ISSTH – Capítulo 315 – A Caverna Imortal de Huang Daxian



Era noite nas Terras Negras. O céu estava envolto pela escuridão e o solo abaixo era tão escuro quanto a escuridão da noite. A sensação ali era de desolação.Nenhum mortal podia ser visto por essas terras; era muito difícil para eles sobreviverem em um ambiente tão inóspito. Essa região era ocupada em sua maior parte por Cultivadores. Se algum mortal for encontrado ocasionalmente, era indicativo que ele era um descendente de algum Clã de Cultivadores, e consequentemente teria uma fisionomia poderosa e um Qi e sangue muito além do normal.

Assim que Meng Hao entrou nas Terras Negras, ele olhou para trás por um instante e um insight de algo suspeito que foi revelado, foi mostrado pela sua expressão. Por alguma razão, ele tinha sentido que ao adentrar nessa terra, havia algum tipo de fio invisível que estava alojado no seu corpo que agora havia sido suprimido.

Antes de entrar nas Terras Negras, ele não foi capaz de detectá-lo; no entanto, assim que esse fio foi suprimido, ele pôde detectá-lo.

Meng Hao resmungou para si mesmo em reflexão, enquanto as videiras os carregavam à frente em alta velocidade. Momentos depois, ele limpou a mente de pensamentos e seus olhos cintilaram enquanto ele lançava seu Sentido Espiritual para sondar os arredores.

Uma região de trezentos metros em todas as direções subitamente surgiu como um mapa na sua mente.

“Eu preciso achar um lugar tranquilo aonde eu possa me recuperar…. Eu lembro que Zhou Dekun¹ foi levado para as Terras Negras… Além disso, deve haver informações sobre a Larva Sem Olhos por aqui². Eu não posso deixar de imaginar se algum dia poderei refinar uma delas”. Meng Hao novamente retirou a bolsa de carregamento de Ji Hongdong e a averiguou novamente. O símbolo mágico que a selava não era nem um pouco fraco. Meng Hao era capaz de suprimi-lo levemente, mas isso não era suficiente para que pudesse abrir essa bolsa. Ele intuiu que se ele fosse capaz de suprimir esse selamento por um tempo que seja suficiente, ele seria capaz de abri-la.

Um longo tempo se passou depois disso e Meng Hao novamente fechou seus olhos. Ele deixou que as videiras continuassem em frente sem qualquer descanso e assim mais de um mês se passou.

Ocasionalmente ele se depararia com alguns Cultivadores das Terras Negras. Eles eram em maior parte magricelos repletos com uma aura intensamente diabólica. Normalmente eles viajavam sozinhos e, raramente, em grupos de três a cinco. Para Meng Hao, a maioria deles pareciam ser lobos solitários.

Isso era algo muito diferente do Domínio do Sul.

Parecia que as pessoas que viviam nesse lugar estavam acostumadas em trilhar um caminho entre a vida e a morte. O único modo deles garantirem continuarem existindo era banhando suas mãos em sangue.

Entretanto, apesar da ferocidade deles, quando os Cultivadores locais viam Meng Hao, suas pupilas se contraiam. Pois Meng Hao, com seus cabelos brancos e rosto pálido, era alguém muito chamativo e deixava uma impressão bastante tenebrosa nessas pessoas.

Adicionado a isso estava a aparência aterrorizante das videiras, tornando a imagem para qualquer um que o visse achasse que ele era alguém poderosamente malévolo. Sem falar que Meng Hao emanava uma aura do estágio de Formação do Núcleo e um fedor de sangue derramado podia ser sentido vindo dele. Qualquer um que o visse iria imediatamente chegar a conclusão que ele era uma pessoa que não podia ser provocada.

Isso aconteceu até mesmo com Cultivadores que estavam no mesmo nível de cultivo que ele. Após eles sentirem a aura da base de cultivo dele, iriam hesitar por um instante e então sairiam do seu caminho.

Nas Terras Negras, matar fazia parte constantemente do modo de vida da região, portanto ver corpos largados ao chão era algo muito comum.

Enquanto Meng Hao viajava, ele viu dezenas de batalhas mágicas brutais entre Cultivadores. E também viu algumas mortes. Tendo como base essas observações, ele rapidamente teve uma compreensão melhor de como era o mundo nas Terras Negras.

