VM – Capítulo 46 – Começo da corrida.



Para passar a primeira noite os imigrantes se juntaram e fizeram grandes fogueiras do lado de fora das muralhas.

Tyler ficou feliz em saber que sua cidade já estava sendo reconhecida como um lugar bom para morar. Sua preocupação maior quanto a eles era arranjar uma ocupação para todos.

“Thoran, eu quero que amanhã você anote o nome e a profissão de todas aquelas pessoas. Depois reserve um local, não precisa ser grande, e coloque algumas pessoas que sirvam como ligação entre eles e os comerciantes. Assim como as guildas de aventureiros colocam as missões, nós vamos poder empregar cada pessoa no seu local certo!” Tyler passou essas instruções para Thoran em uma pequena reunião que estava fazendo.

“Escutar as ordens do mestre é sempre aprender algo novo!” O rapaz fez um elogio sincero, ele sempre tinha ouvido falar que deixar esse tipo de gente entrar em uma cidade é a ruína dela. Era por isso que quase sempre havia guardas nas entradas das cidades, além de cobrar uma taxa dos visitantes e comerciantes eles impediam que os pedintes e mendigos se amontoassem nas cidades.

“E você Noeru, quais são as novidades?” Tyler perguntou.

“A guarda está bem organizada e segue fielmente cada ordem dada, parece que eles têm muito orgulho em usar a farda e não fazem nada de errado. Seguiremos mantendo a ordem na cidade segundo as suas ordens!”

“Fico feliz em ouvir, eu só quero que fique bem claro, eu não quero reprimir ninguém deem certa liberdade às pessoas, mas quem não seguir as leis não terá perdão, simples assim. Tanto para o comerciante, o soldado e as pessoas simples.”

“Entendido, vamos seguir as suas ordens!”

Tyler também tinha remarcado o lado de fora dos muros completamente, é de senso comum os terrenos que ficam no lado de fora serem muito mais baratos do que os do lado de dentro. Normalmente em uma sociedade medieval como essa em que Tyler estava, aconteciam muitas guerras e era muito mais seguro viver sob a proteção das espessas paredes de pedra, porém aqui ainda havia o agravante das feras e outras criaturas mágicas.

Quem conseguia algum dinheiro tratava de se mudar o mais breve possível para dentro das paredes.

Tyler desenhou as plantas da nova cidade. Ela possuía ruas largas e bem estruturadas, os negócios eram específicos em ruas, por exemplo: a rua dos ferreiros, a dos alfaiates, dos comerciantes e etc., ele também já havia projetado o local para as futuras tubulações de esgoto, água potável e energia.

O primeiro teste dos banheiros coletivos seria aqui, e o encanamento do gás natural serviria para nutrir as forjas dos ferreiros.

“Vamos terminar todos os detalhes aqui hoje, pois amanhã cedo eu irei partir, volto em 25 dias.” Tyler falou para os dois homens.

Eles decidiram todos os novos valores dos impostos e direitos dos cidadãos. Thoran e Noeru ficaram boquiabertos com as normas que Tyler estava pondo. Embora fosse uma base bem rudimentar de uma constituição, toda essa ideia era altamente inovadora.

*****

Assim que Tyler voltou para o Texas iniciou sua corrida contra o tempo. Não parecia, mas desde que tinha passado pela primeira vez na caverna, já tinha se passado mais de um mês, e agora restavam 165 dias.

Eram 5 meses e meio, agora Tyler tinha que usar todos os contatos e conhecimentos acumulados ao longo de sua vida acadêmica.

Com outra grande troca de ouro e jóias ele se dirigiu logo para casa, dessa vez ele não precisava ir até New York, ele contratou um bom gemólogo para avaliar suas pedras e depois ia enviar por uma transportadora de valores. Sabendo previamente quanto custava as suas pedras ele podia deixar um valor claro antes das negociações começar, é claro que Abel ia querer pagar menos, mas Tyler não ia diminuir mais do que era preciso.

