ISSTH – Capítulo 113 – Um Altar Em Um Lago

“Já descansamos o suficiente,” disse Meng Hao friamente. “Levante-se. Você vai na frente.”

Chu Yuyan não disse nada. Rangendo os dentes, ela lutou para se pôr de pé. Assim que ela ficou de pé, sua roupa se mexeu, revelando ainda mais do seu corpo. Seu rosto outrora branco pálido, ficou instantaneamente carmesim. A partir de agora, o ódio em seu coração para Meng Hao era ainda maior do que ela sentiu por causa de Wang Tengfei.

Mas ela perdera a conexão com sua Base de Cultivo e agora era apenas uma frágil mulher. Ela não conseguia se comparar com Meng Hao de qualquer forma. Embora ele tivesse começado como um erudito, a força e a tenacidade de seu corpo estavam muito além da de um Cultivador comum.

Ele podia não ser tão forte como aqueles Cultivadores que se concentram no treinamento do corpo, mas em termos de recuperação e força, ele estava longe de ser comum. Caso contrário, ele não teria recuperado a consciência tão mais rápido que Chu Yuyan.

Ela só podia suportar e cumprir sua exigência de que ela tomasse a frente, a fúria em seu coração ficava cada vez mais profunda. Meng Hao naturalmente estava ciente disso. Ele caminhou atrás dela, olhando para sua graciosa figura. Os rasgos em sua roupa revelavam grandes porções da pele em suas costas.

A razão pela qual ele tinha feito Chu Yuyan andar na frente, no entanto, era porque ele ainda se sentia em perigo neste lugar. Chu Yuyan atuaria como uma ventoinha; ela seria capaz de fornecer aviso prévio de qualquer potencial ameaça.

Eles avançaram um atrás do outro. Se quisesse, Meng Hao mudaria seu curso apontando e dando novas instruções. Chu Yuyan não tinha escolha a não ser apertar a mandíbula e cumpri-las. O ódio por Meng Hao penetrara em seus ossos. No entanto, ela só podia obedecê-lo. Um tempo muito longo passou e parecia como se em breve eles teriam explorado todos os lugares que pudessem. Tudo era penhasco, sem saídas.

Estranhas rochas cobriam a paisagem, assim como os esqueletos de várias aves e bestas. Esse lugar era uma espécie de armadilha da morte?

Meng Hao ficou mais silencioso. O humor de Chu Yuyan caiu lentamente, até que o desespero apareceu em seus olhos.

Eles seguiram a falésia, eventualmente chegando à conclusão de que estavam caminhando em um grande círculo. Às vezes, eles descansavam contra o penhasco por um tempo antes de continuar. Um dia eles chegaram a uma área que parecia conter uma quantidade extraordinariamente grande de ossos. De repente, eles viram um lago.

As margens do lago estavam empilhadas com inúmeros ossos, muitos dos quais eram de humanos. Era impossível dizer quantos anos eles tinham estado lá. A aura do lugar era horrível e também parecia estar preenchida com o odor de sangue.

De fato, esse lago era um lago de sangue.

Quando Chu Yuyan se aproximou do lago, a superfície antes calma começou a ondular. Assim que as pequenas ondas começaram a se espalhar, Meng Hao parou.

O rosto de Chu Yuyan empalideceu e seu corpo começou a tremer. Uma intensa sensação de perigo a preencheu, como se houvesse alguma coisa horrível dentro do lago e que essa coisa estava olhando-a.

“Caminhe de volta devagar,” disse Meng Hao suavemente. Ele estava um pouco mais longe do lago. “Não entre em pânico. Um passo de cada vez.”

Mordendo os lábios, Chu Yuyan lentamente se moveu para trás por vários metros. O lago começou a agitar e um estridente som penetrante pôde ser ouvido vindo de dentro dele. Chu Yuyan recuou o mais rápido possível.

Em meio ao som agudo que enchia o ar, de repente um altar verde escuro emergiu do lago. As ondas se intensificaram na superfície do lago de sangue. Figuras apareceram dentro do sangue. Era difícil dizer quais eram machos e quais eram fêmeas, porque elas não tinham pele, só carne sangrenta. Elas carregavam o altar de pedra escura sobre seus ombros conforme ele emergia do lago.