O que Meng Hao achou mais estranho foi que apesar de um mês ter se passado, onde tinha permanecido em constante vigilância, ninguém do Clã Ji veio atrás dele. Ele não podia deixar de refletir que a causa disso podia estar relacionado a supressão daquele fio invisível, que estava alojado dentro do corpo dele, assim que entrou nas Terras Negras.

Ele hesitou por um instante, não tendo muita certeza do que estava acontecendo. “Será que esse fio surgiu depois de eu ter matado Ji Hongdong? Será que era uma marca que o Clã Ji usava para me rastrear? Se for esse o caso, porquê foi suprimida assim que eu entrei nas Terras Negras?”

Após isso, o tempo se passou lentamente. E logo, mais um mês já havia se passado. Quando comparado ao Domínio do Sul, as Terras Negras não eram muito extensas. Entretanto, enquanto viajava, Meng Hao descobriu que não haviam muitas cidades o que fez tudo parecer muito maior do que realmente era.

Praticamente tudo era desolado e vazio. O solo era bem preto e era permeado com uma opressiva e mortal imobilidade, isso até mesmo para os poucos lugares que estavam repleto de energia espiritual. Felizmente, Meng Hao atualmente não precisava de um lugar com forte energia espiritual para cultivar. Um dia, enquanto estava sentado de pernas cruzadas sendo carregado pelas videiras, ele subitamente abriu os olhos e olhou para o horizonte.

Com seu Sentido Espiritual, ele podia ver uma pequena montanha a cerca de quarenta quilômetros de distância. Lá havia uma Caverna do Imortal bem simples que não estava sequer localizada na montanha em si e sim abaixo dela, era quase igual a um toca. Próximo dessa montanha havia uma fonte, cujas águas estavam sendo represadas formando uma cisterna.

E as águas dessa cisterna eram lamacentas e malcheirosas, e a região inteira estava repleta de fezes de animais e ervas daninhas. O lugar parecia estar abandonado. Se Meng Hao não estivesse especificamente procurando um lugar para descansar e curar seus ferimentos, ele certamente teria recusado sequer olhar para um lugar como esse.

“Bom, não é um lugar tão ruim assim”. Ele pensou e transmitiu sua vontade para as videiras as fazendo se mover na direção daquela pequena montanha.

Em pouco tempo depois, ele chegou até a região e se aproximou a pé, permitindo que as videiras se enterrassem no solo e se escondessem.

Meng Hao caminhou através das ervas daninhas, passando a cisterna. E quando o fez, notou que havia uma criatura pequena bebendo água da mesma. Ela olhou para ele, emanando um ar cruel e brutal.

Meng Hao a ignorou e voou pelo ar para inspecionar a montanha. Depois disso, ele voou na direção da larga fissura que estava na superfície da montanha, uma expressão de satisfação se formou em seu rosto.

Essa fissura se estendia pelo subsolo e levou apenas um instante até a porta principal da caverna do Imortal surgisse na frente dele. Meng Hao gesticulou com a mão fazendo a porta estremecer e lentamente se abrir.

Essa caverna do Imortal não era muito grande; e quase tudo ali dentro estava coberto com poeira. Aparentemente não havia sido ocupada a algum tempo, apesar de que resquícios de uma aura do quinto ou sexto nível de Condensação de Qi ainda perduravam ali dentro. Parecia que o dono original dessa caverna não tinha uma base de cultivo muito alta.

Depois de olhar em volta por um tempo, Meng Hao gesticulou, fazendo um vento forte surgir que instantaneamente levou consigo toda a poeira e sujeira que estava ali.

Em seguida, ele sentou-se de pernas cruzadas e deu uma longa e profunda respirada. Uma expressão de reflexão preencheu seu rosto e depois disso sua mão rapidamente fez um gesto de encantamento e ele apontou um dos dedos para a porta principal. Esta lentamente se fechou, e logo após surgiu nela símbolos mágicos a selando.

“Meus ferimentos nesse momento estão cerca de cinquenta por cento curados. Eu realmente me feri gravemente dessa vez…” Ele retirou algumas pílulas medicinais e as consumiu, fechando os olhos em seguida para meditar. Lentamente, seus ferimentos começaram a se curar.