Tyler derreteu as moedas em lingotes rapidamente, antes ele tinha que fazer vários lingotes bem pequenos, para que não levantasse muita suspeita nas lojas de penhores, agora era diferente, ele derreteu tudo em duas barras bem grandes.

Depois de feito o serviço braçal ele foi para a RH Enterprises. Os rapazes estavam como sempre trabalhando duro em sua tarefa de salvar a humanidade.

Tyler entrou com um semblante frio e derrotado. “Olá…”

“Tio Ty!” Night Up veio recebê-lo.

“E aí rapazes, como estão as coisas?” Ele perguntou.

“Estamos indo muito bem, conseguimos invadir os bancos de dados das maiores universidades do mundo, Yale, Harvard, Cambridge, MIT, Columbia, Oxford, Notre Dame… parece que todas elas mantinham guardado arquivos bem detalhados sobre todas as suas disciplinas e cursos! Nós pedimos ajuda a outros hackers e eles disseram que não precisamos de mais nada para replicar os cursos oferecidos por elas. Quando quiser eu vou lhe passar a lista atualizada dos cursos baixados.”

Tyler quis pular de felicidade, mas fez o possível para se conter e continuar a expressão de dor em seu rosto. “Muito bom, vocês fizeram um bom trabalho.”

“Algum problema, tio?” Night Up perguntou.

“Não, nenhum… apenas é que a vida é dura demais…” Tyler desviou o olhar.

“Teve problemas?” Drive perguntou.

“Não pude salvar meu amigo… essa organização é terrível, também não temos mais ninguém a recorrer, todos os governos agora são meros fantoches nas suas mãos!”

“Meu Deus que coisa terrível!!”

“Estamos perdidos!”

“É o fim, eu sabia!”

“Tudo foi em vão!”

Um a um os meninos começaram a chorar e entregar os pontos. Night Up que era o mais velho de repente tomou a frente e disse. “Não vamos nos desesperar, ainda não é o fim. Desde o começo sabíamos que nós éramos a última esperança da humanidade, se desistirmos agora realmente será o fim!”

Tyler já tinha sentido que esse rapaz era um líder natural, contudo esse discurso de ânimo dado foi algo excelente, realmente o surpreendeu.

“Você está certo meu rapaz, por um momento me deixei levar pelas dificuldades, mas temos que seguir em frente! É isso que heróis renegados significa!” Tyler era um mestre, ele fez uma isca motivacional com os meninos sem que nenhum percebesse, e para piorar eles pensavam que eram eles mesmos quem tiveram aquela inspiração patriota.

“Sim, vamos lutar até o fim! Vamos dar 200% de nós!” Pendrive disse resoluto.

“É assim que se fala! Como vão os papéis das empresas fantasmas?” Tyler queria saber.

“Todas aquelas que o senhor pediu já estão prontas, estamos fazendo um marketing pesado na internet para a empresa de estocagem na caverna.”

“Muito bom, fizeram como eu pedi?”

“Sim, todos os volumes têm que ser colocados em contêineres. Muitas outras empresas ficaram interessadas na cláusula de confidencialidade, principalmente as do setor militar!”

“Muito bom, vamos começar a aceitar hoje mesmo, procurem uma empresa prestadora de serviço e coloquem as pessoas necessárias para trabalhar.”

O chamariz da empresa de estocagem era muito tentador, o clima desértico do Texas ajudava a conservar vários itens e se você somasse o interior de uma caverna, teria um abrigo quase perfeito. Não havia quase nenhuma interferência no clima externo e a temperatura quase nunca mudava, era muito bom mesmo, bom até demais.

“Vamos cuidar disso agora mesmo!” Um deles falou.

Os meninos foram muito eficientes em suas tarefas, quando Tyler saiu haviam poucas caixas com alguns HD’s guardados, mas agora eles tinham feito um trabalho profissional.

Armazenados em estantes próprias todos os HD’s estavam empilhados, etiquetados e separados por categoria.

