VM – Capítulo 52 – Compras em Yiwu.



Na manhã seguinte Tyler não encontrou com Calie no café da manhã do hotel, pelo visto ela tinha saído bem cedo para poder ver todos os locais que ele indicara.

Sendo a 4° maior economia do mundo, o Japão tem como o maior produto de exportação os automóveis, seguidos por peças de automóveis, circuitos integrados e navios de cruzeiros.

Logicamente ele não estava interessado em carros, peças ou muito menos navios de cruzeiros. Mas os circuitos integrados e quase toda aparte de tecnologia era muito tentadora para Tyler, outros produtos que estavam na lista dele eram os microscópios e produtos laboratoriais. Uma gigante marca muito conhecida por suas câmeras profissionais também dominava esse mercado, ela e outra empresa alemã, que por sorte também tinha uma filial aqui em Tokyo. É claro que a maioria das empresas com a qual Tyler fecharia negócios tinham filiais na América, ele não ia levar os produtos daqui para lá, eles apenas seriam despachados das importadoras para a caverna/pátio de armazenagem.

Resumindo, esse dia girou em torno de equipamentos eletrônicos. Câmeras profissionais, lentes e outros acessórios, televisores, videogames, pendrives e etc. Na verdade essa lista tinha sido feita na maioria pelos garotos, embora Tyler jogasse um pouco de videogame ele não era um viciado, Tyler não reconhecia mais de 80% dos jogos nas listas, ele ficou um tanto desconfiado com alguns deles… digamos que as capas eram um tanto erradas…

 

“O que esses moleques estão me fazendo comprar?”

 

“Eu vou pesquisar esses títulos mais tarde!”

 

Embora o dia tenha sido mais tranquilo, ainda foi bastante corrido, saindo de loja em loja e arrumando tudo para ser enviado para o Texas não foi tão simples, porém a ajuda de Hiroshi se provou muito mais do que útil.

 

***

 

Quando Tyler conseguiu voltar para o seu hotel já passava das 7:00 pm.

“Boa noite!” Tyler cumprimentou Calie no saguão do hotel, pelo visto ela tinha acabado de chegar.

 

“Ah, olá!” Ela disse surpresa. “Chegou agora?” Ela perguntou.

 

“Sim, agora mesmo.” Tyler respondeu.

 

“Quando vamos embora?” Calie perguntou.

 

“Já quer ir embora, pensei que estava gostando daqui.” Ele brincou.

 

“Não é isso, eu estou amando cada segundo, eu apenas perguntei, pois no nosso itinerário diz que vamos embora hoje.” nervosa ela falou rapidamente como se quisesse se retratar.

 

“Calma, eu só estou brincando, sendo sincero eu estou morrendo de fome, acho melhor jantar antes de viajar.”

 

“Então quer jantar antes de partir? Eu vou avisar aos rapazes, nós estaremos com o avião pronto assim que o senhor chegar.” Calie avisou.

 

“Para que tanta pressa, vamos jantar aqui mesmo no hotel, depois a gente vai junto para o aeroporto, qual a vantagem em ter um avião só seu se você não pode ir na hora em que quiser?”

 

“Tem razão, não vou incomodar?” Ela perguntou.

 

“Nunca!” Ele sorriu e esticou o braço para que ela o pegasse.

 

“…” Calie ficou estranha com o gesto.

 

“Algum problema?” Tyler quis saber.

 

“Não, eu só nunca tinha visto alguém oferecer o braço antes?” Ela respondeu.

 

“Acho que é coisa de velho… Desculpe.”

“Não, eu achei muito bonito, é só que eu nunca tinha visto antes, é quase como nos filmes em preto e branco.” Calie tentou corrigir.

 

“Filmes preto e branco? Quando você terminar de me matar não esquece de colocar toda a terra por cima!” Tyler brincou.

 

“Ahh…” Calie ficou muito mais rubra do que Tyler achou que fosse possível para uma pessoa.

 

“Eu não quis dizer isso! Você é velho, mas não tanto! Digo, mesmo que alguém diga que tenha 80 anos, você parece ter menos!”

 

Tyler colocou a mão no peito e fingiu que estava tendo um infarto. “ Deve ser porque eu tenho 70!”

 

“Ahh!!!” Calie procurava o buraco mais próximo para enfiar a cabeça.