Por ser um Grão-mestre do Dao da Alquimia, ele naturalmente era capaz de criar as pílulas ideais para tratar de seus próprios ferimentos.

E assim o tempo se passou lentamente e pacificamente. O ambiente no interior da Caverna era silencioso e escuro também. Ele permaneceu sentado por bom tempo. Quando finalmente acordou de seu transe, ele abriu os olhos e ficou olhando para a escuridão. Por alguma razão, suas lembranças do tempo que esteve na Seita Destino Violeta surgiram na sua mente do nada.

“Clã Ji…” Um brilho reluzente surgiu em seus olhos, aos quais novamente se fecharam.

Três meses se passaram lentamente, apesar de que Meng Hao não estava muito ciente da passagem do tempo. Seus ferimentos nesse momento estavam curados em sua maioria, pelo menos oitenta por cento. De acordo com seus cálculos, dentro de alguns meses ele estaria completamente curado e retornaria a sua plena condição física de antes. Na verdade, era bem possível que até mesmo possa ter feito algum progresso em seu cultivo.

O que era absolutamente estranho para ele era que nos últimos três meses não havia nem o mínimo de sinal do Clã Ji ter estado atrás dele. Meng Hao não podia deixar de tirar algumas de suas próprias conclusões do porquê disso.

Ele subitamente pensou em algo: “Será por causa do Mestre….?” Ele refletiu sobre isso em silêncio por um tempo.

Até que finalmente, ele suspirou, fechou os olhos e continuou se focando em tratar de seus ferimentos. Entretanto, depois de um instante, sua expressão subitamente mudou e ele focou sua atenção para o lado de fora da caverna do Imortal.

Cerca de cinquenta quilômetros de distância da pequena montanha estava um homem magricelo de cerca de trinta anos de idade, ele caminhava na direção da montanha com o máximo de cautela e prudência.

Sua base de Cultivo não era muito alta, estava talvez no sexto nível de Condensação do Qi. Um brilho selvagem podia ser visto de seus olhos. No Domínio do Sul haviam poucas pessoas no mesmo nível de cultivo que ele que seriam capazes de vencer uma luta contra esse homem.

“Eu realmente tive um azar tremendo dessa vez”, resmungava o homem com os dentes cerrados. “Que merda de lugar era aquele!? Me manteve aprisionado por dois anos!” Seus olhos olhavam ao redor enquanto prosseguia em frente com sua velocidade máxima em direção da pequena montanha.

Dando a entender que não estava indo para um caminho predeterminado, o homem disfarçou dando voltas pela pequena montanha, olhando ao redor o tempo todo. E depois de ter certeza que não havia perigo algum e que ninguém parecia estar o seguindo, ele pulou para dentro da fissura e seguiu seu caminho pelo subsolo.

“De agora em diante, nunca mais irei para aquele maldito lugar de novo. Felizmente, apesar de ter sido aprisionado por dois anos, minha vida não estava em perigo. Se fosse outra pessoa certamente teria sido morta”. Ele suspirou, resmungando para si mesmo enquanto descia escalando pela fissura. Depois de ter visto muita morte em sua vida, ele chegou em um ponto onde talvez estivesse amortecido, considerando a morte com uma coisa rotineira desse mundo em que ele vive.

“Infelizmente, eu ainda não possuo um elixir medicinal”, ele resmungou. “No entanto, considerando que eu tenho minha própria caverna do Imortal, eu posso me considerar como alguém que tem bastante sorte”. Parecendo estar satisfeito consigo mesmo, ele relaxou um pouco. Pois agora que finalmente estava de volta a sua caverna do Imortal, ele poderia descansar. Ele ergueu a mão direita e nela apareceu um medalhão de comando ao qual ele o arremessou na direção da porta.

Seus olhos se alargaram quando viu que o medalhão apenas bateu na porta e caiu no chão. A porta principal não moveu-se nem um centímetro.

“Será que está quebrado?” Ele pensou, boquiaberto. Ele se adiantou à frente pegando o medalhão de comando do chão e começou a olhá-lo minunciosamente. Ele estava prestes a tentar usá-lo novamente, quando subitamente percebeu que havia algumas marcas de poeira no chão que tornava obvio que ela foi aberta recentemente.

