ISSTH – Capítulo 317 – Eu sou um Pássaro Celestial Ancestral!



Pode-se dizer que sem esse espelho de cobre, Meng Hao não teria conseguido a base cultivo que ele tinha nesse momento. Nem iria ser capaz de viajar pelo Domínio do Sul ou se juntar a Seita Destino Violeta. Ele ainda estaria no Estado de Zhao, vivendo em cima daquela velha tartaruga que era o Patriarca Confiança, em alguma localização desconhecida.

Lembranças percorriam pelos olhos de Meng Hao enquanto olhava para o espelho. Tantas coisas tinham acontecido desde que ele adquiriu esse espelho que adorava emitir uma aura de intimidação contra aqueles que tinham pelos e penas. Além disso, tinha uma habilidade de duplicação que desafia os Céus.

Também existia o fato que a gelatina de carne odiava tanto chegou ao cúmulo de assumir a forma de um papagaio ao qual constantemente tagarelava e rangia seus dentes só pela menção dele.

Meng Hao também recordou-se daquela vez em que tocou pela primeira vez a máscara da cor de sangue, assim que saiu do torneio do Legado do Imortal de Sangue. Graças ao Patriarca do Clã Li, ele tinha quase perdido controle de sua mente; foi por causa de um chamado de um pássaro que vinha de dentro do espelho de cobre que o permitiu evitar essa calamidade.¹

Então recordou-se daquela vez que esteve na Terra Santificada da Seita Luva Negra, quando o poder do espelho de cobre permitiu que ele botasse os pés em cima do caldeirão quadrado, mesmo ele não possuindo de fato uma linhagem ancestral.²

No instante que Meng Hao alcançou o estágio de Formação do Núcleo, ele sentiu como se uma aura dentro do espelho de cobre estivesse acordando.

“Papagaio….” ele falou, com os olhos cintilando. Em seguida começou a rotacionar sua base de Cultivo a guiando com sua vontade e a mandando através de sua mão direita até o espelho.

O espelho gradativamente começou a emitir um brilho misterioso. A luz ficava cada vez mais intensa e subitamente a gelatina de carne, que estava na bolsa de carregamento, voou para fora da máscara de cor de sangue. Ela emergiu em um raio de luz trazendo na superfície desse raio o rosto de um velho.

Os olhos dela cintilavam de teimosia, determinação e sinceridade, como se estivesse prestes a enfrentar seu maior inimigo. Sua expressão também continha um pouco de santidade, como se essa era a maior missão de sua vida participar dessa grande batalha que iria decidir o destino de todas as estrelas existentes.

“Malévolo arqui-inimigo, você finalmente aparecerá”, ela falou, como um rosto repleto de um ar sagrado. “Estivesse esperando por você por muito, muito tempo. Dessa vez, a primeira coisa que verá quando acordar será eu. Irei definitivamente lhe converter dessa vez e te tirarei desse caminho de maldade.” A gelatina de carne dessa vez parecia bem menos tagarela que antes. Ela exibia um ar pedante que lentamente ficava cada vez mais espesso a sua volta.

Já Meng Hao, ignorou completamente a gelatina de carne, se concentrou em focar sua base de Cultivo a mandando em um fluxo contínuo de poder para o espelho de cobre, este parecia um poço sem fundo, sugando tudo. Lentamente o tempo se passou e logo Meng Hao tinha utilizado cerca de sessenta por cento de sua base de Cultivo.

Foi então que o brilho no espelho subitamente explodiu brilhantemente e uma imagem ilusória surgiu em sua superfície.

Ela ainda estava muito borrada.

“Apareça, meu arqui-inimigo!” Comentou solenemente a gelatina de carne. “Apareça! Estamos destinados a travar essa batalha! Ééé… ei, Meng Hao mais força nisso ai. Ele está quase fora!”

Só de ouvir a voz da gelatina fez Meng Hao lembrar-se de algo e ele limpou sua garganta. Na verdade, um dos motivos principais de ele fazer esse espírito emergir do espelho era porquê queria que este lidasse com a gelatina de carne. Talvez pudesse até mesmo ser capaz de suprimir a tagarelice dessa coisa.

