DOP – Capítulo 9 – Quem tem medo de quem?



Uma, duas, três… 37 pessoas.

Franzindo levemente as sobrancelhas, deduziu que só podia ouvir os passos de 37 pessoas. Mas o cara da túnica púrpura dissera que havia 45, então havia oito pessoas cujos passos ela não podia ouvir.

Isso só poderia significar que essas oito pessoas eram muito mais fortes do que ela.

Lentamente, abrindo os olhos, colocou levemente dois de seus dedos na lâmina da espada.

“Você, mestiça, ousou assassinar sua prima…” uma voz trêmula gritou para ela enquanto um grupo de pessoas irrompera no pátio.

As sobrancelhas de Liu Yue se contraíram um pouco enquanto deslizava os dedos pela espada. A espada imediatamente fez um som “weng weng”, mostrando ser incomparavelmente afiada.

Brilhava com uma luz prateada, fria como a lua, sob a luz do sol.

Chegando ao pátio, viram Liu Yue ficar firme, sozinha no amplo pátio, com uma espada na mão, como se estivesse esperando por eles. A pressão austera e silenciosa que ela emitia os fez parar no lugar, fazendo com que tivessem medo de se moverem. Esta era Liu Yue…

“Quinto tio, quem é a mestiça? Eu, Mu Rong Liu Yue, sou a filha legítima de seu terceiro irmão. Poderia ser que seja uma mestiça em seus olhos?” Lentamente inclinando a cabeça, Liu Yue perguntou em um tom claro. Esse tom suave fluía com o vento bem quando seu pai, Mu Rong Yi, entrou no pátio.

Ela parecia gentil e calma, mas suas palavras eram cortantes e afiadas.

Mu Rong Yi, depois de ouvir o que ela dissera, lentamente franziu o cenho.

Mu Rong Gang também franziu a testa ao mesmo tempo e respondeu bruscamente: “O sangue que flui através das veias do terceiro irmão é o sangue de um guerreiro talentoso, feroz como um tigre e o de um nobre elegante. Ele não faria algo tão maligno como matar seu próprio parente. Se ele alguma vez fez um ato tão atroz, nem sequer seria um membro do nosso Clã Mu Rong. É um ato que não convinha nem mesmo a animais.”

dop2“Isso mesmo, sua bruxa má. Minha filha não lhe fez mal, mas você a espancou tanto que seu corpo está cheio de ferimentos. Até mesmo aleijou seu pulso. Não ser capaz de praticar artes marciais para sempre é o mesmo que se tornar um aleijado. Nós, a família Mu Rong, definitivamente não vamos ter uma pessoa tão atroz como você nesta casa! Eu, Du Yuan Ru, nunca a perdoarei.” A mãe de Mu Rong Qiu olhou para Liu Yue com os olhos vermelhos de raiva. Parecia que não podia esperar para rasgar sua carne e beber seu sangue.

Liu Yue lançou um olhar apático sobre as pessoas aglomeradas em seu pátio. Havia jovens e velhos e havia muitos rostos desconhecidos. Talvez tivessem crescido e ela não os reconhecesse. No entanto, isso não importava em nada para ela.

Liu Yue ergueu lentamente a espada em suas mãos, levantou a cabeça e olhou para o Quinto Tio e Tia, que estavam furiosos além das palavras. Ela respondeu friamente: “Ela não me fez mal? Eu, Mu Rong Liu Yue, vivi aqui sozinha por oito anos e nunca saí deste pátio em toda a minha vida. Posso perguntar, quinto tio e tia, onde eu quebrei as mãos de Mu Rong Qiu? Onde eu a espanquei?”

O silêncio encheu a multidão, uma pausa curta cessando o espetáculo em curso.

Mu Rong Liu Yue ainda estava em seu lugar original, sem se mover um único passo.

Se aquele problema não tivesse acontecido naquele dia, aquelas pessoas nem sequer saberiam que havia um membro da família Mu Rong vivendo aqui.


Tradutora: Usagi | Revisor: Ryokusan000



Fontes
Cores