VM – Capítulo 113 – O resultado do suor.



“Acham que eu estou sendo duro com vocês?” Tyler perguntou.

O dia já estava amanhecendo e a imagem que ele via na sua frente era lamentável, mais de 30 deles desistiram durante essa caminhada.

“Eu tenho um ditado muito simples, ele é assim: “Treinamento duro, missão fácil!”

Muitos daqueles homens ainda tinham pequenos pensamentos de indignação a respeito dos métodos de Tyler, contudo depois de ouvirem essa frase, eles perceberam o propósito dele em ser tão brutal.

“Lembrem-se, para cada gota de sangue derramada aqui, dez serão evitadas no campo de batalha! Estão me entendendo?”

“Senhor, sim, senhor!” Eles responderam.

“Então alguém pode me dizer que cara de derrota é essa no rosto de vocês?” Tyler começou a questioná-los. “Os COMANDOS não temem nada, os caveiras são aqueles que sorriem na frente da morte!”

Ninguém ousou falar nada, às vezes os discursos de Tyler eram um tanto estranhos e difíceis de entender o real significado.

“Existem três qualidades que são indispensáveis para aqueles que almejam essa boina negra:integridade, Inteligência e Energia! Claramente vocês já possuíam essas duas últimas qualidades, afinal estão aqui, mas a integridade é algo que eu pessoalmente vou moldar!”

Por duros dois meses Tyler foi rígido e intenso com cada um deles, depois da primeira semana de curso onde só foi força física e determinação, os homens começaram a evoluir no treinamento.

Pode-se dizer que Tyler os massacrou no treino de combate corpo-a-corpo, ele foi fundo quando os ensinou o Krav-maga e o Jiu-jitsu. Para ele era um fato que hoje ninguém era superior que esses homens em uma luta mano a mano, contudo ele foi muito além.

Escalada, incursões noturnas, anfíbias, extrações e caça. Tyler teve uma preocupação especial em ensinar a eles todos os tipos de armas que tinha trazido.

Desde o fuzil M4 que seria exclusivo para uso dos comandos, bem como os AK-47, Barrett M82, morteiros, RPG’s, metralhadoras e outras. O fuzil padrão do exército de Atlantis seria o AK-47, mas os COMANDOS eram uma tropa de elite e por causa disso suas armas eram diferentes.

Também houve três diferentes tipos de especializações dentro do curso. O primeiro era o de caçadores, os caçadores consistiam basicamente em atiradores furtivos, ou comumente chamados snipers. Sua missão era basicamente abater o inimigo de uma longa distância, um fato que poucos sabem é que a maioria dos fuzis de precisão usam os mesmos calibres que os fuzis de assalto. A Barrett que Tyler usava era uma .50 (delongas: ponto cinquenta, para quem não entendeu) e entrava em uma categoria de fuzil antimaterial, ou seja, ela era mais indicada para destruir pequenos veículos ou alvos com distâncias superiores a 800 metros.

 

Na terra ela não era tão usada assim, porém existe um ditado nas forças armadas que se aplica ao contexto dessa arma. Para cada tarefa num campo de batalha, existe uma ferramenta certa.

Aqui, existem feras enormes e com capacidades defensivas muito superiores que qualquer outra da terra, armas de calibre alto eram muito mais necessárias.

A segunda especialização era a de infiltração e extração. Tyler ensinou tudo o que sabia sobre combates noturnos, escalada, mergulho e invasões, o curso só não foi melhor, pois não teve salto de paraquedas. Mas no futuro teria.

Já a terceira especialização era comando geral de tropas. O objetivo principal de Tyler com o curso de COMANDOS era ter um embrião para o resto de seu exército, seus futuros generais sairiam daqui.

Sendo assim, ele lhes ensinou táticas de guerrilha, insurgência, contra-insurgência, comunicação, logística e comando. Tyler passou todas as táticas que podia, e não só isso, ele também deu uma boa base para que eles pudessem se adaptar e evoluir durante um combate.

Durante esse tempo de curso cerca de 80 homens conseguiram continuar, no meio do curso Tyler começou a dar aulas de inglês, morse e direção.

Tyler tinha 50 caminhonetes Ford F-22 especialmente preparadas, mas para uso geral em campo ele usou os Hunvee que comprou em leilões e também motocicletas.

As motocicletas eram as preferidas deles, eram mais fáceis de esconder, tinham boa autonomia e mobilidade.

***

Nesses dois meses a cidade de Atlantis não ficou para trás nem um pouco, estradas perfeitas, casas, prédios, galpões e fábricas surgiram do nada, se o crescimento de Mil era rápido, Atlantis era um foguete.