Ele deu uma respirada profunda e então mandou mais poder de sua base de Cultivo. Sessenta por cento, oitenta por cento, noventa por cento….

A imagem acima do espelho começou a adquirir maior nitidez. Demonstrava agora, obviamente, o formato de um pássaro repleto de penas coloridas e, até mesmo, vistosas. Seus olhos estavam fechados, tinha um bico curvado e garras afiadas. Na verdade, sua aparência não era tão pervertida quanto a forma de papagaio que a gelatina de carne assumiu daquela vez. Ao invés disso, exalava um ar de extrema e descontrolada arrogância. Até mesmo quando estava dormindo, essa aura arrogante parecia bofetear o rosto de Meng Hao.

“Mas que aura maligna”, comentou a gelatina de carne, tremendo-se toda. “É essa mesmo. É essa a aura e a aparência é igualzinha! Esse é meu arqui-inimigo. Realizarei a missão da minha vida. Irei convertê-lo!” O ar de santidade se agitava ainda mais espessamente em volta da gelatina de carne.

Meng Hao subitamente sentiu-se fraco internamente. Isso o alarmou um pouco; talvez não fosse a melhor decisão ter escolhido acordar esse espírito logo após de recuperar seus ferimentos. Se ele sofresse qualquer lesão nesse estado, não só, não poderia ser capaz de prover o poder que o espelho de cobre necessitava, mas também poderia resultar em intensificar terrivelmente os ferimentos que ele tinha.

Com isso o tempo se passou. E quando a base de Cultivo de Meng Hao estava prestes a ser transferida completamente para o espelho de cobre, repentinamente, um chamado estridente ecoou de dentro deste. Nesse chamado continha uma enorme arrogância e um imenso autoritarismo.

O som dele ecoava de uma maneira que faria tudo que é criatura viva que o ouvisse se prostrasse em veneração.

Enquanto o chamado ecoava, o papagaio acima do espelho abriu seus olhos de uma vez. Uma luz brilhante saiu de seus olhos, junto com uma rajada de um Qi Imortal; este foi emanado preenchendo a caverna do Imortal inteira.

Ele demonstrava uma expressão vazio no rosto, e também um ar arcaico. Só demorou um instante até que um ar de altivez surgisse; claramente, seu corpo era de um pássaro pequeno, mas se alguém o olhasse teria o pressentimento que ele poderia separar os Céus e rasgar a Terra em dois.

Até mesmo o ar daquela região começou a ficar mais pesado.

A gelatina de carne emitiu um uivo que era difícil de saber se estava empolgada ou furiosa. Ela imediatamente surgiu diretamente na frente desse papagaio e olhou-o bem de perto dos olhos deles. “Olhe para mim, meu arqui-inimigo. Veja bem quem que é!”

O papagaio olhou de volta para a gelatina de carne e um olhar tranquilo de desdém surgiu no seu rosto. Sua expressão era de extrema arrogância quando virou a cabeça bruscamente para olhar para Meng Hao.

Meng Hao não esboçou nenhuma reação a isso. Apenas deu alguns passos para trás, olhando para o papagaio e a gelatina de carne e ao mesmo tempo estava se esforçando em recuperar sua base de Cultivo. Tendo como base a convivência que teve com a gelatina de carne, ele achou que o melhor modo de agir seria observar primeiro o que iria acontecer.

A gelatina de carne deu um uivo raivoso, e então rapidamente se moveu novamente na frente da visão do papagaio.

Em seguida ela encarou o papagaio e enquanto o fez, parecia que toda o seu ódio explodiu de uma vez: “O arqui-inimigo de toda minha vida, os Céus abriram os olhos e acharam que seria bom nos encontrarmos novamente. Você, ser maligno! Ser Imoral! Não me diga, que esqueceu de mim?” O corpo da gelatina de carne virou um borrão turbulento enquanto berrava: “Fale! Por que não fala nada!? Seu maléfico e pervertido pássaro! Por que não fala nada!?” Ele esperou por esse dia por muito tempo e agora esse pássaro estava a sua frente, mas não respondia. Foi então que:

“Você tá doidão? Vai f*** tua irmã, vadia!” Grasnou o papagaio com um rosto repleto de impaciência.