Uma fúria imediatamente lampejou-se dos olhos daquele homem. Como ele não podia compreender que sua caverna do Imortal foi roubada por outra pessoa! Ele imediatamente berrou:

“Eu não sei de onde você veio, seu ignorante estúpido! Mas essa é a caverna do Imortal desse Vovô Huang aqui! Saia já dai de dentro!” De acordo com que estimou anteriormente, a energia espiritual dessa caverna do Imortal havia a muito tempo se esgotado. Quaisquer cultivadores de níveis elevados no estágio de Condensação do Qi não iria obviamente se interessar por ela, quanto mais alguém que era mais poderoso que esse estágio.

Além disso, ele tinha ocupado essa caverna do Imortal por muitos anos. Obviamente, algumas pessoas tentaram tomá-la dele, mas todas eram pessoas com um nível inferior ao dele e ele foi capaz de exterminar cada um deles. Afinal, ele era definitivamente o dono dessa pequenina caverna do Imortal.

Entretanto, agora era óbvio que nesses dois anos que esteve fora, alguém de fato viera tomá-la para si.

“Abra a porta! Seu avô está mandando! Isso é o território do vovô Huang e essa é a caverna do Imortal dele. Todo mundo nessa região sabe que eu sou o Rei Dragão de Oito-braços, Huang Daxian!”

Dentro da caverna do Imortal, Meng Hao franziu o cenho. Este lugar parecia que estava abandonado quando chegou ali; ele nunca imaginaria que alguém estava na verdade vivendo ali…

“Você tem uma ambição e coragem de um leopardo para tentar roubar a caverna do Imortal do Vovô Huang!” uivou Huang Daxian. Ao perceber que nenhuma resposta veio lá de dentro, ele deu uma bufada fria e então começou a realizar um encantamento com sua mão direita. Ele apontou seu dedo e com o rosto vermelho, lançou uma língua de fogo que se transformou num globo de fogo que ia na direção da porta principal da caverna do Imortal.

Uma explosão ressoou pela fissura estreita, depois disso Hung Daxian imediatamente começou a berrar de novo:

“Abra essa porta! Seu maldito f…”

Antes que ele pudesse terminar seu insulto, a porta principal abriu uma fresta. Huang Daxian deu um pigarro frio, parabenizando a si mesmo por conseguir intimidar seu oponente com sua demonstração de técnica mágica. Ele estava repleto de fúria, mas não imediatamente investiu para dentro da caverna. Um olhar de cautela brilhava no seu rosto.

Ele lentamente abriu a porta principal. Lá dentro ele viu que não havia poeira; e sim Meng Hao que permanecia sentado ali tranquilamente.

Ao ver que Meng Hao estava sozinho, ele falou: “Seu vov…” Entretanto, em meio a sua fúria, ele subitamente olhou nos olhos de Meng Hao e em meia a profundidade deles havia uma dignidade fria.

Seu cabelo estava completamente branco e ele emanava uma aura aterrorizante e surpreendente. Seu rosto estava pálido, como se precisasse de mais sangue para se tornar normal novamente.

Tudo isso fez com que Huang Daxian se sentisse como se um balde de água fria tivesse sido despejado sobre sua cabeça. Ele imediatamente se tremeu todo gaguejando:

“Irmão… Irmão Daoista…”


Tradutor: Devlin   |   Revisor: Bonadeo   |   QC: Devlin



[1] Zhou Dekun: Era um Alquimista da Seita Destino Violeta que visitou junto com Meng Hao a Seita Luva Negra. A princípio ele odiava Meng Hao, mas depois de vê-lo derrotar um alquimista da Divisão Pílulas Mundiais se tornaram amigos e ele ajudou bastante Meng Hao. Ele foi raptado por um Cultivador de máscara azul no trajeto de retorno a Seita Destino Violeta e não foi mais encontrado depois disso.

[2] Larva Sem Olhos: Para maiores detalhes sobre essa Larva, consulte o capítulo 165. Meng Hao adquiriu algumas informações sobre ela de um Cultivador Solitário (Lu Tao) que queria comprar um Folha da Trovoada dele. Essa larva será bastante relevante nesse livro e mais pra frente será abordada com maiores detalhes.


Fontes
Cores