A única diferença era que Tyler ainda restringia um pouco a entrada de pessoas que queriam vir para morar, ele não estava tentando excluir as pessoas, ele só controlava a população para não haver uma superpopulação.

Atlantis não era uma cidade comum, ela estava mais perto de ser um polo industrial do que qualquer outra coisa. Tyler se esforçou a passar conhecimento mais do que qualquer outra coisa.

Como ele praticamente não dormia, suas aulas eram praticamente em todos os horários existentes. Era comum muitas pessoas verem aulas às 3 ou 4 da manhã, Tyler começou com os sábios e depois foi passando para as demais pessoas.

Matemática básica, agronomia, geometria, biologia, química, inglês, mecânica, metalurgia e carpintaria. Os cursos que ele dava eram bem básicos, Tyler insistiu muito no inglês.

Embora a maioria das pessoas não soubessem ler ou escrever, quem tinha um berço um pouco melhor tinha acesso à alfabetização. A insistência de Tyler se devia mais a capacitação deles em poder aprenderem mais por si mesmos.

Ele tinha trazido milhões de livros e vídeos, mas não adiantaria nada se uma pessoa não entendesse o que o outro estava falando.

Felizmente, os sábios no geral se saíram melhores do que ele previu e já podiam ler uma coisa ou outra. Pelas contas dele, em mais 4 meses eles já estariam lendo sem muitas dificuldades.

Essa velocidade era reflexo de toda uma vida dedicada ao estudo, quando Tyler dava suas aulas esses homens ficavam vidrados em cada uma de suas palavras e estudavam dia e noite tudo o que ele dizia.

Outra coisa boa é que muitas das coisas que ele precisava mais urgentemente eram práticas e não teóricas, pedreiros, motoristas, tratoristas, marceneiros e soldadores podiam ser ensinados desde que fossem um pouco espertos, mas também não precisavam ser gênios.

Tyler já tinha conseguido trazer grande parte dos seus equipamentos da caverna, ele tinha conseguido essa façanha graças aos tanzões, os animais pesavam 3,5 toneladas, Tyler mandou fazer um arreio especial e os fez puxar as cargas.

Ele apenas amarrou os animais nos reboques e os trouxe todo o caminho até Atlantis. Os animais eram lentos, contudo Tyler nem se importava, com o tanto de combustível que ele estava economizando a viagem poderia durar um mês.

Por um tempo ele ficou se perguntando qual era o motivo para esse bicho não ser usado, depois ele descobriu que muita gente não o conhecia e também não havia tantos usos para ele, já que era lento e comia muito. Aqui não haviam tantas cargas pesadas e por isso esse animal não era muito usado, esse mundo tinha uma infinidade de novos animais, grande e pequenos. Então era meio que normal muitos deles passarem despercebidos.

***

Com exatos 90 dias o curso intensivo chegou ao fim, a cerimônia foi marcada e todos os familiares dos recrutas foram chamados, esse era um momento único na vida deles e na história desse recente Império.

Os candidatos que tiveram o êxito em concluir o curso saíam com a patente de tenente, para as pessoas daqui não importava muito, mas aqueles que estavam treinando com Tyler sabiam que esse era um cargo razoável e já era considerado um oficial.

Os novos oficiais tinham uma ideia bem clara de como funcionaria esse novo exército comandado por Tyler, ninguém ganharia cargos só por amizade e nem comandaria tropas sem ter a capacidade para fazê-lo.

“Sentido!” Um dos recrutas chamou a atenção da tropa.

Todos estavam alinhados e retos, batendo continência para um mastro cuja bandeira imperial estava sendo hasteada.

Essa posição era algo novo para os demais presentes, hoje muita gente de fora estava vendo essa tropa especial pela primeira vez.

Muitos dos que tinham cargos altos no comando militar do antigo Reino Leste vieram ver o que Tyler estava fazendo.

Os antigos generais estavam babando quando olhavam aquela tropa perfeitamente alinhada.

 

“Guerreiros, façam sua oração!” Tyler rugiu.

“Senhor!”

“Tu que ordenaste ao Guerreiro de Selva”

“Sobrepujai todos os vossos oponentes”

“Dai-nos hoje da floresta:”

“A sobriedade para persistir;”

“A paciência para emboscar;”

“A perseverança para sobreviver;”

“A astúcia para dissimular;”

“A fé para resisitir e vencer.”

“E dai-nos também,Senhor;”

“A esperança e a certeza do retorno;”

“Mas se defendendo este Império;”

“Tivermos que perecer, ó Deus;”

“Que façamos com dignidade!”

“E mereçamos a vitória!

“Caveira!”

LINK DO ORIGINAL.