Imediatamente os olhos da gelatina de carne começaram a brilhar; essa reação do papagaio parecia condizer com a maldade que ele lembrava dele.

“Insultar pessoas é errado”, respondeu a gelatina de carne seriamente. “Você pecou novamente!”

“Vai f*** tua vó! Tua tia! Tua outra vó! Teu Tio! Teus netos! Vai te f***, vadia!” O papagaio lentamente falou uma sentença atrás da outra. Depois ignorou a gelatina de carne que estava se tremendo toda diante desses insultos e bateu suas asas voando em círculos ao redor da caverna do Imortal. Eventualmente, ele pousou no ombro de Meng Hao e olhou para ele arrogantemente.

“Então, você é o meu mestre nesse mundo? Lembre-se bem do meu nome: Lorde Quinto. Sou um pássaro Celestial ancestral. Depois que eu nasci, fui tão reverenciado e respeitado que até mesmo os Céus abaixavam suas cabeças para mim. Antes de eu nascer nenhum ser vivo vestia roupas, mas depois que eu nasci, quem se atreveu a não fazer isso? Antes de mim, não existiam criaturas espirituais que tinham pelos ou penas, mas depois de eu nascer, ambições enormes foram necessitadas e com isso surgiram as bestas peludas e emplumadas. Depois disso, que mundo dentre as estrelas se atreveria a não mais possuir pelos ou penas!

“No mundo exterior, permitirei que me chame pelo meu nome,” continuou arrogantemente. “Quando o nome do Lorde Quinto é pronunciado, todas as criaturas vivas ficarão completamente apavoradas, portanto ninguém se atreverá a ofender você. Isso porquê dentro desse mundo inteiro, seja dentro ou fora dos Céus, se alguém me ofender, eu vou f*** eles até morrerem!” Um ar de autoritarismo saia dele, preenchendo a região. No entanto…. Meng Hao manteve uma expressão de estranheza no rosto. Para ele, o que estava olhando era nada mais que um pássaro colorido que gostava de se gabar.

Ao lado, a gelatina de carne seriamente o interrompeu: “Se gabar é imoral! Você pecou de novo! Irei converter você!” Com um ar de justiceiro ela disparou na direção do papagaio novamente. Porém, enquanto se aproximava, a expressão de desdém no rosto do papagaio e sua arrogância se atenuaram, era como se achasse o chefão e os Céus eram seus subordinados.

Olhando para gelatina de carne, ele comentou: “Anos atrás, incontáveis seres poderosos refinaram a Via Láctea em uma estátua para mim nas Montanhas Flamejantes. Quer saber o porquê? Muito tempo atrás, nas profundezas do Mar Estrelado, eu forcei trinta mil freiras virgens do Dao da Grande Paz se banharem diante de mim. Quer saber por que elas concordaram com isso?

“Incontáveis anos antes disso, sabe quem era considerado o maior valentão de todas as estrelas? Além disso você se lembra daquele gordão que emboscou você daquela vez e então se prostrou diante de mim por cem mil anos? Quer saber onde ele está agora? Quer aprender como contar além de um, dois ou três?” As palavras do papagaio foram ditas lentamente, mas quando foram despejadas a gelatina de carne parou de se mover. Quando o papagaio terminou, ela o encarava completamente muda, seu rosto estava repleto de conflito. Entretanto, parecia ser capaz de suprimir sua curiosidade.

O papagaio olhou para a gelatina de carne com uma expressão de extrema arrogância: “Se quer saber, então precisa se comportar melhor diante do Lorde Quinto. Vadia, apesar de todos esses anos em que não te vejo, você ainda continua sendo um completo retardado!”

Assistindo a tudo isso, Meng Hao subitamente descobriu agora como que o papagaio conseguia ser capaz de lidar bem com a gelatina de carne. Por ela ser incrivelmente curiosa isso, na verdade, se tornou sua maior fraqueza.

