DOP – Capítulo 59 – Condenando a outra parte (15)



A residência do Ministro de Esquerda permaneceu silenciosa, assim como Liu Yue, enquanto os dois se confrontavam.

“Aqui. Alguém está saindo daqui.” No meio do silêncio, as vozes barulhentas foram ouvidas de repente. Aqueles ao redor do lado direito da Residência do Ministro de Esquerda perceberam rapidamente que uma pessoa tinha se arrastado para fora de um buraco de cachorro nos muros da Residência do Ministro de Esquerda e correu para a escuridão. Ouvindo isso, a pessoa que escapou imediatamente gritou.

Ao ouvir os sons, Liu Yue lentamente abriu os olhos. Ela bufou com frieza e soltou: “Só bloquearei a porta. Se o Ministro de Esquerda quiser rastejar pelo buraco também, eu o deixarei ir.”

Sua voz fria ressoou na noite profunda. Depois de um momento de silêncio, alguém da multidão de espectadores explodiu em uma gargalhada.

Aquela risada parecia possuir um efeito dominó; então, logo todos começaram a rir. O som daquele riso barulhento e das risadinhas na noite escura era extremamente de conspiração e desdém.

No meio das risadas, o sino da manhã no palácio foi atingido e tocou ao longe.

Era cerca de 5-7 horas da manhã. A hora de ir ao tribunal.

Passos ruidosos foram ouvidos quando tochas bem iluminadas vieram à vista. De repente, ouviram-se ruídos dentro da Residência do Ministro de Esquerda, que ficara quieta durante todo esse tempo. Numerosas tochas de fogo queimavam e brilhavam, permitindo que o terreno fosse visto com clareza.

O Ministro de Esquerda estava em suas vestes de tribunal. Sua cabeça era adornada por uma coroa de pavão coberta com uma pérola de dragão. Ele também estava usando seus sapatos oficiais de primeira classe. Com um rosto severo, foi o primeiro a sair pela porta.

Sob as tochas tão brilhantes como o dia, seu traje reluzia claramente.

Atrás das vestes do tribunal de primeira classe, o Ministro de Esquerda tinha as duas mãos atrás das costas, onde havia um ramo de bétula. Ou seja… trazia aquele ramo para oferecer um humilde pedido de desculpas. A multidão ao redor imediatamente se alvoroçou.

“É culpa de um pai não educar seus filhos direito. Minha neta, Liu Xin Ai, insultou e caluniou a Princesa Consorte do Rei de Yi, que foi nomeada pelo Imperador. É minha responsabilidade até o fim. Eu sou culpado; portanto, levarei um ramo de bétula e oferecerei minhas humildes desculpas ao próprio Imperador.”

Quando terminou de falar, olhou bruscamente, cheio de raiva, para Liu Yue e gritou: “Traga-a aqui.”

Imediatamente, alguns criados trouxeram Liu Xin Ai com força para fora da porta e a empurraram para que se ajoelhasse no chão.

“Já que ela tem 16 anos, não pode escapar da responsabilidade por essa ofensa. De acordo com as leis do Império Tian Zhen, o castigo por insultar um membro da Família Imperial é de cem golpes com um grande cano. Faça-o agora.” O Ministro de Esquerda declarou em bom tom enquanto seu rosto ficava sombrio.

Os criados atrás dele imediatamente forçaram a amedrontada Liu Xin Ai a permanecer no chão. Então, levantaram os canos em suas mãos e começaram a bater nas costas de Liu Xin Ai com eles.

Percebendo o olhar frio de Liu Yue, imediatamente não se atreveram a diminuir a força de seus golpes e bateram em Liu Xin Ai com sua força normal.

Naquele momento, apenas o som do espancamento podia ser ouvido.

Liu Xin Ai tinha sido mimada desde a infância. Nunca tinha experimentado tamanha dor e, de imediato, gritou e continuou mal-dizendo: “Mu Rong Liu Yue, você é uma…”


Tradução: Usagi   |   Edição: Heaven



Fontes
Cores