamente não era uma cópia, mas sim um antigo texto original.

(NT: Clássico dos Ritos é um dos cinco clássicos chineses do cânon do confucianismo.)

“Você tem sobrenome Meng?” Disse Zheng Yong, sua expressão começou a brilhar. Era um pouco apertado dentro da carruagem, mas ele ainda conseguiu ficar de pé e dar a Meng Hao uma saudação respeitosa. “Um nome tão honorável. Então você é um descendente de Qingfu! Tenho sido desrespeitoso; por favor, perdoe-me, irmão Meng.”

(NT: Meng ou Mengsun foi um dos três clãs aristocráticos fundado por Qingfu, os clãs eram conhecidos como Os Três Huan que governaram durante o período Primavera e Outono chinês – 771 a 476 a.C.)

Meng Hao se levantou e devolveu a saudação. “Não há necessidade de agir assim, irmão Zheng. É só um sobrenome. Meus ancestrais eram resplandecentes, mas quanto a mim, falhei repetidamente nos exames imperiais, o que me deixou extremamente envergonhado.” Os dois se sentaram de volta.

“Irmão Meng, você falou incorretamente agora,” disse Zheng Yong solenemente. “Seu sobrenome lhe trará boa fortuna. Foi-lhe transmitido desde tempos antigos. Como um descendente de Qingfu, mesmo se você não passar nos exames imperiais, enquanto você tiver bondade e virtude em seu coração, você ainda pode viver pelos valores de Confúcio.”

Meng Hao pensou silenciosamente por um momento, então levantou a cabeça e olhou para o erudito sentado na frente dele. “Irmão Zheng,” ele disse calmamente, “qual é o verdadeiro significado do confucionismo?”

“Cortesia, benevolência, lealdade e a doutrina do meio-termo,” ele respondeu sem hesitação. “Isso é confucionismo.”

(NT: sobre a doutrina filosófica do meio-termo de Confucio, pesquisem por Zhong Yong.)

Meng Hao não respondeu. Ele olhou através da cortina e os flocos de neve enchiam o ar. Depois de um tempo, ele falou de novo em uma voz fria: “Qual é o sentido da vida?”

“Vida?” Disse Zheng Yong, parecendo surpreso. Ele hesitou por um tempo, sem dizer nada.

O interior da carruagem ficou calmo, preenchido apenas com o som de neve caindo, que entrava pela janela. Meng Hao levantou a mão e estendeu a mão para fora. Os flocos de neve gradualmente se acumulavam em sua mão.

“A neve só aparecerá durante o inverno,” disse ele calmamente, “e só pode existir no vento frio. Portanto, sua vida só existe nas profundezas do inverno.” Ele puxou a mão de volta para o carro e segurou-o ao lado do forno de cobre. A neve começou a derreter, transformando-se em água, que fluiu através dos vincos de sua palma.

“A neve só pode viver no inverno. Quando se aproxima do fogo, ela morre. Essa é a sua vida. Pode até ansiar pelo verão, mas… só pode desejá-lo. Na minha mão, a neve tornou-se água, porque este não é o seu mundo…” Ele levantou a mão para cima e lançou a água para fora da janela. Lá, além da visão do jovem erudito, tornou-se mais uma vez neve.

Zheng Yong olhou mudo, um olhar profundo apareceu em seus olhos. Eventualmente, a carruagem entrou na cidade.

“Obrigado por me permitir acompanhá-lo, irmão Zheng,” disse Meng Hao friamente. “Vou me despedir.” Ele cumprimentou educadamente e saiu da carruagem, depois atravessou a rua cheia de neve.

“Ansiar pelo verão,” Zheng Yong murmurou para si mesmo, “mas só é capaz de existir no frio do inverno. Somente capaz de olhar para a distância… Isso é neve.” Ele observou Meng Hao desaparecendo na distância. Depois de um tempo, ele saiu do carruagem e deu um profundo reverência na direção de Meng Hao.

Neve começou a cobri-lo, mas sabia que assim que ele voltasse para a carruagem, ela morreria. Nunca esqueceria o que tinha acabado de acontecer e o que acabara de ver e ouvir. Anos mais tarde, depois que ele se tornou um confucionista famoso no Estado de Zhao, ele iria pensar naquela noite ventosa de inverno, quando a neve se derretia lentamente em água. E ele pensaria em um estudioso chamado Meng Hao.