Tendo compreendido isso, Meng Hao teve o pressentimento que a personalidade desse papagaio era um pouco diferente do que fora relatado anteriormente pela gelatina de carne. Ele não foi capaz de notar nenhum ar pervertido nele, apenas uma arrogância descontrolada.

Foi nesse instante que o bico do papagaio subitamente cerrou-se e uma expressão de que encontrara algo suspeito surgiu no seu rosto. Ele olhou ao redor por um instante, voando pelo ar em círculos algumas vezes pela caverna do Imortal.

“Eee?” Falou desconfiadamente enquanto voava em volta. “Isso não está certo. Que cheiro é esse?”

Imediatamente isso atraiu a curiosidade da gelatina de carne que também começou a olhar em volta duvidosamente. Quando viu que o papagaio estava cheirando alguma coisa, um som de um estalar ressoou quando subitamente ela se transformou em um grande cachorro branco. Ele colocou o fuçinho no chão e começou a cheirar, abanando seu rabo.

“Mas que diabos encontrou?!” a gelatina de carne falou depois de cheirar em volta. “Não sinto cheiro de nada! O que está cheirando?” Ela olhou para cima curiosamente para o papagaio.

“Você não entende p*** nenhuma mesmo! Não importa se você se transformar um cachorro ou não, não será capaz de sentir esse cheiro. Eu sou um pássaro Celestial ancestral, alguém que é estimado em todos os Céus! Essas terras de cor preta tem uma aura bem curiosa. E já determinei o que são. Muito impressionante e extraordinário isso. Ahh, agora eu entendi o que realmente está acontecendo.” Uma expressão arrogante surgiu no seu rosto que parecia ser capaz de compreender tudo diante dos Céus e da Terra.

O rosto da gelatina de carne se retorcia todo com uma curiosidade insuportável. Parecia estar se coçando de ansiedade. Aparentemente, não importava que forma ela assumisse, não poderia detectar essa suposta aura.

Ao lado, Meng Hao assistia a comoção. Ao ouvir o diálogo entre os dois, ele subitamente lembrou-se das palavras proferidas pela Jade de Selamento Demoníaco assim que ele entrou nas Terras Negras, e sentiu uma pontada de entusiasmo.

“O que há de tão especial nesse lugar?” Meng Hao perguntou.

O papagaio olhou de volta para ele; seu olhar dizia que era um papagaio Celestial ancestral e não devia satisfação para explicar nada para ele. Continuou voando em volta, com uma expressão arrogante no rosto, como se fosse uma figura unicamente inigualável nos Céus e na Terra.

Meng Hao franziu o cenho e falou tranquilamente: “Bom, todo mundo é capaz de se gabar se quiser. Se não sabe a resposta, não precisa fingir que sabe igual está fazendo.” Ele era agora um cultivador do estágio de Formação do Núcleo a caminho de se tornar um especialista poderoso, e depois de tudo que vivenciou na Caverna do Renascimento, sabia como manter seu tom de voz completamente indiferente quando falava, era como se ser ignorado não lhe tivesse deixado nem um pouco irritado, tendo completa confiança em si mesmo.

Suas palavras fizeram com que o papagaio imediatamente parasse de voar no meio do ar. Todas as suas penas coloridas agora se levantaram como se tivesse arrepiado, ele encarou Meng Hao, parecendo ter sido terrivelmente desonrado.

“Eu não sei? Eu sou um pássaro Celestial ancestral! Eu sei tudo sobre os Imortais acima e os mortais abaixo! Você realmente acha que existe algo que Lorde Quinto não saiba?”

“Você realmente não precisa se gabar por não saber.” respondeu Meng Hao rapidamente. Internamente seu coração estremecia, e seus olhos brilhavam em uma luz misteriosa.


Tradutor: Devlin   |   Revisor: Bonadeo   |   QC: Devlin



[1] Esse evento do chamado do pássaro quando Meng Hao pós a mão pela primeira vez na máscara aconteceu no capítulo 137.

[2] Esse evento onde Meng Hao pisou no Caldeirão quadrado aconteceu no capítulo 158.


Imagem do Lorde Quinto abaixo (Talvez oficial)


Fontes
Cores