ISSTH – Capítulo 131 – Estou aqui para cumprir minha promessa!


No Domínio do Sul tudo ficou de pernas pro ar. As oito colunas de sangue subiram aos Céus, fazendo o céu ficar repleto de ondulações vibratórias. O fantasmagórico carro de guerra formado pelo Templo Antigo da Condenação causava espanto a todos que o via.

E ao mesmo tempo, Meng Hao pisara novamente na zona do Legado do Imortal de Sangue. Quando seu pé tocou a plataforma fora da sexta matriz, o que pareceu um terremoto sacudiu o mundo inteiro e um estrondo espantoso pareceu preencher todo o lugar.

Enquanto a plataforma tremia, todos os feitiços matrizes começaram a irradiar luz e uma névoa móvel começou a preencher suas áreas. Incontáveis raios de luz verdes foram disparados do altar do sacrifício, estes fizeram uma espiral de luz no ar e pareciam dançar a frente de Meng Hao, como se tivessem repletos de empolgação e esperança, como se tivessem ansiosos para Meng Hao selecionar um deles para ser sua divindade de Sangue.

E alguns desses raios de luz verdes emitiam auras ainda mais poderosas que o Dragão de Sangue ou a Fada de Sangue.

Ainda mais difícil de descrever foi como a energia espiritual de toda a área pareceu ser despejada em Meng Hao. Em cada respiração, mais e mais entrava energia espiritual em seu corpo, fazendo assim sua Cultivação base começar a rotacionar fazendo seu corpo ficar cada vez mais forte.

Ventos e nuvens se juntaram, a zona do Legado estremecia quando rugidos de trovões soam em todos os lugares.

Uma estranha sensação cresceu dentro de Meng Hao. Parecia como que o Legado do Imortal de Sangue estivesse o chamando. Os feitiços de matrizes, as plataformas, a aura do lugar, tudo isso parecia bem diferente para ele do que era anteriormente.

Já, as pessoas do mundo exterior no Domínio do Sul não tinham acesso ao que tava acontecendo ali. Sua visão de dentro havia sido cortada, sem ser possível reproduzir nenhuma imagem. A única pessoa que podia ver tudo que acontecia era Li Daoyi. Já este havia passado pela sétima matriz e agora estava diante da plataforma depois dela. Com o rosto sombrio, seus olhos reluziam uma intensa luz, encarando Meng Hao que estava na plataforma fora da sexta matriz.

Próximo a ele estava o Dragão de Sangue de três mil metros de comprimento possuído pelo Patriarca do Clã Li. Ele também encarava Meng Hao, em seus olhos irradiava uma intensa inveja e também uma expressão complexa e difícil de descrever.

“Então o Legado é realmente destinado a ele..” Li Daoyi ergueu sua cabeça e deu uma risada com gosto. “Não há nada mais que eu amo nessa vida do que roubar Legados de seus legítimos donos. Que sensação maravilhosa me dá ao fazer isso!” Sua risada alta ecoou enquanto ele se dirigia a frente em direção a oitava matriz.

Quando a risada alcançou os ouvidos de Meng Hao, ele olhou para o céu e um olhar de profunda iluminação irradiou de seus olhos. Abaixou a cabeça e olhou para Li Daoyi com uma intenção de matar intensa.

No entanto, ele não o perseguiu. Ao invés disso ele gesticulou com a mão direita, causando que todos os raios verdes que circulavam a sua frente recuassem. Não escolhendo nenhum deles para ser sua Divindade de Sangue.

“Eu só aceitarei apenas ele como minha Divindade de Sangue!” Disse Meng Hao para si mesmo, seus olhos irradiando uma teimosa determinação.

E não entrara na sétima matriz. Fez algo que nenhum competidor jamais fizera por toda a história antiga do torneio do Legado do Imortal de Sangue. Ele virou-se para trás e caminhou de volta para a sexta matriz.

“Eu prometi que eu te levaria comigo para fora daqui.” Disse Meng Hao para si mesmo silenciosamente, e então desapareceu. Quando ele reapareceu na sexta matriz, os raios continuam a cair do céu. Incontáveis braços saiam do lamaçal cobrindo todo o chão. A distância, a gigantesca estátua agora jazia congelada e imóvel ao lado de uma enorme construção preta como piche que era a réplica do Antigo Templo da Condenação.

