DOP – Capítulo 58 – Condenando a outra parte (14)



Como saberiam que Liu Yue tinha ficado dentro do palácio Liu Li, não porque Xuan Yuan Che não permitia que Liu Yue ficasse fora por um mês, mas, sim, porque Liu Yue estava treinando para recuperar suas habilidades. Não era que ela não pudesse sair, simplesmente não tivera tempo para tal.

“Não é necessário pedir a ele.” O Príncipe Herdeiro, Xuan Yuan Cheng, deu uma risada amarga e disse: “O terceiro irmão acabou de ir a Chaozhou. Ele disse que ele iria levar o Cavaleiros da Guarda do Dragão para treinamento.

Isso mostrava claramente que ele não iria ajudá-los.

O palácio de Tian Chen ficou quieto novamente, com todos em silêncio.

À medida que o tempo passava segundo a segundo, o céu lentamente ficou escuro.

Em frente aos portões da residência do Ministro de Esquerda, Liu Yue comprou uma mesa, bom vinho e pratos finos; depois fez uma refeição tranquila e sem pressa bem do lado de fora da residência do Ministro de Esquerda. Ela ignorou completamente as pessoas que estavam em pânico dentro da residência do Ministro de Esquerda.

No palácio, outros ministros que queriam usar essa chance de ganhar o favor do Ministro de Esquerda enviaram alguns mensageiros para a residência. Liu Yue os permitiu entrar, mas não os permitiu sair.

Com uma estalada de seu chicote preto, os mensageiros que tentaram sair foram afastados sem medo enquanto corriam de volta para a residência. Os Ministros só podiam enviar os mensageiros do Palácio, mas eles não podiam voltar. O que fazer agora?

À medida que a noite ficou mais escura, as lanternas foram acesas.

A multidão de pessoas que estava assistindo na frente da casa do Ministro de Esquerda não se dispersou. Havia mesmo algumas que trouxeram cadeiras, ligaram algumas lanternas e silenciosamente observaram tudo.

Ninguém tentou dispersá-los. Normalmente, haveria guardas noturnos que imporiam toques de recolher na residência à noite, mas, naquela noite, não havia guardas que se atrevessem a interferir e a dispersar uma multidão tão vasta.

Por isso, todos ficaram muito felizes em fazer o que quisessem, enquanto se sentavam e continuavam a assistir à cena.

Tendo se alimentado do jeito que queria, ela tirou um lingote de prata e um criado imediatamente veio para limpar a mesa. Liu Yue sentou-se e relaxou em sua cadeira, fechando as pálpebras e batendo o chicote nas palmas de suas mãos. Seu comportamento era muito calmo e composto.

Por outro lado, o que restara dos portões à sua frente parecia arruinado e desolado. Isso fizera com que a respeitável Residência do Ministro de Esquerda ficasse cada vez mais lamentável do que a casa simples do vizinho.

O Ministro de Esquerda não ficou do lado de fora da residência, perto do portão. Liu Xin Ai, Liu Xin Qing e o resto também entraram. No portão, havia apenas os guardas que vigiavam lá fora, que às vezes olhavam de soslaio para Liu Yue.

O tempo passou rapidamente, e a lua se levantou no céu.

A luz prateada brilhou sobre a terra; fria, mas cheia de dignidade.

Sentada na cadeira, em silêncio, quase parecendo estar adormecida, Liu Yue parecia encantadora e tão linda sob a luz da lua.

Sua sombra era levemente discernível sob o luar, seu corpo parecia derreter no escuro. Era uma cena tão serena e sedutora.

A multidão circundante ainda observava silenciosamente, quase como se apenas houvesse ela naquele lugar.

À medida que a lua se punha no oeste, o amanhecer estava prestes a aparecer.


Tradutora: Usagi | Editor: Heaven



Fontes
Cores