O altar tinha mais de cento e cinquenta metros de diâmetro e, conforme ele emergia para a superfície do lago, ele emitia um fraco brilho verde avermelhado. No alto do altar havia um trono feito de pedra, aparentemente da mesma pedra verde-escura de que se formava o altar.

Sentado no trono estava um cadáver. Uma aura da morte flutuava em torno dele e seu rosto estava coberto com uma máscara. A máscara era branca e sem traços.

As pupilas de Meng Hao se contraíram e ele ficou imóvel. Chu Yuyan ficou ali, pálida, igualmente relutante em se mover. Passou-se tempo suficiente para exalar cerca de dez respirações e então o altar de pedra lentamente começou a submergir. Mais uma vez, a superfície sangrenta do lago parou de ondular e tudo voltou ao silêncio.

Meng Hao deixou escapar um longo suspiro e caminhou lentamente para trás. Chu Yuyan fez a mesma coisa. Quando os dois se retiraram por cerca de trezentos metros, a sensação de perigo iminente em seus corações lentamente desapareceu.

“O que foi isso…?” disse Chu Yuyan, as primeiras palavras que ela falara voluntariamente em dias. Sua voz era fraca e rouca.

Meng Hao não respondeu. Em vez disso, ele se virou e saiu. Chu Yuyan hesitou um momento, depois seguiu em silêncio. Eles voltaram para o penhasco, para um lugar onde mais cedo eles tinham descoberto uma caverna natural. Dentro, Meng Hao sentou-se de pernas cruzadas. Chu Yuyan se recostou contra a parede da caverna, seus braços abraçando suas pernas. Ela olhou inexpressivamente para fora.

Ela era uma mulher orgulhosa, mas o que acontecera agora, juntamente com a supressão de sua Base de Cultivo, a presença do detestável Meng Hao, tudo isso, gradualmente encheu seu coração com pernicioso desespero. Sua única esperança era que a Seita Destino Violeta fosse capaz de localizá-la aqui.

Mas este lugar era muito estranho e aparentemente suprimia Bases de Cultivo. Provavelmente, também suprimiu a marca da Seita Destino Violeta em seu corpo, o que tornaria impossível para eles saberem onde ela estava.

Suas roupas estavam em farrapos e elas nem sequer podiam cobri-la o suficiente. Mais de metade de seu corpo estava exposto, especialmente quando ela se sentava nesta postura. Suas pernas estavam quase totalmente visíveis.

Tempo passou. Cada vez que parecia que um dia tinha indo e vindo, Meng Hao colocava uma pedra em uma pequena pilha ao lado dele. Já haviam oito. De acordo com seus cálculos, oito dias tinham passado.

Suas Bases de Cultivo estavam bloqueadas, impedindo que qualquer energia espiritual se dispersasse. Felizmente, eles não precisavam de comida. Mas este lugar não tinha energia espiritual e se as coisas continuassem assim, eles começariam a ficar cada vez com mais fome. Considerando que eles estavam presos em um abismo remoto, eles realmente precisavam da energia do céu e da terra… exceto que não havia nenhuma.

Durante esses oito dias, Meng Hao gastara cerca da metade do tempo circulando sua Base de Cultivo, tentando romper o que quer que estivesse suprimindo. No mínimo, ele esperava poder abrir seu saco de carregamento. No entanto, não estava tendo sucesso.

No restante do tempo, ele levou Chu Yuyan para procurar uma saída. Mas, depois de investigar a área tantas vezes, eles não encontraram qualquer saída. A única coisa que descobriram foi que parecia haver muitas víboras à espreita.

“Eu acho que este lugar é um vulcão inativo,” disse Chu Yuyan, “não apenas um buraco no chão.” Ela sentou-se ali na pequena caverna, olhando para fora. Ela não estava reconciliada em cooperar com Meng Hao, mas não conseguia pensar em nenhuma maneira de sair desse lugar.

Meng Hao sentou-se em silêncio na boca da caverna, olhando para fora com as sobrancelhas franzidas.

Chu Yuyan olhou para ele sentado de pernas cruzadas e repentinamente exclamou: “Preciso trocar de roupa!” O olhar em seus olhos era solene e sério, mais do que fora todo esse tempo.

Apesar de seu estado abatido, este olhar faria o desejo florescer no coração de qualquer homem que olhasse para sua beleza.