Era o mesmo mundo que visitara anteriormente, mas Meng Hao já não era a mesma pessoa.

Ele não mais tinha uma Fundação Impecável. Seu Pilar do Dao agora era pertencia ao estágio lendário da Perfeita Fundação.

Assim que adentrou a sexta matriz, voou pelo ar e com isso irradiando poder de sua Cultivação base. Respirou fazendo tudo tremer. Trovões e raios desabaram do céu e a terra sacudia. Por causa de sua Perfeita Fundação, Meng Hao não podia mais absorver nem um pouco da energia espiritual do mundo exterior, mas toda a energia espiritual desse lugar, quantidades massivas, foram despejadas em sua direção, o preenchendo. Enquanto ele respirava, Meng Hao podia sentir que era como se ele fosse… o dono desse mundo!

Enquanto trovões e raios caiam do céu e seu longo cabelo chicoteava ao redor. Ergueu sua mão direita e gesticulou para a frente para o chão.

Quando sua palma descia, o lamaçal começou a agitar-se. As mãos aprisionadas dentro dele do nada pararam de se mover e suas incontáveis faces olharam para Meng Hao. Suas expressões não eram mais hostis, mas sim repletas de veneração e até entusiasmo.

Subitamente, uma fissura enorme dividiu a terra do lamaçal. Se expandindo largamente e profundamente, dividindo junto as mãos e rostos no caminho. Vendo que o Lamaçal estava se abrindo para ele, Meng Hao voou seguindo pelo caminho da fissura.

E quando mais ele movia, mais o lamaçal se distanciava, não se atrevendo a se aproximar dele, como se temesse sua retaliação.

Meng Hao seguiu lamaçal a dentro, seu corpo se deslocava como se fosse um raio e irradiava determinação. Por onde andava a fissura se alargava mais e mais. E depois de um tempo de algumas respirações, ele parou. Quando a fissura expandiu mais no fundo, Meng Hao o viu, seu corpo repousara adiante no fundo do lamaçal.

Não tinha mais trinta metros de comprimentos. Era como quando era filhote, com o tamanho da palma de sua mão. Seus olhos estavam fechados e alguns pedaços de pelos ainda estavam visíveis no lamaçal que o cobria ao seu redor. Sua pelugem já não era vermelha, e sim enegrecida como se fosse cinza. Não mais aparentava temeridade e ferocidade. E sim era apenas um fofo, peludo filhotinho que fora uma vez, que sempre existiria eternamente nas memórias de Meng Hao.

Meng Hao pensou em quando ele cresceu, correndo em círculos entre suas pernas, fazendo brincadeiras com seus ganidos, com sua pelugem ondulada.

Muitas dessas recordações vinham a mente de Meng Hao. Pensara no momento que ele e o Mastim lutaram lado a lado na batalha da terceira matriz. Pensara em quão feliz ele corria para frente e para trás em sua direção no deserto da quarta matriz.

Pensara quando seu veneno o imobilizara e o reduzira a um mero mortal na quinta matriz. E como o Mastim fizera o impossível para protegê-lo descartando até a dor de seus próprios ferimentos. O quando depois de cada batalha, ele engatinhara de volta para ele, lambendo sua mão e ficando a seu lado o vigiando sem descanso de qualquer perigo que se aproximasse.

Ele tentou fazê-lo ir embora e poupar sua vida, mas o Mastim escolhera ficar para defendê-lo.

E na sexta matriz, ele escolhera por ajudar seu mestre a escapar da morte sacrificando sua própria vida. E a última coisa que Meng Hao podia se recordar era de ver uma miríade de mãos o puxando para longe dele, e o Mastim parecendo lamentar por não tido a chance de lamber sua mão.

“Eu não vou permitir que você morra aqui! Você não tem permissão de ficar com os olhos fechados nesse lugar!” Veias de sangue saltavam dos olhos de Meng Hao. Uma de suas mãos repousava no pequenino corpo do Mastim, enquanto a outra mão estava erguida em direção ao céu. O poder de sua Cultivação base rugiu como se tivesse ganhado vida. Tudo ao redor começou a estremecer, pois a rachadura do Pilar do Dao de Meng Hao finalmente havia se fechado completamente.