 

“Nunca pensei que eu estava tão acabado! As pessoas devem pensar que eu sou uma múmia viva!” Tyler se auto depreciou fazendo com que a pobre moça entrasse em desespero.

 

“Não, não, eu falei errado, você está ótimo!” Ela disse quase aos prantos.

 

“Estou perdido, acho que devo providenciar um testamento!”

 

“Por favor, me perdoe! Eu quis dizer que sempre achei isso muito bonito e nunca tinha visto ninguém fazer fora dos filmes.” Ela começou a chorar.

 

“Aqui, veja, eu vou andar assim com você!” Ela agarrou o braço de Tyler não dando qualquer saída para ele.

 

“Bom, já que insiste tanto…” Tyler mudou totalmente a aparência, exibindo um largo sorriso.

 

“Mas…” Calie ficou confusa.

 

“Já que estamos aqui, quero comer sushi!” Tyler disse sem nem ligar para a moça.

 

“Você não tem vergonha de mentir?” Ela falou indignada, depois de perceber que tinha caído na lábia dele.

 

“Ah, vergonha eu até tenho, mas um homem que se preze tem que lutar contra si mesmo!” Tyler falou firme.

 

Ela balançou a cabeça inconformada.  “Todos vocês são iguais?” Ela perguntou.

 

“Iguais como?” Ele quis saber.

 

“Desse jeito, tentam se aproveitar das mulheres indefesas!”

 

“É, devo admitir que tenho esse defeito de fábrica, mas minha canalhice só vai até aí!”

 

“Que bom, acho que dá para suportar.”

 

“Fazer o que, ninguém é perfeito!”

 

***

 

Depois de terem um jantar muito agradável, os dois fecharam as contas do hotel e foram até o aeroporto. Tyler ficou feliz em ver que a moça tinha aproveitado bem seu último dia em Tokyo.

 

Dessa vez ela tinha tirado muito mais fotos dela, e pelos olhos dele parecia que o sorriso dela parecia muito mais sincero.

 

Tyler tinha perguntado qual lugar ela tinha gostado mais. E em resposta ela disse que havia sido o aquário.

 

A próxima parada da viagem seria a cidade de Yiwu na China, no geral ele detestava visitar países comunistas, mas aos olhos dele a China era um glutão desenfreado!

Segundo seus pensamentos eles nunca largaram seus ideais comunistas, apenas por motivos econômicos eles foram obrigados a abrir sua economia, contudo muitíssimos setores da economia ainda eram controlados pelo estado.

 

Tyler sabia muito bem dos planos de expansão chinesa. o mar do sul da china era imoral!

Poucos sabem, mas de forma brutal a China vinha montando ilhas militares artificiais no meio do mar, formando um grande cordão de pérolas.

 

Os países asiáticos dentro dessa região não tem forças para se defender dessa agressão e alguns que dependiam muito da pesca ficaram apenas com 20 quilômetros de território marinho.

 

Quase todos os analistas sociais afirmam que a próxima guerra mundial terá a China como pivô central! Mesmo detestando estar ali, Tyler teve que engolir seu orgulho em favor dos seus planos.

 

Ele tinha visitado as grandes cidades chinesas e ficou decepcionado, era uma poluição do ar tão absurda que ele quase não acreditou, talvez nem a Inglaterra da virada do século XX era tão suja. Tyler teve certeza de que até um fumante teria problemas lá!

 

Seu destino estava a quase 2.000 km de distância, Yiwu era a cidade mercado da China. Todas as pessoas que vem para esse país com o intuito de comprar produtos para importação, tem que vir aqui.

 

Construído pelo governo o mercado está dividido em 5 gigantescos prédios diferentes.

 

Na Área 1 você pode encontrar produtos nos ramos de decoração, ornamentos, joalheria, bijuteria, brinquedos e plantas artificiais.

 

Na Área 2 temos lojas de ferramentas e artigos de metal, relógios, produtos eletrônicos, eletrodomésticos, malas, mochilas e EPIs.

 

Partindo para Área 3 temos mais de 7 mil lojas de material escolar, óculos, cosméticos, material de escritório, artigos esportivos, aviamentos para roupas.

 

Na Área 4 podemos te ajudar a encontrar os seguintes produtos: meias, cuecas, lingerie, brindes, luvas, chapéu, sapatos, cama mesa e banho, cintos, bolsas e derivados.