Meng Hao fechou os olhos. “Eu não tenho nenhuma,” ele disse friamente.

“Você tem algumas em seu saco de carregamento.” Suas roupas estavam esfarrapadas e sujas, revelando mais de metade de seu corpo. Mesmo suas roupas íntimas estavam visíveis agora. Sua carne parecia macia e flexível. Metade coberta, metade exposta, a visão dela era incrivelmente sedutora.

Os olhos de Meng Hao abriram-se e ele olhou friamente para Chu Yuyan. Seu olhar passou por ela, por seu corpo, suas curvas, seus belos traços. A maioria dos homens que vissem algo assim imediatamente seriam consumidos por um calor ardente.

Oito dias antes, teria sido impossível para Meng Hao ter um vislumbre do corpo de Chu Yuyan, mesmo que quisesse. E se ele tivesse, ela nunca teria desistido até que ele estivesse morto.

Mas agora… Quando Meng Hao olhou para ela, a única coisa que ela fez foi inconscientemente cobrir seu peito. Ela não tinha como impedir que ele olhasse para ela.

“Você está certa,” ele disse lentamente. “Eu tenho algumas roupas em meu saco de carregamento. Mas por alguma razão, eu sou incapaz de abri-lo por causa da falta de energia espiritual aqui.”

“Há um jeito,” disse ela calmamente. “Há uma maneira de abrir seu saco de carregamento e tirar algumas roupas.”

Ele olhou friamente para ela, seu rosto tão calmo como sempre, sem nenhuma mudança de expressão.

Chu Yuyan tinha originalmente assumido que assim que ele ouvisse suas palavras, ele pediria por mais detalhes. Mas depois de esperar por um bom tempo, ela pôde ver que ele não estava planejando falar. Com um bufo frio, ela continuou falando.

“Meu método de Cultivação é o Qi Violeta do Leste da Seita Destino Violeta. Na verdade, duas pessoas podem praticar este tipo de Cultivação juntas. Mesmo que a energia espiritual nessa área seja suprimida, se eu ensinar o método e trabalharmos juntos, poderemos ter uma chance de sucesso. Então, seu saco de carregamento poderá ser aberto.”

(NT: O nome da técnica ‘Qi Violeta do Leste’ é também uma expressão chinesa que significa um sinal de boa sorte.)

Ele ponderou por um tempo, então balançou a cabeça. “Eu não acredito em você. Por favor, explique melhor.”

“Acredite se quiser,” Chu Yuyan disse friamente, franzindo a testa. “Se você não acredita, então esqueça.” Ela sentou-se em um canto distante na caverna. Quando Meng Hao olhou para ela, ela inconscientemente tentou se cobrir. Ela olhou para ele, cobrindo as pernas com os braços.

“Eu não tenho muitas roupas,” ele disse calmamente, “mas há o suficiente para permitir que você possa se cobrir. Se você não as quer, então tudo bem, apenas esqueça.” Ele fechou os olhos.

Uma hora se passou, durante a qual Chu Yuyan rangia seus belos dentes. Ela realmente não podia tolerar ser exposta dessa maneira. Logo, ela não seria capaz de cobrir a si mesma.

Apertando a mandíbula, ela disse: “Eu perdi meu saco de carregamento no vento, então eu não tenho como testá-lo. Mas o método que acabo de mencionar deve funcionar. O Qi Violeta do Leste não é uma técnica comum. Ela foi transmitida das Terras Orientais. Se duas pessoas praticarem a técnica juntas, seu poder pode abrir a abóbada dos céus.

“Se você tem dúvidas, eu posso ensinar-lhe o primeiro mnemônico do Qi Violeta do Leste. Se você puder dominá-lo, então eu vou te dizer o segundo e depois o terceiro. Assim, você poderá tentar abrir o saco. Tudo o que eu preciso são algumas roupas.”

Meng Hao abriu os olhos e olhou para ela. Seu rosto era inexpressivo, mas em seu coração estava preenchido com um desprezo frio. Ele experimentara muitas dificuldades no Estado de Zhao e já não era o jovem ignorante que ele era. Ele era muito mais calculista; como ele poderia não dizer que ela estava tentando criar uma armadilha para ele?

“Fale,” ele disse friamente.