Quando isso aconteceu, seu corpo tremera, sentindo um incrível poder dentro dele e não era um poder de circulação vindo dos Céus e da terra. E sim um poder de circulação formado pelo si próprio.

Nesse instante, ele não estava absorvendo a energia espiritual ao seu redor, e sim a saqueando sem sua permissão!

Desde momento em diante, a energia espiritual dos Céus e da terra poderia entrar no seu corpo, mas jamais retornaria de volta para o mundo. Seria como se fosse um ferimento que ele iria fazer nos céus e na terra que nunca poderia se curado; uma energia espiritual perdida que jamais retornaria.

Seus olhos brilharam com uma luz estranha e seu cabelo chicoteava ao redor de sua cabeça. Sua aura crescia cada vez mais poderosa e uma luz dourada emanou de seu corpo inteiro. Em seguida, ele deu uma mordida em sua língua e cuspiu um pouco de sangue; o sangue derramou-se no corpo do Mastim, mas este foi incapaz de absorvê-lo.

“Foi-lhe dado a vida pelo meu sangue; e você cresceu da ignorância até alcançar consciência espiritual.” Meng Hao esticou sua mão e o sangue congelara em sua palma, formando um Globo de Sangue, que foi empurrado dentro do Mastim, forçando este a absorvê-lo em seu corpo.

E ao mesmo tempo, sua Cultivação base irrompeu e começou a forçadamente sugar toda a energia espiritual de dentro da sexta matriz. Meng Hao se tornara como se fosse um buraco negro, sugando tudo ao redor que girava em sua direção numa velocidade fantástica.

O que pareceram ser ilimitadas quantidades de energia espiritual, estavam sendo sugadas por ele, que eram imediatamente transferidas para o corpo do Mastim. Com o tempo, o lamaçal começou a secar e os braços e faces dentro dele começaram a se desintegrar. Até mesmo os raios no céu, se desconstruíram se tornando em poder para que Meng Hao pudesse absorver.

O céu começou a se enturvecer e rachaduras se espalham em toda sua imensidão.

À distância, a estátua começara a se despedaçar.

A réplica do Templo Antigo da Condenação ficara borrada e eventualmente desaparecera. O mundo inteiro parecia ficar mortalmente parado. Apenas Meng Hao e o Mastim permaneceram ali imaculados.

E de repente, o corpo do Mastim se mexeu. Parecendo estar lutando para abrir seus olhos. Ele podia sentir a aura de seu mestre. E lentamente, ele abriu seus olhos e olhou para Meng Hao.

Boom!

Toda a matriz começara a colapsar. Meng Hao puxou sua mão de volta. O corpo do Mastim estremecia, mas em seus olhos se via a chama de uma vida. E enquanto o mundo ao redor desmoronava ele ficou de pé.

O Mastim não tinha uma vida verdadeira, então não podia morrer de fato. Era um Espirito de Sangue, uma Divindade de Sangue e portanto podia ser renascida!

Por toda a antiga história do torneio do Legado do Imortal de Sangue, nenhuma Divindade de Sangue havia sido renascida. Essa fora a primeira vez que isso ocorrera. E a primeira coisa que Mastim vira ao abrir seus olhos fora seu mestre, quem o havia criado desde que era um filhote ignorante até atingir consciência espiritual.

ROARRRR!!!

O Mastim ergueu sua cabeça e soltou um rugido avassalador. Seu corpo expandiu-se rapidamente. Em um piscar de olhos já alcançara o tamanho de sessenta metros de comprimento. Sua pelugem deslumbrante também crescera e não era mais da cor vermelha e sim violeta!

Com uma pelugem violeta e uma envergadura similar a uma montanha, com afiados esporões que cresciam junto como se fossem pernas, no topo de sua cabeça agora apresentava um longo chifre. Seus dentes se alongaram e ficaram mais afiados. Tudo isso fez o Mastim aparentar ainda mais feroz e poderoso que antes.

Se outras pessoas no mundo o vissem, veriam uma criatura completamente selvagem e sanguinária. Pois era uma Divindade de Sangue, estas eram sem emoção e frias em sua essência. Mas havia uma pessoa que a faria agir como se fosse quando era pequeno como um filhote, que lamberia sua mão e iria acariciar sua cabeça.

Existia apenas uma pessoa que essa Divindade de Sangue se comportaria dessa forma em toda a sua existência!


Contribua com a Novel Mania!