LINK EM TUPI. (Acho esse mais legal. rsrsrs)

 

Com um brado uniforme e inflamado todos recitaram a oração que aprenderam nos primeiros dias de curso, e como toque final todos gritaram. “Ave Império!”

Para muita gente nada tinha mudado, mas para esses homens o império ardia em seus peitos, agora eles tinham um febril patriotismo que Tyler tanto trabalhou para semear.

Tyler andou até a frente deles e começou seu discurso.

“Há exatos 90 dias cerca de 500 trapos vieram à minha frente e depois desse tempo somente 80 deles permaneceram. Hoje, eu posso dizer que vejo homens de valor, coragem e integridade na minha frente.” Ele fez uma pausa e continuou.

“O processo foi árduo e difícil, mas eles são como o ferro que só pode atingir seu potencial máximo depois de ser submetido ao calor extremo e as pancadas poderosas de um ferreiro. Eu pessoalmente fui esse ferreiro impiedoso, e tenho o orgulho de dizer que me orgulho dos homens na minha frente.”

Essa era uma das poucas vezes que eles ouviram Tyler elogiá-los e por isso sabiam que era verdadeiro o sentimento.

“Caveiras!” Tyler gritou alto. “Vá e vença-os…”

“E por vencido não os conheça!” Eles completaram.

Depois disso Tyler foi na frente do primeiro homem e uma moça apareceu do lado com uma bandeja.

Tyler retirou um dogtag (Aquele colar de identificação militar.) e um broche com um crânio transpassado por uma faca.

Ele colocou com cuidado o dogtag no pescoço do homem e apontou o broche para o peito. Devagar ele enfiou o alfinete até o ponto onde ele não caísse e depois deu um tapa forte cravando-o na carne.

“Caveira!” O rapaz gritou.

Tyler bateu de novo.

“Caveira!” Ele gritou mais uma vez.

Tyler bateu a terceira vez.

“Caveira!” O rapaz tinha lágrimas nos olhos, não de dor, mas sim de orgulho e emoção. Agora tudo estava terminado ele tinha superado seus medos e dificuldade. Esses meses de pressão intensa, noites sem dormir, fome e privações. Ele estava sendo recompensado agora.

“Ave império!” Tyler saudou.

O rapaz prestou continência e respondeu. “Ave império!”

Um a um, os 80 rapazes ganharam seus broches de Tyler e agora podiam tirar do peito e colocá-lo em seu gorro negro.

Para cada um deles essa boina era especial, Tyler tinha dito que ninguém além deles ou de outro caveira poderia pegá-la. Isso era algo de muito valor e por causa disso ninguém mais era digno de tocá-la.

Depois da entrega os homens foram dispensados e a cerimônia terminou.

***

“Senhor, ouvi que o senhor queria me ver?” Rafir entrou na sala onde Tyler estava.

Rafir era o jovem filho do general que tinha competido com Tyler para tentar ser o herdeiro do trono. Ele tinha feito parte dos 80 homens que se formaram hoje, Tyler não tinha ajudado-o a passar. Rafir tinha passado pelas suas próprias competências e agora estava pronto para servir ao império como sua família tinha feito por gerações.

“Sim, chamei. Sente-se.” Tyler apontou para uma cadeira próxima. “Alguns meses atrás o rei do Reino central enviou dois filhos seus e um conselheiro, disfarçados para a cidade de Mil. Lá eles tentaram me intimidar e depois cometeram atos terríveis com uma moça, eu tomei as precauções e os matei.”

Rafir ficou branco com a notícia que Tyler tinha dado.

“Como fiz em segredo, ninguém sabe. Contudo o rei Caliga não é tolo, ele sabe que eu sou o responsável e desde aquela época tem feito pequenas escaramuças nas fronteiras.” Tyler respirou fundo e continuou. “Eu tenho uma missão para você, eu quero que escolha mais 9 homens e entre disfarçado nas terras do reino central, lá você vai recolher informações sobre a situação atual do reino e eliminar alvos prioritários.”

“O que seriam alvos prioritários?” Rafir quis saber.

“Generais e homens do alto escalão, lordes que fazem parte da administração e comerciantes com íntima ligação com o governo.” Tyler esclareceu.

“Quando começa a missão?”

“Em uma semana, vá e tenha um tempo com sua família, deixe os homens descansarem um pouco e depois volte.”

“Sim senhor.”

“Escolha os homens bem e procure diversificar sua equipe, tenha homens de todas a áreas.” Tyler aconselhou.

“Senhor, eu vou fazer, senhor”

“Quero também lembrar que você e sua equipe serão como fantasmas, sob hipótese nenhuma vocês devem ser descobertos.”

“Sim, eu vou ter isso em mente!”


Autor: Lion | Editor: Bczeulli | QC: Delongas



Fontes
Cores