 

A Área 5 é a mais nova, sendo inaugurada em 2011 e comporta lojas de produtos importados (fora da China), cortinas e artigos de cama, mesa e banho, tecidos e materiais têxteis, acessórios para carro, acessórios para moto.

 

Para essas compras Tyler reservou uma grande parte do dinheiro que ele tinha conseguido acumular até agora, ele tinha feito uma empresa fantasma só para isso.

 

Depois de quase 3 horas de voo eles chegaram, como ainda era madrugada ele decidiu dormir até a hora em que o mercado abriria.

De manhã cedo a cidade já fervia, só em vendas esse mercado enviava mais de 1.000 contêineres todos os dias para todos os cantos do mundo. Era uma coisa absurda!

Na área 1 Tyler compraria alguns brinquedos e bijuteria. Era na bijuteria que ele tinha a esperança de fazer muito dinheiro, ninguém pode negar o quanto uma bijuteria bem feita é bonita! Tyler apostava que não só os nobres, como os cidadãos comuns comprariam como se não houvesse amanhã.

Ele não estava preocupado com a qualidade das coisas daqui, a China fábrica de tudo e de toda qualidade, tem coisas aqui que podem ser consideradas descartáveis, mas outras são de muita qualidade! Ele nunca viu ninguém reclamando dos iPhone’s e iPad’s feitos aqui.

 

É aquele ditado, o seu dinheiro é quem manda! Outro fator que diminuía o risco era olhar e tocar pessoalmente cada produto.

 

A área 2 era onde Tyler estava mais animado em visitar, primeiro as ferramentas.

 

Ah… ferramentas! Elas são o símbolo máximo da masculinidade, um pequeno teste para saber se um homem é macho mesmo, é presenteá-lo com uma caixa de ferramentas, se ele não gostar… bom tem algo de muito errado com ele.

 

Como engenheiro Tyler tinha uma ligação bem maior com esses produtos do que um homem normal. Nesse local ele se controlou ao máximo para não gastar todo o seu dinheiro. Ele andava de loja em loja, olhava a qualidade do que queria, pedia aquele desconto e fazia o pedido!

 

10.000 jogos de chave de fenda, 30.000 conjuntos de soquetes, 10.000 martelos… Era uma compra sem limites! Embora ele tinha feito uma pequena planilha onde tinha mais ou menos uma projeção das compras, ele errou um pouco. Os produtos eram muito mais barato do que ele havia suposto.

 

Chaves Phillips, torque, furadeiras, sopradores, britadeiras, máquinas de solda, parafusadeiras, lixadeiras, esmerilhadeiras, máquinas de corte, brocas, parafusos, porcas, arruelas, pregos, buchas etc.

 

Antes de se dar conta o dia já tinha passado e ele nem viu o segundo galpão todo, quando ele saiu estava exausto!

 

Um fato engraçado é que todos os estrangeiros que vêm comprar aqui andam com uma pequena mala de rodinhas, e só serve para pôr os panfletos distribuídos pelos vendedores! Você pode até tentar resistir e recusar muitos deles, porém uma hora você será vencido pela irritante insistência dos vendedores.

Tyler também comprou muita fiação e cabos, ele deu uma atenção especial a qualidade dos itens e fez uma boa amizade com esses vendedores, pois era certo que ele compraria muitos mais desses.

 

Ele comprou bombas manuais para poços e muitas ferragens de uso nos campos, ele fez um pedido especial sem os cabos de madeira! Além de ser mais barato tinha um volume menor e poderia ser facilmente feito no outro mundo.

 

Painéis solares e geradores eólicos também estavam no topo da lista, mas para os grandes cataventos Tyler decidiu visitar pessoalmente as fábricas.

Agora os relógios… bem, já era a hora de pôr um fim naquele absurdo de “Volto no tempo de uma xícara de chá” ou então “Me espere por um tempo de incenso” basta!

Sem medo Tyler comprou algumas dezenas de milhares de relógios, a maioria deles eram esportivos e bem resistentes, mas também comprou alguns (também na casa dos milhares) femininos e a cordas. Ele não tinha pensado, mas encontrou alguns gigantes com cerca de 2 metros de diâmetros que serviam para colocar em torres nos centros das praças, Tyler comprou 200!


Autor: Lion | Editor: Bczeulli



Fontes
Cores