“Sabe o que seria bom, simuladores!” Tyler falou.

“Simulador, de quê?” Shift perguntou.

“Oras de tudo, carro, avião, caminhão, etc.” ele respondeu.

“Entendo, é uma boa. Vou ver em alguns fóruns na internet qual seria a melhor opção para cada, eu vou começar com o Fly Simulator.”

“Podemos comprar um daqueles videogames em formato de carro que encontramos nos shoppings, a carcaça é boa, só precisamos colocar um jogo de simulador.”  Drive opinou.

“Acho que todos são bons, vamos tentar ter no mínimo 50 unidades de cada!” Tyler disse.

“Tio Ty, quando o senhor vai usar as empresas fantasmas?” HD perguntou.

“A empresa de produtos de camping eu quero usá-la agora mesmo, pretendo lhe passar os nomes dos produtos que quero junto com as quantidades e vocês fazem a compra, sempre mandem entregar lá na caverna.”

“Certo, e as outras?”

“A de construção vamos usar para comprar combustível e materiais de construção sem que dê muito na vista. Pretendo fazer duas grandes viagens agora, a primeira vai ser internacional. Eu quero comprar muitos equipamentos laboratoriais, equipamentos médicos, equipamentos de metalurgia e mini fábricas.” Tyler disse.

“Mini fábricas?” Shift estava curioso.

“Sim, hoje em dia existe um ramo de negócios para países em desenvolvimento que é especializado em fazer pequenas indústrias, por exemplo: uma empresa de fazer sapatos, elas geralmente são muito grandes e fazem dezenas de milhares de pares por dia, mas uma que faz digamos 1.000 pares é minúscula e precisa de pouca gente para trabalhar.”

“Entendo, quais são as empresas que o senhor tem em vista?”

“Coisas simples, roupas, etanol, beneficiamento de óleos naturais, tratamento de couro, borracha, marcenaria, fundições e etc. Coisas que são muito comuns agora, mas podem fazer falta no futuro.”

“Será que esse tipo de coisa vai faltar no futuro? Não vai ser um vírus, como essas coisas vão ser destruídas?” Shift ficou intrigado e com um questionamento tão relevante os outros pararam de fazer suas coisas e ficaram olhando para Tyler.

‘Merda!!!’ Tyler amaldiçoou-se “Sabem eu aprendi algo quando era jovem lá no exército, ela é o seguinte “prepare-se para o pior e espere pelo melhor!” não estou dizendo que tudo isso vai sumir, só quero estar preparado.”

“É verdade, faz muito sentido, fico feliz que temos o senhor aqui conosco.” Shift falou com sinceridade, ele e o resto dos meninos eram muito agradecidos a Tyler por deixá-los fazer parte do seleto grupo que iria salvar a humanidade!

“Eu também fico muito feliz em tê-los junto comigo, acreditem quando eu falo que vocês são muito importantes para esse projeto!”

“Quando o senhor vai viajar?”

“Quero ir o mais cedo possível, se eu pudesse ir amanhã seria ótimo!”

“Quer que eu prepare os voos, é só me dizer os destinos que eu compro as passagens.” Night Up quis ajudar.

“Eu até agradeço, contudo penso que seria melhor um jato particular, será mais rápido e eu posso trazer mais coisas sem precisar me preocupar com o peso das bagagens.”

“O senhor tem razão, será mais cômodo mesmo, quer algo mais?”

“Quero alguns cartões e folders das nossas empresas para usar lá quando for fechar os contratos.”

“Posso providenciar, o R2-D2 é muito bom nisso, acho que ele pode maquiar tudo perfeitamente e dar esse ar de empresa multinacional que o senhor quer!”

“Fico muito grato!”

“Não há de quê, mas agora vou cuidar dos clientes e funcionários da empresa de estocagem.”

Novamente, como o dinheiro manda faz o mundo girar, antes de terminar o dia havia uma equipe toda montada para cuidar da RH Storage.


Autor: Lion | Editor: Bczeulli



Fontes
Cores